SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 54
Baixar para ler offline
Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Biblioteca Central
Departamento de Obras Raras
Pensando o Brasil
Obras da Coleção Eichemberg
Nanoexposição, 11
Curadoria: Ana Lucia Macedo Rüdiger
Fotografia: Júlia Carvalho
Porto Alegre
set. 2018
Edição: Eugenio Hansen, OFS
Arte da capa: Júlia Carvalho
Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Reitor
Rui Vicente Oppermann
Vice-Reitora e Pró-Reitora de Coordenação Acadêmica
Jane Fraga Tutikian
Biblioteca Central
Diretora
Leticia Strehl
• I I~= =- ­
-~-.·- ..... ..:..--
•11 • • :,!••
.·- . - ~ ­.·~ -·.. .:-.
-:. 111-· - ~ ~ . =-
·-1 ··· ·- .11 .•• • ~~ - I •... - ..·- ·1· ••. .:..I • • • • . l i
I • - •
Bl BLIOTECA
CENTRAL
UFRGS
Apresentamos nesta mostra um conjunto de
edições publicadas nos anos 60 do século XX.
Época de mudanças políticas, sociais e culturais,
muitas das questões que ainda hoje se discutem
no Brasil eram ali analisadas por intelectuais,
técnicos e políticos.
Selecionamos publicações de editoras
conhecidas como a Civilização Brasileira
(atualmente parte do grupo Record), cujo editor
era Ênio Silveira e de outras que tiveram
existência mais curta como Vitória e Fulgor. Uma
edição do IPES (Instituto de Pesquisa e Estudos
Sociais) faz o contraponto do pensamento mais
conservador.
A editoração destes livros caracterizava-se pelo
design agradável e prático dos pequenos
formatos e pelo cuidado em tornar acessíveis
temas políticos, sociais e econômicos, a fim de
atingir um público mais amplo.
A Coleção Eichenberg, distingue-se, entre outros
aspectos, pela diversidade de assuntos que
abrange. Aqui vemos um recorte do que existe no
acervo da Biblioteca Central na área que
livremente chamamos de “temas brasileiros”.
Monteiro, Sylvio.
Como atua o imperialismo
ianque? Rio de Janeiro :
Civilização Brasileira, 1963.
199 p. (Cadernos do povo
brasileiro ; v. 12)
Oliveira, Franklin de.
Que é a revolução
brasileira? Rio de Janeiro :
Civilização Brasileira, 1963.
100 p. (Cadernos do povo
brasileiro ; v. 9)
Pinheiro Neto, João.
Salário é causa de
inflação? Rio de Janeiro :
Civilização Brasileira, 1963.
54 p. (Cadernos do povo
brasileiro ; v. 19)
~ob a estrutura ~ap!talista, c?nsumo franco, r
tiva liberdade de comerciO, fantasia da lei da of ela-
• A d erta e
da procura, quem mcorrer no erro e vender m t' .
. f t d' a ena.-pnma e comprar manu a ura, acre Itando no mil
da redenção econômica, será engolfado fatalment agre
inflação. Pode-se evitá-la, desde que seja possívele pela
•
1
al , . f anes-
tesiar o povo, conge ar s anos, su ocar o desenv 1.
d
. d N - oVI-
menta, r~ uzm o a açao a um campo de concentr -
em que a polícia vigilante e robusta intervém ao maçao
sinal de reivindicação "subversiva". enor
FUNCIONALISMO ESPOLIADO
.O .funcionário público, a~undante e mal au
penswmsta forçado da mesada msuficiente do E p "'
0
'
' d · , · d stadoe uma as maiOres VItimas o processo inflac· ·, . ·
- . E tonano
se nao a maiOr. ntorpecem-lhe o deseJ·o reiv1'nd· ,·
. I ~~~
no a gravata ma colocada e os hábitos socia' b
N
- , d d , 1s ur-
gueses. ao e a o as grandes concentrações ru'd
- Ih , . . t osas
nao e apraz o exerciCIO estndente do direito d d' '
' bl' p f . e pe tr
em pu Ico. re ere o cochicho man o com que desa-
b.afa, para o colega, as reservas contra a sovinice ·f
cJal ou a implacabilidade do ponto O " tatus" b
0
• t-
d
· urgues
a. uras penas conservado, repele a imitação p ·'
S m I d
' t d . . . ura e
I p es os me o os mc1stvos do proletariado u b
AI ' d' 1 · 1 - . r ano.
em Isso, a eg1s açao capncbo a impede-lhe .
f
. al . o re-
curso m , e mmto eficiente, da parede oportuna.
E~. têrmos nom!nais, são 0 eguintes os aumen-
tos venficados nos drversos níveis salariais no B il
no período entre 1939 e 1956: ' ras '
Salário mínimo
Salário dos ind~st;iá;i~~ · · · · · · · · ·
Salário dos comerciários · · . · · · · ·
Salário dos funcionários ;;d,à~·Q'
(antiga nomenclatura) ....... .
24
2 275%
1486%
1138%
386%
O "congelamento" fêz-se drástico em cima do fun-
cionário, conforme podemos ver melhor no quadro da
página 26:
Valendo-nos mais uma vez do Anuário Estatístico
do IBGE, vemos no quadro abaixo a situação humi-
lhante do comerciário, também esmagado pelo processo
inflacionário violento:
~
«S
.... o o o:Su o ~ o
(!) ...... ... (1)-
"t:)>
Anos -; ;,a 11
u ;,a 11
(1) (1)
c:: -;
u"t:l
'ã C:: r-- C:: r-- ·-o
..... <')
(1) ..... <')
"0..-
p:: c:: "'
o 0 0
.... 8z - ......
-
100 I 
I1937 330 330 100 100
1948 1.029 3t2 1 248 75

