APRESENTAÇÃO - A ORIGEM DO DINHEIRO

472 visualizações

Publicada em

APRESENTAÇÃO QUE MOSTRA DE FORMA DIDÁTICA O SURGIMENTO DO DINHEIRO E SUAS VÁRIAS MODIFICAÇÕES DURANTE A EVOLUÇÃO HUMANA

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
472
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
290
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

APRESENTAÇÃO - A ORIGEM DO DINHEIRO

  1. 1. Apoio: ORIGEM DOS BCDS
  2. 2. ESCAMBO
  3. 3. Escambo ou Escâmbio é a primeira forma de comércio, uma prática ancestral onde realizavam se as trocas comerciais sem o envolvimento de um moeda ou objeto que simbolizasse esse ato, também não existia equivalência de valor na troca. ESCAMBO
  4. 4. “A palavra DINHEIRO vem do latim DENARIUS, nome dado a uma antiga Moeda Romana. Essa palavra foi usada para denominar uma moeda de prata e cobre que circulava em Castilha, na Espanha, depois foi utilizada para todas as moedas e todo o tipo de dinheiro”. As primeiras formas de dinheiro conhecidas são os lingotes (ou barras de metal), que eram usados na Babilônia há uns 5.000 anos. DINHEIRO
  5. 5. As primeiras moedas que se tem registro, são datadas do século VIII a.C., na Lídia, território da Grécia, onde eram utilizados pequenos lingotes ovais, composto de uma liga de ouro e prata chamada Eletro. “Provavelmente, a primeira personalidade histórica registrada através de uma efígie em uma moeda, foi o Imperador da Macedônia Alexandre, “O Grande”, por volta do ano 330 a.C”. A MOEDA
  6. 6. No período da Idade Média, os cidadãos passaram a guardar seus valores sobre os cuidados dos Ourives. O ourives por sua vez, como forma de garantia, entregava ao cidadão um Recibo. Com o passar do tempo, os recibos passaram a ser empregados para realizar pagamentos. Circulando “de mão em mão” foram originando à moeda de papel. “O relatos apontam que as primeiras cédulas, foram usadas na China, por volta do século VII”. Bilhete lançado pelo Banco do Brasil, em 1810 O PAPEL MOEDA
  7. 7. As primeiras moedas (METAL) cunhadas no Brasil, foram os “FLORINS e os SOLDOS”, do período da colonização Holandesa no Nordeste brasileiro entre os anos de 1630 e 1654. MOEDA BRASILEIRA
  8. 8. Catálogo Bentes Moedas Brasileiras Rodrigo Maldonado 2013 Casa da Moeda do Brasil 290 Anos de História Cleber Baptista Gonçalves 1984 MOEDA BRASILEIRA
  9. 9. O ”modus operandi” é praticamente o mesmo. O cidadão sabe das dificuldades do outro e oferece dinheiro, dizem que a taxa de juros é tantos por cento. Em garantia recebe documentos de carros, assinados, de imóveis, etc. Se for pagando os juros mensais, tudo bem, se não pagar o agiota toma o patrimônio garantido, isso em último caso, pois a preferência é pela rede de dependentes pagando religiosamente os juros escorchantes. A agiotagem, também conhecida por usura ou cobrança de ágio, consiste numa pratica ilegal e é considerada crime contra a economia popular no Brasil, de acordo com o artigo 4º da lei nº 1.521 de 26 de dezembro de 1951. A Ascensão do Dinheiro Ferguson,Niall. Planeta do Brasil, 2013 - 424 páginas. AGIOTAS
  10. 10. BANCO MEDICI. PODER, DINHEIRO E ARTE NA FLORENÇA DO SÉCULO XV. Editora RECORD, 2008, 280p. O BANCO MEDICI, Tim Parks, 2008. * Tim Parks revela as intrigas, subterfúgios e qualidades morais que deram fama aos Medici. Evocando a pujança do Renascimento florentino e o círculo dessa família, cheio de artistas, papas e reis, 'O banco Medici' mostra as origens da atividade bancária moderna e seu atribulado relacionamento com a arte e a religião. Abril Sangrento - Florença e o Complô Contra os Medici, Lauro Martines, Imago, 2003. * A tentativa de assassinar Lorenzo de Medici e a perseguição política que se seguiu ao ataque. ABRIL SANGRENTO. FLORENÇA E O COMPLÔ CONTRA OS MEDICI. Editora IMAGO, 2003, 348p. BANCO DOS MÉDICI
