“Proclama a mensagem”

1.426 visualizações

Publicada em

Estudo 12 – Os profetas menores (I)

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.426
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
55
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
47
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

“Proclama a mensagem”

  1. 1. Os Profetas Menores (I) O livro do profeta Jonas Estudo 12 – “Proclama a mensagem” A pregação do Evangelho no AT Texto bíblico – Jonas 3.1-10 Texto áureo: Jonas 3.10
  2. 2. Introdução (I) Depois do livramento o novo chamado O que aconteceu a Jonas pode estar acontecendo hoje com muitos de nós. Estamos sendo livres de problemas e situações adversas pela mão do Senhor para que ouçamos a sua voz e atendamos ao seu chamado. Foi isto que aconteceu com Jonas, como veremos.
  3. 3. Introdução (II) O atendimento à chamada de Deus Jonas deve ter sido jogado à terra em alguma parte do norte da Palestina, em regiões da Síria ou Líbano moderno ( Local ). Diante da ordem do Senhor, ele sabe que tem que se dirigir para o leste e não para oeste ( Tarsis ), onde situava-se a cidade de Nínive ( Missão - Vejam no mapa).
  4. 4. TARSIS LOCAL MISSÃO
  5. 5. Introdução (III) A extensão da jornada e da missão Pelo mapa pode-se ver que a extensão da jornada de Jonas era longa. Mais ou menos 4.000 quilômetros. Além do mais a cidade era grande: As suas muralhas tinham 15 mts. de espessura e 30 mts. de altura. Estendia-se ela por cerca de 13 quilômetros.
  6. 6. Introdução (IV) A realização da tarefa Através da leitura que se fará agora, versículo a versículo, poderemos vislumbrar como Jonas, depois da lição que aprendeu se dedicou de maneira integral à realização da tarefa que o Senhor lhe tinha designado antes do início de sua viagem.
  7. 7. Jonas 3.1 Vale a pena verificar que o Senhor dá sempre uma nova oportunidade ao crente: ” Pela segunda vez veio a palavra Do Senhor a Jonas, dizendo:” Você pode estar sendo convocado por Deus, mesmo que tenha falhado numa primeira vez.
  8. 8. Jonas 3.2 A lembrança de Deus em nosso viver: “ Levanta-te e vai à grande cidade de Nínive, e lhe proclama a mensagem que eu te ordeno”. A ordem do Senhor repetida. A mensagem é imperativa. Compete ao crente obedecer. Não se preocupe com o que falar. O Senhor fala.
  9. 9. Jonas 3.3a Depois da lição a diferença da reação: “ Levantou-se, pois, Jonas e foi a Nínive, segundo a palavra do Senhor...” Destaque-se: Em primeiro lugar, a presteza de Jonas... Em segundo lugar a sua obediência… Como estamos respondendo a Deus?
  10. 10. Jonas 3.3b,4 O tamanho da missão: “ Ora, Nínive era uma grande cidade, de três dias de jornada. E começou Jonas a entrar pela cidade, fazendo a jornada de um dia, e clamava dizendo: Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida.” A cidade tinha 15 portões espalhados pelos seus 13 Km de muros. O “caminho de um dia” equivaleria +/- a 12 quilômetros a pé. Ou seja, apenas para circundá-la Jonas levava 3 dias, fora as jornadas N/S, L/O.
  11. 11. Jonas 3.5 A reação do povo à mensagem de Deus “ E os homens de Nínive creram em Deus; e proclamaram um jejum, e vestiram-se de sacos, desde o maior deles até o menor.” O poder do Evangelho transforma… A mensagem inspirada muda o ser humano. Foi isto que aconteceu em Nínive. Homens pagãos adotaram as práticas de contrição e confissão do povo de Deus.
  12. 12. Jonas 3.6 As autoridades também são atingidas “ A notícia chegou também ao rei de Nínive; e ele se levantou do seu trono e, despindo-se do seu manto e cobrindo-se de saco, sentou-se sobre cinzas.” A reação real foi idêntica ao do povo. Ele sentiu-se pecador também. Tal como Davi, ele se humilha diante de Deus e do povo, vestindo-se de saco.
  13. 13. Jonas 3.7 A iniciativa real. O poder humano se submete a Deus “ E fez uma proclamação, e a publicou em Nínive, por decreto do rei e dos seus nobres, dizendo: Não provem coisa alguma nem homens, nem animais, nem bois, nem ovelhas; não comam, nem bebam água.” Uma ordem de jejum absoluto, atingindo até os animais. Prova de submissão a Deus.
  14. 14. Jonas 3.8 A demonstração da contrição e confissão “… mas sejam cobertos de saco, tanto os homens como os animais, e clamem fortemente a Deus e, convertam-se, cada um do seu mau caminho, e da violência que há nas suas mãos.” Como estamos nós reagindo à conversão em nossa vida. Estamos mudando o nosso ser, como aconteceu em Nínive? O exemplo deles nos ensina.
  15. 15. Jonas 3.9 A busca pelo perdão do Senhor “ Quem sabe se se voltará Deus, e se arrependerá, e se apartará do furor da sua ira, de sorte que não pereçamos?” Eis a demonstração de extrema dependência de Deus? Ou seja, mudamos a nossa vida aguardando assim a misericórdia de Deus para os nossos dias.
  16. 16. Jonas 3.10 Deus responde a oração do crente. “ Viu Deus o que fizeram, como se converteram do seu mau caminho, e Deus se arrependeu do mal que tinha dito lhes faria, e não o fez.” Sabendo como sabemos o que é o “arrependimento de Deus”, podemos afirmar que o Senhor sabia que pela pregação de seu servo, o perdão chegaria!
  17. 17. Conclusões O que a história de Jonas nos leva a pensar? 1) Como você vê a pregação do Evangelho hoje no Brasil? 2) Vale a pena pregar ao aborígene da Austrália? 3) Ou ao índio pagão no Brasil? E na Índia? 4) E na África, diante da magia em que vivem? 5) E na Ásia e no Oriente, com o islamismo e o budismo? Como superar essas barreiras? Jonas conseguiu!

×