FORMAÇÃO DE PREÇOS
PECADO Nº 2   NÃO TER CRITÉRIOS    PARA DEFINIR OS        PREÇOS  O caso da Una é extremo, mas não    saber definir preços...
Como se define preço? Sacando (achômetro); Empiricamente (testando); Experiência anterior; Copiando de outros; Atravé...
Formação de preçosUm dos mais importantes aspectos financeiros dequalquer instituição consiste na fixação dos preçosdos pr...
Formação de preços  A formação de  preço é fator  determinante      para a  sobrevivência   da empresa?                   ...
Formar preços permite Ter os preços compatíveis com o mercado, Calcular os custos reais da sua atividade, Fazer a gestã...
Formação de preços Preço deve ser definido após análise de posicionamento, concorrência, macro-ambiente e poder aquisitivo...
Objetivos do preço    Proporcionar, a longo prazo, o maior lucro     possível:    empresas buscam a perpetuidade;    cu...
Objetivos do preço Maximizar    a capacidade produtiva:   •Reduzir   a ociosidade e desperdícios operacionais,   •Conside...
Objetivos do preço Maximizar o capital empregado para perpetuar os negócios de modo auto-sustentado.                      ...
A função do mercado O comportamento do mercado com relação ao preço passa a ser cada vez mais importante dentro de um cená...
Evolução do processo de formação de preços                    Preço = Custo +                                       Contab...
A ótica financeira do lucro  O correto estabelecimento do  preço de venda ou de  prestação de serviços        é  essencial...
Formação de preços - Determinação do Preço É realizada dependendo do posicionamento estratégico da empresa, do mercado e d...
Formação de preços – aspectos qualitativos                      BENEFÍCIOS                        EXTRAS      LUCRO       ...
16
Custos da Escola CUSTOS DE PESSOAL: tendência de aumento sem a contra-partida na anuidade; Sindicatos ideológicos – contra...
Custos da Escola • Geral:    •Receita com sérios limites para crescer    • Custos administrados pelo governo estão acima d...
Formação De Preços APURAÇÃO DE CUSTOS  Os custos devem refletir o projeto pedagógico           da  Instituição e adequados...
Formação De Preços DESPESAS COM PESSOAL  Muitas escolas, sem notar, inviabilizam-se em função de,  ao longo do tempo, esta...
Formação De Preços PESSOAL DOCENTE & TÉCNICO ADMINISTRATIVO  Analisar   Existem adicionais por tempo de serviço?   Impacto...
DEMONSTRATIVO DE ENCARGOS SOCIAIS                                           GRUPO                                         ...
Encargos Sociais                                          DEMONSTRATIVO DE ENCARGOS SOCIAIS                               ...
INCIDÊNCIA % NO ANO      10%     15%     20%     25%     30%                      GRUPO B (PROVISIONAMENTO MENSAL)        ...
Formação De Preços DESPESAS GERAIS E ADMINISTRATIVAS   Despesas com material   Conservação e manutenção   Serviços de terc...
PREVISÃO DE ALUNOSESTABELECIMENTO:CURSO                   SÉRIE                                           200X            ...
FOLHA DE PAGAMENTO ANUALIZADAESCOLA:                                                                                    Fo...
DEMONSTRATIVO DAS DESPESAS GERAIS E ADMINISTRATIVASDemonstrativo Despesas Gerais Administrativas                          ...
RECEITA NECESSÁRIA                        = 100Receita Necessária: Paga os salários, as despesas, os    impostos e paga a ...
DESPESAS COMA       PESSOAL          CONHEÇO    RECEITA NECESSÁRIA           = 100                                   30
DESPESAS COMA       PESSOAL          CONHEÇO    RECEITA NECESSÁRIA           = 100    DESPESAS GERAIS EB    ADMINISTRATIVA...
DESPESAS COMA      PESSOAL           CONHEÇO    RECEITA NECESSÁRIA           = 100    DESPESAS GERAIS EB    ADMINISTRATIVA...
DESPESAS COM          A        PESSOAL           CONHEÇOC     =          +     RECEITA NECESSÁRIA                       = ...
C       TOTAL      DESPESAS      ENCARGOS                         IMPOSTOS %D   SOBRE A RECEITA   VALOR LOCATIVO %        ...
RECEITA NECESSÁRIA                             C = TOTAL DAS                                                 DESPESAS     ...
C=A+ B             (D) TOTAL DOS ENCARGOS                SOBRE RECEITA QUE            ONERAM A SUA INSTITUIÇÃO           2...
