Micropigmentação:                        Colorimetria              Aplicada a PigmentosPara que a técnica de micropigmenta...
Luz e corA luz branca é composta por ondas que vibram em diversas freqüências.Cadafreqüência corresponde a uma das cores d...
Cor energia e cor pigmentoÉ de importância saber diferenciar cor de pigmento. Cor energia são ascoresobtidas pelo padrão R...
Classificação dos pigmentosOs pigmentos são classificados em:1- Acromáticos: branco, preto e cinza - não contém cor.2- Cro...
MarronsPara a micropigmentação as marrons são as mais utilizadas, uma vez quetodotom de pele é marrom. Há uma variedade de...
recebem outra classificação: nilo, blues e saara para as frias e calipso,jazz e spike paraas quentes.Convém lembrar que pa...
2- Peles negras:As peles negras são de uma variedade muito grande. Vão desde as maisclaras,que são acinzentadas, passando ...
Abaixo segue uma tabela de cores de pigmentos utilizados paramicropigmentação, e sua combinação com as peles quentes e fri...
DESIGN DE SOBRANCELHASA sobrancelha é uma pequena porção de pêlos que protege os olhos de algunsmamíferos, localizando-se ...
Apesar de parecer uma tarefa fácil, um erro na hora de tirar os pêlos dessa região podecausar um estrago. O resultado será...
IMPORTANTE – Você tem que encostar o lápis reto, empurrando a sua narina, paraque fique reto.Com o lápis faça a mesma cois...
Comece sempre pelo canto interno, onde há maior concentração de pêlos. O formatovai aparecendo sozinho.Interessante repara...
Passo 2:Posicione o paquímetro no início da sobrancelha e meça 5 cm. Repita o mesmoprocedimento do outro lado. Se o rosto ...
Passo 5:Passe um lápis branco para definir melhor a forma e apare os pêlos mais longos com atesoura.Passo 6:Utilize um láp...
Depilação a laser - O método não é dos mais baratos, mas está entre os mais eficazes.De acordo com os dermatologistas, por...
A ponta desta sobrancelha é muito caída, o que faz o olhar parecer sempre triste. O rostofica envelhecido.Outro trunfo, es...
Esta sobrancelha, ilustrada abaixo, é, também, muito curta e o formato não favorece orosto porque aumenta                 ...
AFINAR MUITO - Atitudes típicas de modelo, que vive com as sobrancelhasmaquiladas. Se as suas são grossas, remova os pêlos...
TIPOS DE ROSTOSFormato do Rosto - O primeiro passo é observar as linhas que compõem o formato dorosto, destacando alguns t...
Um rosto sem ângulos definidos com tendência a ser mais largo na linha das maçãs-do-rosto e com "cantos" mais suavizados a...
Tipo RetânguloO rosto retangular caracteriza-se por uma estrutura óssea alongada e estreita.Geralmente as pessoas com este...
A henna sobrancelhas é a mais recente novidade para quem quer aumentar o volume dassobrancelhas. Este método é natural, co...
● Antes de malhar passe um creme que, com o aquecimento do corpo, queima a gorduralocalizada e melhora a celulite.● Estimu...
Peles bronzeadas: meio copo de água de coco, uma colher de sobremesa de maisena euma colher de sobremesa de mel. Deixa a p...
COMPLEXO DO AREOLO MAMILARA técnica de micropigmentação que é definida como a implantação depigmentos (corantes) na camada...
forma, relação entre pele e glândula, diâmetro e projeção do complexoaréolo/mamila,ou em qualquer combinação.Atualmente, a...
Técnicas de execução:O primeiro passo é buscar a simetrização entre as duas aréolas, o que nagrandemaioria das vezes encon...
O traçado areolar se efetuará com um lápis de dureza médio e de cor marrom.Aperfeição do desenho se verifica observando at...
Ao término da técnica a higienização local e aplicação local de uma pomadacicatrizante é indicada após os 08 dias posterio...
As possibilidades de utilização da micropigmentação no campo dadermatologia ou cirúrgica cosmética são praticamente ilimit...
A   VISAGISMOVisagismo: a arte ressaltar a beleza própria de cada indivíduoO termo visagismo surgiu no final dos anos 30 e...
única e tem sua própria beleza e oferece os meios para criar uma imagem pessoalpersonalizada. E paracriar&nb...
fiéis e percebem que estão investindo nas suas imagens e não simplesmentegastando dinheiro emalgo sup...
a analisar a personalidade. Só agora o profissional tem acesso aos conhecimentosnecessários,além das ...
um gosto refinado. O rosto tem um formato oval, com feições delicadas e regulares, ocabelo varia entre olour...
Avaliação do formato do rosto visualizando o excesso. Para uma melhor análise dividao               rosto                 ...
impressão é que vale.Saber o que as linhas, as cores, os formatos e outroselementos visuaisexpressam e como usá-los para c...
VITILIGORESUMOO vitiligo é uma dermatose caracterizada por máculas acrômicas que resultam emhipopigmentação da cor natural...
O vitiligo acomete cerca de 0,5 a 4% da população mundial, sendo que 50%dos casos se iniciam antes dos 20 anos e 25% antes...
De acordo com Muller; Ramos (2004), o vitiligo causa grande impacto na vidada pessoa acometida, levando o sujeito a afasta...
O estudo utilizou os seguintes instrumentos para coleta de dados: formuláriopara caracterização da amostra, abrangendo as ...
Participantes da pesquisa relataram que a dermatose as impediam de irem comfreqüência à escola, porque tinham vergonha de ...
EscolaridadeAnalfabeto 1 8,4Ensino Fundamental Incompleto 6 50Ensino Fundamental Completo 1 8,4Ensino Médio Incompleto 1 8...
Vitiligo alterando o cotidianoA convivência com doenças crônicas como o vitiligo modifica o cotidiano daspessoas fazendo s...
As pessoas que apresentam vitiligo têm suas próprias crenças sobre aidentidade, causa, duração e até mesmo cura de sua doe...
As formas de enfrentamento das doenças de pele podem ser classificadasem formas ativas ou de aproximação que estão relacio...
CONCLUSÃOAs pessoas acometidas pelo vitiligo em geral sofrem impactos psicossociaisque desequilibram o organismo, trazendo...
OLIVEIRA, A. G. B.; ALESSI, N. P. O trabalho de enfermagem em saúde mental:contradições e potencialidades atuais. Rev Lati...
O PAQUÍMETROPaquímetroO paquímetro é um instrumento usado para medir as dimensões linearesinternas, externas e de profundi...
pequena.Os instrumentos mais utilizados apresentam uma resolução de:0,05 mm, 0,02 mm, 1/128" ou 0,001"As superfícies do pa...
A escala do cursor é chamada de nônio ou vernier, em homenagem aoportuguês Pedro Nunes e ao francês Pierre Vernier, consid...
X/n = 0,98Resolução = 1 − 0,98 = 0,02 mmLEITURA DA MEDIDA:   1. Posicione o bico móvel de forma tal que a peça a ser medid...
REMOÇÃO / DESPIGMANTAÇÃO                       DERMODESPIGMENTAÇ                       ÃO                       É A REMOÇÃ...
Esta técnica pode ser usadapara remoção de pigmentosde sobrancelhas, pálpebras,lábios e outras pigmentaçõessemelhantes1
SISTEMA TEGUMENTARA Dermodespigmentação éaparentemente um procedimentosimples, onde nós utilizamossoluções químicas chamad...
Apostilas complementares   micropigmentação
Apostilas complementares   micropigmentação
Apostilas complementares   micropigmentação
Apostilas complementares   micropigmentação
Apostilas complementares   micropigmentação
Apostilas complementares   micropigmentação
Apostilas complementares   micropigmentação
Apostilas complementares   micropigmentação
Apostilas complementares   micropigmentação
Apostilas complementares   micropigmentação
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apostilas complementares micropigmentação

83.375 visualizações

Publicada em

Apostilas Complementares - Micropigmentação

Publicada em: Educação
6 comentários
185 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
83.375
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5.320
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2.663
Comentários
6
Gostaram
185
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apostilas complementares micropigmentação

  1. 1. Micropigmentação: Colorimetria Aplicada a PigmentosPara que a técnica de micropigmentação seja bem aplicada é de extremaimportância o conhecimento da cor e sua utilização a cada tipo de pele, oque iremosestudar a seguir é a teoria da cor e suas aplicações nos variados tons depeles.A cor é um dos elementos mais importantes da imagem. Namicropigmentaçãotrabalhamos principalmente com a imagem facial, portanto é essencialsaber como a corfunciona e como usá-la para conseguir seus diversos efeitos. É precisolembrar que apele já é pigmentada pela melanina, então é necessário saber como ascores do pigmentoreagem com a cor da pele, e como isto será transmitido.Primeiramente iremos a um estudo básico da cor e como ela é percebida,suateoria e reação dos pigmentos. 1
  2. 2. Luz e corA luz branca é composta por ondas que vibram em diversas freqüências.Cadafreqüência corresponde a uma das cores do arco-íris, que é obtidoatravés de um cálculode divisão entre a velocidade da luz pelo comprimento dela. O olhohumano consegueapenas visualizar um pequeno aspectro de cor que vai do violeta,passando pelo verdeaté o vermelho.A ausência de luz é o preto, portanto não vemos cor e sim a sensação decorregistrada pelo nosso cérebro.Percepção de corQuando uma luz incide sobre um objeto, o ilumina resultando em suavisualização, somente as ondas que correspondem a cor do objeto sãorefletidas. Asoutras são absorvidas numa reação química. Segundo a teoriatricromática o olhohumano capta as ondas de luz vermelha, laranja, amarela, verde, azul evioleta em trêscategorias de fibrilas nervosas na retina do olho. A 1ª fibrila capta a luzvermelha, a 2ªfibrila capta a luz verde e a 3ª fibrila capta a luz violeta. A luz refletidaestimula asfibrilas de maneira que temos a sensação de cor do objeto. 2
  3. 3. Cor energia e cor pigmentoÉ de importância saber diferenciar cor de pigmento. Cor energia são ascoresobtidas pelo padrão RGB (red-green-blue - vermelho-verde –azul), poisnão hápigmento nem matéria, já pigmento é o material químico que tinge umasuperfície.Mistura de pigmentosSegundo a teoria das cores, quando misturamos as cores primárias,novas coressão obtidas. Porém convém lembrar que o resultado da mistura, irádepender daqualidade do pigmento, do material químico utilizado (pureza da cor) e doprocesso deaplicação. Quando um desses fatores interfere na mistura, o resultado dacor écomprometido. 3
  4. 4. Classificação dos pigmentosOs pigmentos são classificados em:1- Acromáticos: branco, preto e cinza - não contém cor.2- Cromáticos: contém cor e são classificados em três categorias:a) Primários: são os pigmentos puros, todas as outras cores são obtidasatravés de sua mistura. As cores primárias são azul – amarelo –vermelho, para se obter a cor preta, é necessário que se misturem as trêscores, assim originando um preto cromático.b) Secundários: é a mistura de dois pigmentos primários puros (saturados)Amarelo + vermelho = laranja.Vermelho + azul = roxo.Azul + amarelo = verde.Cor complementarNa cor o todo é compreendido pelas cores primárias. O complemento éaqueleque falta para completar o todo. Como duas cores primárias formam umasecundária,então a cor complemento é a cor primária ausente na mistura.c) Terciárias: são obtidas pela mistura de pigmentos das corescomplementares ou dois pigmentos secundários. 4
