SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Definições de Planos
O conceito de plano é um tanto amplo, e a palavra é utilizada de uma forma bem elástica. Umas definições podem ser:
DEFINIÇÃO
O plano é
- o intervalo que há entre dois cortes.
- a menor unidade fílmica.
- um trecho de filme rodado ininterruptamente, ou que parece ter sido rodado sem interrupção
- um conjunto ordenado de fotogramas ou imagens fixas, limitado espacialmente por um enquadramento (que
pode ser fixo ou móvel) e temporalmente por uma duração.
Quando um plano é cortado na montagem e se passa ao plano seguinte, muda a posição da câmera e as dimensões do plano.
No momento da filmagem, o plano inicia-se sempre que a câmera é ligada para a captação de imagens e termina quando
ela é desligada.
No processo de montagem, partes do início e do final de cada plano rodado são eliminadas, sendo determinada a sua
duração definitiva, atendendo a critérios de ritmo e fluência. Um único plano pode ser dividido em trechos menores e dar
origem a dois ou mais planos, que serão intercalados com outros dentro de uma cena ou sequência.
Além disso, se foram rodadas várias tomadas de cada plano, o montador deverá escolher qual delas é a melhor, levando em
conta critérios de interpretação dos atores, qualidade técnica da fotografia, movimentos de câmara, som, enquadramento,
etc. Portanto, na montagem, cada tomada é uma opção de plano.
No filme finalizado, o plano não será mais um trecho inteiro de filme rodado, mas apenas o trecho selecionado pelo
montador, eventualmente modificado pelo processo de pós-produção. O plano é então percebido como um trecho de filme
situado entre dois cortes.
Por outro lado, no filme pronto o plano não é mais um conjunto de tentativas de filmagem ou de opções de montagem, mas
uma única escolha, montada em sequência com os demais planos do filme. No filme pronto, a tomada deixa de existir, ou
então torna-se sinônimo de plano.
Vídeo aula – Plano (Telinha de Cinema)
Enquadramento
Enquadrar é a ação de selecionar determinada porção do cenário para figurar na tela, escolhendo o s ângulos e a amplitude
do plano. Assim, a depender do enquadramento, uma paisagem pode aparecer com mais céu, mais árvores, mais água. Uma
pessoa pode aparecer inteira na tela, ou pode-se optar por mostrar apenas seu rosto.
DICA
Regra dos Terços
Olhando pelo visor da câmera e dividindo mentalmente o
quadro em três partes (três horizontais e três verticais) as melhores imagens são aquelas onde o assunto
principal não está no centro e sim em um dos quatro pontos de interseção chamados de pontos de ouro ou
áureos. A colocação em um destes pontos vai depender do assunto e de como ele deve ser apresentado.
Posicionando nos pontos de cruzamento o assunto que se deseja destacar para se obter uma foto equilibrada.
Por exemplo, os olhos de um personagem devem ficar na linha superior. O horizonte não deve ficar no centro do
quadro e sim na linha superior ou na inferior quando se quiser dar mais ênfase ao primeiro plano. Esta é uma
regra que deve ser seguida em tomadas normais, mas pode-se por razões dramáticas ou para isolar um objeto do
todo, enquadrar de outra maneira.
Classificações dos Planos
O plano costuma ser classificado de acordo com diversos critérios:
- Quanto à distância entre a câmera e o objecto filmado (enquadramento):
- Quanto à duração
- Quanto ao ângulo vertical
- Quanto ao ângulo horizontal
- Quanto ao movimento
A Escala dos Planos:
REFERÊNCIA
Exemplos de planos no cinema
REFERÊNCIA
Planos Cinematográficos no Cinema Moderno
Plano Geral
Enquadramento de um grande cenário ou de uma paisagem, no qual é difícil identificar a presença dos personagens de
imediato. O Plano Geral pode ser um conjunto de casas, uma cena geral e aberta das ruas de uma cidade, um grande campo
para agricultura e outras cenas de iguais proporções. Este plano serve para contextualizar o local onde ocorrerá a cena
seguinte.
Plano de Conjunto
No plano de conjunto é mostrado um enquadramento de um cenário, no qual um ou mais personagens podem ser
vislumbrados e identificados facilmente. Assim como no Plano Geral, este plano serve para contextualizar o local onde
ocorrerá todo o resto da cena, assim como para mostrar quais personagens participam desta cena.
Plano de Detalhe
O plano de detalhe mostra detalhes do rosto, de uma parte do corpo, de um objeto, etc.
Este enquadramento serve para chamar a atenção para um objeto, como uma mala que foi esquecida no aeroporto, ou para