ANEXO II                  NOME DO ESTABELECIMENTO: ESCOLA XPTO                                                            ...
PONTO DE EQUILÍBRIO
Conseqüência direta do comportamento das despesasdiante do volume de atividade. Ponto em que asdespesas se igualam à recei...
Custos/DespesasClassificação de Custos De acordo com a variação do volume da operação Custos Fixos: gasto que independe do...
Custos/DespesasClassificação de Custos De acordo com a ocorrência: Custos Evitáveis: caso um novo curso não ocorra, o cust...
Custos/DespesasClassificação de Despesas Despesa Operacional: gasto relacionado à operação da IE. Exemplos: folha de pagam...
Custos/DespesasClassificação de Despesas  De acordo com a alocação: Despesa Direta: despesa que é diretamente alocada a um...
Custos/DespesasRateios de Despesas Rateio de Despesa: apropriação de despesas indiretas aos cursos através de critérios p...
Custos/DespesasRateios de Despesas Alocação de despesas com imóvel e infra-estrutura (aluguel, se aplicável, condomínio, ...
ESCOLA XPTO                                       RELATÓRIO GERAL POR SETOR                                           Sal....
ESCOLA XPTO          TURMA:          TOTAL ALUNOS:      DISCIPLINA             PROFESSOR        SALÁRIO BIOLOGIA CIÊNCIAS ...
ÍndicesSalário ProfessorSalário Adm. Específico 1ªe2ª sérieSalário Adm. Espec ífic o 3ª sériePessoal Adm. GeralEsportes   ...
DESPESAS GERAIS E ADMINISTRATIVAS 200X         DISCRIMINAÇÃO                      200X       200Y       MÉDIA 15 MESESREFO...
COLÉGIO MAGNUM AGOSTINIANO                                                                           SALÁRIOS          N.º...
LÉGIO MAGNUM AGOSTINIANOGNUM AGOSTINIANO                                   DESP GE. E IMPOSTOS    TOTAL                  P...
PREVISÃO DE RESULTADO OPERACIONAL 200Y                            ESTUDO COM BASE EM:SEGMENTO/TURNO                 RECEIT...
henrique@rhemaeducacional.com.br                          31 9972 0485             O segredo é não correr atrás das       ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Modulo4 henrique santos

346 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
346
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Modulo4 henrique santos

  1. 1. FORMAÇÃO DE PREÇOS
  2. 2. PECADO Nº 2 NÃO TER CRITÉRIOS PARA DEFINIR OS PREÇOS O caso da Una é extremo, mas não saber definir preços não é nada incomum no mundo das pequenas e médias empresas -- e mesmo asgrandes costumam sofrer muito para fazer isso da forma mais eficiente. Um exemplo típico de improvisação é copiar o preço dos concorrentes. Outro equívoco é somar os custos e acrescentar um percentual considerado "justo", "ideal" ou"usual" -- sem levar em conta fatores ocultos, como depreciação e necessidade de re-investimento 2
  3. 3. Como se define preço? Sacando (achômetro); Empiricamente (testando); Experiência anterior; Copiando de outros; Através de custos; Fazendo pesquisa; 3
  4. 4. Formação de preçosUm dos mais importantes aspectos financeiros dequalquer instituição consiste na fixação dos preçosdos produtos e serviços comercializados.Para alguns, essa atividade consiste na verdadeiraarte do negócio. O sucesso empresarial poderia aténão ser conseqüência direta da decisão acerca dospreços. Todavia, um preço equivocado de umproduto ou serviço certamente causará sua ruína. 4
