Paradigmas midiologicos levy

550 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
550
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Paradigmas midiologicos levy

  1. 1.  Pierre Lévy . Francês, nasceu em 1956 . “Filósofo da informação”, estuda as interações entre a Internet e a sociedade . Doutorou-se em Sociologia e em Ciências da Informação e da Comunicação . Lecionou em várias universidades de Paris e Montréal . É professor da UQTR (Université du Québec à Trois-Rivières) . Presta serviço a vários governos, organismos internacionais e grandes empresas sobre as implicações culturais das novas tecnologias . Autor de obras filosóficas sobre a cultura do mundo virtual e as novas tecnologias Teoria da Comunicação UNIDADE III: Paradigma Midiológico
  2. 2.  Obras traduzidas . As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática (1992) . As árvores de conhecimentos (1995, em co-autoria com Michel Authier) . O que é o virtual? (1996) . A ideografia dinâmica: para uma imaginação artificial? (1997) . A ideografia dinâmica: rumo a uma imaginação artificial? (1998) . A máquina universo: criação, cognição e cultura informática (1998) . Cibercultura (1999) . A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço (2000) . Filosofia world: o mercado, o ciberespaço, a consciência (2000) . A Conexão Planetária: o mercado, o ciberespaço, a consciência (2001) . Ciberdemocracia (2003) Teoria da Comunicação UNIDADE III: Paradigma Midiológico
  3. 3.  Tecnófilos . Corrente de pensadores esperançosa nas boas novas para o homem que nos traria o progresso das tecnologias de informação . Outros: Nicholas Negroponte, Phillippe Quéau e Alvin Toffler . Tecnologia exige uma nova filosofia prática, em vez de crítica; corrigir os erros, em vez de denunciá-los . Proposta: aprender o real que está nascendo, torná-lo autoconsciente, acumulável e guiar seu movimento de forma que venha a tornar suas potencialidades mais positivas Teoria da Comunicação UNIDADE III: Paradigma Midiológico
  4. 4.  Ciberespaço . Novo meio de comunicação que surge da interconexão mundial dos computadores . Não só infraestrutura material, mas o oceano de informações que a comunicação digital abriga, assim como os humanos que navegam, habitam e se alimentam desse universo  Cibercultura . Conjunto de técnicas (materiais e intelectuais), de práticas, de atitudes, de modos de pensamento e de valores que se desenvolvem juntamente com o crescimento do ciberespaço . Tendências da cibercultura: universalização, virtualização Teoria da Comunicação UNIDADE III: Paradigma Midiológico
  5. 5.  Perspectiva . Internet inaugura um espaço de comunicação inovador, inclusivo, dinâmico, universal e transparente . Internet representa uma abertura para o mundo e a liberdade de expressão . Constitui igualmente a infraestrutura da nova economia, cujos altos e baixos não devem mascarar a tendência de fundo, inegavelmente construtiva . As redes em que ela se apoia estimulam o aparecimento de uma nova ecologia cognitiva, a difusão de uma inteligência coletiva e a expansão da cidadania através do exército da tecnodemocracia Teoria da Comunicação UNIDADE III: Paradigma Midiológico
  6. 6.  Inteligência Coletiva . Um dos principais motores da cibercultura . É uma inteligência distribuída por toda a parte, incessantemente valorizada, coordenada em tempo real, que resulta em mobilização efetiva das competências . Ninguém sabe tudo, todos sabem alguma coisa, todo o saber está na humanidade . Novo tipo de pensamento sustentado por conexões sociais que sãoviáveis através da utilização das redes abertas de computação da Internet . Ex: Wiki Teoria da Comunicação UNIDADE III: Paradigma Midiológico
  7. 7.  Técnicas e Tecnologias . Metáfora do “impacto” não é adequada para tratar a tecnologia . Tecnologias são produtos de uma sociedade e de uma cultura . A técnica é um ângulo de análise dos sistemas sócio-técnicos globais, um ponto de vista que enfatiza a parte material e artificial dos fenômenos humanos, e não uma entidade real, que existira independentemente do resto . Por trás das técnicas agem e reagem ideias, projetos sociais, utopias, interesses econômicos, estratégias de poder, toda a gama dos jogos do homem em sociedade . Novas implicações cognitivas, culturais, econômicas e sociais . Velocidade de transformação é uma constante da cibercultura (dificuldade de domínio) Teoria da Comunicação UNIDADE III: Paradigma Midiológico
  8. 8.  Técnicas e Tecnologias . A emergência do ciberespaço acompanha, traduz e favorece uma evolução geral da civilização . Uma técnica é produzida dentro de uma cultura, e uma sociedade encontra-se condicionada por suas técnicas . Uma técnica não é nem boa, nem má (isto depende dos contextos, dos usos e dos pontos de vista), tampouco neutra (já que é condicionante ou restritiva, já que de um lado abre e de outro fecha o espectro de possibilidade) Teoria da Comunicação UNIDADE III: Paradigma Midiológico
  9. 9.  Virtual . Virtual pode ser entendido pelo sentido filosófico, ou de uso corrente . Filosófico: virtual é o que existe apenas em potência e não em ato . Algo que não é físico, apenas conceitual . Dimensão importante da realidade . Uso corrente: irrealidade . Em filosofia, contudo, o virtual não se opõe ao real mas sim ao atual: virtualidade e atualidade são apenas dois modos diferentes da realidade . O virtual carrega uma potência de ser, enquanto o atual já é Teoria da Comunicação UNIDADE III: Paradigma Midiológico
  10. 10.  Ciberespaço é universal, NÃO totalizante . Quanto mais o ciberespaço se amplia, mais ele se torna “universal”, e menos o mundo informacional se torna totalizável . Tende a um interconexão geral das informações, da máquina e dos homens . Se “a mídia é a mensagem” (McLuhan), a mensagem dessa mídia é o universal, ou a sistematicidade transparente e ilimitada. . A escrita abriu um espaço de comunicação desconhecido pelas sociedades orais; atores da comunicação não dividiam mais a mesma cena, não estavam mais em interação direta; “fora de contexto” . Mídias de massa dão continuidade ao ideal universal e totalizante da escrita; busca um denominador comum Teoria da Comunicação UNIDADE III: Paradigma Midiológico
  11. 11.  Ciberespaço é universal, NÃO totalizante . Cibercultura: mensagem inserida num contexto vivo e dinâmico, todos compartilham mesmo contexto . Não pode mais haver um fechamento semântico ou uma totalização . Tendência comunitária e libertária é que comanda o crescimento do ciberespaço . Universal: presença (virtual) da humanidade em si mesma . Totalidade: conjunção estabilizada do sentido de uma pluralidade . A cibercultura mostra que existe uma outra forma de instaurar a presença virtual da humanidade em si mesma (o universal) que não seja por meio da identidade do sentido (a totalidade) Teoria da Comunicação UNIDADE III: Paradigma Midiológico
  12. 12.  Conclusões . A técnica não é uma forma real, os sujeitos são os seres humanos situados social e historicamente . Não reduz a cultura à tecnologia; sua atitude tecnófila não é alheia a um credo humanista . As tecnologias de comunicação, longe de se adequarem apenas a um uso instrumental e calculável, são importantes fontes de imaginação . Crítica: sucumbe à crença na boa vontade humana - para ele, os homens que o capitalismo criou preferem o esclarecimento ao lucro e poderio econômico . As esperanças postas por ele no ciberespaço só podem ser vistas como utópicas Teoria da Comunicação UNIDADE III: Paradigma Midiológico

×