SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
O Capital Natural



O ano de 2012 será lembrado como um dos piores da história para a já tão desgastada
sustentabilidade. Pode-se dizer que um dos poucos resultados positivos, advindos
principalmente da Rio+20, foi a maior compreensão da importância do capital natural para o
bem estar compartilhado e perene, e da necessidade de politicas publicas e empresariais
que reconheçam o valor deste bem comum. Apesar do balanço negativo do ano este avanço
merece ser comemorado.

O capital natural representa a somatória de todos os benefícios que os ecossistemas
equilibrados fornecem ao homem, dos mais tangíveis como água potável, alimento e madeira
aos mais abstratos como o valor espiritual e cultural que os ambientes naturais representam
para diversas comunidades. Estes benefícios, ou serviços ecossistêmicos, são fruto de um
maquinário extremamente complexo cujas peças são os diversos genes e espécies
encontradas em nosso Planeta, ou seja, a biodiversidade.

O conceito de capital natural nos ajuda a entender a base onde toda a economia se apóia e,
conseqüentemente, os limites para seu crescimento. É neste capital que estão considerados
a capacidade do Planeta de fornecer os recursos naturais que alimentam a economia e de
reciclar e absorver seus resíduos. Esta capacidade é, por sua vez, possibilitada por um
funcionamento cíclico que se alimenta de um equilíbrio complexo e dinâmico entre as
espécies e seu meio.

Durante todo o desenvolvimento da sociedade moderna os serviços ecossistêmicos
funcionaram perfeitamente, criando a concepção errônea de que o capital natural tinha
oferta infindável. Esta concepção levou a economia a se desenvolver de forma linear,
traçando uma via de mão única entre recursos naturais e resíduos. Alem disso, gerou uma
falha no sistema econômico chamada de externalidades, cuja principal causa é a não
valoração deste capital e, como consequência, a criação de um sistema que privatiza os
ganhos econômicos mas socializa as perdas ambientais.

Nas últimas décadas o crescimento populacional e do consumo per capta fizeram com que
os fluxos de matéria e energia entre os dois pólos desta economia linear aumentasse em
intensidade e volume, extrapolando a capacidade do sistema natural cíclico em se auto-
regenerar. Desta forma, temos hoje uma economia que rompe os limites do capital natural e,
como conseqüência, a cada ano que passa esgotamos a base da mesma.

Para dar uma ordem de grandeza deste problema, estamos consumindo o equivalente a 1,5
planetas terra por ano. Estas são conclusões tiradas de um estudo baseado na metodologia
de Pegada Ecológica (Global Footprint Network, 2011), que analisa uma grande variedade
de serviços ecossistêmicos e os traduz em área necessária da superfície do Planeta para
sustentá-los. Segundo este estudo, emissões de GEE são a principal causa da tendência do
Planeta para um eventual colapso ecológico (55% da pegada ecológica global), conforme
gráfico abaixo.




                   Pangea Capital – Equilíbrio em Estratégia Ambiental
                        R. Cônego Eugênio Leite 933, conj.131
                                    (11) 2307-0018
O setor privado é hoje um dos principais responsáveis por esta pegada ecológica
insustentável. No entanto, devido ao seu radar aguçado, força econômica e agilidade em
implementar mudanças, este pode ser também o grande provedor de soluções para moldar a
economia ao novo paradigma imposto pelos limites do capital natural, além de encontrar
grandes oportunidades nesta jornada. Para isso, práticas empresariais devem refletir uma
compreensão de sua dependência em relação a serviços e produtos fornecidos pela
natureza, e que os recursos finitos desta devem ser totalmente valorados e geridos para um
crescimento e prosperidade de longo prazo.