  5. 5. Formação de preços A formação de preço é fator determinante para a sobrevivência da empresa? 5
  6. 6. Formar preços permite Ter os preços compatíveis com o mercado, Calcular os custos reais da sua atividade, Fazer a gestão estratégica da empresa, Trabalhar na identificação de novas oportunidades de mercado, E, conseqüentemente, aumentar a lucratividade 6
  7. 7. Formação de preços Preço deve ser definido após análise de posicionamento, concorrência, macro-ambiente e poder aquisitivo do público alvo. Por fim, projetar qual o resultado esperado para o curso, a partir deste preço. 7
  8. 8. Objetivos do preço  Proporcionar, a longo prazo, o maior lucro possível:  empresas buscam a perpetuidade;  cuidados com preços de curto prazo para maximizar lucros;  Permitir a maximização lucrativa da participação de mercado:  faturamento e lucros devem ser aumentados;  efeitos negativos sobre os lucros: excesso de estoques, fluxo de caixa negativo, concorrência agressiva, sazonalidade etc. 8
  9. 9. Objetivos do preço Maximizar a capacidade produtiva: •Reduzir a ociosidade e desperdícios operacionais, •Considerar a capacidade, •Atendimento aos clientes: 9
  10. 10. Objetivos do preço Maximizar o capital empregado para perpetuar os negócios de modo auto-sustentado. 10
  11. 11. A função do mercado O comportamento do mercado com relação ao preço passa a ser cada vez mais importante dentro de um cenário competitivo. A fórmula tradicional de custo e preço deve ser invertida para: PREÇO DE VENDA (ajustado ao mercado para ser competitivo) (-) CUSTO (a ser administrado e minimizado) = MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO (suficiente para remunerar o custo fixo e propiciar um retorno adequado). 11
  12. 12. Evolução do processo de formação de preços Preço = Custo + Contabilidade Lucro Custo = Preço - Lucro Controle Gerenciamento Custo-meta É necessário separar o processo de formação de custos do processo de formação de preços. 12
  13. 13. A ótica financeira do lucro O correto estabelecimento do preço de venda ou de prestação de serviços é essencial para a manutenção da substância patrimonial e esta, por sua vez, fundamental para a própria sobrevivência da Instituição. 13
  14. 14. Formação de preços - Determinação do Preço É realizada dependendo do posicionamento estratégico da empresa, do mercado e dos concorrentes. Outras formas: markup e retorno-alvo. Posicionamentos Genéricos •Diferenciação: alta qualidade, investimento em inovação, muitos serviços agregados, alto preço, baixo volume e alto investimento em relacionamento •Tradição: alta qualidade, pouco investimento em inovação, poucos serviços agregados, médio preço, médio volume e médio investimento em relacionamento •Preço: média qualidade, sem investimento em inovação, nenhum serviço agregado, baixo preço, alto volume e pouco investimento em relacionamento 14
  15. 15. Formação de preços – aspectos qualitativos BENEFÍCIOS EXTRAS LUCRO CUSTO PREÇO VALOR CUSTO, PREÇO E VALOR 15
  16. 16. 16