415
1950 1.218 369 1 273
I 83 446
1951 1.203 365 1 246 75 489
1952 I 1.430 433 1 253 77

565
1953
I1.543 1 468 I 234 71 660
1955(a) 3 . 164 I 958 1 331 100 954
1956(b)

4.319 I 1. 309 1 374 113 1.154
1957(b) 4.868 I 1.475 1 357

108 1 .361
I I I
Fontes: IAPC - Aspecto do Censo dos Comerciários. IBGE
- Anuário Estatístico.
(a) Salário mediano no comércio atacadista (abril)
(b) Salário mediano no comércio atacadista (novembro)
Não comportam maiores explicações as estatísticas
significativas que publicamos acima. A vida subindo
sem cessar. Os aumentos salariais, insuficientes, não
recompõem nem sequer o primitiy? poder de co~p~a
do assalariado. Em têrmos de salano real, o funciOna-
rio e 0
comerciário têm sido diminuídos nos seus ven-
25
Sant'Anna, Affonso Romano de [et al.]
Violão de rua : poemas. Rio de Janeiro : Civilização
Brasileira, 1962-1963. 3 v. (Cadernos do povo brasileiro)
Costa, Bolívar.
Quem pode fazer a
revolução no Brasil? Rio
de Janeiro : Civilização
Brasileira, 1962. 91 p.
(Cadernos do povo
brasileiro ; v. 7)
DER o DO POVO BRASILEIRO
Diretores:
AlVAJIO VIEIRA P INTO
~10 SILVEIRA
Volume 7
desenho de capa:
Euotmo HntSCB
M 00002
Direitos desta edição reservados à
EDITORA CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA S. A.
Rua 7 de Setembro, 97
RIO DB JANEIRO
1 9 6 2
Impresso nos Estados Unidos do Brasil
Printed in the United States of Brazil
B LÍVAR
QUEM PODE FAZER
-
A REVOLUÇAO NO
BRASIL?
EDITORA CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA S. A.
RIO DE JANEIRO
Holanda, Nestor de.
Como seria o Brasil socialista? Rio de Janeiro : Civilização
Brasileira, 1963. 97 p. (Cadernos do povo brasileiro ; v. 8)
Schilling, Paulo R.
O que é reforma agrária?
Rio de Janeiro : Civilização
Brasileira, 1963. 133 p. : il.
(Cadernos do povo
brasileiro ; 10)
~u t
tem. ô:dô.~o;;. ~~m.~.e.<::
m.a."> te~e~.em.e,
Hoffmann, Helga.
Como planejar nosso desenvolvimento. Rio de Janeiro : Civilização
Brasileira, 1963. 123 p. (Cadernos do povo brasileiro ; v. 14)
Marques, Aguinaldo N.
De que morre o nosso
povo? Rio de Janeiro :
Civilização Brasileira, 1963.
155 p. (Cadernos do povo
brasileiro ; v. 16)
Miglioli, Jorge.
Como são feitas as greves
no Brasil? Rio de Janeiro :
Civilização Brasileira, 1963.
134 p. (Cadernos do povo
brasileiro ; v. 13)
Miranda, Maria Augusta Tibiriçá.
Vamos nacionalizar a indústria farmacêutica? Rio de Janeiro :
Civilização Brasileira, 1963. 110p. (Cadernos do povo brasileiro; 11)
Julião, Francisco.
Que são as Ligas Camponesas? Rio de Janeiro : Civilização
Brasileira, 1962. 94 p. (Cadernos do povo brasileiro ; v. 1)
Pinto, Álvaro Vieira.
Por que os ricos não fazem
greve? Rio de Janeiro :
Civilização Brasileira, 1962.
118 p. (Cadernos do povo
brasileiro ; v. 4)
t nd n ia ideológicas se
1 veze . ambas carac-
c dominante, expricnin-
r. u or. intelectuais e represen-
rl m nt ou governamentais os mesmos Pre-
d la e, ou seja os mesmos interêsses de
" do dominio dos l?rupos financeiros: a Pri-
, , qu de cja as reformas de base desde que ev;.
'" m nte niio comprometam a .atuai estru.tura SOCial,
'forma visando apenas a conciliar o capital com o
::;,balho; a segunda, a que confia na caridade como úni-
coprocedimento social adequado, sério, útil e eficaz para
resolver a penosa situação das classes trabalhadoras ou
das massas lançadas no marginaJismo da afronto a mi-
séria, e acredita que a esmoia con titui Valio
indispensável recurso para re o/,- r o qu"'questão social,.