  11. 11. O Economista Muhammad Yunus, Prêmio Nobel da Paz em 2006, foi um visionário ao apostar na concessão de microcrédito e no empreendedorismo para reduzir a miséria em Bangladesh, onde ele nasceu e vive até hoje. Fundador do Grameen Bank, em 1976, e autor do livro O BANQUEIRO DOS POBRES (Ed. Ática), Yunus contribuiu de forma decisiva para popularizar o microcrédito em todo o mundo. Segundo ele, o empreendedorismo é uma solução mais eficaz do que programas assistencialistas, como o Bolsa Família, para reduzir a pobreza. “Dar dinheiro para os pobres não é uma solução para a miséria”, diz. “É uma forma de mascarar o problema.” “Em Bangladesh, não se vive, sobrevive-se”. Foi a partir desse cenário desolador que Yunus, então chefe do departamento de economia na Universidade de Chittagong, um pequeno distrito no sudeste do país, em suas aulas, ensinava as teorias que se propunham a resolver os grandes problemas da humanidade. Ele falava em milhões de dólares como se fossem nada. Um Mundo Sem Pobreza Yunus,Muhammad Ática Editora, 2008-263p. O BANQUEIRO DOS POBRES Yunus,Muhammad Ática Editora , 2000-344p. Criando um negocio social Yunus,Muhammad Elsevier Editora , 2010-232p. BANQUEIRO DOS POBRES
  12. 12. Os bancos comunitários de sementes podem ser individuais, coletivos ou institucionais. Chamamos aqueles (as) que protegem e armazenam sementes de guardiões e guardiãs. BANCOS COMUNITÁRIOS DE SEMENTES Os bancos de sementes são espaços de armazenamento de sementes e de troca, um local onde a semente fica armazenada de forma adequada fisicamente e ambientalmente.
  13. 13. Original. O ex-presidente do Banco Central , Henrique Meirelles, está à frente do banco que pertence ao grupo da JBS O Original tem 5,5 mil clientes, e Meirelles espera que, em uma década, este número chegue a 2 milhões. Para ele, os bancos digitais devem crescer nos próximos anos, assim como cresceram as companhias de e- commerce, que surgiram como pequenas e se popularizaram. “Somos o primeiro banco do mundo onde se pode abrir conta pelo celular. Há uma nova oportunidade de crescimento no segmento financeiro pela via digital, depois da consolidação dos grandes bancos” diz Meirelles. BANCOS DIGITAIS FINTECH é um misto entre finanças e tecnologia. São consideradas fintechs as empresas que utilizam inovações tecnológicas voltadas ao ramo de finanças, criando bancos ou soluções para pagamentos 100% digitais.
  14. 14. Bancos Comunitários de Desenvolvimento Fundos Rotativos Solidários Cooperativas de Crédito Clubes de Trocas Solidárias Moedas Sociais FINANÇAS SOLIDÁRIAS
  15. 15. DA PRAIA AO LIXÃO “Em 1973, começam a chegar trazidos pela Prefeitura que os expulsou da orla, em caçambas e despejados no pântano, onde só havia mato, lama e lixo. Lá, receberam barracas de lona pra morar”. (Joaquim Melo) BANCO PALMAS
  16. 16. Joaquim Melo “Nosso território não é pobre, ele é empobrecido, pois, perdemos nossas poupanças locais”. BANCO PALMAS
  17. 17. Conjunto Palmeiras, Fortaleza-CE Fundado em 1998 Lastro inicial de R$ 2.000,00 BANCO PALMAS