uma ação de uma parte específica do corpo, como as mãos de um personagem escrevendo uma carta.
Também serve para aumentar a carga dramática de uma cena, como por exemplo, ao enquadrar os pés de um assassino
caminhando pela casa, sem revelar sua identidade. Ou o enquadramento dos dedos de um personagem nervoso, tamborilando
sobre a mesa.
Plano Médio
Plano médio mostra um trecho de um ambiente, em geral com pelo menos um personagem em quadro, de corpo inteiro.
Plano Americano
Plano americano mostra o personagem dos joelhos para cima, aproximadamente.
Primeiro Plano
O Primeiro Plano (às vezes chamado também close-up) mostra um único personagem em enquadramento mais fechado que o
plano americano, em que o ator é focalizado somente em sua face.
Primeiríssimo Plano
O Primeiríssimo Plano (ou close-up) é mais fechado ainda que o Primeiro Plano
Siglas dos Planos
Traduções do Inglês dos Planos mais comuns
Significados dos Planos
REFERÊNCIA
Tipos de Enquadramentos Cinematográficos
Efeitos Psicológicos
- Personagem no ângulo de duas paredes – cria sensação de confinamento.
- Câmera não enquadrando teto – cria sensação de confinamento.
- Personagem se afastando da câmera – cria sensação de solidão (em direção ao mar em dia chuvoso, por exemplo).
- Personagem se aproximando rápido em direção à câmera – cria sensação ameaçadora. O personagem parece crescer.
- Câmera alta – faz o personagem parecer pequeno. Réu diante do juiz, por exemplo. Sobre um veículo, faz ele parecer
perder a velocidade.
- Câmera baixa – faz o personagem mais importante. Usando uma grande angular, o veículo parece ganhar velocidade.
- Câmera enquadrando o céu – cria sensação de liberdade.
REFERÊNCIA
Análise de Enquadramentos: filme A Cela
Planos e durações
- Plano relâmpago: dura menos de um segundo, correspondendo quase a um piscar de olhos.
- Plano-sequência: é um plano tão longo que se pode dizer que corresponde a uma sequência inteira do filme.
- Entre esses dois extremos, pode haver planos mais curtos (com duração de uns poucos segundos) ou mais longos (durando
um ou vários minutos).
Mas é claro que a percepção de um plano como curto ou longo depende não apenas de sua duração, mas também do que
acontece no decorrer do plano.
Ângulos
Enquanto ao ângulo vertical do enquadramento:
Ângulos
 Ângulo Normal:
a câmera está situada na mesma altura do olho do ator, vendo o ambiente como este. No geral, intensifica
a dramaticidade do roteiro;
 Câmera Alta ou Plongê (do francês plongée, “mergulhado”) ou Picado:
a câmara está posicionada acima do seu objecto, que é visto, portanto, em ângulo superior. Enquadra a
pessoa de cima para baixo dando a impressão de achatamento ou inferioridade.
 Câmera Baixa ou Contre-Plongée:
 Contra-plongê ou Contra-picado: a câmara colocada abaixo do objeto faz com que o espectador veja a cena de baixo para cima (por
exemplo, abaixo do nível do olhar do personagem). Ao contrário da câmera alta dá a impressão de superioridade.
 Câmera na diagonal:
Gera um desequilíbrio na imagem criando uma tensão interna. É usada para revelar estados de
desequilíbrio. Por exemplo: pessoa passando mal — câmera em close-up pegando o rosto de lado.
 Câmera Subjetiva:
A câmera subjetiva é aquela em que temos a impressão de estarmos olhando a cena com os olhos do ator
ou atriz.Por exemplo: Bate-se na porta e uma mulher atende. Mostra-se essa mulher em primeiro plano e a
pessoa que bateu na porta em primeiro plano também. Elas conversam entre si e as cenas as mostram de
frente uma falando com a outra. A câmera assume o papel (ponto de vista) de cada um dos
personagens.[[REC ]]
FILME
Enter the Void (trailer)
https://www.youtube.com/watch?v=ijvm4QSXXUs
ENTER THE VOID (death scene)
http://www.youtube.com/watch?v=pQy3qwKYgIo
 Câmera Zenital (ou plongê absoluto): a câmara é colocada no alto do cenário, apontando diretamente
para baixo.
 Câmera Contra-Zenital (ou contra-plongê absoluto): a câmara aponta diretamente para cima.
Enquanto ao ângulo horizontal:
 Frontal: é o plano em que a câmara filma o personagem ou objeto de frente.
 Lateral (ou de perfil): o personagem é visto de lado.
 Traseiro: o personagem é visto por trás.
 Plano de 3/4: ângulo intermediário entre o frontal e o lateral (assim chamado porque mostra
aproximadamente 3/4 do rosto do personagem).
 Plano de 1/4: ângulo intermediário entre o lateral e o traseiro.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Linguagem cinematográfica
Linguagem cinematográficaLinguagem cinematográfica
Linguagem cinematográfica
Venelouis Polar
 
