SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Baixar para ler offline
Preservação do
Património Natural
Ano letivo 2012/2013
Trabalho realizado por:
 Diogo Alves
Índice
Introdução--------------------------------------------------------------------Pág.3
Preservação do Património---------------------------------------------Pag.4,5,6
Õ desenvolvimento humano e o equilíbrio ambienta----------------Pag.7,8,9
Algumas medidas que se podem meter em prática--------------Pag,10,11,12
Políticas ambientais----------------------------------------------------Pag.13,14
Parques naturais------------------------------------------------------Pag. 15,16
Conclusão-------------------------------------------------------------------Pag.17
Glossário --------------------------------------------------------------------Pag.18
Bibliografia------------------------------------------------------------------Pag.19
O que é o desenvolvimento Sustentável?
O Desenvolvimento sustentável refere-se a um modo de desenvolvimento
capaz de responder às necessidades do presente sem comprometer a
capacidade de crescimento das gerações futuras. Visa melhorar as
condições de vida dos indivíduos, preservando simultaneamente a natureza a
curto, médio e, sobretudo, longo prazo.
Introdução
“O futuro do mundo dependerá daquilo fizermos no presente”
Mahatma Gandhi
Preservação do Património
O que é o Património Natural?
O património Natural são todas as áreas onde habitam animais e plantas de
todas as espécies e onde o homem tem acessibilidade. Além disso são áreas
de carater cultural de cada país. Catalogar estas áreas como património
nacional ou mundial, é importante porque ajuda na preservação e manutenção
desses áreas com vista a não serem destruídas pelas ações do Homem.
Com o atual crescimento económico e populacional, o ser Humano têm
vindo cada vez mais a afastar-se da Natureza e consequentemente os
problemas ambientais têm-se vindo a agravar.
A utilização intensiva dos recursos naturais provoca :
 Delapidação dos recursos Naturais;
 A redução da Biodiversidade;
 Poluição de ecossistemas;
´
Por estes motivos referidos, é necessário o Homem tomar algumas
medidas nos vários “ ramos” da Terra.
Na atmosfera:
 Diminuir as emissões de gases nocivos para a atmosfera;
 Eliminar os CFS de modo a acabar de vez com o problema da
destruição da camada de ozono;
 Diminuir as quantidades de dióxido de carbono tendo em vista a
redução do aquecimento global;
Na Biosfera:
 Tentar impedir a desflorestação causada pelo Homem;
 Ordenar processos de aproveitamento e ordenamento dos solos, tendo
em vista acabar com a erosão dos solos e outros problemas.
 Criar mecanismos para poupar os recursos naturais;
 Por em prática a política dos 3R’s;
 Criar mais parques e reservas naturais, para a proteção das espécies
vegetais e animais;
Na hidrosfera:
 Implementar medidas de tratamento de esgotos, para os resíduos
destes não serem depositados no mar
 Pôr fim á utilização dos Oceanos como lixeira;
 Preservar os recursos marinhos, pondo fim a pesca excessiva;
 Utilizar mais produtos biodegradáveis;
 Evitar o desperdício de água e sensibilizar as populações para este
facto;
Como todos sabemos a população humana tem vindo a crescer
exponencialmente e em alguns anos poderemos atingir os 10 Biliões de
pessoas.
Com este forte crescimento demográfico, os recursos naturais tornam-se
cada vez mais escasso e o ser humano provoca involuntariamente mais
danos nos ecossistemas afetando gravemente o equilibro ambiental.
Por isso em 1986, a Comissão Mundial para o Meio Ambiente e
Desenvolvimento das Nações Unidas propôs através do relatório de
Brundtland tentou lançar u8ma proposta de desenvolvimento económico
que consistia com a definição de desenvolvimento sustentável.
O desenvolvimento humano
e o equilíbrio ambiental
Por isso como já referi anteriormente, o desenvolvimento sustentável tem
por definição” satisfazer as necessidades do presente, sem comprometer as
gerações futuras”.
Ao longo dos anos, têm vindo a ser criadas várias cimeiras para a
discussão deste problema entre o desenvolvimento do Homem e a
natureza.
A primeira grande cimeira, ”a cimeira do Rio” foi uma passo muito
importante para a defesa do ambiente pois foi aí que ficou decidida a
importância do Desenvolvimento Sustentável perante a comunidade
científica;
Mas como é natural, os problemas ambientais permaneceram e em alguns
casos até foram sendo agravados pelas ações do Homem, contrariamente
ao que ficou decidido na cimeira do Rio.
Por isso é importante que o ser Humano
aplique algumas regras e medidas para
tornar o desenvolvimento sustentável
eficaz.
Algumas medidas que o ser Humano pode
pôr em vigor para se conciliar melhor o seu
crescimento e o equilíbrio natural:
1- Evitar:
 A desflorestação;
 A poluição dos recursos
naturais;