  18. 18. DA PRAIA AO LIXÃO “Em 30 de outubro de 2007, a Câmara de Vereadores de Fortaleza, reconheceu o Conjunto Palmeira como um BAIRRO”. MOEDA BRASILEIRA
  19. 19. ORGANOGRAMA METODOLÓGICO DO PALMAS COMUNIDADE (CONTROLE SOCIAL) CEÉDITO PARA PRODUÇÃO (EM REAIS) PRODUTORES COMERCIANTES PRESTADORES DE SERVIÇOS CRÉDITO PARA CONSUMO MORADORES CORRESPONDENTE BANCÁRIO PAGAMENTO MÓVEL EDUCAÇÃO PROFISSIONAL FINANCEIRA FEIRAS MICROSSEGURO REDE LOCAL DE PROSUMATORES SOLIDÁRIOS BANCO PALMAS
  20. 20. LIVROS SOBRE O PALMAS MOEDA BRASILEIRA
  21. 21. DOCUMENTÁRIOS SOBRE O BANCO PALMAS Banco Palmas - Projeto Brasil27 PALMAS A Revolução do Consumo O início dos bancos comunitários: Conjunto Palmeira e o surgimento do Banco Palmas Globo Repórter: A Surpreendente Economia dos Palmas MOEDA BRASILEIRA
  22. 22. PRÊMIO SANDRA MAGALHÃES MOEDA BRASILEIRA
  23. 23. Ainda não existe no Brasil um marco regulatório próprio para os Bancos Comunitários e as finanças solidárias. Nesta ausência, os Bancos Comunitários devem ficar atentos para algumas normas vigentes. Rede Brasileira de Bancos Comunitários
  24. 24. GOVERNO BCD ONG BCD GOVERNO BCDBEIRA RIO PALMAS MARICÁ
  25. 25. BANCOS COMUNITÁRIOS PERSPECTIVAS PARA O BRASIL • 51 Bancos Comunitários 2009 •118 Bancos Comunitários 2016
  26. 26. BANCOS COMUNITÁRIOS PERSPECTIVAS PARA A PARAÍBA •03 Bancos Comunitários João Pessoa (São José, São Rafael, Muçumagro) •01 Banco Comunitário Lagoa de Dentro (Lagoa) •01 Banco Comunitário Pombal (Maringá) •01 Banco Comunitário Remígio Discussão 03 01 01 01
  27. 27. 1 1 1 *São José *São Rafael * Muçumagro BANCOS COMUNITÁRIOS PERSPECTIVAS PARA JOÃO PESSOA
  28. 28. 60 Anos 70% de Trabalhadores 9 Instituições Comunitárias 29 Estabelecimentos Comerciais 3.500 Habitantes Aproximadamente 500 Residências Aproximadamente 5 Instituições Governamentais COMUNIDADE SÃO RAFAEL, JOÃO PESSOA-PB
  29. 29. FIB: 50% DA COMUNIDADE MAPEAMENTO SOCIOECONOMICO: 100% DA COMUNIDADE
  30. 30. Organograma BCDs
  31. 31. ÁRVORE DO ABRAÇO De mãos dadas, construindo uma nova economia
  32. 32. Moedas Sociais
  33. 33. MOEDAS SOCIAIS BRASILEIRAS
  34. 34. MOEDAS SOCIAIS DOS BCD’s BRASILEIROS
  35. 35. SÃO JOSÉ SÃO RAFAEL LAGOA DE DENTROMUÇUMAGRO POMBAL
  36. 36. ANTES DEPOIS IDENTIDADE LOCAL CONTIDA NAS MOEDAS SOCIAIS
  37. 37. (Maruza Freire, 2011) BANCOS COMUNITÁRIOS PROCESSO AO BANCO PALMAS
  38. 38. No ano de 1950, foi lançado o primeiro cartão de crédito, “Diners Club Card”, que funcionava para compras em 27 restaurantes dos EUA, e, tinha aproximadamente 200 clientes que eram em sua maioria executivos conhecidos do criador do Frank MacNara, que utilizaram tal serviço para o pagamento de despesas em viagens. Inicialmente foi feito de papel cartão, onde de um lado tinha o nome do cliente, e no verso o nome dos estabelecimentos que o aceitavam, só no ano de 1955, ele passou a ser produzido em material plástico.
  39. 39. O cartão Pré-Pago WESTERN UNION, pode ser recarregado quantas vezes se achar conveniente, dentro dos limites do cartão, tanto na Loja Virtual, quanto nas Lojas físicas e no App da empresa. Nubank está baseado em São Paulo, tem como seus principais investidores Sequoia Capital, Kaszek, Tiger Global Management e Founders Fund. O Cartão Nubank solicita apenas que o usuário tenha no mínimo 18 anos, seja residente do Brasil e tenha um smartphone que seja compatível com os aplicativos para Android (versão 4 ou superior), iOS (versão 9 ou superior) ou Windows Phone (versão 8.1 ou superior).