Q recurso à carid:J.,~._.•.•.(L.:U.u._.....I..S:j.U:e:s.c.a.c..!t Jlactc.r.QIQ.
~ue o~~~~-=~~:~~~-J~a1sua consciência d
.;::;_,;;;~~~~~:Z~-ovantagem de :m t
sôbre a rcalid, d
crita, anti- :i li
como a 'Ilt
Põem qu
do n ' ~
d
Guerra, Aloísio.
A igreja está com o povo?
Rio de Janeiro : Civilização
Brasileira, 1963. 100 p.
(Cadernos do povo
brasileiro ; v. 15)
Prestes, Luís Carlos.
Por que os comunistas
apóiam Lott e Jango. [Rio
de Janeiro] : Editorial
Vitória, [1960]. 46 p.
(Documentos políticos ; 3)
Telles, Jover.
O movimento sindical no
Brasil. [Rio de Janeiro] :
Editorial Vitória, [1962].
305 p.
Silva, Luiz Osiris da
O que são as reformas de
base? São Paulo : Fulgor,
1963. (Universidade do
povo, 13)
Távora, Juarez.
Uma política de desenvolvimento para o Brasil. Rio de
Janeiro : José Olympio, 1962. xiii, 92 p.
Guilherme, Olympio.
O Brasil e a era atômica.
Rio de Janeiro : Editorial
Vitória, 1957. 317 p.
Brasil, Jocelyn.
O pão, o feijão e as fôrças
ocultas : primeiro livro de
leitura popular. Rio de
Janeiro : Editorial Vitória,
1963. 158 p. : il.
A reforma agrária : problemas, bases, solução. [Rio de
Janeiro : IPES, 1964]. 101 p.
A REFOR::IA GRARIA
problema~. ba...e.......olu~ào
Vinhas, Moises.
Operários e camponeses na
revolução brasileira. São
Paulo : Fulgor, 1963. 131 p.
J
I
#
J
00. I
I
,,.,, 't'l ·.1 Nindu n1u i..., <'ontl'ns
, , />tVJilt'fl.ls /II'O/il'il'da<f<•s lfo.~
dth 1/l'lt•ntf:l(u l'ios <' 1111 I'<'<'ÍI'os.
11 r t•r Nintla nu1ito l '<'qu
1
•
110 0: _•; t/0(1 t'nl f.!J,I.1J. Isso Íllr/il'a
, t'lll 't>s t':Jni/IOn('St•s, (1 III ('NIII () Os
lmlt•f'f'• t• 111/{~·!1.., <'~'~!H.'~'Ít•s <h• t()f'('."ls1
'I ·
1
• f:llott't't• _:llnd:J nuu8 0 8
/-{l':ln(fc •s
nil f!t'''t' rfo.._ IIIIJI/(•Iil('llfos i/II'I'Í('()/· ,
- ..... ./,'I
rft• J•l·odu('ao.
1/t• ll.-ltt'lllos un, f/llu 1t1•
0
ch clJ.S'((• .
1
.
. ' ' I 1/lf .
1.., /oh.-J! du u.~·r·r('/J/fur11 !Jnulista.
>D.i A f).f (,f()JIIf/, D.t
fl',fl l!,!,i N.t SA t·"RII 19!H/
1959 11~
v. ::C -c:
d§ o
'-J'"'
'""- ;5Q8 >.Jg.. ;5.-:
/20
""'""
------1-4/2<:)f/}
~t:· o-::.;§ ~
oo:S ~<>':
t:<o
"-~o
~9~~ -c:p;;--
'-------1 ,,
10 11./
lO .1
/(}h./,
~ I(! oi
i(JI) h.l.
/} liJO i/
i()(}"''·
.a- i(}() 1/
J O(J(} h,,,
lJ;. I 000
11
>.A.~
~;.r;
2,3
2,1.?
7 968
lJ,02
8 468
20,5o
5 896
23,27
l </, l
22,2
25,2
;ooo "''·
flt.· ; 00() '' mais </ 009 12,
ro'"''' 4 565 . 8,6
23,6
21,79
Ji,36
7,79
5 88[
12 .Joo
21 9oo
25 20()
29Boo
"634
2-1 9oo
386oo
50Joo
------ 2J 674 Los 3,' lb,J, ~.
('11l, />.l8in,, li r.
-----------
Todas as obras pertencem à
Coleção Eichenberg
Para informações sobre consulta às obras raras
consulte o bibliotecário de referência
ou agende horário
através do telefone (51) 3308 1002
ou e-mail: bcentral@bc.ufrgs.br
Nanoexposição
Veja os catálogos das nanoexposições
10) Ex-libris heráldicos (abr. 2018)
9) Ilustradores brasileiros (nov. 2017)
8) Reforma protestante : 1517-2017 (jun. 2017)
7) Cervantes : 1616-2016 (dez. 2016)
6) Livros proibidos : 50 anos do fim do Index librorum prohibitorum (jul 2016)
5) William Shakespeare :1616-2016 (mar. 2016)
4) O que faz um livro raro, raro? : critérios de identificação (maio 2014)
3) Bíblias da Coleção Eichenberg (nov. 2013)
2) Este livro é meu! : ex-libris e outras marcas de propriedade (jun. 2013)
1) Rara educação : raridades sobre educação e ensino (mar. 2013)
Sistema de Bibliotecas
Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Obras da Coleção Eichemberg sobre temas brasileiros da década de 1960

