6802897 aula-nervos-cranianos

1.308 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.308
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

6802897 aula-nervos-cranianos

  1. 1. Nervos cranianos
  2. 2. Nervos cranianos Motores – oculomotor(III), troclear(IV), abducente(VI), acessório(espinhal, XI), hipoglosso(XII). Sensitivos – olfactivo(I), óptico(II) e vestibulococlear(VIII). Sensitivo motores – trigémio(V), facial(VII), glossofaríngeo(IX), vago (pneumogástrico,X).
  3. 3. Componentes Funcionais dos Nervos Cranianos Fibras Aferentes Somáticas gerais: provenientes da pele (sensações gerais) Somáticas especiais: olho, ouvido (visão, audição, equilíbrio) Viscerais gerais: origem nas vísceras Viscerais especiais: olfacto e gosto Fibras Eferentes Somáticas gerais: enervam os músculos esqueléticos derivados dos sómitas Viscerais gerais: enervam músculos lisos e glândulas (Parassimpático) Viscerais especiais: músculos esqueléticos derivados dos arcos branqueais (músculos relacionados com funções viscerais)
  4. 4. Organização colunar nuclear rostrorostrocaudal Eferente somáticos (N. motores do III, IV,VI e XII) Eferentes viscerais: Especiais : N. motores do V e VII; N.ambíguo (IX e X) Gerais: N. Edinger Westphal (III); N salivar superior e inferior (VII e IX); N. dorsal do X Aferentes viscerais (especiais e gerais) : N. do feixe solitário (VII,IX e X) Aferente somática: Gerais -N sensitivos do trigémio (V, VII,IX,X); Especiais - N cocleares e vestibulares
  5. 5. Gânglios Sensitivos: na raiz posterior dos nervos espinhais e em alguns pares cranianos (V,VII,VIII,IX e X) Autonómicos: no percurso das fibras eferentes do SNA
  6. 6. Nervos cranianos (I e II) Número Nome Componentes Função Abertura no cranio I Olfactivo Sensitivo Olfacto Aberturas na placa cribriforme do etmoide II Óptico Sensitivo Visão Canal óptico
  7. 7. Nervo olfactivo
  8. 8. Nervo olfactivo Os nervos olfactivos originamoriginamse de células nervosas receptoras na mucosa olfactiva. Cada célula olfactiva receptora corresponde a uma pequena célula bipolar. O processo periférico dá origem aos cílios olfactivos. O processo nervoso central forma as fibras nervosas olfactivas que atravessam a lâmina crivosa do etmóide e entram no bolbo olfactivo
  9. 9. Nervo olfactivo A partir do bolbo as células aí existentes (mitrais e outras) enviam axónios que formam o tracto olfactivo. Ao atingir a substância perfurada anterior o tracto dividedivide-se numa estria medial e numa estria lateral. A estria lateral transporta os axónios até à área olfactiva do córtex localizada nas zona periamigdalina e prepiriforme. A estria medial leva axónios ao bolbo olfactivo contralateral através da comissura anterior
  10. 10. Nervo olfactivo As áreas periamigdaloide e prepiriforme constituem o cortex olfactivo primário. A área entorrinal que recebe numerosas projecções do córtex olfactivo primário constitui o córtex olfactivo secundário A via olfactiva não faz sinapse nos núcleos talámicos A via olfactiva envia fibras nervosas a várias zonas do SNC influenciando a resposta emocional e autonómica às sensações olfactivas.
