SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 34
Baixar para ler offline
ARTE NA
GRECIA
Enquanto a arte egípcia é uma arte
ligada ao espírito, a arte grega liga-se
à inteligência, pois os seus reis não
eram deuses, mas seres inteligentes e
justos que se dedicavam ao bem-
estar do povo. A arte grega volta-se
para o gozo da vida presente.
Contemplando a natureza, o artista se
empolga pela vida e tenta, através da
arte, exprimir suas manifestações. Na
sua constante busca da perfeição, o
artista grego cria uma arte de elaboração
intelectual em que predominam o ritmo,
o equilíbrio, a harmonia ideal. Eles tem
como características: o racionalismo;
amor pela beleza; interesse pelo homem,
essa pequena criatura que é “a medida
de todas as coisas”; e a democracia.
MANIFESTAÇOES ARTISTICAS
•ARQUITETURA
•ESCULTURA
•PINTURA
ARQUITETURA
• As edificações que despertaram maior interesse
são os templos. A característica mais evidente
dos templos gregos é a simetria entre o pórtico
de entrada e o dos fundos.
• O templo era construído sobre uma base de três
degraus.
• O degrau mais elevado chamava-se estilóbata e
sobre ele eram erguidas as colunas. As colunas
sustentavam um entablamento horizontal
formado por três partes: a arquitrave, o friso e a
cornija
ORDEM DÓRICA
Era simples e maciça. O
fuste da coluna era monolítico
e grosso. O capitel era uma
almofada de pedra. Nascida
do sentir do povo grego, nela
se expressa o pensamento.
Sendo a mais antiga das
ordens arquitetônicas gregas,
a ordem dórica, por sua
simplicidade e severidade,
empresta uma ideia de solidez
e imponência
ORDEM JÔNICA
• Ordem Jônica - representava
a graça e o feminino. A
coluna apresentava fuste
mais delgado e não se
firmava diretamente sobre o
estilóbata, mas sobre uma
base decorada. O capitel era
formado por duas espirais
unidas por duas curvas. A
ordem dórica traduz a forma
do homem e a ordem jônica
traduz a forma da mulher.
O TEMPLO DE ATENA NIKÉ
ORDEM CORINTIOS
Ordem Coríntia - o capitel
era formado com folhas de
acanto e quatro espirais
simétricas, muito usado no
lugar do capitel jônico, de
um modo a variar e
enriquecer aquela ordem.
Sugere luxo e ostentação.
FRONTÃO
Um frontão é um conjunto arquitetônico de forma triangular que
decora normalmente o topo da fachada principal de um edifício,
sendo constituído por duas partes essenciais: a cimalha (base) e as
empenas (dois lados que fecham o triângulo).
ESCULTURAS
A estatuária grega representa os mais
altos padrões já atingidos pelo homem.
Na escultura, o antropomorfismo -
esculturas de formas humanas - foi
insuperável. As estátuas adquiriram,
além do equilíbrio e perfeição das
formas, o movimento.
O grande desafio e a
grande conquista da
escultura do período
helenístico foi a
representação não de
uma figura apenas, mas
de grupos de figuras
que mantivessem a
sugestão de mobilidade
e fossem bonitos de
todos os ângulos que
pudessem ser
observados.
Lisipo, representava os
homens “tal como se vêem”
e “não como são”
(verdadeiros retratos). Foi
Lisipo que introduziu a
proporção ideal do corpo
humano com a medida de
oito vezes a cabeças.
DIONISIO
Período Helenístico
podemos observar o
crescente naturalismo:
os seres humanos não
eram representados
apenas de acordo
com a idade e a
personalidade, mas
também segundo as
emoções e o estado
de espírito de um
momento.
Praxíteles, celebrado
pela graça das suas
esculturas, pela lânguida
pose em “S” (Hermes
com Dionísio menino),
foi o primeiro artista
que esculpiu o nu
feminino.
No Período Clássico passou-se a
procurar movimento nas
estátuas, para isto, se começou a
usar o bronze que era mais
resistente do que o mármore,
podendo fixar o movimento sem
se quebrar. Surge o nu feminino,
pois no período arcaico, as
figuras de mulher eram
esculpidas sempre vestidas.
Miron, autor do Discóbolo -
homem arremessando o disco.
PINTURA
Pintura grega encontra-se na arte cerâmica. Os
vasos gregos são também conhecidos não só pelo
equilíbrio de sua forma, mas também pela
harmonia entre o desenho, as cores e o espaço
utilizado para a ornamentação. Além de servir para
rituais religiosos, esses vasos eram usados para
armazenar, entre outras coisas, água, vinho, azeite
e mantimentos. Por isso, a sua forma correspondia
à função para que eram destinados:
TIPOS DE CERAMICAS
- Ânfora - vasilha em forma
de coração, com o gargalo
largo ornado com duas asas;
- Hidra - (derivado de ydor,
água) tinha três asas, uma
vertical para segurar
enquanto corria a água e
duas para levantar;
-
- Cratera - tinha a boca
muito larga, com o corpo em
forma de um sino invertido,
servia para misturar água
com o vinho (os gregos
nunca bebiam vinho puro),
A pintura grega se divide em três grupos:
1) figuras negras sobre o fundo vermelho
2) figuras vermelhas sobre o fundo negro
3) figuras vermelhas sobre o fundo branco
Julgamento de Sócrates

