Lição 9ª Comportamento no culto público

2.467 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.467
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
44
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lição 9ª Comportamento no culto público

  1. 1. I P ZONA SUL<br />Professor: Rev. Joab Barbosa<br />
  2. 2. Estudos Bíblicos 1Coríntios<br />9º Lição<br />Comportamento no Culto Público.<br />
  3. 3. Texto Básico: I Coríntios 11.2-34<br />
  4. 4. Objetivo <br />Participar de forma adequada do culto público<br />
  5. 5. Introdução<br />A adoração a DEUS sempre foi , alvo das inovações e deturpações do homem.Entendemos que a Bíblia estabelece a maneira como DEUS quer ser adorado. A Bíblia regulamenta o culto, na sua forma e no seu conteúdo .<br />Qualquer culto elaborado por conta própria e que não esteja de acordo com as normas de DEUS é falso e inaceitável a DEUS. ( Êx 20.1-6; Dt 6.13-15).<br />
  6. 6. Em 1 Coríntios , capítulos 11-14,Paulo instrui a igreja de Corinto acerca do procedimento adequado no culto público :<br />O homem e a mulher no culto , a celebração correta da Ceia do Senhor (11) e o uso correto dos dons espirituais (12-14)<br />
  7. 7. 1. A Mulher no Culto (1Co 11.1-16)<br />Paulo inicia elogiando: De fato eu vos louvo porque , em tudo , vos lembrais de mim, e retendes as tradições assim como vo-las entreguei(v.1) . Ele fica feliz por dois motivos:<br />Os crentes de Corinto queria ouvir sua opinião acerca de assuntos tão dificeis; e eles mantinham os preceitos espirituais ensinados pelo apostolo. A palavra “tradição”<br />Indica doutrina e ordenança (2 Ts 2.15). Paulo nos ensina que toda pessoa tem defeitos que precisam ser trabalhados e virtudes que precisam ser elogiadas.<br />
  8. 8. Por serem livres em Cristo , algumas mulheres na igreja de Corinto , desejavam exercer autoridade espiritual na igreja , com igualdade aos homens. E a melhor maneira seria abolindo o uso do véu pelas mulheres no culto público . Paulo apresenta alguns princípios espirituais necessários para orientação da igreja . Ele quer que as mulheres respeitem o costume cultural do véu o princípio da ordem da criação de DEUS<br />
  9. 9. O princípio da autoridade<br />Paulo começa com um princípio fundamental:<br /> Quero, entretanto, que saibais ser Cristo o cabeça de todo homem, e o homem, o cabeça da mulher , e DEUS o cabeça de Cristo (v.3). A palavra “cabeça” aparece 17 vezes nos escritos de Paulo , com 2 significados principais : “fonte ou origem da vida “(Cl1.18;2.19;Ef 4.15) e “ autoridade”. Aqui o melhor significado é o de autoridade :<br />
  10. 10. Cristo tem autoridade sobre o homem, o homem sobre a mulher e Deus sobre Cristo(Ef 5.22,23).<br /> A ênfase de Paulo sobre autoridade não significa “superioridade” ou tão pouco “ tratar o outro com inferioridade “. <br /> Ao se submeter á autoridade do marido , a mulher não se torna inferior , assim como Jesus , o filho , não se torna inferior ao se submeter á autoridade do Pai.<br /> Homem e mulher são iguais perante DEUS, Porém com papéis e responsabilidades diferentes na criação e na igreja <br />
  11. 11. O princípio cultural <br /> O véu era um símbolo cultural , que quando usado pela mulher , indicava a sua submissão á autoridade do seu marido. O véu era um sinal de autoridade (v.10).Paulo conhece que o homem e a mulher tem direitos iguais quanto a justificação pela fé (Gl 3.28). Não há restrição racial, sexual , social para alguém receber salvação em Cristo. O que Paulo orienta aqui é que a mulher pode até orar e profetizar na igreja ,durante o culto, contanto que ela use o véu, para ficar evidente que ela esta sob a autoridade do marido . O véu , na cultura na época simbolizava esta submissão.<br />
  12. 12. O princípio da Criação <br />Paulo baseia o seu ensino da submissão da mulher á<br />autoridade do marido na narrativa da criação (Gn 2.18-24).<br />Ele usa 5 argumentos :<br />O homem é a imagem e a glória de DEUS e a mulher a glória do homem, mas não a sua imagem(v.7).<br />A mulher foi feita do homem . Deus anestesiou o homem e de uma das suas costelas fez a mulher : E a costela que o SENHOR Deus tomara ao homem, transformou-a numa mulher e lha trouxe (Gn 2.22).<br />
