SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
Teoria da Cor Apresentação dirigida a alunos do 5º ano Realizada por Maria Plácido
Definição ,[object Object],[object Object]
Estudo das Cores pela mistura ou combinação de pigmentos
Cores primárias   Na   cor – pigmento  identificamos três cores básicas: ,[object Object],[object Object],[object Object]
POR MAIS QUE MISTUREMOS PIGMENTOS NUNCA OBTEREMOS CORES PRIMÁRIAS Elas são a base de todas as outras cores
  Cores Secundárias   Misturando as cores primárias duas a duas em  igual   quantidade  obtemos outras três cores:   Amarelo Magenta Laranja Azul   ciano Amarelo Verde Magenta Azul   ciano Violeta
CORES INTERMÉDIAS  Fazendo variar a quantidade das 2 cores primárias  obteremos diferentes  tons  de cor  entre as cores primárias e as cores secundárias
CORES intermédiasTERCIÁRIAS Fazendo variar as quantidades das três cores primárias obteremos uma gama de castanhos distintos
CORES NEUTRAS O branco e o preto não são consideradas cores Servem para dar mais ou menos luminosidade às cores A mistura entre si dá origem a uma escala de  cinzentos
[object Object],[object Object],LUMINOSIDADE  da cor
SATURAÇÃO da cor Uma cor é  saturada  quando não contém vestígios nem de branco nem de preto
A Cor dá-nos sensações de frescura ou de calor. Também nos dá sensações de alegria ou de tristeza,  conforme o nosso estado de espírito e a cultura de um povo.
CORES FRIAS Produzem sensação de frio
CORES FRIAS
Cores frias
Cores frias
George Seurat
Cores Quentes Produzem sensação de calor
Cores Quentes
Vangohg
 
Para além das qualidades térmicas, a  cor  contém uma forte carga simbólica  presente no nosso quotidiano TAREFA Procura  situações do dia a dia em que a cor tenha uma simbologia especial  e seja usada para fins práticos EXEMPLOS : 1- vermelho é a cor do amor 2 – Eco pontos Nota – pede ajuda aos teus familiares e está atento ao que te rodeia, em casa ou na rua . Regista as ideias no caderno de aluno
experiência prática: A fim de consolidares conhecimentos , irás realizar uma pintura  onde irás aplicar tudo o que sabes sobre a cor . Materiais necessários:  caixa de guaches, pincéis nºs 2,4,6 Pano de limpeza, azulejo para misturas BOM TRABALHO !!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estudo das cores
Estudo das coresEstudo das cores
Estudo das coresMara dalto
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das corespacobr
 
A cor - sínteses aditiva e subtrativa
A cor - sínteses aditiva e subtrativaA cor - sínteses aditiva e subtrativa
A cor - sínteses aditiva e subtrativaShinha Marques
 
Arte- a riqueza da cor
Arte- a riqueza da corArte- a riqueza da cor
Arte- a riqueza da corJaicinha
 
Design - Teoria das Corres
Design - Teoria das CorresDesign - Teoria das Corres
Design - Teoria das CorresOdair Cavichioli
 
1a. a u l a cor- (cores primárias e cores complementares)
1a. a u l a  cor- (cores primárias e cores complementares)1a. a u l a  cor- (cores primárias e cores complementares)
1a. a u l a cor- (cores primárias e cores complementares)elisabhp
 
Aula básica sobre as cores
Aula básica sobre as coresAula básica sobre as cores
Aula básica sobre as coresCéu Barros
 
1. Aula Teoria das Cores
1. Aula Teoria das Cores1. Aula Teoria das Cores
1. Aula Teoria das CoresAline Okumura
 
Aula Harmonia de Cores
Aula Harmonia de CoresAula Harmonia de Cores
Aula Harmonia de CoresEcoModa
 

Mais procurados (20)

Cor
CorCor
Cor
 
Estudo das cores
Estudo das coresEstudo das cores
Estudo das cores
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
 
A cor - sínteses aditiva e subtrativa
A cor - sínteses aditiva e subtrativaA cor - sínteses aditiva e subtrativa
A cor - sínteses aditiva e subtrativa
 