A implementação desta nova gestão corporativa depende de ferramentas que permitam às
empresas considerar o capital natural em seus balanços financeiros anuais . Não existe
ainda uma metodologia como esta adotada em larga escala no mundo, mas já podemos
identificar uma série de projetos interessantes que apontam o caminho da inovação. Este é o
caso da iniciativa implementada pela empresa de material esportivo Puma, que em 2011
resultou na publicação do seu primeiro relatório sobre lucros e prejuízos ambientais, um dos
primeiros experimentos do gênero do mundo (veja aqui o documento na íntegra). Para isso a
empresa desenvolveu uma metodologia que quantifica o consumo de água, emissões de
gases de efeito estufa, uso da terra e geração de resíduos de suas operações diretas e de
sua cadeia de fornecedores, e aplicou valores que pudessem converter estas métricas em
impactos econômicos. Com este novo método de valoração a empresa pode compreender
melhor sua dependência em relação aos recursos naturais e, consequentemente, como
buscar oportunidades e garantir a resiliência de sua operação.

Iniciativas inovadoras como esta são impulsionadas pela compreensão cada vez maior de
que o sistema econômico tradicional tornou-se grande demais para manter seu formato, e
que por isso uma quebra de paradigmas será necessária. O século XXI será marcado pela
transição definitiva do antigo capitalismo focado apenas no shareholder, com visão
imediatista e competitividade insustentável, para o novo capitalismo a serviço dos
stakeholders, cuja visão integrada possibilitará o bem estar compartilhado e,
consequentemente, uma competitividade de longo prazo para o setor privado. As empresas
serão protagonistas nesta história, e o sucesso irá depender de suas habilidades de colocar
o Planeta e as pessoas no centro de suas estratégias corporativas.


Roberto Strumpf

Pangea Capital – Equilíbrio em Estratégia Ambiental

www.pangeacapital.com.br


                    Pangea Capital – Equilíbrio em Estratégia Ambiental
                         R. Cônego Eugênio Leite 933, conj.131
                                     (11) 2307-0018

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sustentabilidade e meio ambiente
Sustentabilidade e meio ambienteSustentabilidade e meio ambiente
Sustentabilidade e meio ambienteEMEFEzequiel
 
Sustentabilidade no brasil
Sustentabilidade no brasilSustentabilidade no brasil
Sustentabilidade no brasil-
 
FunçõEs EcolóGicas Estudo De Caso 01
FunçõEs EcolóGicas Estudo De Caso 01FunçõEs EcolóGicas Estudo De Caso 01
FunçõEs EcolóGicas Estudo De Caso 01Licenciamento
 
Desenvolvimento sustentável
Desenvolvimento  sustentávelDesenvolvimento  sustentável
Desenvolvimento sustentávelThais Oliveira
 
Desenvolvimento sustentável (abordagem panorâmica).
Desenvolvimento sustentável (abordagem panorâmica).Desenvolvimento sustentável (abordagem panorâmica).
Desenvolvimento sustentável (abordagem panorâmica).Jacqueline Matilde
 
Homem natureza; trabalho e emprego; o empreendedorismo
Homem natureza; trabalho e emprego; o empreendedorismoHomem natureza; trabalho e emprego; o empreendedorismo
Homem natureza; trabalho e emprego; o empreendedorismocecilia ogando
 
Redução da emissão de gases
Redução da emissão de gasesRedução da emissão de gases
Redução da emissão de gasesvitorsallespina
 
Redução da emissão de gases (1)
Redução da emissão de gases (1)Redução da emissão de gases (1)
Redução da emissão de gases (1)gabisales
 
9º ano Desenvolvimento Sustentavel
9º ano Desenvolvimento Sustentavel9º ano Desenvolvimento Sustentavel
9º ano Desenvolvimento Sustentavelkyzinha
 
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelDesenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelMariana Cordeiro
 
Maria Manuel Seabra Costa Wrap Up Rio + 20 LIVE CONNECTED LISBOA
Maria Manuel Seabra Costa Wrap Up Rio + 20 LIVE CONNECTED LISBOAMaria Manuel Seabra Costa Wrap Up Rio + 20 LIVE CONNECTED LISBOA
Maria Manuel Seabra Costa Wrap Up Rio + 20 LIVE CONNECTED LISBOAMa Manuel Seabra Costa
 
Desenvolvimento SustentáVel
Desenvolvimento SustentáVelDesenvolvimento SustentáVel
Desenvolvimento SustentáVelNiise
 
Artigo código do retrocesso (marcílio luna)
Artigo código do retrocesso  (marcílio luna)Artigo código do retrocesso  (marcílio luna)
Artigo código do retrocesso (marcílio luna)Projeto Golfinho Rotador
 

