Relatorio drs

83 visualizações

Publicada em

Avaliação final - FBB

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
83
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatorio drs

  1. 1. ATN/ME 11818 BR - AVALIAÇÃO FINAL
  2. 2. ATN/ME 11818 BR - AVALIAÇÃO FINAL ATN/ME 11818 BR - AVALIAÇÃO FINAL
  3. 3. 6 ATN/ME 11818 BR - AVALIAÇÃO FINAL 7ATN/ME 11818 BR - AVALIAÇÃO FINAL 1 APRESENTAÇÃO DO PROJETO PROJETO DE APOIO PARA UMA MELHOR IMPLANTAÇÃO DA METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL SUSTENTÁVEL Objetivo - Contribuir para o desenvolvimento produtivo territorial nas zonas rurais do Brasil e melhorar a produtividade de pequenos produtores rurais, por meio do aperfeiçoamento de uma metodologia que facilite o acesso ao auxílio técnico para o desenvolvimento produtivo. Referência: Carta Convênio (ATN/ME-11818-BR), assinada em 17/07/2010. Para alcançar o objetivo descrito acima, o Programa buscou: 1. O fortalecimento dos produtores e parceiros, visando reforçar a sua parti- cipação no mercado; 2. A incorporação do foco territorial e de redes de valor nos planos de negó- cios do Desenvolvimento Regional Sustentável (DRS); 3. A melhoria da gestão dos planos de DRS. INVESTIMENTO O investimento total aprovado para o programa foi de US$ 1.995.000,00 (um milhão, novecentos e noventa e cinco mil dólares) dos quais US$995.000 são aportados pelo BID de forma não reembolsável e os recursos restantes aporta- dos pelo Beneficiário - Fundação Banco do Brasil (FBB), conforme descrito no quadro abaixo. RESPONSÁVEL TÉCNICO PELA AVALIAÇÃO Msc. Rodrigo Carrijo Lino - Engenheiro mecânico, consultor especialista em elaboração e gestão de projetos institucionais e governamentais voltados para o Desenvolvimento Territorial e Fortalecimento Empresarial. Desenvolveu projetos e estudos junto ao Ministério da Justiça, Ministério de Minas e Energia, Confederação Nacional da Indústria, Confederação das Associa- ções Comerciais do Brasil, Sebrae Nacional, Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo, dentre outras. Engenheiro Mecânico - UnB, mestre em Ciências Mecânicas - UnB e pós-graduado em Análise Financeira.
  4. 4. 8 ATN/ME 11818 BR - AVALIAÇÃO FINAL 9ATN/ME 11818 BR - AVALIAÇÃO FINAL PROPÓSITO E METODOLOGIA DA AVALIAÇÃO Neste trabalho, a consultoria busca: • Determinar até que ponto os objetivos gerais e específicos foram alcan- çados e qual é a possibilidade de que sejam cumpridos integralmente ao final de sua execução. • Identificar os principais aspectos positivos e negativos que influenciam a execução do projeto . • Identificar os principais aspectos relacionados à sua relevância e aos níveis de eficiência e de efetividade. • Deixar recomendações e/ ou considerações gerais e específicas sobre a execução e consequentemente sobre o alcance dos objetivos e metas estabelecidos. Para a sua plena e satisfatória realização, a Avaliação adota uma metodo- logia que contempla: • Exame de toda a documentação do projeto, incluindo relatórios de de- sempenho; • Entrevistas com os gestores ou beneficiários, equipe técnica do execu- tor e responsável pelas instituições participantes ou análise dos produ- tos elaborados; • Análise e coleta de dados; • Reuniões junto à coordenação nacional e local do projeto; • Outros aspectos pertinentes.
  5. 5. 10 ATN/ME 11818 BR - AVALIAÇÃO FINAL 11ATN/ME 11818 BR - AVALIAÇÃO FINAL SÍNTESE DE RESULTADOS E SUSTENTABILIDADE PROJETO DE APOIO PARA UMA MELHOR IMPLANTAÇÃO DA METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO REGIO- NAL SUSTENTÁVEL SUSTENTABILIDADE Ao tratar da sustentabilidade da iniciativa entende-se que, em termos metodo- lógicos, o programa entrega uma importante ferramenta para a promoção do Desenvolvimento Sustentável - relativamente simples de replicação, pois mé- todos e etapas encontram-se bem definidos, porém complexa de implementa- ção pois demandam recursos e articulações nem sempre disponíveis. Em termos estratégicos, a sustentabilidade está fortemente