Reprodução humana e crescimento ppt

6.071 visualizações

Publicada em

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.071
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
54
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
93
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reprodução humana e crescimento ppt

  1. 1. Neste trabalho vou falar sobre a saúde da grávida e a fase da fecundação aonascimento.A vida do novo ser humano começa com a fecundação do óvulo.O óvulo fecundado tem já toda a carga genética e cromossómica necessária, istoé, toda a capacidade para alcançar o seu pleno desenvolvimento. Pode dizer-seque nesse momento o óvulo fecundado não é uma possibilidade de vidahumana, mas uma vida humana cheia de possibilidades.Ele mesmo dirigirá oseu próprio desenvolvimento.É um ser independente e autónomo que necessita unicamente de seralimentado e de ter um ambiente adequado - ambiente que a mãe lhe oferece.Então, vou começar com a Gravidez , o que acontece à futura mãe e ao bebédentro da barriga da mãe.
  2. 2. Sintomas da GravidezO sintoma mais evidente de gravidez é a ausência de menstruação.Contudo,e muitas vezes aindaantes, a mulher nota alterações no seu organismo, a primeira das quais poderá ser um aumento devolume ou sensação de peso nos seios. Surge também uma necessidade urgente de urinar maisfrequentemente e, por vezes,uma irritação na vagina ou um corrimento ligeiro.Muitas mulheres, particularmente as que já tiveram filhos, notam que se passa algo de diferente, masque não conseguem definir. Poderão sentir um enorme desejo de comer determinado alimento, faltade apetite ou náuseas ou ainda uma leve sensação de tontura ou esvaimento ou uma tendência parao choro ou iritabilidade.A ausência dos períodos menstruais é o sinal mais facilmente identificável. Uma mulher, desde háalguns anos regularmente menstruada todas as quatro semanas, tem relações sexuais sem recorrer aqualquer medida contraceptiva e em seguida nota a falta do período menstrual estará provavelmentegrávida e deve consultar o médico com toda a brevidade, a fim de confirmar essa hipótese.O médico, se proceder a um exame ginecológico, encontrará um útero mole e mais volumoso do queo habitual. Em caso de dúvida, pedirá um exame de urina para pesquisa de hormonas produzidas nagravidez. As análises de urina podem também ser efetuadas nas consultas de planeamento familiarou pela própria mulher com o auxílio de preparados, à venda nas farmácias. Um outro processo deconfirmar a gravidez consiste na realização de uma ecografia, que revela a presença do embrião apartir das seis ou sete semanas de gestação.
  3. 3. AziaO aumento de volume do útero força parte do conteúdo ácido do estômago a penetrar no esófago, onde produzazia.Inclinar o tronco para a frente e estar deitada agravam esta sensação. A azia pode ser tratada com antiácidossuaves.HemorróidasEm resultado da pressão no interior do abdómen, formam-se varizes em torno do ânus. A obstipação agrava esteproblema, pelo que é necessário manter as fezes moles ingerindo líquidos em maior quantidade do que é habitual eainda alimentos com fibras, como , por exemplo, farelo, saladas e vegetais.O médico poderá aconselhar a administração de um laxante suave.UrinaO rim é muitas vezes estimulado pelo aumento do fluxo sanguíneo, pelo que a mulher tem necessidade de urinarmais frequentemente. Mais tarde, este problema agrava-se em resultado da pressão exercida pelo útero sobre aexiga.VarizesDurante a gravidez podem surgir varizes de dois tipos. Umas consistem em grupos de finas linhas azuladas queaparecem nas coxas, muitas vezes acompanhadas de descoloração da pele das pernas. Estas varizes devem-se aalterações hormonais e desaparecem em regra após o parto. Outras, de maiores dimensões, são tumefacçõesmoles sob a pele formadas por veias dilatadas e nodosas. Nas fases tardias da gravidez, podem surgir na faceinterna das coxas, por detrás do joelho e de ambos os lados da barriga da perna. O uso de meias elásticas diminuiem parte a sensação de desconforto, embora não impeça o aparecimento das varizes.Após o parto, estas varizes na sua maioria, diminuem consideravelmente, mas nunca desaparecem por completo, anão ser que sejam tratadas mediante injecções esclerosantes ou intervenção cirurgica.