As instituições brasileiras da era vargas
As instituições brasileiras da era vargas As instituições brasileiras da era vargas
As instituições brasileiras da era vargas Marcelo Sevaybricker
 
Histriaegeografiaencceja e-f-120804084236-phpapp01
Histriaegeografiaencceja e-f-120804084236-phpapp01Histriaegeografiaencceja e-f-120804084236-phpapp01
Histriaegeografiaencceja e-f-120804084236-phpapp01Marlene Silveira
 
Borrao 2 bimestre
Borrao 2 bimestreBorrao 2 bimestre
Borrao 2 bimestreEdorildo Jl
 
kupdf.net_becker-bertha-k-egler-claudio-a-g-brasil-uma-nova-potencia-regional...
kupdf.net_becker-bertha-k-egler-claudio-a-g-brasil-uma-nova-potencia-regional...kupdf.net_becker-bertha-k-egler-claudio-a-g-brasil-uma-nova-potencia-regional...
kupdf.net_becker-bertha-k-egler-claudio-a-g-brasil-uma-nova-potencia-regional...IsadoraPaulino2
 
O Percursor do Abolicionismo no Brasil
O Percursor do Abolicionismo no BrasilO Percursor do Abolicionismo no Brasil
O Percursor do Abolicionismo no BrasilAmandaRocha197859
 
Simu enem inep 2009 ch e suas tecnologias
Simu enem   inep 2009 ch e suas tecnologiasSimu enem   inep 2009 ch e suas tecnologias
Simu enem inep 2009 ch e suas tecnologiastioivys
 
Enem2009 Ciencias Humanas
Enem2009 Ciencias HumanasEnem2009 Ciencias Humanas
Enem2009 Ciencias HumanasBIOLOGO TOTAL
 
2009 simulado cienciashumanas
2009 simulado cienciashumanas2009 simulado cienciashumanas
2009 simulado cienciashumanasnewsevoce
 
CALVO_Thomas._Cidades_e_povoados_de_ndios_XVI-XVIII.pdf
CALVO_Thomas._Cidades_e_povoados_de_ndios_XVI-XVIII.pdfCALVO_Thomas._Cidades_e_povoados_de_ndios_XVI-XVIII.pdf
CALVO_Thomas._Cidades_e_povoados_de_ndios_XVI-XVIII.pdfNhilMattTorres
 
onhb15_Fase_4 - para impressao.pdf
onhb15_Fase_4 - para impressao.pdfonhb15_Fase_4 - para impressao.pdf
onhb15_Fase_4 - para impressao.pdfViniciusCavalcante34
 
ENEM OTO Simulado de ciências humanas
ENEM OTO Simulado de ciências humanasENEM OTO Simulado de ciências humanas
ENEM OTO Simulado de ciências humanaswagnervaneli
 
História, Crise e Dependência do Brasil
História, Crise e Dependência do BrasilHistória, Crise e Dependência do Brasil
História, Crise e Dependência do Brasilcarlos ars
 
H9. 1.bim aluno_2.0.1.3.
H9. 1.bim aluno_2.0.1.3.H9. 1.bim aluno_2.0.1.3.
H9. 1.bim aluno_2.0.1.3.pedrogostoso
 
Lemad dh usp_brasil uma historia dinamica_ilmar rohloff de mattos et alli_197...
Lemad dh usp_brasil uma historia dinamica_ilmar rohloff de mattos et alli_197...Lemad dh usp_brasil uma historia dinamica_ilmar rohloff de mattos et alli_197...
Lemad dh usp_brasil uma historia dinamica_ilmar rohloff de mattos et alli_197...wsshist
 

Semelhante a Obras da Coleção Eichemberg sobre temas brasileiros da década de 1960 (20)

As instituições brasileiras da era vargas
As instituições brasileiras da era vargas As instituições brasileiras da era vargas
As instituições brasileiras da era vargas
 
Histriaegeografiaencceja e-f-120804084236-phpapp01
Histriaegeografiaencceja e-f-120804084236-phpapp01Histriaegeografiaencceja e-f-120804084236-phpapp01
Histriaegeografiaencceja e-f-120804084236-phpapp01
 
Borrao 2 bimestre
Borrao 2 bimestreBorrao 2 bimestre
Borrao 2 bimestre
 
Ava historia 9ano
Ava historia 9anoAva historia 9ano
Ava historia 9ano
 
kupdf.net_becker-bertha-k-egler-claudio-a-g-brasil-uma-nova-potencia-regional...
kupdf.net_becker-bertha-k-egler-claudio-a-g-brasil-uma-nova-potencia-regional...kupdf.net_becker-bertha-k-egler-claudio-a-g-brasil-uma-nova-potencia-regional...
kupdf.net_becker-bertha-k-egler-claudio-a-g-brasil-uma-nova-potencia-regional...
 
O Percursor do Abolicionismo no Brasil
O Percursor do Abolicionismo no BrasilO Percursor do Abolicionismo no Brasil
O Percursor do Abolicionismo no Brasil
 
Revolta da vacinaj
Revolta da vacinajRevolta da vacinaj
Revolta da vacinaj
 
Jornal da ABI 369
Jornal da ABI 369Jornal da ABI 369
Jornal da ABI 369
 
S I M U L A D O E N E M2009 Ciencias Humanas
S I M U L A D O E N E M2009 Ciencias HumanasS I M U L A D O E N E M2009 Ciencias Humanas
S I M U L A D O E N E M2009 Ciencias Humanas
 
Simu enem inep 2009 ch e suas tecnologias
Simu enem   inep 2009 ch e suas tecnologiasSimu enem   inep 2009 ch e suas tecnologias
Simu enem inep 2009 ch e suas tecnologias
 
Enem2009 Ciencias Humanas
Enem2009 Ciencias HumanasEnem2009 Ciencias Humanas
Enem2009 Ciencias Humanas
 
2009 simulado cienciashumanas
2009 simulado cienciashumanas2009 simulado cienciashumanas
2009 simulado cienciashumanas
 
S I M U L A D O E N E M2009 Ciencias Humanas
S I M U L A D O E N E M2009 Ciencias HumanasS I M U L A D O E N E M2009 Ciencias Humanas
S I M U L A D O E N E M2009 Ciencias Humanas
 
CALVO_Thomas._Cidades_e_povoados_de_ndios_XVI-XVIII.pdf
CALVO_Thomas._Cidades_e_povoados_de_ndios_XVI-XVIII.pdfCALVO_Thomas._Cidades_e_povoados_de_ndios_XVI-XVIII.pdf
CALVO_Thomas._Cidades_e_povoados_de_ndios_XVI-XVIII.pdf
 
