Carlos Marcelo
Universidade de Sevilla
   Un fantasma recorre las
    universidades del mundo:



   El fantasma de la

    educación
    de distancia
 
“La flexibilidad implica la capacidad de los centros de
enseñanza para reaccionar rápidamente ante las
nuevas necesidade...
http://www.uopeople.org/
   La educación a distancia es un negocio
   Es sólo marketing
   No puede competir con la formación presencial
   Un ...
   Nos permite democratizar el acceso al
    conocimiento y la formación: independencia
    del tiempo, lugar, situación ...
Medio lleno o 

medio vacío   ?
   Melhorar os processos de criação, difusão, gestão
    do conhecimento através de mecanismos que
    vinculem investiga...
A mudança de paradigma:




             Para aproximar-se de uma
         atividade que consiste em facilitar
           ...
   A responsabilidade da Universidade é assegurar a
    aprendizagem de todos os alunos
   Para isso busca criar ambient...
   “Um lugar onde os alunos possam trabalhar
    juntos, apoiando-se mutuamente, utilizando
    uma variedade de ferramen...
Os alunos fazem, indagam
                        Ativo/
                      Manipulativo                  Construtivo

 ...
   Formação intensiva docente
   Inversão econômica em processos de formação,
    inovação
   Apoio para a digitalizaçã...
E tudo isto,
como se está
levando a cabo
e como está
repercutindo no
professorado?
Mudanças




           docentes
   Quem não resiste a mudança?
   As resistências são provenientes de:

       A quem interessam estas mudanças?
     ...
   Planejar com base nas competências
    (genéricas e específicas)
   Planejar processos de aprendizagem
    complexos
...
DIFERENTES CENÁRIOS PARA APRENDER
                                         ESPAÇO
                     O mesmo            ...
Ensino on-line          Formação à distância
  Teleformação
                          Formação virtual
   E-training      ...
“ Sistemas que
    permitem a
  conexão entre
pessoas e recursos,
    através das
  tecnologias de
comunicação, com
  o pr...
Os novos ambientes 
de aprendizagem 
estão demandando 
mudanças no 
desenho da 
aprendizagem  dos 
alunos
CONTEÚDOS         INTERAÇÕES




DOCENTES                 Tarefas de         DISCENTES
                       aprendizagem...
   Necessidades formativas e
    Novas Competências: didáticas,
    tecnológicas, tutoriais

   Conhecimento didático do...
    Un ambiente de trabajo (ordenador,
    software, conexión, espacio…)
    Algunas habilidades tecnológicas
    Hábit...
   Usabilidade
   Estruturas de
    organização
   Formatos de
    apresentação
   Integração com os
    demais compon...
INTERAÇAO
UM MODELO DE ANÁLISE


                                Apoiar o          Dimenção
      Dimenção Socio-                   ...
AS TAREFAS DE APRENDIZAGEM
                     Auto-aprendizagem



      Estudo                              Indagação

...
Auto-aprendizagem




      Estudo     •Tarefas assimilativas: ler,
                 ver, escutar
Ênfase no               ...
    “qualquer recurso digital que possa ser re-
         utilizado para dar suporte a educação. O termo
         “objeto ...
http://www.merlot.org 
http://ocw.mit.edu/index.html 
Auto-aprendizagem




            • Tarefas assimilativas: ver,
             escutar, compreender
Ênfase no               ...
TECNOLOGÍAS PARA EL APOYO A LAS TAREAS DE ENSEÑANZA


   Aparte de las tecnologías de apoyo a las clases pres

   Videoc...
Auto-aprendizagem



                          Indagação
            •Tarefas produtivas: Criar,
             Produzir, Es...
TECNOLOGÍAS PARA EL APOYO A LAS TAREAS DE PRÁCTICA




   Blogs de alumnos
   Google Docs
   Plataformas LMS: foros, co...
http://docs.google.com 
Auto-aprendizagem




                                          Ênfase na
Ênfase no                                Experiê...
Tecnologias




              Investigaçao
“apesar do crescente interesse no uso de e-learning para melhorar a 
aprendizagem dos alunos, é surpreendente que haja tão...
   Investigação não invasiva dos espaços de ensino

   Transparência da informação tanto no planejamento como na análise...
Muito obrigado


marcelo@us.es
http://prometeo.us.es/idea


                             43
Educación a distancia y educación presencial. E-learning
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Educación a distancia y educación presencial. E-learning

1.220 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.220
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
26
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • <number>
  • 12
  • 12
  • 12
  • 15
  • 15
  • 15
  • 18
  • 19
  • 19
  • 19
  • 22
  • 22
  • 22
  • 22
  • 22
  • 27
  • 28
  • 29
  • 29
  • 29
  • 29
  • 33
  • 33
  • 35
  • 35
  • 35
  • 38
  • 39
  • 39
  • 39
  • 39
  • Educación a distancia y educación presencial. E-learning