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

As fases da escultura grega
As fases da escultura gregaAs fases da escultura grega
As fases da escultura gregaFlávia Marques
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte gregacattonia
 
Arte grega: arquitetura, escultura e cerâmica
Arte grega: arquitetura, escultura e cerâmicaArte grega: arquitetura, escultura e cerâmica
Arte grega: arquitetura, escultura e cerâmicaSusana Simões
 
Arte greco romana
Arte greco romanaArte greco romana
Arte greco romanacattonia
 
Cultura da Ágora - Pintura grega
Cultura da Ágora - Pintura grega Cultura da Ágora - Pintura grega
Cultura da Ágora - Pintura grega Carlos Vieira
 
Módulo 1 arquitetura grega regular
Módulo 1   arquitetura grega regularMódulo 1   arquitetura grega regular
Módulo 1 arquitetura grega regularCarla Freitas
 
Arte Grega e Romana
Arte Grega e RomanaArte Grega e Romana
Arte Grega e Romanacarollynha
 
A História da Música
A História da MúsicaA História da Música
A História da MúsicaMeire Falco
 
Arte Medieval - Românica, Bizantina e Gótica
Arte Medieval -  Românica, Bizantina e GóticaArte Medieval -  Românica, Bizantina e Gótica
Arte Medieval - Românica, Bizantina e GóticaAndrea Dressler
 
O teatro na grécia antiga
O teatro na grécia antigaO teatro na grécia antiga
O teatro na grécia antigaVictor Natan
 

Mais procurados (20)

Arte egípcia
Arte egípciaArte egípcia
Arte egípcia
 
As fases da escultura grega
As fases da escultura gregaAs fases da escultura grega
As fases da escultura grega
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
 
Arte grega: arquitetura, escultura e cerâmica
Arte grega: arquitetura, escultura e cerâmicaArte grega: arquitetura, escultura e cerâmica
Arte grega: arquitetura, escultura e cerâmica
 
Arte Romana
Arte RomanaArte Romana
Arte Romana
 
A cultura do senado
A cultura do senadoA cultura do senado
A cultura do senado
 
Arte Grega
Arte GregaArte Grega
Arte Grega
 
Arte greco romana
Arte greco romanaArte greco romana
Arte greco romana
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
 
Arquitetura grega
Arquitetura gregaArquitetura grega
Arquitetura grega
 
Teatro Grego
Teatro GregoTeatro Grego
Teatro Grego
 
A arte grega parte 1
A arte grega parte 1A arte grega parte 1
A arte grega parte 1
 
Cultura da Ágora - Pintura grega
Cultura da Ágora - Pintura grega Cultura da Ágora - Pintura grega
Cultura da Ágora - Pintura grega
 
Módulo 1 arquitetura grega regular
Módulo 1   arquitetura grega regularMódulo 1   arquitetura grega regular
Módulo 1 arquitetura grega regular
 
Arte Grega e Romana
Arte Grega e RomanaArte Grega e Romana
Arte Grega e Romana
 
A História da Música
A História da MúsicaA História da Música
A História da Música
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
 
Arte Medieval - Românica, Bizantina e Gótica
Arte Medieval -  Românica, Bizantina e GóticaArte Medieval -  Românica, Bizantina e Gótica
Arte Medieval - Românica, Bizantina e Gótica
 
O teatro na grécia antiga
O teatro na grécia antigaO teatro na grécia antiga
O teatro na grécia antiga
 