associada à manu- tenção das políticas governamentais e institucionais voltadas para o Desenvol- vimento Sustentável com foco no combate à pobreza e inclusão social. No aspecto de mercado, destaca-se a criação da Loja BB Sustentabilidade - que visa à promoção para acesso a mercados e atuação no Comércio Justo - Fair trade. • Sobre a metodologia - A sua replicação pode ser conduzida por qualquer instituição que atue no campo do Desenvolvimento Humano e Desenvol- vimento Empresarial, porém a articulação e parceria com entidades/em- presas do setor financeiro são fundamentais para o processo. • Sobre a continuidade no BB - cabe à diretoria responsável pela Estratégia Negocial DRS fortalecer a iniciativa junto as demais instancias estratégicas no Banco, apresentado a evolução obtida ao longo dos mais de 10 anos de existência. • Sobre o posicionamento de mercado - a prática do Comércio Justo e a Loja BB Sustentabilidade são caminhos que contribuem para a sustentabi- lidade financeira dos pequenos negócios, porém não devem ser os único meios. • Sobre o desenvolvimento local - o engajamento, o diálogo, a participação efetivas e o empoderamento dos atores locais são peças fundamentais para a sustentabilidade de ações desta natureza. • Com o aprimoramento da metodologia utilizada, verifica-se que a Estra- tégia Negocial DRS é adequada para o tratamento da temática do “De- senvolvimento Sustentável”, principalmente para a intervenção junto aos negócios sociais. • Com a participação do BID/FUMIN, a partir de 2009 (quando a coopera- ção foi aprovada), foi ampliada a preocupação em relação à abordagem das questões relacionadas ao desenvolvimento regional, à competitivida- de territorial e ao posicionamento de cadeias produtivas. • A metodologia avançou para o tratamento do Desenvolvimento Sustentá- vel em ambientes urbanos (uma vez que o campo de origem do DRS era predominantemente rural). • Em termos metodológicos, entende-se que, com o desenvolvimento do Projeto, o Banco do Brasil e a FBB têm em mãos uma ferramenta madura e aprimorada para utilização em suas estratégias direcionadas à imple- mentação de negócios sociais. • O projeto apresentou boa capacidade de intervenção e transformação junto ao público alvo (tanto urbano como rural). Em resumo, o projeto apresentou um bom desempenho, com muitas realiza- ções e com a construção de um patrimônio importante para as instituições par- ticipantes e para o público beneficiado.
  6. 6. 12 ATN/ME 11818 BR - AVALIAÇÃO FINAL PRINCIPAIS REALIZAÇÕES DO PROJETO • Revisão da metodologia • Contratação, capacitação e atuação de gestores locais • Revisão de Planos de Negócios DRS • Implementação de atividades no âmbito do planos e obtenção de resulta- dos concretos para beneficiados. • Sistematização das experiências e disseminação de conhecimentos.
  7. 7. 14 ATN/ME 11818 BR - AVALIAÇÃO FINAL 15ATN/ME 11818 BR - AVALIAÇÃO FINAL PARTE A: RESUMO EXECUTIVO 2 RESUMO EXECUTIVO DA AVALIAÇÃO DO PROJETO Desenvolvimento Regional Sustentável (DRS) do Banco do Brasil. No período de 2011 a 2013, a parceria FBB/IICA recebeu apoio do Fundo Multi- lateral de Investimentos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (FUMIN/ BID) com o objetivo de “Contribuir para o desenvolvimento produtivo territorial de zonas rurais e urbanas, por meio da estruturação de cadeias produtivas de alto impacto social, facilitando o acesso a tecnologias sociais e comercialização para o desenvolvimento produtivo que sejam replicáveis no Brasil e nos Países fronteiriços” SOBRE O PROJETO E SUA LÓGICA DE INTERVENÇÃO O objetivo geral do projeto é contribuir para o desenvolvimento produtivo ter- ritorial nas zonas rurais do Brasil. O objetivo específico é melhorar a produtivi- dade de pequenos produtores rurais, por meio do aperfeiçoamento de uma metodologia que facilite o acesso ao auxílio técnico para o desenvolvimento produtivo. Para alcançar esse objetivo descrito , a iniciativa promove: A concepção do Desenvolvimento Regional