  17. 17. Custos da Escola CUSTOS DE PESSOAL: tendência de aumento sem a contra-partida na anuidade; Sindicatos ideológicos – contra a presença da escola privada; Judiciário; ????? Legislação arcaica, que onera a operação; IMPOSTOS: Carga tributária elevada e sufocante, sem perspectiva de mudança; 17
  18. 18. Custos da Escola • Geral: •Receita com sérios limites para crescer • Custos administrados pelo governo estão acima da inflação •Mensalidades devem crescer o mínimo possível; • Controlar despesas continua essencial. • Orçamento e controle é questão de sobrevivência! •Individual: • Depende de cada realidade – nº de alunos, região, concorrência, etc... • Planilha pode oferecer primeiros dados para decisão: • Quanto cobrar de mensalidade? • Como ficam os investimentos? 18
  19. 19. Formação De Preços APURAÇÃO DE CUSTOS Os custos devem refletir o projeto pedagógico da Instituição e adequados à grade curricular da escola. Levar em conta a média mensal atualizada e seu comportamento anual – ver o ano seguinte. PLANO DE CONTAS O plano de contas deve refletir o que de fato acontece na sua escola e agrupado conforme o Decreto 3.274. 19
  20. 20. Formação De Preços DESPESAS COM PESSOAL Muitas escolas, sem notar, inviabilizam-se em função de, ao longo do tempo, estabelecer relação perversa entre as despesas com pessoal e sua receita. A escola deve gastar 30% de sua receita com a despesa com pessoal (sem os encargos sociais). Gastos acima desse percentual devem merecer acurada análise e estabelecimento de estratégias para adequar pessoal com a receita. 20
  21. 21. Formação De Preços PESSOAL DOCENTE & TÉCNICO ADMINISTRATIVO Analisar Existem adicionais por tempo de serviço? Impacto do Plano de Cargos e Salários/Carreira Previsão de correções salariais espontâneas Previsão de correções salariais por negociação Acompanhar evolução do INPC/IBGE 21
  22. 22. DEMONSTRATIVO DE ENCARGOS SOCIAIS GRUPO INCIDÊNCIA COM FINS LUCRATIVOS FILANTRÓPICAS ENCARGOS SOCIAIS L.PRES/REAL SIMPLES GRUPO A (RECOLHIMENTO MENSAL) 34,80 8,00 8,00 INSS PATRONAL 20,00 0,00 0,00 TERCEIROS (SENAC, SEBRAE, INCRA) 3,05 0,00 0,00FIXOS SEGURO ACIDENTE TRABALHO 1,00 0,00 0,00 Cada escola tem um % SEGUO DE VIDA 0,25 0,00 0,00 SALÁRIO EDUCAÇÃO 2,50 0,00 0,00 de Encargos Sociais FGTS 8,00 8,00 8,00 INCIDÊNCIA % NO ANO 10% 15% 20% 25% 30% GRUPO B (PROVISIONAMENTO MENSAL) 1 13º SALÁRIO 23,20 8,33 30,28 8,33 37,37 8,33 44,45 8,33 51,53 8,33 próprio. Os encargos devem 2 ABONO DE FÉRIAS 1/3 2,78 2,78 2,78 2,78 2,78 3 FÉRIAS SUBSTITUIÇÃO 0,83 1,25 1,67 2,08 2,50 4 AVISO PRÉVIO 0,83 1,25 1,67 2,08 2,50 refletir seu real valor emPROVISIONADOS 5 CLÁUSULA 18 CCT 2,08 4,17 6,25 8,33 10,42 6 LEI 9.035/95 (SÚMULA 10 TST) 7 ESTABILIDADE CONVENÇÃO 1,25 6,67 1,88 10,00 2,50 13,33 3,13 16,67 3,75 20,00 cada escola. 8 AUXÍLIO DOENÇA 0,42 0,63 0,83 1,04 1,25 GRUPO C (PROVISIONAMENTO MENSAL) 4,71 4,84 4,98 5,11 5,24 9 DEPÓSITO POR RESCISÃO 4,71 4,84 4,98 5,11 5,24 GRUPO D (PROVISIONAMENTO MENSAL) 5,51 6,55 7,58 8,61 9,64 10 INCIDÊNCIA CUMULATIVA DO GRUPO A SOBRE O GRUPO B 5,51 6,55 7,58 8,61 9,64TOTAL DOS ENCARGOS - COM FINS LUCRATIVOS - EMPRESA 68,22 76,48 84,72 92,97 101,22TOTAL DOS ENCARGOS -COM FINS LUCRATIVOS - SIMPLES 41,42 49,68 57,92 66,17 74,42TOTAL DOS ENCARGOS - FILANTRÓPICAS 41,42 49,68 57,92 66,17 74,42ÍNDICE QUE ANTERIORMENTE ERA DEFINIDO PELA SUNAB 67,40 45,50 22 - PORTARIA Nº 42 DE 9/7/90 COM FINS LUCRATIVOS FILANTRÓPICAS
