Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M 
Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2...
Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M 
Relatório final referente à matéria 
anual Mineração e meio ambiente, 
para ap...
Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M 
Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2...
Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M 
Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2...
Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M 
Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2...
Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M 
Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2...
Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M 
Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2...
Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M 
Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2...
Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M 
Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2...
Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M 
Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2...
Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M 
Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2...
Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M 
Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2...
Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M 
Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mineração x agricultura

866 visualizações

Publicada em

Trabalho de Mineração e Meio Ambiente do IFRN, Natal - Central.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
866
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mineração x agricultura

  1. 1. Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2014.1 1 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CURSO TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO INTEGRADO EM MINERAÇÃO Docente: MARIO FROES MEYER RELATÓRIO REFERENTE À MATÉRIA ANUAL Mineração e Meio Ambiente Tema: MINERAÇÃO X AGRICULTURA ________________________________________________________ Discente: SABRINA DENIELLE SOUZA MEDEIROS Matrícula: 20131014320296 NATAL/RN 2014
  2. 2. Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M Relatório final referente à matéria anual Mineração e meio ambiente, para aprovação parcial da mesma, como tema principal a Mineração X agricultura, abordando seus objetivos, benefícios e malefícios. Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2014.1 2 SABRINA DENIELLE SOUZA MEDEIROS RELATÓRIO REFERENTE À MATÉRIA ANUAL Mineração e Meio Ambiente MINERAÇÃO X AGRICULTURA ________________________________________________________ MAURO FROES MEYER NATAL/RN 2014
  3. 3. Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2014.1 3 SUMÁRIO 1. Introdução-------------------------------------------------------------------------------04 2. Mineração X Agricultura-------------------------------------------------------------05 2.1. Pontos positivos e negativos do ponto de vista ambiental, social e político----------------------------------------------------------------------------05 3. Áreas impactadas---------------------------------------------------------------------05 3.1. Consequências da Mineração no Meio Ambiente---------------------06 3.2. Tráfego de Veículos-----------------------------------------------------------07 3.3. Poeira e Gases-----------------------------------------------------------------07 3.4. Contaminação das Águas---------------------------------------------------07 3.5. Efeitos da mineração nos recursos hídricos----------------------------07 3.6. Rejeito e Estéril-----------------------------------------------------------------08 3.7. Impactos em áreas urbanas-------------------------------------------------09 4. Fatores que influenciam os impactos ambientais-----------------------------09 5. Recuperação e uso das áreas impactadas-------------------------------------10 5.1. Medidas Mitigadoras e Técnicas de cobertura Vegetal--------------10 6. Conclusões------------------------------------------------------------------------------13 7. Referências bibliográficas-----------------------------------------------------------13
  4. 4. Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2014.1 4 1. Introdução A mineração é um dos setores básicos da economia do país e vivência das pessoas, pois é através dela, que utilizamos aparelhos tecnológicos, matérias usadas na construção civil e adornos, contribuindo de forma decisiva para o desenvolvimento e melhoria na economia e qualidade de vida das pessoas que estão ao redor da ação mineralizada, sendo fundamental para o desenvolvimento de uma sociedade atual e das gerações que viram no futuro. Não num futuro muito distante da nossa realidade, por isso essa ação tanto quanto as outras operações envolvidas com o meio ambiente natural e seus recursos podem feitos desde que seja operada com responsabilidade socioeconômica e socioambiental, estando sempre presentes os preceitos do desenvolvimento sustentável do local da extração, beneficiamento e derredores.