Storyline, roteiro e storyboard
Storyline, roteiro e storyboardStoryline, roteiro e storyboard
Storyline, roteiro e storyboard
Aline Corso
 

Mais procurados (20)

Aula linguagem audiovisual 02
Aula linguagem audiovisual 02Aula linguagem audiovisual 02
Aula linguagem audiovisual 02
 
Enquadramento de câmera
Enquadramento de câmeraEnquadramento de câmera
Enquadramento de câmera
 
PRODUÇÃO AUDIOVISUAL Processos de produção audiovisual pdf
PRODUÇÃO AUDIOVISUAL Processos de produção audiovisual pdfPRODUÇÃO AUDIOVISUAL Processos de produção audiovisual pdf
PRODUÇÃO AUDIOVISUAL Processos de produção audiovisual pdf
 
Planos
PlanosPlanos
Planos
 
Planos de câmera
Planos de câmeraPlanos de câmera
Planos de câmera
 
Slides do Módulo 3 sobre Roteiro e Edição de vídeo
Slides do Módulo 3 sobre Roteiro e Edição de vídeoSlides do Módulo 3 sobre Roteiro e Edição de vídeo
Slides do Módulo 3 sobre Roteiro e Edição de vídeo
 
Linguagem cinematografica
Linguagem cinematograficaLinguagem cinematografica
Linguagem cinematografica
 
Introdução ao Audiovisual
Introdução ao Audiovisual Introdução ao Audiovisual
Introdução ao Audiovisual
 
Linguagem cinematográfica
Linguagem cinematográficaLinguagem cinematográfica
Linguagem cinematográfica
 
Animação 1 - Linguagem Cinematografica
Animação 1 - Linguagem CinematograficaAnimação 1 - Linguagem Cinematografica
Animação 1 - Linguagem Cinematografica
 
Produção e Realização Audiovisual 1 - aula pré-produção
Produção e Realização Audiovisual 1 - aula pré-produçãoProdução e Realização Audiovisual 1 - aula pré-produção
Produção e Realização Audiovisual 1 - aula pré-produção
 
Plano cinematógrafico
Plano cinematógraficoPlano cinematógrafico
Plano cinematógrafico
 
O papel criador da câmera
O papel criador da câmeraO papel criador da câmera
O papel criador da câmera
 
Storyline, roteiro e storyboard
Storyline, roteiro e storyboardStoryline, roteiro e storyboard
Storyline, roteiro e storyboard
 
Características fundamentais da linguagem audiovisual
Características fundamentais da linguagem audiovisualCaracterísticas fundamentais da linguagem audiovisual
Características fundamentais da linguagem audiovisual
 
Luz artificial
Luz artificialLuz artificial
Luz artificial
 
2. Cinematografia
2. Cinematografia2. Cinematografia
2. Cinematografia
 
3. Mise-en-scène
3. Mise-en-scène3. Mise-en-scène
3. Mise-en-scène
 
Aula Animação - história e os princípios básicos
Aula Animação - história e os princípios básicosAula Animação - história e os princípios básicos
Aula Animação - história e os princípios básicos
 
Animação 1 - Roteiro (3) Documento de Criação de Narrativa / Personagem
Animação 1 - Roteiro (3) Documento de Criação de Narrativa / PersonagemAnimação 1 - Roteiro (3) Documento de Criação de Narrativa / Personagem
Animação 1 - Roteiro (3) Documento de Criação de Narrativa / Personagem
 

Semelhante a Definições de Planos.docx

Vídeo noções básicas
Vídeo   noções básicasVídeo   noções básicas
Vídeo noções básicas
Rebeca Esteves
 
Conceitos básicos da produção audio visual
Conceitos básicos da produção audio visualConceitos básicos da produção audio visual
Conceitos básicos da produção audio visual
Francisco Machado
 
