Reprodução

9.710 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.710
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reprodução

  1. 2. REPRODUÇÃO HUMANA E CRESCIMENTO
  2. 3. Qual é a importância da reprodução? Todas as espécies de seres vivos da Terra têm a capacidade de reprodução, ou seja, a capacidade de produzir novos seres vivos semelhantes aos seus progenitores. É essencial haver reprodução porque, como todos os seres vivos são mortais, se eles não se reproduzissem a espécie extinguia-se. A forma mais evoluída de reprodução é a reprodução sexuada . Nesta reprodução, existem dois sexos, masculino e feminino, que fabricam diferentes células reprodutoras, ou células sexuais. Para que haja reprodução, uma célula reprodutora masculina e uma célula reprodutora feminina têm de se juntar. A união das duas células reprodutoras chama-se fecundação.
  3. 4. Qual é a importância da reprodução? Na espécie humana, como em muitas outras espécies, existe fecundação interna : o homem coloca as suas células reprodutoras dentro do corpo da mulher, onde está a célula reprodutora feminina, e é lá dentro que se dá a fecundação. A união dos dois corpos é chamada cópula, ou ato sexual .
  4. 5. Puberdade e adolescência À nascença, só é possível distinguir os meninos das meninas através dos chamados carateres sexuais primários, ou seja, das características dos órgãos sexuais. Durante a infância, não surgem muito mais diferenças entre eles. Numa dada altura, a criança entra na fase da puberdade , que é a fase em que têm início as alterações do corpo necessárias para atingir a maturidade sexual, ou seja, a capacidade para ter filhos. A partir da puberdade, surgem os chamados carateres sexuais secundários , ou seja, as características do corpo que são diferentes nos rapazes e nas raparigas, mas que não são essenciais para se poder ter filhos. Nas raparigas, ocorre o desenvolvimento das mamas, o alargamento das ancas, o crescimento de pelos e o aparecimento da menstruação. Nos rapazes, ocorre o desenvolvimento dos testículos e do pénis, o crescimento de pelos, o alargamento dos ombros e a alteração da voz.
  5. 6. Puberdade e adolescência Após a puberdade o jovem entra na adolescência . Normalmente, considera-se que a adolescência decorre entre os 13 e os 19 anos. Este é o tempo em que o jovem deixa de ser criança e, pouco a pouco, se transforma em adulto. Durante a adolescência ocorrem alterações corporais, mas também modificações psicológicas importantes: ganha maior importância o grupo de amigos, o humor e as emoções variam muito, é valorizada a aparência, aumentam as capacidades mentais e começam a definir-se objetivos de vida.
  6. 7. O sistema reprodutor masculino Nos dois sistemas reprodutores existem glândulas sexuais (os órgãos que fabricam células sexuais), vias genitais (os canais por onde as células sexuais se deslocam), e um órgão copulador (que realiza a cópula). A função principal do sistema reprodutor masculino é fabricar células sexuais masculinas, os espermatozoides , e colocá-las dentro do sistema reprodutor feminino. Os espermatozoides são fabricados nos dois testículos , que se encontram dentro de uma bolsa de pele chamada escroto . Para chegarem ao exterior, os espermatozoides passam por várias vias genitais: epidídimos , canais deferentes e, por fim, uretra . Pénis Bexiga Vesículas seminais Testículos Escroto Uretra Epidídimos Canais deferentes Próstata
  7. 8. O sistema reprodutor masculino Os espermatozoides ficam contidos num líquido, o esperma , ou sémen . Esse líquido é fabricado pelas glândulas anexas do sistema, a próstata e as duas vesículas seminais . Para poder realizar a cópula (penetrar na vagina da mulher), o pénis (órgão copulador) entra em ereção : torna-se rígido e aumenta de tamanho. No final da cópula, ocorre a ejaculação , ou seja, é emitida uma pequena quantidade de esperma para o interior da vagina. Os espermatozoides terão assim uma oportunidade de fecundar uma célula sexual feminina e dar início a uma gravidez. Elevação parcial dos testículos Ereção
  8. 9. O sistema reprodutor feminino O sistema reprodutor feminino é mais complexo do que o masculino, pois tem três funções distintas: 1) fabricar células sexuais femininas, os ovócitos; 2) ser o local onde se dá a fecundação (união das duas células sexuais); 3) ser o local onde se desenvolve o filho e, no final da gravidez, realizar o parto. Bexiga Colo do útero Trompas de Falópio Ovário Útero Uretra Vagina Vulva