    1. 1. Carlos Marcelo Universidade de Sevilla
    2. 2.  Un fantasma recorre las universidades del mundo:  El fantasma de la educación de distancia
    3. 3.   “La flexibilidad implica la capacidad de los centros de enseñanza para reaccionar rápidamente ante las nuevas necesidades y preverlas, suprimir la rigidez de las estructuras y hacerlas evolutivas. La enseñanza a distancia, la enseñanza en los lugares de trabajo, y sobre todo las nuevas tecnologías de la información y la comunicación, amplían considerablemente las posibilidades de la educación superior para aplicar en la práctica el concepto de educación permanente”.
    4. 4. http://www.uopeople.org/
    5. 5.  La educación a distancia es un negocio  Es sólo marketing  No puede competir con la formación presencial  Un efecto más de la globalización: competencia feroz entre universidades  Descontextualiza al que aprende  Se puede suplantar la personalidad  Las tecnologías pervierten las relaciones humanas  Agranda la brecha digital  Es solo “download pdf” 
    6. 6.  Nos permite democratizar el acceso al conocimiento y la formación: independencia del tiempo, lugar, situación personal o profesional  Permite gestionar mejor el conocimiento generado en las universidades  Aporta mayor transparencia al proceso de enseñar y aprender  Trabaja con los medios del siglo XXI: una universidad 2.0  Favorece un aprendizaje autónomo y colaborativo
    7. 7. Medio lleno o  medio vacío ?
    8. 8.  Melhorar os processos de criação, difusão, gestão do conhecimento através de mecanismos que vinculem investigação-desenvolvimento- inovação-formação  Comprometer-se com a aprendizagem de qualidade ao longo da vida dos cidadãos  Uma universidade mais sensível ao sistema de rendimento de contas, avaliação.
    9. 9. A mudança de paradigma: Para aproximar-se de uma atividade que consiste em facilitar a aprendizagem dos alunos
    10. 10.  A responsabilidade da Universidade é assegurar a aprendizagem de todos os alunos  Para isso busca criar ambientes de aprendizagem e experiências para que os alunos construam conhecimento  Avalia a docência em termos de aprendizagem dos alunos, não do ensino.  Pretende superar a estrutura fechada (um professor, uma turma, um período, um conteúdo)  Assume teorías de aprendizagem ativas  A universidade avança para uma organização que aprende
    11. 11.  “Um lugar onde os alunos possam trabalhar juntos, apoiando-se mutuamente, utilizando uma variedade de ferramentas e recursos de informação na busca das metas e objetivos de aprendizagem e nas atividades de resolução de problemas” (Wilson).
    12. 12. Os alunos fazem, indagam Ativo/ Manipulativo Construtivo Os alunos integram novas idéias a partir do  que já conhecem Intencional Colaborativo As tarefas de aprendizagem  Os alunos trabalham em equipe,  perseguem uma meta estabelecida colaborando com outros próximos ou não É necessário implicar os alunos em problemas  complexos e pouco estruturados               A aprendizagem é um processo  social e mediante diálogo Complexo Dialógico As tarefas devem estar “situadas”, ser  realistas: estudo de casos  Os alunos devem justificar e explicar o  porquê, das ações e práticas Contextualizado Reflexivo D. Jonassen
    13. 13.  Formação intensiva docente  Inversão econômica em processos de formação, inovação  Apoio para a digitalização de conteúdos  Acordos inter-universitários para a oferta de disciplinas digitalizadas (Universidade Digital)  Implicação de equipes docentes na experimentação do Espaço Europeu Educaçao Superior  Apoio a projetos de inovação educativa  Desenvolvimento de programas de avaliação da qualidade: da docência, da investigação, da formação, das bibliotecas, da administração…
    14. 14. E tudo isto, como se está levando a cabo e como está repercutindo no professorado?
    15. 15. Mudanças docentes
    16. 16.  Quem não resiste a mudança?  As resistências são provenientes de:  A quem interessam estas mudanças?  Sabemos onde queremos ir?  As competências são meros saberes instrumentais? Estamos na Universidade ou na Formação Técnico-Profissional?  Medos, desconfianças, incertezas entre o professorado: com os mesmos alunos e recursos?  As TICs têm demonstrado realmente, um aporte diferenciado na qualidade da aprendizagem dos alunos?  Os alunos são entusiastas deste processo? NÃO: supõe mais trabalho
    17. 17.  Planejar com base nas competências (genéricas e específicas)  Planejar processos de aprendizagem complexos  Planejar cenários de aprendizagem diversos  Trabalho colaborativo com outros docentes para assegurar a aquisição de competências  Utilizar TICs nos diferentes momentos do processo de aprendizagem  Avaliar a aquisiçao de competências