O olho da camera rev
O olho da camera revO olho da camera rev
O olho da camera rev
guestdd96fad
 
Tecnica de filmagem captura
Tecnica de filmagem   capturaTecnica de filmagem   captura
Tecnica de filmagem captura
SP LINS STUDIO
 
LINGUAGEM VISUAL - Aula 4
LINGUAGEM VISUAL -     Aula 4LINGUAGEM VISUAL -     Aula 4
LINGUAGEM VISUAL - Aula 4
videoparatodos
 
Estética,movimentos de câmara e enquadramentos
Estética,movimentos de câmara e enquadramentosEstética,movimentos de câmara e enquadramentos
Estética,movimentos de câmara e enquadramentos
Clara Ferreira
 

Semelhante a Definições de Planos.docx (20)

Vídeo noções básicas
Vídeo   noções básicasVídeo   noções básicas
Vídeo noções básicas
 
Edm 02 2016 aula 02
Edm 02 2016 aula 02Edm 02 2016 aula 02
Edm 02 2016 aula 02
 
Planos narrativos
Planos narrativosPlanos narrativos
Planos narrativos
 
Posicionamento de camera
Posicionamento de cameraPosicionamento de camera
Posicionamento de camera
 
Linguagem 1
Linguagem 1Linguagem 1
Linguagem 1
 
direc3a7ao-narrativa.ppt
direc3a7ao-narrativa.pptdirec3a7ao-narrativa.ppt
direc3a7ao-narrativa.ppt
 
Dsg 1004 narrativa audiovisual_2018-1
Dsg 1004 narrativa audiovisual_2018-1Dsg 1004 narrativa audiovisual_2018-1
Dsg 1004 narrativa audiovisual_2018-1
 
Planos de gravação
Planos de gravaçãoPlanos de gravação
Planos de gravação
 
RELAÇÕES PÚBLICAS criação e produção audiovisual 3
RELAÇÕES PÚBLICAS criação e produção audiovisual  3RELAÇÕES PÚBLICAS criação e produção audiovisual  3
RELAÇÕES PÚBLICAS criação e produção audiovisual 3
 
Slides planos
Slides planosSlides planos
Slides planos
 
Slide Cinema e Compartilhamento
Slide Cinema e CompartilhamentoSlide Cinema e Compartilhamento
Slide Cinema e Compartilhamento
 
Conceitos básicos da produção audio visual
Conceitos básicos da produção audio visualConceitos básicos da produção audio visual
Conceitos básicos da produção audio visual
 
2ª Aula De Fotografia
2ª Aula De Fotografia2ª Aula De Fotografia
2ª Aula De Fotografia
 
aula 02 - Produção Em Tv - parte 2
aula 02 - Produção Em Tv - parte 2aula 02 - Produção Em Tv - parte 2
aula 02 - Produção Em Tv - parte 2
 
O olho da camera rev
O olho da camera revO olho da camera rev
O olho da camera rev
 
Tecnica de filmagem captura
Tecnica de filmagem   capturaTecnica de filmagem   captura
Tecnica de filmagem captura
 
LINGUAGEM VISUAL - Aula 4
LINGUAGEM VISUAL -     Aula 4LINGUAGEM VISUAL -     Aula 4
LINGUAGEM VISUAL - Aula 4
 
GUIAO_TECNICO_BGREEN.pptx Guião para o concurso bGreen
GUIAO_TECNICO_BGREEN.pptx Guião para o concurso bGreenGUIAO_TECNICO_BGREEN.pptx Guião para o concurso bGreen
GUIAO_TECNICO_BGREEN.pptx Guião para o concurso bGreen
 
Palestracomposicaocamera
PalestracomposicaocameraPalestracomposicaocamera
Palestracomposicaocamera
 
Estética,movimentos de câmara e enquadramentos
Estética,movimentos de câmara e enquadramentosEstética,movimentos de câmara e enquadramentos
Estética,movimentos de câmara e enquadramentos
 