 A destruição da camada de
ozono;
 O efeito de estufa:
2- Medidas para o dia-a-dia:
 Campanhas de sensibilização para evitar a poluição ambiental;
 Preservação dos recursos ambientais;
 Bom senso das pessoas perante a Natureza.
 Não estragar os recursos ambientais senão for mesmo necessário
 (…)
No fundo, é as pessoas
mudarem a sua forma de
pensar e agir sobre a
Natureza pois as gerações
futuras também desejariam
um mundo verde e com
vastas áreas naturais.
Como todos sabemos e como já
referi, o desenvolvimento sustentável
é uma ideia grandiosa, mas que
atualmente o ser Humano não está a
conseguir cumprir os seus deveres ao
tentar melhorar a situação em que o
planeta Terra se encontra.
Algumas medidas que o Homem
pode implementar no seu dia-a-dia:
Em casa:
 Poupar água e eletricidade;
 Usar mais produtos biodegradáveis;
 Fazer a reciclagem dos resíduos;
 Consumir produtos provenientes de uma agricultura mais pura,
que não estrague os solos e polua a Terra, como é o caso da
agricultura biológica.
Algumas medidas que se
pode meter em prática
Na Sociedade…
 Utilizar mais os transportes
públicos;
 Evitar a poluição sonora;
 Lutar contra a destruição do meio
ambiente;
 (…)
Na natureza:
 Proteger as zonas ecologicamente mais
sensíveis;
 Respeitar os animais e plantas;
 Não deitar lixo para o chão;
 Não atear fogo em sítios impróprios;
 Ajudar na limpeza das florestas e matas;
Mas qual é a finalidade destas medidas?
 Aumentar e melhorar a quantidade de água disponível nos cursos de
água;
 Reduzir a desflorestação;
 Proteger a camada de ozono;
 Reduzir a contaminação e o efeito de estufa;
 Proteger os solos da erosão e esgotamento;
 Favorecer um ambiente saudável,
 Pressionar os líderes políticos a vigorarem leis com vista a um
ambiente mais saudável e equilibrado entre o homem e a natureza;
 Preservar a Biodiversidade;
 Conservar os ecossistemas do planeta Terra;
Ou seja, tornar o mundo num lugar
mais saudável!
Todos os países do mundo deveriam ter um objetivo comum: tornar o
planeta Terra num lugar mais equilibrado e saudável.
As medidas que ajudam o ambiente têm de ser de proteção e conservação,
prevenção e correção ambiental.
Políticas ambientais
Estas políticas, têm de ser traduzidas em medidas como:
 o aproveitamento racional dos recursos naturais
 as ações de reflorestação e criação de parques naturais
 a diversificação das fontes energéticas
 o apoio à investigação científica
 a promoção de atividades de desenvolvimento económico que
respeitem
 o equilíbrio ambiental e a conservação dos recursos;
 o controlo da emissão de gases
 a promoção da conservação da diversidade da flora e da fauna
 a diminuição do crescimento explosivo da população
 a disponibilização de recursos financeiros, educativos e tecnológicos
A pressão exercida pelo
Homem sobre a Natureza,
levou á criação de Parques
Naturais destinados á
preservação da vida animal
e vegetal especifica de uma
determinada zona. Assim
existem vários parques com
definições diferentes, como:
Parque Nacional Integral
- Protege-se todos os
aspetos da Natureza e só é
permitido a presença do seu
Humano em caso de estudo
científico ou razões
administrativas.
Parque nacional – Conjunto de reservas instituídas para a preservação da
Natureza e educação da população;
Paisagem protegida – O objectivo e salvaguardar áreas rurais ou urbanas
onde existiam aspetos vestígios da cultura e dos hábitos do povo e só é
permitido actividades economias como a agricultura e pastoreio.
Lugar, sítios ou objectos classificados – é uma áreas indispensável á
salvaguarda paisagística de determinadas ocorrências naturais e  ou
características de interesse cultural.
Parque natural – são áreas de território devidamente ordenadas, tendo
em vista o recreio, a conservação da Natureza, a protecção da paisagem
natural e a promoção das actividades rurais.
Parques Naturais
Parque natural - imagem 2
Parque nacional - Imagem 1 e 3
Paisagem protegida – Imagem 4
Lugar classificado - Imagem 5
Conclusão
Como vimos ao longo deste trabalho, foi de máxima importância a criação
de medidas para promover o equilíbrio e desenvolvimento Sustentável.
Os Parques e reservas naturais, também foram outra excelente ideia
porque promoveram sítios” seguros” para o desenvolvimento de plantas e
animais que existem só em certos sítios e também para salvaguardar a vida
selvagem em algumas partes do nosso mundo.
Mas ao acabar este trabalho, fiquei com a opinião que o ser Humano podia-
se empenhar mais para proteger o ambiente!
Glossário
Cimeira - é uma reunião de chefes de Estado e/ou de governo ou entre
líderes de organizações.
Bibliografia
Todas as informações e imagens contidas neste trabalho foram retiradas
deo:
 Livro de Geografia, Á descoberta, 9ºano;
 Google Imagens;
 http://www.suapesquisa.com/ecologiasaude/problemas_ambientais
.htm
k

