INTRODUÇÃO À POLÍTICA
DA SOCIEDADE CIVIL
ADVOCACY 101
PARTE 1
A VIRADA POLÍTICA
DUAS ESCOLAS POLÍTICAS
O FIM DO PODER
DEMOCRACIA REPRESENTATIVA
O QUE É ADVOCACY?
≠LOBBY
SUMÁRIO...
PARTE 1
"UM POVO QUE SE SINTA POLÍTICO E UM POLÍTICO QUE SE SINTA POVO” - BARÃO DE SARNO
PARA MOSTRAR A POLÍTICA
ALÉM DAS INSTITUI...
MAQUIAVEL
O PRINCÍPE
PLATÃO | ARISTÓTELES
A REPÚBLICA | A POLÍTICA
DUAS CORRENTES FUNDAMENTAIS DA POLÍTICA
O objeto principal da política é criar a
amizade entre os membros da cidade.
ARISTÓTELES
“
Devemos convir que não há coisa mais difícil de se
fazer, mais duvidosa de se alcançar, ou mais perigosa
de se manejar do ...
PODER EXISTE NAS RELAÇÕES
CAPACIDADE DINÂMICA DE MOBILIZAR OUTROS
1640 | 1789
CONCENTRAÇÃO E DECLÍNIO DO PODER
PODER: MAIS FÁCIL ADQUIRIR, MAIS DIFICIL DE USAR E MAIS FÁCIL DE PERDER
DEMOCRACIA
REDES
CÉREBROS
START-UPS
PÓS-MATERIALIS...
MOISÉS NAÍM
‣O PODER ESTÁ DECAINDO
‣AS BARREIRAS QUE O PROTEGIAM
‣ESTÃO CEDENDO
‣REVOLUÇÕES DOS M’S
‣BENEFÍCIOS E RISCOS
‣...
CONTEXTO BRASILEIRO:
DEMOCRACIA REPRESENTATIVA
DEMOCRACIA: FORMA DE MATERIALIZAÇÃO DO FIM DO PODER
DESENVOLVIMENTO CONJUNT...
TENTATIVA ORGANIZADA DE MUDAR POLÍTICAS, PRÁTICAS
E ATITUDES APRESENTANDO EVIDÊNCIAS E ARGUMENTOS DO
PORQUÊ E COMO UMA MUD...
OUTRAS DEFINIÇÕES
"Advocacy é colocar um problema na agenda, fornecendo uma solução para esse problema e
construindo apoio...
TENTATIVA ORGANIZADA DE MUDAR POLÍTICAS, PRÁTICAS
E ATITUDES APRESENTANDO EVIDÊNCIAS E ARGUMENTOS DO
PORQUÊ E COMO UMA MUD...
INTERESSES PRIVADOS ≠ INTERESSES PÚBLICOS
QUAL A DIFERENÇA ENTÃO?
LOBBY ≠ ADVOCACY
PARTE 2
‣Quais valores e princípios fundamentam a sua posição sobre o tema que você
deseja trabalhar?
‣Existe uma chance razoável ...
‣Qual é o problema que você quer resolver?
‣Este problema é generalizado em diferentes áreas ou está concentrado a uma
loc...
PASSO 2: ESTABELECER META E OBJETIVO
META
OBJETIVO
Visão para o futuro. O que se espera atingir no médio-longo prazo.
Um r...
ANÁLISE DE STAKEHOLDERS
Alvos:
tomadores de decisão; pessoas com o poder para realizar as mudanças desejadas;
pessoas que ...
PODER: MAIS FÁCIL ADQUIRIR, MAIS DIFÍCIL DE USAR E MAIS FÁCIL DE PERDER
DIREITOS
CAUSAS
ESTRATÉGIA
APRENDIZADO DE MÃO-DUPL...
COMO ABORDAR UM TOMADOR DE DECISÃO:
‣ Qual o background deles? Formação, partido, relações

‣ Quem eles ouvem? doadores, e...
SE VOCÊ ESTIVER ABORDANDO UM TOMADOR DE DECISÃO EM UMA GRANDE
ORGANIZAÇÃO OU NO GOVERNO, VOCÊ PRECISA:


‣ Saber o que ele...
COLD CALL: QUANDO NÃO HÁ NENHUMA PONTE COM O TOMADOR DE DECISÃO
PASSO 1:
‣ ligue para o gabinete/secretaria/etc:
‣ diga br...
PASSO 3: MAPEANDO E ABORDANDO TOMADORES DE DECISÃO
O QUÊ? MUDANÇA NA IMPLEMENTAÇÃO DE DETERMINADA POLÍTICA PÚBLICA
QUEM DE...
PONTOS BÁSICOS
‣ sua mensagem deve explicar o problema e suas origens, deve fornecer fortes evidências e apresentar
por qu...
TEMPO É CRUCIAL EM ADVOCACY. DEPENDENDO DO TEMPO, UM TOMADOR DE DECISÃO
PODE ESTAR MAIS OU MENOS INCLINADO A TE OUVIR.
‣ p...
PASSO 6: ESTRATÉGIA E TÁTICAS
META
o propósito maior da iniciativa:
melhorar a vida de pessoas de classe baixa aumentando
...
EXPERTISE, RECURSOS, PESQUISAS. ADVOCACY É TRABALHOSO.
‣ LOBBYING: TÊTE-À-TÊTE COM TOMADOR DE DECISÃO
‣ INFLUENCIAR A PRÁT...
Não é fácil mensurar
resultados nessa Área.
Os processos são
complexos, morosos e
torna-se difícil medir o
sucesso de uma ...
‣ CONSIGA COMPROMISSOS (PÚBLICOS, DE PREFERÊNCIA) DOS TOMADORES DE DECISÃO.
‣ MANTENHA-SE EM CONTATO, MAS NÃO SEJA UMA VAR...
‣ AN INTRODUCTORY GUIDE TO SUCCESSFUL ADVOCACY, OPEN SOCIETY FOUNDATIONS
‣ ADVOCACY GUIDE, ASSOCIATION FOR SUPERVISION AND...
ESTA APRESENTAÇÃO ESTARÁ DISPONÍVEL NO SLIDESHARE A PARTIR DE SEGUNDA
ENVIAREMOS PARA VOCÊS O LINK POR EMAIL
ricardo.borge...
Advocacy 101: Introdução à Política da Sociedade Civil
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Advocacy 101: Introdução à Política da Sociedade Civil

161 visualizações

Publicada em

Como se organizar e influenciar tomadores de decisão em defesa de causas públicas.

Sabe quando a sociedade se organiza e decide influenciar os tomadores de decisão em defesa de causas públicas? É isso que chamamos de advocacy e é em torno disso que orbita este curso. Serão duas apresentações introdutórias sobre o tema apresentando cases, ferramentas e inspirações para quem está a fim de fazer política pelo lado da sociedade civil. Não importa qual seja sua causa ou sua ideologia, o que importa é jogar luz em um processo extremamente saudável para a democracia e que precisa acontecer cada vez mais.

Publicada em: Governo e ONGs
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
161
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Advocacy 101: Introdução à Política da Sociedade Civil