As cores
As coresAs cores
As cores
 
Luz e cor
Luz e corLuz e cor
Luz e cor
 
A luz e cor
A luz e corA luz e cor
A luz e cor
 
Arte- a riqueza da cor
Arte- a riqueza da corArte- a riqueza da cor
Arte- a riqueza da cor
 
Design - Teoria das Corres
Design - Teoria das CorresDesign - Teoria das Corres
Design - Teoria das Corres
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
 
1a. a u l a cor- (cores primárias e cores complementares)
1a. a u l a  cor- (cores primárias e cores complementares)1a. a u l a  cor- (cores primárias e cores complementares)
1a. a u l a cor- (cores primárias e cores complementares)
 
Luz e cor
Luz e corLuz e cor
Luz e cor
 
Aula básica sobre as cores
Aula básica sobre as coresAula básica sobre as cores
Aula básica sobre as cores
 
1. Aula Teoria das Cores
1. Aula Teoria das Cores1. Aula Teoria das Cores
1. Aula Teoria das Cores
 
Aula Harmonia de Cores
Aula Harmonia de CoresAula Harmonia de Cores
Aula Harmonia de Cores
 
A Cor Power Point
 A Cor Power Point A Cor Power Point
A Cor Power Point
 
Slide completo 6 ano
Slide completo 6 anoSlide completo 6 ano
Slide completo 6 ano
 
Estudo das cores i
Estudo das cores iEstudo das cores i
Estudo das cores i
 
A cor sínteses
A cor síntesesA cor sínteses
A cor sínteses
 
Estudo das cores
Estudo das coresEstudo das cores
Estudo das cores
 

Destaque

Retratos sociológicos bernard lahite
Retratos sociológicos   bernard lahiteRetratos sociológicos   bernard lahite
Retratos sociológicos bernard lahiteMara Salvucci
 
Questões sociais
Questões sociaisQuestões sociais
Questões sociaisHistoriando
 
Os corpos celestes no espaço
Os corpos celestes no espaçoOs corpos celestes no espaço
Os corpos celestes no espaçoLuise Moura
 
O Pontilhismo, artistas principais e suas tecnicas.
O Pontilhismo, artistas principais e suas tecnicas.O Pontilhismo, artistas principais e suas tecnicas.
O Pontilhismo, artistas principais e suas tecnicas.Daniel Santin
 
Corpos celestes - Apresentação
Corpos celestes - ApresentaçãoCorpos celestes - Apresentação
Corpos celestes - Apresentaçãoperiodig
 
6. partículas subatômicas
6. partículas subatômicas6. partículas subatômicas
6. partículas subatômicasRebeca Vale
 
Microscópio óptico
Microscópio ópticoMicroscópio óptico
Microscópio ópticodavidjpereira
 
5. o átomo de dalton
5. o átomo de dalton5. o átomo de dalton
5. o átomo de daltonRebeca Vale
 
9o. Ano- A evolução do impressionismo- o pontilhismo- georges seurat e paul...
  9o. Ano- A evolução do impressionismo- o pontilhismo- georges seurat e paul...  9o. Ano- A evolução do impressionismo- o pontilhismo- georges seurat e paul...
9o. Ano- A evolução do impressionismo- o pontilhismo- georges seurat e paul...ArtesElisa
 
Introdução a citologia
Introdução a citologiaIntrodução a citologia
Introdução a citologiaemanuel
 
Citoplasma e organelas citoplasmáticas
Citoplasma e organelas citoplasmáticasCitoplasma e organelas citoplasmáticas
Citoplasma e organelas citoplasmáticasaferna
 

Destaque (20)

Retratos sociológicos bernard lahite
Retratos sociológicos   bernard lahiteRetratos sociológicos   bernard lahite
Retratos sociológicos bernard lahite
 
História da arte
História da arteHistória da arte
História da arte
 
Questões sociais
Questões sociaisQuestões sociais
Questões sociais
 
O universo
O universoO universo
O universo
 
Os corpos celestes no espaço
Os corpos celestes no espaçoOs corpos celestes no espaço
Os corpos celestes no espaço
 
O Pontilhismo, artistas principais e suas tecnicas.
O Pontilhismo, artistas principais e suas tecnicas.O Pontilhismo, artistas principais e suas tecnicas.
O Pontilhismo, artistas principais e suas tecnicas.
 