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação críticaO artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação críticaFernanda Monteiro
 
Conectores discurso
Conectores discursoConectores discurso
Conectores discursosofiax
 
Análise do episódio "Consílio dos deuses"
Análise do episódio "Consílio dos deuses"Análise do episódio "Consílio dos deuses"
Análise do episódio "Consílio dos deuses"Inês Moreira
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesAnaGomes40
 
O consílio dos deuses
O consílio dos deusesO consílio dos deuses
O consílio dos deusesannapaulasilva
 
Relatório dissecação do coração de porco
Relatório dissecação do coração de porcoRelatório dissecação do coração de porco
Relatório dissecação do coração de porcoMaria Freitas
 
Modificadores
ModificadoresModificadores
Modificadoresgracacruz
 
Gil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraGil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraDavid Caçador
 
Análise de Os Lusíadas
Análise de Os Lusíadas Análise de Os Lusíadas
Análise de Os Lusíadas Lurdes Augusto
 
A distribuição espacial das redes de transporte
A distribuição espacial das redes de transporteA distribuição espacial das redes de transporte
A distribuição espacial das redes de transporteIlda Bicacro
 
Lista obras textos educação Literária Secundário
Lista obras textos educação Literária  SecundárioLista obras textos educação Literária  Secundário
Lista obras textos educação Literária SecundárioBE123AEN
 
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António VieiraAlexandra Madail
 
Estrutura externa e interna d'os lusíadas
Estrutura externa e interna d'os lusíadasEstrutura externa e interna d'os lusíadas
Estrutura externa e interna d'os lusíadasclaudiarmarques
 