  4. 4. Aumento de pesoDurante a gravidez, a mulher de estatura média aumenta cerca de 9-12 KgEste aumento de peso deve-se à criança e às alterações que se verificam no rganismo.Feto (criança em desenvolvimento): 3,2KgPlacenta: 0,5KgLiqido amniótico: 1KgÚtero: 1KgAumento de volume sanguíneo: 1KgAumento de volume dos seios: 1KgAssim, cerca de 7,5Kg de aumento de peso resultam diretamente da gravidez. Os restantescorrespondem a gordura e líquidos que se acumulam na grávida. Qualquer aumento para além destevalor é desnecessário e não tem utilidade para a criança.Adaptação às alterações emocionaisNo fim da gravidez, algumas mulheres sentem-se deprimidas quando constatam que já não conseguemter uma atividade tão intensa como anteriormente. Esta é uma fase crítica em que necessitam de todoo apoio possível. A gravidez diz respeito tanto ao marido como à mulher, e ambos devem estar omáximo de tempo possível juntos durante os meses em que a criança se desenvolve no útero.Cuidados pessoais durante a gravidezDurante a gravidez deve manter-se a higiene normal. Os seios devem ser lavados e secoscuidadosamente e em seguida massajados com creme, o que será útil no futuro se a mãe quiseramamentar o seu filho. Algumas mulheres cujos mamilos não saõ salientes poderão necessitar de usarventosas a partir de 25ª semana para que o mamilo tome a forma adequada. O médico dará osconselhos necessáriso se surgirem dúvidas sobre este assunto.O vestuário deve ser confortável e razoavelmente largo.Os soutiens devem suportar convenientemente os seios e ser próprios para grávidas. O médico ou aparteira darão o seu parecer nesta matéria.Ao longo da gravidez, devem usar-se sapatos de salto raso em vez de saltos altos, pois estes fazemdeslocar a bacia para diante e provocam mais frequentemente quedas.
  5. 5. Alimentação e ExercícioDurante a gravidez, a alimentação da grávida deve ser de modo a ajudar o desenvolvimento da criança. Não hánecesidade de “comer por dois”- o excesso de comida apenas a fará engordar. Contudo, a criança necessita deproteínas e certas vitaminas e minerais, e assim, pelo menos uma vez por dis, deve fazer-se uma refeição rica emproteínas- carne, peixe, ovos ou queijo.A fruta fresca e os vegetais são aconselháveis, e um citrino por dia ( laranja ou toranja) fornece regularmentevitamina C à criança. Esta vitamina não se acumula no organismo, pelo que deve ser consumida diariamente.Uma caneca de leite por dia é suficiente para garantir o cálcio de que a grávida necessita: uma quantidade maior fá-la-á engordar.O médico prescreve geralmente comprimidos de ferro e ácido fólico, substâncias essencias ao crescimento. Estescomprimidos destinam-se a acumular reservas de ferro tanto na grávida como na criança, de modo a evitarANEMIA. O leite materno contém pouco ferro, e a criança tem necessidade dele nos primeiros meses de vida.O exercício físico durante a gravidez tonifica os músculos e é benéfico para o estado geral da mulher grávida.Contudo, o excesso de exercício ou qualquer atividade que exija mais esforço podem ser prejudiciais para a criança.A marcha, a natação, o ténis, quando praticados moderadamente, são exercícios excelente no início e, até meio doperíodo de gravidez. À medida que o volume do abdómen aumenta, é cada vez mais difícil fazer exercício; noentanto, a marcha e a natação podem ser praticadas até ao nascimento da criança.Tabaco e ÁlcoolOs componentes do fumo do tabaco atravessam a placenta, podendo provocar um menor desenvolvimento dacriança. Mais tarde, à medida que cresce, a criança ficará mais pequena do que seria eventualmente se a mãe nãofumasse.O consumo de bebidas alcoólicas pode também afetar a criança. Pouco se conhece dos seus efeitos, mas o alcóolem excesso parece prejudicar o desenvolvimento do feto e provocar atraso mental. De qualquer forma, não ésensato beber em excesso, e quanto menor quantidade de alcóol for consumida durante a gravidez, melhor serápara a criança.
  6. 6. Os riscos da Hipertensão ArterialNo período final da gravidez, particularmente após a 20º semana, algumas mulheres têmhipertensão arterial. Se, simultaneamente, existir proteína na urina e/ou edemas, asituação denomina-se toxemia de gravidez ou pré-eclâmpsia. É importante irregularmente à consulta pré-natal para medir a tensão arterial, verificar o peso e para queo médico tome conhecimento dos resultados das análises da urina.Uma pré-eclâmpsia de grau avançado reduz o fornecimento de sangue à criança, afetandoo seu crescimenmto e a sua capacidade de resistir às contracções uterinas durante oparto. Se a tensão arterial estiver elevada, a mulher deve repousar; se a hipertensãopersistir apesar do repouso em casa, será conveniente que a grávida seja hospitalizadapara a realização de exames e para permanecer em descanso absoluto.
