SlideShare uma empresa Scribd logo
Bacias hidrográficas
Isabel José Ribeiro | Maria Eduarda Carrapa
BACIAS HIDROGRÁFICAS




• Bacia hidrográfica é a área
  delimitada pelos pontos de
  maior altitude - linhas
  divisórias das águas – onde se
  instala uma rede hidrográfica.
• Rede hidrográfica é o conjunto
  formado pelo rio, seus
  afluentes e subafluentes.
BACIAS HIDROGRÁFICAS

Dinâmica de uma bacia hidrográfica
  Perfil longitudinal de um rio é a linha que une os
  pontos do fundo do leito de um rio, de montante
  (nascente) a jusante (foz).
BACIAS HIDROGRÁFICAS




 Perfil transversal é a linha que une as duas
 margens de um rio passando pelo fundo do leito.
BACIAS HIDROGRÁFICAS




• Numa bacia hidrográfica podem distinguir-se diferentes
  formas da ação do rio sobre o relevo, percorrendo o seu
  perfil longitudinal.




   Curso superior       Curso médio          Curso inferior
BACIAS HIDROGRÁFICAS

 Estudo de caso – O rio Tejo e as pontes

• As pontes são
  construções que unem
  as margens de um rio,
  unindo assim dois
  pontos do perfil
  transversal.
                          Ponte velha, Talavera de la   Ponte romana, Alcântara,   Ponte Vasco da Gama,
• Estudando um rio e      Reina, Toledo, Espanha        Espanha                    Lisboa


  observando as pontes
  que o atravessam,
  podemos tirar
  conclusões quanto aos
  vários perfis
  transversais ao longo
                          Ponte 25 de abril,            Ponte Marechal Carmona,    Ponte Salgueiro Maia,
  do seu curso.           Lisboa                        Vila Franca de Xira        Santarém
BACIAS HIDROGRÁFICAS

Rio Tejo

  • O rio Tejo é o segundo maior rio português em extensão. É o
    maior rio da Península Ibérica. Um pequeno troço (43 km) faz
    fronteira natural com Espanha (Tejo internacional).
  • O estuário do Tejo é o maior da Europa Ocidental, com 320
    km2.
  Nascente: Serra de Albarracin, (Fuente de Garcia) em Espanha, a
  150 km da costa mediterrânea.
  Foz: Lisboa, assinalada pelo farol do Bugio.
  • Nas suas margens ficam localidades espanholas como Toledo,
    Aranjuez e Talavera de la Reina e portuguesas como
    Abrantes, Santarém, Salvaterra de Magos, Vila Franca de Xira,
    Alverca do Ribatejo, Póvoa de Santa Iria, Sacavém, Alcochete,
    Montijo, Barreiro, Seixal, Almada e Lisboa.
BACIAS HIDROGRÁFICAS

Bacia internacional
 • A bacia hidrográfica do rio Tejo corta longitudinalmente a
   Península Ibérica com uma orientação dominante este-oeste.
   É limitada a norte pelas bacias do Douro e do Mondego, a
   leste pelas bacias do Ebro, do Túria e do Jucar e a sul pelas
   bacias dos rios Guadiana e Sado.
BACIAS HIDROGRÁFICAS

NASCENTE




                       Serra de Albarracin - 1593 metros (Espanha)
                       Fuente de Garcia
BACIAS HIDROGRÁFICAS

Curso superior

   O rio cobre um desnível de 453 m nos dez primeiros
   quilómetros.
BACIAS HIDROGRÁFICAS

Alto Tejo




                       Aqui o Tejo desce a uma altitude de
                       1140 metros, depois de vencer
                       pronunciados pendentes e formar
                       diferentes gargantas, encravadas
                       em áreas fortemente despovoadas.
BACIAS HIDROGRÁFICAS

Ponte em Trillo (Guadalajara)


• Trillo situa-se a uma
  altitude média de
  738 metros.
• A ponte sobre o rio
  Tejo foi construída
  no século XVI e
  reconstruída em
  1826.
BACIAS HIDROGRÁFICAS

Barragem de Entrepeñas




             O rio Tejo é retido por cinco barragens,
             descendo até à cota de cerca de 600 metros.
BACIAS HIDROGRÁFICAS
Curso médio-alto
Ponte de Fuentidueña de Tajo (Madrid), do século XIX.




