O stress é social

1.431 visualizações

Publicada em

Análise do capítulo 16, "O stress é social" da obra de Daniel Goleman "Inteligência Social".
Grupo e-spectaculares

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.431
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
42
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O stress é social

  1. 1. Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa Mestrado em Gestão de Sistemas de e-Learning Gestão de Comunidades Virtuais de Aprendentes Capítulo 16 O STRESS É SOCIAL Dezembro, 2010 Do livro Inteligência Social de Daniel Goleman
  2. 2. “ Qual o impacte de factores epigenéticos «suaves», como os relacionamentos , na nossa saúde ”? (Goleman, 2006) ) O stress é social
  3. 3. De acordo com Goleman, os relacionamentos que temos podem ser fontes de angústia ou alegria. A forma como estes relacionamentos acontecem, o “ tom emocional ”, influencia significativamente o nosso bem estar físico e consequentemente a nossa saúde. O stress é social
  4. 4. “ ” Os relacionamentos são espadas de dois gumes: tanto podem proteger-nos da doença como intensificar os estragos da idade e da falta de saúde ” (Goleman, 2006). O stress é social
  5. 5. Os principais sistemas biológicos responsáveis pela acção stress/saúde são o sistema nervoso simpático (SNS) e o eixo hipotálamo-pituitária-adrena (HPA). Aquando uma perturbação estes sistemas segregam hormonas como forma de nos preparar para “a ameaça”. O stress é social
  6. 6. Vários estudos comprovam que os relacionamentos tóxicos , durante períodos prolongados de tempo, podem afectar negativamente a saúde física acelerando a manifestação de doenças e agravando os sintomas das mesmas. Em concordância com Goleman, Cortez e Silva (2007) afirmam: “As reacções cognitivas, emocionais, comportamentais e orgânicas que se desenvolvem podem-se tornar patogénicas”. O stress é social
  7. 7. O exemplo de trabalhadores subordinados expostos prolongadamente ao tratamento pouco amigável do chefe ou que reprimem a ira perante insultos sucessivos estão mais propensos a doenças cardiovasculares , provadas que estão as subidas da pressão arterial. Ao longo dos anos tem, inevitavelmente, efeitos na saúde. O stress é social
  8. 8. O cérebro social interpreta a malícia acidental e intencional, o que provoca respostas biológicas de reacção ao stress também diferentes, mais profundas quando sentimos um ataque pessoal, crítica ou julgamento de terceiros do que quando somos alvo de “falha” acidental. Segundo dados de um estudo norte-americano, o maior medo dos inquiridos, em 41% das respostas, é o medo de falar em público. Quando nos sentimos julgados, os níveis de stress sobem mais quando comparado com traumas que sentimos como impessoais. O stress é social
  9. 9. Inversamente, relacionamentos saudáveis podem influenciar positivamente a saúde . Citado por Goleman, Cohen comprovou que “conexões sociais vibrantes promovem os estados de espírito positivos e limitam os negativos” (Goleman,2006); O stress é social
  10. 10. Através de Davidson e do estudo da Classe 57 acrescenta ainda que “um historial de relacionamentos saudáveis e estáveis (...) dá à pessoa os recursos interiores necessários para recuperar de problemas e perdas emocionais”. O stress é social
  11. 11. Goleman aponta ainda o estudo de Janice Kiecolt-Glaser e Ronal Glaser com prestadores de cuidados de saúde: “ o stress contínuo da prestação constante de cuidados num estado de isolamento social afecta o controlo do cérebro sobre o eixo do HPA, o que por sua vez enfraquece a capacidade dos genes do sistema imunológico .” O stress é social
  12. 12. Acreditamos, porém, que não serão apenas os prestadores de cuidados de saúde que estão susceptíveis. Também na profissão docente há evidências dos efeitos negativos do stress . Sugerimos a leitura do artigo: A. Rui Gomes, et al (2006) Problemas e desafios no exercício da actividade docente: Um estudo sobre o stresse, "burnout", saúde física e satisfação profissional em professores do 3º ciclo e ensino secundário. http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/5619/1/SO-Revista%20Portuguesa%20de%20Educa%c3%a7%c3%a3o.pdf O stress é social
  13. 13. Diversos estudos referem que uma elevada percentagem de professores considera sentir níveis significativos de pressão profissional e stress . Rui Gomes, et al. (2006) apontam os factores que conduzem ao mal-estar dos professores: 1) Gestão da sala de aula (ex: turmas grandes, alunos desmotivados, maus comportamentos, etc.); 2) Pressões externas ao desempenho profissional (ex: falta de tempo para cumprir os programas, peso e importância do trabalho burocrático); 3) Questões relacionadas com a carreira profissional (ex: falta de reconhecimento por um bom ensino). O stress é social
  14. 14. De acordo com G omes, et al. “o aspecto mais significativo dos resultados agora encontrados prende-se com o facto de se tornar claro que os problemas associados aos alunos (...) constituírem a grande dificuldade dos professores .” O stress é social
  15. 15. Em concordância com Goleman, são as situações de julgamento de terceiros que mais afectam os professores, agravada pela exposição prolongada: “ao nível dos factores de stresse é de realçar o facto do grupo de professores com mais experiência de trabalho (mais de nove anos) percepcionar mais problemas(...)” (Gomes et al., 2006) O stress é social
  16. 16. Os autores do estudo sugerem que será determinante desenvolver estratégias de apoio aos professores nas escolas e nos locais de formação inicial e contínua. Estratégias que devem ser devidamente enquadradas no contexto da escola, da comunidade e meio envolvente. O stress é social
  17. 17. Também nas relações profissionais é importante o desenvolvimento de estratégias que melhorem a nossa Resiliência , a capacidade de lidar e superar problemas e obstáculos sem entrar em colapso psicológico e/ou físico. Um indivíduo com historial de relacionamentos saudáveis, estáveis tem, à partida, os recursos interiores necessários para recuperar de problemas emocionais (Davidson in Goleman, 2006) O stress é social
  18. 18. <ul><li>Artigo seleccionado: </li></ul><ul><li>Rui Gomes , et al (2006), Problemas e desafios no exercício da actividade docente: Um estudo sobre o stresse, &quot;burnout&quot;, saúde física e satisfação profissional em professores do 3º ciclo e ensino secundário Revista Portuguesa de Educação, 2006, 19(1), pp. 67-93 </li></ul><ul><li>http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/5619/1/SO-Revista%20Portuguesa%20de%20Educa%c3%a7%c3%a3o.pdf </li></ul><ul><li>Artigo citado: Cortez e Silva (2007), Implicações do estresse sobre a saúde e a doença mental, Arquivos Catarinenses de Medicina Vol. 36, n.4, 2007 </li></ul><ul><li>http://www.acm.org.br/revista/pdf/artigos/527.pdf </li></ul>
  19. 19. Os e-spectaculares: Ana Luzia Mira Diana Caldeirinha Catarina Andrade Luís Matos Meritxell Fernández Nunes Nuno Martins

×