Introdução fauna do solo

4.203 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.203
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
144
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introdução fauna do solo

  1. 1. Fauna do solo
  2. 2. Definição Quem são e como vivem Amostragem Resultados: Análise e interpretação Importância - exemplos
  3. 3. Definição São animais invertebrados que vivem permanentemente no solo ou passam uma das fases da vida no solo que interferem nas propriedades do solo.
  4. 4. Quem são e como vivem
  5. 5. Quem são e como e onde vivem Cadeia de decomposição da matéria orgânica
  6. 6. Fungos Collembola Ácaros Bactérias Nematóides Nematóides Nematóides Protozoa
  7. 7. Comparação entre alguns componentes da fauna do solo e a cabeça de um alfinete Ácaro Nematóide Collembola (Hole, 1981)
  8. 8. Fungos Collembola Isopoda Araneae Ácaros Bactérias Nematóides Nematóides Nematóides Protozoa Diplopoda Oligochaeta Isoptera Larvas Coleoptera Blattodea Chilopoda Scorpionida Hymnoptera Coleoptera
  9. 9. Preparo do solo com aração e gradagem Resíduos vegetais são incorporados
  10. 10. Preparo do solo com aração e gradagem Características Bactérias colonizadores 1o Tamanho pequeno Bactérias Nematóides Rápida dispersão Protozoa Organismos de curto tempo de geração Hábito alimentar generalista - onívoros
  11. 11. Plantio direto • fornece contínuo substrato • manutenção da umidade Resíduos vegetais permanecem na superfície do solo
  12. 12. Plantio direto Características Fungos colonizadores 1o Imobilizam 3,5 x mais N bactérias (Beare, 1997) Bactérias Protozoa Nematóides Fungos Ácaros Collembola Microartrópodes são muito importantes na mobilização desse N. Representa estágio sucessional mais maduro e mais parecido com ecossistema natural não perturbado (Neher, 1999)
  13. 13. “Litter bags”
  14. 14. Classificação dos organismos do solo com base no diâmetro do corpo. (Swift et al., 1979) Microfauna Microflora Microfauna Mesofauna Bacteria Macrofauna Araneida Fungi Acari Nematoda Collembola Protura Protozoa Rotifera Diplura Opilionida Coleoptera Megadrili (minhocas) Symphyla Enchytraeidae Isoptera Isopoda Chilopoda Diplopoda Mollusca 1 4 16 m 64 256 1024 2 8 32 mm
  15. 15. Classificação dos organismos do solo com base no diâmetro do corpo. (Swift et al., 1979) Microfauna Mesofauna Mesofauna Microflora Microfauna Bacteria Macrofauna Araneida Fungi Acari Nematoda Collembola Protura Protozoa Rotifera Diplura Opilionida Coleoptera Megadrili (minhocas) Symphyla Enchytraeidae Isoptera 1 4 16 m 64 256 1024 2 8 32 mm
  16. 16. Classificação dos organismos do solo com base no diâmetro do corpo. Microfauna Microflora Microfauna (Swift et al., 1979) Mesofauna Mesofauna Bacteria Macrofauna Macrofauna Araneida Fungi Acari Nematoda Collembola Protura Protozoa Rotifera Diplura Opilionida Coleoptera Megadrili (minhocas) Symphyla Enchytraeidae Isoptera Isopoda Chilopoda Diplopoda Mollusca 1 4 16 m 64 256 1024 2 8 32 mm
  17. 17. Influência da biota do solo nos processos do solo. Ciclagem de nutrientes Microflora Microfauna Mesofauna Macrofauna • Cataliza m.org, • Mineralização e imobilização de nutrientes. • Regula pop. de bactérias e fungos, • Altera o “turnover” de nutrientes. • Regula as pop. de fungos e microfauna, • Altera “turnover” de nutrientes, • Fragmenta resíduos de plantas. • Fragmenta resíduos de plantas, • Estimula a atividade microbiana. Estrutura do solo • Produz compostos org. que ligam agregados, • Emaranhado de Hifas • Podem afetar estruturas de agregados do solo através da interação com a microflora. • produz “pelotas” fecais, • cria bioporos, • promove a humificação. • Mistura m. org. e mineral, • Redistribui m.o e moos, • produz “pelotas” fecais, • cria bioporos, • promove a humificação.
