Nteha10 cd ppt1

265 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
265
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nteha10 cd ppt1

  1. 1. A arquitetura grega: racionalismo e humanismo O Vale dos Templos Agrigento – Sicília Jackob Philipp Hackert, Paisagem de Agrigento, 1778
  2. 2. Sítio arqueológico de Agrigento (Sicília). Vale dos Templos O Vale dos Templos é o que resta da parte monumental da antiga cidade grega de Akagras, na costa Sul da Sicília. É um dos mais importantes sítios arqueológicos do mundo grego.
  3. 3. Decreto sobre a fundação de uma colónia, cerca 445 a. C. (Museu epigráfico de Atenas) Entre os séculos VIII e VI a. C., os Gregos iniciaram um processo de expansão fundando colónias ao longo de todo o Mediterrâneo. O incremento do comércio marítimo, o excesso populacional e os diferendos políticos e sociais incitaram a expansão das cidades-estado gregas. A fundação de uma colónia era realizada sempre em nome de uma pólis. Embora mantivesse a sua independência política, a colónia mantinha a língua, a religião e as tradições culturais da cidade-mãe. A COLONIZAÇÃO GREGA
  4. 4. A MAGNA GRÉCIA Na Magna Grécia, os gregos fundaram algumas das suas mais importantes colónias. Akragas, atual Agrigento, foi fundada por volta de 581 a. C. por colonos oriundos de Gela e de Rodes.
  5. 5. Reconstituição e vista aérea na atualidade Moedas de Akagras, século V a. C. A prosperidade que a cidade alcançou no século V a. C. é comprovada pelo monumental conjunto de templos dóricos que constituem um dos mais importantes vestígios da arte e da cultura gregas no Mediterrâneo. AKAGRAS Píndaro, poeta grego (518-438 a. C.), exalta-a : «Ó cidade de Perséfone, erigida nas margens férteis do Akagras, a mais bela das cidades mortais, eu te invoco, a ti que amas o luxo e as festas». Píndaro, Ode Pitia XII
  6. 6. Planta e alçado do templo dórico A fachada do Templo da Concórdia coberta por um painel que simula o seu aspeto original O TEMPLO DÓRICO
  7. 7. Templo Períptero hexástilo, isto é, com colunas a toda a volta e 6 colunas frontais Frontão Tríglifo Métopa Friso Fuste Capitel Arquitrave Cornija TEMPLO DA CONCÓRDIA (550-530 a. C.) Com seis colunas frontais e treze nos lados maiores, o templo mede 16,90mx39,45m, sendo considerado um dos mais harmoniosos e elegantes do mundo grego. Tal como o Pártenon, apresenta correção ótica das linhas retas (entasis). Os Gregos construíram os seus templos à medida do Homem: contrariamente à monumentalidade da arquitetura oriental, privilegiaram a harmonia, a proporção e a simplicidade que, na sua forma de ver, distinguiam as coisas belas.
  8. 8. Planta e vista aérea do Templo da Concórdia TEMPLO DA CONCÓRDIA (550-530 a. C.)
  9. 9. Vista atualPlanta TEMPLO DE HÉRACLES (HÉRCULES) Datado de 500-490 a. C., este é o mais antigo templo do santuário. O arcaísmo desta construção revela-se nas dimensões, que ainda privilegiam o comprimento (67m X 25,35m). Possui seis colunas frontais e quinze laterais, num total de 42 colunas.
  10. 10. TEMPLO DE HERA LACÍNIA Edifício de estilo dórico de meados do século V a. C., é um períptero hexástilo (6 x 13 colunas) com 38,15m X 16,90m. Planta Vista atual
  11. 11. TEMPLO DOS DIÓSCUROS Edifício construído em meados do século V a. C. em honra dos Dióscuros, os gémeos Castor e Polux. As 4 colunas que se encontram de pé foram restauradas no século XIX e tornaram-se o símbolo de Agrigento. No centro desta área foram encontrados restos dos santuários dedicados a Deméter e Perséfone, divindades ligadas à fertilidade da terra e ao mundo subterrâneo. Vista atual
  12. 12. Restos do templo: capitel e atlante gigantes TEMPLO DE ZEUS OLÍMPICO Construído cerca de 480 a. C., o Templo de Zeus Olímpico pretendia celebrar a grandiosa vitória, na batalha de Hímera, dos acagratinos e siracusanos sobre os seus inimigos cartagineses. Este templo colossal, o maior de todo o mundo grego, uma exceção no que concerne à sua monumentalidade, acabaria quase destruído pelos cartagineses nos finais do século V a. C. Desde então, tornou-se uma espécie de pedreira, tendo os seus materiais sido utilizados para a construção de numerosos edifícios públicos.
  13. 13. Molde do edifício e atlante. Museu Arqueológico Regional de Agrigento TEMPLO DE ZEUS OLÍMPICO Com um comprimento de 112,70 m X 56,30 m, o templo impressiona também pela altura: entre as semicolunas, atlantes com 8m parecem sustentar o peso da arquitrave. A propósito do poderio de Akagras, Empódocles, filósofo do século V a. C., natural de Agrigento, comenta: «Os Cidadãos de Akagras vivem os prazeres e o luxo como se fossem morrer amanhã mas constrem como se fossem viver eternamente.»
  14. 14. Planta e corte transversal, reconstituição por C. R. Cockerell (1830) TEMPLO DE ZEUS OLÍMPICO
  15. 15. Desenho da construção do templo de Zeus Olímpico Pórtico das Cariátides, Erectéion O CARÁCTER HUMANO DOS TEMPLOS Construídos em honra dos deuses, os templos gregos nunca esquecem o Homem. A coluna, elemento estrutural do edifício, tem, no mundo helénico, um valor icónico: ela é o símbolo do Homem. Símbolo por vezes explícito, como acontece com as cariátides do Erectéion, em Atenas, e os atlantes do templo de Zeus Olímpico, em Agrigento.
  16. 16. O que resta do conjunto monumental que se ergueu, outrora, na antiga cidade de Agrigento, faz hoje parte do nosso património comum. O Vale dos Templos foi classificado pela UNESCO como património cultural da Humanidade, em 1997.

×