Walt Whitman
Ó Capitão! Meu Capitão!
(Ó Captain! My Captain!)
Walt Whitman
Ó Capitão! Meu Capitão! Finda é a nossa
tormentosa viagem,
O...
Mas, ó alma, minha alma, ó alma!
No tombadilho, sobre coágulos rubros
Jaz hirto e mudo meu Capitão!
Ó Capitão! Meu Capitão...
Meu Capitão! Pai extremado!
É o meu braço que está sob tua cabeça!
Deve ser sonho! No tombadilho,
Hirto e mudo, meu Capitã...
Exultai, ó praias! Tangei, ó sinos!
Abafai minhas passadas de chumbo
Pelo tombadilho, onde hirto e mudo,
Jaz meu Capitão!
...
Analise do poema
• “Ó Capitão! Meu Capitão!”;
• “tormentosa viagem”;
• “venceu todas as borrascas” e “almejado troféu” ;
•...
• “não mais responde meu Capitão, lívidos os
lábios, a boca inerte”;
• “tremulando flâmulas e vibrando clarins”;
(presiden...
Sociedade dos poetas mortos
Walt Wit
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Walt Wit

63 visualizações

Publicada em

Walt Wit

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
63
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Walt Wit

  1. 1. Walt Whitman
  2. 2. Ó Capitão! Meu Capitão! (Ó Captain! My Captain!) Walt Whitman Ó Capitão! Meu Capitão! Finda é a nossa tormentosa viagem, O barco venceu galhardamente todas as borrascas, o almejado troféu nos pertence, O porto está à vista, já ouço os sinos, a multidão exulta, Os olhares seguem a obstinada fragata, o sombrio e intimorato navio.
  3. 3. Mas, ó alma, minha alma, ó alma! No tombadilho, sobre coágulos rubros Jaz hirto e mudo meu Capitão! Ó Capitão! Meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos! Ergue-te! para ti tremula a flâmula e vibram os clarins; Tuas são as braçadas e flores, as guirlandas ataviadas de fitas – por ti estão as praias escuras de gente, É por ti que clama a ondeante multidão, as faces ansiosas te procurando.
  4. 4. Meu Capitão! Pai extremado! É o meu braço que está sob tua cabeça! Deve ser sonho! No tombadilho, Hirto e mudo, meu Capitão! Não mais responde meu Capitão, lívidos os lábios, a boca inerte, Meu pai não sente mais o meu braço, fugiu-lhe o pulso, extinguui-se a chama, Finda é a nossa tormentosa viagem, salvo e incólume ancora o barco, O navio repousa da tormentosa viagem, o laurel vencido.
  5. 5. Exultai, ó praias! Tangei, ó sinos! Abafai minhas passadas de chumbo Pelo tombadilho, onde hirto e mudo, Jaz meu Capitão! Tradução: Oswaldino Marques
  6. 6. Analise do poema • “Ó Capitão! Meu Capitão!”; • “tormentosa viagem”; • “venceu todas as borrascas” e “almejado troféu” ; • “O porto está à vista”; • “No tombadilho, sobre coágulos rubros jaz hirto e mudo meu Capitão!”; • “Ergue-te!”, “Deve ser sonho!”; • “Seguem a obstinada fragata, o sombrio e intimorato navio”
  7. 7. • “não mais responde meu Capitão, lívidos os lábios, a boca inerte”; • “tremulando flâmulas e vibrando clarins”; (presidente > herói) • “Pai”. “Ó Capitão! Pai extremado!”; • “Meu Pai não sente mais o meu braço”.
  8. 8. Sociedade dos poetas mortos

×