              Nesta localidade o Tejo atinge cotas de 500 metros e o
              comprimento da ponte é de 65,2 metros.
BACIAS HIDROGRÁFICAS

  Ponte San Martin, Toledo



• Chega a Toledo (529 metros
  de altitude), a única capital
  de província espanhola por
  onde passa, a qual rodeia
  com meandros.
• A ponte tem 40 metros de
  comprimento.
BACIAS HIDROGRÁFICAS
 El Puente del Arzobispo,
 14,5m de altura no arco central




• Ao passar na localidade
  de Puente del Arzobispo,
  município da província de
  Toledo, as cotas são de
  320 metros.
BACIAS HIDROGRÁFICAS
Curso médio baixo
Talavera de la Reina, Toledo (375 metros de altitude)




A ponte sobre o rio Tejo
tem 800 metros de
comprimento, 180 de
altura e uma estrutura
com 104 cabos em aço.
BACIAS HIDROGRÁFICAS

Ponte romana de Alcántara (Cáceres)




 O rio aqui passa em terrenos com altitude ligeiramente superior
 aos 200 metros.
 Na confluência do Alagón com o Tejo, fica a cidade de Alcántara,
 que dá nome à ponte romana do município. Apresenta seis
 arcos e tem 194 metros de comprimento, 8 de largura e 61 de
 altura máxima.
BACIAS HIDROGRÁFICAS
 Curso Baixo
 O rio junto às Portas de Rodão



A altitude do local é de
cerca de 100 metros.
A ponte foi inaugurada
em 1888 e tem um
tabuleiro metálico e
um comprimento de
167 metros.
BACIAS HIDROGRÁFICAS

  Ponte ferroviária - Abrantes



• A Ponte Ferroviária de
  Abrantes é uma ponte
  metálica sobre o rio -
  a Linha da Beira Baixa.
• Apresenta 427,7 metros
  de comprimento.
• A altitude é de cerca de
  100 metros.
BACIAS HIDROGRÁFICAS

Ponte das Lezírias, Santarém



A Ponte das Lezírias
(Santarém) é a segunda
maior ponte em Portugal
e uma das maiores do
mundo. Tem quase 13 km
na travessia do rio Tejo.
BACIAS HIDROGRÁFICAS

  Vila Franca Xira



• A ponte tem 1224 metros
  de comprimento e une
  Vila Franca de Xira
  a Porto Alto.
• A altitude média é de
  25 metros.
BACIAS HIDROGRÁFICAS

Ponte Vasco da Gama, Lisboa




    O rio prossegue até Lisboa, sob a ponte Vasco da Gama,
    considerada a mais comprida da Europa. Tem 17,2 km de
    comprimento, 10 dos quais sobre o leito do rio. Liga desde
    1998 as cidades de Montijo e Sacavém, integradas na área
    metropolitana de Lisboa.
BACIAS HIDROGRÁFICAS

Ponte 25 de Abril, Lisboa




   A Ponte 25 de Abril, tem grande interesse arquitectónico e
   estrutural. Foi inaugurada em 1966 e tem um comprimento
   de quase 2 km, ligando Lisboa e Almada.
BACIAS HIDROGRÁFICAS

Estuário




    O rio Tejo, após elevada deposição de aluviões, abre-se no Mar
    da Palha, apresentando, na sua parte final, um canal até ao mar.
BACIAS HIDROGRÁFICAS

Foz

                       A foz do rio Tejo é definida na linha
                       reta entre o Forte de São Julião da
                       Barra e o farol do Bugio.
BACIAS HIDROGRÁFICAS