  1. 1. INTRODUÇÃO À POLÍTICA DA SOCIEDADE CIVIL ADVOCACY 101
  2. 2. PARTE 1 A VIRADA POLÍTICA DUAS ESCOLAS POLÍTICAS O FIM DO PODER DEMOCRACIA REPRESENTATIVA O QUE É ADVOCACY? ≠LOBBY SUMÁRIO PARTE 2 O PROBLEMA QUAL O OBJETIVO? QUEM INFLUENCIAR? QUAL A MENSAGEM? QUAL O PEDIDO? QUANDO FAZER? ESTRATÉGIA, DO GREGO STRATEGOS… COMO MEDIR E APRESENTAR RESULTADOS? EXTRA: DICAS PESSOAIS + REFERÊNCIAS
  3. 3. PARTE 1
  4. 4. "UM POVO QUE SE SINTA POLÍTICO E UM POLÍTICO QUE SE SINTA POVO” - BARÃO DE SARNO PARA MOSTRAR A POLÍTICA ALÉM DAS INSTITUIÇÕES Acima de tudo, seremos a reunião de projetos, movimentos e organizações que trabalham para incidir na Política de fora para dentro. O que nos une é o propósito de descobrir como construir uma sociedade mais justa, responsável e autônoma. ORGANIZADO POR UM COLETIVO INDEPENDENTE Essa é uma ação organizada por um coletivo de diversas pessoas da sociedade civil. É um evento construído de maneira colaborativa, sem nenhum tipo de ligação partidária. Não somos financiados por ninguém. Estamos fazendo tudo na base da colaboração e da empolgação e isso a gente tem de sobra. O principal recurso é você e a sua disposição em interagir conosco. UM EVENTO PARA REVER A POLÍTICA A Virada Política é um encontro anual para reunir em um mesmo espaço pensadores, ativistas e artistas. Um espaço para gente, ao mesmo tempo, aprofundar ideias, conectar ações e se inspirar. Já tivemos edições em 2014 e 2015. A VIRADA POLÍTICA
  5. 5. MAQUIAVEL O PRINCÍPE PLATÃO | ARISTÓTELES A REPÚBLICA | A POLÍTICA DUAS CORRENTES FUNDAMENTAIS DA POLÍTICA
  6. 6. O objeto principal da política é criar a amizade entre os membros da cidade. ARISTÓTELES “
  7. 7. Devemos convir que não há coisa mais difícil de se fazer, mais duvidosa de se alcançar, ou mais perigosa de se manejar do que ser o introdutor de uma nova ordem, porque quem o é tem por inimigos todos aqueles que se beneficiam com a antiga ordem, e como tímidos defensores todos aqueles a quem as novas instituições beneficiariam. MAQUIAVEL “
  8. 8. PODER EXISTE NAS RELAÇÕES CAPACIDADE DINÂMICA DE MOBILIZAR OUTROS
  9. 9. 1640 | 1789 CONCENTRAÇÃO E DECLÍNIO DO PODER
  10. 10. PODER: MAIS FÁCIL ADQUIRIR, MAIS DIFICIL DE USAR E MAIS FÁCIL DE PERDER DEMOCRACIA REDES CÉREBROS START-UPS PÓS-MATERIALISMO DEPOIS MONARQUIA HIERARQUIA MÚSCULOS GRANDES CORPORAÇÕES MATERIALISMO ANTES O FIM DO PODER
  11. 11. MOISÉS NAÍM ‣O PODER ESTÁ DECAINDO ‣AS BARREIRAS QUE O PROTEGIAM ‣ESTÃO CEDENDO ‣REVOLUÇÕES DOS M’S ‣BENEFÍCIOS E RISCOS ‣PRECISAMOS DE INOVAÇÃO POLÍTICA
  12. 12. CONTEXTO BRASILEIRO: DEMOCRACIA REPRESENTATIVA DEMOCRACIA: FORMA DE MATERIALIZAÇÃO DO FIM DO PODER DESENVOLVIMENTO CONJUNTO DOS IDEIAS DE DEMOCRACIA E DO CAPITALISMO: CONCEITOS DE IGUALDADE E LIBERDADE REPRESENTAÇÃO: ARTIFÍCIO POSSÍVEL DA DEMOCRACIA EM SOCIEDADES SUPERPOPULOSAS E HIPERESPECIALIZADAS A DUPLA DEFESA DA NECESSIDADE DA REPRESENTAÇÃO PELA IMPOSSIBILIDADE FÍSICA INTELECTUAL
  13. 13. TENTATIVA ORGANIZADA DE MUDAR POLÍTICAS, PRÁTICAS E ATITUDES APRESENTANDO EVIDÊNCIAS E ARGUMENTOS DO PORQUÊ E COMO UMA MUDANÇA DEVE ACONTECER. ADVOCACY (Open Society Foundations)
  14. 14. OUTRAS DEFINIÇÕES "Advocacy é colocar um problema na agenda, fornecendo uma solução para esse problema e construindo apoio para agir sobre ambos.” (Uma Introdução ao Advocacy : guia de treinamento , Ritu Sharma R , Academia para o Desenvolvimento da Educação) "Advocacy consiste em ações destinadas a chamar a atenção da comunidade quanto a um problema e dirigir decisores políticos para uma solução. Consiste essencialmente em atividades legais e políticas que influenciam a forma e prática de leis. Iniciativas de advocacy exigem organização, pensamento estratégico, informação, comunicação, sensibilização e mobilização.” (Manual de Direitos Humanos, Marge Schuler)
