Modulo 10 - América Latina - Aspectos Naturais

679 visualizações

Publicada em

América Latina - Aspectos Naturais

América Latina, aspectos naturais, Aspectos Naturais da América Latina, Clima América latina, vegetação América latina, relevo América latina, hidrografia América Latina

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
679
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
64
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Modulo 10 - América Latina - Aspectos Naturais

  1. 1. 9º ano: Apostila 03 / Modulo 10 Professor Claudio Henrique Ramos Sales GEOGRAFIA
  2. 2. O continente americano tem duas formas de divisão: 1 - Divisão natural: consiste em América do Norte, Central e do Sul. 2 - Divisão cultural e política: consiste em América Anglo-Saxônica e América Latina.
  3. 3. América Central: Possessões do Reino Unido: Anguilla, Ilhas Cayman, Ilhas Turks e Caicos, Ilhas Virgens Britânicas e Montserrat. Possessões da Holanda: Antilhas Holandesas e Aruba Possessões Francesas: Guadalupe e Martinica Possessão dos Estados Unidos: Ilhas Virgens Americanas América dos Sul : Guiana Francesa (FRA) e Ilhas Malvinas (ING)
  4. 4. EXEMPLO: A GUIANA FRANCESA PERTENCE A FRANÇA, SENDO UM TERRITÓRIO ULTRAMARINO FRANCÊS. POR PERTENCER A FRANÇA, A GUIANA FRANCESA TEM RELAÇÕES COMERCIAIS DIRETAS COM A UNIÃO EUROPÉIA, SENDO O ÚNICO MEMBRO INTEGRANTE NO CONTINENTE AMERICANO.
  5. 5. COLÔNIAS DE EXPLORAÇÂO
  6. 6. COLÔNIA DE EXPLORAÇÃO COLONIZADA PRINCIPALMENTE POR PORTUGUESES E ESPANHÓIS.
  7. 7. A maior parte da América Latina foi ocupada como Colônia de exploração, o que contribuiu para que ela apresente hoje muitos países subdesenvolvidos.
  8. 8. Esse tipo de colonização se caracterizava por: política de exportação, voltada para atender as metrópoles europeias; economia interna assentada na agricultura em grandes propriedades e/ou mineração, além de uma agropecuária de subsistência muito simples; entrada numerosa de negros trazidos da África para o trabalho escravo, principalmente, nas plantations; quase total ausência de produção de manufaturados, o que gerava a dependência das colônias em relação aos produtos importados da Europa (o chamado Pacto Colonial); longo período de subordinação política e econômica às metrópoles; independências tardias, se comparadas aos Estados Unidos; Grandes dificuldades de organização política e econômica após as independências, muitas vezes dando origem a Estados burocráticos, corruptos e militarizados.
  9. 9. AS PLACAS TECTONICAS AMERICANAS
  10. 10. Nos últimos 150 milhões de anos, gigantescas placas tectônicas se desprenderam das unidades que iriam formar a Europa e a África, deslocaram- se para o oeste, dando origem ao continente americano. O continente americano é formado pelas seguintes placas tectônicas:
  11. 11. Placa Sul-Americana – É uma placa continental que possui 32 milhões de quilômetros quadrados. O território brasileiro está localizado no centro dela, onde a espessura é de 200 quilômetros, por esse motivo o país é pouco afetado por terremotos e vulcões. Placa Norte-Americana – Possui 70 milhões de quilômetros quadrados, e abrange a América do Norte, a América Central e a Groelândia, além de uma parte do oceano Atlântico. O deslocamento horizontal em relação à placa do Pacífico desencadeia vários terremotos, principalmente na Califórnia.
  12. 12. Placa de Cocos e Placa do Caribe - Localizada no oceano Pacífico, à oeste da América Central, a placa de Cocos foi gerada por um desprendimento de placa (da placa do Pacífico), gerando o que os geólogos chamam de sistema de Cocos- Nazca. Depois da fissura, a placa foi empurrada para leste, fundindo-se em alguma partes com a Placa do Caribe. Essa região é montanhosa e vulcânica. Placa de Nazca - O nome Nazca vem da cidade inca. A Placa de Nazca é uma placa tectônica situada à esquerda da América do Sul, ao lado dos Andes. A Cordilheira dos Andes foi formada quando ocorreu um choque entre Nazca e a Placa Sul- americana.