 Rio Tejo - de Fuente de Garcia a Lisboa
A partir da sua nascente
(1593 metros), o rio corre
por um vale estreito até
cerca de 600 metros, na
confluência com o rio
Segue-se um grupo de
Guadiela.
barragens, onde o rio se
torna amplo e cria, nos
arredores de Aranjuez,
um dos vales mais
verdejantes de Espanha.
Através de rochas
graníticas, o rio descreve
meandros apertados, na
área de Toledo, a cerca
de 500 metros de
altitude.
BACIAS HIDROGRÁFICAS

 Rio Tejo - de Fuente de Garcia a Lisboa
Entre Talavera de la Reina
e Alcántara (291 metros),
o rio alarga com algumas
barragens e respetivas
albufeiras.
Na entrada em
Portugal, o seu caudal é
fraco e diminui de forma
gradual, assim como a
altitude (cerca de 100
metros).
Entre Abrantes e Vila
Franca de Xira, o rio cria
inúmeros bancos de areia
formando uma extensa
planície aluvial
facilmente inundável.
BACIAS HIDROGRÁFICAS

Rio Tejo - de Fuente de Garcia a Lisboa
Na parte final, o rio
apresenta uma extensa
área (denominada Mar
da Palha) estreitando
depois num canal até
ao mar.
Bacias hidrográficas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Recursos marítimos
Recursos marítimosRecursos marítimos
Recursos marítimos
manjosp
 
Recursos energéticos
Recursos energéticosRecursos energéticos
Recursos energéticos
Ilda Bicacro
 
Riscos naturais 9ºano
Riscos naturais 9ºanoRiscos naturais 9ºano
Riscos naturais 9ºano
Gabriela Vasconcelos
 
Recursos Hídricos
Recursos HídricosRecursos Hídricos
Recursos Hídricos
JMCDINIS
 
Especificidade do clima português
Especificidade do clima portuguêsEspecificidade do clima português
Especificidade do clima português
Ilda Bicacro
 
Portugal - Recursos hídricos Apresentação parte 2
Portugal - Recursos hídricos Apresentação parte 2Portugal - Recursos hídricos Apresentação parte 2
Portugal - Recursos hídricos Apresentação parte 2
Victor Veiga
 
Geografia[1]
Geografia[1]Geografia[1]
Geografia[1]
Joana Silva
 
Dinâmica das bacias hidrográficas
Dinâmica das bacias hidrográficasDinâmica das bacias hidrográficas
Dinâmica das bacias hidrográficas
Emília Cabral
 
Secas
SecasSecas
Secas
Carlamspc
 
Geografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Geografia A 10 ano - Recursos MarítimosGeografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Geografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Raffaella Ergün
 
Especificidade do clima português
Especificidade do clima portuguêsEspecificidade do clima português
Especificidade do clima português
Ilda Bicacro
 
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do SubsoloGeografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Raffaella Ergün
 
Potencialidades do litoral (1)
Potencialidades do litoral (1)Potencialidades do litoral (1)
Potencialidades do litoral (1)
Ilda Bicacro
 
Regioes agrarias
Regioes agrariasRegioes agrarias
Regioes agrarias
Ilda Bicacro
 
Geografia A
Geografia AGeografia A
Geografia A
Alcina Barbosa
 
Acidentes litoral
Acidentes litoralAcidentes litoral
Acidentes litoral
mariamoraisgeo
 
Os rios e bacias hidrográficas
Os rios e bacias hidrográficasOs rios e bacias hidrográficas
Os rios e bacias hidrográficas
claudiamf11
 
A ExpansãO Urbana
A ExpansãO UrbanaA ExpansãO Urbana
A ExpansãO Urbana
Maria Adelaide
 
Inundações
InundaçõesInundações
Inundações
Sara Daniela
 
Alterações Climáticas
Alterações ClimáticasAlterações Climáticas
Alterações Climáticas
Michele Pó
 

Mais procurados (20)

Recursos marítimos
Recursos marítimosRecursos marítimos
Recursos marítimos
 
Recursos energéticos
Recursos energéticosRecursos energéticos
Recursos energéticos
 
