APRESENTAÇÃO FUNDOS ROTATIVOS SOLIDÁRIOS

792 visualizações

Publicada em

APRESENTAÇÃO FUNDOS ROTATIVOS SOLIDÁRIOS

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
792
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
448
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

APRESENTAÇÃO FUNDOS ROTATIVOS SOLIDÁRIOS

  1. 1. Apoio:
  2. 2. São fundos mantidos por Entidades da Sociedade Civil ou Organizações Comunitárias, Formais ou Informais e destinados ao apoio de projetos associativos e comunitários de produção de bens e serviços.
  3. 3. O FRS é uma poupança comunitária gerida coletivamente para fortalecer a agricultura familiar e a economia dos catadores, artesãos ou comerciantes populares. Essa poupança é formada por meio da doação voluntária de recursos por cada membro participante do fundo ou ainda, pode ser constituída a partir de ações e recursos externos destinados ao FRS.
  4. 4. Por meio dos Fundos Rotativos Solidários, investem se recursos na comunidade, através de empréstimos com prazos e reembolsos mais flexíveis e mais adaptados às condições socioeconômicas das famílias empobrecidas beneficiadas pelos FRS. A aplicação dos recursos e sua sucessiva reposição para novos investimentos seguem modalidades e ritmos decididos pela próprio grupo que gere o FRS.
  5. 5. A formação de uma Poupança Comunitária e Autofinanciamento é um direito de todos, reconhecido pelo Programa Nacional de Direitos Humanos do Ministério da Justiça. b) Incentivar e promover a realização de atividades de valorização da cultura das comunidades tradicionais, entre elas ribeirinhos, extrativistas, quebradeiras de coco, pescadores artesanais, seringueiros, geraizeiros, varzanteiros, pantaneiros, comunidades de fundo de pasto, caiçaras e faxinalenses. (PNDH-3, 2010) Com isso, o financiamento é mais barato e mais acessível para os projetos apoiados, favorecendo o acesso mais democrático e solidário ao crédito, e estimulando o crescimento local.
  6. 6. Os FRS nascem das vivências tradicionais de reciprocidade que levam, por exemplo, qualquer agricultor ou agricultora à compartilhar a água de beber no sertão, pois, lá não se nega água, ou quando se cria os animais em áreas de pastagens comuns (os fundos de pasto), quando se faz um mutirão para bater laje, ou mais essencial ainda, quando se ajuda uma família carente a adquirir uma cabra para dar leite ao filho e começar a sua criação.
  7. 7. Um agricultor assim traduziu o princípio ético e o mecanismo que rege o sistema: “O beneficio que eu recebi, vou me esforçar para que outros também possam recebê-lo”. Esse movimento de aplicação, reposição e reinvestimento obedece a uma lógica de solidariedade característica de comunidades camponesas.
  8. 8. É nesse sentido que os FRS revelam-se como poderoso instrumento de economia comunitária, a serviço do desenvolvimento autocentrado e pautado na Agroecologia. Os Fundos Solidários têm longa história no Brasil, mas foi a partir dos anos 1980 que ganharam força junto aos movimentos sociais e às atividades comunitárias ligadas a diversas igrejas.
  9. 9. O primeiro fundo Rotativo solidário da Paraíba surgiu em 1993, na Comunidade Rural de Caiçara, Município de Soledade. Esse primeiro projeto foi financiado pela Catholic Relief Service (CRS), em convênio com o Programa Mundial de Alimentação.
  10. 10. O trabalho foi assumido pelo Programa de Aplicação de Tecnologia Apropriada às Comunidades (PATAC), em parceria com o Sindicato de Trabalhadores Rurais (STR) de Soledade e com a paróquia local. O objetivo era criar uma forma de disponibilizar recursos financeiros para a construção de cisternas de placas. Essa comunidade foi escolhida porque era muito populosa e tinha grande deficiência de infraestruturas para captação e armazenamento de água.
  11. 11. É um FUNDO É ROTATIVO É SOLIDÁRIO porque reúne recursos (financeiros, mão de obra, sementes, etc.). porque os recursos giram, circulam entre todos os participantes. porque você recebe o benefício, mas também pensa no outro, divide com o irmão.
  12. 12. São exemplos de FRS: Os mutirões para a construção ou manutenção de bens comuns (estradas, açudes, poços) ou em benefício a famílias que necessitam de ajuda para colher os roçados ou reformar suas casas. FRS SEM OU COM CIRCULÇÃO DE MOEDA
  13. 13. FRS DE PALMAS FRS FOGÕES ECOLÓGICOS FRS BANCOS DE SEMENTES COMUNITÁRIOS
  14. 14. FRS DE CISTERNAS FRS DE CERCAS DE ARAME FRS DE ANIMAIS
  15. 15. Obrigado! Arquivista Jonathas Carecas, Comunidade São Rafael, Castelo Branco IIII, Nº: 110, CEP: 58050-705 FONE: 83 9 8854-8148 / 83 9 8886-6277 SITE: www.cpcc.webnode.com.br E-MAIL: cpcc.org.br@gmail.com
  16. 16. CENTRO POPULAR DE CULTURA E COMUNICAÇÃO Site: http://www.cpcc.webnode.com.br Email: cpcc.org.br@gmail.com Fones: (83) 9 8886-6277 (83) 9 8854-8148

×