1ap Enem
1ap Enem1ap Enem
1ap Enem
 
onhb15_Fase_4 - para impressao.pdf
onhb15_Fase_4 - para impressao.pdfonhb15_Fase_4 - para impressao.pdf
onhb15_Fase_4 - para impressao.pdf
 
ENEM OTO Simulado de ciências humanas
ENEM OTO Simulado de ciências humanasENEM OTO Simulado de ciências humanas
ENEM OTO Simulado de ciências humanas
 
História, Crise e Dependência do Brasil
História, Crise e Dependência do BrasilHistória, Crise e Dependência do Brasil
História, Crise e Dependência do Brasil
 
H9. 1.bim aluno_2.0.1.3.
H9. 1.bim aluno_2.0.1.3.H9. 1.bim aluno_2.0.1.3.
H9. 1.bim aluno_2.0.1.3.
 
Lemad dh usp_brasil uma historia dinamica_ilmar rohloff de mattos et alli_197...
Lemad dh usp_brasil uma historia dinamica_ilmar rohloff de mattos et alli_197...Lemad dh usp_brasil uma historia dinamica_ilmar rohloff de mattos et alli_197...
Lemad dh usp_brasil uma historia dinamica_ilmar rohloff de mattos et alli_197...
 

Mais de Biblioteca Central UFRGS

Quinhentistas da Coleção Eichenberg: obras raras do século XVI
Quinhentistas da Coleção Eichenberg: obras raras do século XVIQuinhentistas da Coleção Eichenberg: obras raras do século XVI
Quinhentistas da Coleção Eichenberg: obras raras do século XVIBiblioteca Central UFRGS
 
BC 50 anos - nanoexposição 15 - Virtual 1 - Catálogo.pdf
BC 50 anos - nanoexposição 15 - Virtual 1 - Catálogo.pdfBC 50 anos - nanoexposição 15 - Virtual 1 - Catálogo.pdf
BC 50 anos - nanoexposição 15 - Virtual 1 - Catálogo.pdfBiblioteca Central UFRGS
 
Botânica brasileira: obras raras da coleção Eichenberg
Botânica brasileira: obras raras da coleção EichenbergBotânica brasileira: obras raras da coleção Eichenberg
Botânica brasileira: obras raras da coleção EichenbergBiblioteca Central UFRGS
 
Ex-libris Heráldicos: obras da coleção Eichenberg
Ex-libris Heráldicos: obras da coleção EichenbergEx-libris Heráldicos: obras da coleção Eichenberg
Ex-libris Heráldicos: obras da coleção EichenbergBiblioteca Central UFRGS
 
Ilustradores brasileiros - nanoexposição 9
Ilustradores brasileiros - nanoexposição 9Ilustradores brasileiros - nanoexposição 9
Ilustradores brasileiros - nanoexposição 9Biblioteca Central UFRGS
 

Mais de Biblioteca Central UFRGS (20)

Quinhentistas da Coleção Eichenberg: obras raras do século XVI
Quinhentistas da Coleção Eichenberg: obras raras do século XVIQuinhentistas da Coleção Eichenberg: obras raras do século XVI
Quinhentistas da Coleção Eichenberg: obras raras do século XVI
 
Épicos: um desafio à leitura
Épicos: um desafio à leituraÉpicos: um desafio à leitura
Épicos: um desafio à leitura
 
BC 50 anos - nanoexposição 15 - Virtual 1 - Catálogo.pdf
BC 50 anos - nanoexposição 15 - Virtual 1 - Catálogo.pdfBC 50 anos - nanoexposição 15 - Virtual 1 - Catálogo.pdf
BC 50 anos - nanoexposição 15 - Virtual 1 - Catálogo.pdf
 
Botânica brasileira: obras raras da coleção Eichenberg
Botânica brasileira: obras raras da coleção EichenbergBotânica brasileira: obras raras da coleção Eichenberg
Botânica brasileira: obras raras da coleção Eichenberg
 
Tempo Livre: lazer, esporte e recreação
Tempo Livre: lazer, esporte e recreaçãoTempo Livre: lazer, esporte e recreação
Tempo Livre: lazer, esporte e recreação
 
Ex-libris Heráldicos: obras da coleção Eichenberg
Ex-libris Heráldicos: obras da coleção EichenbergEx-libris Heráldicos: obras da coleção Eichenberg
Ex-libris Heráldicos: obras da coleção Eichenberg
 
Acesso fora do Campus: Proxy para iOS
Acesso fora do Campus: Proxy para iOSAcesso fora do Campus: Proxy para iOS
Acesso fora do Campus: Proxy para iOS
 
Acesso fora do Campus: Proxy para Android
Acesso fora do Campus: Proxy para AndroidAcesso fora do Campus: Proxy para Android
Acesso fora do Campus: Proxy para Android
 
Acesso fora do Campus: Proxy para Android
Acesso fora do Campus: Proxy para AndroidAcesso fora do Campus: Proxy para Android
Acesso fora do Campus: Proxy para Android
 
Acesso fora do Campus: Proxy para Windows
Acesso fora do Campus: Proxy para WindowsAcesso fora do Campus: Proxy para Windows
Acesso fora do Campus: Proxy para Windows
 
Acesso fora do Campus: Proxy para Firefox
Acesso fora do Campus: Proxy para FirefoxAcesso fora do Campus: Proxy para Firefox
Acesso fora do Campus: Proxy para Firefox
 