Riscos naturais 9ºano
Riscos naturais 9ºanoRiscos naturais 9ºano
Riscos naturais 9ºano
 
Recursos Hídricos
Recursos HídricosRecursos Hídricos
Recursos Hídricos
 
Especificidade do clima português
Especificidade do clima portuguêsEspecificidade do clima português
Especificidade do clima português
 
Portugal - Recursos hídricos Apresentação parte 2
Portugal - Recursos hídricos Apresentação parte 2Portugal - Recursos hídricos Apresentação parte 2
Portugal - Recursos hídricos Apresentação parte 2
 
Geografia[1]
Geografia[1]Geografia[1]
Geografia[1]
 
Dinâmica das bacias hidrográficas
Dinâmica das bacias hidrográficasDinâmica das bacias hidrográficas
Dinâmica das bacias hidrográficas
 
Secas
SecasSecas
Secas
 
Geografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Geografia A 10 ano - Recursos MarítimosGeografia A 10 ano - Recursos Marítimos
Geografia A 10 ano - Recursos Marítimos
 
Especificidade do clima português
Especificidade do clima portuguêsEspecificidade do clima português
Especificidade do clima português
 
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do SubsoloGeografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
Geografia A 10 ano - Recursos do Subsolo
 
Potencialidades do litoral (1)
Potencialidades do litoral (1)Potencialidades do litoral (1)
Potencialidades do litoral (1)
 
Regioes agrarias
Regioes agrariasRegioes agrarias
Regioes agrarias
 
Geografia A
Geografia AGeografia A
Geografia A
 
Acidentes litoral
Acidentes litoralAcidentes litoral
Acidentes litoral
 
Os rios e bacias hidrográficas
Os rios e bacias hidrográficasOs rios e bacias hidrográficas
Os rios e bacias hidrográficas
 
A ExpansãO Urbana
A ExpansãO UrbanaA ExpansãO Urbana
A ExpansãO Urbana
 
Inundações
InundaçõesInundações
Inundações
 
Alterações Climáticas
Alterações ClimáticasAlterações Climáticas
Alterações Climáticas
 

Destaque

Dinâmica de Uma Bacia Hidrográfica
Dinâmica de Uma Bacia HidrográficaDinâmica de Uma Bacia Hidrográfica
Dinâmica de Uma Bacia Hidrográfica
Rosária Zamith
 
Dinâmica das bacias hidrográficas
Dinâmica das bacias hidrográficasDinâmica das bacias hidrográficas
Dinâmica das bacias hidrográficas
Paula Tomaz
 
Dinâmica dolitoral powerpoint
Dinâmica dolitoral powerpointDinâmica dolitoral powerpoint
Dinâmica dolitoral powerpoint
Geografias Geo
 
Dinâmica do litoral - 7º Geografia
Dinâmica do litoral - 7º GeografiaDinâmica do litoral - 7º Geografia
Dinâmica do litoral - 7º Geografia
Victor Veiga
 
A dinâmica do litoral
A dinâmica do litoralA dinâmica do litoral
A dinâmica do litoral
Rosária Zamith
 
Dinâmica do litoral
Dinâmica do litoralDinâmica do litoral
Dinâmica do litoral
Mayjö .
 

Destaque (6)

Dinâmica de Uma Bacia Hidrográfica
Dinâmica de Uma Bacia HidrográficaDinâmica de Uma Bacia Hidrográfica
Dinâmica de Uma Bacia Hidrográfica
 
Dinâmica das bacias hidrográficas
Dinâmica das bacias hidrográficasDinâmica das bacias hidrográficas
Dinâmica das bacias hidrográficas
 
Dinâmica dolitoral powerpoint
Dinâmica dolitoral powerpointDinâmica dolitoral powerpoint
Dinâmica dolitoral powerpoint
 