  9. 10. O sistema reprodutor feminino Uma vez por mês (aproximadamente), um dos dois ovários liberta uma célula sexual feminina – o ovócito . Este permanece numa trompa de Falópio durante poucos dias. Se lá chegarem espermatozoides nesses dias, pode ocorrer a fecundação. Se esta acontecer, o embrião resultante instala-se no útero , um órgão oco de paredes muito elásticas. A vagina faz a ligação entre o útero e o exterior. É o órgão copulador feminino, pois é nela que penetra o pénis para colocar o esperma. Na altura do parto, a vagina funciona como canal do parto, pois é por ela que o bebé sai para o exterior. A vulva é o órgão sexual externo e serve para proteger o orifício da vagina. Ânus Orifício da vagina Pequenos lábios Grandes lábios Orifício urinário Clítoris
  10. 11. Menstruação e fecundação O sistema reprodutor feminino funciona segundo ciclos. O sinal mais claro desses ciclos é a existência de menstruação , a perda de algum sangue pela vagina, aproximadamente uma vez por mês. Porque é que ocorre a menstruação? Uma vez por mês, um dos ovários liberta um ovócito – ovulação. Isso significa que pode iniciar-se uma gravidez. Por essa razão, o útero tem de preparar-se para essa possível gravidez. Esses preparativos consistem no espessamento da parede interna do útero. Quando não acontece uma gravidez (o que é o mais habitual…), o útero, a seguir, desfaz os preparativos que tinha feito. É então que ocorre uma perda de sangue. O ovócito que não foi fecundado também sai com a menstruação. Vagina Útero
  11. 12. Menstruação e fecundação A menstruação só não acontece se existir o encontro de um ovócito com um espermatozoide. Se isso acontecer, o ovócito transforma-se em óvulo e este funde-se logo a seguir com o espermatozoide. Nesta união, a fecundação , as duas células sexuais transformam-se numa única célula, o ovo , ou zigoto , que é a primeira célula do novo ser humano. Ovócito rodeado por vários espermatozoides. Espermatozoide a penetrar no ovócito.
  12. 13. Desenvolvimento intrauterino Durante o desenvolvimento embrionário formam-se todos os órgãos do corpo. Durante o desenvolvimento fetal esses órgãos vão amadurecendo e adquirindo a sua forma final. Na espécie humana, o período de gestação (gravidez) é de cerca de 38 semanas (aproximadamente 9 meses). Nesse período distinguem-se duas fases principais: a fase de embrião , que dura cerca de 8 semanas, e a fase de feto , que dura até ao final da gravidez.
  13. 14. Desenvolvimento intrauterino Dentro do útero existem certas estruturas que permitem a vida do embrião (e do feto). O embrião desenvolve-se dentro de um saco amniótico ou âmnio , que está cheio de líquido amniótico. Este líquido protege-o contra pancadas, variações de temperatura e contra a desidratação. A placenta é uma estrutura colada à parede do útero que faz a ligação entre a mãe e o filho. O filho está ligado à placenta pelo cordão umbilical e é na placenta que o sangue da mãe troca substâncias com o sangue do filho (nutrientes, oxigénio, anticorpos, produtos de excreção, etc.). A placenta também impede a passagem para o sangue do filho de muitos microrganismos causadores de doenças. cavidade amniótica Útero
  14. 15. O parto Quando o feto termina o seu desenvolvimento, o nascimento é o passo seguinte. Isso significa que a mãe vai realizar o parto . Na 1ª fase do parto ocorrem contrações regulares dos músculos da parede do útero e a saída de líquido amniótico pela vagina. As contrações vão sendo cada vez mais frequentes e fortes, empurrando o bebé para fora do útero. Colo fechado Colo dilatado Cabeça do bebé Para permitir a passagem do bebé, há uma dilatação do colo do útero, que fica com cerca de 10 centímetros de diâmetro.
  15. 16. O parto Depois da dilatação completa, dá-se finalmente a saída do bebé através da vagina. Esta 2ª fase do parto – expulsão do bebé – demora geralmente entre 20 e 40 minutos. No espaço de 10 minutos após o nascimento do bebé, ocorre a 3ª fase do parto, a expulsão da placenta .
  16. 17. Cuidados a ter com a grávida e com o recém-nascido Para garantir a sua saúde e a saúde do bebé, a grávida deve ter alguns cuidados: Ter uma alimentação saudável e não “comer por dois”. Não fumar nem beber bebidas alcoólicas. Só tomar medicamentos receitados pelo médico. Fazer exercício físico adequado. Ir regularmente às consultas médicas.
  17. 18. Cuidados a ter com a grávida e com o recém-nascido Um recém-nascido humano é um ser frágil, que requer também muitos cuidados: Os recém-nascidos são imediatamente examinados após o parto, para garantir que vários aspetos estão normais. Os bebés prematuros nascem umas semanas antes do tempo previsto. Precisam, por isso, de cuidados especiais. As incubadoras mantêm o prematuro num ambiente semelhante ao ambiente intrauterino. Os bebés devem ser amamentados com leite materno até aos 2 anos, segundo a OMS, pois este leite, além de nutrientes adequados, contém anticorpos e leucócitos. Os pais devem dar muito afeto aos bebés e proporcionar-lhes um ambiente rico em aprendizagens.

×