Dinâmica das bacias hidrográficas

12.731 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.731
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.386
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
331
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dinâmica das bacias hidrográficas

  1. 2. 1 – O QUE É UMA BACIA HIDROGRÁFICA? <ul><li>Antes de mais, convém esclarecer que bacia hidrográfica não é a mesma coisa que rede hidrográfica. </li></ul><ul><li>Se olhares para o topo de uma árvore observas uma enorme quantidade de ramos. Os ramos são pequenos troncos. Se continuares a olhar atentamente observas que estes pequenos ramos se unem formando troncos e que estes, por sua vez, se vão ligar a um tronco ainda maior – o tronco principal. </li></ul>Ramos Tronco Principal
  2. 3. <ul><li>Uma Rede Hidrográfica é como uma árvore. É constituída por um conjunto de pequenos rios (os sub-afluentes ) os quais se vão juntar a outros rios – os afluentes . Estes, por sua vez, vão desaguar noutro rio – o rio principal. </li></ul><ul><li>Assim, uma Rede Hidrográfica é um conjunto formado pelo rio principal e todos os seus afluentes e sub-afluentes . </li></ul><ul><li>Uma Bacia Hidrográfica compreende toda a área drenada por um rio principal e os seus tributários (afluentes e sub-afluentes). </li></ul>Bacia Hidrográfica Interflúvio (são zonas de separação entre 2 bacias hidrográficas) Foz (juzante) Nascente (montante) Afluente (curso de água que corre para outro de importância superior) Leito (espaço ocupado pelas águas do rio)
  3. 4. Recapitulando…
  4. 5. 2 – OS RIOS E OS SEUS VALES <ul><li>Junto à nascente (curso superior): o rio tem um declive muito acentuado, porque atravessa uma região montanhosa e a sua acção dominante é o desgaste , o que se traduz na existência de vales encaixados em “V” fechado ou garganta . (1) </li></ul><ul><li>Curso Intermédio: corresponde ao troço onde domina uma acção de transporte. O rio possui mais água e sedimentos e começa a reduzir a sua velocidade pela diminuição do declive. O rio vai alargando os vales devido à sua acção de desgaste lateral . Os vales ficam assim mais largos assumindo a forma de “V” aberto . (2) </li></ul><ul><li>Junto à foz (curso inferior): o rio corre numa área de baixa altitude e fraco declive, dominando, por isso, a acção de acumulação . A sua capacidade de transporte diminui levando a que a energia do rio seja sobretudo lateral e o vale se alargue: vale de fundo largo e plano (4 e 5) </li></ul>
  5. 6. 3 – GESTÃO DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS <ul><li>Factores responsáveis pela variação dos caudais dos rios : </li></ul><ul><li>1 – As características climáticas onde se insere a sua bacia hidrográfica; </li></ul><ul><li>2 – A natureza e permeabilidade da rocha; </li></ul><ul><li>3 – A existência ou não de vegetação; </li></ul><ul><li>4 – A acção do Homem, devido às alterações que provoca na superfície terrestre; </li></ul><ul><li>5 – O relevo, através do efeito da altitude, das diferenças de declive e da exposição das vertentes; </li></ul>
  6. 7. O que acontece à água quando chega à superfície terrestre? <ul><li>Escorrência Mínima </li></ul><ul><li>Infiltração Máxima </li></ul><ul><li>Superfície com areia </li></ul><ul><li>Menor Escorrência </li></ul><ul><li>Maior Infiltração </li></ul><ul><li>Superfície com Vegetação </li></ul>
  7. 8. <ul><li>Maior Escorrência </li></ul><ul><li>Menor Infiltração </li></ul><ul><li>Superfície sem vegetação </li></ul><ul><li>Escorrência Máxima </li></ul><ul><li>Infiltração Nula </li></ul><ul><li>Superfície com pavimento </li></ul>
  8. 9. A influência do DECLIVE <ul><li>Quanto maior for o declive, maior será a velocidade da água ao longo das vertentes. </li></ul>