Dinâmica do litoral - 7º Geografia
Dinâmica do litoral - 7º GeografiaDinâmica do litoral - 7º Geografia
Dinâmica do litoral - 7º Geografia
 
A dinâmica do litoral
A dinâmica do litoralA dinâmica do litoral
A dinâmica do litoral
 
Dinâmica do litoral
Dinâmica do litoralDinâmica do litoral
Dinâmica do litoral
 

Semelhante a Bacias hidrograficas

Rio Tejo
Rio TejoRio Tejo
Rio Tejo
luizamoscoso
 
Rio tejo
Rio tejoRio tejo
Rio Tejo
Rio TejoRio Tejo
Rio Tejo
BiaEsteves
 
Rio tejo
Rio tejoRio tejo
Rio tejo
BiaEsteves
 
Rio tejo
Rio tejoRio tejo
Rio tejo
Pelo Siro
 
1009
10091009
1009
Pelo Siro
 
Rio Tejo
Rio TejoRio Tejo
1266752980 rios de_portugal
1266752980 rios de_portugal1266752980 rios de_portugal
1266752980 rios de_portugal
Pelo Siro
 
1222652055 rios de_portugal
1222652055 rios de_portugal1222652055 rios de_portugal
1222652055 rios de_portugal
Pelo Siro
 
Rios de portugal
Rios de portugalRios de portugal
Rios de portugal
Maria Ferreira
 
Grupo 1 - Rios de Portugal
Grupo 1 - Rios de PortugalGrupo 1 - Rios de Portugal
Grupo 1 - Rios de Portugal
Vânia Dias
 
Grupo 1
Grupo 1Grupo 1
Grupo 1
Vânia Dias
 
Rio tejo
Rio tejoRio tejo
Rio tejo
dani1209
 
Rio tejo
Rio tejoRio tejo
Rio tejo
dani1209
 
Rios.portugal
Rios.portugalRios.portugal
Rios.portugal
Alfredo Caseiro
 
C:\Fakepath\Principais Rios De Portugal Continental
C:\Fakepath\Principais Rios De Portugal ContinentalC:\Fakepath\Principais Rios De Portugal Continental
C:\Fakepath\Principais Rios De Portugal Continental
guestd3dba4
 
Principais rios de portugal continental
Principais rios de portugal continentalPrincipais rios de portugal continental
Principais rios de portugal continental
mariamelya
 
Rios de portugal
Rios de portugalRios de portugal
Rios de portugal
genarui
 
Rios de portugal
Rios de portugalRios de portugal
Rios de portugal
genarui
 
Rio tejo Liboa Portugal
Rio tejo Liboa PortugalRio tejo Liboa Portugal
Rio tejo Liboa Portugal
Ashera
 

Semelhante a Bacias hidrograficas (20)

Rio Tejo
Rio TejoRio Tejo
Rio Tejo
 
Rio tejo
Rio tejoRio tejo
Rio tejo
 
Rio Tejo
Rio TejoRio Tejo
Rio Tejo
 
Rio tejo
Rio tejoRio tejo
Rio tejo
 
Rio tejo
Rio tejoRio tejo
Rio tejo
 
1009
10091009
1009
 
Rio Tejo
Rio TejoRio Tejo
Rio Tejo
 
1266752980 rios de_portugal
1266752980 rios de_portugal1266752980 rios de_portugal
1266752980 rios de_portugal
 
1222652055 rios de_portugal
1222652055 rios de_portugal1222652055 rios de_portugal
1222652055 rios de_portugal
 
Rios de portugal
Rios de portugalRios de portugal
Rios de portugal
 
Grupo 1 - Rios de Portugal
Grupo 1 - Rios de PortugalGrupo 1 - Rios de Portugal
Grupo 1 - Rios de Portugal
 
Grupo 1
Grupo 1Grupo 1
Grupo 1
 
Rio tejo
Rio tejoRio tejo
Rio tejo
 
Rio tejo
Rio tejoRio tejo
Rio tejo
 
Rios.portugal
Rios.portugalRios.portugal
Rios.portugal
 
C:\Fakepath\Principais Rios De Portugal Continental
C:\Fakepath\Principais Rios De Portugal ContinentalC:\Fakepath\Principais Rios De Portugal Continental
C:\Fakepath\Principais Rios De Portugal Continental
 