  5. 5. Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2014.1 5 2. Mineração X Agricultura 2.1. Pontos positivos e negativos do ponto de vista ambiental, social e político O complexo problema das relações entre a indústria mineira e o meio rural envolvente, sobretudo na perspectiva do impacto ambiental sobre a propriedade agrícola, encontra-se ainda, em grande parte, por estudar. Durante décadas, não só as minas e os mineiros foram quase esquecidos pelos historiadores portugueses, como também o interesse pelas questões ambientais, na perspectiva do impacto ecológico da atividade mineira, praticamente não existiu. Só nos últimos anos, à medida que se vem acentuando o desenvolvimento industrial e a exploração dos recursos, tem vindo a crescer a consciência de que um desenvolvimento mineiro verdadeiramente sustentado deve incluir um componente ambiental. 3. Áreas impactadas No local selecionado para a extração de algum mineral minério, tipos ou formas vegetais naturais são desmatadas para o rápido aproveitamento daquele material na sua extração. Porém é esquecido ou passado por despercebido que a vegetação tem um papel importante naquele terreno, seja ele relacionado ao tipo de relevo, a abertura de fissuras no solo, alagamento, erosão rápida acontecidos por ações antrópicas de desmatamento e uso das áreas ambientais na mineração. Os recursos minerais são bens esgotáveis, não renováveis. Por esse fato, tendem a escassez à medida que se desenvolve a sua exploração. A seguir, são dadas definições técnicas para alguns termos utilizados na área de mineração.  Beneficiamento ou tratamento: processamento da substância mineral extraída, preparando-a com vistas à sua utilização industrial posterior.  Bota-fora: local para deposição do estéril da mina e, às vezes, para o rejeito da usina de beneficiamento.  Capeamento: Camada estéril que recobre a jazida mineral e que deve ser retirada para efeito de extração do minério na lavra a céu aberto.  Estéril: termo usado em geologia econômica para as substâncias minerais que não têm aproveitamento econômico.
  6. 6. Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2014.1 6  Jazidas minerais: Massa individualizada de substância mineral ou fóssil, aflorando à superfície ou existente no interior da terra, em quantidades e teores que possibilitem seu aproveitamento em condições econômicas favoráveis.  Mina: é a jazida mineral em fase da lavra, abrangendo a própria jazida e as instalações de extração, beneficiamento e apoio.  Mineral: é toda substância natural formada por processos inorgânicos e que possui composição química definida.  Minério: mineral ou associação de minerais que pode, sob condições econômicas favoráveis ser utilizado como matéria prima para a extração de um ou mais metais.  Rejeito: rochas ou minerais inaproveitáveis presentes no minério e que são separadas deste, total ou parcialmente, durante o beneficiamento. 3.1. Consequências da Mineração no Meio Ambiente  Degradação da Paisagem O principal e mais característico impacto causado pela atividade minerária é o que se refere à degradação visual da paisagem. Não se pode, porém, aceitar que tais mudanças e prejuízos sejam impostos à sociedade, da mesma forma que não se pode impedir a atuação da mineração, uma vez que ela é exigida por essa mesma sociedade.  Ruídos e Vibração O desmonte de material consolidado (maciços rochosos e terrosos muito compactados) é feito através de explosivos, resultando, em consequência, ruídos quase sempre prejudiciais à tranquilidade pública. Para minimizar estes impactos podem ser adotadas certas medidas: - orientação da frente de lavra; - controle da detonação. A onda de choque gerada por explosivos apresenta comportamentos distintos, de acordo com a distância e o tipo de material. Um método para suavizar os impactos causados pela detonação consiste em provocar uma descontinuidade física no maciço rochoso. Para evitar ruídos decorrentes dos equipamentos de beneficiamento, deve-se aproveitar ao máximo os obstáculos naturais
