O poder da comunicação & oratória Por Julio Pascoal

362 visualizações

Publicada em

Participação no V Encontro de Líderes da Faculdade Joaquim Nabuco - Paulista - PE, material condensado com foco em apresentar técnicas de comunicação e oratória.

Publicada em: Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
362
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O poder da comunicação & oratória Por Julio Pascoal

  1. 1. O PODER DA COMUNICAÇÃO ORATÓRIA & Por Julio Pascoal
  2. 2. Olá!!! Sou Julio Pascoal, Consultor empresarial em Marketing e Desenvolvimento Humano, Prof. Universitário, Palestrante, Comentarista na CBN Recife pela Orbe Consultoria no quadro Pesquisa e Opinião.
  3. 3. PARA REFLETIR Falar bem é um dom que já nasce com a pessoa? 3
  4. 4. COMO FUNCIONA A COMUNICAÇÃO HUMANA? 4
  5. 5. Comunicação PALAVRA VOZ POSTURA CORPORAL 7% 38% 55% 5
  6. 6. 6
  7. 7. DICA Nº 1 Procure se comportar em frente ao público da MESMA maneira como age no dia-a-dia. 7
  8. 8. GRANDE ERRO: Quando ao usar a palavra em público, mudam sua forma de ser e começam a agir de maneira diferente... *Postura enrijecida; *Os gestos são mecânicos; *Olhar distante; *Voz com tom solene; *Vocabulário de dicionário... 8
  9. 9. Quanto mais você puder agir da maneira como se expressa quando está diante de pessoas que você sente-se confortável, mais seguro e confiante você se sentirá e muito melhor será a qualidade da sua 9
  10. 10.  Aumente o volume da sua voz;  Torne seus gestos e sua fisionomia mais expressivos;  Procure dar pausas mais acentuadas;  Aumente a energia e a disposição na sua ‘conversa’ à medida que a plateia se torna maior. pequenos AJUSTES... 10
  11. 11. Aproveite e explore suas melhores habilidades! DICA QUENTE 11
  12. 12. 12
  13. 13. Pessoas que ao aprenderem a USAR as suas FORÇAS, ou seja, o que já possuíam de melhor para fazer apresentações diante de plateias , SUPERARAM os seus desafios e passaram a ser mais FELIZES. 13
  14. 14. É o público quem decidirá os rumos que você deverá tomar. O que a platéia deseja ouvir? De que forma ela gostaria de vê-lo? CONHECENDO O PÚBLICO Você atingirá seus objetivos! 14
  15. 15. PREPARANDO O DISCURSO Inspiração ou preparo? Lançar-se de maneira aleatória diante do público, sem um planejamento previamente preparado para a composição do discurso, esperando que a inspiração possa lhe iluminar é um ato de irresponsabilidade. 15
  16. 16. Agradará ou não... Motivará a continuação ou não... É no início, logo nas primeiras palavras, que você deverá envolver o auditório, aguçando o interesse e a curiosidade dele. INTRODUÇÃO 16
  17. 17.  Tornar o auditório benevolente é transformá-lo em um amigo favorável às suas ideias e ao seu comportamento.  Conquistar a simpática dos ouvintes e fazê-los desejar que a sua apresentação seja um sucesso! 1. CONQUISTANDO A BENEVOLÊNCIA 17
  18. 18. Comece pelo sorriso: Se o assunto permitir, evidentemente, o sorriso será o primeiro passo importante para conquistar os ouvinte. Porém, deve ser um sorriso sincero, amigável, disponível, como se você encontrado um amigo muito querido. 18
  19. 19. ... BRINCAR com as próprias características físicas, inabilidades, defeitos ou erros cometidos é também uma forma eficiente de você conquistar os ouvintes, usando sua própria pessoa. 19
  20. 20. Elogie os ouvintes sinceramente: Esse é um dos recursos mais eficientes para conquistar a torcida da platéia. Todos os grupos possuem qualidades que poderão ser destacadas, bastará um pouco de atenção para descobrir. 20