Definições de Planos.docx

  • 1. Definições de Planos O conceito de plano é um tanto amplo, e a palavra é utilizada de uma forma bem elástica. Umas definições podem ser: DEFINIÇÃO O plano é - o intervalo que há entre dois cortes. - a menor unidade fílmica. - um trecho de filme rodado ininterruptamente, ou que parece ter sido rodado sem interrupção - um conjunto ordenado de fotogramas ou imagens fixas, limitado espacialmente por um enquadramento (que pode ser fixo ou móvel) e temporalmente por uma duração. Quando um plano é cortado na montagem e se passa ao plano seguinte, muda a posição da câmera e as dimensões do plano. No momento da filmagem, o plano inicia-se sempre que a câmera é ligada para a captação de imagens e termina quando ela é desligada. No processo de montagem, partes do início e do final de cada plano rodado são eliminadas, sendo determinada a sua duração definitiva, atendendo a critérios de ritmo e fluência. Um único plano pode ser dividido em trechos menores e dar origem a dois ou mais planos, que serão intercalados com outros dentro de uma cena ou sequência. Além disso, se foram rodadas várias tomadas de cada plano, o montador deverá escolher qual delas é a melhor, levando em conta critérios de interpretação dos atores, qualidade técnica da fotografia, movimentos de câmara, som, enquadramento, etc. Portanto, na montagem, cada tomada é uma opção de plano. No filme finalizado, o plano não será mais um trecho inteiro de filme rodado, mas apenas o trecho selecionado pelo montador, eventualmente modificado pelo processo de pós-produção. O plano é então percebido como um trecho de filme situado entre dois cortes. Por outro lado, no filme pronto o plano não é mais um conjunto de tentativas de filmagem ou de opções de montagem, mas uma única escolha, montada em sequência com os demais planos do filme. No filme pronto, a tomada deixa de existir, ou então torna-se sinônimo de plano. Vídeo aula – Plano (Telinha de Cinema) Enquadramento Enquadrar é a ação de selecionar determinada porção do cenário para figurar na tela, escolhendo o s ângulos e a amplitude do plano. Assim, a depender do enquadramento, uma paisagem pode aparecer com mais céu, mais árvores, mais água. Uma pessoa pode aparecer inteira na tela, ou pode-se optar por mostrar apenas seu rosto.
  • 2. DICA Regra dos Terços Olhando pelo visor da câmera e dividindo mentalmente o quadro em três partes (três horizontais e três verticais) as melhores imagens são aquelas onde o assunto principal não está no centro e sim em um dos quatro pontos de interseção chamados de pontos de ouro ou áureos. A colocação em um destes pontos vai depender do assunto e de como ele deve ser apresentado. Posicionando nos pontos de cruzamento o assunto que se deseja destacar para se obter uma foto equilibrada. Por exemplo, os olhos de um personagem devem ficar na linha superior. O horizonte não deve ficar no centro do quadro e sim na linha superior ou na inferior quando se quiser dar mais ênfase ao primeiro plano. Esta é uma regra que deve ser seguida em tomadas normais, mas pode-se por razões dramáticas ou para isolar um objeto do todo, enquadrar de outra maneira.
  • 3. Classificações dos Planos O plano costuma ser classificado de acordo com diversos critérios: - Quanto à distância entre a câmera e o objecto filmado (enquadramento): - Quanto à duração - Quanto ao ângulo vertical - Quanto ao ângulo horizontal - Quanto ao movimento A Escala dos Planos:
  • 4. REFERÊNCIA Exemplos de planos no cinema REFERÊNCIA Planos Cinematográficos no Cinema Moderno Plano Geral Enquadramento de um grande cenário ou de uma paisagem, no qual é difícil identificar a presença dos personagens de imediato. O Plano Geral pode ser um conjunto de casas, uma cena geral e aberta das ruas de uma cidade, um grande campo para agricultura e outras cenas de iguais proporções. Este plano serve para contextualizar o local onde ocorrerá a cena seguinte. Plano de Conjunto No plano de conjunto é mostrado um enquadramento de um cenário, no qual um ou mais personagens podem ser vislumbrados e identificados facilmente. Assim como no Plano Geral, este plano serve para contextualizar o local onde ocorrerá todo o resto da cena, assim como para mostrar quais personagens participam desta cena.
