UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO
GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA
FABIANE MACHADO DA COSTA...
FABIANE MACHADO DA COSTA
IVONETE LÔBO DE SOUZA
MARIE MARGUERITE DAUMARD FERNANDES
NEYLIANNE DA COSTA E SILVA
MANUAL DE NOR...
APRESENTAÇÃO
É com satisfação que oferecemos à comunidade acadêmica do Curso de
Biblioteconomia da Universidade Federal do...
LISTA DE ILUSTRAÇÕES
Figura 1- Estrutura do trabalho monográfico ............................................................
SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO ........................................................................................................
4.2 MARGENS..................................................................................................................
5
1 INTRODUÇÃO
É objetivo deste manual fornecer informações quanto a elaboração e
apresentação de trabalhos acadêmicos. Va...
6
Em síntese, as normas da ABNT tem o objetivo de uniformizar a produção, e
nesse conceito de produção incluem-se os traba...
7
2 MONOGRAFIA E TRABALHO ACADÊMICO
O termo monografia define o trabalho escrito, pormenorizado, em que se
pretende dar in...
8
3 ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO
A NBR 14724-2011 tem como objetivo especificar os princípios gerais para a
elaboração ...
9
3.1 PARTE EXTERNA
A capa e a lombada são os elementos que compõem a proteção externa do
trabalho acadêmico.
3.1.1 Capa
E...
10
Figura 2 - Elementos da capa
Fonte: Elaboração própria.
11
Figura 3 - Modelo de capa
Fonte: Elaboração própria.
3.1.2 Lombada
De apresentação opcional, a lombada é a parte da cap...
12
juntas de outra maneira. Geralmente é incluída quando as instituições exigem a entrega
do trabalho em capa dura.
A elab...
13
Figura 4 - Modelo de folha de rosto
Fonte: Elaboração própria.
14
3.2.2 Ficha catalográfica
No verso da folha de rosto, o trabalho obrigatoriamente deve conter a ficha
catalográfica con...
15
3.2.3 Errata
Elemento opcional consiste em uma lista dos erros observados após a impressão,
trazendo as devidas correçõ...
16
Figura 7 - Modelo de folha de aprovação
Fonte: Elaboração própria.
17
3.2.5 Dedicatória
Elemento pré-textual opcional, colocado após a folha de aprovação, não
apresenta título. Abaixo algum...
18
3.2.6 Agradecimentos
Elemento pré-textual opcional, colocado após a dedicatória, onde o autor aponta
e agradece àqueles...
19
seguida de indicação de autoria. Podem também constar epígrafes nas folhas de abertura
das seções primárias, ou seja, n...
20
do corpo do resumo, precedidas da expressão “Palavras-chave:”, separadas entre si por
pontos e finalizadas também por p...
21
Figura 12 - Modelo de resumo em língua estrangeira
Fonte: Elaboração própria.
3.2.10 Lista de ilustrações
Elemento opci...
22
devem ser ordenadas alfabeticamente. As listas devem ser colocadas em folhas
separadas. (ver Lista de Ilustrações antes...
23
3.2.12 Lista de abreviaturas e siglas
Elemento opcional, que consiste na relação alfabética de abreviaturas e siglas
ut...
24
Figura 15 - Lista de siglas
Fonte: Elaboração própria.
3.2.13 Lista de símbolos
Elemento opcional a lista de símbolos é...
25
3.2.14 Sumário
Último elemento pré-textual a ser incluso no trabalho acadêmico, de
apresentação obrigatória, segue inst...
26
Figura 17 - Numeração progressiva de sessões
Fonte: ABNT - NBR 6024 p. 3.
27
Figura 18 - Modelo de sumário
Fonte: Elaboração própria.
3.3 ELEMENTOS TEXTUAIS
Nessa parte o autor desenvolve o conteú...
28
E finalmente deve ser apresentada uma conclusão a respeito do que foi exposto
no desenvolvimento. Pode-se também aprese...
29
Segue as mesmas regras do anexo para apresentação. Deve ser identificado pela
palavra APÊNDICE, travessão e ordem alfab...
30
não se incluem no texto para não prejudicar a sequencia lógica da leitura.
O(s) anexo(s) deve(m) ser citado(s) no texto...
31
4 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO
Os trabalhos acadêmicos devem ser elaborados conforme a NBR 14724/2011.
4.1 FONTE E FOR...
32
4.4 TÍTULOS
Os trabalhos acadêmicos são divididos em sua maioria por seções. A NBR 6024
estabelece alguns requisitos de...
33
5 CITAÇÕES
Citação é a menção de uma informação extraída de outra fonte. A NBR 10520
tem como objetivo especificar as c...
34
“Os estudos de caso têm por objetivo ‘aprofundar’ a descrição de determinada
realidade.” (TRIVIÑOS, 1987, p. 110)
A cha...
35
5.2.5 Acréscimos à citação
Acréscimos são observações ou explicações colocadas por quem está fazendo a
citação, para me...
36
Na citação de trabalhos não publicados, ou em elaboração, estes fatos devem ser
indicados entre parênteses, logo após a...
37
6 REFERÊNCIAS
A NBR 6023 da ABNT, define referência como o conjunto padronizado de
elementos descritivos (essenciais e ...
38
 Padronizar as abreviaturas dos prenomes dos autores e títulos de periódicos
(manter padrão: ou todos por extenso ou t...
39
Exemplo:
NASCIMENTO, Arlindo Moraes do. Formação e suspensão do vínculo de
emprego. In: ______. Iniciação ao direito do...
40
Quando a publicação não apresenta indicação de autoria nem qualquer outro
responsável pela organização da obra, a entra...
41
i) Trabalhos acadêmicos e apostilas
Modelo:
SOBRENOME, Nome. Título: subtítulo. Local: Departamento, data. Número de
pá...
42
7 ARTIGOS CIÊNTÍFICOS
“Artigo científico é parte de uma publicação com autoria declarada, que
apresenta e discute idéia...
43
• Título: deve estar em letra maiúscula e centralizado, na página de abertura do
artigo; subtítulo, se houver, deve ser...
44
7.2.3 Elementos pós-textuais
•Referências: lista ordenada de documentos efetivamente citados no texto que
permitem a id...
45
REFERÊNCIAS
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6022: informação e
documentação: artigo em publicação periódi...
MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

221 visualizações

Publicada em

Manual de Normalização para trabalhos acadêmicos

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
221
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA FABIANE MACHADO DA COSTA IVONETE LÔBO DE SOUZA MARIE MARGUERITE DAUMARD FERNANDES NEYLIANNE DA COSTA E SILVA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS FORTALEZA 2015
  2. 2. FABIANE MACHADO DA COSTA IVONETE LÔBO DE SOUZA MARIE MARGUERITE DAUMARD FERNANDES NEYLIANNE DA COSTA E SILVA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS Trabalho apresentado à disciplina de Normalização do Curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Ceará como requisito parcial para a obtenção de nota, sob a orientação da Profa. Ma. Maria Áurea Montenegro. FORTALEZA 2015
  3. 3. APRESENTAÇÃO É com satisfação que oferecemos à comunidade acadêmica do Curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Ceará(UFC) este manual de normalização, objetivando orientar o usuário na elaboração e apresentação de trabalhos acadêmicos. Resultado de pesquisa realizada pela equipe formada por estudantes da disciplina de Normalização sob orientação da Professora Mª. Áurea Montenegro do Curso de Biblioteconomia da UFC. Pretendemos explanar de maneira clara e didática facilitando a compreensão das instruções a serem seguidas. Ressaltamos que o manual segue as versões mais recentes das normas de documentação da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Nossa expectativa, ao disponibilizar este material, é melhorar a qualidade dos trabalhos produzidos no âmbito universitário, tanto por professores quanto por alunos. A pesquisa científica e a elaboração de trabalhos acadêmicos, como qualquer outra atividade humana, precisam de regras para nortear a divulgação mais ampla dos resultados. Desta forma, uma boa normalização é de fundamental importância para facilitar a difusão e a consulta desse material. Esperamos que as orientações aqui contidas sejam úteis nos seus trabalhos. A equipe Fabiane Machado da Costa Ivonete Lobo de Souza Marie Marguerite Daumard Fernandes Neylianne da Costa e Silva
  4. 4. LISTA DE ILUSTRAÇÕES Figura 1- Estrutura do trabalho monográfico ................................................................... 8 Figura 2 - Elementos da capa ......................................................................................... 10 Figura 3 - Modelo de capa.............................................................................................. 11 Figura 4 - Modelo de folha de rosto ............................................................................... 13 Figura 5 - Modelo de ficha catalográfica........................................................................ 14 Figura 6 - Modelo de errata............................................................................................ 15 Figura 7 - Modelo de folha de aprovação....................................................................... 16 Figura 8 - Modelo de dedicatória ................................................................................... 17 Figura 9 - Modelo de agradecimentos ............................................................................ 18 Figura 10 - Modelo de epígrafe...................................................................................... 19 Figura 11 - Modelo de resumo ....................................................................................... 20 Figura 12 - Modelo de resumo em língua estrangeira................................................... 21 Figura 13 - Lista de tabelas............................................................................................. 22 Figura 14 - Lista de abreviaturas.................................................................................... 23 Figura 15 - Lista de siglas .............................................................................................. 24 Figura 16 - Lista de símbolos ......................................................................................... 24 Figura 17 - Numeração progressiva de sessões.............................................................. 26 Figura 18 - Modelo de sumário ...................................................................................... 27 Figura 19 - Modelo de apêndice..................................................................................... 29
  5. 5. SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO ........................................................................................................... 5 1.1 ABNT E NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS.......................... 5 2 MONOGRAFIA E TRABALHO ACADÊMICO .................................................... 7 3 ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO..................................................... 8 3.1 PARTE EXTERNA.................................................................................................... 9 3.1.1 Capa........................................................................................................................ 9 3.1.2 Lombada............................................................................................................... 11 3.2 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS ............................................................................. 12 3.2.1 Folha de rosto....................................................................................................... 12 3.2.2 Ficha catalográfica .............................................................................................. 14 3.2.3 Errata.................................................................................................................... 15 3.2.4 Folha de aprovação.............................................................................................. 15 3.2.5 Dedicatória ........................................................................................................... 17 3.2.6 Agradecimentos ................................................................................................... 18 3.2.7 Epígrafe ................................................................................................................ 18 3.2.8 Resumo na língua vernácula............................................................................... 19 3.2.9 Resumo em língua estrangeira ........................................................................... 20 3.2.10 Lista de ilustrações ............................................................................................ 21 3.2.11 Lista de quadros e tabelas................................................................................. 22 3.2.12 Lista de abreviaturas e siglas............................................................................ 23 3.2.13 Lista de símbolos................................................................................................ 24 3.2.14 Sumário .............................................................................................................. 25 3.3 ELEMENTOS TEXTUAIS...................................................................................... 27 3.4 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS ............................................................................. 28 3.4.1 Referências ........................................................................................................... 28 3.4.2 Glossário............................................................................................................... 28 3.4.3 Apêndice ............................................................................................................... 28 3.4.4 Anexos................................................................................................................... 29 3.4.5 Índices................................................................................................................... 30 4 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO ........................................................... 31 4.1 FONTE E FORMATAÇÃO..................................................................................... 31
  6. 6. 4.2 MARGENS............................................................................................................... 31 4.3 ENTRELINHAS....................................................................................................... 31 4.4 TÍTULOS ................................................................................................................. 32 4.5 PAGINAÇÃO........................................................................................................... 32 5 CITAÇÕES ................................................................................................................ 33 5.1 TIPOS DE CITAÇÕES ............................................................................................ 33 5.2 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO............................................................ 33 5.2.1 Citação direta....................................................................................................... 33 5.2.2 Citação curta (até três linhas)............................................................................. 33 5.2.3 Citação longa (mais de três linhas) .................................................................... 34 5.2.4 Supressão de partes da citação........................................................................... 34 5.2.5 Acréscimos à citação............................................................................................ 35 5.2.6 Destaques, tradução e notas complementares ▪ ............................................... 35 5.2.7 Citação indireta (ou paráfrase) .......................................................................... 36 5.2.8 Citação de citação................................................................................................ 36 6 REFERÊNCIAS ........................................................................................................ 37 6.1 EXEMPLOS DE REFERÊNCIAS........................................................................... 38 7 ARTIGOS CIÊNTÍFICOS ....................................................................................... 42 7.1 FORMATO DO ARTIGO........................................................................................ 42 7.2 ESTRUTURA DO ARTIGO................................................................................... 42 7.2.1 Elementos pré-textuais........................................................................................ 42 7.2.2 Elementos textuais............................................................................................... 43 7.2.3 Elementos pós-textuais........................................................................................ 44 REFERÊNCIAS ........................................................................................................... 45
  7. 7. 5 1 INTRODUÇÃO É objetivo deste manual fornecer informações quanto a elaboração e apresentação de trabalhos acadêmicos. Vale salientar que todas as recomendações estão de acordo com as regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) em vigor, sendo comentadas as seguintes normas de documentação: • NBR 6022 (2003) Artigo em publicação periódica científica impressa – Apresentação. • NBR 6023 (2002) Referências – Elaboração. • NBR 6024 (2012) Numeração progressiva das seções de um documento – Apresentação. • NBR 6027 (2012) Sumário – Apresentação. • NBR 6028 (2003) Resumo – Apresentação. • NBR 10520 (2002) Citações em documentos – Apresentação. • NBR 14724 (2011) Trabalhos acadêmicos – Apresentação. • 1.1 ABNT E NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS Para atender os questionamentos a respeito da importância e necessidade de elaboração e apresentação de trabalhos acadêmicos seguindo as normas da ABNT, primeiramente deve-se entender o que é a ABNT. A Associação Brasileira de Normas Técnicas, cuja sigla é ABNT, é uma entidade privada, fundada em 1940, reconhecida como o único Fórum Nacional responsável pela normalização técnica do país, cujo ideal é a efetiva contribuição para o desenvolvimento tecnológico brasileiro. Representante no Brasil de outras entidades internacionais, tais como a ISO (International Organization for Standardization), a IEC (International Electrotechnical Comission); e COPANT (Comissão Pan-americana de Normas Técnicas) e a AMN (Associação Mercosul de Normalização). Todas essas organizações e as dos outros países são fundamentais para viabilizar o comércio exterior, pois as normas regulamentadoras definem os parâmetros de qualidade e segurança dos equipamentos, peças e serviços, emitindo uma certificação que garante o padrão de qualidade.