  13. 13. O RELEVO E A HIDROGRAFIA
  14. 14. O CLIMA
  15. 15. Um conjunto de diversos fatores determina a variedade de climas na América Latina. Dentre eles destacam-se: Latitude Altitude Correntes marítimas Massas de ar
  16. 16. De uma forma geral, podemos dividir o clima da América Latina da seguinte forma:
  17. 17. CLIMAS QUENTES: Os climas quentes ocorrem entre a linha do Equador e os trópicos. Por isso estes climas são conhecidos como: equatoriais, tropicais e subtropicais, dependendo de onde se localizarem. Estes climas se caracterizam por suas altas temperaturas ao longo do ano e pelas abundantes chuvas registradas. CLIMAS TEMPERADOS: Os climas temperados se caracterizam por terem temperaturas moderadas, tanto no inverno quanto no verão. Outra característica é que estão muito bem marcadas as diferenças entre as estações do ano. Se localizam em uma faixa continua de climas quentes.
  18. 18. CLIMAS FRIOS: Nos climas frios são registradas temperaturas baixas durante a maior parte do ano. São poucos os dias de temperaturas maiores que 20º C. As precipitações são em forma de neve. Estes climas ocorrem nas zonas circundantes dos polos e das altas montanhas. CLIMAS ÚMIDOS: Os climas úmidos são aqueles que recebem precipitações abundantes durante todo o ano. Na América Latina, são zonas de clima úmido grande parte das planícies.
  19. 19. CLIMAS SECOS: Os climas secos se caracterizam pela escassez de chuvas. Se registram menos de 300mm de precipitações por ano. Podem ser quentes, temperados ou frio.
  20. 20. A VEGETAÇÃO
  21. 21. Florestas da Amazônia e de parte da América Central. São florestas que se confundem, cuja formação é árvores de uma diversidade de alturas, de folhas dotadas de largura, cujas plantas que cobrem e circundam são uma variedade de infinitas trepadeiras e vegetação, de tal forma dotadas de densidade que até isso mesmo torna difícil a a travessia da luz solar.
  22. 22. Florestas ou savanas, na maioria do território do istmo da América Central e nas partes norte e central da América do Sul. Na áreas de maior umidade, a vegetação é de florestas de grande densidade que se confundem; nas regiões de menor umidade, destaca-se a savana, que se constitui de árvores de menor altura e arbustos que se associam a uma vegetação rasteira, como o cerrado no Brasil, os Llanos na Venezuela e o Chaco na Argentina e no Paraguai. Nas áreas cujo clima é tropical semiárido é visível uma vegetação ainda de maior rarefação, como é o caso da caatinga brasileira
  23. 23. Caatinga (Brasil)
  24. 24. Chaco (Paraguai)
  25. 25. Llanos (Venezuela)
  26. 26. Mata Atlântica (Brasil)
  27. 27. Florestas temperadas ou subtropicais e pampas na Argentina, no Uruguai, Chile e sul do Brasil. As primeiras são matas de pinheiros, que, em geral, se associam a demais espécies; os pampas são uma formação constituinte de uma área de vegetação rasteira, pastagem natural de excelência
  28. 28. Pinheiro do Paraná (Brasil)
  29. 29. Pampa (Argentina)
  30. 30. Coníferas no sul da Argentina e do Chile. Trata-se de uma floresta de árvores, com plantas nas quais são apresentadas folhas de grande dureza e agudez nas pontas (aciculifoliadas).
  31. 31. Conífera (Chile)
  32. 32. Na vegetação da Cordilheira dos Andes são apresentadas variações porque altitudes se elevam, as quais são causadoras de temperaturas de menor altura e redução de chuvas
  33. 33. Se constitui, a princípio, de espécies de arbustos e plantas que se adaptam ao clima seco, pois é caracterizada por ser uma formação vegetal que se espalha em grande quantidade. As punas do deserto de Atacama, no Chile e no Peru, são sobressaídos entre os outros desertos da América Latina, porque a altitude do relevo esfria a área onde ocorre um deserto

×