O Significado do Casamento e Preparação para o Casamento Comunitário

3.653 visualizações

Publicada em

Palestra apresentada na Base Comunitária de Segurança do Parque Panamericano de Jaraguá para os casais.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.653
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
66
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Significado do Casamento e Preparação para o Casamento Comunitário

  1. 1. PROJETO CASAMENTO COMUNITÁRIO Secretária Estadual dos Negócios da Segurança Pública Polícia Militar do Estado de São Paulo 18º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano de SP 4ª Companhia de Polícia Militar Base Comunitária de Segurança Pq Panamericano Secretaria da Justiça e Defesa da Cidadania Cartório de Registro do Jaraguá Centro de Integração e Cidadania - Oeste 26 de Outubro de 2013
  2. 2. OBJETIVO Fortalecimento familiar Sono dos casais da realização do casamento no civil. Legalização do relacionamento e união estável. Regularização da situação civil perante a sociedade. Não permitir condições favoráveis a criminalidade. Prevenir as condições de violência
  3. 3. ASSOCIAÇÃO DAS FAMÍLIAS PARA UNIFICAÇÃO E PAZ MUNDIAL Os valores cultivados pela AFUPM contribuem para o fortalecimento da família, que é o alicerce para uma sociedade moral, uma nação harmoniosa e um mundo pacífico. E dessa forma, incentivando os casais a praticar a fidelidade conjugal e, como pais, ter total responsabilidade pela educação dos filhos, orientando-os para uma vida de bem, seguindo o caminho de Deus.
  4. 4.  Casamento ou matrimônio é uma “Aliança” estabelecida entre um homem e uma mulher, mediante o reconhecimento governamental, religioso ou social e que pressupõe um comprometimento.
  5. 5.  Casamento Religioso  Casamento Civil
  6. 6. PENSE NISSO! 6
  7. 7. O PROPÓSITO E A MISSÃO DO CASAMENTO, COMO DEUS DESIGNOU  Oferecer alegria a Deus. É importante apreciar a missão do casamento como um plano de Deus.  Propiciar companhia para o outro. Um dos propósitos fundamentais do casamento é a companhia [...] (Gn 2.18; Sl 68.8).  Servir um ao outro. Não somente não era bom que o homem estivesse só, mas ele precisava de uma auxiliar. A intenção do casamento é criar companheiros que satisfaçam as necessidades, um do outro. 7
  8. 8. O PROPÓSITO E A MISSÃO DO CASAMENTO, COMO DEUS DESIGNOU  Procriar uma descendência devota. Quando Deus criou o primeiro homem e a primeira mulher, Ele lhes ordenou que fossem frutíferos que se multiplicassem e povoassem a terra. Mas a missão de ter filhos vai além do ato físico de ter bebês. Ela pede que as crianças tenham uma criação devota, providenciar uma atmosfera ideal, amorosa e carinhosa, para se fazer isso.  Criar a unidade básica de trabalho e serviço. Os casais devem servir a Deus juntos, criar filhos devotos, manter a casa e servir na comunidade... 8
  9. 9.  Nunca a família foi tão desafiada pelos problemas como hoje. Porém, é na preparação, qualificação e na capacitação que a família garantirá a vitória sobre os desafios da sociedade atual. 9
  10. 10. UMA PERGUNTA “Quais são as características de um casamento bem-sucedido?"
  11. 11. I. A VONTADE DE DEUS PARA O CASAMENTO  O Criador ordenou, logo no princípio, que o homem deixasse pai e mãe e se unisse à sua mulher, para que ambos fossem "uma carne" (Gn 2.24).  É a vontade de Deus para todas as pessoas, crentes ou não: que a humanidade cresça e, através da união legítima entre um homem e uma mulher, multiplique-se. 11 1. Um plano global.