Principais rios de portugal continental
Principais rios de portugal continentalPrincipais rios de portugal continental
Principais rios de portugal continental
 
Rios de portugal
Rios de portugalRios de portugal
Rios de portugal
 
Rios de portugal
Rios de portugalRios de portugal
Rios de portugal
 
Rio tejo Liboa Portugal
Rio tejo Liboa PortugalRio tejo Liboa Portugal
Rio tejo Liboa Portugal
 

Mais de Carlos Gomes

About edcanvas
About edcanvasAbout edcanvas
About edcanvas
Carlos Gomes
 
Pp.ft.01.internet
Pp.ft.01.internetPp.ft.01.internet
Pp.ft.01.internet
Carlos Gomes
 
Conselhos na criação de um pp
Conselhos na criação de um ppConselhos na criação de um pp
Conselhos na criação de um pp
Carlos Gomes
 
Life expectancy
Life expectancyLife expectancy
Life expectancy
Carlos Gomes
 
Brasil - inundações e deslizamentos 2011
Brasil - inundações e deslizamentos 2011Brasil - inundações e deslizamentos 2011
Brasil - inundações e deslizamentos 2011
Carlos Gomes
 
Lisboa Expo
Lisboa ExpoLisboa Expo
Lisboa Expo
Carlos Gomes
 
Thirst For Water
Thirst For WaterThirst For Water
Thirst For Water
Carlos Gomes
 
Águas Subterrâneas
Águas SubterrâneasÁguas Subterrâneas
Águas Subterrâneas
Carlos Gomes
 
Instrução Qualificação Desemprego População Portuguesa
Instrução Qualificação Desemprego População PortuguesaInstrução Qualificação Desemprego População Portuguesa
Instrução Qualificação Desemprego População Portuguesa
Carlos Gomes
 

Mais de Carlos Gomes (11)

About edcanvas
About edcanvasAbout edcanvas
About edcanvas
 
Google
GoogleGoogle
Google
 
Pp.ft.01.internet
Pp.ft.01.internetPp.ft.01.internet
Pp.ft.01.internet
 
Conselhos na criação de um pp
Conselhos na criação de um ppConselhos na criação de um pp
Conselhos na criação de um pp
 
Life expectancy
Life expectancyLife expectancy
Life expectancy
 
Brasil - inundações e deslizamentos 2011
Brasil - inundações e deslizamentos 2011Brasil - inundações e deslizamentos 2011
Brasil - inundações e deslizamentos 2011
 
Lisboa Expo
Lisboa ExpoLisboa Expo
Lisboa Expo
 
Thirst For Water
Thirst For WaterThirst For Water
Thirst For Water
 
Águas Subterrâneas
Águas SubterrâneasÁguas Subterrâneas
Águas Subterrâneas
 
Instrução Qualificação Desemprego População Portuguesa
Instrução Qualificação Desemprego População PortuguesaInstrução Qualificação Desemprego População Portuguesa
Instrução Qualificação Desemprego População Portuguesa
 
 

