SlideShare uma empresa Scribd logo
TERMINOLOGIA EZOOGNÓSTICA
Prof. Titto
(Revisão de julho de 2020)
Definição de termos rotineiramente empregados em Ezoognósia:
1. ACOLETADO - animal de tórax estreito e raso, deprimido, como dentro de um
colete apertado. Ex.: bovino débil.
2. ACURVILHADO - Ângulo do jarrete mais fechado do que o normal.
3. ANGULOSIDADE - articulações aparentes, sem corbetura muscular. Ex.: animal
anguloso, garupa angulosa.
4. APARÊNCIA GERAL - Soma de atributos relacionados com: peso p/ idade,
conformação (características raciais), harmonia, condição (estado), qualidade
(ausência de defeitos), temperamento, vigor (saúde), movimentação.
5. BELEZA - Da região que preenche os requisitos para sua função. Ex.: úbere belo,
belos aprumos.
6. CHEIO - Antagônico de seco. Sinônimo de FORNIDO. Da região coberta de
músculo. Ex.: garupa cheia, culotes fornidos.
7. CONDIÇÃO - Estado geral adequado à função, quando encontra-se apto à sua
finalidade. Ex: cavalo gordo.
8. CONFORMAÇÃO - Referente à proporções corretas para bom desempenho da
função econômica, além de boa expressão racial. Ex.: Boa conformação = harmonia
geral, aprumos corretos, bom desenvolvimento, capacidade reprodutiva, bastante
raça, comprimento, profundidade, largura, musculosidade ou angulosidade.
9. CONSTITUIÇÃO - Organização anatômica e fisiológica frente ao ambiente. Pode
ser boa, quando o resultado perante o ambiente é bom: animal pesado, de ossatura
forte, musculatura desenvolvida, porém tudo harmônico, partes simétricas, vigor,
pele solta e flexível, pelame uniforme, bons aprumos (Robusta); e animal leve,
pequeno, esqueleto delicado, pouca musculatura, articulações secas, pele e pelos
finos, harmonia geral (Seca). Pode ser má, quando o fenótipo é ruim: animal leve,
desnvolvimento aquém do desejado, maus aprumos, desproporção entre as partes,
olhos apagados, pelame desuniforme, aparência de doente (Débil); e animal
pesado, de ossos grandes e desproporcionais, musculatura grande e mal distribuída,
pele grossa, pelos opacos, cabeça muito pesada, desarmonia geral, temperamento
apático (Grosseira).
10. DÉBIL - Animal ou região mal desenvolvida, fraca, desarmônica, desproporcional.
11. DELICADA - Região forte, de qualidade, mas leve. Ex.: cabeça delicada.
12. DISPOSIÇÃO - Índole. Animais de boa disposição são confiáveis, previsíveis. São
mais ou menos mansos e dóceis. Animais bravios e de mau caráter tem má
disposição.
13. EMPASTADA - Região coberta com excesso de músculo. Ex.: cernelha
empastada.
14. ESCORRIDA - Antagônico de nivelada. Região inclinada ou caída. Ex.: garupa
escorrida.
15. FORTE - Região bem desenvolvida, bem constituída e bem suportada. Ex.: linha
dorsal forte, jarretes fortes.
16. FRACO - Antagônico de forte, de mau suporte anatômico. Ex.: lombo fraco,
quartelas fracas.
17. GROSSEIRO - Oposto de delicado. Região fraca, sem qualidade, e pesada. Ex.:
Pescoço grosseiro.
18. INSERÇÃO - Zona de implantação de uma região à outra ou ao corpo. Ex.:
inserção da cauda, inserção do pescoço, inserção do úbere.
19. LEVE - Região de ossatura fina e musculatura pouco desenvolvida, porém
harmoniosa em relação ao conjunto. Ex.: pescoço leve, cabeça leve.
20. LIMPA - Região descoberta de gordura. Ex.: jarretes limpos, peito limpo.
21. MENSO - Animal com a linha superior mais alta na traseira, ficando inclinada, ou
dorso mergulhante. Comum em bovinos e equinos mais jovens e mais acentuado
nos zebuínos e quarto-de-milha.
22. MORDIDA - Falha no crescimento muscular de uma pequena região, geralmente
na tábua do pescoço.
23. MUSCULOSIDADE – Crescimento muscular exacerbado. Animal fornido, cheio.