  5. 5. MarronsPara a micropigmentação as marrons são as mais utilizadas, uma vez quetodotom de pele é marrom. Há uma variedade de marrons que vai dos tonsquentes ou frios eclaros e escuros.O bege é uma variação de marrom que é obtido pela mistura de amarelo,roxo ebranco, considerado um pigmento frio.Contrastes de tons – intensidadeTons claros contrastam com tons escuros e vice-versa. São eles: Tons claros: amarelo, laranja e verde-amarelado. Tons escuros: vermelho, roxo, azul e verde.Contrastes de temperaturaAs cores nos passam sensações de frio e quente, por isso aclassificamos assim: Cores quentes: amarelo, vermelho e laranja. Cores frias: azul, verde e roxo.Concluímos que uma imagem será quente ou fria de acordo com a corprimária ousecundária predominante.Tipos cromáticosPara a micropigmentação a temperatura das cores é fundamental, pois otom depele também é classificado de acordo com a temperatura das cores desua tez, doscabelos e dos olhos.A pele tem uma tonalidade de base, que é azulada (fria) ou dourada(quente), euma intensidade que vai do claro ao escuro.As cores frias são azuladas que harmonizam com o vermelho.As cores quentes são douradas que harmonizam com o laranja.A partir dos tipos cromáticos, a classificação das cores da pele, cabelos eolhosforam divididos por “estações”: primavera, verão, outono e inverno. Estaclassificação éaplicada para peles claras, as peles negras, por serem de maiordiversidade de tons 5
  6. 6. recebem outra classificação: nilo, blues e saara para as frias e calipso,jazz e spike paraas quentes.Convém lembrar que para o Brasil, estas classificações podem sofrervariações,devido a mistura racial existente no país.Classificação dos tipos cromáticos e as cores de pigmentosutilizadas: 1- Peles claras: Primavera: esta categoria pertence as cores quentes, e a tonalidadebásica é umdourado-amarelado. Esta é uma característica de ingleses, franceses,italianos eportugueses. O pigmento castanho claro é ideal para sobrancelhas,castanhoescuro para os olhos (devido a alta concentração de azul no pigmentopreto, elenão é indicado para peles muito claras) e vermelho-alaranjado para oslábios. Outono: este tipo de pele também é quente, com predominância dovermelho. Oirlandês ruivo tem esta característica. O pigmento avelã com castanhoclaro parasobrancelhas, castanho escuro para os olhos e vermelho-alaranjado paraoslábios. Verão: as cores deste tipo são frias, caracterizadas pelo rosa, sãopessoas muitoloiras dos países nórdicos e Europa. O pigmento castanho claro éindicado parasobrancelhas, castanho escuro para os olhos e vermelho e natural paraos lábios. Inverno: as cores deste tipo são frias das categorias doa azuladas, sãoosorientais e árabes. O pigmento castanho médio para sobrancelhas, pretopara osolhos e cerâmica para os lábios. 6
  7. 7. 2- Peles negras:As peles negras são de uma variedade muito grande. Vão desde as maisclaras,que são acinzentadas, passando por claras amareladas, mais escurasavermelhadas, até o muito escuro, que é azulado. Portanto, também sãoclassificados em tipos frios e quentes. Nilo: Este tipo de pele é clara amarelada e fria. O pigmento castanhomédio parasobrancelhas, preto para os olhos e cerâmica para os lábios. Blues: Este tipo de pele é acinzentado, o mais escuro das peles negras,tambémclassificada como fria. O pigmento castanho avermelhado + castanhoescuropara sobrancelhas, azul reflexo para os olhos (pelo seu brilho) e magentaouvioleta para os lábios. Saara: tipo de pele clara e amarelada, e quente . O pigmento castanhomédiopara sobrancelhas, preto para os olhos e vermelho-rubi ou cerâmica paraoslábios. Calipso: é uma pele de tom médio, com características quentes e frias,por issocombina com quase todas as cores. Devido a presença do amarelado oideal é opigmento castanho médio para sobrancelhas, preto para os olhos e tonsmarronsa vermelhos para os lábios. Jazz: Este é um tipo de pele escura do tipo fria, porém não tanto quantoa dotipo blues. O pigmento castanho avermelhado para sobrancelhas, pretopara osolhos e bordô para os lábios. Spike: trata-se de uma pele de tom médio, mas quente e avermelhada.No Brasilchamamos de jambo. O pigmento castanho médio + castanhoavermelhado parasobrancelhas, preto para os olhos e bordô para os lábios.Para se descobrir o tom de pele, além da prática de trabalho de aplicaçãodepigmentos, uma regra nos auxilia: Peles frias combinam com o branco, enquanto peles quentescombinamcom o bege. 7
  8. 8. Abaixo segue uma tabela de cores de pigmentos utilizados paramicropigmentação, e sua combinação com as peles quentes e frias.Cores para pele quente: castanho-escuro castanho-médio castanho-claro vermelho vermelho-rubi natural bege amarelo verde oliva azul púrpuraCores para pele fria: castanho avermelhado avelã bordô cerâmica natural branco verde azul azul reflexoCores utilizadas para pele negra: sobrancelhas e pele: castanho avermelhado + castanho escuro senecessárioescurecer olhos: azul reflexo, pois contém mais brilho e ressalta sobre o azul damelanina. lábios: tons arroxeados – magenta, violeta e bordô.É bom lembrar que esta tabela são as cores indicadas para as peles friasequentes, e nem sempre classificamos o tom corretamente, devido amistura racialpresente em nosso país, algumas vezes nossos olhos não conseguemenxergar amelanina predominante.Conhecer a classificação dos tipos cromáticos nos auxilia muito naescolha dopigmento a ser aplicado, assim como lembrar que a melanina que da cor apele,olhos e cabelos também tem predominância das cores primárias esecundárias,ficando mais fácil de ser reconhecer seu tipo cromático.Em um próximo encontro iremos explicar o que resulta quandocolocamospigmentos inadequados na pele e como podemos corrigir. 8
  9. 9. DESIGN DE SOBRANCELHASA sobrancelha é uma pequena porção de pêlos que protege os olhos de algunsmamíferos, localizando-se logo acima da celha, de onde vem seu nome (sobre a celha).A sobrancelha é um dos itens mais importantes da beleza, pois é considerada a moldurado rosto.Ao contrário do que muitas pessoas pensam, uma vez retirados, os pêlos voltam acrescer.A modelagem da sobrancelha não é um trabalho simples que deve ser feito de maneiraadequada e segura.Uma sobrancelha bem feita deve ser retirada de 15 em 15 dias, não é necessário maisque isso.O design de sobrancelhas deve traçar um modelo adequado para cada tipo de rosto,embora siga as medidas e o modelo ideal exato para cada rosto, o profissional devesempre respeitar a vontade da cliente.Muitas pessoas consideram as sobrancelhas apenas um detalhe mas, no conjunto fazemuma boa diferença. Elas equilibram as linhas do rosto e qualquer mudança nesta regiãoaltera a expressão. Se não forem bem cuidadas e o excesso de pêlos não for retirado, orosto fica com o aspecto pesado. Uma pessoa pode ter um ar agressivo, triste, arrogante,entediado ou envelhecido por um desenho de sobrancelha impróprio ao seu rosto.Para tirar a sobrancelha não existe segredo e sim técnica. Precisa ter noção deproporção do rosto, habilidade com a pinça e saber o que o rosto esta precisando:Grossas, curvadas, fininhas. O que importa é que as sobrancelhas são a moldura dosolhos e devem, por este motivo, realçar e enobrecer o olhar e nunca o contrário.É incrível como uma sobrancelha bem delineada faz a diferença. Além de dar umaspecto mais clean à aparência, sobrancelhas com tracejado bem feito são fundamentaispara o bom resultado de uma maquilagem. E se você não foi abençoada como a atrizcharmosa, Malu Mader, referência nacional quando o assunto é sobrancelha, a solução érecorrer a um profissional, pois somente um profissional pode garantir que seu olharfique tão bonito quanto o da atriz em referência.A moda agora é sobrancelha mais grossa e dando movimento. Além de dar um aspectomais bonito à aparência, sobrancelhas com tracejado bem feito e natural sãofundamentais para valorizar os traços da pessoa e do olhar. As sobrancelhas durante asdécadas já foram finas, grossas, mais ou menos arqueadas, são vários os modelos epossibilidades de desenhos de sobrancelha. Mas isso não quer dizer que você poderáescolher livremente um desenho ou mais ainda ficar mudando de uma para outro:Dependerá do que a natureza te ofereceu de antemão, ou seja seu modelo de rosto.
  10. 10. Apesar de parecer uma tarefa fácil, um erro na hora de tirar os pêlos dessa região podecausar um estrago. O resultado será uma aparência péssima. Além disso, os pêlosdemoram muito para crescer. Pode levar até um ano para as sobrancelhas voltarem aonormal.Seguem abaixo algumas técnicas para definir as sobrancelhas:Para definir o desenho da sobrancelha, a profissional utiliza os parâmetros dovisagismo (da palavra visage, rosto em francês), arte de embelezar ou transformar orosto, estudando o formato dele. De acordo com esse ponto de vista, não existe umpadrão de beleza, e sim padrões de estética e harmonia. A figura ao lado mostra os pontos chaves de uma sobrancelha: Os pontos “A e C” são chamados de limites externos; O ponto “B” é chamado ponto alto.Como achar estes pontos:Com um lápis você traça a linha vertical saindo do canto do nariz, seguindo reto paracima, para o canto interno do rosto, você acaba de achar o ponto A.Os pêlos que estiverem antes do ponto A devem ser retirados. Ponto A
  11. 11. IMPORTANTE – Você tem que encostar o lápis reto, empurrando a sua narina, paraque fique reto.Com o lápis faça a mesma coisa, mas agora saindo do canto da narina, passando pelocanto externo do olho até a sobrancelha (ponto C) que será o final da sobrancelha.Os pelos que estiverem depois deste ponto C devem ser retirados. Ponto CO ponto alto B, o mais importante, vai do canto da narina e passa pelo meio da pupila,onde chega ao foco mais alto dela. Este ponto dará a expressão maior dos olhos, e deveestar acompanhando o resto da sobrancelha, porém evidenciado. Ponto BCaso retire pêlos que estiverem dentro dos pontos “A e C” a sobrancelha ficará curtadeixando uma expressão estranha como se fosse de uma boneca de plástico... Ruim, nãoé?Se depois do ponto C existir pêlos os olhos parecerão mais caídos, entretanto rostosredondos terão mais harmonia. Tudo depende do tipo de rosto.De frente ao espelho note que os pelos estão alinhados por fileiras, penteie suasobrancelha toda para cima e veja de perto que quando você depila deve tirar umacareira de cada vez, se retirar pêlos de fileiras diferentes, ou seja, se não seguir umalinearidade, a sobrancelha formará buracos.Um erro comum é no ponto alto. As pessoas retiram mais pêlos nessa área que nasdemais tentando levantá-las, mas isso só vai dar um efeito de sobrancelha torta. Deve-seretirar a fileira que acompanha esse pêlo.
  12. 12. Comece sempre pelo canto interno, onde há maior concentração de pêlos. O formatovai aparecendo sozinho.Interessante reparar bem nesses pontos para maquilagem também. Abaixo dasobrancelha sempre terá uma cor clara para que ela “levante”, iluminando o olhar, casoprefira o efeito contrario use tons escuros.O USO DO PAQUIMETROPasso 1:Limpe a pele com adstringente para retirar a oleosidade da pele. Então, utilize opaquímetro e um lápis de maquilagem para fazer as marcações. Passe o lápis nopaquímetro, para que as marcações possam ser feitas somente com o encostar doequipamento na pele. Ache o terceiro olho (parte central do rosto). Desse ponto, meça1,5 cm para cada lado, dessa forma é possível marcar o ponto inicial das sobrancelhas.
  13. 13. Passo 2:Posicione o paquímetro no início da sobrancelha e meça 5 cm. Repita o mesmoprocedimento do outro lado. Se o rosto for quadrado (veremos formatos de rostos maisadiante), aumente essas medidas em 0,5 cm.Passo 3:No ponto central, coloque o paquímetro e marque onde começa a curvatura.Para marcar a espessura das sobrancelhas, atente-se para o fato: se os olhos estiveremabertos a medida será de 2 cm; Fechados de 2,5 cm.Passo 4:Utilize o pente para colocar os fios para fora das marcações. Utilize a pinça para retiraro excesso de fios.