  9. 10. <ul><li>Os cursos de água constituem recursos hídricos de grande importância. A solução mais utilizada para a sua gestão é a construção de barragens na medida em que permitem a retenção e armazenamento de água durante a época das chuvas para posterior utilização nos períodos secos. </li></ul>
  10. 11. VANTAGENS DAS BARRAGENS <ul><li>Abastecimento de água; </li></ul><ul><li>Constituem reservas hídricas; </li></ul><ul><li>Aproveitamento para fins turísticos; </li></ul><ul><li>Regularização dos caudais; </li></ul><ul><li>Produção de energia eléctrica; </li></ul><ul><li>Irrigação dos campos. </li></ul>
  11. 12. PROBLEMAS CAUSADOS PELAS BARRAGENS <ul><li>Provocam alterações nos modos de vida dos seres vivos; </li></ul><ul><li>Aumento das perdas de água por evaporação; </li></ul><ul><li>Inundações catastróficas quando, em resultado de fortes precipitações, é necessário proceder a descargas; </li></ul><ul><li>Eutrofização das águas. </li></ul>Cheias em Chaves Eutrofização na Ribeira de Oeiras
  12. 13. OS PROBLEMAS QUE AFECTAM OS RECURSOS HÍDRICOS <ul><li>Indústria: </li></ul><ul><li>- lançamento de resíduos tóxicos e produtos químicos nos rios; </li></ul><ul><li>Agricultura: </li></ul><ul><li>- poluição das águas subterrâneas e rios devido ao uso de adubos químicos e pesticidas; </li></ul><ul><li>Pecuária: </li></ul><ul><li>- envio de dejectos não tratados dos animais para os cursos de água; </li></ul><ul><li>Crescimento Urbano: </li></ul><ul><li>- lançamento de esgotos domésticos nos rios; </li></ul>
  13. 14. O Rio Homem está doente! Vai um mergulho ...?
  14. 15. QUAIS AS SOLUÇÕES PARA ESTES PROBLEMAS? <ul><li>1 - Construção de ETAR’S: Estações de Tratamento de Águas Residuais; </li></ul>ETAR de Serzedo (Rio Ave)
  15. 16. <ul><li>2 – Utilização de modernas tecnologias industriais menos exigentes em água (tecnologias secas) e a reciclagem das águas residuais através de sistemas de tratamento e recirculação das mesmas; </li></ul><ul><li>3 – Utilização de modernos sistemas de rega na agricultura, por forma a permitir um aproveitamento mais racional da água; </li></ul>Rega por aspersão Rega gota a gota Rega por pivô
  16. 17. ALGUMAS CURIOSIDADES… <ul><li>QUAL É O RIO MAIS EXTENSO DO MUNDO </li></ul>Rio Nilo (África) Rio Amazonas (América do Sul) 6670 Km 6850 Km (??)
  17. 18. A Polémica … O Rio Amazonas é o mais extenso do mundo comprovaram os pesquisadores brasileiros e peruanos realizando a expedição científica conjunta, concluindo que o rio nasce no sul do Peru, e não no norte . O maior rio do mundo surge numa das regiões mais secas, no encontro dos desertos de Nasca e do Atacama, na Cordilheira dos Andes, a mais de 5 mil metros de altitude e pode ultrapassar os 6.850 km, superando o rio Nilo. Ainda não foi possível estabelecer a nova extensão do rio. A estimativa é de que ultrapasse os 6.850 km - o Nilo tem 6.670. Os pesquisadores ainda têm dúvidas se o rio nasce num afloramento rochoso ao sopé do Monte Mismi ou em Apacheta, distantes cerca de 10 quilômetros entre si.
  18. 19. <ul><li>O RIO MAIS CAUDALOSO DO MUNDO </li></ul><ul><li>Rio Amazonas (América do Sul) </li></ul>
  19. 20. <ul><li>O RIO COM MAIOR LARGURA ENTRE AS MARGENS </li></ul><ul><li>Rio Mississípi-Missouri (América do Norte) </li></ul>
  20. 21. <ul><li>RIO QUE TRANSPORTA MAIOR QUANTIDADE DE SEDIMENTOS </li></ul><ul><li>Rio Huang-Ho ou Amarelo (Ásia) </li></ul>
  21. 22. Os dias são como os rios e os dedos das mãos são ramos de árvores. Por isso os dias são cursos de água que nos escorrem dos dedos se não forem enxertados num tronco. Transfigurados, reinventamo-los infinitos e o passado é um oceano por achar. Maria de Portugal FIM Prof. Paula Tomaz

×