24. NIVELADA - Região disposta em posição horizontal ou quase. Ex.: garupa
nivelada, tetas niveladas.
25. PESADA - Antagônico de Leve. Ossatura grande e muito músculo,
desproporcional ao conjunto. Ex.: orelhas pesadas, cabeça pesada.
26. PROFUNDIDADE - Extensão vertical de uma região. Ex.: tórax profundo.
27. QUALIDADE - Ausência de defeitos e atributos grosseiros, com refinamento e
bom acabamento. Ex.: úbere de qualidade.
28. RAÇA - (1) Conjunto de animais da mesma espécie, que devido à origem
semelhante, apresentam caracteres morfológicos, fisiológicos e econômicos
comuns, e que geram filhos parecidos. (2) Caracteres étnicos bem aparentes,
evidentes. Ex.: raça Nelore (1); tal touro tem muita raça (2).
29. ROBUSTA - Região de bom desenvolvimento, forte, bem sustentada e hamônica.
Ex.: garupa robusta.
30. SECA - Região descarnada, sem cobertura muscular. Ex.: nádegas secas, cabeça
seca.
31. TARA - Sinal externo de lesão. Pode ser mole (tecido conjuntivo) ou dura (óssea),
comuns nos membros do cavalo de esporte.
32. TEMPERAMENTO - Expressão da organização nervosa do indivíduo. Também
sinônimo de REATIVIDADE Pode ser: Vivo (respostas imediatas aos estímulos do
ambiente, atitude alerta, movimentos rápidos e fáceis). Nervoso ou Sanguíneo
(extremo de Vivo, excitado, inquieto). Linfático (calmo, reações mais lentas).
Indolente (apático, extremo de Linfático, indiferente).
33. TENDÊNCIA - Indicação aparente da função econômica. Tendência Cevatícia:
formas que indicam aptidão para engorda. Tendência Leiteira: componente do Tipo
Leiteiro, formada por cunhas leiteiras, angulosidade, temperamento vivo, e pele
macia, solta e flexível.
34. TIPO - Soma de características morfológicas que indicam a função econômica Ex.:
Tipo leiteiro, Tipo tração.
35. TRANSCURVO - Animal que apresenta os joelhos atrazados em relação ao eixo
vertical do membro anterior
36. TREM - Conjunto locomotor. Pode ser Anterior (cernelha, peito, e membros
anteriores) ou Posterior (ancas, garupa, e membros posteriores)
37. VÍCIO - Defeito de ordem comportamental. Ex.: masturbação, movimento de urso,
morder.
38. VIGOR - Soma de atributos que indicam saúde e bom estado nutricional. Indicado
pelo exame visual de olhos, narinas, espelho nasal, pele e pelos, movimentação.
Termos secundários (redundantes ou óbvios):
1. APAGADO - região pouco definida, pouco nítida. Ex.: olhos apagados, culotes apagados.
2. APARENTE (DESTACADA) - região bem definida, com contornos nítidos, Ex.: linha dorsal
aparente, paletas aparentes, cernelha destacada.
3. CAVADO - Região deprimida ou reentrante. Ex.: flanco cavado, fronte cavada.
4. CORTANTE - Região saliente, destacada do corpo. Ex.: linha dorsal cortante.
5. DEFEITO - Região que não preenche os requisitos necessários ao desempenho de sua
função. Oposto de Beleza. Pode ser desclassificante ou permissível. Ex.: defeitos de
aprumos.
6. DERREADA - Sinônimo de escorrida.
7. DESVIO - Diferença na linha ou eixo de uma região. Ex.: desvio de aprumo.
8. ENXUTO - Nem magro nem gordo. Em boas carnes.
9. ESTILO - Expressão natural de atitudes, movimentos e partes, mostrando vigor, energia,
força, masculinidade ou feminilidade. Ex.: um bom touro apresenta muito estilo.
10. INTEGRIDADE - Ausência de defeitos e taras. Ex.: tetas íntegras.
11. MORDIDA - Falha no crescimento muscular de uma pequena região, geralmente na tábua do
pescoço.
12. PERFORMANCE - Desempenho da função econômica do animal (do inglês).
13. SIMETRIA - Equilíbrio e proporcionalidade entre partes, principalmente entre regiões pares.
Ex.: aprumos simétricos, garupa simétrica.
14. SUBSTÂNCIA - Grande desenvolvimento ósseo e muscular. Ex.: animal robusto deve ter
substância.

