Neodarwinismo

9.828 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.828
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
240
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Neodarwinismo

    1. 1. Argumentos do Evolucionismo <ul><li>Fontes: http://www.cientic.com/ </li></ul><ul><li>http://www.geocities.com </li></ul><ul><li>http://curlygirl.naturlink.pt/evolucao.htm </li></ul>Biologia Ano 2 Rosário Ferreira
    2. 2. Conceito Processo através do qual ocorrem as mudanças ou transformações nos seres vivos ao longo do tempo, dando origem a espécies novas.
    3. 3. Evidências da evolução da Vida  Adaptação dos seres vivos;  Fósseis;  Evidências anatómicas;  Semelhanças anatómicas, fisiológicas e moleculares.
    4. 4. ADAPTAÇÃO É um ajustamento que todo ser vivo apresenta em relação ao ambiente em que vive. Finalidade: Chance de sobreviver e deixar descendentes.
    5. 5. Mimetismo ou camuflagem? <ul><ul><li>M i m e t i s m o : </li></ul></ul><ul><ul><li>Algumas espécies não-venenosas apresentam certas características, preservadas por seleção natural, que lhes conferem semelhanças com espécies venenosas ou não palatáveis. </li></ul></ul><ul><ul><li>C a m u f l a g e m: </li></ul></ul><ul><ul><li>Um organismo se assemelha a outro ou a um aspecto do meio ambiente, de modo que fique imperceptível pelo menos quando não está em movimento. </li></ul></ul>
    6. 7. Argumentos do Evolucionismo <ul><li>Paleontológicos </li></ul><ul><li>A descoberta de formas fósseis, actualmente extintas, contraria a ideia da imutabilidade das espécies; </li></ul><ul><li>fósseis de transição - Ichthyostega (considerado o primeiro anfíbio, representa a passagem entre dois grupos actuais (peixes e anfíbios). </li></ul>
    7. 8. Os fósseis são prova da evolução Argumentos do Evolucionismo Archaeopteryx
    8. 9. Argumentos do Evolucionismo <ul><li>Anatomia comparada </li></ul><ul><li>Ao analisar as diferentes espécies, podemos observar que estas apresentam estruturas semelhantes ou membros com a mesma função. </li></ul>
    9. 10. Argumentos do Evolucionismo <ul><li>Estruturas vestigias - Estas estruturas são um forte argumento do evolucionismo, pois mostram que os antepassados das espécies que apresentam estas estruturas necessitaram delas, e que depois se tornaram desnecessárias. Exemplo (o ceco é muito desenvolvido em animais que ingerem muita celulose - pois a função do ceco é a degradação desta). </li></ul>
    10. 11. Argumentos do Evolucionismo <ul><li>Embriologia Comparada </li></ul><ul><li>Ao comparar os embriões das diferentes espécies, Haeckel pôde observar que, num estado muito prematuro, os embriões são extremamente semelhantes. </li></ul><ul><li>Quanto maior é o grau de semelhança entre os embriões dos animais, maior o grau de parentesco ou filogenia </li></ul>
    11. 12. Argumentos do Evolucionismo <ul><li>Citológicos </li></ul><ul><li>O facto de todos os seres vivos serem constituídos por células, as quais possuem funções muito semelhantes veio apoiar uma origem comum. Assim, apesar das diferenças que podem ser observadas a nível macroscópico, se analisarmos o mundo vivo a nível microscópico, podemos concluir que não há grandes diferenças entre os seres vivos. </li></ul>
    12. 13. Argumentos do Evolucionismo <ul><li>Bioquímicos </li></ul><ul><li>Ao analisar os componentes químicas das várias espécies podemos notar que quanto mais semelhante for a sua constituição química, maior o grau de parentesco ou filogenia que pode ser estabelecido. </li></ul><ul><li>Pode considerar-se como argumento bioquímico: </li></ul><ul><ul><li>O facto de todos os seres vivos serem constituídos principalmente pelas biomoléculas: lípidos, prótidos e glícidos, ácidos nucleicos... </li></ul></ul><ul><ul><li>A existência de DNA e RNA e sua intervenção na síntese proteica </li></ul></ul><ul><ul><li>A universalidade do código genético </li></ul></ul><ul><ul><li>O facto de existirem 20 aminoácidos nos seres vivos </li></ul></ul>
    13. 14. Argumentos do Evolucionismo <ul><li>Análise de Proteínas </li></ul><ul><li>Quanto maior for a semelhança entre as proteínas de indivíduos de diferentes espécies, maior é também o grau de parentesco. </li></ul>