Acesso fora do Campus: Proxy para Mac OS
Acesso fora do Campus: Proxy para Mac OSAcesso fora do Campus: Proxy para Mac OS
Acesso fora do Campus: Proxy para Mac OS
 
Acesso fora do Campus: acesso via CAFe
Acesso fora do Campus: acesso via CAFeAcesso fora do Campus: acesso via CAFe
Acesso fora do Campus: acesso via CAFe
 
Tipologia documental
Tipologia documentalTipologia documental
Tipologia documental
 
Ilustradores brasileiros - nanoexposição 9
Ilustradores brasileiros - nanoexposição 9Ilustradores brasileiros - nanoexposição 9
Ilustradores brasileiros - nanoexposição 9
 
Tutorial de Inscrição
Tutorial de InscriçãoTutorial de Inscrição
Tutorial de Inscrição
 
Nanoexposição - Reforma protestante
Nanoexposição - Reforma protestanteNanoexposição - Reforma protestante
Nanoexposição - Reforma protestante
 
Gerenciadores de referências
Gerenciadores de referênciasGerenciadores de referências
Gerenciadores de referências
 
Seminário Portal de Periódicos Capes
Seminário Portal de Periódicos CapesSeminário Portal de Periódicos Capes
Seminário Portal de Periódicos Capes
 
Mendeley
MendeleyMendeley
Mendeley
 

Último

Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfangelicass1
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 

Último (20)

Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdfMapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
Mapas Mentais - Português - Principais Tópicos.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 