Geração de 70
Geração de 70Geração de 70
Geração de 70inesabento
 
Rm vs objetivismo moral
Rm vs objetivismo moralRm vs objetivismo moral
Rm vs objetivismo moralIsabel Moura
 
A Missão
A Missão A Missão
A Missão berenvaz
 

Mais procurados (20)

O artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação críticaO artigo de apreciação crítica
O artigo de apreciação crítica
 
Conectores discurso
Conectores discursoConectores discurso
Conectores discurso
 
Análise do episódio "Consílio dos deuses"
Análise do episódio "Consílio dos deuses"Análise do episódio "Consílio dos deuses"
Análise do episódio "Consílio dos deuses"
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
O consílio dos deuses
O consílio dos deusesO consílio dos deuses
O consílio dos deuses
 
Relatório dissecação do coração de porco
Relatório dissecação do coração de porcoRelatório dissecação do coração de porco
Relatório dissecação do coração de porco
 
Modificadores
ModificadoresModificadores
Modificadores
 
Gil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereiraGil vicente, farsa de inês pereira
Gil vicente, farsa de inês pereira
 
Análise de Os Lusíadas
Análise de Os Lusíadas Análise de Os Lusíadas
Análise de Os Lusíadas
 
Manuel Alegre
Manuel AlegreManuel Alegre
Manuel Alegre
 
A distribuição espacial das redes de transporte
A distribuição espacial das redes de transporteA distribuição espacial das redes de transporte
A distribuição espacial das redes de transporte
 
Atos de fala
Atos de falaAtos de fala
Atos de fala
 
Lista obras textos educação Literária Secundário
Lista obras textos educação Literária  SecundárioLista obras textos educação Literária  Secundário
Lista obras textos educação Literária Secundário
 
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António VieiraCapítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
Capítulo V Sermão Santo António aos Peixes Padre António Vieira
 
Estrutura externa e interna d'os lusíadas
Estrutura externa e interna d'os lusíadasEstrutura externa e interna d'os lusíadas
Estrutura externa e interna d'os lusíadas
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 
Lusiadas Figurasdeestilo
Lusiadas FigurasdeestiloLusiadas Figurasdeestilo
Lusiadas Figurasdeestilo
 
Geração de 70
Geração de 70Geração de 70
Geração de 70
 
Rm vs objetivismo moral
Rm vs objetivismo moralRm vs objetivismo moral
Rm vs objetivismo moral
 
A Missão
A Missão A Missão
A Missão
 

Semelhante a Preservação do Património natural

Preservação ambiental
Preservação ambientalPreservação ambiental
Preservação ambientalSandra Alves
 
Desenvolvimento sustentável
Desenvolvimento sustentávelDesenvolvimento sustentável
Desenvolvimento sustentáveltirsense
 
Problemas ambientais em debate
Problemas ambientais em debateProblemas ambientais em debate
Problemas ambientais em debate15825
 
texto 5 de Junho.docx
texto 5 de Junho.docxtexto 5 de Junho.docx
texto 5 de Junho.docxRosanaCosta70
 
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptxEDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptxTeresaSantosSeabra
 
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptxEDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptxTeresaSantosSeabra
 
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptxEDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptxisabelkakunga
 
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável Denise Vilardo
 
Preservação ambiental
Preservação ambientalPreservação ambiental
Preservação ambientalSandra Alves
 
Sustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambientalSustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambiental-
 
Gestão ambiental e desenvolvimento sustentável
Gestão ambiental e desenvolvimento sustentávelGestão ambiental e desenvolvimento sustentável
Gestão ambiental e desenvolvimento sustentávelMayjö .
 
