A mordomia ecológica

379 visualizações

Publicada em

Uma visão cristã sobre a ecologia.

Publicada em: Meio ambiente
  • Seja o primeiro a comentar

A mordomia ecológica

  1. 1. Meio Ambiente UMA VISÃO BÍBLICA SOBRE A ECOLOGIA COLABORAÇÃO: ELIAS BISPO
  2. 2. Mordomia Ecológica Esse assunto veio à lume com a chegada de um encarte na Revista Ultimato, sobre a organização cristã não-governamental “A Rocha Brasil”, que tem como objetivo: “A Rocha Brasil (ARB) é uma organização cristã ambientalista que tem como vocação a educação ambiental, o trabalho com comunidades e a conservação.” A Rocha Brasil faz parte d’A Rocha Internacional (presente em outros 19 países) e está no Brasil desde 2006, tendo como principal projeto a educação ambiental e mobilização social nas igrejas evangélicas, capacitando pastores, missionários, educadores e líderes comunitários para se envolverem de forma prática nas questões socioambientais locais. http://www.arocha.org/pt/
  3. 3. Mordomia Ecológica Como comunidade cristã, o que devemos fazer para recusar aos homens, o direito de violar a nossa Terra?
  4. 4. À luz da Bíblia, onde reside a nossa esperança no enfrentamento da crise ambiental?
  5. 5. Temas de interesse A Mordomia Ecológica - 07/06 ◦ – aspectos introdutórios ao tema A Crise Ecológica e a Educação Ambiental – 14/06 ◦ - tomada de consciência individual e coletiva A Visão Cristã da Criação – 28/06 ◦ - como humanos, não somos separados do mundo, mas dele fazemos parte, sob o senhorio de Deus Uma Cura Substancial para a Criação – 05/07 ◦ Como devemos entender a restauração propiciada por Jesus Cristo em relação ao Universo?
  6. 6. Bibliografia Poluição e a morte do homem ◦ Francis A. Shaeffer – Ed. Cultura Cristã A Criação redimida ◦ Fred Van Dyke – Ed. Cultura Cristã Saber Cuidar – ética do humano – compaixão pela Terra ◦ Leonardo Boff – Ed. Vozes Revista Ultimato ◦ artigos específicos Site: http://www.arocha.org/pt/
  7. 7. A Mordomia Ecológica Gênesis 1:1, 11, 12, 20, 21, 24-31
  8. 8. Leitura Bíblica 1.No princípio Deus criou os céus e a terra. 2.Era a terra sem forma e vazia; trevas cobriam a face do abismo, e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas. 11.Então disse Deus: "Cubra-se a terra de vegetação: plantas que deem sementes e árvores cujos frutos produzam sementes de acordo com as suas espécies". E assim foi. 12.A terra fez brotar a vegetação: plantas que dão sementes de acordo com as suas espécies, e árvores cujos frutos produzem sementes de acordo com as suas espécies. E Deus viu que ficou bom. 20.Disse também Deus: "Encham-se as águas de seres vivos, e sobre a terra voem aves sob o firmamento do céu". 21.Assim Deus criou os grandes animais aquáticos e os demais seres vivos que povoam as águas, de acordo com as suas espécies; e todas as aves, de acordo com as suas espécies. E Deus viu que ficou bom. 22.Então Deus os abençoou, dizendo: "Sejam férteis e multipliquem-se! Encham as águas dos mares! E multipliquem-se as aves na terra".
  9. 9. 24.E disse Deus: "Produza a terra seres vivos de acordo com as suas espécies: rebanhos domésticos, animais selvagens e os demais seres vivos da terra, cada um de acordo com a sua espécie". E assim foi. 25.Deus fez os animais selvagens de acordo com as suas espécies, os rebanhos domésticos de acordo com as suas espécies, e os demais seres vivos da terra de acordo com as suas espécies. E Deus viu que ficou bom. 26.Então disse Deus: "Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança. Domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais grandes de toda a terra e sobre todos os pequenos animais que se movem rente ao chão". 27.Criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. 28.Deus os abençoou, e lhes disse: "Sejam férteis e multipliquem-se! Encham e subjuguem a terra! Dominem sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se movem pela terra". 29.Disse Deus: "Eis que lhes dou todas as plantas que nascem em toda a terra e produzem sementes, e todas as árvores que dão frutos com sementes. Elas servirão de alimento para vocês. 30.E dou todos os vegetais como alimento a tudo o que tem em si fôlego de vida: a todos os grandes animais da terra, a todas as aves do céu e a todas as criaturas que se movem rente ao chão". E assim foi. 31.E Deus viu tudo o que havia feito, e tudo havia ficado muito bom. Passaram-se a tarde e a manhã; esse foi o sexto dia.