  12. 12. I. A VONTADE DE DEUS PARA O CASAMENTO a) A Paz de Deus no coração. Um dos sinais da aprovação divina quanto ao que fazemos, ou pretendemos fazer, é o sentimento de paz interior, que nos domina os pensamentos e as emoções (Cl 3.15). 12 2. Os indicadores da vontade de Deus.
  13. 13. I. A VONTADE DE DEUS PARA O CASAMENTO b) O comportamento pessoal. Se alguém não honra os pais, como honrará o seu cônjuge? Se o noivo não respeita a noiva, demonstrando um ciúme a ponto de não lhe permitir que converse até mesmo com pessoas da própria família, isso evidencia claramente que ele está fora da aprovação divina. 13 2. Os indicadores da vontade de Deus.
  14. 14. I. A VONTADE DE DEUS PARA O CASAMENTO c) Naturalidade. Quando o relacionamento é da vontade divina: 1. Um sente amor pelo outro, 2. Sente falta do outro, 3. Considera o outro, 4. Demonstra afeto pelo outro. tudo flui naturalmente. 5. Além disso, os pais aprovam o namoro e 6. A comunidade o reconhece. Estes indicativos realçam que Deus está de acordo com esta união. 14 2. Os indicadores da vontade de Deus.
  15. 15. II. O AMOR VERDADEIRO NO CASAMENTO  O amor à esposa, ordenado pelas Escrituras, deve ser o mais elevado possível. É semelhante ao amor de Jesus ou outro fundador de religião. É um amor sublime e sem igual que vem do Criador. 15 1. O dever primordial do casal.
  16. 16. II. O AMOR VERDADEIRO NO CASAMENTO  O apóstolo Paulo ensina: "O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher, ao marido" (1Co 7.3). Isto quer dizer igualdade e reciprocidade no casamento; marido e mulher são iguais nos haveres de um para com o outro. Isso exige do casal: 1. União de pensamentos, 2. União de sentimentos e 3. União de propósitos. 16 Pr. Moi sés Sam paio de Paul a 2. O amor gera união plena.
  17. 17. III. A FIDELIDADE CONJUGAL 17 Pr. Moi sés Sam paio de Paul a O verdadeiro padrão do amor conjugal que deve ser seguido por todos, é o mesmo independente da religião, da cultura, da etnia e raça. 1. Fator indispensável à estabilidade no casamento. 2. Cuidado com os falsos padrões.
  18. 18. III. A FIDELIDADE CONJUGAL • A fidelidade : 1. Proporcionar segurança espiritual e emocional, 2. É indispensável ao bom relacionamento conjugal. 18 1. Fator indispensável à estabilidade no casamento. Sem fidelidade, o casamento desaba. As estruturas do matrimônio não foram preparadas para suportar o peso da infidelidade, cujos efeitos sobre toda a família são devastadores.
  19. 19. BENEFÍCIOS DA FIDELIDADE CONJUGAL  Cria confiança e no casamento. O marido não precisa se preocupar com a fidelidade de sua esposa, nem a esposa precisa se preocupar com a lealdade do marido, pois seu compromisso um com o outro é aberto e óbvio.. 19
  20. 20. BENEFÍCIOS DA FIDELIDADE CONJUGAL  Cria segurança no casamento. Segurança vem de confiança e permanência. Quando uma pessoa duvida se seu relacionamento com uma outra pessoa é forte e permanente, ela se sente insegura. 20
  21. 21. BENEFÍCIOS DA FIDELIDADE CONJUGAL  Cria estabilidade no casamento. Agora vem um relacionamento seguro e duradouro com um único parceiro. • A fidelidade constrói um alicerce sólido como a base do casamento. Sem esse alicerce, nenhuma família de qualidade será construída. 21
  22. 22. III. A FIDELIDADE CONJUGAL  O amor que se vê nos filmes, novelas e revistas seculares está longe de preencher os requisitos do Ideal de Deus. É falso e pecaminoso. 22 Pr. Moi sés Sam paio de Paul a 2. Cuidado com os falsos padrões.
  23. 23. III. A FIDELIDADE CONJUGAL  Nas Escrituras Sagradas, o casamento é uma aliança que deve perdurar para sempre.  Não é um "contrato" com prazo de validade,  mas uma união perene, cuja fidelidade é um dos elementos indispensáveis para que os cônjuges sejam felizes. 23 2. Cuidado com os falsos padrões.