Manual recupareas degradadas
Manual recupareas degradadasManual recupareas degradadas
Manual recupareas degradadasMarlos Nogueira
 
Manual recuperação áreas degradadas
Manual recuperação áreas degradadasManual recuperação áreas degradadas
Manual recuperação áreas degradadasJorge Henrique Silva
 
Sustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambientalSustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambiental-
 
G proteção ambiental e desenvolvimento sustentável-geologia
G proteção ambiental e desenvolvimento sustentável-geologiaG proteção ambiental e desenvolvimento sustentável-geologia
G proteção ambiental e desenvolvimento sustentável-geologiabecresforte
 

Semelhante a Preservação do Património natural (20)

Preservação ambiental
Preservação ambientalPreservação ambiental
Preservação ambiental
 
Desenvolvimento sustentável
Desenvolvimento sustentávelDesenvolvimento sustentável
Desenvolvimento sustentável
 
Problemas ambientais em debate
Problemas ambientais em debateProblemas ambientais em debate
Problemas ambientais em debate
 
texto 5 de Junho.docx
texto 5 de Junho.docxtexto 5 de Junho.docx
texto 5 de Junho.docx
 
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptxEDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
 
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptxEDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
 
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptxEDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
EDUCAÇÃO AMBIENTAL. NOVO.pptx
 
Anotações sobre a agua
Anotações sobre a aguaAnotações sobre a agua
Anotações sobre a agua
 
EDUCAÇÃO AMBIENTAL.pptx
EDUCAÇÃO AMBIENTAL.pptxEDUCAÇÃO AMBIENTAL.pptx
EDUCAÇÃO AMBIENTAL.pptx
 
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
 
Palestra unesp 09 2011
Palestra unesp 09 2011Palestra unesp 09 2011
Palestra unesp 09 2011
 
Preservação ambiental
Preservação ambientalPreservação ambiental
Preservação ambiental
 
Sustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambientalSustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambiental
 
Gestão ambiental e desenvolvimento sustentável
Gestão ambiental e desenvolvimento sustentávelGestão ambiental e desenvolvimento sustentável
Gestão ambiental e desenvolvimento sustentável
 
Manual recupareas degradadas
Manual recupareas degradadasManual recupareas degradadas
Manual recupareas degradadas
 
Manual de RAD - SP
Manual de RAD - SPManual de RAD - SP
Manual de RAD - SP
 
Manual recuperação áreas degradadas
Manual recuperação áreas degradadasManual recuperação áreas degradadas
Manual recuperação áreas degradadas
 
Sustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambientalSustentabilidade ambiental
Sustentabilidade ambiental
 
Dia mundial do meio ambiente
Dia mundial do meio ambienteDia mundial do meio ambiente
Dia mundial do meio ambiente
 
G proteção ambiental e desenvolvimento sustentável-geologia
G proteção ambiental e desenvolvimento sustentável-geologiaG proteção ambiental e desenvolvimento sustentável-geologia
G proteção ambiental e desenvolvimento sustentável-geologia
 

Mais de Diogo Alves

A helping habitat for bumblebee
A helping habitat  for bumblebeeA helping habitat  for bumblebee
A helping habitat for bumblebeeDiogo Alves
 
Biofísica do olho humano
Biofísica do olho humanoBiofísica do olho humano
Biofísica do olho humanoDiogo Alves
 
Crescimento demográfico e Sustentabilidade- Bg 12ºano
Crescimento demográfico e Sustentabilidade- Bg 12ºanoCrescimento demográfico e Sustentabilidade- Bg 12ºano
Crescimento demográfico e Sustentabilidade- Bg 12ºanoDiogo Alves
 
Cancro da próstata
Cancro da próstataCancro da próstata
Cancro da próstataDiogo Alves
 
People who fought for freedom
People who fought for freedomPeople who fought for freedom
People who fought for freedomDiogo Alves
 
A Importancia da água
A Importancia da águaA Importancia da água
A Importancia da águaDiogo Alves
 
Animais de circo
Animais de circoAnimais de circo
Animais de circoDiogo Alves
 
Trabalho tabela periodica
Trabalho   tabela periodicaTrabalho   tabela periodica
Trabalho tabela periodicaDiogo Alves
 
Diversidade cultural
Diversidade culturalDiversidade cultural
Diversidade culturalDiogo Alves
 