  8. 8. 6 Em síntese, as normas da ABNT tem o objetivo de uniformizar a produção, e nesse conceito de produção incluem-se os trabalhos acadêmicos. Desse modo, toda e qualquer produção científica oficial apresentada no Brasil, como projetos de pesquisa, TCC (trabalhos de conclusão de curso), artigos científicos, devem ser elaborados de acordo com as recomendações das Normas Técnicas Registradas(NBR).de Informação e Documentação. As normas constituem-se de preceitos (regras, princípios) a serem seguidos, visando a obtenção da qualidade formal na produção científica. Os padrões são modelos de formatação recomendados, com base nas próprias diretrizes da ABNT, que podem ou não ser acatados. O Comitê Brasileiro 14, conhecido como CB-14, é responsável pela documentação. Atua na normalização nos campos de finanças, bancos, seguros, comércio, administração e documentação, compreendendo práticas adotadas em bibliotecas, centros de documentação e de informações, no que concerne a terminologia, requisitos, serviços e generalidades.
  9. 9. 7 2 MONOGRAFIA E TRABALHO ACADÊMICO O termo monografia define o trabalho escrito, pormenorizado, em que se pretende dar informação completa sobre algum tema particular de uma área de conhecimento. A ABNT amplia o conceito, ao considerar como monografia o “item não seriado, isto é, item completo, constituído de uma só parte, ou que se pretende completar em um número preestabelecido de partes separadas”, incluindo “livro e/ou folheto (manual, guia, catálogo, enciclopédia, dicionário etc.) e trabalhos acadêmicos (teses, dissertações, entre outros)” (ABNT NBR 6023:2002, p. 2 e 3). Constata-se, então, que o termo monografia assume definição restrita ou ampliada dependendo do ambiente de utilização. Nesse manual priorizamos as exemplificações para Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), mais precisamente as Monografias. No entanto, acreditamos que as orientações podem ser aplicadas em diversos tipos de trabalhos acadêmicos.. .
  10. 10. 8 3 ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO A NBR 14724-2011 tem como objetivo especificar os princípios gerais para a elaboração de trabalhos acadêmicos (teses, dissertações e outros), visando sua apresentação à instituição (banca examinadora de professores, especialistas designados e/ou outros). A estrutura básica de um trabalho acadêmico tem três grandes divisões: elementos pré-textuais, elementos textuais e elementos pós-textuais. Na figura 1 é mostrada a distribuição desses elementos na estrutura dos trabalhos acadêmicos. Figura 1- Estrutura do trabalho monográfico Fonte: Elaboração própria.
  11. 11. 9 3.1 PARTE EXTERNA A capa e a lombada são os elementos que compõem a proteção externa do trabalho acadêmico. 3.1.1 Capa Elemento obrigatório para proteção externa do trabalho, expõe as primeiras informações do trabalho acadêmico. A capa poderá mudar de instituição para instituição ou conforme a natureza do trabalho, por isso a instituição possui autoridade para definir padrões diferentes de apresentação. Apresentamos um modelo adotado pela Universidade Federal do Ceará, que segue basicamente a seguinte estrutura: a) Nome da Instituição: sempre em caixa alta (letra maiúscula) e na primeira linha da página. b) Autor: entre dois e quatro espaços de 1,5 entrelinhas. Caso haja mais de um autor, colocar um nome por linha. c) Título: O título fica aproximadamente no centro da página. Caso haja subtítulo deve vir logo após o título separado por dois pontos. d) Local e ano: cidade onde será apresentado o trabalho e logo abaixo o ano de apresentação. A linha que contém o ano deve ser a última da capa.
  12. 12. 10 Figura 2 - Elementos da capa Fonte: Elaboração própria.
  13. 13. 11 Figura 3 - Modelo de capa Fonte: Elaboração própria. 3.1.2 Lombada De apresentação opcional, a lombada é a parte da capa do projeto que reúne as margens internas das folhas, sejam elas costuradas, grampeadas, coladas ou mantidas
  14. 14. 12 juntas de outra maneira. Geralmente é incluída quando as instituições exigem a entrega do trabalho em capa dura. A elaboração seguindo a NBR 12225/2004 recomenda o uso das seguintes informações: a) nome do autor; b) título do trabalho impresso da mesma forma que o autor; c) elementos alfanuméricos de identificação de volume, fascículo e data, se houver. Recomenda-se a reserva de um espaço, se possível de 30 mm, na borda inferior da lombada, sem comprometer as informações ali contidas, para a colocação de etiqueta de identificação que possibilitem a localização do documento (número de chamada da biblioteca) sem comprometer a visualização das informações. Contudo, as instituições podem solicitar tipos de apresentações diferentes. 3.2 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Elementos pré-textuais são assim denominados, pois antecedem o texto com informações que ajudam na identificação e utilização do trabalho. 3.2.1 Folha de rosto Digitado no anverso da página, elemento obrigatório que contém dados essenciais à identificação do trabalho. Devem figurar na seguinte ordem: a) nome do autor(a); b) título e o subtítulo (se houver);se houver subtítulo separado do titulo por dois pontos; c) natureza (monografia, trabalho de conclusão e outros) e objetivo (aprovação em disciplina, grau pretendido e outros), nome da instituição a que é submetido e orientador; d) local (cidade); e) ano.
  15. 15. 13 Figura 4 - Modelo de folha de rosto Fonte: Elaboração própria.