Mais procurados (19)

Sustentabilidade e meio ambiente
Sustentabilidade e meio ambienteSustentabilidade e meio ambiente
Sustentabilidade e meio ambiente
 
Sustentabilidade no brasil
Sustentabilidade no brasilSustentabilidade no brasil
Sustentabilidade no brasil
 
FunçõEs EcolóGicas Estudo De Caso 01
FunçõEs EcolóGicas Estudo De Caso 01FunçõEs EcolóGicas Estudo De Caso 01
FunçõEs EcolóGicas Estudo De Caso 01
 
Desenvolvimento sustentável
Desenvolvimento  sustentávelDesenvolvimento  sustentável
Desenvolvimento sustentável
 
Desenvolvimento sustentável (abordagem panorâmica).
Desenvolvimento sustentável (abordagem panorâmica).Desenvolvimento sustentável (abordagem panorâmica).
Desenvolvimento sustentável (abordagem panorâmica).
 
A sustentabilidade no Século XXI
A sustentabilidade no Século XXIA sustentabilidade no Século XXI
A sustentabilidade no Século XXI
 
Homem natureza; trabalho e emprego; o empreendedorismo
Homem natureza; trabalho e emprego; o empreendedorismoHomem natureza; trabalho e emprego; o empreendedorismo
Homem natureza; trabalho e emprego; o empreendedorismo
 
Redução da emissão de gases
Redução da emissão de gasesRedução da emissão de gases
Redução da emissão de gases
 
Redução da emissão de gases (1)
Redução da emissão de gases (1)Redução da emissão de gases (1)
Redução da emissão de gases (1)
 
9º ano Desenvolvimento Sustentavel
9º ano Desenvolvimento Sustentavel9º ano Desenvolvimento Sustentavel
9º ano Desenvolvimento Sustentavel
 
Gestão Ambiental
Gestão AmbientalGestão Ambiental
Gestão Ambiental
 
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelDesenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
 
Maria Manuel Seabra Costa Wrap Up Rio + 20 LIVE CONNECTED LISBOA
Maria Manuel Seabra Costa Wrap Up Rio + 20 LIVE CONNECTED LISBOAMaria Manuel Seabra Costa Wrap Up Rio + 20 LIVE CONNECTED LISBOA
Maria Manuel Seabra Costa Wrap Up Rio + 20 LIVE CONNECTED LISBOA
 
Desenvolvimento SustentáVel
Desenvolvimento SustentáVelDesenvolvimento SustentáVel
Desenvolvimento SustentáVel
 
Informativo insp 11
Informativo insp   11Informativo insp   11
Informativo insp 11
 
Liduina carvalho pegada ecológica
Liduina carvalho pegada ecológicaLiduina carvalho pegada ecológica
Liduina carvalho pegada ecológica
 
Artigo código do retrocesso (marcílio luna)
Artigo código do retrocesso  (marcílio luna)Artigo código do retrocesso  (marcílio luna)
Artigo código do retrocesso (marcílio luna)
 
Indicadores De Sustentabilidade
Indicadores De SustentabilidadeIndicadores De Sustentabilidade
Indicadores De Sustentabilidade
 
Sustentabilidade
Sustentabilidade Sustentabilidade
Sustentabilidade
 

Semelhante a O Capital Natural e os Limites da Economia

A CONTABILIDADE NO UNIVERSO SUSTENTÁVEL
A CONTABILIDADE NO UNIVERSO SUSTENTÁVELA CONTABILIDADE NO UNIVERSO SUSTENTÁVEL
A CONTABILIDADE NO UNIVERSO SUSTENTÁVELMaria Araújo
 
A Economia Verde e Inclusiva de Jorge Moreira, Revista O Instalador 235
A Economia Verde e Inclusiva de Jorge Moreira, Revista O Instalador 235A Economia Verde e Inclusiva de Jorge Moreira, Revista O Instalador 235
A Economia Verde e Inclusiva de Jorge Moreira, Revista O Instalador 235Jorge Moreira
 