Grandezas eléctricas
Grandezas eléctricasGrandezas eléctricas
Grandezas eléctricasDiogo Alves
 
Censura em Portugal
Censura em PortugalCensura em Portugal
Censura em PortugalDiogo Alves
 

Mais de Diogo Alves (13)

A helping habitat for bumblebee
A helping habitat  for bumblebeeA helping habitat  for bumblebee
A helping habitat for bumblebee
 
Biofísica do olho humano
Biofísica do olho humanoBiofísica do olho humano
Biofísica do olho humano
 
Crescimento demográfico e Sustentabilidade- Bg 12ºano
Crescimento demográfico e Sustentabilidade- Bg 12ºanoCrescimento demográfico e Sustentabilidade- Bg 12ºano
Crescimento demográfico e Sustentabilidade- Bg 12ºano
 
Cancro da próstata
Cancro da próstataCancro da próstata
Cancro da próstata
 
People who fought for freedom
People who fought for freedomPeople who fought for freedom
People who fought for freedom
 
A Importancia da água
A Importancia da águaA Importancia da água
A Importancia da água
 
Animais de circo
Animais de circoAnimais de circo
Animais de circo
 
Trabalho tabela periodica
Trabalho   tabela periodicaTrabalho   tabela periodica
Trabalho tabela periodica
 
Rodoviária
RodoviáriaRodoviária
Rodoviária
 
Diversidade cultural
Diversidade culturalDiversidade cultural
Diversidade cultural
 
Grandezas eléctricas
Grandezas eléctricasGrandezas eléctricas
Grandezas eléctricas
 
Censura em Portugal
Censura em PortugalCensura em Portugal
Censura em Portugal
 
Petróleo
PetróleoPetróleo
Petróleo
 

Último

HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoSilvaDias3
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfNoções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfdottoor
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 

Último (20)

HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdfNoções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
Noções de Orçamento Público AFO - CNU - Aula 1 - Alunos.pdf
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 