Sustentável (DRS) foi instituída pelo Banco do Brasil em 2003, quando foi criado um grupo de trabalho multidiscipli- nar, com a responsabilidade de elaborar uma proposta de atuação que focasse, dentre outros aspectos, a democratização de acesso ao crédito, a inclusão so- cial, a geração de trabalho e renda, a bancarização, a ampliação e a fidelização da base de clientes. A proposta da estratégia do DRS considera que o Banco do Brasil é um agente catalisador das potencialidades locais e dos diferentes atores existentes nas regiões onde atua. É também promotor de desenvolvimento sustentável e não trabalha apenas como instituição de crédito, exerce, com o apoio da sua Fun- dação Banco do Brasil (FBB), um papel fundamental de fomento, de articulação e de mobilização dos agentes econômicos e sociais. Por intermédio dessa ação catalisadora, e aproveitando a capilaridade do Ban- co do Brasil, o DRS busca a geração de trabalho e renda, com soluções susten- táveis, inclusivas e participativas. O DRS caracteriza-se, portanto, como uma proposta que incorpora elementos essenciais ao processo de desenvolvimen- to, como: responsabilidade ambiental no crescimento da economia, maior jus- tiça social e preservação dos bens culturais. Em 2007, a FBB firmou um Convênio com o Instituto Interamericano de Coope- ración para la Agricultura (IICA) para o Aprimoramento da estratégia negocial
  8. 8. 16 ATN/ME 11818 BR - AVALIAÇÃO FINAL 17ATN/ME 11818 BR - AVALIAÇÃO FINAL Como ponto de partida, o programa utilizou como base para o desenvolvimen- to de suas atividades um conjunto de planos de negócio rurais de DRS, desen- volvidos pelo Banco do Brasil (BB), selecionados segundo os seguintes critérios como território onde se localizam, atividade econômica que atendem e número de famílias envolvidas. Os Planos de Negócios de DRS selecionados abrangem municípios de 12 esta- dos e atendem atividades produtivas nas seguintes cadeias rurais: redes ovina e caprina, horto orgânico, bovinocultura de leite, fruticultura açaí e caju, mel, feijão-caupi, coco babaçu, mandioca; castanha-do-pará; pesca e oleaginosas. Nas cadeias urbanas abrangem reciclagem de resíduos sólidos nas 12 capitais brasileiras que sediaram a Copa do Mundo Futebol de 2014. Para operacionalização das atividades, foram selecionados consultores (ges- tores) para a administração e acompanhamento da execução dos planos de negócio do DRS em cada localidade. Esperava-se, com a realização do projeto: Neste desenho de atuação, os gestores ficaram responsáveis, principalmente, por: • fornecer assessoramento técnico às iniciativas priorizadas; • contribuir para o beneficiamento/aprimoramento da estratégia do DRS, considerando a integração dos planos de negócios ao foco territorial e das redes. Eram responsáveis, ainda, por trabalhar com um subconjunto de Planos de Ne- gócios de um mesmo território, para que realizassem atividades comuns e pro- pusessem soluções integradas às atividades trabalhadas no território. SOBRE A RELEVÂNCIA DO PROJETO O projeto: • Trata de temas muito relevantes - desenvolvimento, inclusão social, equi- líbrio ambiental, qualidade de vida, etc. • Possui um arranjo institucional muito significativo - FBB/BB/IICA/BID. • Tem um desenho adequado e uma boa proposta de atuação junto ao pú- blico-alvo. • Está inserido em dois contextos distintos (ambientes rural e urbano), am- pliando a base de conhecimento gerado. SOBRE O DESEMPENHO DO PROJETO O projeto apresentou um bom desempenho, com muitas realizações e com a construção de um patrimônio/legado importante para as instituições partici- pantes e para o público beneficiado. SINTESE DA AVALIAÇÃO A avaliação do projeto é positiva - o objetivo foi alcançado, resultados diretos junto ao público beneficiado e indiretos junto às instituições foram percebi- dos, metas estabelecidas foram alcançadas ou superadas, medidas corretivas e preventivas foram adotadas no sentido de mitigar riscos e informações foram processadas e sistematizadas.

×