Destaque

Destaque (8)

Modelo do fichamento conteudo
Modelo do fichamento  conteudoModelo do fichamento  conteudo
Modelo do fichamento conteudo
 
Fichamentos
FichamentosFichamentos
Fichamentos
 
Modelo do fichamento citação
Modelo do fichamento citaçãoModelo do fichamento citação
Modelo do fichamento citação
 
Modelo do fichamento citação 9º ano 2016
Modelo do fichamento citação  9º ano 2016Modelo do fichamento citação  9º ano 2016
Modelo do fichamento citação 9º ano 2016
 
História 9º ano slide Guerra Fria
História   9º ano slide Guerra FriaHistória   9º ano slide Guerra Fria
História 9º ano slide Guerra Fria
 
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
12 o após_guerra_fria_e_a_globlização
 
Como fazer fichamento de texto ou livro
Como fazer fichamento de texto ou livroComo fazer fichamento de texto ou livro
Como fazer fichamento de texto ou livro
 
Fichamento de Texto
Fichamento de TextoFichamento de Texto
Fichamento de Texto
 

Semelhante a Arte Grega (20)

Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
 
A arte na Grécia
A arte na GréciaA arte na Grécia
A arte na Grécia
 
A arte grega
A  arte gregaA  arte grega
A arte grega
 
História da Arte - Antiguidade Clássica - Gregos
História da Arte - Antiguidade Clássica - GregosHistória da Arte - Antiguidade Clássica - Gregos
História da Arte - Antiguidade Clássica - Gregos
 
48787715 apostila-de-arte
48787715 apostila-de-arte48787715 apostila-de-arte
48787715 apostila-de-arte
 
História da arte grega e romana
História da arte grega e romanaHistória da arte grega e romana
História da arte grega e romana
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
 
Arte Grega.ppt
Arte Grega.pptArte Grega.ppt
Arte Grega.ppt
 
Arte grega
Arte gregaArte grega
Arte grega
 
ARTE GREGA - AULA 4
ARTE GREGA - AULA 4ARTE GREGA - AULA 4
ARTE GREGA - AULA 4
 
Arte grega 1
Arte grega 1Arte grega 1
Arte grega 1
 
Arte Grega
Arte GregaArte Grega
Arte Grega
 
HistóRia Da Arte
HistóRia Da ArteHistóRia Da Arte
HistóRia Da Arte
 
ARQUITETURA.pdf
ARQUITETURA.pdfARQUITETURA.pdf
ARQUITETURA.pdf
 
História da Arte (PaleoLítico, Mesolítico, Neolítico, Arte Egípsia, Arte Greg...
História da Arte (PaleoLítico, Mesolítico, Neolítico, Arte Egípsia, Arte Greg...História da Arte (PaleoLítico, Mesolítico, Neolítico, Arte Egípsia, Arte Greg...
História da Arte (PaleoLítico, Mesolítico, Neolítico, Arte Egípsia, Arte Greg...
 
GréCia
GréCiaGréCia
GréCia
 
GréCia
GréCiaGréCia
GréCia
 
artegregaesculturaarquiteturapintura
artegregaesculturaarquiteturapinturaartegregaesculturaarquiteturapintura
artegregaesculturaarquiteturapintura
 
A Arte na Grécia
A Arte na GréciaA Arte na Grécia
A Arte na Grécia
 

Mais de Rita de Cássia Freitas

10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva
10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva
10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusivaRita de Cássia Freitas
 
Centro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano
Centro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano Centro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano
Centro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano Rita de Cássia Freitas
 
Centro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano matutino
Centro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano matutinoCentro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano matutino
Centro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano matutinoRita de Cássia Freitas
 
Centro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano
Centro educacional moranguinho mapa conceitual 9º anoCentro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano
Centro educacional moranguinho mapa conceitual 9º anoRita de Cássia Freitas
 
Pesquisa, orientação profissional e iniciacao cientifica modulo iii
Pesquisa, orientação profissional e iniciacao cientifica modulo iiiPesquisa, orientação profissional e iniciacao cientifica modulo iii
Pesquisa, orientação profissional e iniciacao cientifica modulo iiiRita de Cássia Freitas
 
Manejo e conservação do solo e da água modulo iii
Manejo e conservação do solo e da água modulo iiiManejo e conservação do solo e da água modulo iii
Manejo e conservação do solo e da água modulo iiiRita de Cássia Freitas
 