Preservação do Património natural

  • 1. Preservação do Património Natural Ano letivo 2012/2013 Trabalho realizado por:  Diogo Alves
  • 2. Índice Introdução--------------------------------------------------------------------Pág.3 Preservação do Património---------------------------------------------Pag.4,5,6 Õ desenvolvimento humano e o equilíbrio ambienta----------------Pag.7,8,9 Algumas medidas que se podem meter em prática--------------Pag,10,11,12 Políticas ambientais----------------------------------------------------Pag.13,14 Parques naturais------------------------------------------------------Pag. 15,16 Conclusão-------------------------------------------------------------------Pag.17 Glossário --------------------------------------------------------------------Pag.18 Bibliografia------------------------------------------------------------------Pag.19
  • 3. O que é o desenvolvimento Sustentável? O Desenvolvimento sustentável refere-se a um modo de desenvolvimento capaz de responder às necessidades do presente sem comprometer a capacidade de crescimento das gerações futuras. Visa melhorar as condições de vida dos indivíduos, preservando simultaneamente a natureza a curto, médio e, sobretudo, longo prazo. Introdução “O futuro do mundo dependerá daquilo fizermos no presente” Mahatma Gandhi
  • 4. Preservação do Património O que é o Património Natural? O património Natural são todas as áreas onde habitam animais e plantas de todas as espécies e onde o homem tem acessibilidade. Além disso são áreas de carater cultural de cada país. Catalogar estas áreas como património nacional ou mundial, é importante porque ajuda na preservação e manutenção desses áreas com vista a não serem destruídas pelas ações do Homem.
  • 5. Com o atual crescimento económico e populacional, o ser Humano têm vindo cada vez mais a afastar-se da Natureza e consequentemente os problemas ambientais têm-se vindo a agravar. A utilização intensiva dos recursos naturais provoca :  Delapidação dos recursos Naturais;  A redução da Biodiversidade;  Poluição de ecossistemas; ´
  • 6. Por estes motivos referidos, é necessário o Homem tomar algumas medidas nos vários “ ramos” da Terra. Na atmosfera:  Diminuir as emissões de gases nocivos para a atmosfera;  Eliminar os CFS de modo a acabar de vez com o problema da destruição da camada de ozono;  Diminuir as quantidades de dióxido de carbono tendo em vista a redução do aquecimento global; Na Biosfera:  Tentar impedir a desflorestação causada pelo Homem;  Ordenar processos de aproveitamento e ordenamento dos solos, tendo em vista acabar com a erosão dos solos e outros problemas.  Criar mecanismos para poupar os recursos naturais;  Por em prática a política dos 3R’s;  Criar mais parques e reservas naturais, para a proteção das espécies vegetais e animais; Na hidrosfera:  Implementar medidas de tratamento de esgotos, para os resíduos destes não serem depositados no mar  Pôr fim á utilização dos Oceanos como lixeira;  Preservar os recursos marinhos, pondo fim a pesca excessiva;  Utilizar mais produtos biodegradáveis;  Evitar o desperdício de água e sensibilizar as populações para este facto;
  • 7. Como todos sabemos a população humana tem vindo a crescer exponencialmente e em alguns anos poderemos atingir os 10 Biliões de pessoas. Com este forte crescimento demográfico, os recursos naturais tornam-se cada vez mais escasso e o ser humano provoca involuntariamente mais danos nos ecossistemas afetando gravemente o equilibro ambiental. Por isso em 1986, a Comissão Mundial para o Meio Ambiente e Desenvolvimento das Nações Unidas propôs através do relatório de Brundtland tentou lançar u8ma proposta de desenvolvimento económico que consistia com a definição de desenvolvimento sustentável. O desenvolvimento humano e o equilíbrio ambiental
  • 8. Por isso como já referi anteriormente, o desenvolvimento sustentável tem por definição” satisfazer as necessidades do presente, sem comprometer as gerações futuras”. Ao longo dos anos, têm vindo a ser criadas várias cimeiras para a discussão deste problema entre o desenvolvimento do Homem e a natureza. A primeira grande cimeira, ”a cimeira do Rio” foi uma passo muito importante para a defesa do ambiente pois foi aí que ficou decidida a importância do Desenvolvimento Sustentável perante a comunidade científica; Mas como é natural, os problemas ambientais permaneceram e em alguns casos até foram sendo agravados pelas ações do Homem, contrariamente ao que ficou decidido na cimeira do Rio.