Acoes colaborativas entre empresas em Responsabilidade Social Corporativa
Acoes colaborativas entre empresas em Responsabilidade Social CorporativaAcoes colaborativas entre empresas em Responsabilidade Social Corporativa
Acoes colaborativas entre empresas em Responsabilidade Social CorporativaRicardo Mutuzoc
 
EDUCACAO_AMBIENTAL_E_ECONOMIA_CIRCULAR_UMA_BREVE_R.pdf
EDUCACAO_AMBIENTAL_E_ECONOMIA_CIRCULAR_UMA_BREVE_R.pdfEDUCACAO_AMBIENTAL_E_ECONOMIA_CIRCULAR_UMA_BREVE_R.pdf
EDUCACAO_AMBIENTAL_E_ECONOMIA_CIRCULAR_UMA_BREVE_R.pdfSilvia Azevedo
 
A economia circular para evitar a exaustão dos recursos naturais do planeta t...
A economia circular para evitar a exaustão dos recursos naturais do planeta t...A economia circular para evitar a exaustão dos recursos naturais do planeta t...
A economia circular para evitar a exaustão dos recursos naturais do planeta t...Fernando Alcoforado
 
A economia circular para evitar a exaustão dos recursos naturais do planeta t...
A economia circular para evitar a exaustão dos recursos naturais do planeta t...A economia circular para evitar a exaustão dos recursos naturais do planeta t...
A economia circular para evitar a exaustão dos recursos naturais do planeta t...Fernando Alcoforado
 
Microeconomia e sustentabilidade
Microeconomia e sustentabilidadeMicroeconomia e sustentabilidade
Microeconomia e sustentabilidadeDaiane Lins
 
Alves e lima. agricultura familiar
Alves e lima. agricultura familiarAlves e lima. agricultura familiar
Alves e lima. agricultura familiarGlauber Nojosa
 
Alves e lima. agricultura familiar
Alves e lima. agricultura familiarAlves e lima. agricultura familiar
Alves e lima. agricultura familiarGlauber Nojosa
 
Meio ambiente sust
Meio ambiente sustMeio ambiente sust
Meio ambiente sustMarcelo Lobo
 
Ij ds ocup espaço 04fev ago11 pages-iphone
Ij ds ocup espaço 04fev ago11 pages-iphoneIj ds ocup espaço 04fev ago11 pages-iphone
Ij ds ocup espaço 04fev ago11 pages-iphoneInstituto Jatobas
 
ApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO MultiplicadoresApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO Multiplicadoresthaisfantazia
 
Apresentação Multiplicadores
Apresentação MultiplicadoresApresentação Multiplicadores
Apresentação Multiplicadoresguestcd7b95
 
ApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO MultiplicadoresApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO Multiplicadoresthaisfantazia
 
1º trabalho analise matriz swot empreendedorismo 2
1º trabalho analise matriz swot empreendedorismo 21º trabalho analise matriz swot empreendedorismo 2
1º trabalho analise matriz swot empreendedorismo 2Ana Genesy
 

Semelhante a O Capital Natural e os Limites da Economia (20)

A CONTABILIDADE NO UNIVERSO SUSTENTÁVEL
A CONTABILIDADE NO UNIVERSO SUSTENTÁVELA CONTABILIDADE NO UNIVERSO SUSTENTÁVEL
A CONTABILIDADE NO UNIVERSO SUSTENTÁVEL
 
A Economia Verde e Inclusiva de Jorge Moreira, Revista O Instalador 235
A Economia Verde e Inclusiva de Jorge Moreira, Revista O Instalador 235A Economia Verde e Inclusiva de Jorge Moreira, Revista O Instalador 235
A Economia Verde e Inclusiva de Jorge Moreira, Revista O Instalador 235
 
Acoes colaborativas entre empresas em Responsabilidade Social Corporativa
Acoes colaborativas entre empresas em Responsabilidade Social CorporativaAcoes colaborativas entre empresas em Responsabilidade Social Corporativa
Acoes colaborativas entre empresas em Responsabilidade Social Corporativa
 
Sustentabilidade
SustentabilidadeSustentabilidade
Sustentabilidade
 
EDUCACAO_AMBIENTAL_E_ECONOMIA_CIRCULAR_UMA_BREVE_R.pdf
EDUCACAO_AMBIENTAL_E_ECONOMIA_CIRCULAR_UMA_BREVE_R.pdfEDUCACAO_AMBIENTAL_E_ECONOMIA_CIRCULAR_UMA_BREVE_R.pdf
EDUCACAO_AMBIENTAL_E_ECONOMIA_CIRCULAR_UMA_BREVE_R.pdf
 
A economia circular para evitar a exaustão dos recursos naturais do planeta t...
A economia circular para evitar a exaustão dos recursos naturais do planeta t...A economia circular para evitar a exaustão dos recursos naturais do planeta t...
A economia circular para evitar a exaustão dos recursos naturais do planeta t...
 