  40. 40. 1ª MOEDA SOCIAL DOS BANCOS COMUNITÁRIOS DO BRASIL
  41. 41. MOEDAS SOCIAIS * DOTS e Manaçaí *Banco Comunitário do Brasil-Bahia (BCD-BR) BANCOS COMUNITÁRIOS *Banco Comunitário Xadrez
  42. 42. LEIS Municipais de Bancos Comunitários
  43. 43. SÃO JOÃO DO ARRAIAL - PI
  44. 44. MARICÁ - RJ
  45. 45. XORÓ - CE
  46. 46. REMÍGIO - PB
  47. 47. ALEMANHA 2 BCD’S O Palmas treinou duas equipes na Alemanha onde foram implantados 02 banco comunitários com os mesmos princípios da ECOSOL brasileira.
  48. 48. ESPANHA, concentra mais de 70 experiências de Moedas Sociais Circulantes no país. ESPANHA
  49. 49. Banco de Tempo: é um sistema de organização de trocas solidárias que promove o encontro entre a oferta e a procura de serviços disponibilizados pelos seus membros. No Banco de Tempo troca-se tempo por tempo; todas as horas têm o mesmo valor e quem participa compromete-se a dar e a receber tempo. PORTUGAL
  50. 50. VENEZUELA + de 3.500 BCD’S O Palmas treinou uma equipe de 30 técnicos do governo venezuelano na metodologia dos Bancos Comunitários. Ao mesmo tempo, o governo de Hugo Chávez aprovou a Lei dos Bancos Comunais, que estabelece que, a cada 200 famílias organizadas, um Conselho Comunal pode ser criado para instalar um estabelecimento comunitário. Esse processo já resultou na fundação de 3.600 Bancos Comunitários em diferentes Estados da Venezuela.
  51. 51. CENTRO POPULAR DE CULTURA E COMUNICAÇÃO Site: http://www.cpcc.webnode.com.br Email: cpcc.org.br@gmail.com Fones: (83) 9 8886-6277 (83) 9 8854-8148
  52. 52. BANCO CENTRAL DO BRASIL. Disponível em: <http://www.bcb.gov.br/pre/microFinancas/arquivos/horario_arquivos/apres_116.pdf>. Acesso em 20 de dezembro de 2016. __________. Disponível em: <http://www.bcb.gov.br/pre/microFinancas/publico/Default.asp?idEvento=23>. Acesso em 20 de dezembro de 2016. __________ Disponível em: <https://www.bcb.gov.br/Nor/relincfin/Palestra_Marusa_Vasconcelos_Freire_._Moedas_Sociais.pdf>. Acesso em 20 de janeiro de 2017. __________. Disponível em: <http://www.bcb.gov.br/Pre/educacao/cadernos/dinheiro.pdf>. Acesso em 20 de janeiro de 2017. __________. Disponível em: <http://www.bcb.gov.br/pt-br/#!/busca/escambo>. Acesso em 20 de janeiro de 2017. __________. Disponível em: <http://www.bcb.gov.br/pre/normativos/res/2010/pdf/res_3919_v4_P.pdf>. Acesso em 20 de janeiro de 2017.
  53. 53. BITICOIN. O que é o BITICOIN?. Disponível em: < https://www.mercadobitcoin.com.br/o-que-e-bitcoin/>. Acesso em: 10 de março de 2017. BÚRIGO, Fábio Luiz. Finanças e solidariedade: o cooperativismo de crédito rural solidário no Brasil. Estud.soc.agric., Rio de Janeiro: v. 14, n², 2006. Blog O Futuro do Dinheiro. Disponível em: <https://ofuturododinheiro.wordpress.com/brasil-2012/>. Acesso em 20 de dezembro de 2016. CADERNO TEMÁTICO. II CONFERÊNCIA NACIONAL DE ECONOMIA SOLIDÁRIA. CONFERÊNCIAS TEMÁTICAS. 2010. CARNEIRO, Gisele. Clubes de troca: rompendo o silêncio, construindo outra história. 2ª ed. Curitiba: CEFURIA, 2011. Cartilha dos Fundos Solidários da Região Sul: Histórico, organização e gestão / Centro de Assessoria Multiprofissional. Porto Alegre: CAMP, 2015. COSTA NETO, Yttio Corrêa da. Bancos oficiais no Brasil: origem e aspectos de seu desenvolvimento. Brasília: Banco Central do Brasil, 2004. Facebook do Banco Comunitário do Brasil. Disponível em: <https://www.facebook.com/bancocomunitariodobrasil/>. Acesso em 20 de janeiro de 2017.