Mais de Rita de Cássia Freitas (20)

10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva
10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva
10. o-papel-do-professor-na-educação-inclusiva
 
Lista de filmes
Lista de filmesLista de filmes
Lista de filmes
 
Jogos matemáticos-ensino-fundamenta ii
Jogos matemáticos-ensino-fundamenta iiJogos matemáticos-ensino-fundamenta ii
Jogos matemáticos-ensino-fundamenta ii
 
Jornalzinho do ponci nº 3
Jornalzinho do ponci  nº 3Jornalzinho do ponci  nº 3
Jornalzinho do ponci nº 3
 
Jornalzinho do ponci nº 2
Jornalzinho do ponci  nº 2Jornalzinho do ponci  nº 2
Jornalzinho do ponci nº 2
 
Jornalzinho do ponci finalizado
Jornalzinho do ponci  finalizadoJornalzinho do ponci  finalizado
Jornalzinho do ponci finalizado
 
Centro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano
Centro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano Centro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano
Centro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano
 
Centro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano matutino
Centro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano matutinoCentro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano matutino
Centro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano matutino
 
Centro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano
Centro educacional moranguinho mapa conceitual 9º anoCentro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano
Centro educacional moranguinho mapa conceitual 9º ano
 
Plano de curso agroextrativismo
Plano de curso agroextrativismoPlano de curso agroextrativismo
Plano de curso agroextrativismo
 
Plano de curso agroecologia
Plano de curso agroecologiaPlano de curso agroecologia
Plano de curso agroecologia
 
Capa
CapaCapa
Capa
 
Modulo iii proeja medio
Modulo iii proeja medioModulo iii proeja medio
Modulo iii proeja medio
 
Pesquisa, orientação profissional e iniciacao cientifica modulo iii
Pesquisa, orientação profissional e iniciacao cientifica modulo iiiPesquisa, orientação profissional e iniciacao cientifica modulo iii
Pesquisa, orientação profissional e iniciacao cientifica modulo iii
 
Nocoes de agricultura organica modulo i
Nocoes de agricultura organica modulo iNocoes de agricultura organica modulo i
Nocoes de agricultura organica modulo i
 
Manejo e conservação do solo e da água modulo iii
Manejo e conservação do solo e da água modulo iiiManejo e conservação do solo e da água modulo iii
Manejo e conservação do solo e da água modulo iii
 
Intervencao social modulo iii
Intervencao social modulo iiiIntervencao social modulo iii
Intervencao social modulo iii
 
Inglês modulo iii
Inglês modulo iiiInglês modulo iii
Inglês modulo iii
 
Inclusão digital modulo i
Inclusão digital modulo iInclusão digital modulo i
Inclusão digital modulo i
 
História iii módulo
História iii móduloHistória iii módulo
História iii módulo
 

Último

Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.pptDaniloConceiodaSilva
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfSandra Pratas
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturagomescostamma
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfSandra Pratas
 
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfmúsica paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfWALDIRENEPINTODEMACE
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxRomero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxLuisCarlosAlves10
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfceajajacu
 

Último (20)

Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt8 ano - Congruência e Semelhança e  Angulos em Triangulos.ppt
8 ano - Congruência e Semelhança e Angulos em Triangulos.ppt
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24pdf
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literaturaPizza_literaria.pdf projeto de literatura
Pizza_literaria.pdf projeto de literatura
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdfHORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_24RITA CALAIM_2023_24.pdf
 
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfmúsica paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptxRomero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
Romero Britto - biografia 6º ano (1).pptx
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
 