Bacias hidrograficas

  • 1. Bacias hidrográficas Isabel José Ribeiro | Maria Eduarda Carrapa
  • 2. BACIAS HIDROGRÁFICAS • Bacia hidrográfica é a área delimitada pelos pontos de maior altitude - linhas divisórias das águas – onde se instala uma rede hidrográfica. • Rede hidrográfica é o conjunto formado pelo rio, seus afluentes e subafluentes.
  • 3. BACIAS HIDROGRÁFICAS Dinâmica de uma bacia hidrográfica Perfil longitudinal de um rio é a linha que une os pontos do fundo do leito de um rio, de montante (nascente) a jusante (foz).
  • 4. BACIAS HIDROGRÁFICAS Perfil transversal é a linha que une as duas margens de um rio passando pelo fundo do leito.
  • 5. BACIAS HIDROGRÁFICAS • Numa bacia hidrográfica podem distinguir-se diferentes formas da ação do rio sobre o relevo, percorrendo o seu perfil longitudinal. Curso superior Curso médio Curso inferior
  • 6. BACIAS HIDROGRÁFICAS Estudo de caso – O rio Tejo e as pontes • As pontes são construções que unem as margens de um rio, unindo assim dois pontos do perfil transversal. Ponte velha, Talavera de la Ponte romana, Alcântara, Ponte Vasco da Gama, • Estudando um rio e Reina, Toledo, Espanha Espanha Lisboa observando as pontes que o atravessam, podemos tirar conclusões quanto aos vários perfis transversais ao longo Ponte 25 de abril, Ponte Marechal Carmona, Ponte Salgueiro Maia, do seu curso. Lisboa Vila Franca de Xira Santarém
  • 7. BACIAS HIDROGRÁFICAS Rio Tejo • O rio Tejo é o segundo maior rio português em extensão. É o maior rio da Península Ibérica. Um pequeno troço (43 km) faz fronteira natural com Espanha (Tejo internacional). • O estuário do Tejo é o maior da Europa Ocidental, com 320 km2. Nascente: Serra de Albarracin, (Fuente de Garcia) em Espanha, a 150 km da costa mediterrânea. Foz: Lisboa, assinalada pelo farol do Bugio. • Nas suas margens ficam localidades espanholas como Toledo, Aranjuez e Talavera de la Reina e portuguesas como Abrantes, Santarém, Salvaterra de Magos, Vila Franca de Xira, Alverca do Ribatejo, Póvoa de Santa Iria, Sacavém, Alcochete, Montijo, Barreiro, Seixal, Almada e Lisboa.
  • 8. BACIAS HIDROGRÁFICAS Bacia internacional • A bacia hidrográfica do rio Tejo corta longitudinalmente a Península Ibérica com uma orientação dominante este-oeste. É limitada a norte pelas bacias do Douro e do Mondego, a leste pelas bacias do Ebro, do Túria e do Jucar e a sul pelas bacias dos rios Guadiana e Sado.
  • 9. BACIAS HIDROGRÁFICAS NASCENTE Serra de Albarracin - 1593 metros (Espanha) Fuente de Garcia
  • 10. BACIAS HIDROGRÁFICAS Curso superior O rio cobre um desnível de 453 m nos dez primeiros quilómetros.
  • 11. BACIAS HIDROGRÁFICAS Alto Tejo Aqui o Tejo desce a uma altitude de 1140 metros, depois de vencer pronunciados pendentes e formar diferentes gargantas, encravadas em áreas fortemente despovoadas.
  • 12. BACIAS HIDROGRÁFICAS Ponte em Trillo (Guadalajara) • Trillo situa-se a uma altitude média de 738 metros. • A ponte sobre o rio Tejo foi construída no século XVI e reconstruída em 1826.
  • 13. BACIAS HIDROGRÁFICAS Barragem de Entrepeñas O rio Tejo é retido por cinco barragens, descendo até à cota de cerca de 600 metros.
  • 14. BACIAS HIDROGRÁFICAS Curso médio-alto Ponte de Fuentidueña de Tajo (Madrid), do século XIX. Nesta localidade o Tejo atinge cotas de 500 metros e o comprimento da ponte é de 65,2 metros.
  • 15. BACIAS HIDROGRÁFICAS Ponte San Martin, Toledo • Chega a Toledo (529 metros de altitude), a única capital de província espanhola por onde passa, a qual rodeia com meandros. • A ponte tem 40 metros de comprimento.