  54. 54. FRANÇA FILHO, Genauto Carvalho de; LAVILLE, Jean-Louis. A economia Solidária: uma abordagem internacional. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2004. ______. Bancos Comunitários de Desenvolvimento (BCD’s) como expressão de finanças solidárias: por uma outra abordagem da inclusão financeira. 1ª edição. Fortaleza: Arte Visual. 2013. FREIRE, Marusa Vasconcelos. MOEDAS SOCIAIS: CONTRIBUTO EM PROL DE UM MARCO LEGAL E REGULATÓRIO PARA AS MOEDAS SOCIAIS CIRCULANTES LOCAIS NO BRASIL. Faculdade de Direito - Universidade de Brasília: 2010. GRAAL.ORG. Banco do Tempo. Disponível em: <http://www.graal.org.pt/projecto.php?id=2>. Acesso em: 10 de março de 2017. GOVERNO FEDERAL. Clubes de troca negociam produtos e serviços. Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/cidadania-e-justica/2012/04/clubes-de-troca-negociam-produtos-e-servicos>. Acesso em: 10 de março de 2017. IPEIA. ECONOMIA SOLIDÁRIA E POLÍTICAS PÚBLICAS: bancos comunitários. Disponível em: <http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/4059/1/bmt41_10_Eco_Bancos_41.pdf >. Acesso em: 10 de março de 2017.
  55. 55. INCUBES-UFPB. A INCUBES-UFPB realizou neste último final de semana mais uma etapa do Projeto PAIES, para implantação do banco comunitário de desenvolvimento na Cidade de Lagoa de Dentro. Disponível em: <http://www.ufpb.br/incubes/>. Acesso em: 10 de março de 2017. JOSÉ CARLOS, Araújo Lima. BANCOS COMUNITÁRIOS E MOEDA SOCIAL COMO POLÍTICA PÚBLICA PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL – Um Estudo de Caso sobre o Bairro São José - João Pessoa-PB. Artigo de Pós-graduação lato sensu em Gestão Pública Municipal, UFPB, 2011. MELO NETO, João Joaquim e MAGALHÃES, Sandra. Bancos comunitários de desenvolvimento – uma rede sob controle da comunidade. Fortaleza: Instituto Palmas, 2006. ______. Bairros Pobres, Ricas Soluções: Banco Palmas Ponto a Ponto. Fortaleza. 2003. RAPOSO, Jaciara Gomes. Banco Comunitário de Desenvolvimento Jardim Botânico: Gestão social comunitária para o desenvolvimento local. João Pessoa: Dissertação de Mestrado, UFPB, 2014. RIGO, Ariádne Scalfoni. Moedas sociais e bancos comunitários no Brasil: aplicações e implicações, teóricas e práticas. Salvador: Tese de Doutorado-UFBA, 2014. SANTOS, Daniel Pereira dos. O rádio e a mudança comunitária. Pará de Minas: Virtual Book. 2013. SILVA JR, Jeová Torres (ORG). Gestão Social Práticas em Debate, Teorias em Construção. 1ª Edição. Juazeiro do Norte: Coleção Enapegs V1, 2008.
  56. 56. SINGER, Paul Israel. Introdução a Economia Solidaria. 1ª ed., São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2002. Site Abdonmarinho. Disponível em: <http://www.abdonmarinho.com/index.php/2015-05-30-11-05-52/rss/13- politica/390-agiotagem-origem-do-mal>. Acesso em 20 de janeiro de 2017. Site Agiotas.com. Disponível em: <http://www.agiotas.org/agiotagem/>. Acesso em 20 de janeiro de 2017. Site Banco Original. Disponível em: <https://www.original.com.br/>. Acesso em 20 de janeiro de 2017. Site BRASILEIRO DA YUNUS. Disponível em: <http://www.yunusnegociossociais.com/>. Acesso em 20 de janeiro de 2017. Site CENTRO POPULAR DE CULTURA E COMUNICAÇÃO. Disponível em: <http://cpcc.webnode.com.br/bcd-jardim-bot%C3%A2nico/bcd-jardim-bot%C3%A2nico/>. Acesso em 31 de dezembro de 2016. Site Cidadania e território. Moedas sociais. Disponível em: <http://www.cidadaniaeterritorio.org/#!moedas- sociais/c23lz>. Acesso em 20 de dezembro de 2015. Site Cirandas.net. Disponível em: <http://cirandas.net/xadrez/primeiro-banco-comunitario-de-rondonia>. Acesso em 20 de janeiro de 2017.