  24. 24. DEVERES CONJUGAIS DO CASAMENTO  Dever do respeito, que se traduz na obrigação de cada um dos cônjuges de não ofender física ou moralmente o outro cônjuge, de portanto, não agredir com palavras injúrias, difamação ou até com atos – agressões, escravizar o outro cônjuge.  Dever de fidelidade, que implica que os cônjuges só entre eles tenham relações sexuais, proibindo, portanto que cada um dos cônjuges tenha com outros parceiros relações amorosas. 24
  25. 25. DEVERES CONJUGAIS DO CASAMENTO  Dever de coabitação, a obrigação de os cônjuges viverem em comunhão, compartilhando a mesma casa e o mesmo leito.  Dever de cooperação, que impõe aos cônjuges por um lado , a obrigação de socorro e auxílio mútuos e , por outro lado , a obrigação de assumirem em conjunto a responsabilidade inerente á vida da família que fundaram.  Dever de assistência, que atribui a cada um dos cônjuges por um lado a obrigação de prestar alimentos e por outro lado a obrigação de contribuir para contribuir para os encargos da vida familiar. 25
  26. 26. PENSE NISSO! • A família é a mais importante instituição criada por Deus para a sociedade. Pr. Mo 26
  27. 27. III. A QUEDA E AS SUAS CONSEQUÊNCIAS PARA A FAMÍLIA  Adão e Eva poderiam ter recusado a sugestão do Diabo, mas não o fizeram, e depois de pecarem, caíram da proteção divina.  Porém, Deus é soberano e Senhor, e seus propósitos jamais serão frustrados (Jó 42.2). Da semente da mulher nasceria o Messias, aquEle que esmagaria Satanás (Gn 3.15). 27 1. O ataque do Inimigo. Isso nos mostra que a família, desde a sua instituição, foi alvo dos ataques do Inimigo. Satanás fez de tudo para que o propósito de Deus para as famílias fosse destruído.
  28. 28. II.A QUEDA E AS SUAS CONSEQUÊNCIAS PARA A FAMÍLIA  O pecado sempre faz o relacionamento familiar adoecer.  Há muitos lares doentes, onde a família deixou há muito tempo de ser um local de acolhimento, proteção e cuidado.  Essas transgressões causam culpa e separam as famílias da comunhão com Deus. 28 2. Os resultados da Queda no relacionamento familiar.
  29. 29. III. A QUEDA E AS SUAS CONSEQUÊNCIAS PARA A FAMÍLIA • Depois da Queda a vida familiar já não seria mais a mesma. 1. A mulher teria filhos com muita dor (Gn 3.16) e o seu desejo, ou seja, sua vontade estaria submetida à vontade de seu marido. 2. Adão deveria comer agora seu pão diário com dores, pois o trabalho de arar a terra para ter sua subsistência garantida seria bem difícil (Gn 3.17). 3. A terra também foi afetada pelo pecado, produzindo espinhos e cardos (Gn 3.18). 4. A morte espiritual também é uma consequência da transgressão do homem (Gn 3.19). 5. Como punição pela desobediência, Adão e Eva, foram expulsos do Jardim do Éden (Gn 3.20-24). 29 3. A vida familiar depois da Queda.
  30. 30. Sem alcançar a paz, o amor e a felicidade em nossos lares, não existirá esperança de criar paz, amor e felicidade na sociedade, na nação e no mundo. A família é a unidade fundamental e o elemento indispensável na construção de qualquer sociedade.
  31. 31. Família: Escola do Amor • Local para nutrir o coração e o caráter, aprendendo as virtudes • Primeiro lugar de treinamento para as relações com os outros
  32. 32. Pessoas conscienciosas valorizam a Família (Casamento de 30.000 Casais em 25/08/1992, no Estádio Olímpico de Seul- com representantes de 131 Nações)
  33. 33. Agradecimento ao Pr Moíses Sampaio Assembléia de Deus em Rio Branco Para as Lições sobre a Vontade de Deus sobre o Casamento www.familias.com.br
  34. 34. Muito Obrigado por sua participação!

×