A economia circular para evitar a exaustão dos recursos naturais do planeta t...
A economia circular para evitar a exaustão dos recursos naturais do planeta t...A economia circular para evitar a exaustão dos recursos naturais do planeta t...
A economia circular para evitar a exaustão dos recursos naturais do planeta t...
 
Microeconomia e sustentabilidade
Microeconomia e sustentabilidadeMicroeconomia e sustentabilidade
Microeconomia e sustentabilidade
 
Guia
GuiaGuia
Guia
 
Alves e lima. agricultura familiar
Alves e lima. agricultura familiarAlves e lima. agricultura familiar
Alves e lima. agricultura familiar
 
Alves e lima. agricultura familiar
Alves e lima. agricultura familiarAlves e lima. agricultura familiar
Alves e lima. agricultura familiar
 
Como ser sustentável a partir da Política Nacional de Resíduos Sólidos
Como ser sustentável a partir da Política Nacional de Resíduos SólidosComo ser sustentável a partir da Política Nacional de Resíduos Sólidos
Como ser sustentável a partir da Política Nacional de Resíduos Sólidos
 
Economia verde
Economia verdeEconomia verde
Economia verde
 
34 119-3-pb
34 119-3-pb34 119-3-pb
34 119-3-pb
 
Meio ambiente sust
Meio ambiente sustMeio ambiente sust
Meio ambiente sust
 
Ij ds ocup espaço 04fev ago11 pages-iphone
Ij ds ocup espaço 04fev ago11 pages-iphoneIj ds ocup espaço 04fev ago11 pages-iphone
Ij ds ocup espaço 04fev ago11 pages-iphone
 
ApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO MultiplicadoresApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO Multiplicadores
 
Apresentação Multiplicadores
Apresentação MultiplicadoresApresentação Multiplicadores
Apresentação Multiplicadores
 
ApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO MultiplicadoresApresentaçãO Multiplicadores
ApresentaçãO Multiplicadores
 
1º trabalho analise matriz swot empreendedorismo 2
1º trabalho analise matriz swot empreendedorismo 21º trabalho analise matriz swot empreendedorismo 2
1º trabalho analise matriz swot empreendedorismo 2
 