Mais conteúdo relacionado

Mais de Gioto Ghiarone Terto

Exterior da vaca leiteira
Exterior da vaca leiteiraExterior da vaca leiteira
Exterior da vaca leiteira
Gioto Ghiarone Terto
 
Pelagens dos equinos
Pelagens dos equinosPelagens dos equinos
Pelagens dos equinos
Gioto Ghiarone Terto
 
Slide 1
Slide 1Slide 1
Slide 15
Slide 15Slide 15
Tipos morfológicos
Tipos morfológicosTipos morfológicos
Tipos morfológicos
Gioto Ghiarone Terto
 
Microsoft word tese valíria duarte cerqueira.doc
Microsoft word   tese valíria duarte cerqueira.docMicrosoft word   tese valíria duarte cerqueira.doc
Microsoft word tese valíria duarte cerqueira.doc
Gioto Ghiarone Terto
 
Slide 1
Slide 1Slide 1

Mais de Gioto Ghiarone Terto (7)

Exterior da vaca leiteira
Exterior da vaca leiteiraExterior da vaca leiteira
Exterior da vaca leiteira
 
Pelagens dos equinos
Pelagens dos equinosPelagens dos equinos
Pelagens dos equinos
 
Slide 1
Slide 1Slide 1
Slide 1
 
Slide 15
Slide 15Slide 15
Slide 15
 
Tipos morfológicos
Tipos morfológicosTipos morfológicos
Tipos morfológicos
 
Microsoft word tese valíria duarte cerqueira.doc
Microsoft word   tese valíria duarte cerqueira.docMicrosoft word   tese valíria duarte cerqueira.doc
Microsoft word tese valíria duarte cerqueira.doc
 
Slide 1
Slide 1Slide 1
Slide 1
 

Último

A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Marília Pacheco
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 

Último (20)