    14. 15. Argumentos do Evolucionismo <ul><li>Testes Serológicos </li></ul><ul><li>As células dos animais possuem antigenes e anticorpos. Estes não se ligam aos antigenes das células do organismo a que pertencem, embora se liguem aos antigenes das células estranhas ao organismo, atacando-as e tornando-as inofensivas. Quanto maior for a diferença entre os antigenes de duas espécies, menos é o grau de parentesco. </li></ul><ul><li>Comparação da molécula de DNA – Hibridação </li></ul><ul><li>È possível avaliar o grau de divergência das espécies com ancestral comum através da técnica de hibridação do DNA. </li></ul>
    15. 16. Argumentos do Evolucionismo <ul><li>Biogeográficos </li></ul><ul><li>As diferenças biogeográficas ocorreram devido à deriva dos continentes, a qual separou indivíduos da mesma espécie, que evoluiram dando origem a diferentes espécies, cada uma adaptada ao ambiente onde viveram. </li></ul>Tentilhões de Darwin            © CienTIC - José Salsa, 2003 - optimizado para 1024 x 768
    16. 17. Especiação
    17. 18. 1.° Uma população A vive em um ambiente homogêneo. 2.° Uma modificação ambiental provoca a migração da população para ambientes diferentes. Assim, a população A divide-se em A1 e A2, que migram para ambientes diferentes. 3.° Isoladas geograficamente e submetidas a pressões seletivas diferentes, tais populações passam a constituir raças geográficas ou subespécies. 4.° Com o passar do tempo, aumenta a diferenciação genética entre A1 e A2, provocando isolamento reprodutivo. 5.° As raças A1 e A2 voltam a se reunir na mesma região, mas, devido ao isolamento reprodutivo, elas não se misturam. A1 e A2 são reconhecidas como espécies distintas.
    18. 19. A formação das novas espécies Isolamento geográfico — a separação física de subpopulações de uma espécie. As barreiras que isolam as subpopulações podem ser o rio que corta uma planície, um vale que divida dois planaltos ou um braço de mar que separe ilhas e continentes. Diversificação gênica — a progressiva diferenciação do conjunto gênico de subpopulações isoladas. A diversificação gênica é provocada por dois fatores: pelas mutações, que introduzem alelos diferentes em cada uma das subpopulações isoladas e pela seleção natural, que pode preservar conjuntos de genes em uma das subpopulações e eliminar conjuntos similares em outra que vive em ambiente diverso.
    19. 20. Isolamento reprodutivo — resulta da incapacidade, total ou parcial, de membros de duas subpopulações se cruzarem, produzindo descendência fértil. Em geral, depois de um longo período de isolamento geográfico, as subpopulações se diferenciam tanto que perdem a capacidade de cruzamento entre si, tornando-se reprodutivamente isoladas.
    20. 21. Mecanismos de isolamento reprodutivo 1. Pré-zigóticos – Impedem o contato sexual entre as espécies, logo não há união de gametas. Habitacional – Espécies localizam-se em hábitats diferentes. Sazonal – Espécies possuem períodos reprodutivos em diferentes estações do ano. Etológico – Diferenças de comportamento impedem os rituais de acasalamento. Mecânico – Diferenças estruturais nos órgãos reprodutores impedem a fecundação. 2. Pós-zigóticos – O zigoto é formado, mas os híbridos perdem ou reduzem a fertilidade ou viabilidade de seus descendentes. Inviabilidade do híbrido – O híbrido é abortado ou nasce com anomalias e morre. Esterilidade do híbrido – O híbrido nasce estéril.
    21. 22. Neodarwinismo
    22. 23. Neodarwinismo <ul><li>O Neodarwinismo baseia-se em dois factores vitais: a variabilidade genética e a selecção natural . </li></ul><ul><li>A selecção natural , para ocorrer, requer que haja variabilidade . Esta variabilidade ocorre quando se dá uma mutação - factor mais importante ou devido a uma recombinação genética . </li></ul>
    23. 24. NEODARWINISMO Pontos básicos da teoria moderna: a) As variações de uma espécie dependem de mutações. b) As mutações ocorrem ao acaso. c) A luta pela vida dá-se entre os indivíduos e o meio ambiente. d) Da luta pela vida, resulta a seleção natural dos mais aptos ou adaptados às condições do meio. e) O isolamento geográfico ou sexual impede que as características do tipo novo misturem-se com as características do tipo primitivo.

    ×