A ARTE DE FALAR EM PÚBLICO.  NOÇÕES BÁSICAS  EMÍDIO BRASILEIRO
CONTROLAR O MEDO DE FALAR EM PÚBLICO <ul><li>Quando o medo aparecer, encare-o normalmente;  </li></ul><ul><li>Controle seu...
CONTROLAR O MEDO DE FALAR EM PÚBLICO <ul><li>Não adquira vícios (botões de paletó, bolsos, lápis, giz, folha de papel, fio...
ELOQÜÊNCIA  <ul><li>Consiste em se conceber a idéia clara, expressá-la com a palavra e adequá-la ao auditório, dependendo ...
O ORADOR  ELOQÜENTE POSSUI : <ul><li>* RIQUEZA DE CONTEÚDO ou CONHECIMENTO DO ASSUNTO: Alcançada no estudo metódico da Mat...
O ORADOR  ELOQÜENTE POSSUI : <ul><li>*  NATURALIDADE: Não se deve perder a naturalidades, a qual é superior a técnica. </l...
O ORADOR  ELOQÜENTE POSSUI : <ul><ul><li>* CRIATIVIDADE: Assemelha-se em muitos pontos à essência da inspiração. É o exerc...
O ORADOR  ELOQÜENTE POSSUI : <ul><li>* VERSATILIDADE: Bom repertório temático. Capacidade de falar com segurança sobre div...
O ORADOR  ELOQÜENTE POSSUI : <ul><li>MEMÓRIA: O orador precisa recorrer à memória para recordar as idéias e ordena-las enq...
O ORADOR  ELOQÜENTE POSSUI : HABILIDADE: Capacidade suficiente para perceber o nível de compreensão intelectual ou o grau ...
O ORADOR  ELOQÜENTE POSSUI : <ul><li>INSPIRAÇÃO: É a forma como o orador cria e produz o seu discurso; a soma das energias...
O ORADOR  ELOQÜENTE POSSUI : <ul><li>ENTUSIASMO:  Deve falar com convicção, acreditando firmemente naquilo que irá proferi...
O ORADOR  ELOQÜENTE POSSUI : <ul><ul><li>DETERMINAÇÃO </li></ul></ul><ul><ul><li>É necessário estar acompanhado (a) da det...
O ORADOR  ELOQÜENTE POSSUI :   TEATRALIZAÇÃO: O orador deve, sem  exageros, ser uma espécie de ator, guardadas as devidas ...
O ORADOR  ELOQÜENTE POSSUI : <ul><li>       SIMPATIA: Sem evidentemente cair nas posturas grotescas nem artificiais, dever...
O ORADOR  ELOQÜENTE POSSUI : <ul><li>       VOZ RITMADA: O orador deve apresentar uma voz ritmada, de tal forma que não fa...
O ORADOR  ELOQÜENTE POSSUI : <ul><li>VOCABULÁRIO SIMPLES: Mas sem ser pobre demais. Preciso, para não dar margem a dúvidas...
PREPARAÇÃO <ul><li>A preparação constitui atitude de responsabilidade, indispensável ao bom orador. O expositor que não pr...
PREPARAÇÃO   IMPROVISAÇÃO <ul><li>Improvisar é falar aquilo que já se tem por muito bem pensado. Só improvisa quem tenha c...
COMO PREPARAR E PROFERIR UMA PALESTRA <ul><li>ESCOLHER O TEMA: Caso já não tenha sido determinado. O expositor deve evitar...
COMO PREPARAR E PROFERIR UMA PALESTRA <ul><li>PESQUISAR NA BIBLIOGRAFIA DISPONÍVEL: Selecionando textos e páginas. </li></...
COMO PREPARAR E PROFERIR UMA PALESTRA <ul><li>FORMULAR A IDÉIA MÃE:  Definindo a abordagem que o tema receberá na exposiçã...
COMO PREPARAR E PROFERIR UMA PALESTRA <ul><li>CONCLUSÃO: Na conclusão é recomendável alguns destes recursos: Levantar uma ...
O ORADOR E A ATENÇÃO PARA: <ul><li>A EXPRESSÃO CORPORAL: A naturalidade do gesto: Posição das pernas, os movimentos das mã...
O QUE O ORADOR NÃO DEVE FAZER <ul><li>Pedir desculpas ao auditório; contar piadas desinteressantes; fazer perguntas ao aud...
O QUE O ORADOR DEVE FAZER <ul><li>Aproveitar circunstâncias de lugar, de tempo e de pessoa; aludir à ocasião; fazer uma ci...