Arte Grega

  • 2. Enquanto a arte egípcia é uma arte ligada ao espírito, a arte grega liga-se à inteligência, pois os seus reis não eram deuses, mas seres inteligentes e justos que se dedicavam ao bem- estar do povo. A arte grega volta-se para o gozo da vida presente.
  • 3. Contemplando a natureza, o artista se empolga pela vida e tenta, através da arte, exprimir suas manifestações. Na sua constante busca da perfeição, o artista grego cria uma arte de elaboração intelectual em que predominam o ritmo, o equilíbrio, a harmonia ideal. Eles tem como características: o racionalismo; amor pela beleza; interesse pelo homem, essa pequena criatura que é “a medida de todas as coisas”; e a democracia.
  • 5. ARQUITETURA • As edificações que despertaram maior interesse são os templos. A característica mais evidente dos templos gregos é a simetria entre o pórtico de entrada e o dos fundos. • O templo era construído sobre uma base de três degraus. • O degrau mais elevado chamava-se estilóbata e sobre ele eram erguidas as colunas. As colunas sustentavam um entablamento horizontal formado por três partes: a arquitrave, o friso e a cornija
  • 6. ORDEM DÓRICA Era simples e maciça. O fuste da coluna era monolítico e grosso. O capitel era uma almofada de pedra. Nascida do sentir do povo grego, nela se expressa o pensamento. Sendo a mais antiga das ordens arquitetônicas gregas, a ordem dórica, por sua simplicidade e severidade, empresta uma ideia de solidez e imponência
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11. ORDEM JÔNICA • Ordem Jônica - representava a graça e o feminino. A coluna apresentava fuste mais delgado e não se firmava diretamente sobre o estilóbata, mas sobre uma base decorada. O capitel era formado por duas espirais unidas por duas curvas. A ordem dórica traduz a forma do homem e a ordem jônica traduz a forma da mulher.
  • 12. O TEMPLO DE ATENA NIKÉ
  • 13.
  • 14.
  • 15. ORDEM CORINTIOS Ordem Coríntia - o capitel era formado com folhas de acanto e quatro espirais simétricas, muito usado no lugar do capitel jônico, de um modo a variar e enriquecer aquela ordem. Sugere luxo e ostentação.
  • 16.
  • 17. FRONTÃO Um frontão é um conjunto arquitetônico de forma triangular que decora normalmente o topo da fachada principal de um edifício, sendo constituído por duas partes essenciais: a cimalha (base) e as empenas (dois lados que fecham o triângulo).
  • 18.
  • 19.
  • 20. ESCULTURAS A estatuária grega representa os mais altos padrões já atingidos pelo homem. Na escultura, o antropomorfismo - esculturas de formas humanas - foi insuperável. As estátuas adquiriram, além do equilíbrio e perfeição das formas, o movimento.
  • 21. O grande desafio e a grande conquista da escultura do período helenístico foi a representação não de uma figura apenas, mas de grupos de figuras que mantivessem a sugestão de mobilidade e fossem bonitos de todos os ângulos que pudessem ser observados.
  • 22. Lisipo, representava os homens “tal como se vêem” e “não como são” (verdadeiros retratos). Foi Lisipo que introduziu a proporção ideal do corpo humano com a medida de oito vezes a cabeças.
  • 23. DIONISIO Período Helenístico podemos observar o crescente naturalismo: os seres humanos não eram representados apenas de acordo com a idade e a personalidade, mas também segundo as emoções e o estado de espírito de um momento.
  • 24. Praxíteles, celebrado pela graça das suas esculturas, pela lânguida pose em “S” (Hermes com Dionísio menino), foi o primeiro artista que esculpiu o nu feminino.
  • 25. No Período Clássico passou-se a procurar movimento nas estátuas, para isto, se começou a usar o bronze que era mais resistente do que o mármore, podendo fixar o movimento sem se quebrar. Surge o nu feminino, pois no período arcaico, as figuras de mulher eram esculpidas sempre vestidas. Miron, autor do Discóbolo - homem arremessando o disco.
  • 26. PINTURA Pintura grega encontra-se na arte cerâmica. Os vasos gregos são também conhecidos não só pelo equilíbrio de sua forma, mas também pela harmonia entre o desenho, as cores e o espaço utilizado para a ornamentação. Além de servir para rituais religiosos, esses vasos eram usados para armazenar, entre outras coisas, água, vinho, azeite e mantimentos. Por isso, a sua forma correspondia à função para que eram destinados:
  • 27. TIPOS DE CERAMICAS - Ânfora - vasilha em forma de coração, com o gargalo largo ornado com duas asas; - Hidra - (derivado de ydor, água) tinha três asas, uma vertical para segurar enquanto corria a água e duas para levantar; - - Cratera - tinha a boca muito larga, com o corpo em forma de um sino invertido, servia para misturar água com o vinho (os gregos nunca bebiam vinho puro),
  • 28. A pintura grega se divide em três grupos: 1) figuras negras sobre o fundo vermelho
  • 29.
  • 30.
  • 31. 2) figuras vermelhas sobre o fundo negro
  • 32.
  • 33. 3) figuras vermelhas sobre o fundo branco