  57. 57. Site Conta em Banco. Disponível em: <http://contaembanco.com.br/servicos/contas-online-sem-tarifas- digiconta-x-iconta-x-pacote-digital/>. Acesso em 20 de janeiro de 2017. Site Digio.com. Disponível em: <https://www.digio.com.br/>. Acesso em 20 de janeiro de 2017. Site E--konomista. Disponível em: <http://www.e-konomista.com.br/d/bancos-digitais/>. Acesso em 20 de janeiro de 2017. Site FEBES. ARTIGO SOBRE MOEDAS SOCIAIS. Disponível em: <http://www.fbes.org.br/biblioteca22/rel_parte2.pdf>. Acesso em 20 de dezembro de 2015. Site Finnovation. Disponível em: <http://finnovation.com.br/o-papel-do-onboarding-no-avanco-dos-bancos- digitais-no-brasil/>. Acesso em 20 de janeiro de 2017. Site Guia do Estudante. Disponível em: <http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/medici-grande- familia-485434.shtml>. Acesso em 20 de janeiro de 2017. Site Isto É. Disponível em: <http://istoe.com.br/2220_OS+BANQUEIROS+DE+FLORENCA/>. Acesso em 20 de janeiro de 2017 Site MUNDIAL DA YUNUS. Disponível em: <http://www.yunussb.com/>. Acesso em 20 de janeiro de 2017.
  58. 58. Site Nubank. Disponível em: <https://www.nubank.com.br/>. Acesso em 20 de janeiro de 2017. Site Notícias da Bota. Disponível em: <http://www.noticiasdabota.com/2013/01/os-senhores-de-florenca- familia-medici.html>. Acesso em 20 de janeiro de 2017. Site O Globo. Disponível em: <http://oglobo.globo.com/economia/setor-financeiro-investe-em-bancos-digitais- sem-agencia-19008383>. Acesso em 20 de janeiro de 2017. Site Portal do desenvolvimento. Moedas sociais ganham força nas comunidades. Disponível em: <http://www.portaldodesenvolvimento.org.br/moedas-sociais-ganham-forca-nas-comunidades/>. Acesso em 20 de dezembro de 2015. Site Rede Sementes Livres Brasil. Disponível em: <http://www.redesementeslivresbrasil.org/mapa-dos- bancos-comunitarios>. Acesso em 20 de janeiro de 2017. Site Sinal.org. Informativo. Disponível em: <http://www.sinal.org.br/informativos/porsinal/?id=7853&tipo=porsinal&show=shw&numero=36>. Acesso em 20 de dezembro de 2015. Site Slideshare. Moedas sociais, clubes de trocas na Argentina e o projeto sol na França. Disponível em: <http://pt.slideshare.net/redlases/moedas-sociais-clubes-de-troca-na-argentina-e-o-projeto-sol-na-franca>. Acesso em 20 de dezembro de 2015.
  59. 59. Site UNISINOS. Finanças solidárias e moedas sociais, uma entrevista especial com Heloisa Primavera. Disponível em: <http://www.ihu.unisinos.br/noticias/2547-financas-solidarias-e-moedas-sociais-uma-entrevista- especial-com-heloisa-primavera>. Acesso em 20 de dezembro de 2015. Site Viva Toscana. Disponível em: <http://www.vivatoscana.com.br/2015/03/mas-enfim-quem-sao-os- medicis.html>. Acesso em 20 de janeiro de 2017. Site Wucambio. Disponível em: <http://www.wucambio.com.br/>. Acesso em 20 de janeiro de 2017. Vídeo A Ascensão do Dinheiro. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=LPnn2OBYIRY>. Acesso em 20 de janeiro de 2017. Vídeo A História do Grameen Bank. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=Md12zaRCCnA>. Acesso em 20 de janeiro de 2017.

×