  11. 11. Nervos cranianos (I e II) Número Nome Componentes Função Abertura no cranio I Olfactivo Sensitivo Olfacto Aberturas na placa cribiforme do etmoide II Óptico Sensitivo Visão Canal óptico
  12. 12. Nervo óptico Fibras ópticas originam-se nas células ganglionares da originamretina. Quiasma óptico: as fibras da metade nasal da retina cruzam; as da metade temporal entram na fita óptica ipsilateralmente. A fita óptica dirige-se posteriormente, rodeando os dirigepedúnculos cerebrais: as fibras fazem sinapse no corpo geniculado lateral, algumas dirigem-se para o colículo dirigemsuperior (N. pretectal) A radiação óptica dirige-se posteriormente na cápsula dirigeinterna (porção retrolenticular) e termina no córtex visual (adjacente ao sulco calcarino)
  13. 13. Nervos cranianos (III, IV, VI) Número Nome Componentes Função Abertura no cranio III Oculomotor (Motor ocular comum) Motor Levanta a palpebra superior, roda o globo ocular para cima, para baixo e medialmente. Contrai a pupila , auxilia na acomodação (parassimpatico - N. Edinger Westphal ). Fissura orbital superior IV Troclear (patético) Motor Músculo obliquo superior, ajuda a rodar o globo ocular para baixo e lateralmente Fissura orbital superior VI Abducente (motor ocular externo) Motor Músculo recto lateral, roda o olho para fora Fissura orbital superior
  14. 14. Seio Cavernoso
  15. 15. Reflexo Pupilar à luz
  16. 16. Fascículo longitudinal medial
  17. 17. Nervo trigémio (V) Número Nome Componentes Função Abertura no cranio V Trigémio Divisão oftálmica Sensitiva Córnea, pela da fronte, escalpe, palpebras e nariz. Também das membranas mucosas dos seios perinasais e cavidade nasal Fissura orbital superior Divisão maxilar Sensitiva Pele da face sobre a maxila, dentes superiores, membranas mucosas do nariz, seios maxilares e palato. Buraco redondo Divisão mandibular Motora Músculos da mastigação, milohioide, ventre anterior do digástrico, tensor do véu do paladar e tensor do tímpano Buraco oval Sensitiva Pele da bochecha, pele sobre a mandíbula e face lateral da cabeça, dentes da mandíbula, articulação temporomandibular, membrana mucosa da boca e parte anterior da língua Buraco oval
  18. 18. Nervo trigémio
  19. 19. Nervo trigémio O trigémio é o maior dos nervos cranianos e contem fibras nervosas sensitivas e motoras. É o nervo sensitivo de grande parte da cabeça e o nervo motor de alguns músculos importantes como os da mastigação.
  20. 20. Nervo trigémio (Núcleos) Núcleo sensitivo principal. LocalizaLocaliza-se na parte posterior da ponte sendo contínuo com o núcleo espinhal Núcleo espinhal. EstendeEstende-se por toda a altura do bolbo até C2 na medula espinhal Núcleo mesencefálico. É formado por uma coluna de células unipolares que se localizam na porção lateral da substância cinzenta que rodeia o aqueduto cerebral. Núcleo motor. LocalizaLocaliza-se na ponte em posição medial ao núcleo sensitivo principal.
  21. 21. Nervo trigémio Componente sensitivo Gânglio semi-lunar ou de semiGasser: corpos celulares das fibras da dor e temperatura, tacto e pressão. As fibras da sensibilidade proprioceptiva têm o corpo no N. mesencefálico
  22. 22. Nervo trigémio (componente sensitivo -Af.somáticas gerais) As sensações de toque e pressão são projectadas no núcleo sensitivo principal. As sensações de dor e temperatura passam ao núcleo espinhal. As fibras sensitivas da divisão oftálmica terminam na parte inferior do núcleo espinhal. As fibras da divisão maxilar terminam no meio do núcleo espinhal. As fibras da divisão mandibular terminam na parte superior do núcleo espinhal.