  16. 16. 14 3.2.2 Ficha catalográfica No verso da folha de rosto, o trabalho obrigatoriamente deve conter a ficha catalográfica conforme o Código de Catalogação Anglo Americano (AACR2). Caso o aluno não possua conhecimentos para elaborá-la, poderá informar-se nas Bibliotecas Universitárias sobre o procedimento de solicitação de ficha catalográfica antes da encadernação do trabalho monográfico definitivo. Figura 5 - Modelo de ficha catalográfica Fonte: Elaboração própria.
  17. 17. 15 3.2.3 Errata Elemento opcional consiste em uma lista dos erros observados após a impressão, trazendo as devidas correções. Apresenta-se quase sempre em papel A4 avulso ou encartado, acrescido ao trabalho depois de impressão. A errata se houver deverá ser inserida logo após a folha de rosto. Figura 6 - Modelo de errata Fonte: Elaboração própria. 3.2.4 Folha de aprovação Elemento obrigatório, a folha de aprovação vem após a folha de rosto e deve conter os elementos abaixo: a) nome do (a) autor (a); b) título e o subtítulo (se houver); c) Natureza, objetivo, nome da instituição a que o trabalho é submetido, área de concentração, data de aprovação; d) Expressão ―BANCA EXAMINADORA; e) Nome do (a) orientador (a), com a respectiva titulação, instituição a que pertence e assinatura; bem como os nomes dos professores (as) componentes da banca examinadora, com a respectiva titulação, instituição a que pertencem e assinatura. Deve-se também atentar para os diferentes tipos de espaçamento e outras formatações.
  18. 18. 16 Figura 7 - Modelo de folha de aprovação Fonte: Elaboração própria.
  19. 19. 17 3.2.5 Dedicatória Elemento pré-textual opcional, colocado após a folha de aprovação, não apresenta título. Abaixo algumas recomendações e modelo:  Usar forma simples e direta.  A forma poética é permitida.  Não usar mais do que uma página.  Colocar no terço inferior à direita. Figura 8 - Modelo de dedicatória Fonte: Elaboração própria.
  20. 20. 18 3.2.6 Agradecimentos Elemento pré-textual opcional, colocado após a dedicatória, onde o autor aponta e agradece àqueles que contribuíram, direta ou indiretamente, na construção do TCC. Abaixo algumas recomendações:  Linguagem clara, direta e concisa;  Especificar os nomes daqueles(as) a quem se agradece;  Centralizar o título (AGRADECIMENTOS). Figura 9 - Modelo de agradecimentos Fonte: Elaboração própria. 3.2.7 Epígrafe Elemento pré-textual opcional, é colocado após os agradecimentos (se houver), ou anteriormente ao resumo(elemento obrigatório). Apresenta uma citação (não usar itálico), relacionada ao escopo do trabalho, ou que o tenho inspirado durante mesmo,
  21. 21. 19 seguida de indicação de autoria. Podem também constar epígrafes nas folhas de abertura das seções primárias, ou seja, nos inícios dos capítulos. Figura 10 - Modelo de epígrafe Fonte: Elaboração própria. 3.2.8 Resumo na língua vernácula O resumo na língua vernácula, no nosso caso, em língua portuguesa, é elemento pré-textual obrigatório e consiste na apresentação breve dos pontos relevantes do trabalho, ressaltando o problema estudado, os objetivos, os procedimentos metodológicos, os principais resultados, conclusões e palavras-chave. Segundo a NBR 6028/2003, norma que trata das orientações de elaboração de resumos em geral, o resumo deve ser redigido em texto corrido (sem parágrafos e sem alíneas), estender-se no máximo até 500 palavras e conter no mínimo 150 em trabalhos acadêmicos. As palavras-chave são palavras representativas do conteúdo do trabalho e servem para orientar a busca eletrônica nas bases de dados. Devem figurar logo abaixo
  22. 22. 20 do corpo do resumo, precedidas da expressão “Palavras-chave:”, separadas entre si por pontos e finalizadas também por ponto. Figura 11 - Modelo de resumo Fonte: Elaboração própria. 3.2.9 Resumo em língua estrangeira Constitui uma versão do resumo para idioma de divulgação internacional, sendo mais utilizados os idiomas inglês(abstract), francês(résumé) e espanhol(resumen). Obrigatoriamente localizado após o resumo em língua vernácula, sua redação e formatação obedece às mesmas orientações.
  23. 23. 21 Figura 12 - Modelo de resumo em língua estrangeira Fonte: Elaboração própria. 3.2.10 Lista de ilustrações Elemento opcional, referem-se à desenhos, esquemas, fluxogramas, fotografias, gráficos, mapas, organogramas, que devem ser elaborados de acordo com a ordem apresentada no texto, acompanhados do respectivo número de página. Quando necessário recomenda-se uma lista para cada tipo de ilustração. Neste caso, estas listas
  24. 24. 22 devem ser ordenadas alfabeticamente. As listas devem ser colocadas em folhas separadas. (ver Lista de Ilustrações antes do Sumário desse trabalho) 3.2.11 Lista de quadros e tabelas Elemento opcional demonstrativo de síntese que constitui unidade autônoma, elaborado de acordo com a ordem apresentada no texto, acompanhado do respectivo número de página. Figura 13 - Lista de tabelas Fonte: Elaboração própria.
  25. 25. 23 3.2.12 Lista de abreviaturas e siglas Elemento opcional, que consiste na relação alfabética de abreviaturas e siglas utilizadas no texto, seguidas das palavras ou expressões correspondentes grafadas por extenso. Figura 14 - Lista de abreviaturas Fonte: Elaboração própria.
  26. 26. 24 Figura 15 - Lista de siglas Fonte: Elaboração própria. 3.2.13 Lista de símbolos Elemento opcional a lista de símbolos é elaborada de acordo com a ordem em que os símbolos aparecem no texto, com o devido significado. Figura 16 - Lista de símbolos Fonte: Elaboração própria.
  27. 27. 25 3.2.14 Sumário Último elemento pré-textual a ser incluso no trabalho acadêmico, de apresentação obrigatória, segue instruções da própria norma de apresentação de sumário a NBR 6027 de 2012 e da NBR 6024 de 2012, norma para apresentação de numeração progressiva das seções de um documento. Consiste na enumeração das principais divisões, seções e outras partes, na mesma ordem em que a matéria nele se sucede, ou seja, dos títulos. Não confundir com o índice que consiste na enumeração detalhada dos assuntos, nomes de pessoas, nomes geográficos, acontecimentos, e etc., com a indicação de sua colocação do texto. a) a palavra sumário deve ser centralizada, em maiúsculo e negrito e deve está localizada no topo da página; b) a formatação dos itens do sumário deve estar de acordo com os itens que fazem parte do texto; c) os elementos pré-textuais não devem fazer parte do sumário; d) todos os indicativos das seções que compõem o sumário devem ser alinhados a esquerda; e) a paginação deve estar alinhada a direita. Exemplos de apresentação de título: 1 SEÇÃO PRIMÁRIA - TODO EM NEGRITO E LETRAS MAIÚSCULAS 1.1 SEÇÃO SECUNDÁRIA - MAIÚSCULAS SIMPLES 1.1.1 Seção Terciária - Todo em negrito caixa baixa 1.1.1 Seção Quaternária - Em negrito e itálico 1.1.1.1 Seção Quinária - Todo em itálico
  28. 28. 26 Figura 17 - Numeração progressiva de sessões Fonte: ABNT - NBR 6024 p. 3.