SÍNTESE <ul><li>1) Antes de iniciar sua apresentação, respire bem e procure deixar o corpo relaxado; </li></ul><ul><li>2) ...
SÍNTESE <ul><li>4)Transmita confiança aos seus ouvintes. Mostre firmeza e determinação. Fale com entusiasmo;  </li></ul><u...
SÍNTESE <ul><ul><li>7) Ao elaborar sua apresentação, observe inicialmente o público que o assistirá. Escreva para ele e de...
SÍNTESE <ul><li>10) Não perca a oportunidade de falar. A prática e o exercício é que lhe proporcionarão confiança.  </li><...
BIBLIOGRAFIA <ul><li>BARBOSA, Osmar. A arte de falar em público. Rio de Janeiro: Tecnoprint, s.d. 296p. </li></ul><ul><li>...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Arte defalar

1.819 visualizações

Publicada em

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Achei nobre de sua parte colocar a disposição deste material tão rico em chaves; Estou iniciando e ja percebi seu estilo, desculpe tentando falar comtigo linkei seu SLIDE. ainda vou apreender como funciona este slideshare que apesar de novidade para mim já se tornou uma biblioteca. Paz para vc Isabel, Nerci
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.819
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
73
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
114
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Arte defalar

  1. 1. A ARTE DE FALAR EM PÚBLICO. NOÇÕES BÁSICAS EMÍDIO BRASILEIRO
  2. 2. CONTROLAR O MEDO DE FALAR EM PÚBLICO <ul><li>Quando o medo aparecer, encare-o normalmente; </li></ul><ul><li>Controle seu nervosismo; </li></ul><ul><li>Tenha uma postura correta; </li></ul><ul><li>Antes de pensar como, saiba o que falar; </li></ul><ul><li>Evite o pessimismo; </li></ul>
  3. 3. CONTROLAR O MEDO DE FALAR EM PÚBLICO <ul><li>Não adquira vícios (botões de paletó, bolsos, lápis, giz, folha de papel, fio do microfone não poderão oferecer-lhe segurança); </li></ul><ul><li>Chame sua voz com a respiração, respirando profundamente); </li></ul><ul><li>A prática irá proporcionar-lhe o reflexo. </li></ul>
  4. 4. ELOQÜÊNCIA <ul><li>Consiste em se conceber a idéia clara, expressá-la com a palavra e adequá-la ao auditório, dependendo esta última condição dos tempos, das pessoas, dos lugares e das coisas. É também a arte de convencer. </li></ul>
  5. 5. O ORADOR ELOQÜENTE POSSUI : <ul><li>* RIQUEZA DE CONTEÚDO ou CONHECIMENTO DO ASSUNTO: Alcançada no estudo metódico da Matéria e na preparação antecipada da palestra. </li></ul><ul><li>CLAREZA: De conteúdo e pronúncia. As frases devem ser proferidas com clareza, correção e sobretudo com naturalidade. A idéia se torna clara quando pode ser reduzida a uma frase simples. Um método de clareza é exprimir em voz alta o pensamento para sentir se está claro ou obscuro. </li></ul>
  6. 6. O ORADOR ELOQÜENTE POSSUI : <ul><li>* NATURALIDADE: Não se deve perder a naturalidades, a qual é superior a técnica. </li></ul><ul><li> * OBJETIVIDADE ou SÍNTESE: Ou concisão. O orador deve dizer tudo quanto necessário sem ser por demais resumido, sacrificando a compreensão de sua mensagem, nem ignorar o controle do tempo de exposição. </li></ul>
  7. 7. O ORADOR ELOQÜENTE POSSUI : <ul><ul><li>* CRIATIVIDADE: Assemelha-se em muitos pontos à essência da inspiração. É o exercício da criação própria de argumentos e ilustrações, tornando a preleção interessante e original. </li></ul></ul>
  8. 8. O ORADOR ELOQÜENTE POSSUI : <ul><li>* VERSATILIDADE: Bom repertório temático. Capacidade de falar com segurança sobre diversos assuntos e de compor palestras sobre um mesmo tema, com enfoques e argumentações diferentes. </li></ul>
  9. 9. O ORADOR ELOQÜENTE POSSUI : <ul><li>MEMÓRIA: O orador precisa recorrer à memória para recordar as idéias e ordena-las enquanto fala. Para lembrar-se das palavras apropriadas para dar forma a seus pensamentos e transmitir a sua mensagem. Caso sinta a necessidade deve ter ao alcance das mãos e dos olhos uma pequena folha com o roteiro de sua palestra, com a enumeração dos dados que queira usar como ilustração de seus comentários . </li></ul>
  10. 10. O ORADOR ELOQÜENTE POSSUI : HABILIDADE: Capacidade suficiente para perceber o nível de compreensão intelectual ou o grau de sensibilidade emocional de seus ouvintes, bem como as suas intenções naquele momento.