  23. 23. Nervo trigémio (componente sensitivo -Af.somáticas gerais) . Os axónios da células dos núcleos sensitivos cruzam a linha média, ascendem (lemnisco trigeminal) e projectamprojectam-se no núcleo ventral posteromedial do tálamo
  24. 24. Nervo trigémio (componente motor – Ef viscerais especiais) O núcleo motor recebe fibras corticonucleares de ambos os hemisférios cerebrais. Recebe também fibras da formação reticular, núcleo vermelho, tectum, feixe longitudinal medial. As células do núcleo motor dão origem a axónios que formam a raiz motora. Músculos mastigadores Tensor do tímpano Tensor do véu do paladar Milohioide Ventre anterior do digástrico
  25. 25. Seio Cavernoso
  26. 26. Nervo Oftálmico Ramos lacrimal, frontal e nasociliar
  27. 27. Nervo Oftálmico Ramos lacrimal, frontal e nasociliar
  28. 28. Nervo Maxilar (Gânglio pterigopalatino) R. meningeos R.ganglionares; n. zigomáticozigomáticotemporal e zigomático-facial; zigomáticon.alveolar superior posterior N.alveolar superior médio e anterior N.palpebral, n.nasais, n.labiais superiores.
  29. 29. N. mandibular Tronco anterior: n. bucal n. masseterino n. temporais profundos Tronco posterior: n. auriculo-temporal auriculon. lingual n. alveolar inferior
  30. 30. Nervo facial(VII) Número VII Nome Facial Componentes Função Abertura no cranio Motor Músculos da face e escalpe, músculo estapédio, ventre posterior do digástrico e estilohioide – ef viscerais especiais Meato acústico interno, canal facial e buraco estilomastoideu Sensitivo (n.intermédio) Paladar dos dois terços anteriores da lingua, soalho da boca e palato af.viscerais especiais Pele do meato acústico externo e retro-auricularretro-auricular- af. Somáticas gerais Meato acústico interno, canal facial e buraco estilomastoideu Secretomotor parassimpático (n.intermédio) Glândula submandibular e sublingual, glândula lacrimal e glândulas do nariz e do palato – ef.viscerais gerais (parassimpático) Meato acústico interno, canal facial e buraco estilomastoideu
  31. 31. Nervo facial
  32. 32. Nervo facial O nervo facial tem três núcleos Núcleo motor principal Núcleos parassimpáticos (salivar superior, lacrimal) Núcleo sensitivo feixe solitário) (núcleo do
  33. 33. Nervo facial Núcleo motor principal localizalocaliza-se profundamente na formação reticular, na parte inferior da ponte. A parte do núcleo que enerva os músculos da parte superior da face recebe fibras corticonucleares de ambos os hemisférios cerebrais. A parte do núcleo que enerva os músculos da porção inferior da face recebe apenas fibras corticonucleares do hemisfério cerebral contralateral. Estas vias explicam o controlo motor voluntário. O controlo involuntário (expressão facial das emoções) está associado à formação reticular.
  34. 34. Nervo facial Núcleos parassimpáticos LocalizamLocalizam-se posteriormente ao núcleo motor principal. São o núcleo salivar superior e o núcleo lacrimal. O núcleo lacrimal recebe aferentes do hipotálamo para a resposta emocional e dos núcleos sensitivos do trigémio para lacrimejo reflexo secundário a irritação da córnea e conjuntiva. O núcleo salivar superior recebe fibras aferentes do hipotálamo através de vias descendentes autonómicas. Informação do gosto chega também proveniente do núcleo do tracto solitário.