  29. 29. 27 Figura 18 - Modelo de sumário Fonte: Elaboração própria. 3.3 ELEMENTOS TEXTUAIS Nessa parte o autor desenvolve o conteúdo do seu trabalho. Os elementos textuais contêm uma parte introdutória, onde se expõe o tema do trabalho, o problema a ser abordado, a(s) hipótese(s) quando couber(em), bem como o(s)objetivo(s) a ser(em) atingido(s) e a(s) justificativa(s). É necessário que sejam indicados o referencial teórico que o embasa, a metodologia a ser utilizada, assim como os recursos e o cronograma necessários a sua consecução. No desenvolvimento, o tema do trabalho é exposto e discutido.
  30. 30. 28 E finalmente deve ser apresentada uma conclusão a respeito do que foi exposto no desenvolvimento. Pode-se também apresentar possíveis soluções para os problemas expostos na conclusão, buscando prováveis resultados. 3.4 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS Os elementos pós-textuais são: referências, glossário, apêndices, anexos e índices. Sucedem o texto e complementam o trabalho, na ordem em que se seguem. 3.4.1 Referências Elemento obrigatório. As referências formam o conjunto de informações que permitem identificar as publicações citadas no trabalho. Elas devem ser relacionadas em lista própria, como elemento pós-textual, ou seja, após o texto da pesquisa, e deve incluir todas as fontes efetivamente utilizadas para a elaboração do trabalho (ver lista de referências ao final do trabalho). As referências devem ser digitadas em espaçamento simples, em ordem alfabética de autor (sobrenome do autor) e separadas entre si por espaço simples.Devem ser alinhadas a esquerda da página O capítulo 6(seis) desse trabalho (p.37) aborda exclusivamente orientações específicas para a elaboração de referências. 3.4.2 Glossário Consiste numa relação de palavras ou de expressões técnicas de uso restrito ou que são pouco conhecidas, utilizadas no texto, acompanhadas das respectivas definições. Deve ser ordenado alfabeticamente. 3.4.3 Apêndice O apêndice é um elemento opcional que consiste em texto ou documento elaborado pelo autor, a fim de complementar sua argumentação, sem prejuízo da unidade nuclear do trabalho. (ABNT, 2002).
  31. 31. 29 Segue as mesmas regras do anexo para apresentação. Deve ser identificado pela palavra APÊNDICE, travessão e ordem alfabética, acompanhado de seus respectivos títulos. Aparece no topo da folha, em alinhamento centralizado e deve ter a paginação sequencial do trabalho. Em caso de mais de um, uma lista de apêndices deve ser elaborada e constar da parte pré-textual do trabalho. Figura 19 - Modelo de apêndice Fonte: Elaboração própria. 3.4.4 Anexos É um elemento opcional que consiste em texto ou documento não elaborado pelo autor, que serve de fundamentação, comprovação e ilustração (ABNT, 2002),mas que
  32. 32. 30 não se incluem no texto para não prejudicar a sequencia lógica da leitura. O(s) anexo(s) deve(m) ser citado(s) no texto, entre parênteses, quando vier no final da frase ou sem ser inserido na redação. Os anexos devem aparecer em folhas distintas, identificados pela palavra ANEXO, travessão e ordem alfabética, acompanhado de seus respectivos títulos. Aparecem no topo da folha, em alinhamento centralizado e devem ter a paginação sequencial do trabalho. Em caso de mais de dois, uma lista de anexos deve ser elaborada e constar da parte pré-textual do trabalho. Exemplos: ANEXO A – Representação gráfica do índice de evasão nas escolas em 2001 ANEXO B – Representação gráfica do índice de evasão nas escolas em 2002 3.4.5 Índices Elemento opcional, Consiste numa lista de palavras ou frases, ordenadas alfabeticamente (autor, título ou assunto) ou sistematicamente (por classes ou data), que localiza e remete para as informações contidas no texto. A norma que trata de elaboração de índices é a NBR 6034 de 2004.
  33. 33. 31 4 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO Os trabalhos acadêmicos devem ser elaborados conforme a NBR 14724/2011. 4.1 FONTE E FORMATAÇÃO Os trabalhos acadêmicos devem ser digitados na cor preta (ficando livre o uso de cores para as ilustrações), em papel branco ou reciclado, fonte tamanho12 para todo o trabalho, inclusive capa, excetuando-se citações com mais de três linhas, notas de rodapé, legendas e fontes das ilustrações e tabelas, que devem ser em tamanho menor e uniforme, geralmente tamanho 10. Convencionalmente utilizam-se as fontes Time News Roman ou Arial. Os elementos pré-textuais devem sempre iniciar no anverso da folha, com exceção da ficha catalográfica que deve ser apresentada no verso da folha de rosto. Os elementos textuais e pós-textuais podem ser digitados no anverso e verso das folhas. 4.2 MARGENS Para o anverso as margens devem ser esquerda e superior de 3cm e direita e inferior de 2cm. Para o verso, direita e superior de 3 cm e esquerda e inferior de 2 cm. 4.3 ENTRELINHAS Usa-se espaço 1,5 entrelinhas nos elementos textuais e espaço simples nas citações com mais de três linhas, notas de rodapé, referências, legendas e tabelas, natureza do trabalho ou do projeto na folha de rosto. As referências ao final do trabalho ou projeto devem ser separadas entre si por um espaço simples em branco. Os títulos das seções em relação ao texto que o sucede e os títulos das subseções em relação aos textos que os precede ou sucede devem ser separados por um espaço 1,5 entrelinhas em branco.