Corpos celestes
Corpos celestesCorpos celestes
Corpos celestes
 
Tabela periodica
Tabela periodicaTabela periodica
Tabela periodica
 
Questões sociais
Questões sociaisQuestões sociais
Questões sociais
 
Corpos celestes - Apresentação
Corpos celestes - ApresentaçãoCorpos celestes - Apresentação
Corpos celestes - Apresentação
 
Aula 4 - CFQ - 7º ano
Aula 4 - CFQ - 7º anoAula 4 - CFQ - 7º ano
Aula 4 - CFQ - 7º ano
 
6. partículas subatômicas
6. partículas subatômicas6. partículas subatômicas
6. partículas subatômicas
 
Átomos
ÁtomosÁtomos
Átomos
 
Microscópio óptico
Microscópio ópticoMicroscópio óptico
Microscópio óptico
 
5. o átomo de dalton
5. o átomo de dalton5. o átomo de dalton
5. o átomo de dalton
 
Neoclássico
NeoclássicoNeoclássico
Neoclássico
 
9o. Ano- A evolução do impressionismo- o pontilhismo- georges seurat e paul...
  9o. Ano- A evolução do impressionismo- o pontilhismo- georges seurat e paul...  9o. Ano- A evolução do impressionismo- o pontilhismo- georges seurat e paul...
9o. Ano- A evolução do impressionismo- o pontilhismo- georges seurat e paul...
 
Introdução a citologia
Introdução a citologiaIntrodução a citologia
Introdução a citologia
 
Pontilhismo 1
Pontilhismo 1Pontilhismo 1
Pontilhismo 1
 
Citoplasma e organelas citoplasmáticas
Citoplasma e organelas citoplasmáticasCitoplasma e organelas citoplasmáticas
Citoplasma e organelas citoplasmáticas
 

Semelhante a A cor (20)

1189800457 Cores Quentes[1]
1189800457 Cores Quentes[1]1189800457 Cores Quentes[1]
1189800457 Cores Quentes[1]
 
Pg aula 8
Pg aula 8Pg aula 8
Pg aula 8
 
Apostila cor 6o ano 2013
Apostila cor 6o ano 2013Apostila cor 6o ano 2013
Apostila cor 6o ano 2013
 
A Cor
A CorA Cor
A Cor
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
 
Apostila cor 6o ano 2018
Apostila cor 6o ano 2018Apostila cor 6o ano 2018
Apostila cor 6o ano 2018
 
Trabalho De Grafica. Diana E Hugo
Trabalho De Grafica. Diana E HugoTrabalho De Grafica. Diana E Hugo
Trabalho De Grafica. Diana E Hugo
 
O COLORIDO E A ALEGRIA DAS OBRAS DE ROMERO BRITTO
O COLORIDO E A ALEGRIA DAS OBRAS DE ROMERO BRITTOO COLORIDO E A ALEGRIA DAS OBRAS DE ROMERO BRITTO
O COLORIDO E A ALEGRIA DAS OBRAS DE ROMERO BRITTO
 
Apostila cor 6o ano 2014
Apostila cor 6o ano 2014Apostila cor 6o ano 2014
Apostila cor 6o ano 2014
 
38
3838
38
 
Teoria Das Cores
Teoria Das  CoresTeoria Das  Cores
Teoria Das Cores
 
As Cores na Publicidade
As Cores na PublicidadeAs Cores na Publicidade
As Cores na Publicidade
 
Cor evt
Cor evtCor evt
Cor evt
 
O COLORIDO E A ALEGRIA DAS OBRAS DE ROMERO BRITTO
O COLORIDO E A ALEGRIA DAS OBRAS DE ROMERO BRITTOO COLORIDO E A ALEGRIA DAS OBRAS DE ROMERO BRITTO
O COLORIDO E A ALEGRIA DAS OBRAS DE ROMERO BRITTO
 
A Cor
A CorA Cor
A Cor
 
teoria_das_coresBOM.ppt
teoria_das_coresBOM.pptteoria_das_coresBOM.ppt
teoria_das_coresBOM.ppt
 