  14. 14. Passo 5:Passe um lápis branco para definir melhor a forma e apare os pêlos mais longos com atesoura.Passo 6:Utilize um lápis universal – que vale para todos os tons de pele – para definir o formatodas sobrancelhas, penteando os fios no sentido do pêlo. Para iluminar o olhar, passelápis branco embaixo e esfume, fazer desaparecer ou esvair.OUTRAS TÉCNICASCERATambém é muito comum a retirada, da sobrancelha, com cera. Mas, apenas, um erropode comprometer todo o trabalho. Designer de sobrancelhas e maquiladores, afirmamque atendem sempre à vontade das clientes. A escolha é bastante pessoal porquealgumas mulheres têm muita sensibilidade. A cera dói menos e retira tudo de uma vez,por outro lado, um errinho é fatal. Prefira usar a cera apenas para os pêlos mais finos edistantes da linha da sobrancelha. De qualquer maneira, é impossível dispensar a pinçapara retoques.Alguns profissionais afirmam que a depilação com cera pode causar flacidez napálpebra.O Fio egípcio - a técnica iraquiana é milenar e promete maravilhas, especialmente noque diz respeito ao rosto. A depiladora trança os fios nos pêlos que, com movimentosrápidos, são arrancados pela raiz. A técnica não quebra os pêlos e que por isso eles nãoengrossam.Desvantagem: se você parar de fazer é como se nunca tivesse retirado um fio sequerA dor, segundo os profissionais depende da sensibilidade de cada cliente.Não há muitos profissionais que utilizam essa técnica para sobrancelhas por isso não éuma técnica com custo acessível.
  15. 15. Depilação a laser - O método não é dos mais baratos, mas está entre os mais eficazes.De acordo com os dermatologistas, por definição os pêlos não voltam mais com ométodo. No entanto, o resultadodependerá do aparelho. A depilação a laser é ideal para um trabalho mais periféricoporque a ponteira do laser não é pequena suficiente para garantir total precisão. É umprocedimento delicado porque é fácil pegar áreas que não deveriam ser depiladas. Osdermatologistas revelam que o procedimento dói um pouco e dá a sensação dequeimadura. É ideal para pêlos escuros e pele clara, visto que o laser vai buscar as raízesjustamente pela cor. É preciso usar óculos de proteção durante o procedimento e tomarcuidado com o sol, mesmo antes do tratamento. Em geral, são necessárias entre quatro eseis sessões.Implante de fios - Ideal para sobrancelhas com pêlos escassos. Sob anestesia, retira-seuma faixa mínima de couro cabeludo próxima das orelhas (os cabelos desta região sãomais finos) e implantam-se os fios um a um. Os fios implantados caem e nascem apósdois ou três meses. Custo médio: R$ 1 500 (para as duas sobrancelhas). Os resultadossão definitivos. Inconveniente: como crescem continuamente, os fios precisam seraparados.TIPOS DE SOBRANCELHASSobrancelhas fazem a expressão do rosto! Elas mostram as emoções que sentimos, dãoa moldura dos seus olhos e a harmonia dos seus traços faciais.Se a sobrancelha é caída ou falhada, da para deixá-la bonita do mesmo jeito. Esteformato, abaixo, deixa a expressão do rosto nervosa. O olhar fica tenso.Este formato, abaixo, aumenta os olhos e ilumina o olhar. Serve para qualquer tipo derosto porque valoriza os traços.
  16. 16. A ponta desta sobrancelha é muito caída, o que faz o olhar parecer sempre triste. O rostofica envelhecido.Outro trunfo, este tipo de sobrancelha cai bem para todos os rostos. O olhar fica maisselvagem e tem inspiração nos anos 80.Esta sobrancelha é muito curta e o formato não favorece o rosto porque aumenta osolhos.
  17. 17. Esta sobrancelha, ilustrada abaixo, é, também, muito curta e o formato não favorece orosto porque aumenta muito osolhos.Este formato, abaixo, é um dos mais usados porque valoriza os traços e pode ser usadoem quase todos os rostos.ERROS QUE SALTAM AOS OLHOSPara consertar uma sobrancelha que foi depilada sem critério, é preciso trabalhar nela dequinze em quinze dias até acertá-la. Isso pode levar seis meses. Seguem os erros maiscomuns:ARQUEAR DEMAIS - Nem todos rostos ficam bem com o ar misterioso e fatal dessedesenho de sobrancelha. Se você já nasceu com ela, ótimo. Caso contrário, não force abarra. O resultado certamente ficará artificial;
  18. 18. AFINAR MUITO - Atitudes típicas de modelo, que vive com as sobrancelhasmaquiladas. Se as suas são grossas, remova os pêlos fora da linha e explore esse visualpoderoso.SIMETRIA - (sobrancelhas iguaiszinhas) - Um lado do seu rosto normalmente não éigual ao outro, portanto as sobrancelhas não precisam ser também.ENCURTAR - Tirar alguns fios a mais no início ou no fim da sobrancelha pode serfatal. Retire apenas o que está sobrandoAFINAR DE REPENTE - Para um resultado natural, essa redução na espessura temque ser gradual, sem ficar evidente.CORRIGINDO AS SOBRANCELHASA forma das sobrancelhas pode depender da forma dos olhos. Caso haja algum dosseguintes problemas, use estes truques para equilibrar:PÁLPEBRAS PESADASArranje as sobrancelhas o mais leve e arqueadas possível, seguindo a forma natural;OLHOS PEQUENOSOpte por espessura média – nunca grossas e levemente arqueadas, mantenha a parte debaixo das sobrancelhas sempre limpas, para levantar o olhar;OLHOS GRANDESLevemente arqueada mais “à direita” e mais grossa;OLHOS CAÍDOSO arco deve ser mais acentuado, a linha mais curta;OLHOS SEPARADOSDeixe o canto interno mais grosso do que o externo. Retire os pêlos da linha exterior dassobrancelhas e aumente o interior com o lápis, evite arquear a sobrancelha (deve ficarquase reta) e limpe apenas o necessário nos cantos;OLHOS FUNDOS E JUNTOSPrefira traços mais finos e deixe um espaço maior entre as sobrancelhas. Retire os pêlosdo canto interior das sobrancelhas e, com lápis, alongue as em direção as têmporas,limpe bem os cantos internos para dar a sensação de que os olhos estão mais separados.
  19. 19. TIPOS DE ROSTOSFormato do Rosto - O primeiro passo é observar as linhas que compõem o formato dorosto, destacando alguns tipos: quadrando, oval, retangular, redondo, losangulo,hexágono, triângulo e triangulo invertido. Cada formato possui características próprias.O hexagonal, por exemplo, é o tipo de Gisele Bündchen e o mais comum entre asmodelos. O redondo tem um ar angelical e infantil, o retangular transmite seriedade e ooval é delicado e feminino. Os formatos que mais se beneficiam de umavariedade de cortes e estilos são os que têm a proporção regular, com os ovais ehexagonais com linhas retas. Para analisar seu rosto, divida-o em três partes iguais: 1) Da testa ao meio dos olhos; 2) Do meio dos olhos ao final do nariz; 3) Do final do nariz ao queixo.A proporção ideal diz que duas dessas partes devem corresponder à medida que vai domeio do nariz à maçã do rosto. Se for menor do que isso, o rosto é fino.Tipo Oval São divididos simetricamente em 3 partes: 1 - linha dos cabelos - sobrancelhas; 2 - sobrancelhas - ponta do nariz ; 3 - ponta do nariz - queixo;São caracterizados por serem mais largos nas maçãs-do-rosto e se estreita ligeiramenteem direção ao queixo. A testa é um pouquinho mais larga do que o queixo. Os ossos daface são dominantes e o rosto diminui abaixo das maças do rosto, em direção a umqueixo oval.Esse é o rosto mais comum que existe e se você reparar bem, a maioria das pessoas temesse formato, Considerado geralmente como o formato ideal e é também favorecido porvirtualmente qualquer tipo de estilo.Tipo Redondo
  20. 20. Um rosto sem ângulos definidos com tendência a ser mais largo na linha das maçãs-do-rosto e com "cantos" mais suavizados ao longo do maxilar e fronte.O rosto redondo caracteriza-se por uma testa ampla, no sentido horizontal e curto navertical.Passa a impressão de que está acima do peso, mesmo não estando, o que faz o pescoçoparecer curto. A ilusão ocorre porque a face é larga.O objetivo para um rosto arredondado é adicionar altura, fazendo com que o mesmopareça mais "comprido", evitando volume.Tipo TrianguloO rosto de formato triangular tem uma testa mais estreita que se torna gradualmentemais cheia nas áreas do queixo e da face.Queixo fino, testa larga e o rosto um pouco saliente nas laterais.Triângulo Invertido / Coração Este formato está caracterizado por uma fronte larga e uma linha do maxilar e queixo estreito. Aumentar o volume no queixo, trará equilíbrio ao rosto.Tipo LosangoO rosto losango tem queixo e testa estreitos com maças do rosto largas. Esse tipo derosto pede laterais baixas e volume na altura do queixo.Tipo PêraO rosto pêra caracteriza-se por uma testa pequena e estreita e uma linha de maxilareslargos e arredondados. O volume deve se concentrar da altura dos olhos até a testa.Tipo Quadrado O rosto quadrado caracteriza-se pela testa e maxilar larga. O que mais caracteriza um rosto quadrado é a largura do osso maxilar angulares, que regula com a testa e a linha do queixo.As mandíbulas são mais largas, em outros casos chegam a ter a mesma dimensão das maçãs da face. Deve ser evitada linha reta principalmente na direção das sobrancelhas.
  21. 21. Tipo RetânguloO rosto retangular caracteriza-se por uma estrutura óssea alongada e estreita.Geralmente as pessoas com este tipo de rosto tem pescoço longo e fino.Tipo Longo Ao contrário do tipo oval, é mais estreito nas maçãs, com um maior comprimento entre a testa e o queixo.O formato e o tamanho ideais para o seu tipo de rosto.Sobrancelhas bem desenhadas realçam o olhar e deixam o rosto mais bonito. Além demantê-las limpas, sem fios sobrando e sem falhas, é imprescindível determinar oformato ideal para seu tipo de rosto. Você vai precisar traçar linhas imaginárias e deuma pinça de ponta quadrada, que segura melhor os fios, para arrancar os excedentes.Determine o tamanhoTrace uma linha imaginária da lateral do nariz até o canto interno do olho, e outra domesmo ponto inicial até a ponta externa do olho. A sobrancelha não deve ultrapassar oslimites estabelecidos por essas linhas imaginárias.ACERTE O FORMATO:Rosto redondo: direcione a ponta externa da sobrancelha para a extremidade superiorda orelha.Rosto quadrado: direcione a ponta externa da sobrancelha para a metade da orelha.Rosto oval: direcione para baixo a extremidade externa da sobrancelha. A curvatura émais acentuada do que nos outros tipos de rosto.Preencha as falhas:Com uma escova de cerdas macias, penteie a sobrancelha no sentido contrário à raiz e,em seguida no sentido natural, levantando os fios. Faça riscos delicados nas falhas comum lápis do tom dos fios e outro de cor um pouco mais escura.
  22. 22. A henna sobrancelhas é a mais recente novidade para quem quer aumentar o volume dassobrancelhas. Este método é natural, cobre fios brancos, e encobre falhas nos pêlos,além de dar um efeito encantador no rosto. O procedimento demora de 40 minutos àuma hora, e antes de passar a tintura, é preciso acertar a sobrancelha com pinça para oefeito ser perfeito.DICAS PARA O CORPO EM GERAL● Todos os dias após o banho deslize um cubo de gelo pelo rosto, principalmente naárea ao redor dos olhos. Além de descansar a pele a deixará mais firme.● Faça uma massagem nos pés, antes de dormir, com creme à base de silicone. Issodeixa a pele macia, hidratada e estimula a circulação depois de horas de salto alto.● Quando perceber que esta com olheiras e a aparência cansada, aplique uma compressade água boricada gelada sobre os olhos e deite por alguns minutos.