  23. 23. Encargos Sociais DEMONSTRATIVO DE ENCARGOS SOCIAIS INCIDÊNCIA GRUPO COM FINS LUCRATIVOS FILANTRÓPICAS L.PRES/REAL SIMPLES GRUPO A (RECOLHIMENTO MENSAL) 34,80 8,00 8,00 INSS PATRONAL 20,00 0,00 0,00 TERCEIROS (SENAC, SEBRAE, INCRA) 3,05 0,00 0,00 FIXOS SEGURO ACIDENTE TRABALHO 1,00 0,00 0,00 SEGUO DE VIDA 0,25 0,00 0,00 SALÁRIO EDUCAÇÃO 2,50 0,00 0,00 FGTS 8,00 8,00 8,00 23
  24. 24. INCIDÊNCIA % NO ANO 10% 15% 20% 25% 30% GRUPO B (PROVISIONAMENTO MENSAL) 23,20 30,28 37,37 44,45 51,53 1 13º SALÁRIO 8,33 8,33 8,33 8,33 8,33 2 ABONO DE FÉRIAS 1/3 2,78 2,78 2,78 2,78 2,78 3 FÉRIAS SUBSTITUIÇÃO 0,83 1,25 1,67 2,08 2,50 4 AVISO PRÉVIO 0,83 1,25 1,67 2,08 2,50PROVISIONADOS 5 CLÁUSULA 18 CCT 2,08 4,17 6,25 8,33 10,42 6 LEI 9.035/95 (SÚMULA 10 TST) 1,25 1,88 2,50 3,13 3,75 7 ESTABILIDADE CONVENÇÃO 6,67 10,00 13,33 16,67 20,00 8 AUXÍLIO DOENÇA 0,42 0,63 0,83 1,04 1,25 GRUPO C (PROVISIONAMENTO MENSAL) 4,71 4,84 4,98 5,11 5,24 9 DEPÓSITO POR RESCISÃO 4,71 4,84 4,98 5,11 5,24 GRUPO D (PROVISIONAMENTO MENSAL) 5,51 6,55 7,58 8,61 9,64 10 INCIDÊNCIA CUMULATIVA DO GRUPO A SOBRE O GRUPO B 5,51 6,55 7,58 8,61 9,64TOTAL DOS ENCARGOS - COM FINS LUCRATIVOS - EMPRESA 68,22 76,48 84,72 92,97 101,22TOTAL DOS ENCARGOS -COM FINS LUCRATIVOS - SIMPLES 41,42 49,68 57,92 66,17 74,42TOTAL DOS ENCARGOS - FILANTRÓPICAS 41,42 49,68 57,92 66,17 24 74,42
  25. 25. Formação De Preços DESPESAS GERAIS E ADMINISTRATIVAS Despesas com material Conservação e manutenção Serviços de terceiros O ideal é que Serviços Públicos essas despesas Outras despesas tributárias representem 15% Aluguéis da Receita Total da Instituição Depreciação Pró-labore Outras despesas 25
  26. 26. PREVISÃO DE ALUNOSESTABELECIMENTO:CURSO SÉRIE 200X 200Y Previsão De Alunos AE ANP APG AP AT AN PA PAG PAPEDUCAÇÃO INFANTIL MATERNAL II 0,00 0,00 0,00 MATERNAL III 0 0,00 0,00 0 0,00 0,00 1º PERÍODO 0 0,00 0,00 0 0,00 0,00 2º PERÍODO 0 0,00 0,00 0 0,00 0,00 3º PERÍODO 0 0,00 0,00 0 0,00 0,00 NO CURSO 0 0,00 0,00 0 0 0 0,00 0,00 1ª 0 0,00 0,00 0 0,00 0,00 2ª 0 0,00 0,00 0 0,00 0,00ENSINO FUNDAMENTAL 3ª 0 0,00 0,00 0 0,00 0,00 4ª 0 0,00 0,00 0 0,00 0,00 NO CURSO 0 0,00 0,00 0 0 0 0,00 0,00 5ª 0 0,00 0,00 0 0,00 0,00 6ª 0 0,00 0,00 0 0,00 0,00 7ª 0 0,00 0,00 0 0,00 0,00 8ª 0 0,00 0,00 0 0,00 0,00 NO CURSO 0 0,00 0,00 0 0 0 0,00 0,00 ENSINO MÉDIO 1ª 0 0,00 0,00 0 0,00 0,00 2ª 0 0,00 0,00 0 0,00 0,00 3ª 0 0,00 0,00 0 0,00 0,00 NO CURSO 0 0,00 0,00 0 0 0 0,00 0,00TOTAL DOESTABELECIMEN 0 0,00 0,00 0 0 0 0,00 0 0,00TO 200X AE = ALUNOS EXISTENTES ( nº de alunos matriculados no mês de referência ) ANP = ALUNOS NÃO PAGANTES (nº de alunos não pagantes no mês de referência) APG = ALUNOS PAGANTES (nº de alunos pagantes no mês de referência) 200YLEGENDA: AP = ALUNOS PROMOVIDOS ( nº de alunos matriculados na série anterior ) AT = ALUNOS TRANSFERIDOS (previsão de alunos que solicitarão ou receberão transferência) AN = ALUNOS NOVATOS ( alunos novatos ) PA = PREVISÃO DE ALUNOS ( previsão das matrículas para o novo ano. ) PAG = PREVISÃO DE ALUNOS COM GRATUIDADE ( integrais ou parciais. ) PAP = PREVISÃO DE ALUNOS PAGANTES PA = AE + AP - AT + AN 26 PAP = PA - PAG