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das cores
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das coresElementos da Linguagem Visual: Teoria das cores
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das cores
 
19442165 teoria-das-cores
19442165 teoria-das-cores19442165 teoria-das-cores
19442165 teoria-das-cores
 
Estudo das cores
Estudo das coresEstudo das cores
Estudo das cores
 

Mais de Alaor

Eletiva 3 B As dores do mundo Professor Leandro
Eletiva 3 B As dores do mundo Professor LeandroEletiva 3 B As dores do mundo Professor Leandro
Eletiva 3 B As dores do mundo Professor LeandroAlaor
 
Eletiva iii menodora-tribos urbanas
Eletiva iii menodora-tribos urbanasEletiva iii menodora-tribos urbanas
Eletiva iii menodora-tribos urbanasAlaor
 
Eletiva 3 F do batuque da senzala a MPB professora clecita
Eletiva 3 F do batuque da senzala a MPB professora clecitaEletiva 3 F do batuque da senzala a MPB professora clecita
Eletiva 3 F do batuque da senzala a MPB professora clecitaAlaor
 
Arte figurativa menodora 2012
Arte figurativa menodora 2012Arte figurativa menodora 2012
Arte figurativa menodora 2012Alaor
 
Resíduos sólidos a experiência da coleta
Resíduos sólidos   a experiência da coletaResíduos sólidos   a experiência da coleta
Resíduos sólidos a experiência da coletaAlaor
 
Palestra meio ambiente munic.ddos
Palestra meio ambiente   munic.ddosPalestra meio ambiente   munic.ddos
Palestra meio ambiente munic.ddosAlaor
 
Sr. Moacir Escola Menodora
Sr. Moacir Escola MenodoraSr. Moacir Escola Menodora
Sr. Moacir Escola MenodoraAlaor
 
Slide menodora 2--_para_sala
Slide menodora 2--_para_salaSlide menodora 2--_para_sala
Slide menodora 2--_para_salaAlaor
 
O homem e o planeta
O homem  e o planetaO homem  e o planeta
O homem e o planetaAlaor
 
Brasil geoeconômico maisa
Brasil geoeconômico maisaBrasil geoeconômico maisa
Brasil geoeconômico maisaAlaor
 
Cubismo ii
Cubismo iiCubismo ii
Cubismo iiAlaor
 
Primavera
PrimaveraPrimavera
PrimaveraAlaor
 
Trabalho de literatura
Trabalho de literaturaTrabalho de literatura
Trabalho de literaturaAlaor
 
José sousa saramago
José sousa saramagoJosé sousa saramago
José sousa saramagoAlaor
 
Fernando pessoa
Fernando pessoaFernando pessoa
Fernando pessoaAlaor
 
Dadaísmo
DadaísmoDadaísmo
DadaísmoAlaor
 
Dadaísmo
DadaísmoDadaísmo
DadaísmoAlaor
 
Slide Surrealismo Cores
Slide Surrealismo CoresSlide Surrealismo Cores
Slide Surrealismo CoresAlaor
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
SurrealismoAlaor
 
1ºE
1ºE1ºE
1ºEAlaor
 

Mais de Alaor (20)

Eletiva 3 B As dores do mundo Professor Leandro
Eletiva 3 B As dores do mundo Professor LeandroEletiva 3 B As dores do mundo Professor Leandro
Eletiva 3 B As dores do mundo Professor Leandro
 
Eletiva iii menodora-tribos urbanas
Eletiva iii menodora-tribos urbanasEletiva iii menodora-tribos urbanas
Eletiva iii menodora-tribos urbanas
 
Eletiva 3 F do batuque da senzala a MPB professora clecita
Eletiva 3 F do batuque da senzala a MPB professora clecitaEletiva 3 F do batuque da senzala a MPB professora clecita
Eletiva 3 F do batuque da senzala a MPB professora clecita
 
Arte figurativa menodora 2012
Arte figurativa menodora 2012Arte figurativa menodora 2012
Arte figurativa menodora 2012
 