  7. 7. Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2014.1 7 ou então criar barreiras artificiais, colocando o estoque de material beneficiado ou a ser tratado entre as instalações e as zonas a proteger. 3.2. Tráfego de Veículos O tráfego intenso de veículos pesados, carregados de minério, causa uma série de transtornos à comunidade, especialmente naquela situação mais próxima às áreas de mineração, como: poeira, emissão de ruídos, frequente deterioração do sistema viário da região. 3.3. Poeira e Gases Um dos maiores transtornos sofridos pelos habitantes próximos e/ou os que trabalham diretamente em mineração, relaciona-se com a poeira. Esta pode ter origem tanto nos trabalhos de perfuração da rocha como nas etapas de beneficiamento e de transporte da produção. Estes resíduos podem ser solúveis, ou particulares que ficam em suspensão como lama e poeira. A contribuição da mineração para a poluição do ar é principalmente uma poluição por poeira. A poluição por gases a partir da mineração é pouco significativa, e em geral de restringe à emissão dos motores das máquinas e veículos usados na lavra e beneficiamento do minério. 3.4. Contaminação das Águas Quanto à poluição das águas provocada pela mineração, a maior parte das minerações no Brasil provoca poluição por lama. A poluição por compostos químicos solúveis, também existe e pode ser localmente grave, mas é mais restrita. O controle no caso de lama é termicamente simples, mas pode requerer investimentos consideráveis. As minerações de ferro, de calcário, de granito de areia e argila, da bauxita, de manganês, de cassiterita, de diamante e várias outras, provocam em geral poluição das águas apenas por lama. 3.5. Efeitos da mineração nos recursos hídricos O controle tem que ser feito através de barragens para contenção e sedimentação destas lamas. As barragens são muitas vezes os investimentos mais pesados em controle ambiental realizado pelas empresas de mineração. Por outro lado, estas barragens servem também para recirculação de água e podem não ser consideradas
  8. 8. Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2014.1 8 investimentos exclusivos de controle ambiental. A Figura 5 mostra um exemplo de barragem de rejeitos. Além da poluição por lama, muitas minerações provocam poluição de natureza química, por efluentes que se dissolvem na água usada no tratamento do minério ou na água que passa pela área de mineração. As minerações de ouro podem apresentar problemas mais complexos de contaminação das águas, por usarem cianetos altamente tóxicos no tratamento do minério. Além disso, muitos minérios de ouro são ricos em arsenopirita e provocam contaminação por arsênico. Pode-se dizer com segurança que o problema ambiental mais sério provocado pela mineração no Brasil, é a contaminação por lama e por mercúrio de rios da Amazônia, causada pelos garimpos de ouro. Como os "garimpeiros" usam uma tecnologia rudimentar, o controle ambiental é difícil e a contaminação só não é muito mais grave porque os rios da Amazônia são muito volumosos e a área é ainda pouco povoada. 3.6. Rejeito e Estéril A disposição final de rejeitos não constitui problema mais sério, quando destinados aos trabalhos de recuperação das áreas. Entretanto, durante a fase da lavra devem ser observados cuidados especiais para que estes não sejam lançados no sistema de drenagem. Quando esses depósitos ficam muito volumosos, tornam-se, por si mesmos, instáveis e sujeitos a escorregamentos localizados. No período de chuvas, devem ser removidos e transportados continuamente até as regiões mais baixas e, em muitos casos, para cursos de água. A repetição contínua do processo provoca o transporte considerável desse material, ocasionando gradativamente o assoreamento dos cursos de água. Além do volume provindo do material estéril, devem ser consideradas as quantidades advindas da área das próprias jazidas e o material produzido pela decomposição das rochas e erosão do solo. O problema pode ser minimizado através do adequado armazenamento do material estéril e sua posterior utilização para reitero de áreas já mineradas e de tanques de decantação que retenham os sedimentos finos na própria área, preservando a hidrografia.