  27. 27. FOLHA DE PAGAMENTO ANUALIZADAESCOLA: Folha PagamentoCURSO: ANO 200X ANO 200Y MÊS MÊS DOCENTE ADMINISTRATIVO DOCENTE ADMINISTRATIVO índice reajuste proposto JAN JANSubtotal Subtotal FEV FEV MAR MAR ABR ABR MAI MAI JUN JUN JUL JUL AGO AGO SET SET OUT OUT NOV NOV DEZ DEZ Subtotal Subtotal Total Totalretirar da folha: adicional de férias, licença maternidade, salário família.Transportar o total da folha para:200X - Pessoal no Anexo II 27200Y - Pessoal - Planilha e Anexo II
  28. 28. DEMONSTRATIVO DAS DESPESAS GERAIS E ADMINISTRATIVASDemonstrativo Despesas Gerais Administrativas índice de correção 1,000 ESCOLA: MANTENEDORA: RUBRICAS DO PLANO DE CONTAS DA ESCOLA DESPESAS PROJEÇÃO DAS TOTAL DAS PROJEÇÃO DAS ACUMULADAS DE Nº RUBRICAS PADRONIZADAS PELA LEGISLAÇÃO AGRUPADAS SEGUNDO AS RUBRICAS DESPESAS DE DESPESAS PARA JAN A MÊS- PADRONIZADAS PELA LEGISLAÇÃO BALANCETE MÊS A DEZ/0X DESPESAS 200X 200Y e. Despesas com Material f. Conservação e Manutenção g. Serviços de Terceiros h. Serviços Públicos i. Outras Despesas Tributárias j. Aluguéis k. Depreciação l. Outras Despesas m. Pro-Labore TOTAL A análise também pode ser: últimos 12 meses; série de mais anos 28
  29. 29. RECEITA NECESSÁRIA = 100Receita Necessária: Paga os salários, as despesas, os impostos e paga a rentabilidade do negócio 29
  30. 30. DESPESAS COMA PESSOAL CONHEÇO RECEITA NECESSÁRIA = 100 30
  31. 31. DESPESAS COMA PESSOAL CONHEÇO RECEITA NECESSÁRIA = 100 DESPESAS GERAIS EB ADMINISTRATIVAS CONHEÇO 31
  32. 32. DESPESAS COMA PESSOAL CONHEÇO RECEITA NECESSÁRIA = 100 DESPESAS GERAIS EB ADMINISTRATIVAS CONHEÇO ENCARGOSD SOBRE A RECEITA NÃO CONHEÇO 32
  33. 33. DESPESAS COM A PESSOAL CONHEÇOC = + RECEITA NECESSÁRIA = 100 DESPESAS GERAIS E B ADMINISTRATIVAS CONHEÇO ENCARGOS SOBRE A NÃO CONHEÇO D RECEITAC = TOTAL DAS DESPESAS 33
  34. 34. C TOTAL DESPESAS ENCARGOS IMPOSTOS %D SOBRE A RECEITA VALOR LOCATIVO % MARGEM % 34
  35. 35. RECEITA NECESSÁRIA C = TOTAL DAS DESPESAS E [ DESPESAS COM PESSOAL + DESPESAS COMO ENCONTRAR A GERAIS ERECEITA NECESSÁRIA (E) ? – ADMINISTRATIVAS] DIVIDO O (C) POR [100-(D)] C x 100 C x 100 C x 100 TOTAL E GERAL 100 - D 100 -29,53 70,47 100 = RECEITA D = ENCARGOS SOBRE A RECEITA NECESSÁRIA [IMPOSTOS+VALOR LOCATIVO+MARGEM] 35
  36. 36. C=A+ B (D) TOTAL DOS ENCARGOS SOBRE RECEITA QUE ONERAM A SUA INSTITUIÇÃO 2,0+0,65+3,0+1,08+4,80+8,0+10,0Planilha = 29,53 = (D) [100-(D)] = 100 - 30,53 = 68,47 COMO ENCONTRAR A RECEITA NECESSÁRIA (E) ? – DIVIDO O (C) POR [100-(D)] C x 100 = 68,47 RECEITA NECESSÁRIA E 36