  21. 21. O auditório estará dócil quando se desarmar de resistências, quando permitir que seja conduzido, guiado pelo caminho determinado por você. Esta conquista precisa acontecer no início da apresentação. 2. CONQUISTANDO A DOCILIDADE 21
  22. 22. Demonstre autoridade: A resistência do ouvinte poderá ocorrer principalmente quando ele não souber ou tiver dúvidas a respeito de suas qualificações para tratar o assunto. 22
  23. 23. Estabelecer identidade: Demonstre que há entre você e o público algum tipo de identidade: mencionar alguém presente que você conheça, faça referência ao prédio do evento, ao bairro, a cidade, um fato que esteja ocorrendo ou que possa ocorrer e que também seja conhecido da plateia... 23
  24. 24. Uma frase de impacto: Especialmente quando os ouvintes estiverem pouco envolvido. Como se fosse uma manchete de jornal! 3. CONQUISTANDO A ATENÇÃO 24
  25. 25. Um fato bem humorado: Aproveite uma informação que nasça do contexto da mensagem ou do próprio ambiente onde fará a apresentação, exagere na maneira de transmiti-la e transforme-a num fato bem humorado. 25
  26. 26. Pedir desculpas (problemas de saúde, falta de preparo); Contar piadas (engraçada e sem graça); Começar com palavras vazias (Bom, bem, ai, então); Fazer perguntas ao auditório; Usar chavões (Quem entra na chuva é pra se molhar). O QUE EVITAR NUMA INTRODUÇÃO 26
  27. 27. A CONFIRMAÇÃO: É aqui que você deverá reunir todos os seus esforços e utilizar toda a sua capacidade para convencer ou persuadir os ouvintes. => Primeiro os elementos lógicos, destinados a convencer por meio das razões e do raciocínio; => Em seguida, os morais, aqueles destinados a persuadir pela emoção; provocando os sentimentos. O ASSUNTO CENTRAL 27
  28. 28. Falará com mais vibração, imprimirá um ritmo mais acentuado na pronúncia das palavras e aumentará a intensidade da voz (sem exagero), um pouco mais alto do que o volume anterior. CONCLUSÃO 28
  29. 29. Reafirmará os principais pontos da argumentação, valorizando o conteúdo da mensagem e afastando eventuais indisposições na plateia. Levará os ouvintes à reflexão, tratará de persuadi-los e orientá-los para a ação. Colocará todo o vigor e competência a fim de comover e convencer o público. 29
  30. 30. Recapitulação & Epílogo ELEMENTOS DA CONCLUSÃO 30
  31. 31. Vídeos 31
  32. 32. Gestão do tempo 32
  33. 33. Para que os ouvintes compreendam melhor a mensagem e guarde as informações por muito mais tempo. Quando utilizados de forma apropriada, facilitam a boa ordenação da mensagem e permitem ao palestrante apresentar as informações em seqüência coerente e destacar os tópicos mais relevantes. 33
  34. 34. Alguns estudos mostram que, se transmitirmos a mensagem apenas verbalmente, depois de 3 dias os ouvintes irão se lembrar apenas de 10% do que falamos. Entretanto, se essa mesma mensagem for apoiada por um recurso audiovisual, no final do mesmo período os ouvinte recordarão 65% do que foi comunicado. 34
  35. 35. Cada um deverá se valer do recurso com o qual se sinta mais à vontade. Lógico que, se você puder falar com a as mãos livres, sem segurar nenhum objeto, sua apresentação provavelmente será muito mais eficaz. OBJETOS NA MÃO 35
  36. 36. A ordem utilizada para preparar uma apresentação é diferente da seqüência da exposição. Vamos observar algumas regrinhas que ajudam a planejar desde uma simples conversa até uma apresentação importante de uma conferência. COMO MONTAR UMA APRESENTAÇÃO? 36
  37. 37. * Não comece pelo começo: 1.Identifique o assunto; 2.Descubra os objetivos; 3.Facilite o entendimento dos ouvintes; 4.Prepare a conclusão e a introdução. Para ajudar 37
  38. 38. ObrigadoObrigado Julio Pascoal - Palestrante falecom@juliopascoal.com.br 38 Juliopascoal.com.br
  39. 39. 39

×