  • 9. Por isso é importante que o ser Humano aplique algumas regras e medidas para tornar o desenvolvimento sustentável eficaz. Algumas medidas que o ser Humano pode pôr em vigor para se conciliar melhor o seu crescimento e o equilíbrio natural: 1- Evitar:  A desflorestação;  A poluição dos recursos naturais;  A destruição da camada de ozono;  O efeito de estufa: 2- Medidas para o dia-a-dia:  Campanhas de sensibilização para evitar a poluição ambiental;  Preservação dos recursos ambientais;  Bom senso das pessoas perante a Natureza.  Não estragar os recursos ambientais senão for mesmo necessário  (…) No fundo, é as pessoas mudarem a sua forma de pensar e agir sobre a Natureza pois as gerações futuras também desejariam um mundo verde e com vastas áreas naturais.
  • 10. Como todos sabemos e como já referi, o desenvolvimento sustentável é uma ideia grandiosa, mas que atualmente o ser Humano não está a conseguir cumprir os seus deveres ao tentar melhorar a situação em que o planeta Terra se encontra. Algumas medidas que o Homem pode implementar no seu dia-a-dia: Em casa:  Poupar água e eletricidade;  Usar mais produtos biodegradáveis;  Fazer a reciclagem dos resíduos;  Consumir produtos provenientes de uma agricultura mais pura, que não estrague os solos e polua a Terra, como é o caso da agricultura biológica. Algumas medidas que se pode meter em prática
  • 11. Na Sociedade…  Utilizar mais os transportes públicos;  Evitar a poluição sonora;  Lutar contra a destruição do meio ambiente;  (…) Na natureza:  Proteger as zonas ecologicamente mais sensíveis;  Respeitar os animais e plantas;  Não deitar lixo para o chão;  Não atear fogo em sítios impróprios;  Ajudar na limpeza das florestas e matas;
  • 12. Mas qual é a finalidade destas medidas?  Aumentar e melhorar a quantidade de água disponível nos cursos de água;  Reduzir a desflorestação;  Proteger a camada de ozono;  Reduzir a contaminação e o efeito de estufa;  Proteger os solos da erosão e esgotamento;  Favorecer um ambiente saudável,  Pressionar os líderes políticos a vigorarem leis com vista a um ambiente mais saudável e equilibrado entre o homem e a natureza;  Preservar a Biodiversidade;  Conservar os ecossistemas do planeta Terra; Ou seja, tornar o mundo num lugar mais saudável!
  • 13. Todos os países do mundo deveriam ter um objetivo comum: tornar o planeta Terra num lugar mais equilibrado e saudável. As medidas que ajudam o ambiente têm de ser de proteção e conservação, prevenção e correção ambiental. Políticas ambientais
  • 14. Estas políticas, têm de ser traduzidas em medidas como:  o aproveitamento racional dos recursos naturais  as ações de reflorestação e criação de parques naturais  a diversificação das fontes energéticas  o apoio à investigação científica  a promoção de atividades de desenvolvimento económico que respeitem  o equilíbrio ambiental e a conservação dos recursos;  o controlo da emissão de gases  a promoção da conservação da diversidade da flora e da fauna  a diminuição do crescimento explosivo da população  a disponibilização de recursos financeiros, educativos e tecnológicos
  • 15. A pressão exercida pelo Homem sobre a Natureza, levou á criação de Parques Naturais destinados á preservação da vida animal e vegetal especifica de uma determinada zona. Assim existem vários parques com definições diferentes, como: Parque Nacional Integral - Protege-se todos os aspetos da Natureza e só é permitido a presença do seu Humano em caso de estudo científico ou razões administrativas. Parque nacional – Conjunto de reservas instituídas para a preservação da Natureza e educação da população; Paisagem protegida – O objectivo e salvaguardar áreas rurais ou urbanas onde existiam aspetos vestígios da cultura e dos hábitos do povo e só é permitido actividades economias como a agricultura e pastoreio. Lugar, sítios ou objectos classificados – é uma áreas indispensável á salvaguarda paisagística de determinadas ocorrências naturais e ou características de interesse cultural. Parque natural – são áreas de território devidamente ordenadas, tendo em vista o recreio, a conservação da Natureza, a protecção da paisagem natural e a promoção das actividades rurais. Parques Naturais
  • 16. Parque natural - imagem 2 Parque nacional - Imagem 1 e 3 Paisagem protegida – Imagem 4 Lugar classificado - Imagem 5
  • 17. Conclusão Como vimos ao longo deste trabalho, foi de máxima importância a criação de medidas para promover o equilíbrio e desenvolvimento Sustentável. Os Parques e reservas naturais, também foram outra excelente ideia porque promoveram sítios” seguros” para o desenvolvimento de plantas e animais que existem só em certos sítios e também para salvaguardar a vida selvagem em algumas partes do nosso mundo. Mas ao acabar este trabalho, fiquei com a opinião que o ser Humano podia- se empenhar mais para proteger o ambiente!
  • 18. Glossário Cimeira - é uma reunião de chefes de Estado e/ou de governo ou entre líderes de organizações.
  • 19. Bibliografia Todas as informações e imagens contidas neste trabalho foram retiradas deo:  Livro de Geografia, Á descoberta, 9ºano;  Google Imagens;  http://www.suapesquisa.com/ecologiasaude/problemas_ambientais .htm
  • 20. k