  35. 35. Nervo facial Núcleo sensitivo LocalizaLocaliza-se nas proximidades do núcleo motor. Corresponde à parte superior do núcleo do tracto solitário. Os axónios das células aí existentes projectam-se no tálamo projectamcontralateral. Os axónios de origem talámica projectam-se no projectamcórtex gustativo (parte inferior do giro pós-central). pós-
  36. 36. Nervo Facial Gânglio geniculado
  37. 37. NERVO FACIAl-ramos FACIAlCanal do facial: N. do musc do estribo Corda do tímpano Junto do buraco estilomastoideu N. auricular posterior N.para ventre posterior do digástrico N. para estilo-hioideu estiloFace R. temporais R. zigomáticos R. bucais R. marginal da mandíbula R. cervicais
  38. 38. Nervo Facial Gânglio geniculado: N. grande petroso superficial: fibras do gosto da região palatina e fibras para as glândulas lacrimal e mucosas nasais e palatinas
  39. 39. Corda do tímpano Fibras (pré-ganglionares) (prépara as glândulas submandibular e sublinguais Fibras do gosto dos 2/3 anteriores da língua
  40. 40. Nervo vestibulo-coclear (VIII) vestibuloNúmero VIII VestibuloVestibulococlear Nome Componentes Função Abertura no cranio Vestibular Sensitivo Informação proveniente do útriculo, sáculo e canais semicirculares sobre a posição e movimento da cabeça. Meato acústico interno Coclear Sensitivo Orgão de corti – audição Meato acústico interno
  41. 41. Nervo vestibulo-coclear vestibuloConsiste de duas partes distinta; nervo vestibular e nervo coclear. Está relacionado com a transmissão de informação aferente do ouvido interno ao SNC. Sai do SNC entre o bordo inferior da ponte e o bolbo Depois de um percurso na fossa craniana posterior entram no meato acústico interno juntamente com o nervo facial.
  42. 42. Nervo vestibulo-coclear vestibulo-
  43. 43. Nervo vestibulo-coclear vestibuloO nervo vestibular conduz impulsos nervosos do útriculo e sáculo que dão informação sobre a posição da cabeça. Conduz também informação proveniente dos canais semicirculares que dão informação sobre o movimento da cabeça. As fibras nervosas do nervo vestibular são o processo central de células localizadas no gânglio vestibular localizado no meato acústico interno. Depois de entrar pela face anterior do tronco cerebral a fibras dirigem-se ao dirigemcomplexo vestibular, formado por um grupo de núcleos: Núcleo vestibular lateral Núcleo vestibular superior Núcleo vestibular medial Núcleo vestibular inferior
  44. 44. Nervo vestibulo-coclear vestibuloO núcleo vestibular recebe e envia informação ao cerebelo através dos pedúnculos cerebelosos inferiores. Fibras eferentes que descem na medula homolateral formando o tracto vestibuloespinal. Fibras eferentes dirigemdirigem-se também para os núcleos dos nervos oculomotor, troclear e abducente. Estas conexões permitem coordenar os movimentos da cabeça e dos olhos de modo a permitir manter a fixação visual num objecto. O tracto vestibulo espinal permite usar a informação recebida do ouvido interno para manter o equilíbrio influenciando o tonus muscular do tronco e membros.
  45. 45. Nervo vestibulo-coclear vestibuloAs fibras ascendentes que abandonam o núcleo vestibular dirigemdirigem-se para o córtex (área vestibular) onde contribuem para que um individuo se oriente conscientemente no espaço.
  46. 46. Nervo vestibulococlear vestibulococlear O nervo coclear conduz impulsos relacionados com a audição (Orgão de Corti), com as corpos celulares no gânglio espiral
  47. 47. Nervo vestibulococlear Depois de entrarem no tronco cerebral as fibras dividem-se e dividemdirigemdirigem-se para os núcleos coclear posterior e coclear anterior Os núcleos cocleares enviam axónios para: Corpo trapezóide A partir dos corpos trapezóides as fibras ascendem formando o lemnisco lateral que projecta no coliculo inferior, depois para o corpo geniculado medial , terminando no córtex cerebral auditivo (superfície dorsal do giro temporal superior).