  7. 7. Da fecundação ao NascimentoPara uma criança ser concebida, um óvulo tem de ser fecundado por um espermatozóide. Os óvulos são produzidosnos dois ovarios da mulher, que se situam de um e outro lado do útero. Os óvulos, geralmente um por mês, atingema maturidade e desprendem-se do ovário sob a influência do hormonas segregadas pela hipófise, ou glândulapituitária. Quando é libertado do ovário, o óvulo passa directamente para a extremidade, em forma de funil, deuma das trompas de Falápio, que ligam os ovários ao útero. O óvulo, que é demasiado pequeno para ser observadoà vista desarmada, não tem capacidade de locomoção própria, permanecendo cerca de 24 horas na porção datrompa mais próxima do ovário.Sempre que um casal tem relações sexuais, o homem deposita na extremidade superior da vagina entre 600milhões e 1 bilião de espermatozóides, dos quais apenas uma pequena proporção penetra no útero. Osespermatozóides deslocam-se de forma rápida e desordenada na superfície húmda do revestimento interior doútero, e dos poucos milhares que penetram nas trompas de Falópio apenas poucas centenas atingem a extremidadedestas junto aos ovários.Se a relação sexual ocorrer na fase apropriada do cilo menstrual, encontrar-se-á ali um óvulo pronto a serfecundado. Os espermatozóides rodeiam-no e um deles penetra através das camadas exteriores do óvulo.Cerca de 6 a 8 horas mais tarde, o óvulo fecundado (ovo) divide-se em duas células, em seguida em quatro e depoisem muitas mais. Durante este processo, todo o material cromossómico do espermatozóide e do óvulo é transmitidoa cada célula, de modo que quando a criança nasce todas as células têm o potencial genético paterno e materno.O ovo, envolvido pelo muco que reveste o interior da trompa de Falópio, desloca-se em direcção ao útero devido àcontracção das paredes daquela. A deslocação dura geralmente cerca de sete a oito dias.Nesta altura, a mucosa do útero encontra-se mais espessa:- Devido a um maior número de vasos sanguíneos- a fim de poder receber o ovo. Quando este atinge o útero, fixa-se na mucosa, da qual receberá oxigénio e alimento. Se nessa fase do ciclo menstrual nenhum for fecundado, osvasos sanguíneos que irrigam a mucosa degeneram e parte desta é expulsa juntamente com algum sangue- operíodo menstrual.
  8. 8. Vou agora explicar o que acontece ao ovo que foi fecundadoO desenvolvimento de um embrião dura geralmente entre 39 e 40 semanas, e começa logo aseguir à fecundação. No decurso dos 4 a 5 dias de viagem da trompa até ao útero, o óvulofecundado divide-se em duas células, estas formam quatro, e assim sucessivamente. Quandochega ao útero, o embrião é uma esfera oca de células que adere à parede uterina e aí se instalapara prosseguir o seu desenvolvimento.Logo a seguir forma-se a placenta, que liga o embrião à circulação da mãe e assegura as trocasde gases, substâncias nutritivas e produtos residuais entre a mãe e o embrião.Durante o desenvolvimento, a multiplicação das células leva à fomação de diversos tecidos, quese organizam em órgãos embrionários e depois em órgãos definitivos. Ao fim de cinco semanaso embrião tem 1 cm de comprimento: no seu interior começa a desenvolver-se o cérebro,enquanto o coração faz já circular o sangue. Com 2 meses o embrião mede 6 cm e tem já, aindaque em miniatura, braços, pernas e cabeça. O embrião em crescimento é envolvido por umamembrana, o âmnio, que contém o líquido amniótico. Deste modo o embrião encontra-se numaespécie de aquário pessoal onde pode derramar produtos residuais, mas sem se afogar,porque ooxigénio lhe chega pelo cordão umbilical.
  9. 9. O NascimentoO nascimento ocorre depois de uma mudança de posição do feto, que se esticaempurrando a cabeça para baixo, e de alterações no corpo da mulher, particularmentecom um alargamento do chamado canal do parto, formado pela parte inferior do útero,pela vagina e pela vulva. Por efeito de contrações do útero, a cabeça do feto é empurradapara baixo, seguida depois do resto do corpo. A expulsão do feto pode durar entre 30minutos e 2 a 3 horas. Logo a seguir ao nascimento, o cordão umbilical é cortado e orecém-nascido respira pela primeira vez com os pulmões.O processo do nascimento divide-se em 3 fases.Primeira faseO colo do útero dilata-se até a sua abertura atingir 10 cm de diâmetro.Segunda FaseA criança desce através da pélvis e vagina, auxiliada pelos esforços da mãe, e nasce.Terceira fasePor fim, a placenta e restantes membranas são expulsas.A duração destas fases é variável.A primeira fase é a mais demorada, podendo estender-se por muitas horas. A segundafase dura em média uma hora, quase nunca mais de duas horas, e a terceira, apenasalguns minutos, raramente mais de 20.
  10. 10. Na realização deste trabalho concluí que nada sabia sobre este tema, o bebé aténascer passa por muitas fases importantes e a mulher também.É um processo muito complicado.Cada um de nós é uma maquina fantástica e complicada, feita para crescer,reproduzir-se, ver, ouvir, falar, correr e muitas outras atividades.E tudo isto é resultado do trabalho de milhares de biliões de células microscópicas.Concluí que a decisão de ter um filho é muito séria.

×