  34. 34. 32 4.4 TÍTULOS Os trabalhos acadêmicos são divididos em sua maioria por seções. A NBR 6024 estabelece alguns requisitos de apresentação que caracterizam a divisão das seções. Estas seções devem ser feitas de maneira clara e precisam expor, numa sequência lógica, por ordem de importância, o inter-relacionamento com o conteúdo, de modo a permitir a localização imediata de cada parte do texto. Segundo a NBR 6024:2012:  os títulos das partes (seções) em que se divide o trabalho devem ser precedidos de um indicativo numérico segundo o sistema de numeração progressiva, sempre alinhados à esquerda, e começar sempre por um numero inteiro;  utilizar números arábicos para enumeração das seções/subseções, bem como o ponto para divisão e consequente subordinação das seções;  o indicativo de seção precede o título, dele separado por um espaço de um caractere;não deve ser utilizado qualquer sinal (hífen, travessão ou ponto) entre o indicativo numérico da seção e o seu título; não se usa ponto final em títulos e subtítulos;  a apresentação das seções e subseções (títulos e subtítulos) deve ser diferenciada tipograficamente utilizando recursos como negrito, itálico, grifo, caixa alta, versalete, dentre outros. A escolha é livre, desde que seja padronizada no trabalho todo;  os títulos sem indicativo numérico (ilustrações, sumário, resumo, referências e outros) devem ser centralizados na página;  no sumário, os títulos das seções e sua enumeração devem estar na mesma ordem e grafia do corpo do texto. 4.5 PAGINAÇÃO a) Todas as folhas do trabalho, a partir da folha de rosto, devem ser contadas sequencialmente, mas nem todas são numeradas; b) A numeração é colocada apenas a partir da primeira folha textual (ou seja, o texto do trabalho propriamente dito ou a "introdução") em algarismos arábicos, no canto superior direito da folha, a 2 cm da borda superior;
  35. 35. 33 5 CITAÇÕES Citação é a menção de uma informação extraída de outra fonte. A NBR 10520 tem como objetivo especificar as características exigíveis para apresentação de citações em documentos. As citações podem aparecer no texto e em notas de rodapé. 5.1 TIPOS DE CITAÇÕES Existem três tipos de citação: ▪ Citação direta: transposição literal de um texto de outro autor, no todo ou em parte. ▪ Citação indireta: apresentação do conteúdo de um trecho de outro autor, sem transcrição literal. ▪ Citação de citação: citação direta ou indireta de outro autor ao qual não se teve acesso no original, mas sim através de outra citação. 5.2 REGRAS GERAIS DE APRESENTAÇÃO Há várias regras gerais de apresentação que devem ser respeitadas: 5.2.1 Citação direta Em qualquer citação direta devem constar: sobrenome do autor ano de publicação do trabalho, número da página de onde foi retirada a citação. 5.2.2 Citação curta (até três linhas) Se a citação tiver até 3 linhas, deve ser feita no próprio texto, entre aspas duplas. Se já houver partes entre aspas no original citado, estas devem ser indicadas por aspas simples. Exemplos: De acordo com Triviños (1987, p. 110), “Os estudos de caso têm por objetivo ‘aprofundar’ a descrição de determinada realidade.”
  36. 36. 34 “Os estudos de caso têm por objetivo ‘aprofundar’ a descrição de determinada realidade.” (TRIVIÑOS, 1987, p. 110) A chamada do(s) autor(es) pode ser feita antes ou depois da citação. 5.2.3 Citação longa (mais de três linhas) ▪ A citação com mais de três linhas é feita sem aspas e deve ser diferenciada do texto através dos seguintes destaques: (a) recuo de 4 cm a partir da margem esquerda; (b) letra menor do que a utilizada no texto e (c) espaçamento simples. ▪ Se houver partes entre aspas no original a ser citado, estas são transpostas normalmente para a citação. Exemplo: No estudo experimental, pensa-se que, se o sujeito é submetido à variável independente A, atinge um resultado B. O problema consiste em “manipular” a variável A para observar de que maneira muda ou é afetada a variável B. (TRIVIÑOS, 1987, p. 111). 5.2.4 Supressão de partes da citação ▪ A supressão de palavras ou frases da citação é representada pelo sinal de reticências colocado entre colchetes. Exemplo: De acordo com Severino (1986, p. 157), “[...] impõe-se um estilo sóbrio e preciso [...]. A terminologia técnica só é usada [...] em trabalhos especializados, [...] em que já se tornou terminologia básica. ▪ A supressão de um ou mais parágrafos dentro de uma citação é indicada por uma linha pontilhada da mesma largura da citação. Exemplo: A diferença entre tese e monografia está subentendida, ainda que não esteja expressa nos regulamentos dos cursos de pós-graduação. .................................................................................... Somos de parecer que ambos os termos diferem entre si formal e substancialmente. (SPINA, 1985, p. 7-8).
  37. 37. 35 5.2.5 Acréscimos à citação Acréscimos são observações ou explicações colocadas por quem está fazendo a citação, para melhorar a compreensão de alguma passagem do texto citado. Devem ser feitas entre colchetes, tanto para citações longas (mais de três linhas) como para citações curtas (até três linhas). Exemplo: De acordo com Spina (1985, p. 7-8), “os trabalhos de grau [tese, dissertação e monografia] apresentam diferenças que devem ser bem explicadas”. 5.2.6 Destaques, tradução e notas complementares ▪ Para se fazer algum destaque na citação, grifa-se a parte a ser destacada, seguindo-se a expressão grifo nosso, logo após a informação do autor, ano e página, dentro dos parênteses. Caso o destaque já faça parte do original transcrito, usa-se a expressão grifo do autor. Exemplo: Como afirma Pimentel (2001, p. 129, grifo nosso), “A escravidão acabava se tornando desejada pelo escravo”. Quando a citação é uma tradução do original, coloca-se após a chamada da citação a expressão tradução nossa. Quando a informação citada foi obtida através de palestras, debates, comunicações etc., colocar entre parênteses, após a citação, a expressão “informação verbal”, e em nota de rodapé, detalhes como: nome do informante, local, data, evento etc. Exemplo: No texto: “A receita tributária do país cresceu de forma constante nos últimos 3 anos” (Informação verbal) ¹. No rodapé: _______________ ¹Palestra do Prof. Júlio Monteiro, no auditório da FIEC, dia 29/07/2005.
  38. 38. 36 Na citação de trabalhos não publicados, ou em elaboração, estes fatos devem ser indicados entre parênteses, logo após a citação, usando-se também uma nota de rodapé para apresentar mais detalhes, se for o caso. 5.2.7 Citação indireta (ou paráfrase) É a interpretação e apresentação do conteúdo de um trecho do trabalho de outro autor, sem transcrição literal. ▪ Nas citações indiretas não é necessário usar aspas. ▪ A indicação do número da(s) página(s) dos trechos citados é opcional. ▪ O sobrenome do autor e o ano são obrigatórios. 5.2.8 Citação de citação É a citação de um trecho de uma obra à qual não se teve acesso no original, mas através de outro trabalho que já continha a citação transcrita. Deve ser indicada da seguinte forma: ▪ Sobrenome do autor original, ano e número da página que constam na citação, seguido da palavra latina apud (pronuncia-se ápud; significa: em). ▪ Sobrenome do autor da obra consultada, ano de publicação e número da página. É este autor que aparece na lista de referências. Exemplo: Segundo Brandão (1992, p. 21 apud MESQUITA, 1994, p. 6), “[...] nem sempre se observa a convergência dos objetivos das políticas econômicas.” Esta forma indica que o trecho citado é de Brandão (1992, p. 21) mas foi lido no trabalho de Mesquita (1994, p. 6), que fez a citação do trabalho de Brandão. Como forma alternativa, pode-se colocar: Segundo Brandão (1992, p. 21) citado por Mesquita (1994, p. 6), “[...] nem sempre se observa a convergência dos objetivos das políticas econômicas”.