  37. 37. ANEXO II NOME DO ESTABELECIMENTO: ESCOLA XPTO PARA PREENCHER O ANEXO II COMPONENTES DE CUSTOS Valores em Real DEVE-SE LEVAR EM CONTA OS (DESPESAS) ANO BASE ANO DE APLICAÇÃO VALORES APURADOS PARA O ANO 200X 200Y 1.0 PESSOAL EM CURSO (ANO BASE) E O 1.1 Pessoal Docente PRÓXIMO PERÍODO (ANO DE 1.1.1 1.2 Encargos Sociais Pessoal Técnico Administrativo APLICAÇÃO). Encargos Sociais 1.2.1 2.0 DESPESAS GERAIS E ADMINISTRATIVAS ESSAS INFORMAÇÕES ESTÃO DISPONÍVEIS NOS FORMULÁRIOSAnexo Dec. 3274 2.1 Despesas com Material 2.2 Conservação e Manutenção ANTERIORES 2.3 Serviços de Terceiros 2.4 Serviços Públicos 2.5 Imposto sobre Serviço (ISS) 2.6 Outras Despesas Tributárias ISS, PIS, COFINS – 2.7 Aluguéis DADOS DO ANO BASE 2.8 Depreciação 2.9 Outras Despesas NA CONTABILIDADE 3.0 SUBTOTAL ( 1 + 2 ) 4.0 Pro-Labore ANO BASE. VALOR LOCATIVO É 5.0 Valor Locativo 6.0 SUBTOTAL ( 4 + 5 ) UM CUSTO ECONÔMICO. ELE 7.0 CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS ESTÁ NO RESULTADO 7.1 PIS/PASEP 7.2 COFINS 8.0 TOTAL GERAL ( 3 + 6 + 7 ) Número de alunos pagantes Número de alunos não pagantes OS VALORES ENCONTRADOS Valor da última mensalidade do ano anterior NO ITEM 8 – TOTAL GERAL Curso A Valor da mensalidade após reajuste proposto Em R$ DEVERÃO SER LANÇADOS NO Em 200X Curso A ÍNDICE DE FORMULÁRIO DE CÁLCULOS Local: REAJUSTE PERCENTUAL DE COMPLEMENTARES A SEGUIR 37 Carimbo e assinatura do responsável REAJUSTE
  38. 38. PONTO DE EQUILÍBRIO
  39. 39. Conseqüência direta do comportamento das despesasdiante do volume de atividade. Ponto em que asdespesas se igualam à receita, não havendo lucro nemprejuízo. P.E. = CF / (Pu – Cvu) 39
  40. 40. Custos/DespesasClassificação de Custos De acordo com a variação do volume da operação Custos Fixos: gasto que independe do volume das atividades. Ex.: aluguel, seguro, custo dos departamentos administrativos (em geral); Custos Variáveis: gasto que depende do volume das atividades. Ex.: material didático; Custos Semi-variáveis: gasto que depende parcialmente do volume das atividades. Ex.: professor, energia elétrica. 40
  41. 41. Custos/DespesasClassificação de Custos De acordo com a ocorrência: Custos Evitáveis: caso um novo curso não ocorra, o custo também não existirá; Custos Inevitáveis: existirá independentemente do novo curso. 41
  42. 42. Custos/DespesasClassificação de Despesas Despesa Operacional: gasto relacionado à operação da IE. Exemplos: folha de pagamento, aluguel, material de consumo, divulgação, etc; Despesa Não-operacional: gasto não relacionado necessariamente à operação da IE. Exemplo: no conceito gerencial, investimento em prédio não utilizado para a operação; Despesa Pré-operacional: gasto relacionado à uma operação futura da IE, que será amortizada posteriormente. Exemplo: despesas relacionadas ao lançamento de novos cursos ou 42 unidades.
  43. 43. Custos/DespesasClassificação de Despesas De acordo com a alocação: Despesa Direta: despesa que é diretamente alocada a um curso. Ex.: professores, coordenadores de curso, divulgação, material didático; Despesa Indireta: despesa que não pode ser alocada diretamente a um curso. Só poderá afetar o resultado do curso se for rateada. Ex.: Secretaria, Biblioteca, Depto. Financeiro. 43
  44. 44. Custos/DespesasRateios de Despesas Rateio de Despesa: apropriação de despesas indiretas aos cursos através de critérios pré-definidos. Conceito de Custeio Baseado em Atividades - ABC Cost (rateio pela utilização das atividades por cada curso). Ex: identificar atividades da área de TI e criar direcionadores para cada uma; 44