    18. 18. DIFERENTES CENÁRIOS PARA APRENDER ESPAÇO O mesmo Diferente Ensino/ Ensino/ Aprendizagem Asincrônico Aprendizagem Asíncrono: Asíncrono: em através de LMS laboratório físico, ou Internet simulador, tutorial TEMPO Ensino/ Sincrônico Ensino/ Aprendizagem Aprendizagem Síncrono: em espaço Síncrono: em aula virtual, Videoconferência física Chat, Mundos virtuais
    19. 19. Ensino on-line Formação à distância Teleformação Formação virtual E-training Formação on-line SOPA  DE LETRAS ? E-learning m-learning b-learning u-learning
    20. 20. “ Sistemas que permitem a conexão entre pessoas e recursos, através das tecnologias de comunicação, com o propósito da aprendizagem ”
    21. 21. Os novos ambientes  de aprendizagem  estão demandando  mudanças no  desenho da  aprendizagem  dos  alunos
    22. 22. CONTEÚDOS INTERAÇÕES DOCENTES Tarefas de DISCENTES aprendizagem RECURSOS AVALIAÇÃO
    23. 23.  Necessidades formativas e Novas Competências: didáticas, tecnológicas, tutoriais  Conhecimento didático do conteúdo no ensino on-line  Crenças, atitudes, expectativas, percepção de auto-eficácia  “Standards” para a formação docente
    24. 24.  Un ambiente de trabajo (ordenador, software, conexión, espacio…)  Algunas habilidades tecnológicas  Hábitos de estudio  Organización del tiempo  Motivación para aprender  Disciplina de trabajo  No tener miedo a equivocarse
    25. 25.  Usabilidade  Estruturas de organização  Formatos de apresentação  Integração com os demais componentes do planejamento
    26. 26. INTERAÇAO
    27. 27. UM MODELO DE ANÁLISE Apoiar o Dimenção Dimenção Socio- Cognitiva discurso Pessoal EXPERIÊNCIA EDUCATIVA Criar clima Selecionar conteúdos Dimenção Didática Tomado de Garrison, Anderson and Archer
    28. 28. AS TAREFAS DE APRENDIZAGEM Auto-aprendizagem Estudo Indagação Ênfase no Ênfase na Conteúdo Experiência e na Prática Tutoria Ensino Assessoramento Aprendizagem Guiada (baseado em Wenger e Ferguson, 2006)
    29. 29. Auto-aprendizagem Estudo •Tarefas assimilativas: ler, ver, escutar Ênfase no Ênfase na Conteúdo Experiência e na •Tarefas de manejo da Prática informação: Obter, Ordenar, Classificar, Selecionar, Analisar, Manipular Aprendizagem Guiada
    30. 30.  “qualquer recurso digital que possa ser re- utilizado para dar suporte a educação. O termo “objeto de aprendizagem” geralmente se aplica a materiais educativos planejados e criados em pequenas unidades com o propósito de maximizar o número de situações de aprendizagem nas quais possam ser utilizados”. [1]Wiley, David. 2000. Learning Object Design and Sequencing Theory. 
    31. 31. http://www.merlot.org 
    32. 32. http://ocw.mit.edu/index.html 
    33. 33. Auto-aprendizagem • Tarefas assimilativas: ver, escutar, compreender Ênfase no Ênfase na • Demonstração Experiência e na Conteúdo Prática Ensino Aprendizagem Guiada
    34. 34. TECNOLOGÍAS PARA EL APOYO A LAS TAREAS DE ENSEÑANZA  Aparte de las tecnologías de apoyo a las clases pres  Videoconferencia  Audioconferencia (chats, messenger…)  Conferencia en SecondLife
    35. 35. Auto-aprendizagem Indagação •Tarefas produtivas: Criar, Produzir, Escrever, Desenhar, Compor, Criticar, Ênfase no Sintetizar. Ênfase na Conteúdo Experiência e na •Tarefas experienciais: Prática Praticar, Aplicar, Experimentar, Explorar, Investigar, Atuar. •Tarefas comunicativas: Discutir, Apresentar, Debater. Aprendizagem Guiada
    36. 36. TECNOLOGÍAS PARA EL APOYO A LAS TAREAS DE PRÁCTICA  Blogs de alumnos  Google Docs  Plataformas LMS: foros, correo herramientas de grupo  Internet: buscadores  Wiki  Herramientas de trabajo colaborativo
    37. 37. http://docs.google.com 
    38. 38. Auto-aprendizagem Ênfase na Ênfase no Experiência e Conteúdo na Prática •Tarefas adaptativas: tutoría, diálogo, assessoramento, seguimento Tutoria Aprendizagem Guiada
    39. 39. Tecnologias Investigaçao
    40. 40. “apesar do crescente interesse no uso de e-learning para melhorar a  aprendizagem dos alunos, é surpreendente que haja tão escassa investigação  que justifique este objetivo” (Mehanna, 2004) Maioria de projetos de  investigação descritivos.  Poucos estudos experimentais  ou em processo
    41. 41.  Investigação não invasiva dos espaços de ensino  Transparência da informação tanto no planejamento como na análise da interação didática  Facilidade de acesso a informantes independentemente do lugar: questionários on-line, entrevistas por audio/videoconferência, análise de foros, grupos focais…  Maiores possibilidades de análise dos planejamentos de aprendizagem  Possibilidade de rastrear os processos de construção pessoal do conhecimento  Possibilidade de acesso a processos de gestão do conhecimento e aprendizagem colaborativa.  Dificuldade para o acompanhamento dos resultados de aprendizagem dos alunos
    42. 42. Muito obrigado marcelo@us.es http://prometeo.us.es/idea 43

    ×