  9. 9. Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2014.1 9 3.7. Impactos em áreas urbanas A mineração em áreas urbanas e periurbanas é um dos fatores responsáveis pela degradação do subsolo. Atualmente, junto às grandes metrópoles brasileiras, é comum a existência de enormes áreas degradadas, resultante das atividades de extração de argila, areia, saibro e brita. A proximidade de pedreiras de centros habitados é uma decorrência natural da forte influência do custo dos transportes no preço final do produto. Isso ocorre, principalmente, com os agregados, devido ao seu baixo valor unitário. Os efeitos ambientais estão associados, de modo geral, às diversas fases de exploração dos bens minerais, como à abertura da cava, (retirada da vegetação, escavações, movimentação de terra e modificação da paisagem local), ao uso de explosivos no desmonte de rocha (sobre pressão atmosférica, vibração do terreno, ultra lançamento de fragmentos, fumos, gases, poeira, ruído), ao transporte e beneficiamento do minério (geração de poeira e ruído), afetando os meios como água, solo e ar, além da população local. 4. Fatores que influenciam os impactos ambientais Ao extraírem-se os bens minerais da crosta terrestre, automaticamente, gera-se uma alteração bastante profunda que modifica a estrutura física de seu jazimento - localização. Essas alterações, advindas da atividade mineral, podem provocar maior ou menor impacto, conforme os fatores geográficos, o método de lavra utilizado e o tipo de minério extraído. Tem os fatores geográfico na questão dos relevos, e intemperismo, clima, regime pluviométrico e nos aspectos socioeconômicos, tais como: a criação de empregos, circulação de riquezas, incremento do comércio e serviços, fortalecimento do setor público através da arrecadação de impostos, dentre outros fatores, pode-se constatar que, sem dúvida alguma, a atitude do público, em geral, é condicionada, em parte, pela condição econômica da região e a natureza desta comunidade. Também depende do tipo de lavra e seus métodos utilizados na exploração dos minerais. A grande maioria dos bens minerais é lavrada por métodos tradicionais a céu aberto (em superfície) ou subterrâneo (em sub superfície). Os maiores riscos de comprometimento ambiental ocorrem na lavra a céu aberto, onde se tem um maior aproveitamento
  10. 10. Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2014.1 10 do corpo mineral, gerando maior quantidade de estéril, poeira em suspensão, vibrações e riscos de poluição das águas, caso não sejam adotadas técnicas de controle da poluição. A lavra de minerais industriais, frequentemente, apresenta um alto potencial impactante. Em contrapartida, poucos minerais, desta classe, são tóxicos e o uso de reagentes químicos no tratamento destes é limitado. Por isto, os principais problemas ambientais deste tipo de minerais são o impacto visual, o abandono das lavras, a poeira, o ruído e a vibração. 5. Recuperação e uso das áreas impactadas No ponto de vista ambiental, a restauração das áreas degradadas da cobertura vegetal pela mineração é um dos pontos principais para proteção ambiental e social, pois abrange sua economia específica de uma região ou até mesmo de um país, em relação aos resíduos e visão turísticos. Por esses motivos, formas de prevenção aos desgastes objetivados ou não, pela ação mineralizadora devem ser tomadas algumas precações ambiental e até judiciais se for ao caso. 5.1. Medidas Mitigadoras e Técnicas de cobertura Vegetal As técnicas variam conforme o local, em função da intensidade e raio das características da lavra e beneficiamento do minério, relevo e tipo de terreno. O controle da erosão pode ser realizado por dois métodos básico: o edáfico e o vegetativo.  Método edáfico: visa melhor as condições de fertilidade do solo e técnicas de caráter mecânico atuando na dinâmica de escoamento da água, que é um dos utilizados também para o abaixamento de poeira na área mineralizada.  Método vegetativo: é a cobertura vegetal através de plantio de árvores, arbustos e gramíneas, para tanto utilizam-se técnicas de caráter vegetativo visando a proteção de espécies daquele bioma próximo e proteção do solo. Classifica-se área degradada como aquela que, após um distúrbio, teve eliminado os seus meios de regeneração natural, apresentando baixa resistência. Por exemplo, em ecossistemas degradados a ação antrópica para a recuperação é imprescindível, já que estes não possuem mecanismos de regeneração.