O Capital Natural e os Limites da Economia

  • 1. O Capital Natural O ano de 2012 será lembrado como um dos piores da história para a já tão desgastada sustentabilidade. Pode-se dizer que um dos poucos resultados positivos, advindos principalmente da Rio+20, foi a maior compreensão da importância do capital natural para o bem estar compartilhado e perene, e da necessidade de politicas publicas e empresariais que reconheçam o valor deste bem comum. Apesar do balanço negativo do ano este avanço merece ser comemorado. O capital natural representa a somatória de todos os benefícios que os ecossistemas equilibrados fornecem ao homem, dos mais tangíveis como água potável, alimento e madeira aos mais abstratos como o valor espiritual e cultural que os ambientes naturais representam para diversas comunidades. Estes benefícios, ou serviços ecossistêmicos, são fruto de um maquinário extremamente complexo cujas peças são os diversos genes e espécies encontradas em nosso Planeta, ou seja, a biodiversidade. O conceito de capital natural nos ajuda a entender a base onde toda a economia se apóia e, conseqüentemente, os limites para seu crescimento. É neste capital que estão considerados a capacidade do Planeta de fornecer os recursos naturais que alimentam a economia e de reciclar e absorver seus resíduos. Esta capacidade é, por sua vez, possibilitada por um funcionamento cíclico que se alimenta de um equilíbrio complexo e dinâmico entre as espécies e seu meio. Durante todo o desenvolvimento da sociedade moderna os serviços ecossistêmicos funcionaram perfeitamente, criando a concepção errônea de que o capital natural tinha oferta infindável. Esta concepção levou a economia a se desenvolver de forma linear, traçando uma via de mão única entre recursos naturais e resíduos. Alem disso, gerou uma falha no sistema econômico chamada de externalidades, cuja principal causa é a não valoração deste capital e, como consequência, a criação de um sistema que privatiza os ganhos econômicos mas socializa as perdas ambientais. Nas últimas décadas o crescimento populacional e do consumo per capta fizeram com que os fluxos de matéria e energia entre os dois pólos desta economia linear aumentasse em intensidade e volume, extrapolando a capacidade do sistema natural cíclico em se auto- regenerar. Desta forma, temos hoje uma economia que rompe os limites do capital natural e, como conseqüência, a cada ano que passa esgotamos a base da mesma. Para dar uma ordem de grandeza deste problema, estamos consumindo o equivalente a 1,5 planetas terra por ano. Estas são conclusões tiradas de um estudo baseado na metodologia de Pegada Ecológica (Global Footprint Network, 2011), que analisa uma grande variedade de serviços ecossistêmicos e os traduz em área necessária da superfície do Planeta para sustentá-los. Segundo este estudo, emissões de GEE são a principal causa da tendência do Planeta para um eventual colapso ecológico (55% da pegada ecológica global), conforme gráfico abaixo. Pangea Capital – Equilíbrio em Estratégia Ambiental R. Cônego Eugênio Leite 933, conj.131 (11) 2307-0018
  • 2. O setor privado é hoje um dos principais responsáveis por esta pegada ecológica insustentável. No entanto, devido ao seu radar aguçado, força econômica e agilidade em implementar mudanças, este pode ser também o grande provedor de soluções para moldar a economia ao novo paradigma imposto pelos limites do capital natural, além de encontrar grandes oportunidades nesta jornada. Para isso, práticas empresariais devem refletir uma compreensão de sua dependência em relação a serviços e produtos fornecidos pela natureza, e que os recursos finitos desta devem ser totalmente valorados e geridos para um crescimento e prosperidade de longo prazo. A implementação desta nova gestão corporativa depende de ferramentas que permitam às empresas considerar o capital natural em seus balanços financeiros anuais . Não existe ainda uma metodologia como esta adotada em larga escala no mundo, mas já podemos identificar uma série de projetos interessantes que apontam o caminho da inovação. Este é o caso da iniciativa implementada pela empresa de material esportivo Puma, que em 2011 resultou na publicação do seu primeiro relatório sobre lucros e prejuízos ambientais, um dos primeiros experimentos do gênero do mundo (veja aqui o documento na íntegra). Para isso a empresa desenvolveu uma metodologia que quantifica o consumo de água, emissões de gases de efeito estufa, uso da terra e geração de resíduos de suas operações diretas e de sua cadeia de fornecedores, e aplicou valores que pudessem converter estas métricas em impactos econômicos. Com este novo método de valoração a empresa pode compreender melhor sua dependência em relação aos recursos naturais e, consequentemente, como buscar oportunidades e garantir a resiliência de sua operação. Iniciativas inovadoras como esta são impulsionadas pela compreensão cada vez maior de que o sistema econômico tradicional tornou-se grande demais para manter seu formato, e que por isso uma quebra de paradigmas será necessária. O século XXI será marcado pela transição definitiva do antigo capitalismo focado apenas no shareholder, com visão imediatista e competitividade insustentável, para o novo capitalismo a serviço dos stakeholders, cuja visão integrada possibilitará o bem estar compartilhado e, consequentemente, uma competitividade de longo prazo para o setor privado. As empresas serão protagonistas nesta história, e o sucesso irá depender de suas habilidades de colocar o Planeta e as pessoas no centro de suas estratégias corporativas. Roberto Strumpf Pangea Capital – Equilíbrio em Estratégia Ambiental www.pangeacapital.com.br Pangea Capital – Equilíbrio em Estratégia Ambiental R. Cônego Eugênio Leite 933, conj.131 (11) 2307-0018