  10. 10. Contextualização Após séculos de exploração da natureza, a “Ecologia” tem ocupado espaços na mídia e na agenda governamental e de ONGs. 1. Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente Humano - Estocolmo (Suécia), 1972. Primeiro grande evento com líderes mundiais. 2. Convenção de Viena para Proteção da Camada de Ozônio - Viena (Áustria), 1985. Versou sobre a redução de gases CFC. 3. Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento - Rio de Janeiro (Brasil), 1992. A mais importante, influente e reconhecida Conferência, 178 países – Declaração do Rio de Janeiro – Agenda 21. 4.Conferência da Terra - Paisagens, Solos e Biodiversidade: desafios para um bom viver” - www.conferenciadaterra.com
  11. 11. “Ecologia:estudo das inter-relações entre organismos e o seu meio físico” - Amabis “Pela palavra ecologia, queremos designar o conjunto de conhecimentos relacionados com a economia da natureza - a investigação de todas as relações entre o animal e seu ambiente orgânico e inorgânico, incluindo suas relações, amistosas ou não, com as plantas e animais que tenham com ele contato direto ou indireto, - numa palavra, ecologia é o estudo das complexas inter-relações, chamadas por Darwin de condições da luta pela vida”. Ernest Haeckel, em 1870
  12. 12. Há falta de cuidado... “Enfrentamos uma crise civilizacional generalizada. Precisamos de um novo paradigma de convivência que funda uma relação mais benfazeja para com a Terra e inaugure um novo pacto social entre os povos no sentido de respeito e de preservação de tudo o que existe e vive”. Leonardo Boff a) ... em relação a vida das crianças, das quais 250 milhões são usadas como mão-de- obra para a produção em todo o mundo; b) ... em relação aos pobres e marginalizados da humanidade, pois temos mais de 1 bilhão de pessoas flageladas pela fome crônica; c) ... pela sorte dos desempregados e aposentados, que somam milhões excluídos do processo de produção e/ou consumo, considerados “zeros econômicos”;
  13. 13. Há falta de cuidado d) ... pelo estímulo a generosidade humana, agravado pelo individualismo gerado pela economia neoliberal e o consumismo desmesurado; e) ... em relação a vida e a sua fragilidade, pois até meados do século em curso, mais metade das espécies animais e vegetais ora existentes terão desaparecido da nossa casa comum, a Terra, em face do envenenamento dos solos, da contaminação do ar, da dizimação das florestas e cerrados, da poluição das águas, dos rios, das calotas polares e dos oceanos. Um princípio de autodestruição está em ação, quase que liquidando o sutil equilíbrio do nosso planeta.
  14. 14. Respostas cristãs https://www.youtube.com/watch?v=dzlGkeAOSoE
  15. 15. Há necessidade de respostas cristãs, pois... 1. ... “Ao Senhor pertence a terra e tudo o que nela se contém” (Sl 24:1), mas os cedros do Líbano, que eram uma parte da terra que o salmista conhecia, se foram. 2. ... “Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos” (Sl 19:1), mas em muitos locais do mundo, como São Paulo, Pequim, Cidade do México, o firmamento se tornou obscurecido por uma névoa marrom-amarelada. 3. ... “Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom” (Gn 1:31), hoje, porém, muitas das criaturas de Deus estão ameaçadas, postas em perigo e desaparecendo da terra para sempre. 4. ... Como cristãos, em nossas igrejas, temos reconhecido a Deus como Criador, mas “temos falhado em zelar pela sua criação”, consoante escreveu Fred Van Dyke.
  16. 16. O cristão e o seu papel de mordomo 1. A assunção do nosso papel como mordomos é a estrada de volta à obediência e à ordem de Deus para “cuidar do jardim e o guardar” (Gn 2:15). 2. Há muitas maneiras de iniciarmos essa restauração. A redenção final da criação aguarda o retorno do nosso criador. Entretanto, as nossas ações hoje podem revelar a nossa reverência e obediência ao Deus que realizará essa redenção e sustentará a criação pela palavra do seu poder. 3. Diante dessa visão, as nossas discussões em torno do tema devem nos conduzir a glorificação de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, e à “cura substancial de sua criação”, no dizer de Francis A. Schaeffer. 4. Proclamemos o nosso amor a ambos: a Deus e a sua Criação. Deus é o Criador e Sustentador do nosso mundo. Deus tem concedido aos seres humanos o privilégio e a responsabilidade de administra-lo cuidadosamente. Façamos a nossa parte.
  17. 17. Reflexão 1.Como podemos viver extraindo recursos limitados de um meio ambiente que está encolhendo, e o que dizer sobre o amanhã? 2.A criação de Deus significa para Ele o mesmo que significa para nós? 3.Como nós temos contribuído para minimizar os impactos ambientais da nossa existência? Motivo de Oração Pela tomada de consciência individual e coletiva em relação a mordomia ambiental.

×