  23. 23. ● Antes de malhar passe um creme que, com o aquecimento do corpo, queima a gorduralocalizada e melhora a celulite.● Estimule o intestino e ainda cuide da pele tomando três vezes por semana a mistura deuma colher (sopa) de gérmen de trigo com um copo de suco de mamão e laranja.● Em nome da boa forma, aprenda a fazer trocas inteligentes no cardápio: substituir oqueijo amarelo pelo branco; o salame por peito de peru; e a manteiga por margarina àbase de iogurte.● Quando sair à noite direto do trabalho, passe o dia com o cabelo preso num rabo-de-cavalo e só solte na hora da balada. Assim os fios não ficam engordurados e revoltos.● No frio, quando os lábios estão muito rachados, use uma espécie de gloss de lanolinapura, encontrado em lojas de artigos para bebês. Passe durante a noite pois, no diaseguinte, a boca está nova.● No calor, troque o creme hidratante por um cosmético em gel, que refresca o corpo enão deixa a pele pegajosa.● Nunca vá para a cama sem retirar o make com gel demaquilante. Depois lave o rostocom bastante água fria e passe um creme nutritivo.● Para pele seca, uma vez por semana espalhe uma camada fina de mel no rosto, deixepor vinte minutos e retire. Além de hidratar e dar um toque macio, é cicatrizante.● Fazer um refeição levinha à noite. Quer dizer, consumir pouco carboidrato e darpreferência às proteínas e aos legumes. Assim, você ficará satisfeita e não sentirá oestômago pesado nem vontade de assaltar a geladeira de madrugada.Receita de mascaras caseiras (aquelas da vovó)Pele mista e com acne: misture meio pepino fatiado com meia colher de maisena noliquidificador. Equilibra e revitaliza a pele.Anti-idade: meio mamão papaia amassado, misturado com uma colher de sobremesa demel. Auxilia também no tratamento de peles com manchas. Hidrata, rejuvenesce e ajudaa atenuar linhas de expressão.Pré-festa: duas claras de ovo bem batidas. Melhora o aspecto na hora. Ótima parasituações inesperadas ou up antes de uma festa.
  24. 24. Peles bronzeadas: meio copo de água de coco, uma colher de sobremesa de maisena euma colher de sobremesa de mel. Deixa a pele mais luminosa, suave e hidratada. Ajudaa manter o bronzeado. Serve também como relaxante.Esfoliantes: duas colheres de aveia com meia colher de mel. Ajuda a remover as célulasmortas. Clareia a pele e colabora na penetração de outros componentes.Tira-olheiras: compressa de chá de camomila seguida da máscara de papaia e mel(antiidade) colocada ao redor dos olhos.Fecha-poros: cinco morangos amassados com duas colheres de mel e uma fatia demamão papaia.Pele Seca: esmague uma banana e misture com uma colher de mel. Ótima para pelessecas no inverno.
  25. 25. COMPLEXO DO AREOLO MAMILARA técnica de micropigmentação que é definida como a implantação depigmentos (corantes) na camada subepidérmica da pele com o auxílio de umdermógrafo e agulhas apropriadas. Trata-se de uma técnica de permanênciatemporáriada pigmentação, variando de 10 a 18 meses, necessitando de retoques a cadaperíododestes, assim garantindo a proximidade e adequação da cor depositada com acor dapele.As possibilidades de utilização da técnica são variadas, desde realçar os traçosnaturais de olhos e sobrancelhas, como reconstruir sobrancelhas e lábiosnaturalmenteinexistentes ou perdidos por acidentes que lavaram a conseqüentes cicatrizes.O queiremos abordar nesta edição é a micropigmentação do complexoaréolo/mamilar pósmastoplastia e pós mastectomia.A sociedade atual está centrada em um padrão de beleza voltado para umcorpoestruturalmente bem formado, levando o indivíduo a procurar recursos parauma melhoradaptação ao meio. Houve então uma disparada aos atendimentosespecializados emestética como: dermatologistas, esteticistas e principalmente cirurgiõesplásticos.Os seios:Os seios pela sua especial anatomia, são alvo privilegiado de envelhecimentoprematuro, com perda de turgor e tons.Na mulher jovem as mamas são duras e elásticas, mas paulatinamente perdemseu viço pela gravidez seguido de períodos de amamentação, emagrecimentobruscos,envelhecimento, fatores estes que modificam sua firmeza levando aoaparecimento dachamada ptose.A mama normal é um cone glandular, coberto por pele e tecido glandularsubcutâneo, onde os vasos e nervos correm da base para o ápice, não muitosuperficiais,formando uma verdadeira malha.A mamoplastia pode intervir em diversas alterações estéticas como no volume,
  26. 26. forma, relação entre pele e glândula, diâmetro e projeção do complexoaréolo/mamila,ou em qualquer combinação.Atualmente, as diversas técnicas redutoras visam obter cicatrizes menores naressecção de excessos cutâneos, glandulares e adiposos, sendo que a escolhado tipo deabordagem cirúrgica dependerá do tipo de alteração apresentada.Contudo, amamoplastia traz consigo a temível cicatriz, é aqui que a micropigmentaçãoestéticaoferece um papel preponderante, da dando cor e efeito óptico porém nãoprojeção.Além da cirurgia plástica puramente estética, outra forma de aplicação damicropigmentação é nas cirurgias de mastectomia. Devido ao câncer de mamaser o demaior incidência entre as mulheres no Brasil, em que boa parte dos casos seutratamentoé cirúrgico, levando a mastectomia parcial ou total, dependendo da extensãodaneoplasia.Seja qual for sua extensão, quando a mastectomia é necessária traz consigo areconstrução mamária que devolve volume e forma para as mamas, e para aobtençãoda cor, utiliza-se técnica de enxertia, que trata-se de uma técnica muitodolorida e deresultado pouco satisfatório, em sua substituição hoje muitos cirurgiões optampelamicropigmentação, que mostrou-se mais eficaz nos resultados com muitomenos traumaao paciente, além de uma uniformidade na cor.A- mama após mastectomia;B- mama após reconstrução mamária, seguida de enxertia, perceba a diferençade pigmentação entre uma aréola e outra
  27. 27. Técnicas de execução:O primeiro passo é buscar a simetrização entre as duas aréolas, o que nagrandemaioria das vezes encontram-se já prontas para micropigmentação,principalmente noscasos de mastectomia onde é previsto o uso da técnica.A medição se realizará em posição semi-sentada, se verificará com uma réguapassando pelos pontos A e A`, observando rigorosamente a boahorizontalidade, paraevitar um resultado inestético das aréolas.Antes de efetuar o traço nas aréolas inspecionar detalhadamente asimperfeiçõesassim como as cicatrizes periareolares, enxertos cirúrgicos e outros. Os doiscírculosdevem ser simétricos e situados no cone mamário.Se foi produzido uma ptose secundária, ou se a cirurgia não devolveu suaformacônica, será necessário efetuar a medição antes descrita para que as aréolasfiquem bemposicionadas. Será conveniente assinalar que o diâmetro da aréola nãoultrapasse 5 a 5,5cm.
  28. 28. O traçado areolar se efetuará com um lápis de dureza médio e de cor marrom.Aperfeição do desenho se verifica observando através de um espelho vertical,levando emconsideração que nem sempre o traço é uniforme.Preparação do pigmento:A mistura do pigmento estará condicionado pela cor da pele, incrementando aeste tom mais escuro do que se observa na aréola normal, dado que oresultado final ésempre mais claro. A mistura se verifica topicamente ao lado da aréola, ao sechegar nacor correta preparar quantidade suficiente, a fim de se ter a mesma mistura atéo final doatendimento.Para se obter o efeito mais claro ao redor da aréola e o mais escuro do centro(bico), devemos usar técnica adequada assim criando uma ilusão de projeção.Desenvolvimento prático:Antes de se iniciar a aplicação da técnica de micropigmentação, devemosaplicaruma porção generosa de anestésico tópico do tipo lidocaína, e deixar agir porcerca de40 minutos coberto por um filme osmótico para assegurar sua penetração euma sedaçãomais eficaz. Nos casos de mastectomia esta etapa deve ser pulada, uma vezque opaciente mastectomizado não possui sensibilidade local.Para se conseguir o efeito degradeé da pigmentação (halo mais claro e centromais escuro) será utilizada agulha linear de 5 pontas e aparelho posicionado a45º emrelação da pele, o que levará a pintura da aréola, partindo com uma pressãomoderadapara o halo mais claro e aumentando a pressão conforme ir de encontro aocentro. Parase obter um efeito de projeção para o bico utilizaremos agulhas tripontacircular, eaparelho posicionado a 90º o que escurecerá a cor do pigmento sem que estenecessitede um novo preparo. O aparelho deve permanecer em velocidade de média aalta emovimentos curtos e lentos, seguindo o trajeto das aréolas.
  29. 29. Ao término da técnica a higienização local e aplicação local de uma pomadacicatrizante é indicada após os 08 dias posteriores a aplicação, assim comoevitarbanhos de mar e piscina, sol, vapor e não coçar ou remover as crostas quesurgirãodurante a cicatrização, Também pode ser usado um curativo do tipo micropore sobre apomada, para evitar que a mesma seja removida.A verificação do trabalho realizado será a partir dos quinze dias posteriores apigmentação aplicada, observando-se a densidade da cor. A cliente deveráfazer umarevisão. Um mês após, para um possível retoque ou a confirmação de umexcelentetrabalho.
  30. 30. As possibilidades de utilização da micropigmentação no campo dadermatologia ou cirúrgica cosmética são praticamente ilimitadas,dependendo emmuitos casos da criatividade do cirurgião e do pigmentador, assim comodadisponibilidade do equipamento para poder realizar uma determinadatécnica.