  • 16. BACIAS HIDROGRÁFICAS El Puente del Arzobispo, 14,5m de altura no arco central • Ao passar na localidade de Puente del Arzobispo, município da província de Toledo, as cotas são de 320 metros.
  • 17. BACIAS HIDROGRÁFICAS Curso médio baixo Talavera de la Reina, Toledo (375 metros de altitude) A ponte sobre o rio Tejo tem 800 metros de comprimento, 180 de altura e uma estrutura com 104 cabos em aço.
  • 18. BACIAS HIDROGRÁFICAS Ponte romana de Alcántara (Cáceres) O rio aqui passa em terrenos com altitude ligeiramente superior aos 200 metros. Na confluência do Alagón com o Tejo, fica a cidade de Alcántara, que dá nome à ponte romana do município. Apresenta seis arcos e tem 194 metros de comprimento, 8 de largura e 61 de altura máxima.
  • 19. BACIAS HIDROGRÁFICAS Curso Baixo O rio junto às Portas de Rodão A altitude do local é de cerca de 100 metros. A ponte foi inaugurada em 1888 e tem um tabuleiro metálico e um comprimento de 167 metros.
  • 20. BACIAS HIDROGRÁFICAS Ponte ferroviária - Abrantes • A Ponte Ferroviária de Abrantes é uma ponte metálica sobre o rio - a Linha da Beira Baixa. • Apresenta 427,7 metros de comprimento. • A altitude é de cerca de 100 metros.
  • 21. BACIAS HIDROGRÁFICAS Ponte das Lezírias, Santarém A Ponte das Lezírias (Santarém) é a segunda maior ponte em Portugal e uma das maiores do mundo. Tem quase 13 km na travessia do rio Tejo.
  • 22. BACIAS HIDROGRÁFICAS Vila Franca Xira • A ponte tem 1224 metros de comprimento e une Vila Franca de Xira a Porto Alto. • A altitude média é de 25 metros.
  • 23. BACIAS HIDROGRÁFICAS Ponte Vasco da Gama, Lisboa O rio prossegue até Lisboa, sob a ponte Vasco da Gama, considerada a mais comprida da Europa. Tem 17,2 km de comprimento, 10 dos quais sobre o leito do rio. Liga desde 1998 as cidades de Montijo e Sacavém, integradas na área metropolitana de Lisboa.
  • 24. BACIAS HIDROGRÁFICAS Ponte 25 de Abril, Lisboa A Ponte 25 de Abril, tem grande interesse arquitectónico e estrutural. Foi inaugurada em 1966 e tem um comprimento de quase 2 km, ligando Lisboa e Almada.
  • 25. BACIAS HIDROGRÁFICAS Estuário O rio Tejo, após elevada deposição de aluviões, abre-se no Mar da Palha, apresentando, na sua parte final, um canal até ao mar.
  • 26. BACIAS HIDROGRÁFICAS Foz A foz do rio Tejo é definida na linha reta entre o Forte de São Julião da Barra e o farol do Bugio.
  • 27. BACIAS HIDROGRÁFICAS Rio Tejo - de Fuente de Garcia a Lisboa A partir da sua nascente (1593 metros), o rio corre por um vale estreito até cerca de 600 metros, na confluência com o rio Segue-se um grupo de Guadiela. barragens, onde o rio se torna amplo e cria, nos arredores de Aranjuez, um dos vales mais verdejantes de Espanha. Através de rochas graníticas, o rio descreve meandros apertados, na área de Toledo, a cerca de 500 metros de altitude.
  • 28. BACIAS HIDROGRÁFICAS Rio Tejo - de Fuente de Garcia a Lisboa Entre Talavera de la Reina e Alcántara (291 metros), o rio alarga com algumas barragens e respetivas albufeiras. Na entrada em Portugal, o seu caudal é fraco e diminui de forma gradual, assim como a altitude (cerca de 100 metros). Entre Abrantes e Vila Franca de Xira, o rio cria inúmeros bancos de areia formando uma extensa planície aluvial facilmente inundável.
  • 29. BACIAS HIDROGRÁFICAS Rio Tejo - de Fuente de Garcia a Lisboa Na parte final, o rio apresenta uma extensa área (denominada Mar da Palha) estreitando depois num canal até ao mar.