  39. 39. 37 6 REFERÊNCIAS A NBR 6023 da ABNT, define referência como o conjunto padronizado de elementos descritivos (essenciais e complementares), retirados de um documento, que permite sua identificação individual. a) As referências serão alinhadas somente à margem esquerda do texto, em espaço simples e separadas entre si por um espaço simples ou dois espaços simples (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 2002b); b) Elementos essenciais são indispensáveis à identificação de um documento: autor(es), título, local, editora e data de publicação. Caso não se tenha autoria declarada, a entrada será pela primeira palavra do título em caixa-alta, sem negrito. O termo anônimo não deve ser usado em substituição do nome do autor desconhecido. c) No caso de obra de um mesmo autor referenciada, sucessivamente na mesma página, devem-se substituir as referências seguintes por um traço sublinear equivalente a seis espaços, seguido de ponto; Algumas considerações:  Documentos com até 3 autores, indicar os três separados por ; (ponto e vírgula).Não utilizar e, and ou &;  Documentos com mais de 3 autores, indicar somente o primeiro e a expressão et al.  Manter um único padrão no destaque: negrito (mais usado), itálico ou sublinhado;  Utilizar letras maiúsculas no início do título da obra, em nomes próprios e títulos de periódicos. O subtítulo sempre inicia com letra minúscula e sem destaque.
  40. 40. 38  Padronizar as abreviaturas dos prenomes dos autores e títulos de periódicos (manter padrão: ou todos por extenso ou todos abreviados);  Palavras abreviadas possuem ponto.  Toda referência termina com ponto final. As referências podem constar: 1. No rodapé; 2. No final do texto ou capítulo; 3. Em listas de referências; 4. Antecedendo resumos, resenhas ou recensões. Quando for colocada em nota de rodapé não dispensa o uso da lista de referência ao final do trabalho, em ordem alfabética. Padronização das referências: a) obedecendo ás regras de pontuação; b) digitadas em espaçamento simples; c) separadas uma da outra por um espaço simples em branco; d) alinhadas á margem esquerda do texto. 6.1 EXEMPLOS DE REFERÊNCIAS a) Livro utilizado no todo Modelo: SOBRENOME, Nome; SOBRENOME, Nome; SOBRENOME, Nome. Título. Edição. Local: Editora, data. Volume ou total de páginas. (Série ou Coleção). Exemplo: CASCUDO, L.C. Mouros, franceses e judeus: três presenças no Brasil. 3. ed. São Paulo: Global, 2001. 111 p. (Coleção História, 16). b) Capítulo de livro – O autor do livro e do capítulo são a mesma pessoa Modelo: SOBRENOME, Nome. Título do capítulo. In: ______. Título do livro: subtítulo. Local: Editora, data. páginas inicial-final do capítulo.
  41. 41. 39 Exemplo: NASCIMENTO, Arlindo Moraes do. Formação e suspensão do vínculo de emprego. In: ______. Iniciação ao direito do trabalho. 32. ed. São Paulo: LTR, 2006. p. 151-162. c) Capítulo de livro - autor do capítulo é diferente do autor do livro Modelo: SOBRENOME, Nome. Título do capítulo: subtítulo. In: SOBRENOME, Nome. Título do livro. Local: Editora, data. Páginas inicial-final do capítulo. Exemplo: SILVA, D. B. Eco-turismo. In: McKERCHER, B. Turismo de natureza: planejamento e sustentabilidade. Tradução de Beth Honorato. São Paulo: Contexto, 2002. p.71-84. (Turismo Contexto). d) Norma Técnica Modelo: AUTORIA INSTITUCIONAL. Título. Local: Editora, data. Total de páginas. Exemplo: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). NBR 10520: informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002. 7 p. e) Órgãos governamentais/publicações oficiais Quando a autoria do documento for de órgãos governamentais da administração (Ministérios, Secretarias e outros) entrar pelo nome geográfico (país, estado ou município), todo em letra maiúscula, considerando a subordinação hierárquica, quando houver. Modelo: PAÍS, ESTADO OU MUNICÍPIO. Entidade Governamental (seguida da subordinação hierárquica se houver). Título. Local, data. Total de páginas. Exemplos: BRASIL. Ministério da Justiça. Secretaria de Direito Econômico (SDE). Relatório de atividades. Brasília, 1993. 28 p. SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Diretrizes para a política ambiental do Estado de São Paulo. São Paulo, 2008. 35 p. f) Publicações anônimas
  42. 42. 40 Quando a publicação não apresenta indicação de autoria nem qualquer outro responsável pela organização da obra, a entrada é feita pelo título,sendo a primeira palavra totalmente em letras maiúsculas. Modelo: TÍTULO. Local: Editora, data. Total de páginas. Exemplo: DIAGNÓSTICO do setor editorial brasileiro. São Paulo: Câmara Brasileira do Livro, 1993. 64 p. g) Dissertações e Teses Modelo: SOBRENOME, Nome. Título da tese ou dissertação: subtítulo. Data de defesa. Total de páginas ou folhas. Dissertação ou Tese (Mestrado ou Doutorado em área de concentração) - Departamento ou Centro, Instituição, Local, data de publicação. Exemplo: SILVEIRA, D. B. Falas e imagens: a escola de educação infantil na perspectiva das crianças. 2005. 173 f. Tese (Doutorado em Educação) – Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2006. h) Trabalho apresentado em congressos, simpósios, jornadas, etc Modelo: SOBRENOME, Nome; SOBRENOME, Nome. Título do trabalho. In: TÍTULO DO EVENTO, nº., data, Local de realização. Anais... ou Resumos... ou Proceedings... Local de publicação: Editora, data. páginas inicial-final do trabalho. Exemplo: BRAYNER, A. R. A.; MEDEIROS, C. B. Incorporação do tempo em SGB orientado à objetos. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE BANCO DE DADOS, 9., 1994, São Paulo. Anais... São Paulo: USP, 1994. p. 16-29. Para trabalhos consultados em meio eletrônico, seguir o modelo acima, acrescido das informações sobre a disponibilidade e o acesso: Disponível em: <endereço eletrônico completo>. Acesso em: data.