  31. 31. A VISAGISMOVisagismo: a arte ressaltar a beleza própria de cada indivíduoO termo visagismo surgiu no final dos anos 30 e é uma palavra derivada de visage que emfrancêssignifica rosto. O  conceito oferece meios para trabalhar uma imagem pessoal personalizada,valorizando aspróprias características, seguindo o princípio que cada indivíduo tem suaprópriabeleza.O visagismo se aplica não só à beleza e estética, mas também ainúmeras áreas como moda, artes cênicas e visuais, esporte,educação e atémesmo a medicina. Na moda, por exemplo, a imagem do indivíduo é completada pelaroupa e osacessórios, que devem estar em harmonia com o cabelo e a maquiagem.Desde o surgimento do conceito de visagismo, muitos profissionais se encarregaram de fortalecê-lo. JohannessItten, artista e professor da escola de Bauhaus, descobriu que havia uma relação entre ascores que seusalunos usavam e a cor da pele. Ele percebeu que a cor que cada aluno mais utilizava era aquela que seassemelhavaà sua cor de pele. A partir daí Robert Dorr criou o Color Key System, que revolucionou aindústria de cosméticos, por classificar os tons de pele em quentes ou frios. Maisrecentemente, ClaudeJuillard tem se dedicado a difundir o conceito pelo mundo.Aqui no Brasil, o principal representante do visagismo é o artista plástico PhilipHallawell, autor dolivro Visagismo: harmonia e estética (lançado em 2003 pela Editora Senac-SP). Nosúltimos anos,Philip tem trabalhado intensamente para difundir o conceito em todo o Brasil, em workshops, congressose palestras. Noinício de setembro de 2006, o artista ministrou uma palestra sobre o tema para mais de 500pessoas durante aedição 2006 do Beauty Fair Summer Collection.Nesta entrevista exclusiva, Philip Hallawell diz porque o conceito do visagismo é tãoimportante,não só para os profissionais da beleza, mas também para apopulação em geral.Confira.Beauty Fair - Como surgiu o conceito do Visagismo?Philip Hallawell - O visagismo surgiu em 1937. É uma das conseqüências dasgrandestransformações pelas quais associedades passaram desde a Revolução Industrial, que proporcionou acessoàeducação e à informação, inclusão social, podereconômico,mobilidade e comunicação a milhões de pessoas. Com tudo isso foi criado o desejode se expressarcomo um indivíduo e ter um estilo personalizado. Por isso, a grande tendência atualé acustomização e a despadronização.Beauty Fair - Em que o conceito se baseia?Philip Hallawell - O visagismo é baseado no princípio que cada pessoa é
  32. 32. única e tem sua própria beleza e oferece os meios para criar uma imagem pessoalpersonalizada. E paracriar beleza na imagem pessoal, é preciso expressar qualidades do caráter dapessoa comharmonia e estética. Portanto, a beleza vem de dentro da pessoa e cada pessoa tem suaprópria belezaúnica, e isso define como a imagem deve ser criada.    Beauty Fair - Quem foi o pioneiro?Philip Hallawell - Fernand Aubry, um cabeleireiro e maquilador francês, que percebeu anecessidade depersonalizar a imagem e harmonizar todos os seus aspectos de acordo com uma únicaintenção. Elealinhou a arte da criação da imagem pessoal a todas as outras artes visuais aplicadas, quetrabalhavam deacordo com o conceito "a função define a forma", criado pelo arquiteto LouisSullivan eestabelecido pela famosa escola de arte Bauhaus. Certa vez ele disse que "não há mulhersem beleza;só há belezas que não foram reveladas".Beauty Fair - Quem foram os primeiros a aplicar este conceito?Philip Hallawell - O primeiro a aplicar o conceito mais amplamente foi Vidal Sassoon, que, nos anos 60 e70revolucionou o meio, mostrando que era possível personalizar a imagem. O francês ClaudeJuillard foiresponsável por divulgar o conceito mais amplamente em cursos e palestras.Aqui no Brasil, no entanto, o meu livro foi o primeiro a explicar o conceito, os fundamentos da linguagemvisual efornecer os meios para que qualquer profissional possa, com estudo e prática, aplicar ovisagismo.Também foi o primeiro a explicar como a imagem afeta as pessoas emocionalmente, mostrandoque toda aimagem, inclusive o rosto, contém símbolos arquetípicos na sua estrutura.Beauty Fair - Qual a importância no Visagismo hoje para o profissional da beleza?Philip Hallawell - O rosto é a identidade de uma pessoa. Toda mudança, no rosto ou nocabelo,altera seu senso de identidade. Por isso, é muito importante que o profissional de beleza tenhaconsciênciado que as linhas, as formas, as cores e outros elementos da imagem expressam e como afetam emocionale psiquicamenteas pessoas e saiba qual a imagem mais adequada para cada momento da vida de seu cliente. Com ovisagismo ele temconsciência que seu trabalho não se resume somente à estética e a criar umaimagem bonita,porque saberá que uma imagem bonita, que não seja adequada, pode fazer muito mal.O visagismo permite que o profissional de beleza customize seus serviços, transformando-os emexperiências únicas para seus clientes, porque consegue adequar a imagem delas de acordocom suascaracterísticas físicas, seu temperamento, sua profissão, seu estilo de vida, suasnecessidades e seu momento. O visagista usa o conhecimento da linguagem visual para analisar ascaracterísticas físicas de uma pessoa, sua personalidade, seucomportamento e sua imagematual. Sabe como expressar uma intenção visualmente, sem depender unicamente dasuaintuição, e consegue explicar como seu trabalho afetará a pessoa e seusrelacionamentos.Com tudo isso, ele tem condições de atender às necessidades de seus clientes esatisfazê-los, criando uma beleza que revela as qualidades de cada pessoa. Os clientes tornam-semuito mais
  33. 33. fiéis e percebem que estão investindo nas suas imagens e não simplesmentegastando dinheiro emalgo supérfluo.Beauty Fair - Ao usar o conceito do Visagismo, qual deve ser o principal objetivo deste profissional?Philip Hallawell - Ajudar seu cliente a definir o que ele deseja expressar através de suaprópriaimagem.Beauty Fair - Qual a importância para a população?Philip Hallawell - O visagismo conscientiza as pessoas da importância da imagem pessoal, queétão importante que só deve ser tratada por um profissional bem treinado. Os resultadosvão muitoalém da estética, principalmente criando harmonia entre a imagem externa, ocomportamento e aidentidade. Isso traz benefícios à saúde, tanto física quantopsíquica, aosrelacionamentos e ao trabalho.Beauty Fair - Quantos profissionais são certificados em Visagismo hoje?Philip Hallawell - Cerca de 200 profissionais já fizeram o meu curso, que são os que possodizer queestão certificados. Mas há também milhares que compraram o livro e quefreqüentaram osworkshops, palestras e congressos onde apresento o conceito. Também há profissionais deoutrasáreas que estão usando o conceito; psicólogos, médicos, profissionais demoda entre outros.No ano que vem vou palestrar no Congresso Mundial de Medicina Estética.Beauty Fair - Em que o profissional deve se atentar para obter o conhecimento do conceito doVisagismo? Philip Hallawell - Ele precisa dominar os fundamentos da linguagem visual e os princípios deharmonia eestética, consciente de que são princípios e não regras. Isso requer estudo eprática.Também precisa aprender alguns princípios de psicologia e saber identificar apersonalidade de umapessoa pelas suas características físicas e analisar o comportamento pela leitura dos gestose portefísico.O mais importante é que precisa aprender a conversar com o cliente e fazer a consulta, o querequer quemude radicalmente sua atitude. A maioria dos profissionais pensa somente na parte estética - oque ficaráesteticamente bem no cliente. No visagismo, isso vem por último. Primeiro se pensa no que apessoa deseja ouprecisa expressar e, para poder fazer isso, é preciso pensar em quem a pessoa é, o que faze comoé seu estilo de vida. O visagismo é uma arte e, como qualquer arte, exige disciplina,concentração, prática e paciência para que se obtenha domínio.Beauty Fair – No Brasil existem muitos salões que atuam fundamentados nesteconceito? Quaissão os principais?Philip Hallawell - Apesar do conceito ter sido criado há mais de 70 anos, o profissional dependiada suaintuição, sensibilidade e inteligência visual para exercê-lo. Os cursosexistentes aqui e naEuropa somente ensinavam as técnicas de analisar o formato do rosto e cor da pele. Nos cursosmaisavançados do Claude Juillard ensina-se a analisar o comportamento, mas nenhum ensina alinguagem visual, nem
  34. 34. a analisar a personalidade. Só agora o profissional tem acesso aos conhecimentosnecessários,além das técnicas de análise. Esses cursos estão sendo administradoshá somentedois anos. Mesmo assim, alguns salões estão trabalhando com este conceito: Cabelaria, deAndréMateus; Hugo Beauty, de Hugo Moser; Bessa; HairStyles, Dress Up Beauty, Frank Provost, e GêBeleza.Há ainda vários outros se preparando para adotar essa nova estratégia queé um grandediferencial para o cliente e que dá um enorme retorno para o salão.Beauty Fair - Existem quatro tipos de personalidade definidos por Hipócrates. Épossível que uma única pessoa apresente características pertinentes a mais de umapersonalidade?Philip Hallawell - Cada pessoa é uma mistura única dos quatro tipos. Na maioriadas pessoaspredomina um ou dois tipos, mas há outras pessoas que têm um equilíbrio decaracterísticasde três.Beauty Fair - Neste caso, o que o profissional deve fazer?Philip Hallawell - O importante para o profissional é identificar aonde cada tipo se manifesta equanto. Eleprecisa identificar como cada tipo se manifesta na emoção, na vontade, no pensamento e naintuição e se a pessoa deseja evidenciar ou diminuir essas características.Uma pessoapredominantemente sangüínea, por exemplo, extrovertida, comunicativa e alegre, podesentir necessidadede revelar um lado mais sério, enquanto uma pessoa mais melancólica, introvertida ereflexiva, podeprecisar se soltar mais.Beauty Fair - Pelos seus estudos, qual o tipo de personalidade mais comum entre os brasileiros? A quevocêatribui este fato? Philip Hallawell - Pelo fato de haver uma grande miscigenação no Brasil, nãohá um tipopredominante. No entanto, ainda há muitos falsos fleumáticos, especialmente fora dasgrandes cidades eno Nordeste do País.TemperamentosO Visagismo segue quatro tipos de personalidade definidos por Hipócrates, o pai da Medicina:• Beleza Sangüínea – é caracterizada pela extroversão eenergia. Pessoascom esse temperamento gostam de se destacar em relação aos outros, gesticulam muito,sãoinquietos e falam e riem alto. São curiosos e não gostam de rotina, por isso preferemtrabalhar fora deescritórios. O formato do rosto é hexagonal com lateral reta, com olhos amendoados, bocalarga e narizpronunciado, o cabelo é louro dourado. A cor desse temperamento é o amarelo.• Beleza Colérica – expressa muita atitude, força e decisão. Osindivíduoscoléricos são objetivos e obstinados e têm tendência a serem teimosos.Têm o rostoretangular, com olhos expressivos, lábios grossos e queixo pronunciado, o cabelo é ruivo.A cor que osrepresenta é o vermelho.• Beleza Melancólica – é elegante, charmosa, sofisticada e artística.Osmelancólicos são sensíveis, quietos e introvertidos, são profundospensadores e têm
  35. 35. um gosto refinado. O rosto tem um formato oval, com feições delicadas e regulares, ocabelo varia entre olouro cinza e o castanho claro. O elemento principal é a água, por isso a cor éazul.• Beleza Fleumática – de temperamento sereno, espiritualizado, osfleumáticos sãoconstantes, fiéis, pacificadores e diplomáticos, além de amorosos eflexíveis. O formato dorosto pode ser quadrado ou redondo, com olhos cerrados, feições irregulares, queixopequeno e cabeloescuro. A beleza fleumática é ligada ao éter, portanto sua cor é o roxo.Visagismo O visagismo é um termo que deriva do francês visage, quetraduzido significa “para o rosto”. Essa técnica consiste em aplicar fundamentos dabeleza para criar uma imagem pessoal adequada à personalidade do indivíduo,analisando os componentes do seu rosto.A técnica do visagismo oferece uma direção aos profissionais da área da beleza(cabeleireiros, maquiadores, esteticistas), indicando todas as possibilidades de correçõesadaptáveis ao cliente, ou seja, pela geometria é possível obter a melhor solução emcores, colorações e até mesmo na maquiagem. A filosofia do visagismo baseia-se emacentuar o que é belo e disfarçar o que não é.Alguns focos do visagismo que devem adaptar-se a uma avaliação do cliente:• Tipo físico• Tipo cromático• Formato do rosto• Estrutura do fio de cabelo (e suas possibilidades)• Testar cortes e cores em modelos• Experiência comprovada dos assessores (auxiliares)A importância do visagismo na escolha do penteadoO visagismo pode contribuir para um penteado ideal, de acordo com o tipo de rosto,dando equilíbrio e harmonia às formas de cada perfil. Na análise do perfil é levado emconta o estilo e personalidade do cliente.Dicas sobre visagismo
  36. 36. Avaliação do formato do rosto visualizando o excesso. Para uma melhor análise dividao rosto em três camadas:• Nascente do cabelo até a sobrancelha.• Da linha da sobrancelha até a ponta do nariz.• Da ponta do nariz até a ponta do queixo.Um rosto simetricamente perfeito possui em cada camada aproximadamente 7,5cm.Fora desse padrão, sugere-se um penteado personalizado para cada tipo de rostoOs benefícios do visagismoNa área da beleza, o visagismo, ou seja, ter um estilopróprio queressalte a beleza individual sem se apegar a modismos émuitoimportante.Cada pessoa tem de analisar suas características físicas –positivas enegativas – e sua personalidade antes de fazer um corte decabeloou escolher uma tintura, por exemplo, pois deve saber que oformatodo rosto, os formatos e proporções das feições, a cor dapele e outrascaracterísticas físicas revelam seu temperamento e precisamestar emharmonia com o visual escolhido.O visagismo surpreende e encanta. A percepção de que suaimagemrevela tanto de si mesmo faz com que valorize a criaçãoconscientede um tipo de maquiagem, de cabelo, de roupa.Recentes pesquisas neurobiológicas comprovam que toda imagemcria um impacto emocional antes que seu significado sejacompreendido racionalmente. É por isso que se diz que aprimeira
  37. 37. impressão é que vale.Saber o que as linhas, as cores, os formatos e outroselementos visuaisexpressam e como usá-los para criar uma imagem é o ideal,pois essaimagem afetará as pessoas, com quem se relaciona,emocionalmente, criando sensações positivas ou negativas.Alémdisso, também afeta a própria pessoa, seu comportamento esuaauto-estima. Por isso, deve-se perceber que, para cadaocasião épreciso ter uma imagem adequada e como é importante que sejatratada corretamente. Também devemos ter consciência que aimagem deve refletir as mudanças que ocorrem ao longo denossasvidas.Independente da época do ano cada pessoa deve utilizar amaquiagem, o corte e tonalidade de cabelo que melhor seadapte aoseu estilo de vida, de humor, de trabalho e a cada ocasião.Muitocuidado com modismos e exageros.Enfim, não se preocupe se está ou não na moda, se é ou não oúltimolançamento, hoje isso não importa mais. Devemos sim éprocurarprodutos que além de embelezar também tratem e protejam anossapele, olhos e boca.Seja autêntico!