Obras da Coleção Eichemberg sobre temas brasileiros da década de 1960

  • 1. Universidade Federal do Rio Grande do Sul Biblioteca Central Departamento de Obras Raras Pensando o Brasil Obras da Coleção Eichemberg Nanoexposição, 11 Curadoria: Ana Lucia Macedo Rüdiger Fotografia: Júlia Carvalho Porto Alegre set. 2018
  • 2. Edição: Eugenio Hansen, OFS Arte da capa: Júlia Carvalho
  • 3.
  • 4. Universidade Federal do Rio Grande do Sul Reitor Rui Vicente Oppermann Vice-Reitora e Pró-Reitora de Coordenação Acadêmica Jane Fraga Tutikian Biblioteca Central Diretora Leticia Strehl
  • 5. • I I~= =- ­ -~-.·- ..... ..:..-- •11 • • :,!•• .·- . - ~ ­.·~ -·.. .:-. -:. 111-· - ~ ~ . =- ·-1 ··· ·- .11 .•• • ~~ - I •... - ..·- ·1· ••. .:..I • • • • . l i I • - • Bl BLIOTECA CENTRAL UFRGS
  • 6. Apresentamos nesta mostra um conjunto de edições publicadas nos anos 60 do século XX. Época de mudanças políticas, sociais e culturais, muitas das questões que ainda hoje se discutem no Brasil eram ali analisadas por intelectuais, técnicos e políticos.
  • 7. Selecionamos publicações de editoras conhecidas como a Civilização Brasileira (atualmente parte do grupo Record), cujo editor era Ênio Silveira e de outras que tiveram existência mais curta como Vitória e Fulgor. Uma edição do IPES (Instituto de Pesquisa e Estudos Sociais) faz o contraponto do pensamento mais conservador.
  • 8. A editoração destes livros caracterizava-se pelo design agradável e prático dos pequenos formatos e pelo cuidado em tornar acessíveis temas políticos, sociais e econômicos, a fim de atingir um público mais amplo.
  • 9. A Coleção Eichenberg, distingue-se, entre outros aspectos, pela diversidade de assuntos que abrange. Aqui vemos um recorte do que existe no acervo da Biblioteca Central na área que livremente chamamos de “temas brasileiros”.
  • 10. Monteiro, Sylvio. Como atua o imperialismo ianque? Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 1963. 199 p. (Cadernos do povo brasileiro ; v. 12)
  • 11.
  • 12. Oliveira, Franklin de. Que é a revolução brasileira? Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 1963. 100 p. (Cadernos do povo brasileiro ; v. 9)
  • 13. Pinheiro Neto, João. Salário é causa de inflação? Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 1963. 54 p. (Cadernos do povo brasileiro ; v. 19)
  • 14. ~ob a estrutura ~ap!talista, c?nsumo franco, r tiva liberdade de comerciO, fantasia da lei da of ela- • A d erta e da procura, quem mcorrer no erro e vender m t' . . f t d' a ena.-pnma e comprar manu a ura, acre Itando no mil da redenção econômica, será engolfado fatalment agre inflação. Pode-se evitá-la, desde que seja possívele pela • 1 al , . f anes- tesiar o povo, conge ar s anos, su ocar o desenv 1. d . d N - oVI- menta, r~ uzm o a açao a um campo de concentr - em que a polícia vigilante e robusta intervém ao maçao sinal de reivindicação "subversiva". enor FUNCIONALISMO ESPOLIADO .O .funcionário público, a~undante e mal au penswmsta forçado da mesada msuficiente do E p "' 0 ' ' d · , · d stadoe uma as maiOres VItimas o processo inflac· ·, . · - . E tonano se nao a maiOr. ntorpecem-lhe o deseJ·o reiv1'nd· ,· . I ~~~ no a gravata ma colocada e os hábitos socia' b N - , d d , 1s ur- gueses. ao e a o as grandes concentrações ru'd - Ih , . . t osas nao e apraz o exerciCIO estndente do direito d d' ' ' bl' p f . e pe tr em pu Ico. re ere o cochicho man o com que desa- b.afa, para o colega, as reservas contra a sovinice ·f cJal ou a implacabilidade do ponto O " tatus" b 0 • t- d · urgues a. uras penas conservado, repele a imitação p ·' S m I d ' t d . . . ura e I p es os me o os mc1stvos do proletariado u b AI ' d' 1 · 1 - . r ano. em Isso, a eg1s açao capncbo a impede-lhe . f . al . o re- curso m , e mmto eficiente, da parede oportuna. E~. têrmos nom!nais, são 0 eguintes os aumen- tos venficados nos drversos níveis salariais no B il no período entre 1939 e 1956: ' ras ' Salário mínimo Salário dos ind~st;iá;i~~ · · · · · · · · · Salário dos comerciários · · . · · · · · Salário dos funcionários ;;d,à~·Q' (antiga nomenclatura) ....... . 24 2 275% 1486% 1138% 386% O "congelamento" fêz-se drástico em cima do fun- cionário, conforme podemos ver melhor no quadro da página 26: Valendo-nos mais uma vez do Anuário Estatístico do IBGE, vemos no quadro abaixo a situação humi- lhante do comerciário, também esmagado pelo processo inflacionário violento: ~ «S .... o o o:Su o ~ o (!) ...... ... (1)- "t:)> Anos -; ;,a 11 u ;,a 11 (1) (1) c:: -; u"t:l 'ã C:: r-- C:: r-- ·-o ..... <') (1) ..... <') "0..- p:: c:: "' o 0 0 .... 8z - ...... - 100 I I1937 330 330 100 100 1948 1.029 3t2 1 248 75 415 1950 1.218 369 1 273 I 83 446 1951 1.203 365 1 246 75 489 1952 I 1.430 433 1 253 77 565 1953 I1.543 1 468 I 234 71 660 1955(a) 3 . 164 I 958 1 331 100 954 1956(b) 4.319 I 1. 309 1 374 113 1.154 1957(b) 4.868 I 1.475 1 357 108 1 .361 I I I Fontes: IAPC - Aspecto do Censo dos Comerciários. IBGE - Anuário Estatístico. (a) Salário mediano no comércio atacadista (abril) (b) Salário mediano no comércio atacadista (novembro) Não comportam maiores explicações as estatísticas significativas que publicamos acima. A vida subindo sem cessar. Os aumentos salariais, insuficientes, não recompõem nem sequer o primitiy? poder de co~p~a do assalariado. Em têrmos de salano real, o funciOna- rio e 0 comerciário têm sido diminuídos nos seus ven- 25
  • 15. Sant'Anna, Affonso Romano de [et al.] Violão de rua : poemas. Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 1962-1963. 3 v. (Cadernos do povo brasileiro)
  • 16.
  • 17. Costa, Bolívar. Quem pode fazer a revolução no Brasil? Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 1962. 91 p. (Cadernos do povo brasileiro ; v. 7)