  11. 11. O ORADOR ELOQÜENTE POSSUI : <ul><li>INSPIRAÇÃO: É a forma como o orador cria e produz o seu discurso; a soma das energias para encontrar a melhor idéia, modificando e substituindo a mensagem preparada com antecedência, pelas circunstâncias que o cercam, ao sabor das emoções emanadas do ambiente. </li></ul>
  12. 12. O ORADOR ELOQÜENTE POSSUI : <ul><li>ENTUSIASMO: Deve falar com convicção, acreditando firmemente naquilo que irá proferir porque, se agir em contrário, como irá então convencer seus ouvintes se ele mesmo se mostra desmotivado? </li></ul>
  13. 13. O ORADOR ELOQÜENTE POSSUI : <ul><ul><li>DETERMINAÇÃO </li></ul></ul><ul><ul><li>É necessário estar acompanhado (a) da determinação para ultrapassar os obstáculos (desânimo, dúvidas quanto a arte de falar) e ter forças para dar seqüência ao trabalho da oratória. </li></ul></ul>
  14. 14. O ORADOR ELOQÜENTE POSSUI : TEATRALIZAÇÃO: O orador deve, sem exageros, ser uma espécie de ator, guardadas as devidas proporções, modulando a voz, gesticulando convenientemente, correndo os olhos pelo salão ou auditório e mesmo para aqueles que estejam sentados à mesa a seu lado, de modo a convencer o público com seus argumentos, expostos de modo encadeado e bem coordenado.
  15. 15. O ORADOR ELOQÜENTE POSSUI : <ul><li>      SIMPATIA: Sem evidentemente cair nas posturas grotescas nem artificiais, deverá despertar desde o primeiro momento a simpatia do auditório, se preciso contando algum caso gozado, alguma piada decente, algum dito chistoso para a descontração dos ouvintes, mantendo sempre o recinto com seriedade (que não é sinônimo de sizudez, de semblante fechado, de cara amarrada) de que o ambiente se reveste. </li></ul>
  16. 16. O ORADOR ELOQÜENTE POSSUI : <ul><li>      VOZ RITMADA: O orador deve apresentar uma voz ritmada, de tal forma que não fale tão depressa nem muito devagar, de modo enfadonho, causando desinteresse. Não se deve deixar a voz cair no final de cada frase, nem levanta-la em todo o fim de frase ou período. Enfatizar as sentenças de maior importância, variar o tom e a INTENSIDADE DA VOZ, ajudando os ouvintes a entender melhor, o que acaba evitando a monotonia. Verificar também a RESPIRAÇÃO e DICÇÃO. </li></ul>
  17. 17. O ORADOR ELOQÜENTE POSSUI : <ul><li>VOCABULÁRIO SIMPLES: Mas sem ser pobre demais. Preciso, para não dar margem a dúvidas. Sem floreios literários, para ser entendido por todos de modo que alguém, dotado de menor cabedal cultural, não saia do recinto sem entender nada do que ouviu. É necessário o desenvolvimento permanente do vocabulário. </li></ul>
  18. 18. PREPARAÇÃO <ul><li>A preparação constitui atitude de responsabilidade, indispensável ao bom orador. O expositor que não prepara pode ser um excelente improvisador, ter verbo fácil e rara inteligência, além de razoável conhecimento do tema, mas representa árvore a produzir dez frutos, quando poderia gerar mil. </li></ul>
  19. 19. PREPARAÇÃO IMPROVISAÇÃO <ul><li>Improvisar é falar aquilo que já se tem por muito bem pensado. Só improvisa quem tenha conhecimentos sobre o assunto. Achar o que é preciso dizer é o mesmo que já ter dito o que vai dizer. E preparar é alicerçar-se para eventuais improvisos, e improvisar é falar sobre o que já se preparou. Por isso, a preparação é imprescindível. Como preparar e proferir uma palestra: </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  20. 20. COMO PREPARAR E PROFERIR UMA PALESTRA <ul><li>ESCOLHER O TEMA: Caso já não tenha sido determinado. O expositor deve evitar abordagem de assuntos que desconheça ou do quais lhe falte experiência. O expositor responsável apenas abordará um tema difícil, em relação às suas possibilidades, se dispuser de tempo suficiente para pesquisá-lo e preparar sua alocução. </li></ul>