A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 

Terminologia ezoognóstica

  • 1. TERMINOLOGIA EZOOGNÓSTICA Prof. Titto (Revisão de julho de 2020) Definição de termos rotineiramente empregados em Ezoognósia: 1. ACOLETADO - animal de tórax estreito e raso, deprimido, como dentro de um colete apertado. Ex.: bovino débil. 2. ACURVILHADO - Ângulo do jarrete mais fechado do que o normal. 3. ANGULOSIDADE - articulações aparentes, sem corbetura muscular. Ex.: animal anguloso, garupa angulosa. 4. APARÊNCIA GERAL - Soma de atributos relacionados com: peso p/ idade, conformação (características raciais), harmonia, condição (estado), qualidade (ausência de defeitos), temperamento, vigor (saúde), movimentação. 5. BELEZA - Da região que preenche os requisitos para sua função. Ex.: úbere belo, belos aprumos. 6. CHEIO - Antagônico de seco. Sinônimo de FORNIDO. Da região coberta de músculo. Ex.: garupa cheia, culotes fornidos. 7. CONDIÇÃO - Estado geral adequado à função, quando encontra-se apto à sua finalidade. Ex: cavalo gordo. 8. CONFORMAÇÃO - Referente à proporções corretas para bom desempenho da função econômica, além de boa expressão racial. Ex.: Boa conformação = harmonia geral, aprumos corretos, bom desenvolvimento, capacidade reprodutiva, bastante raça, comprimento, profundidade, largura, musculosidade ou angulosidade. 9. CONSTITUIÇÃO - Organização anatômica e fisiológica frente ao ambiente. Pode ser boa, quando o resultado perante o ambiente é bom: animal pesado, de ossatura forte, musculatura desenvolvida, porém tudo harmônico, partes simétricas, vigor, pele solta e flexível, pelame uniforme, bons aprumos (Robusta); e animal leve, pequeno, esqueleto delicado, pouca musculatura, articulações secas, pele e pelos finos, harmonia geral (Seca). Pode ser má, quando o fenótipo é ruim: animal leve, desnvolvimento aquém do desejado, maus aprumos, desproporção entre as partes, olhos apagados, pelame desuniforme, aparência de doente (Débil); e animal pesado, de ossos grandes e desproporcionais, musculatura grande e mal distribuída, pele grossa, pelos opacos, cabeça muito pesada, desarmonia geral, temperamento apático (Grosseira). 10. DÉBIL - Animal ou região mal desenvolvida, fraca, desarmônica, desproporcional. 11. DELICADA - Região forte, de qualidade, mas leve. Ex.: cabeça delicada. 12. DISPOSIÇÃO - Índole. Animais de boa disposição são confiáveis, previsíveis. São mais ou menos mansos e dóceis. Animais bravios e de mau caráter tem má disposição.
  • 2. 13. EMPASTADA - Região coberta com excesso de músculo. Ex.: cernelha empastada. 14. ESCORRIDA - Antagônico de nivelada. Região inclinada ou caída. Ex.: garupa escorrida. 15. FORTE - Região bem desenvolvida, bem constituída e bem suportada. Ex.: linha dorsal forte, jarretes fortes. 16. FRACO - Antagônico de forte, de mau suporte anatômico. Ex.: lombo fraco, quartelas fracas. 17. GROSSEIRO - Oposto de delicado. Região fraca, sem qualidade, e pesada. Ex.: Pescoço grosseiro. 18. INSERÇÃO - Zona de implantação de uma região à outra ou ao corpo. Ex.: inserção da cauda, inserção do pescoço, inserção do úbere. 19. LEVE - Região de ossatura fina e musculatura pouco desenvolvida, porém harmoniosa em relação ao conjunto. Ex.: pescoço leve, cabeça leve. 20. LIMPA - Região descoberta de gordura. Ex.: jarretes limpos, peito limpo. 21. MENSO - Animal com a linha superior mais alta na traseira, ficando inclinada, ou dorso mergulhante. Comum em bovinos e equinos mais jovens e mais acentuado nos zebuínos e quarto-de-milha. 22. MORDIDA - Falha no crescimento muscular de uma pequena região, geralmente na tábua do pescoço. 23. MUSCULOSIDADE – Crescimento muscular exacerbado. Animal fornido, cheio. 24. NIVELADA - Região disposta em posição horizontal ou quase. Ex.: garupa nivelada, tetas niveladas. 25. PESADA - Antagônico de Leve. Ossatura grande e muito músculo, desproporcional ao conjunto. Ex.: orelhas pesadas, cabeça pesada. 26. PROFUNDIDADE - Extensão vertical de uma região. Ex.: tórax profundo. 27. QUALIDADE - Ausência de defeitos e atributos grosseiros, com refinamento e bom acabamento. Ex.: úbere de qualidade. 28. RAÇA - (1) Conjunto de animais da mesma espécie, que devido à origem semelhante, apresentam caracteres morfológicos, fisiológicos e econômicos comuns, e que geram filhos parecidos. (2) Caracteres étnicos bem aparentes, evidentes. Ex.: raça Nelore (1); tal touro tem muita raça (2). 29. ROBUSTA - Região de bom desenvolvimento, forte, bem sustentada e hamônica. Ex.: garupa robusta. 30. SECA - Região descarnada, sem cobertura muscular. Ex.: nádegas secas, cabeça seca. 31. TARA - Sinal externo de lesão. Pode ser mole (tecido conjuntivo) ou dura (óssea), comuns nos membros do cavalo de esporte. 32. TEMPERAMENTO - Expressão da organização nervosa do indivíduo. Também sinônimo de REATIVIDADE Pode ser: Vivo (respostas imediatas aos estímulos do ambiente, atitude alerta, movimentos rápidos e fáceis). Nervoso ou Sanguíneo
  • 3. (extremo de Vivo, excitado, inquieto). Linfático (calmo, reações mais lentas). Indolente (apático, extremo de Linfático, indiferente). 33. TENDÊNCIA - Indicação aparente da função econômica. Tendência Cevatícia: formas que indicam aptidão para engorda. Tendência Leiteira: componente do Tipo Leiteiro, formada por cunhas leiteiras, angulosidade, temperamento vivo, e pele macia, solta e flexível. 34. TIPO - Soma de características morfológicas que indicam a função econômica Ex.: Tipo leiteiro, Tipo tração. 35. TRANSCURVO - Animal que apresenta os joelhos atrazados em relação ao eixo vertical do membro anterior 36. TREM - Conjunto locomotor. Pode ser Anterior (cernelha, peito, e membros anteriores) ou Posterior (ancas, garupa, e membros posteriores) 37. VÍCIO - Defeito de ordem comportamental. Ex.: masturbação, movimento de urso, morder. 38. VIGOR - Soma de atributos que indicam saúde e bom estado nutricional. Indicado pelo exame visual de olhos, narinas, espelho nasal, pele e pelos, movimentação. Termos secundários (redundantes ou óbvios): 1. APAGADO - região pouco definida, pouco nítida. Ex.: olhos apagados, culotes apagados. 2. APARENTE (DESTACADA) - região bem definida, com contornos nítidos, Ex.: linha dorsal aparente, paletas aparentes, cernelha destacada. 3. CAVADO - Região deprimida ou reentrante. Ex.: flanco cavado, fronte cavada. 4. CORTANTE - Região saliente, destacada do corpo. Ex.: linha dorsal cortante. 5. DEFEITO - Região que não preenche os requisitos necessários ao desempenho de sua função. Oposto de Beleza. Pode ser desclassificante ou permissível. Ex.: defeitos de aprumos. 6. DERREADA - Sinônimo de escorrida. 7. DESVIO - Diferença na linha ou eixo de uma região. Ex.: desvio de aprumo. 8. ENXUTO - Nem magro nem gordo. Em boas carnes. 9. ESTILO - Expressão natural de atitudes, movimentos e partes, mostrando vigor, energia, força, masculinidade ou feminilidade. Ex.: um bom touro apresenta muito estilo. 10. INTEGRIDADE - Ausência de defeitos e taras. Ex.: tetas íntegras. 11. MORDIDA - Falha no crescimento muscular de uma pequena região, geralmente na tábua do pescoço. 12. PERFORMANCE - Desempenho da função econômica do animal (do inglês). 13. SIMETRIA - Equilíbrio e proporcionalidade entre partes, principalmente entre regiões pares. Ex.: aprumos simétricos, garupa simétrica. 14. SUBSTÂNCIA - Grande desenvolvimento ósseo e muscular. Ex.: animal robusto deve ter substância.