Técnicas Gráficas em Jornalismo
Professor mestre Artur Araujo (araujofamilia@gmail.com)


Breve histórico
da diagramação
 ...
Antes, um recado:
 Hoje é o último dia para a entrega do
 trabalho individual sobre publicações.
 Quem entregar hoje terá ...
Como tudo
começou
As primeiras
manchetes...
Folha da Noite - São Paulo - 1934



  fotografia
  Chega a
Folha da Noite - São Paulo - 1945
1950: ano de revoluções na imprensa

 Na década de 1950, o Rio de Janeiro, então
 capital federal, testemunhou o surgiment...
O projeto Última Hora
                                         O jornalista e empresário
                                 ...
Projeto gráfico e uso racional
do espaço da diagramação
 O artista gráfico criou também os conceitos
 de diagramação de pr...
Dois trabalhos de Guevara
O projeto Jornal do Brasil, de Amílcar de
Castro e Reynaldo Jardim
 O Jornal do Brasil, cuja
 expressão editorial estava
 ...
O projeto Jornal do Brasil, de Amílcar de
Castro e Reynaldo Jardim
 A reforma elaborada no
 Jornal do Brasil ganhou
 uma e...
Projetos recentes de Amílcar de Castro
Fala Reynaldo Jardim...

                                      Reynaldo Jardim - (*1926)




        Entrevista de Reynald...
Jornal da Tarde

 Em 1966, em São Paulo, o Jornal
 da Tarde, do Grupo O Estado de
 S. Paulo, se tornou o grande
 paradigma...
Jornal da Tarde

 Uma das novidades do periódico
 foi na estruturação gráfica. A
 idéia era a de que a concepção
 da págin...
Jornal da Tarde: o
depoimento de Ivan Ângelo
 Quando nós chegamos aqui
 era o editor-chefe e o secretário
 de redação, o M...
Jornal da Tarde: a capa-cartaz

 A capa-cartaz foi a principal
 marca que o Jornal da Tarde
 deixou na história das artes
...
Correio Braziliense
                                       Ricardo Noblat
 O mais recente paradigma                 (* 194...
Correio Braziliense
                                    Ricardo Noblat
 Ainda hoje, apesar das                (* 1949)
 mu...
Tg Aula6 2008
Tg Aula6 2008
Tg Aula6 2008
Tg Aula6 2008
Tg Aula6 2008
Tg Aula6 2008
Tg Aula6 2008
Tg Aula6 2008
Tg Aula6 2008
Tg Aula6 2008
Tg Aula6 2008
Tg Aula6 2008
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tg Aula6 2008

1.707 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

Tg Aula6 2008

  1. 1. Técnicas Gráficas em Jornalismo Professor mestre Artur Araujo (araujofamilia@gmail.com) Breve histórico da diagramação no Brasil
  2. 2. Antes, um recado: Hoje é o último dia para a entrega do trabalho individual sobre publicações. Quem entregar hoje terá 50% de desconto na nota. A partir da próxima aula, vamos trabalhar exclusivamente os exercícios de diagramação no laboratório com vistas à prova prática de diagramação.
  3. 3. Como tudo começou
  4. 4. As primeiras manchetes...
  5. 5. Folha da Noite - São Paulo - 1934 fotografia Chega a
  6. 6. Folha da Noite - São Paulo - 1945
  7. 7. 1950: ano de revoluções na imprensa Na década de 1950, o Rio de Janeiro, então capital federal, testemunhou o surgimento de três iniciativas que iriam revolucionar a arte de fazer jornal no Brasil: O projeto Diário Carioca, que inovou com a criação de uma imprensa séria que adotava um tom coloquial. O projeto Última Hora, que inovou na diagramação de jornais populares. O projeto Jornal do Brasil, que inovou na diagramação da “imprensa séria” nacional.
  8. 8. O projeto Última Hora O jornalista e empresário Samuel Wainer contratou (1912-1980) Samuel Wainer um famoso diagramador paraguaio, então morando em Buenos Aires, Andrés Guevara, que começou a singularizar o jornal desenhando um logotipo, com letras em cores azuis, além de ressaltar graficamente as seções (1904-1963) Andrés Guevara temáticas originais que iam surgindo do projeto editorial da publicação.
  9. 9. Projeto gráfico e uso racional do espaço da diagramação O artista gráfico criou também os conceitos de diagramação de precisão para manter a fidelidade do projeto gráfico e estabelecer um uso racional do espaço gráfico. (1904-1963) Andrés Guevara
  10. 10. Dois trabalhos de Guevara
  11. 11. O projeto Jornal do Brasil, de Amílcar de Castro e Reynaldo Jardim O Jornal do Brasil, cuja expressão editorial estava na publicação de anúncios classificados (incluindo a Reynaldo Jardim - (*1926) primeira página), aprofundou as experiências da Última Hora e do Diário Carioca, afirmando-se por Amílcar de Castro uma renovação gráfica na (1920-2002) qual textos e fotografias passaram a compor o novo visual das páginas de modo planejado e criativo.
  12. 12. O projeto Jornal do Brasil, de Amílcar de Castro e Reynaldo Jardim A reforma elaborada no Jornal do Brasil ganhou uma expressão histórica, Reynaldo Jardim - (*1926) redimensionando alguns conceitos arraigados não Amílcar de Castro somente no Brasil. (1920-2002)
  13. 13. Projetos recentes de Amílcar de Castro
  14. 14. Fala Reynaldo Jardim... Reynaldo Jardim - (*1926) Entrevista de Reynaldo Jardim ao programa de Televisão Comitê de Imprensa, da TV Câmara (dezembro/2006)
  15. 15. Jornal da Tarde Em 1966, em São Paulo, o Jornal da Tarde, do Grupo O Estado de S. Paulo, se tornou o grande paradigma da excelência gráfica e redacional da imprensa brasileira. Mino Carta (*1933) Murilo Felisberto (1939-2007)
  16. 16. Jornal da Tarde Uma das novidades do periódico foi na estruturação gráfica. A idéia era a de que a concepção da página não saísse (ou não saísse exclusivamente) da cabeça de um diagramador. Mino Carta (*1933) Murilo Felisberto (1939-2007)
  17. 17. Jornal da Tarde: o depoimento de Ivan Ângelo Quando nós chegamos aqui era o editor-chefe e o secretário de redação, o Mino Carta e o Murilo Felisberto, que desenhavam as páginas, tentando encontrar uma linguagem Mino Carta (*1933) gráfica para o jornal, uma Murilo Felisberto linguagem (1939-2007) gráfica própria.
  18. 18. Jornal da Tarde: a capa-cartaz A capa-cartaz foi a principal marca que o Jornal da Tarde deixou na história das artes gráficas brasileiras. Mino Carta (*1933) Murilo Felisberto (1939-2007)
  19. 19. Correio Braziliense Ricardo Noblat O mais recente paradigma (* 1949) brasileiro na área das artes gráficas é o jornal Correio Braziliense, de Brasília. A fase mais marcante da publicação ocorreu entre 1994 e 2002, sob a direção do editor executivo Ricardo Noblat e do então editor-executivo de arte da publicação, o Francisco Amaral. Francisco Amaral
  20. 20. Correio Braziliense Ricardo Noblat Ainda hoje, apesar das (* 1949) mudanças de pessoal, o Correio Brazilense lidera no design de jornais brasileiros, seguindo o conceito de um jornal aberto às mudanças de linguagem nas publicações editoriais. Francisco Amaral

×