  21. 21. COMO PREPARAR E PROFERIR UMA PALESTRA <ul><li>PESQUISAR NA BIBLIOGRAFIA DISPONÍVEL: Selecionando textos e páginas. </li></ul><ul><li>ESTUDAR METODICAMENTE AS PÁGINAS OU LIVROS ESCOLHIDOS: Selecionando as idéias que podem servir para a palestra. </li></ul>
  22. 22. COMO PREPARAR E PROFERIR UMA PALESTRA <ul><li>FORMULAR A IDÉIA MÃE: Definindo a abordagem que o tema receberá na exposição. </li></ul><ul><li>ESBOÇAR OU ESCREVER A PALESTRA: Prevendo INTRODUÇÃO, DESENVOLVIMENTO E CONCLUSÃO, tendo em vista a finalidade de cada uma dessas partes. </li></ul>
  23. 23. COMO PREPARAR E PROFERIR UMA PALESTRA <ul><li>CONCLUSÃO: Na conclusão é recomendável alguns destes recursos: Levantar uma reflexão, fazer uma citação, apelar para a ação, provocar o arrebatamento, aludir a ocasião, contar um fato histórico. </li></ul>
  24. 24. O ORADOR E A ATENÇÃO PARA: <ul><li>A EXPRESSÃO CORPORAL: A naturalidade do gesto: Posição das pernas, os movimentos das mãos, posição da cabeça, comunicação do semblante . </li></ul><ul><li>CONHECER O PÚBLICO QUE IRÁ OUVI-LO: Idade, sexo, níveis sociais e culturais, ambiente, acomodação e tamanho, expectativa, linha de pensamento e conhecimento do assunto. </li></ul>
  25. 25. O QUE O ORADOR NÃO DEVE FAZER <ul><li>Pedir desculpas ao auditório; contar piadas desinteressantes; fazer perguntas ao auditório; começar com palavras vazias, desprovidas de objetividade; firmar posição sobre assunto polêmico; usar chavões ou frases vulgares. </li></ul>
  26. 26. O QUE O ORADOR DEVE FAZER <ul><li>Aproveitar circunstâncias de lugar, de tempo e de pessoa; aludir à ocasião; fazer uma citação; dar uma informação que cause impacto no auditório; definir um termo, uma idéia, uma filosofia ou uma situação, cumprimentar o auditório (vocativo). </li></ul>
  27. 27. SÍNTESE <ul><li>1) Antes de iniciar sua apresentação, respire bem e procure deixar o corpo relaxado; </li></ul><ul><li>2) Pesquise, estude, enfim, prepare-se bem e com antecedência. É mais fácil ser convincente quando se domina o assunto; </li></ul><ul><li>3) Cumprimente a platéia; </li></ul>
  28. 28. SÍNTESE <ul><li>4)Transmita confiança aos seus ouvintes. Mostre firmeza e determinação. Fale com entusiasmo; </li></ul><ul><li>5) Não decore sua apresentação. Fale de forma espontânea; </li></ul><ul><li>6) Exponha o assunto de maneira clara e objetiva, sem repetições; </li></ul>
  29. 29. SÍNTESE <ul><ul><li>7) Ao elaborar sua apresentação, observe inicialmente o público que o assistirá. Escreva para ele e de acordo com ele; </li></ul></ul><ul><ul><li>8) Evite gírias, expressões vulgares, cacoetes e piadas; </li></ul></ul><ul><li>9) Não use termos que denotem intimidade com o público, tais como: meu coração, minha querida, dentre outros; </li></ul>
  30. 30. SÍNTESE <ul><li>10) Não perca a oportunidade de falar. A prática e o exercício é que lhe proporcionarão confiança. </li></ul>
  31. 31. BIBLIOGRAFIA <ul><li>BARBOSA, Osmar. A arte de falar em público. Rio de Janeiro: Tecnoprint, s.d. 296p. </li></ul><ul><li>BUENO, Silveira. A arte de falar em público. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1933. 222p. </li></ul><ul><li>POLITO, Reinaldo. Como falar corretamente e sem inibições 92. Ed. São Paulo: Saraiva, 238 p. </li></ul>

×