  15. 15. TENTATIVA ORGANIZADA DE MUDAR POLÍTICAS, PRÁTICAS E ATITUDES APRESENTANDO EVIDÊNCIAS E ARGUMENTOS DO PORQUÊ E COMO UMA MUDANÇA DEVE ACONTECER. LOBBY
  16. 16. INTERESSES PRIVADOS ≠ INTERESSES PÚBLICOS QUAL A DIFERENÇA ENTÃO? LOBBY ≠ ADVOCACY
  17. 17. PARTE 2
  18. 18. ‣Quais valores e princípios fundamentam a sua posição sobre o tema que você deseja trabalhar? ‣Existe uma chance razoável de sucesso? Advocacy é a melhor abordagem para isso? Além do advocacy, que outras abordagens (pesquisa, doações estratégicas, capacitação etc.) poderiam fazer a diferença? ‣Você tem a credibilidade, uma posição clara apoiada por provas e os conhecimentos que podem contribuir para esta questão? ‣Você tem algo único a dizer? Ou existem outras organizações que já cobrem este assunto? ‣Tem a certeza de que este trabalho não irá prejudicar ou contradizer o trabalho por outras partes da sua organização ou parceiros-chave? ‣Quais são os riscos envolvidos? QUESTÕES CRUCIAIS ANTES DE COMEÇAR SEU ADVOCACY
  19. 19. ‣Qual é o problema que você quer resolver? ‣Este problema é generalizado em diferentes áreas ou está concentrado a uma localidade ou país? ‣Qual é a causa raiz do problema ? ‣Que provas você tem deste problema ? ‣Quem são os outros atores tratando deste problema? Qual é a abordagem deles? ‣Você consegue apresentar provas e recomendações convincentes (normalmente resumidos em uma ou duas folhas de papel) para combater o problema? PASSO 1: PLANEJAR
  20. 20. PASSO 2: ESTABELECER META E OBJETIVO META OBJETIVO Visão para o futuro. O que se espera atingir no médio-longo prazo. Um resultado de curto-prazo que represente um passo a mais em direção à meta. Specific, Measurable, Achievable, Realistic, Time-bound.
  21. 21. ANÁLISE DE STAKEHOLDERS Alvos: tomadores de decisão; pessoas com o poder para realizar as mudanças desejadas; pessoas que influenciam as pessoas com poder Constituents: as pessoas para e com quem você trabalha Aliados: aqueles que compartilham dos seus objetivos e podem ajudar a influenciar os tomadores de decisão Oponentes: aqueles que são contrários à mudança que você deseja promover e tentarão bloqueá-la PASSO 3: MAPEANDO E ABORDANDO TOMADORES DE DECISÃO
  22. 22. PODER: MAIS FÁCIL ADQUIRIR, MAIS DIFÍCIL DE USAR E MAIS FÁCIL DE PERDER DIREITOS CAUSAS ESTRATÉGIA APRENDIZADO DE MÃO-DUPLA CIDADÃO (CONSTITUENTS) MUDANÇA VISÃO ABORDAGEM DE DIREITOS PERSPECTIVA COLETIVA NECESSIDADES SINTOMAS PROJETOS ENSINAR BENEFICIÁRIOS RESULTADOS MISSÃO TRADICIONAL PERSPECTIVA DO PROVEDOR DUAS VISÕES SOBRE DESENVOLVIMENTO
  23. 23. COMO ABORDAR UM TOMADOR DE DECISÃO: ‣ Qual o background deles? Formação, partido, relações
 ‣ Quem eles ouvem? doadores, eleitores, jornalistas, lideranças políticas
 ‣ Que tipo de argumento pode persuadi-lo? Social, econômico, democrático 
 ‣ Quais são os riscos e as vantagens para ele apoiar a sua causa? 
 ‣ Como esses argumentos devem ser apresentados? (PPT, Relatório, Cobertura de Imprensa, PDF) 
 PASSO 3: MAPEANDO E ABORDANDO TOMADORES DE DECISÃO
  24. 24. SE VOCÊ ESTIVER ABORDANDO UM TOMADOR DE DECISÃO EM UMA GRANDE ORGANIZAÇÃO OU NO GOVERNO, VOCÊ PRECISA: 
 ‣ Saber o que ele já está fazendo ou já fez sobre aquela causa ‣ Know what the individual’s role is in setting that policy ‣ Saber qual o papel dele na aprovação da mudança que você deseja ‣ Entender os limites dele ou mesmo sua habilidade em trabalhar por essa mudança ‣ Antecipar as dúvidas e os desafios para ele, para que você consiga recomendar saídas.
 