  • 5. Plano de Detalhe O plano de detalhe mostra detalhes do rosto, de uma parte do corpo, de um objeto, etc. Este enquadramento serve para chamar a atenção para um objeto, como uma mala que foi esquecida no aeroporto, ou para uma ação de uma parte específica do corpo, como as mãos de um personagem escrevendo uma carta. Também serve para aumentar a carga dramática de uma cena, como por exemplo, ao enquadrar os pés de um assassino caminhando pela casa, sem revelar sua identidade. Ou o enquadramento dos dedos de um personagem nervoso, tamborilando sobre a mesa. Plano Médio Plano médio mostra um trecho de um ambiente, em geral com pelo menos um personagem em quadro, de corpo inteiro.
  • 6. Plano Americano Plano americano mostra o personagem dos joelhos para cima, aproximadamente. Primeiro Plano O Primeiro Plano (às vezes chamado também close-up) mostra um único personagem em enquadramento mais fechado que o plano americano, em que o ator é focalizado somente em sua face.
  • 7. Primeiríssimo Plano O Primeiríssimo Plano (ou close-up) é mais fechado ainda que o Primeiro Plano Siglas dos Planos
  • 8. Traduções do Inglês dos Planos mais comuns Significados dos Planos REFERÊNCIA Tipos de Enquadramentos Cinematográficos Efeitos Psicológicos - Personagem no ângulo de duas paredes – cria sensação de confinamento. - Câmera não enquadrando teto – cria sensação de confinamento. - Personagem se afastando da câmera – cria sensação de solidão (em direção ao mar em dia chuvoso, por exemplo). - Personagem se aproximando rápido em direção à câmera – cria sensação ameaçadora. O personagem parece crescer. - Câmera alta – faz o personagem parecer pequeno. Réu diante do juiz, por exemplo. Sobre um veículo, faz ele parecer perder a velocidade. - Câmera baixa – faz o personagem mais importante. Usando uma grande angular, o veículo parece ganhar velocidade. - Câmera enquadrando o céu – cria sensação de liberdade.
  • 9. REFERÊNCIA Análise de Enquadramentos: filme A Cela Planos e durações - Plano relâmpago: dura menos de um segundo, correspondendo quase a um piscar de olhos. - Plano-sequência: é um plano tão longo que se pode dizer que corresponde a uma sequência inteira do filme. - Entre esses dois extremos, pode haver planos mais curtos (com duração de uns poucos segundos) ou mais longos (durando um ou vários minutos). Mas é claro que a percepção de um plano como curto ou longo depende não apenas de sua duração, mas também do que acontece no decorrer do plano.
  • 10. Ângulos Enquanto ao ângulo vertical do enquadramento: Ângulos  Ângulo Normal: a câmera está situada na mesma altura do olho do ator, vendo o ambiente como este. No geral, intensifica a dramaticidade do roteiro;  Câmera Alta ou Plongê (do francês plongée, “mergulhado”) ou Picado: a câmara está posicionada acima do seu objecto, que é visto, portanto, em ângulo superior. Enquadra a pessoa de cima para baixo dando a impressão de achatamento ou inferioridade.  Câmera Baixa ou Contre-Plongée:  Contra-plongê ou Contra-picado: a câmara colocada abaixo do objeto faz com que o espectador veja a cena de baixo para cima (por exemplo, abaixo do nível do olhar do personagem). Ao contrário da câmera alta dá a impressão de superioridade.  Câmera na diagonal: Gera um desequilíbrio na imagem criando uma tensão interna. É usada para revelar estados de desequilíbrio. Por exemplo: pessoa passando mal — câmera em close-up pegando o rosto de lado.
  • 11.  Câmera Subjetiva: A câmera subjetiva é aquela em que temos a impressão de estarmos olhando a cena com os olhos do ator ou atriz.Por exemplo: Bate-se na porta e uma mulher atende. Mostra-se essa mulher em primeiro plano e a pessoa que bateu na porta em primeiro plano também. Elas conversam entre si e as cenas as mostram de frente uma falando com a outra. A câmera assume o papel (ponto de vista) de cada um dos personagens.[[REC ]] FILME Enter the Void (trailer) https://www.youtube.com/watch?v=ijvm4QSXXUs ENTER THE VOID (death scene) http://www.youtube.com/watch?v=pQy3qwKYgIo  Câmera Zenital (ou plongê absoluto): a câmara é colocada no alto do cenário, apontando diretamente para baixo.  Câmera Contra-Zenital (ou contra-plongê absoluto): a câmara aponta diretamente para cima.
  • 12. Enquanto ao ângulo horizontal:  Frontal: é o plano em que a câmara filma o personagem ou objeto de frente.  Lateral (ou de perfil): o personagem é visto de lado.  Traseiro: o personagem é visto por trás.  Plano de 3/4: ângulo intermediário entre o frontal e o lateral (assim chamado porque mostra aproximadamente 3/4 do rosto do personagem).  Plano de 1/4: ângulo intermediário entre o lateral e o traseiro.