  38. 38. VITILIGORESUMOO vitiligo é uma dermatose caracterizada por máculas acrômicas que resultam emhipopigmentação da cor natural da pele podendo surgir em qualquer parte do corpo, sendo suaetiopatogenia desconhecida. Sabe-se que uma vez instalada, pode provocar alteraçõesemocionais, comprometimento da autoestima e das relações sociais do indivíduo com vitiligo.Trata-se de um estudo exploratório descritivo qualitativo, desenvolvido com o objetivo deconhecercomo o vitiligo influencia na auto-estima das pessoas por ele acometido. Foi realizado nomunicípiode Ipatinga/MG, em janeiro de 2009, utilizando-se como instrumento para coleta de dados umaentrevista aplicada a 12 pessoas acometidas por vitiligo. Os resultados evidenciaram algumgraude comprometimento emocional nos participantes, como tristeza, preocupação,constrangimentona sociedade, falta ou dificuldade de recursos financeiros para tratamentos adequados, mas,também o enfrentamento e superação foram perceptíveis, que vão desde a aproximação comoutros portadores de vitiligo, assim como a busca por apoio e conforto religioso. Ressalta-se aimportância de desenvolvimento de políticas públicas voltadas para este segmento dapopulaçãoassim como a necessidade de assistência multiprofissional, onde o enfermeiro tem papelfundamental no acompanhamento aos portadores de vitiligo desenvolvendo ações queprivilegiemtambém o suporte emocional.INTRODUÇÃOO vitiligo foi descrito há mais de 3500 anos, primeiramente, no Egito (noPapiro de Ebers), na Índia (no livro sagrado Atharva Veda) e na Bíblia, no antigoTestamento, era chamada de “Zara’at”. Quanto à etiologia, o vitiligo ainda é umadoença de causa desconhecida. Não se pode afirmar que tenha origem napredisposição genética, uma vez que esta só é observada em apenas 30% doscasos (SANT’ANNA et al, 2003). Existem, porém, algumas hipóteses etiológicasque veem o vitiligo como uma resposta autoimune ou associado a fatoresneurogênicos. É uma dermatose que se caracteriza por manchas acrômicas,geralmente bilaterais e simétricas, que acomete o maior órgão do corpo humano –a pele (SILVA; MULLER, 2007).Como patologia autoimune, o próprio corpo gera uma reação que faz comque haja destruição das células melanócitos, causando assim, extinção dapigmetação natural da pele. Os melanócitos podem ser destruídos pela ação dosradicais livres ou de componentes tóxicos do ambiente externo. A existência deuma reserva de melanócitos nos folículos pilosos, constituindo a área não afetadapelo vitiligo, é um fator que deve ser considerado no processo de repigmentaçãonatural da pele (FONSECA; PRISTA, 2000; ELDER; LEVER, 2001; STEINER etal, 2004). 1
  39. 39. O vitiligo acomete cerca de 0,5 a 4% da população mundial, sendo que 50%dos casos se iniciam antes dos 20 anos e 25% antes dos 10 anos. Seuaparecimento pode ser precoce, com alguns relatos de casos com início nosprimeiros seis meses de idade (SILVA et al, 2006).Muitas teorias tentam explicar a doença e, por isso, várias são as propostasde tratamento que vão do uso de esteróides, fotoquimioterapia, terapia tópica,micropigmentação até terapia cirúrgica. A terapia integral deve envolver otratamento clínico e psicoterápico que contribuirão eficazmente no processo derepigmentação da pele. Sendo que a psicoterapia consiste num tratamento dedistúrbio psicológico ou emocional mediante o estabelecimento de uma relaçãoentre profissional treinado e um ou mais pacientes, ajudando-os a tomaremcondutas frente às situações de estresse, para melhoria da qualidade de vida eaté da própria pele (KANTORSKI et al, 2005; SILVA; MULLER, 2007).Revista Enfermagem Integrada – Ipatinga: Unileste-MG-V.2-N.2-Nov./Dez. 2009A pele é formada por três camadas, epiderme que é a camada maissuperficial, composta de queratinócitos e melanócitos, a derme é a camadaintermediária, composta de fibras colágenas e elásticas que dão sustentação àpele e, ainda vasos sanguíneos, nervos, e a hipoderme que é a camada profunda,composta de gordura, que auxilia na regulação da temperatura corporal. Dentre asfunções da pele tem-se sensibilidade cutânea, defesa imunológica através decélulas imunes, proteção para as estruturas internas do corpo, proteção contra osraios ultravioleta, síntese de vitamina D, defesa contra corpos estranhos e,produção de queratina (KEDE; SABATOVICH, 2004).A pele transmite informações sensoriais através de nervos nela situados,sendo que a inter-relação pele-psiquismo é estreita, desde a sua origemembrionária, pois tanto a epiderme quanto o sistema nervoso têm sua origem nofolheto embrionário, ectoderma. As ligações existentes entre o sistema nervoso ea pele fazem com que esta seja muito sensível às emoções, independente daconsciência; as alterações dermatológicas, muitas vezes, causam impactospsicossociais nas pessoas que apresentam vitiligo, levando ao comprometimentopsicossociocultural (HOFFMANN et al, 2005).O vitiligo é uma dermatose que não leva à incapacidade funcional, mascausa grande impacto psicossociocultural. Pode ser desfigurante, influindonegativamente na autoestima da pessoa, sobretudo nos casos extensos e empessoas de pele negra. Existem queixas de discriminação social, sendo quemuitas vezes as pessoas que apresentam vitiligo chegam a ser estigmatizadas,retardando ainda mais o tratamento (SILVA et al, 2006).A sociedade atual está sempre buscando novidades e inovações de rótulosde vaidade quanto aos caracteres corporais fazendo com que grande parte daspessoas esforce-se em alcançar um padrão de beleza único e aceitável pormuitos. O estresse emocional gerado por esta pressão social costumaacompanhar os problemas dermatológicos e, influenciar as alterações da pele.Com isso, o problema de pele, acaba gerando na pessoa frustração,descontentamento, rejeição quanto à aparência física e, até mesmo naquelas quese encontram em fase de recuperação, pois o fato ainda é insuficiente paraamenizar a insatisfação quanto ao ideal estético exigido pela sociedade (KEDE;SABATOVICH, 2004; FONSECA; PRISTA, 2000). 2
  40. 40. De acordo com Muller; Ramos (2004), o vitiligo causa grande impacto na vidada pessoa acometida, levando o sujeito a afastar-se da sociedade. Sendo que,muitas pessoas com vitiligo, apresentam reação negativa de constrangimentomediante a dermatose. Por isso, muitos usam produtos para tampar as manchas,evitam atividades, se envergonham e se isolam.Este estudo se justifica devido à importância que a enfermagem tem naassistência às pessoas que apresentam vitiligo, atuando com alternativas eestímulos de forma a ajudar e encorajar a pessoa a uma visão positiva eesperançosa deste evento produtor de estresse e, ainda promovendo açõesRevista Enfermagem Integrada – Ipatinga: Unileste-MG-V.2-N.2-Nov./Dez. 2009360preventivas para diminuir os agravos psicológicos, emocionais e sociais.É dentro da temática descrita, que este trabalho teve como objeto de estudoa percepção das pessoas que apresentam vitiligo quanto à dermatose e suainfluência na auto-estima das mesmasO caminho a ser percorrido a partir do objeto de estudo se aportará aoseguinte objetivo: conhecer como o vitiligo influencia na auto-estima das pessoaspor ele acometido.METODOLOGIATrata-se de um estudo exploratório descritivo com abordagem qualitativa.Estudos qualitativos, segundo Minayo (1999), oferecem entre outraspossibilidades, a decodificação do significado das informações, sem quantificaçãodas mesmas, respeitando a experiência natural do pesquisado com o tema emestudo. Pesquisa exploratória descritivo estuda com detalhe um ambiente, umsujeito ou mesmo uma determinada situação, levando em consideração, a opiniãodos sujeitos contextualizados nessa realidade (GODOI, 1995 apud DUBY, s.d.).Para elaboração deste estudo foi realizada entrevista com 12 pessoasmoradoras do município de Ipatinga – MG, no período de 13 a 31 de janeiro de2009. A amostragem da pesquisa é do tipo bola de neve ou amostragem de rede,que consiste em uma técnica de amostragem não probabilística em que um grupoinicial de entrevistados é selecionado aleatoriamente. Selecionam-seentrevistados subseqüentes com base em informações fornecidas pelosentrevistados iniciais. Assim, foram entrevistadas primeiramente pessoas jáconhecidas das autoras que apresentavam vitiligo, e em seguida outras pessoasindicadas pelos primeiros entrevistados. Os critérios de inclusão na pesquisaforam pessoas que apresentavam vitiligo, com idade igual ou superior a 18 anosque aceitaram participar. 3
  41. 41. O estudo utilizou os seguintes instrumentos para coleta de dados: formuláriopara caracterização da amostra, abrangendo as categorias sexo, idade, raça,escolaridade, emprego, renda, situação conjugal, filhos, religião, participação emgrupo de apoio, tratamento. E uma entrevista semi-estruturada, que abordou asperguntas: o vitiligo trouxe ou trás para você alguma alteração no seu cotidiano?Qual é o seu sentimento sobre o vitiligo? Já fez ou está fazendo tratamento? Cadapessoa foi abordada uma única vez, com tempo estimado de 1 hora para duraçãodo encontro. Como forma de resguardar o conforto, segurança e liberdade dosparticipantes, as entrevistas foram realizadas no próprio domicílio, com horáriodisponível ou compatível ao tempo do entrevistado.Na análise dos dados da pesquisa foram feitas leituras repetidas dasrespostas obtidas, identificação das argumentações presentes no conteúdo dasrespostas, que resultou em duas grandes categorias de análise: vitiligo alterando ocotidiano e recursos de apoio e tratamento que foram discutidas de acordo com aliteratura pertinente. Partes dos discursos foram selecionados e transcritos notexto como forma de elucidação das respostas abertas. Visando preservar aidentidade dos participantes, optou-se por nomeá-los com codinomes de pedrasRevista Enfermagem Integrada – Ipatinga: Unileste-MG-V.2-N.2-Nov./Dez. 2009361preciosas.Previamente à coleta de dados, os participantes deste estudo assinaram oTermo de Consentimento Livre e Esclarecido que continha informações sobre osobjetivos da pesquisa, a garantia do anonimato e o uso dos dados obtidossomente para fins da pesquisa. Esta pesquisa contemplou a Resolução n. 196 de10 de outubro de 1996 do Conselho Nacional de Saúde, que regulamentapesquisa com seres humanos.RESULTADOS E DISCUSSÃOA TAB. 1 apresenta os dados de caracterização da amostra. Dos 12participantes, 10 (83,4%) eram do gênero feminino. As mulheres são geralmentemais acometidas do que os homens, porém estudos mais recentes sugerem que ovitiligo pode acometer tanto homens quanto mulheres na mesma proporção(STEINER et al, 2004).A faixa etária que predominou na pesquisa foi de 41 a 60 anos, sendo queoito (66,6%) participantes relataram que apresentam o vitiligo desde a infância,com a idade de início da doença variando de cinco a onze anos de idade. Oresultado condiz com estudos de Silva et al (2006) no qual afirmam que oaparecimento do vitiligo pode ser precoce, ou seja, trabalhos demonstram que25% dos casos de vitiligo se iniciam na infância, antes dos 10 anos, e 50% doscasos se iniciam antes dos 20 anos de vida.Dos entrevistados, cinco (41,7%) consideraram-se de etnia parda seguido dequatro (33,3%) mulatos. O vitiligo afeta todas as etnias, mas acredita-se que naspessoas de pele escura, como a despigmentação causa maior destaque na pele,isto gera maior impacto neste grupo (SILVA et al, 2006). A maior ocorrência dovitiligo em pessoas pardas e mulatas, desta pesquisa, provavelmente reflete ascaracterísticas da cor da pele do maior conjunto racial da população brasileira.Em relação à escolaridade, seis (50%) pessoas tinham feito até o ensinofundamental incompleto, uma (8,4%) era analfabeta e uma (8,4%) pós-graduada. 4