  18. 18. Influência da biota do solo nos processos do solo. Ciclagem de nutrientes Microflora Microfauna Mesofauna Macrofauna • Cataliza m.org, • Mineralização e imobilização de nutrientes. • Regula pop. de bactérias e fungos, • Altera o “turnover” de nutrientes. • Regula as pop. de fungos e microfauna, • Altera “turnover” de nutrientes, • Fragmenta resíduos de plantas. • Fragmenta resíduos de plantas, • Estimula a atividade microbiana. Estrutura do solo • Produz compostos org. que ligam agregados, • Emaranhado de Hifas • Podem afetar estruturas de agregados do solo através da interação com a microflora. • produz “pelotas” fecais, • cria bioporos, • promove a humificação. • Mistura m. org. e mineral, • Redistribui m.o e moos, • produz “pelotas” fecais, • cria bioporos, • promove a humificação.
  19. 19. Influência da biota do solo nos processos do solo. Ciclagem de nutrientes Microflora Microfauna Mesofauna Macrofauna • Cataliza m.org, • Mineralização e imobilização de nutrientes. • Regula pop. de bactérias e fungos, • Altera o “turnover” de nutrientes. • Regula as pop. de fungos e microfauna, • Altera “turnover” de nutrientes, • Fragmenta resíduos de plantas. • Fragmenta resíduos de plantas, • Estimula a atividade microbiana. Estrutura do solo • Produz compostos org. que ligam agregados, • Emaranhado de Hifas • Podem afetar estruturas de agregados do solo através da interação com a microflora. • produz “pelotas” fecais, • cria bioporos, • promove a humificação. • Mistura m. org. e mineral, • Redistribui m.o e moos, • produz “pelotas” fecais, • cria bioporos, • promove a humificação.
  20. 20. Influência da biota do solo nos processos do solo. Ciclagem de nutrientes Microflora Microfauna Mesofauna Macrofauna • Cataliza m.org, • Mineralização e imobilização de nutrientes. • Regula pop. de bactérias e fungos, • Altera o “turnover” de nutrientes. • Regula as pop. de fungos e microfauna, • Altera “turnover” de nutrientes, • Fragmenta resíduos de plantas. • Fragmenta resíduos de plantas, • Estimula a atividade microbiana. Estrutura do solo • Produz compostos org. que ligam agregados, • Emaranhado de Hifas • Podem afetar estruturas de agregados do solo através da interação com a microflora. • produz “pelotas” fecais, • cria bioporos, • promove a humificação. • Mistura m. org. e mineral, • Redistribui m.o e moos, • produz “pelotas” fecais, • cria bioporos, • promove a humificação. Hendrix et al. (1990)
  21. 21. Os engenheiros do ecossistema • O que são os engenheiros do ecossistema? Organismos: Bio-estruturas: Coprólitos Câmaras Minhocas Galerias (Curso Thibau, 2006)
  22. 22. Os engenheiros do ecossistema Impactos sobre outros organismos do solo Coprólitos granulosos de Ocnerodrilidae sp. preenchendo a parte superior do buraco Raiz penetrando na galeria Coprólito Martiodrilus sp. Radicelas colonizando o coprólito de Martiodrilus sp. depositado no interior do galeria 1 cm Slide Thibau 2006
  23. 23. Os engenheiros do ecossistema • O que são os engenheiros do ecossistema? Organismos: Bio-estruturas: Cupins Fungos Cupinzeiros (Curso Thibau, 2006) Galerias superficiais
  24. 24. Os engenheiros do ecossistema • O que são os engenheiros do ecossistema? Organismos: Bio-estrutura: Buracos Formigas Lixo dos ninhos Fungos Acumulação de MO (Curso Thibau, 2006)
  25. 25. Os engenheiros do ecossistema Os engenheiros do ecossistema Isópodes Diplópodes Corós (Modificado Curso Thibau, 2006)
  26. 26. 0,4-1,0 m Larva de Bothynus sp. com palha armazenada no solo (Gassen, 2000).
  27. 27. Coró da palha SÍMBOLO DO PLANTIO DIRETO • pela adaptação, •pela freqüência elevada • ampla distribuição geográfica: Sul do Brasil até a região Amazônica, • pela incorporação de palha e, • depósito de excrementos em galerias profundas • e pela ausência de danos diretos às plantas cultivadas. (Gassen ,2000). pela incorporação de palha e, • depósito de excrementos em galerias profundas • e pela ausência de danos diretos às plantas cultivadas.
  28. 28. Amostragem

×