  43. 43. 41 i) Trabalhos acadêmicos e apostilas Modelo: SOBRENOME, Nome. Título: subtítulo. Local: Departamento, data. Número de páginas. Trabalho de Conclusão de Curso ou Trabalho de Graduação ou Relatório de Estágio ou Apostila. Exemplo: RIZZO, S. R. Qualidade em serviços: um estudo de caso. São Carlos: UFSCar/DEP, 1999.111 p. Trabalho de Conclusão de Curso. j) Publicações periódicas (revistas gerais, técnico-científicas e jornais) Modelo: SOBRENOME, Nome. Título do artigo. Título do periódico, Local, volume, número, páginas inicial-final do artigo, data. Exemplo: MASIERO, P.C. et al. A Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da Universidade de São Paulo. Ci. Inf., Brasília, v. 30, n. 3, p. 23-27, set./dez. 2001. Atenção: Para artigos consultados em meio eletrônico, seguir o modelo acima, acrescido das informações sobre a disponibilidade e o acesso: Disponível em: <endereço eletrônico completo>. Acesso em: data. k) Sites (internet) Modelo: SOBRENOME, Nome ou AUTORIA INSTITUCIONAL ou entrada pelo TÍTULO (se não houver autoria). Título. Disponível em: <endereço eletrônico>. Acesso em: data. Exemplo: BALTAZAR, A. P. E-futuros: projetando para um mundo digital. Disponível em: <http://www.vitruvius.com.br/arquitetos/arq000/esp077.asp>. Acesso em: 09 abr. 2007. Nota da norma: Não se recomenda referenciar material de curta duração na rede. As mensagens que circulam por intermédio de correio eletrônico devem ser referenciadas somente quando forem a única fonte sobre o assunto. Não é recomendável seu uso como fonte científica ou técnica de pesquisa por serem de caráter informal, interpessoal e efêmero. Informações retiradas de textos da Internet deverão ter sua confiabilidade verificada e conter as informações necessárias para serem facilmente localizadas.
  44. 44. 42 7 ARTIGOS CIÊNTÍFICOS “Artigo científico é parte de uma publicação com autoria declarada, que apresenta e discute idéias, métodos, técnicas, processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento.” (NBR 6022, p.2). O artigo científico pode ser: a) original, que apresenta temas ou abordagens originais; b) de revisão, que analisa e discute trabalhos já publicados, revisões bibliográficas etc. 7.1 FORMATO DO ARTIGO  Formato: A4 (210 X 297);  Espaçamento entre linhas: 1,5.  Fonte: Times New Roman ou Arial. Cor preta. Tamanho 12 para o texto e tamanho menor para as citações longas, notas de rodapé, legendas das ilustrações e tabelas;  Margens: modo justificado, com as seguintes medidas: superior 3 cm.; esquerda 3 cm.; inferior 2 cm.; direita 2 cm; não se deve usar barras ou outros sinais na margem lateral do texto.  Citações: seguir NBR 10520. 7.2 ESTRUTURA DO ARTIGO O artigo científico tem a mesma estrutura dos demais trabalhos científicos: parte externa (capa) e parte interna (elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais). 7.2.1 Elementos pré-textuais • Folha de rosto; • Folha de aprovação;
  45. 45. 43 • Título: deve estar em letra maiúscula e centralizado, na página de abertura do artigo; subtítulo, se houver, deve ser diferenciado tipograficamente do título ou separado por dois pontos; • Autor(es): nome(s) do(s) autor(es) deverá(ão) ser colocado(s) por extenso, abaixo do título, seguido(s) de breve currículo que o(os) qualifique na área de conhecimento do artigo, contendo o vínculo institucional e os endereços postal e eletrônico; • O currículo deve aparecer em rodapé na página de abertura e indicado por asterisco. Se houver orientador(es), esse(s) deve(m) ser indicado(s), com as devidas informações conforme acima; • Resumo: constituído de uma sequencia de frases concisas e objetivas e não de uma simples enumeração de tópicos. Seguir a NBR 6028, específica para apresentação de resumo; • Epígrafe: elemento opcional. Trata-se de citação seguida de indicação de autoria que pode ocorrer no início do texto e também no início de cada seção. O autor citado deve constar nas Referências. Os artigos científicos dirigidos à publicação em revistas especializadas devem seguir os critérios de formatação aceitos pela publicação (as normas) a que se destinam. Nesse caso não devem incluir capa, folha de rosto e folha de aprovação, que são elementos obrigatórios no artigo de conclusão de curso para a melhor identificação do material aos membros da Banca Examinadora e à Biblioteca da Instituição. 7.2.2 Elementos textuais • Introdução: parte inicial do artigo, onde devem constar as delimitações do assunto tratado, os objetivos da pesquisa e outros elementos necessários para situar o tema do artigo. • Desenvolvimento: parte principal do artigo que contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto tratado. • Conclusão: parte final do artigo, na qual se apresentam as conclusões correspondentes aos objetivos e hipóteses.
  46. 46. 44 7.2.3 Elementos pós-textuais •Referências: lista ordenada de documentos efetivamente citados no texto que permitem a identificação, no todo ou em parte, de documentos impressos ou registrados em diferentes tipos de materiais. As referências listadas devem ser separadas entre si por um espaço simples em branco; • Notas de rodapé: usadas para esclarecimentos, comentários ou explanações que não possam ser incluídas no texto, com o objetivo de não interromper a lógica da leitura. As chamadas das notas devem ser feitas em algarismos arábicos, com numeração progressiva nas páginas, digitadas em espaço simples, corpo menor que o do texto . Não se inicia a numeração em cada página; • Ilustrações: devem ter uma numeração sequencial. Seguir NBR 6022. • Tabelas: devem ser construídas segundo a norma para apresentação tabular do IBGE, 1993.
  47. 47. 45 REFERÊNCIAS ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6022: informação e documentação: artigo em publicação periódica científica: apresentação. Rio de Janeiro, 2003. ______. NBR 6023: informação e documentação: referências: elaboração. Rio de Janeiro, 2002. ______. NBR 6024: informação e documentação: numeração progressiva das seções de um documento – Apresentação. Rio de Janeiro, 2012. ______. NBR 6027: informação e documentação: sumário: apresentação. Rio de Janeiro, 2012. ______. NBR 6028: resumos. Rio de Janeiro, 2003. ______. NBR 10520: informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002. ______. NBR 12225: informação e documentação: lombada: apresentação. Rio de Janeiro, 2004. ______. NBR 14724: informação e documentação: trabalhos acadêmicos: apresentação. Rio de Janeiro, 2011. UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ. Biblioteca Universitária. Guia de normalização de trabalhos acadêmicos da Universidade Federal do Ceará. Disponível em: < http://pt.calameo.com/read/001848523bf6ac6366464 >. Acesso em: 16 jun. 2015.

×