  42. 42. Participantes da pesquisa relataram que a dermatose as impediam de irem comfreqüência à escola, porque tinham vergonha de estar em público e, ainda sofriamdiscriminação por parte de alguns colegas, fato este que pode ter contribuído parao baixo nível de escolaridade apresentado por metade da amostra.Dos participantes, sete (58,4%) são casados e 10 (83,4%) têm filhos. A partirdestes dados é possível afirmar que a presença do vitiligo não foi fator deimpedimento para o estabelecimento de relacionamento estável e exercício damaternidade ou paternidade.Quanto ao emprego, sete (58,3%) já exerceram atividades no mercadoformal de trabalho e, se encontravam aposentados no momento, inferindo-seassim, que essas pessoas não se ausentaram de atividades profissionais na faseadulta devido à dermatose vitiligo. Em relação à renda 11 (91,6%) participantespossuíam renda entre um a três salários mínimos. Foi demonstrado que cinco(41,7%) nunca fizeram tratamento e quatro (33,3%) não faziam o tratamento nomomento da entrevista, mas que já o fizeram; os dois grupos justificaram aRevista Enfermagem Integrada – Ipatinga: Unileste-MG-V.2-N.2-Nov./Dez. 2009362ausência ou interrupção da terapêutica por questões financeiras. A questão darenda familiar pode ter influenciado na auto-estima destas pessoas, pois a rendanão oferecia condições financeiras para manter um tratamento adequado, devidoao alto custo dos medicamentos e do tratamento no geral.Os 12 participantes da entrevista relataram nunca ter participado de gruposde apoio, porém quando questionados sobre a prática religiosa seis (50%)disseram que são evangélicos e seis (50%) relataram que são católicos,demonstrando assim que a participação freqüente na igreja, mesmo não tendosido por eles considerada como um grupo de apoio ofereceu conforto e suporteemocional.TABELA 1 Caracterização da amostraVariáveis Freqüência Percentual (%)GêneroMasculino 2 16,6Feminino 10 83,4Faixa etária21 – 40 1 8,441 - 60 8 66,661 – 80 3 25EtniaBranco 3 25Pardo 5 41,7Mulato 4 33,3 5
  43. 43. EscolaridadeAnalfabeto 1 8,4Ensino Fundamental Incompleto 6 50Ensino Fundamental Completo 1 8,4Ensino Médio Incompleto 1 8,4Ensino Médio Completo 2 16,6Pós-Graduação 1 8,4EmpregoSim 4 33,3Não 1 8,4Aposentada (o) 7 58,3Renda1 – 3 Salários Mínimo 11 91,67 – 9 Salários Mínimo 1 8,4Situação ConjugalSolteiro (a) 3 25Casado (a) / União estável 7 58,4Viúvo (a) 2 16,6Revista Enfermagem Integrada – Ipatinga: Unileste-MG-V.2-N.2-Nov./Dez. 2009FilhosSim 10 83,4Não 2 16,6ReligiãoEvangélica 6 50Católica 6 50Participação em Grupo de ApoioNão 12 100TratamentoSim 3 25Não 5 41,7Já fez 4 33,3Com base nos relatos e informações dos participantes, foi possívelidentificar aspectos importantes dos informantes que originaram dois temasprincipais para discussão. 6
  44. 44. Vitiligo alterando o cotidianoA convivência com doenças crônicas como o vitiligo modifica o cotidiano daspessoas fazendo surgir sentimentos como vergonha e culpa que podem trazerconseqüências sobre a percepção da qualidade de vida por parte dos acometidose de suas famílias.Os entrevistados relataram que sentiam constrangimento de interagir nasociedade, sentiam-se rejeitados pelas pessoas, enquanto outros disseram quecom o passar do tempo, aprenderam a superar a dificuldade que sentiam pararealizar as atividades do cotidiano devido à doença.[...] por não ter que sair no sol, se saio no sol fico descascando, combolhas e, sei que não tem cura ainda [...]. (Quartzo)[...] continua trazendo alteração no cotidiano, sinto muita vergonha de teressas manchas, eu me sinto uma pessoa rejeitada, fico perto das pessoase, sinto vergonha delas pensarem que é contagioso. (Rubi)No começo fiquei constrangido, com medo de ir em cachoeiras, piscinas,as pessoas, ficavam me olhando retraídas, fazendo brincadeiras, piadas,as pessoas brincam maldosamente, pensam que é micose e, falam que écontagioso. (Berilo)Uma doença de pele causa impacto na pessoa acometida alterando não sósua estrutura física como a emocional e social. Dias et al (2007), relacionam casosde dermatoses que levam a privação do sono, mudanças nas rotinas familiares,prejuízo de socialização e perdas de forma geral. Quanto às alterações daconvivência familiar é preciso verificar como o ambiente pode ter colaborado naRevista Enfermagem Integrada – Ipatinga: Unileste-MG-V.2-N.2-Nov./Dez. 2009condição de adoecimento. Uma das entrevistadas exemplifica esta situação:[...] após cinco anos de tratamento ininterrupto, eu cheguei a ficar semnenhuma mancha, aí teve um final de ano, que eu me lembro que passeipor uns problemas familiares, que abalou o meu emocional, aí asmanchas voltaram [...]. (Ametista)Estudos recentes apontam dados sobre estresse psicológico e outros fatoresestressantes da vida como desencadeadores ou agravadores do vitiligo (PICARDIet al, 2003 apud MULLER, RAMOS, 2004; TABORDA, WEBER, FREITAS, 2005).Estes autores avaliando a prevalência de sofrimento psíquico em pacientes comdermatoses psicocutâneas, as que constavam em seus estudos foram acnevulgar, vitiligo, psoríase, urticária, dermatite atópica e alopécia areata, apontaramque as doenças crônicas, de longa duração e inestéticas, como o vitiligo, podemestar associadas a maior grau de sofrimento psíquico com prejuízo emocionaldestes pacientes.Cada pessoa acometida pelo vitiligo tem uma percepção da doença que éúnica. Diferentes reações emocionais foram manifestadas de acordo com a formade enfrentamento, positivo ou negativo, ao vitiligo. Sentimentos como tristeza,melancolia, preocupação, mas também superação foram perceptíveis nas falas.[...] tem pessoa que repara a pigmentação da pele da gente, aí apessoa acha estranho, a auto-estima abaixa muito [...]. (Berilo)Acho triste, [...]. (Diamante)De espalhar para todo corpo, me preocupo com isso. (Esmeralda)[...] aprendi a conviver, aprendi a superar a situação com o tempo.(Pérola) 7
  45. 45. As pessoas que apresentam vitiligo têm suas próprias crenças sobre aidentidade, causa, duração e até mesmo cura de sua doença, que refletem emrespostas emocionais diversas como sentimentos autodepreciativos, vergonha,medo e estigma social, estresse psicossocial e baixa autoestima que podemcausar ou agravar distúrbios emocionais (LEVENTHAL, s.d, apud HOFFMANN etal, 2005).Nesse sentido, deve-se levar em consideração a singularidade de cadapessoa, pois a forma de interpretar a sua doença e de lidar com a mesmadepende também de aspectos muito individuais, o que é reforçado pelo estudo deSilva et al. (2006), que avaliaram stress e estratégias de coping em pacientes compsoríase, buscando identificar as diferentes formas do paciente perceber e lidarcom as situações de vida.Recursos de apoio e tratamentoSão várias as opções para o tratamento do vitiligo. Nesta pesquisa a terapiaRevista Enfermagem Integrada – Ipatinga: Unileste-MG-V.2-N.2-Nov./Dez. 2009365combinada, oral e tópica, foi relatada como sendo a mais utilizada pelosparticipantes. Foi marcante nos relatos a necessidade de interromper o tratamentopor dificuldades financeiras dos entrevistados. Verifica-se que os medicamentospara controle do vitiligo possuem custos altos e são ainda de difícil acesso aosusuários, fato que dificulta ou limita o tratamento das pessoas que apresentamvitiligo. Os fatores mencionados acima podem ser claramente percebidos nosrelatos de alguns participantes:Comecei a fazer o tratamento e parei, é por causa financeira e, tempopara relaxar, fiz o tratamento na época com medicamentos oral epomada. (Safira)Eu pagava os medicamentos, agora ta sendo financiado pela prefeiturade Ipatinga, meu tratamento é oral e pomada. (Turquesa)Há muito tempo se achava o Vitcromin só em BH, então você imagina, émuito difícil, a gente tinha que ir em BH, encomendar o remédio, compraro remédio, então havia muita dificuldade. (Turmalina)A literatura da área expõe que a terapia oral oferece melhores resultados ecom menos efeitos colaterais. Já a terapia tópica também é eficaz no tratamentodo vitiligo, apresentando como principal complicação o aparecimento de reaçõesbolhosas fototóxicas (STEINER et al, 2004).O tratamento de doenças crônicas sobrecarrega o Sistema Público deSaúde, pois tanto as consultas recorrentes quanto os medicamentos para controleapresentam custos elevados o que contribui para o agravamento do sofrimentopsíquico, social, econômico e cultural da pessoa acometida, gerando umdesequilíbrio do estado de saúde (SILVA; MULLER, 2007).Devido ao alto custo do tratamento, tanto dos medicamentos e das consultasrecorrentes, percebe-se que é de grande importância que o governo desperte paraincluir o tratamento do vitiligo nas políticas públicas de saúde, ou seja, o SistemaÚnico de Saúde (SUS). 8
  46. 46. As formas de enfrentamento das doenças de pele podem ser classificadasem formas ativas ou de aproximação que estão relacionadas aos esforçoscognitivos ou condutas para manejar diretamente o fator estressante, e a outraforma seria evitar o problema, ou seja, estabelecer ações para não confrontar como problema, através de condutas de fuga (SILVA; MULLER, 2007).O vitiligo causa respostas de estresse à pessoa acometida, assim, o ideal éque esta procure recursos para enfrentar as situações que lhe exige adaptação,no qual ajudariam a ter êxito com a saúde.Foi marcante nos relatos dos entrevistados a aproximação com outrosportadores de vitiligo e procura por apoio e conforto religioso, na figura de Deus enos membros da Igreja a qual freqüentavam para lidarem com a dermatose. Nosrelatos fica claro a ajuda da Igreja, seja através de recursos financeiros ou peloapoio espiritual, exemplificados abaixo:Revista Enfermagem Integrada – Ipatinga: Unileste-MG-V.2-N.2-Nov./Dez. 2009366[...] tinha irmãos da Igreja que me ajudava a comprar uns creme pramim, aí eles ajudavam [...]. (Rubi)[...] se não fosse Jesus, para mim dar forças, para mim sustentar essesanos todinho, porque na palavra de Deus a gente acha conforto, paranão olhares as complicações da vida, porque todo mundo tem aflições ecomplicações. (Turmalina)[...] todas as vezes que a gente vai à igreja, a gente nem lembra de teresse problema, se sente à vontade. (Ágata)Em momentos de fragilidade, o apoio de outras pessoas fortalece aautoconfiança, o que possibilita um melhor enfrentamento das situações desofrimento.Existe uma comunidade virtual, cujo endereço eletrônico é owww.vitiligo.com.br, que tem como objetivos a ampliação da rede derelacionamentos entre pessoas que convivem com este problema dermatológico,dando-lhes a oportunidade de elevarem a auto-estima, a partir docompartilhamento de experiências; colaborar para ampliar divulgação deinformações corretas sobre a doença, inibindo os inexplicáveis preconceitos erejeições sociais a esta dermatose; proporcionar à comunidade esclarecimentosque possibilitem a convivência amistosa, harmoniosa e saudável entre as pessoasque apresentam vitiligo e a sociedade em seus mais variados segmentos enfrentarde maneira adequada. 9