  • 18. DER o DO POVO BRASILEIRO Diretores: AlVAJIO VIEIRA P INTO ~10 SILVEIRA Volume 7 desenho de capa: Euotmo HntSCB M 00002 Direitos desta edição reservados à EDITORA CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA S. A. Rua 7 de Setembro, 97 RIO DB JANEIRO 1 9 6 2 Impresso nos Estados Unidos do Brasil Printed in the United States of Brazil B LÍVAR QUEM PODE FAZER - A REVOLUÇAO NO BRASIL? EDITORA CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA S. A. RIO DE JANEIRO
  • 19. Holanda, Nestor de. Como seria o Brasil socialista? Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 1963. 97 p. (Cadernos do povo brasileiro ; v. 8)
  • 20.
  • 21. Schilling, Paulo R. O que é reforma agrária? Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 1963. 133 p. : il. (Cadernos do povo brasileiro ; 10)
  • 22. ~u t tem. ô:dô.~o;;. ~~m.~.e.<:: m.a."> te~e~.em.e,
  • 23. Hoffmann, Helga. Como planejar nosso desenvolvimento. Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 1963. 123 p. (Cadernos do povo brasileiro ; v. 14)
  • 24.
  • 25. Marques, Aguinaldo N. De que morre o nosso povo? Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 1963. 155 p. (Cadernos do povo brasileiro ; v. 16)
  • 26.
  • 27. Miglioli, Jorge. Como são feitas as greves no Brasil? Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 1963. 134 p. (Cadernos do povo brasileiro ; v. 13)
  • 28.
  • 29. Miranda, Maria Augusta Tibiriçá. Vamos nacionalizar a indústria farmacêutica? Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 1963. 110p. (Cadernos do povo brasileiro; 11)
  • 30.
  • 31. Julião, Francisco. Que são as Ligas Camponesas? Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 1962. 94 p. (Cadernos do povo brasileiro ; v. 1)
  • 32.
  • 33. Pinto, Álvaro Vieira. Por que os ricos não fazem greve? Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 1962. 118 p. (Cadernos do povo brasileiro ; v. 4)
  • 34. t nd n ia ideológicas se 1 veze . ambas carac- c dominante, expricnin- r. u or. intelectuais e represen- rl m nt ou governamentais os mesmos Pre- d la e, ou seja os mesmos interêsses de " do dominio dos l?rupos financeiros: a Pri- , , qu de cja as reformas de base desde que ev;. '" m nte niio comprometam a .atuai estru.tura SOCial, 'forma visando apenas a conciliar o capital com o ::;,balho; a segunda, a que confia na caridade como úni- coprocedimento social adequado, sério, útil e eficaz para resolver a penosa situação das classes trabalhadoras ou das massas lançadas no marginaJismo da afronto a mi- séria, e acredita que a esmoia con titui Valio indispensável recurso para re o/,- r o qu"'questão social,. Q recurso à carid:J.,~._.•.•.(L.:U.u._.....I..S:j.U:e:s.c.a.c..!t Jlactc.r.QIQ. ~ue o~~~~-=~~:~~~-J~a1sua consciência d .;::;_,;;;~~~~~:Z~-ovantagem de :m t sôbre a rcalid, d crita, anti- :i li como a 'Ilt Põem qu do n ' ~ d
  • 35. Guerra, Aloísio. A igreja está com o povo? Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 1963. 100 p. (Cadernos do povo brasileiro ; v. 15)
  • 36. Prestes, Luís Carlos. Por que os comunistas apóiam Lott e Jango. [Rio de Janeiro] : Editorial Vitória, [1960]. 46 p. (Documentos políticos ; 3)
  • 37.
  • 38. Telles, Jover. O movimento sindical no Brasil. [Rio de Janeiro] : Editorial Vitória, [1962]. 305 p.
  • 39.
  • 40. Silva, Luiz Osiris da O que são as reformas de base? São Paulo : Fulgor, 1963. (Universidade do povo, 13)
  • 41.
  • 42. Távora, Juarez. Uma política de desenvolvimento para o Brasil. Rio de Janeiro : José Olympio, 1962. xiii, 92 p.
  • 43.
  • 44. Guilherme, Olympio. O Brasil e a era atômica. Rio de Janeiro : Editorial Vitória, 1957. 317 p.
  • 45.
  • 46. Brasil, Jocelyn. O pão, o feijão e as fôrças ocultas : primeiro livro de leitura popular. Rio de Janeiro : Editorial Vitória, 1963. 158 p. : il.
  • 47.
  • 48. A reforma agrária : problemas, bases, solução. [Rio de Janeiro : IPES, 1964]. 101 p. A REFOR::IA GRARIA problema~. ba...e.......olu~ào
  • 49.
  • 50. Vinhas, Moises. Operários e camponeses na revolução brasileira. São Paulo : Fulgor, 1963. 131 p.
  • 51. J I # J 00. I I ,,.,, 't'l ·.1 Nindu n1u i..., <'ontl'ns , , />tVJilt'fl.ls /II'O/il'il'da<f<•s lfo.~ dth 1/l'lt•ntf:l(u l'ios <' 1111 I'<'<'ÍI'os. 11 r t•r Nintla nu1ito l '<'qu 1 • 110 0: _•; t/0(1 t'nl f.!J,I.1J. Isso Íllr/il'a , t'lll 't>s t':Jni/IOn('St•s, (1 III ('NIII () Os lmlt•f'f'• t• 111/{~·!1.., <'~'~!H.'~'Ít•s <h• t()f'('."ls1 'I · 1 • f:llott't't• _:llnd:J nuu8 0 8 /-{l':ln(fc •s nil f!t'''t' rfo.._ IIIIJI/(•Iil('llfos i/II'I'Í('()/· , - ..... ./,'I rft• J•l·odu('ao. 1/t• ll.-ltt'lllos un, f/llu 1t1• 0 ch clJ.S'((• . 1 . . ' ' I 1/lf . 1.., /oh.-J! du u.~·r·r('/J/fur11 !Jnulista. >D.i A f).f (,f()JIIf/, D.t fl',fl l!,!,i N.t SA t·"RII 19!H/ 1959 11~ v. ::C -c: d§ o '-J'"' '""- ;5Q8 >.Jg.. ;5.-: /20 ""'"" ------1-4/2<:)f/} ~t:· o-::.;§ ~ oo:S ~<>': t:<o "-~o ~9~~ -c:p;;-- '-------1 ,, 10 11./ lO .1 /(}h./, ~ I(! oi i(JI) h.l. /} liJO i/ i()(}"''· .a- i(}() 1/ J O(J(} h,,, lJ;. I 000 11 >.A.~ ~;.r; 2,3 2,1.? 7 968 lJ,02 8 468 20,5o 5 896 23,27 l </, l 22,2 25,2 ;ooo "''· flt.· ; 00() '' mais </ 009 12, ro'"''' 4 565 . 8,6 23,6 21,79 Ji,36 7,79 5 88[ 12 .Joo 21 9oo 25 20() 29Boo "634 2-1 9oo 386oo 50Joo ------ 2J 674 Los 3,' lb,J, ~. ('11l, />.l8in,, li r. -----------
  • 52. Todas as obras pertencem à Coleção Eichenberg Para informações sobre consulta às obras raras consulte o bibliotecário de referência ou agende horário através do telefone (51) 3308 1002 ou e-mail: bcentral@bc.ufrgs.br
  • 53. Nanoexposição Veja os catálogos das nanoexposições 10) Ex-libris heráldicos (abr. 2018) 9) Ilustradores brasileiros (nov. 2017) 8) Reforma protestante : 1517-2017 (jun. 2017) 7) Cervantes : 1616-2016 (dez. 2016) 6) Livros proibidos : 50 anos do fim do Index librorum prohibitorum (jul 2016) 5) William Shakespeare :1616-2016 (mar. 2016) 4) O que faz um livro raro, raro? : critérios de identificação (maio 2014) 3) Bíblias da Coleção Eichenberg (nov. 2013) 2) Este livro é meu! : ex-libris e outras marcas de propriedade (jun. 2013) 1) Rara educação : raridades sobre educação e ensino (mar. 2013)
  • 54. Sistema de Bibliotecas Universidade Federal do Rio Grande do Sul