  13. 13. Continuando...<br />(3) A mulher foi feita para ou por causa do homem . “ Quando Deus criou Eva com auxiliadora de Adão , ele deu a ela um papel de apoio e submissão (Gn 2.18)” (Simon Kistermaker).<br />(4) A mulher e o homem são interdependentes (vv.11;12). Mesmo sendo o homem criado primeiro , a mulher sendo criada por causa do homem , e ainda que o homem seja o cabeça da mulher , ele depende dela e ela depende dele em muitas coisas. Foi Deus quem fez assim e é ELE quer que assim: Tudo vem de DEUS.<br />
  14. 14. (5) A própria natureza sexual ensina homens e mulheres são diferentes e estas diferenças devem ser mostradas na maneira de se trajar e no corte do seu cabelo (vv.13-15).<br /> A aparência não deve pôr em dúvida a identidade sexual de uma pessoa.<br />
  15. 15. O Princípio da Unidade da Igreja .<br /> Paulo declara: Contudo, se alguém quer ser contencioso (duvidoso, Incerto), saiba que não temos tal costume, nem as igrejas de DEUS (v.16). Ele declara que nem os apóstolos e nem as igrejas de DEUS ( outras igrejas locais) tem enfrentado este problema do véu . Este não era um assunto que deveria gerar discussões , mas ser resolvido em paz. O culto deve ser realizado com decência e ordem (1Co 14.40),porque DEUS não é de confusão e sim de paz( 1Co 14.33,34).<br />
  16. 16. Paulo encerra dizendo :<br />Estas coisas lhe sobrevieram como exemplo e foram escritas para advertência nossa ,de nós outros sobre quem os fins dos séculos têm chegado.<br />Aquele ,pois , que pensa estar em pé veja que não caia .Não sobreveio tentação que não humana, mas DEUS é fiel e não permitira que sejais tentados além das vossas forças;pelo contrario, juntamente com tentação vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar(vv.11-13) <br />
  17. 17. 3.Usando Bem a Nossa Liberdade(1 Co 10. 14-22) <br />Paulo retorna ao assunto da idolatria ou da comida a sacrificada aos ídolos.(v.14).<br />Ele ordena que os crentes fiquem longe dos templos pagãos e de suas festas religiosas. O argumento que Paulo usa é o da comunhão: Não podeis beber do cálice do Senhor e o cálice dos demônios (V.21).<br />Na igreja somos um corpo. Temos comunhão com DEUS e uns com os outros . Manifestamos essa comunhão através da Ceia do Senhor . O mesmo se aplica á adoração pagã , na qual os sacrificios são oferecidos aos demônios .<br />
  18. 18. Logo não devemos participar das festas religiosas num templo pagão , pois se o fizermos, adoraremos a demônios.<br />Não podemos servir a dois senhores! (Mt 6.24). E que acontecerá se um crente ,por se julgar “forte”,insistir em participar dos cultos pagãos?<br />Paulo é claro: despertará o ciúme e o zelo do Senhor (Êx20.5; Dt32.16; Os 2.2).<br />
  19. 19. Paulo encerra seu ensino sobre liberdade cristã<br />apresentando alguns principios que nos ajudará<br />a usar bem a nossa liberdade cristã:<br />Faça tudo aquilo que é proveitoso e edifica espiritualidade. <br />Todas as coisas são licitas mas nem todas convêm ;todas são licitas, mas nem todas edificam (v.23).<br />Faça tudo sempre buscando o bem da outra pessoa.<br />Ninguém busque o seu próprio interesse , e sim o de outrem (v.24).<br />Faça tudo para a glória de DEUS.<br />Portanto quer comais ,quer bebais ou façais outra coisa qualquer , fazei tudo para a glória de DEUS (v.31).<br />
  20. 20. Faça tudo sem ofender a igreja e visando a salvação do incrédulo.<br />Não vos torneis causa de tropeços nem para judeus ,nem para gentios , nem tampouco para a igreja de DEUS, assim, como também procuro, em tudo, ser agradáveis a todos , não buscando meu próprio interesse , mas o de muitos , para que sejamos salvos (vv.32,33).<br />Faça tudo imitando aqueles que imitam a Jesus Cristo.<br />Sede meu imitadores , como também eu sou de Cristo (1 Co 11.1) <br /> fim<br />
  21. 21. Fim da 8ª Aula.<br />

×