 PASSO 3: MAPEANDO E ABORDANDO TOMADORES DE DECISÃO
  25. 25. COLD CALL: QUANDO NÃO HÁ NENHUMA PONTE COM O TOMADOR DE DECISÃO PASSO 1: ‣ ligue para o gabinete/secretaria/etc: ‣ diga brevemente quem você é, o que a sua organização faz e por que você gostaria de arranjar uma reunião com o tomador de decisão ‣ seja cortês e atencioso; ‣ aproveite para checar o cargo e a pronúncia do nome do tomador de decisão ‣ dificilmente você conseguirá a reunião nessa ligação, mas se conseguir, comemore…
 PASSO 2: ‣ normalmente, a pessoa responsável por agenciar essa reunião te pedirá um email, se ela não pedir e apenas disser “que não há disponibilidade” ofereça essa sugestão ‣ escreva um carta/nota/ofício (não um email) provendo informações básicas sobre sua organização/movimento/coletivo, a causa de seu advocacy, e pedindo uma reunião para explicar mais sobre o tema ‣ espere duas semanas. Se não houver respostas, ligue educadamente de novo e procure saber se há alguma outra pessoa daquela organização/gabinete com quem você poderia falar.
 
 PASSO 3: MAPEANDO E ABORDANDO TOMADORES DE DECISÃO
  26. 26. PASSO 3: MAPEANDO E ABORDANDO TOMADORES DE DECISÃO O QUÊ? MUDANÇA NA IMPLEMENTAÇÃO DE DETERMINADA POLÍTICA PÚBLICA QUEM DETERMINADO MINISTRO OU SECRETÁRIO DE ESTADO COMO INFLUÊNCIA PELA IMPRENSA INFLUÊNCIA POR PESQUISAS E RELATÓRIOS INFLUÊNCIA POR PETIÇÕES ONLINE, TUITAÇOS CONVIDAR TOMADORES DE DECISÃO A SEMNINÁRIOS ARTICULAR COM ONGS, SINDICATOS, IGREJAS QUE POSSAM INFLUENCIAR USAR LITÍGIO ESTRATÉGICO
  27. 27. PONTOS BÁSICOS ‣ sua mensagem deve explicar o problema e suas origens, deve fornecer fortes evidências e apresentar por que os tomadores de decisão devem se importar com sua causa. ‣ nunca escreva sozinho, procure sempre apresentar a membros de seu grupo ou organização ‣ diversifique as fontes de seus dados e escolha apenas fontes confiáveis para seu interlocutor ‣ adapte a mensagem ao público e à mídia (um assessor, por exemplo, é alguém que terá muito mais tempo, disposição e conhecimento para entrar na minúcia de algumas questões; parlamentares, por outro lado, preferem trabalhar com tabelas, listas e textos de no máximo duas páginas ‣ tenha uma chamada à ação clara e concisa: os tomadores de decisão precisam saber exatamente o que fazer para ajudar a sua causa; os seus constituents também ‣ nem sempre um problema é tanto grave ou urgente a ponto de exigir ação imediata, mas suas soluções podem ter grande impacto e representar bandeiras válidas à imagem de um representante, por exemplo
 ‣ procure demonstrar por que a atual legislação/regulamentação/norma que trata do seu tema é insuficiente e por que a sua solução funcionaria 
 PASSO 4: A MENSAGEM E O PEDIDO
  28. 28. TEMPO É CRUCIAL EM ADVOCACY. DEPENDENDO DO TEMPO, UM TOMADOR DE DECISÃO PODE ESTAR MAIS OU MENOS INCLINADO A TE OUVIR. ‣ procure estabelecer um cronograma para o seu advocacy considerando os principais eventos em seu calendário. ‣ considere sempre as eleições, as votações, as audiências, os feriados, o momento político etc. 
 PASSO 5: TIMING