  45. 45. Custos/DespesasRateios de Despesas Alocação de despesas com imóvel e infra-estrutura (aluguel, se aplicável, condomínio, IPTU, energia, serviços gerais...): ratear de acordo com a utilização do espaço físico. Ex: salas de aula = 60%; biblioteca = 5%; departamento financeiro = 1%, etc.  Rateio de Professores entre cursos Rateio da despesa com Salas de Aula: de acordo com a utilização. Controlar a ociosidade.  Dúvida: ratear ou não a ociosidade das salas de aula? 45
  46. 46. ESCOLA XPTO RELATÓRIO GERAL POR SETOR Sal. Sal. Adm. Pessoal SETOR Turmas N.º alunos Subtotal Encargos Total Professor Específico Adm. GeralEd. Inf. ManhãEd. Inf. Tarde 1a4 manhã 1a4 tarde 5a8 manhã 5a8 tardeEnsino Médio TOTAIS 0 0 - - - - - - 46
  47. 47. ESCOLA XPTO TURMA: TOTAL ALUNOS: DISCIPLINA PROFESSOR SALÁRIO BIOLOGIA CIÊNCIAS ED. FÍSICA ED. RELIGIOSA ESPANHOL FILOSOFIA FÍSICA GEOGRAFIA HISTÓRIA INFORMÁTICA INGLÊS L. PORTUGUESA LAB. QUÍMICA MATEMÁTICA QUÍMICA EXTRASCUSTO DO PROFESSOR: R$ - 47
  48. 48. ÍndicesSalário ProfessorSalário Adm. Específico 1ªe2ª sérieSalário Adm. Espec ífic o 3ª sériePessoal Adm. GeralEsportes 48
  49. 49. DESPESAS GERAIS E ADMINISTRATIVAS 200X DISCRIMINAÇÃO 200X 200Y MÉDIA 15 MESESREFORMA DO COLÉGIOMATERIAL DE INFORMÁTICAMATERIAL DE ESCRITÓRIOMATERIAL DE LIMPEZADESPESAS COM LANCHESSERVIÇOS DE MANUTENÇÃOMATERIAL PARA MANUTENÇÃOCONTRATOS DE MANUTENÇÃOÁGUATELEFONEENERGIA ELÉTRICAPAGAMENTOS A TERCEIROSVALE TRANSPORTEASSINATURA JORNAIS E REV ISTASDESPESAS DIVERSASDESPESAS BANCÁRIASANÚNCIOS E PROPAGANDASDESPESAS MÉDICASMÁQUINAS E EQUIPAMENTOSINSTALAÇÕES, MÓVEIS E UTENSÍLIOSMATERIAL DE LABORATÓRIOMATERIAL ESPORTIVOLIVROS PARA BIBLIOTECACURSOS P/PROFS/FUNC.PASSAGENS E HOSP. PROF./FUNC.MATERIAL PARA FOTOCOPIADORACONFECÇÃO DE REVISTAS, CONVITES E FOLDERSPALESTRASCORREIOSFAIXAS E CARTAZESINTERNETPARTICIPAÇÃO EM FEIRAS E STANDSESTAGIÁRIOSTOTAIS MÉDIA 15 MESES 49
  50. 50. COLÉGIO MAGNUM AGOSTINIANO SALÁRIOS N.º Nº ALUNOS ALUNOS Sal. Sal. Adm. Pessoal EncargosTurma Específic Adm. Subtotal Total Professor o Geral 52% alunos C/DESC. PGTES 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 TOTAIS TOTAIS - - - - - - - 0 0,00 0,00 #DIV/0! #DIV/0! #DIV/0! #DIV/0! #DIV/0! #DIV/0! #DIV/0! #DIV/0! #DIV/0! PERCENTUAL DE INCIDÊNCIA EM RELAÇÃO A RECEITAMÉDIA ALUNO/SALA % DESC. NO #REF! #REF! #REF! #REF! #REF! #REF! 100,00% SEGMENTO PERCENTUAL DE INCIDÊNCIA EM RELAÇÃO À FOLHA 50
  51. 51. LÉGIO MAGNUM AGOSTINIANOGNUM AGOSTINIANO DESP GE. E IMPOSTOS TOTAL PONTO ALUNOS E QUE RESULTAD FALTAM INADIMPLÊ P/EQUILIBR ADM NCIA DESPESAS O DA SALA EQUILÍBRIO IO TOTAIS - - - #DIV/0! #DIV/0! #DIV/0! -ERCENTUAL DE INCIDÊNCIA EM RELAÇÃO A RECEITA MARGEM #DIV/0! PROJETADA 51
  52. 52. PREVISÃO DE RESULTADO OPERACIONAL 200Y ESTUDO COM BASE EM:SEGMENTO/TURNO RECEITA DESPESA LUCRO MARGEM (%) EDUCAÇÃO INFANTIL MANHÃ #DIV/0! TARDE #DIV/0!TOTAL SEGMENTO - - - #DIV/0! ENSINO FUNDAMENTAL II MANHÃ #DIV/0! TARDE #DIV/0!TOTAL SEGMENTO - - - #DIV/0! ENSINO FUNDAMENTAL II MANHÃ #DIV/0! TARDE #DIV/0!TOTAL SEGMENTO - - - #DIV/0! ENSINO MÉDIO MANHÃ #DIV/0!TOTAL SEGMENTO - - 52TOTAL GERAL - - -
  53. 53. henrique@rhemaeducacional.com.br 31 9972 0485 O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até você. Mario QuintanaObrigado pela atenção 53

×