  47. 47. CONCLUSÃOAs pessoas acometidas pelo vitiligo em geral sofrem impactos psicossociaisque desequilibram o organismo, trazendo alterações físicas, emocionais e sociais.A pesquisa confirmou esta afirmativa, pois os participantes relataram ter tidomudanças em várias áreas de suas vidas relacionadas ao surgimento dadermatose.Notou-se que todos os participantes tiveram algum grau decomprometimento na auto-estima, pois a doença trouxe constrangimento, tristezae preocupação com a avaliação de outras pessoas quanto à modificação daestética da pele. Além disso, a falta de recursos financeiros para realização detratamento adequado foi outro fator presente nos depoimentos que tambémcontribuiu negativamente para o emocional dessas pessoas.Por fim, os resultados desta pesquisa reforçam a necessidade de umaassistência psicoterapêutica e equilíbrio emocional, além da terapiamedicamentosa, para que tenha eficiência o tratamento. O acompanhamentomultiprofissional tem como objetivo a busca por um estado de saúde integraldentro das possibilidades individuais e coletivas.O enfermeiro, membro da equipe multiprofissional para melhor assistir aoindivíduo portador desta dermatose, deve buscar embasamento científico quenorteie o conhecimento do vitiligo, estabelecendo orientações corretas e tem comomaior desafio tentar enxergar este indivíduo para além da sua pele, assim comoauxiliá-lo para que ele próprio consiga fazer o mesmo.Revista Enfermagem Integrada – Ipatinga: Unileste-MG-V.2-N.2-Nov./Dez. 2009REFERÊNCIASELDER, D. E.; LEVER, W. F. Histopatologia da pele de Lever: manual e atlas. SãoPaulo: Manole, 2001. 435 p.FONSECA, A.; PRISTA, L. V. N. Manual de terapia dermatológica e cosmetologia.São Paulo: Roca, 2000. 436 p.GODOY, A. S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista deAdministração de Empresas, v. 35, n. 2, p. 57-63, mar./abr. 1995.HOFFMAN, F. S.; ZOGBI, H.; FLECK, P.; MULLER, M. C. A integração mente ecorpo em psicodermatologia. Revista Psicologia: teoria e prática, São Paulo, v. 7,n. 1, jun. 2005. Não paginado. Disponível em: <http://pepsic.bvs-psi.org.br/sciel.php?script=sci_arttext&pid=S1516-36872005>. Acesso em: 26 set. 2008.KANTORSKI, L. P.; PINHO, L. B.; SAEKI, T.; SOUZA, M. C. B. M. Relacionamentoterapêutico e ensino de enfermagem psiquiátrica e saúde mental: tendências noEstado de São Paulo. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo v.39, n. 3, set. 2005. Não paginado. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0080-62342005000300010&script=sci_arttext>. Acesso em: 27 set. 2008.KEDE, M. V.; SABATOVICH, O. Dermatologia Estética. São Paulo: Atheneu, 2004.795 p.MINAYO, M. C. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. SãoPaulo: Hucitec/ ABRASCO, 1999.MULLER, M. C.; RAMOS, D. G. Psicodermatologia: uma interface entre psicologiae dermatologia. Rev. Psicologia: ciência e profissão, Brasília, v. 24, n. 3, set.,2004. Não paginado. Disponível em: <http://pepsic.bvspsi.org.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932004000300010&lng=pt&nrm=is>. Acesso em: 26 set. 2008. 10
  48. 48. OLIVEIRA, A. G. B.; ALESSI, N. P. O trabalho de enfermagem em saúde mental:contradições e potencialidades atuais. Rev Latino-am Enfermagem, RibeirãoPreto, v. 11, n. 3, p. 333-340, maio/jun. 2003. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rlae/v11n3/16543.pdf >. Acesso em: 27 set. 2008.RESOLUÇÃO N. 196. Regulamenta pesquisa com seres humanos. 10 de outubrode 1996 do Conselho Nacional de Saúde.Revista Enfermagem Integrada – Ipatinga: Unileste-MG-V.2-N.2-Nov./Dez. 2009368SANT’ ANNA, P. A.; GIOVATTI, R. M.; CASTANHO, A.G.; BAZHUNI, N. F. N.;SELVA, V. A. L. A expressão de conflitos psíquicos em afecções dermatológicas:um estudo de caso de uma paciente com vitiligo atendido com o jogo de areia.Revista Psicologia: Teoria e prática, São Paulo, v. 5, n. 1, p. 81-96, ago. 2003, 8.Disponível em: <http://pepsic.bvs-psi.org.br/pdf/ptp/v5n1/v5n1a07.pdf>. Acessoem: 02 fev. 2009.SILVA, J. D. T.; MULLER, M. C.; BONAMIGO, R. R. Estratégias de coping e níveisde estresse em pacientes portadores de psoríase. Revista Anais Brasileiros deDermatologias, Rio de Janeiro, v. 81, n. 2, mar./abr., 2006. Não paginado.Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0365-05962006000200005>. Acesso em: 26 set. 2008.SILVA, C. M. R.; GONTIJO, B.; PEREIRA, L. B.; RIBEIRO, G. B. Vitiligo nainfância: características clínicas e epidemiológicas. Revista Anais Brasileiros deDermatologia, Universidade Federal de Minas Gerais, v. 82, n. 1, out. 2006. Nãopaginado. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/abd/v82n1/v82n01a06.pdf>.Acesso em: 10 fev. 2008.SILVA, J. D. T.; MULLER, M. C. Uma integração teórica entre psicossomática,stress e doenças crônicas de pele. Revista Estudos de Psicologia, Campinas, v.24, n. 2, abr./jun 2007. Não paginado. Disponível em:<http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103166X2007000200011&script=sci_arttext&tlng=en%5D>. Acesso em: 26 set. 2008.STEINER, D.; BEDIN, V.; MORAES, M. B.; VILLAS, R. T.; STEINER, T. Vitiligo.Revista Anais Brasileiros de Dermatologia, Rio de Janeiro, v. 79, n. 3, maio/jun.,2004. Não paginado. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo. php?pid=S0365-05962004000300010&script=sci_arttext>. Acesso em: 27 set. 2008.TABORDA, M. L. V. V., WEBER, M. B.; FREITAS, E. S. (2005). Avaliação daprevalência de sofrimento psíquico em pacientes com dermatoses do espectropsicocutâneo. Revista Anais Brasileiros de Dermatologia, Rio Grande do Sul, v.80, n. 4, p. 351-4, 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/abd/v80n4/v80n4a04.pdf>. Acesso em: 20 fev. 2009.
  49. 49. O PAQUÍMETROPaquímetroO paquímetro é um instrumento usado para medir as dimensões linearesinternas, externas e de profundidade de uma peça. Consiste em uma réguagraduada, com encosto fixo, sobre a qual desliza um cursor.1. orelha fixa 8. encosto fixo2. orelha móvel 9. encosto móvel3. nônio ou vernier (polegada) 10. bico móvel4. parafuso de trava 11. nônio ou vernier (milímetro)5. cursor 12. impulsor6. escala fixa de polegadas 13. escala fixa de milímetros7. bico fixo 14. haste de profundidadeO cursor ajusta-se à régua e permite sua livre movimentação, com um mínimode folga. Ele é dotado de uma escala auxiliar, chamada nônio ou vernier. Essaescala permite a leitura de frações da menor divisão da escala fixa.O paquímetro é usado quando a quantidade de peças que se quer medir é
  50. 50. pequena.Os instrumentos mais utilizados apresentam uma resolução de:0,05 mm, 0,02 mm, 1/128" ou 0,001"As superfícies do paquímetro são planas e polidas, e o instrumento geralmenteé feito de aço inoxidável. Suas graduações são calibradas a 20ºC.Há vários tipos de paquímetros para possibilitar medidas em peças decaracterísticas diferentes. Alguns exemplos são: Tipo de paquímetro UtilizaçãoPaquímetro universal É utilizado em medições internas, externas, de profundidade e de ressaltos. Trata-se do tipo mais usado.Paquímetro universal com relógio O relógio acoplado ao cursor facilita a leitura, agilizando a medição.Paquímetro com bico móvel Empregado para medir peças(basculante) cônicas ou peças com rebaixos de diâmetros diferentes.Paquímetro de profundidade Serve para medir a profundidade de furos não vazados, rasgos, rebaixos etc. Esse tipo de paquímetro pode apresentar haste simples ou haste com gancho.Paquímetro duplo Serve para medir dentes de engrenagens.Paquímetro digital Utilizado para leitura rápida, livre de erro de paralaxe, e ideal para controle estatístico.NÔNIO:O nônio é a parte do paquímetro cuja finalidade é proporcionar uma medidacom uma resolução menor (mais precisa) do que a feita somente com a escalafixa.
  51. 51. A escala do cursor é chamada de nônio ou vernier, em homenagem aoportuguês Pedro Nunes e ao francês Pierre Vernier, considerados seusinventores.O nônio possui uma escala com n divisões para X mm da escala fixa.No caso da figura ao lado, o nônio está dividido em 10 partes iguais para 9 mm.Cada divisão do nônio possui 9/10 mm, portanto o 1º traço do nônio está a 1/10mm do próximo traço na escala fixa (comprimento esse que é a resolução dopaquímetro), o 2º traço do nônio está a 2/10 mm do seu próximo traço naescala fixa e assim sucessivamente.CÁLCULO DE RESOLUÇÃO:A resolução de um paquímetro é a distância compreendida entre a 1ªsubdivisão do nônio e a subdivisão subseqüente na escala fixa. Se o nônio mede X mm, e é dividido em n partes iguais, o comprimento compreendido entre duas subdivisões consecutivas do nônio é X/n. Este valor tem o seguinte formato em notação decimal: I,D. I representa a parte inteira do número decimal e D representa a parte fracionária. Por exemplo: X=39 mm e n = 20, X/n = 1,95. I=1. Resolução = (I+1)-X/nExemplos:· Nônio de 9 mm com 10 divisõesX/n = 0,9Resolução = 1 – 0,9 = 0,1 mm· Nônio de 39 mm com 20 divisõesX/n = 1,95Resolução = 2 − 1,95 = 0,05 mm· Nônio de 49 mm com 50 divisões
  52. 52. X/n = 0,98Resolução = 1 − 0,98 = 0,02 mmLEITURA DA MEDIDA: 1. Posicione o bico móvel de forma tal que a peça a ser medida se adapte com folga entre os bicos fixo e móvel (medida externa) ou entre as orelhas (medida interna) ou entre a haste de profundidade e a escala fixa (medida de profundidade) 2. Mova as partes móveis com o polegar atuando no impulsor até que a parte móvel (bico, orelha ou haste) encoste suavemente na peça. 3. Leia na escala fixa o número de milímetros inteiros (à esquerda do zero do nônio). 4. Leia a parte fracionária da medida observando qual traço do nônio coincide com algum traço da escala fixa e calcule o valor da fração multiplicando o número desse traço pela resolução. TECNICAS PARA NEUTRALIZARAquela técnica de neutralizar esquentando as cores( como no caso do preto e outrostons escuros ) misturado aos tons mandarim ,avelã ou vermelho funciona no caso dapessoa querer um tom bem escuro mesmo e se neutraliza as que foram feitas e setornaram azuladas?No caso seria usado uma gota de um desses tons para 5 do preto ououtras tonalidades escuras.
  53. 53. REMOÇÃO / DESPIGMANTAÇÃO DERMODESPIGMENTAÇ ÃO É A REMOÇÃO DAS CELULAS PIGMENTADAS, ATRAVÉS DE PROCESSO QUÍMICO. Atualmente nos deparamos com um número cada vez maior de clientes insatisfeitos, apresentando trabalhos grotescos de maquiagem definitiva, sem qualidade e harmonia, o que gera preconceito contra um trabalho que só deveria facilitar a vida das pessoas. No intuito de amenizar os maus resultados, e em alguns casos, saná-los completamente, temos a dermodespigmentação, uma técnica capaz de remover os pigmentos implantados na pele através da maquiagem definitiva. Por ser um procedimento traumático, antes de ser indicado, é feita uma avaliação detalhada, para que a técnica somente seja realizada em casos inevitáveis, pois a esta técnica pode ser aliada a correção de cor, onde se faz a micropigmentação do novo formato, mais adequado, e a remoção é feita somente nos locais que ficarem fora deste novo formato.
  54. 54. Esta técnica pode ser usadapara remoção de pigmentosde sobrancelhas, pálpebras,lábios e outras pigmentaçõessemelhantes1
  55. 55. SISTEMA TEGUMENTARA Dermodespigmentação éaparentemente um procedimentosimples, onde nós utilizamossoluções químicas chamadas,ácidos glicólicos.No caso dedermodespigmentação, essesácidos são inseridos na pele deforma subcutânea.Utilizando o mesmo aparelho queutilizamos na Micropigmentação,neste caso, o dermógrafo. 3 2

×