  11. 11. Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2014.1 11 Sendo assim, a recuperação visa dar a área degradada uma forma de utilização de acordo com um plano preestabelecido. Quando este tem por objetivo devolver ou estabelecer um equilíbrio biológico ao sítio degradado, deve haver a preocupação com a formação de um solo com boas características físicas e químicas com a revegetação da área com espécies florestais nativas ou exóticas. Neste sentido o estabelecimento desta cobertura vegetal vai atuar como proteção mecânica contra os agentes erosivos, assim como uma fonte potencial de matéria orgânica e mecanismo regulador da ciclagem de nutrientes, pois a medida que ocorre o estabelecimento de uma nova dinâmica de nutrientes, seja pelo fluxo de material orgânico transferido para a superfície do solo via serapilheira ou pela mecânica e incremento dos tecidos radiculares incorporados ao solo. A revegetação de áreas degradadas utilizando espécies arbóreas é mais vantajosa que se realizada com espécies herbáceas, porque a primeira apresenta uma grande capacidade de imobilizar maiores. Conservação da Natureza quantidades de metais e devido estas estarem mais aptas a situações de estresse. Dessa maneira, a cobertura vegetal, especialmente as florestas, contribui de maneira decisiva na recuperação dos solos impactados pela atividade mineradora.  O Uso de Espécies Florestais na Recuperação de Áreas Degradadas pela Atividade Mineradora A floresta ocupa, ainda hoje, a tarefa insubstituível de reserva e regeneração do solo, pela sua estrutura exerce função importante na conservação do solo e água. Seu sistema radicular, associado a serapilheira, atua absorvendo a água da chuva, conduzindo-a para camadas inferiores do solo, através da porosidade que se forma pela presença das raízes e pela dinâmica dos organismos vivos, até chegar ao lençol freático, a partir do qual ocorre um reabastecimento gradual dos cursos d’água. Desta maneira, a cobertura vegetal, especialmente as florestas, contribuem de maneira decisiva, na proteção e recuperação dos solos. Por essas razões, deve-se considerar que uma floresta nativa, ou mesmo plantada em um determinado sítio, representa o resultado de muitos anos de evolução e a garantia da sustentabilidade de qualquer
  12. 12. Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2014.1 12 sistema de produção. Nestes aspectos o uso de espécies florestais como potenciais e efetivas recuperadoras das referidas áreas, em especial com o uso de espécies com capacidade de incorporação de nutrientes ao solo. Conservação da Natureza biomassa, como em associações simbióticas com bactérias incorporadoras de nitrogênio atmosférico e fungos. Para se proceder um plano de recuperação de um solo degradado, é importante a implantação de reflorestamentos com espécies nativas ou exóticas, visando a reconstituição do solo, sua estrutura, matéria orgânica e o equilíbrio no seu interior. Ressaltando que para a recuperação de áreas degradadas pela mineração representa um grande dilema porque precisa-se de uma cobertura vegetal rápida para proteger o local degradado das chuvas tropicais intensas e frequentemente concentradas em determinada época do ano. Por outro lado, o uso exclusivo desta técnica prejudica a o desenvolvimento das plantas, porque a rápida cobertura só é conseguida com espécies exóticas.  Conservação da Natureza Para os processos de recuperação de áreas impactadas, destacam-se as essências pertencentes a família Leguminosae, afirma-se que o manejo de áreas com espécies leguminosas garante um rápido desenvolvimento para cobrir o solo, controlando as ervas daninhas e diminuindo a erosão, observando-se uma alta produção de biomassa, uma relação de C/N com valores adequados e alto conteúdo e extração de nutrientes de horizontes profundos do solo, principalmente a fixação de N e possibilidade da retirada de produtos secundários úteis como: alimentos, lenha, madeira, tanino, etc., intensificando ainda mais mútua relação de benefícios entre solo e floresta.
  13. 13. Mineração X Agricultura Turma: 2.01432.1 M Agricultura e mineração, uma coexistência difícil. IFRN-CAMPUS-NATAL-CENTRAL 2014.1 13 6. Considerações finais De forma breve, é importante reconhecer e manter sob controle os impactos que esta atividade mineralizadora provoca no meio ambiente, assim proporcionando um meio ambiente adequado para as futuras gerações que estão por vir e ao ambiente local a derredor. 7. Referências bibliográficas encontradas na internet no dia 23 e 24/09/2014 Guia de procedimentos do licenciamento ambiental federal _ pdf A atividade mineradora, seus impactos e aspectos de sua recuperação-uma revisão de literatura _ pdf Técnicas de restauração de áreas degradadas _ pdf Recuperação de áreas degradadas _ site Instituto sócio ambiental _ site Conama, conselho nacional do meio ambiente _ site

×