  29. 29. PASSO 6: ESTRATÉGIA E TÁTICAS META o propósito maior da iniciativa: melhorar a vida de pessoas de classe baixa aumentando acesso a medicamentos OBJETIVOS coisas específicas a serem atingidas a curto e médio prazo para se chegar à meta: aumentar o orçamento dos centros de saúde, introduzir políticas de medicamentos genéricos ATIVIDADES o que será feito: pesquisa sobre o tema, articulação com tomadores de decisão, lançamento de campanha pública, organização de seminários PRODUTOS o que será produzido: 2 papers publicados e distribuídos, 7 reuniões com tomadores de decisão, 1 audiência pública RESULTADOS o que você espera atingir como resultado (vale dividir em prazos): curto prazo: a causa faz parte do debate público e políticos pedindo por maior orçamento médio prazo: aumento no orçamento acordado entre os tomadores de decisão longo prazo: mais medicamentos à disposição de clínicas públicas no interior, diminuição da mortalidade infantil
  30. 30. EXPERTISE, RECURSOS, PESQUISAS. ADVOCACY É TRABALHOSO. ‣ LOBBYING: TÊTE-À-TÊTE COM TOMADOR DE DECISÃO ‣ INFLUENCIAR A PRÁTICA: MUITAS VEZES AS LEIS EXISTEM: TREINAMENTOS, RANKINGS E PREMIAÇÕES DE ROLE-MODELS SÃO EXEMPLOS DESSE TIPO DE INICIATIVA ‣ LITÍGIO: USAR O SISTEMA JUDICIÁRIO PARA GARANTIR QUE DIREITOS SÃO RESPEITADOS (MINISTÉRIO PÚBLICO, DEFENSORIA PÚBLICA, ETC) ‣ CAMPANHAS: CRIAR A AWARENESS E FERRAMENTAS PARA QUE SEUS CONSTITUENTS PRESSIONAM POR MUDANÇAS ‣ IMPRENSA: GERAR AWARENESS EM GRANDE ESCALA POR MEIO DE PUBLICAÇÕES, ARTIGOS, ENTREVISTAS ETC. ‣ PESQUISAS: ISSO NÃO É APROPRIADAMENTE ADVOCACY, MAS FAZ PARTE DA PREPARAÇÃO. ADVOGAR EM NOME DE UMA CAUSA REQUER CONHECIMENTO PACAS ‣ CAPTAR RECURSOS: ISTO É CRUCIAL. ADVOCACY TOMA SEU TEMPO. NÃO HÁ MUITAS VITÓRIAS RÁPIDAS. PREPARE-SE PARA O INVERNO. PASSO 6: ESTRATÉGIA E TÁTICAS
  31. 31. Não é fácil mensurar resultados nessa Área. Os processos são complexos, morosos e torna-se difícil medir o sucesso de uma iniciativa específica. Mas é possível trabalhar com alguns indicadores. PASSO 7: MENSURANDO E AVALIANDO RESULTADOS
  32. 32. ‣ CONSIGA COMPROMISSOS (PÚBLICOS, DE PREFERÊNCIA) DOS TOMADORES DE DECISÃO. ‣ MANTENHA-SE EM CONTATO, MAS NÃO SEJA UMA VAREJEIRA. ‣ CULTIVE A RELAÇÃO COM OS JORNALISTAS: NÃO COMEMORE UM PRESS RELEASE PUBLICADO, CONSTRUA PERSONAGENS, ENREDOS, TRAMAS. A IMPRENSA É SEDENTA POR UMA BOA HISTÓRIA. DÊ A ELA UMA. ‣ NEM SEMPRE É RUIM TER INIMIGOS. ALGUNS INIMIGOS APENAS RESPALDAM O SEU TRABALHO. ‣ SEJA TÉCNICO E ESPECÍFICO APENAS NAS OCASIÕES NECESSÁRIAS, MAS NUNCA PERCA O PROBLEMA, A SOLUÇÃO E A CHAMADA À AÇÃO DE VISTA ‣ RECONHEÇA E DÊ CRÉDITO AOS ALIADOS ‣ NÃO APENAS OUÇA SEUS CONSTITUENTS, TRABALHE COM ELES ‣ CUIDADO COM O SEU TETO DE VIDRO ‣ NOMES SÃO CRUCIAIS. APRENDA OS NOMES O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL. ‣ GANHAR NESSE JOGO É MUITO RARO. SEUS OPOSITORES ESTÃO APENAS ESPERANDO VOCÊS SE ENFRAQUECEREM. 
 
 DICAS FINAIS
  33. 33. ‣ AN INTRODUCTORY GUIDE TO SUCCESSFUL ADVOCACY, OPEN SOCIETY FOUNDATIONS ‣ ADVOCACY GUIDE, ASSOCIATION FOR SUPERVISION AND CURRICULUM DEVELOPMENT ‣ ADVOCACY AND CAMPAIGNING COURSE TOOLKIT , INTERNATIONAL NGO TRAINING AND RESEARCH CENTRE ‣ O FIM DO PODER, MOISÉS NAIM 
 
 REFERÊNCIAS
  34. 34. ESTA APRESENTAÇÃO ESTARÁ DISPONÍVEL NO SLIDESHARE A PARTIR DE SEGUNDA ENVIAREMOS PARA VOCÊS O LINK POR EMAIL ricardo.borges.martins@gmail.com OBRIGADO

×