  48. 48. Nervos cranianos (IX) Núme ro IX Nome Glossofaríngeo Componentes Função Abertura no cranio Motor Músculo estilofaríngeo – ajuda na deglutição - ef. visceral especial Buraco jugular Secretomotor parassimpático Glândula parótida –ef. visceral geral Buraco jugular Sensitivo Sensação geral de paladar do terço posterior da língua. - af. viscerais especiais Mucosa da faringe e amigdala . Seio carotídeo (baroreceptor). Corpo carotídeo (quimioreceptor)– af. (quimioreceptor)– viscerais gerais Pele região retro-auricular - af retrosomáticas gerais Buraco jugular
  49. 49. N. Glossofaringeo (IX) Núcleos motores: Núcleo ambíguo (EVE) Núcleo salivar inferior Núcleos sensitivos: Núcleo feixe solitário Núcleo feixe espinhal do trigémio
  50. 50. N. Glossofaringeo (IX) Gânglio superior e Gânglio inferior Ramos: timpânico carotídeo faringeos muscular amigdalinos linguais
  51. 51. N. Glossofaringeo (IX) Ramo timpânico Plexo timpânico – n. pequeno petroso vai atingir o g. ótico. Através do ramo auriculo temporal as fibras eferentes parassimpáticas atingem a glândula parotídea.
  52. 52. N. Glossofaringeo (IX) Ramo carotídeo Reflexo do seio carotídeo: aumento da TA - glossofaringeo - n solitário - nervo vago diminuição da TA e da FC
  53. 53. Nervos cranianos (X) Número X Nome Vago Componentes Motor e sensitivo Função Coração e grandes vasos do tórax, laringe, traqueia, brônquios e pulmões. Tubo digestivo desde a faringe até á flexão esplénica do cólon. Fígado, rim e pâncreas. Abertura no crânio Buraco jugular
  54. 54. NERVO VAGO (X) Núcleos sensitivos: N. solitário - af. viscerais especiais (gosto da região da epiglote) e gerais N espinhal do trigémio – af. somáticas gerais (meato acústico externo e região retro-auricular) retro- Núcleos motores: N. dorsal do vago - ef. viscerais gerais N ambíguo – ef. viscerais especiais (músculos da laringe e faringe)
  55. 55. NERVO VAGO (X) Gânglio superior e inferior UneUne-se à raiz craniana do nervo acessório À direita entra no tórax por detrás do brônquio principal e contribui para o plexo esofágico posterior (tronco vagal posterior), distribuindodistribuindo-se para estômago, duodeno, fígado, rins, intestino delgado e grosso até ao terço distal. (plexos celíaco, superior mesentérico e renal) À esquerda cruza o lado esquerdo da crossa da aorta e passa por detrás do brônquio, à frente do esófago e contribui para o plexo esofágico (tronco vagal anterior) distribuindodistribuindo-se para o estômago, fígado, duodeno e cabeça do pâncreas.
  56. 56. NERVO VAGO (X) Ramos: Auricular Faringeos Laringeo superior : Interno - sensitivo para a mucosa até às cordas vocais Externo - motor (m. cricotiroideu) Laringeo recorrente esquerdo e direito: MotorMotor- todos os músculos da laringe excepto o cricotiroideu Sensitivo – mucosa abaixo das cordas vocais
  57. 57. Nervos cranianos (XI) Número XI Nome Acessório (espinhal) Componentes Função Abertura no cranio Raiz craniana (motor) Músculos do palato mole, (excepto tensor do véu do paladar), faringe (excepto estilofaríngeo) e laringe ( excepto cricotiroideu) em ramos do vago Buraco jugular Raiz espinhal Esternocleidomastoideu e trapézio Buraco jugular
  58. 58. Nervo Acessório (XI) Raiz craniana – n. ambíguo Fibras eferentes viscerais especiais distribuem-se pelos distribuemramos faringeos e laringeo recorrente do X Raiz espinhal –coluna anterior dos primeiros 5 ou 6 segmentos medulares cervicais
  59. 59. Nervos cranianos (XII) Número XII Nome Hipoglosso (grande hipoglosso) Componentes Motor Função Músculos da língua (excepto palatoglosso) que controlam a sua forma e movimento Abertura no cranio Canal hipoglosso
  60. 60. NERVO HIPOGLOSSO (XII) Ramos: Descendente – raiz superior da ansa cervical N. para o tirohioideu N. musculares para estiloglosso, hioglosso, geniohioideu, genioglosso e m. intrínsecos

×