Resíduos sólidos a experiência da coleta
Resíduos sólidos   a experiência da coletaResíduos sólidos   a experiência da coleta
Resíduos sólidos a experiência da coleta
 
Palestra meio ambiente munic.ddos
Palestra meio ambiente   munic.ddosPalestra meio ambiente   munic.ddos
Palestra meio ambiente munic.ddos
 
Sr. Moacir Escola Menodora
Sr. Moacir Escola MenodoraSr. Moacir Escola Menodora
Sr. Moacir Escola Menodora
 
Slide menodora 2--_para_sala
Slide menodora 2--_para_salaSlide menodora 2--_para_sala
Slide menodora 2--_para_sala
 
O homem e o planeta
O homem  e o planetaO homem  e o planeta
O homem e o planeta
 
Brasil geoeconômico maisa
Brasil geoeconômico maisaBrasil geoeconômico maisa
Brasil geoeconômico maisa
 
Cubismo ii
Cubismo iiCubismo ii
Cubismo ii
 
Primavera
PrimaveraPrimavera
Primavera
 
Trabalho de literatura
Trabalho de literaturaTrabalho de literatura
Trabalho de literatura
 
José sousa saramago
José sousa saramagoJosé sousa saramago
José sousa saramago
 
Fernando pessoa
Fernando pessoaFernando pessoa
Fernando pessoa
 
Dadaísmo
DadaísmoDadaísmo
Dadaísmo
 
Dadaísmo
DadaísmoDadaísmo
Dadaísmo
 
Slide Surrealismo Cores
Slide Surrealismo CoresSlide Surrealismo Cores
Slide Surrealismo Cores
 
Surrealismo
SurrealismoSurrealismo
Surrealismo
 
1ºE
1ºE1ºE
1ºE
 

Último

o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxmariiiaaa1290
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAElianeAlves383563
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfandreaLisboa7
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 

Último (20)

o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 

A cor

  • 1. Teoria da Cor Apresentação dirigida a alunos do 5º ano Realizada por Maria Plácido
  • 2.
  • 3. Estudo das Cores pela mistura ou combinação de pigmentos
  • 4.
  • 5. POR MAIS QUE MISTUREMOS PIGMENTOS NUNCA OBTEREMOS CORES PRIMÁRIAS Elas são a base de todas as outras cores
  • 6. Cores Secundárias Misturando as cores primárias duas a duas em igual quantidade obtemos outras três cores: Amarelo Magenta Laranja Azul ciano Amarelo Verde Magenta Azul ciano Violeta
  • 7. CORES INTERMÉDIAS Fazendo variar a quantidade das 2 cores primárias obteremos diferentes tons de cor entre as cores primárias e as cores secundárias
  • 8. CORES intermédiasTERCIÁRIAS Fazendo variar as quantidades das três cores primárias obteremos uma gama de castanhos distintos
  • 9. CORES NEUTRAS O branco e o preto não são consideradas cores Servem para dar mais ou menos luminosidade às cores A mistura entre si dá origem a uma escala de cinzentos
  • 10.
  • 11. SATURAÇÃO da cor Uma cor é saturada quando não contém vestígios nem de branco nem de preto
  • 12. A Cor dá-nos sensações de frescura ou de calor. Também nos dá sensações de alegria ou de tristeza, conforme o nosso estado de espírito e a cultura de um povo.
  • 13. CORES FRIAS Produzem sensação de frio
  • 18. Cores Quentes Produzem sensação de calor
  • 21.  
  • 22. Para além das qualidades térmicas, a cor contém uma forte carga simbólica presente no nosso quotidiano TAREFA Procura situações do dia a dia em que a cor tenha uma simbologia especial e seja usada para fins práticos EXEMPLOS : 1- vermelho é a cor do amor 2 – Eco pontos Nota – pede ajuda aos teus familiares e está atento ao que te rodeia, em casa ou na rua . Regista as ideias no caderno de aluno
  • 23. experiência prática: A fim de consolidares conhecimentos , irás realizar uma pintura onde irás aplicar tudo o que sabes sobre a cor . Materiais necessários: caixa de guaches, pincéis nºs 2,4,6 Pano de limpeza, azulejo para misturas BOM TRABALHO !!!!