Sistema sensorial .. anatomia

24.997 visualizações

Publicada em

0 comentários
16 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
24.997
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
858
Comentários
0
Gostaram
16
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sistema sensorial .. anatomia

  1. 1.  Olhos, pele, orelhas, língua e fossas nasais são os órgãos que tem a capacidade de transmitir os diversos estímulos do ambiente por impulsos nervosos.
  2. 2.  Estes são transmitidos ao cérebro de onde partem as “ordens“ que determinam as diferentes reações do nosso organismo.
  3. 3. Em relação à natureza do estímulo:  Quimiorreceptores  Termorreceptores  Mecanorreceptores  Fotorreceptores
  4. 4. RECEPTORES SENTIDOS Quimiorreceptores Olfato/ Paladar Termorreceptores Tato Mecanorreceptores Audição Fotorreceptores Visão
  5. 5.  Interorreceptores  Exterorreceptores  Propriorreceptores
  6. 6. Dessa maneira:  Pelo tato: sentimos o frio, o calor, a pressão atmosférica, etc;  Pela gustação: identificamos os sabores;  Pelo olfato: sentimos o odor ou cheiro;  Pela audição: captamos os sons;  Pela visão: observamos as cores, as formas, os contornos, etc.
  7. 7.  Receptor externo: recebe a impressão sensitiva na periferia do organismo;  Transmissor: transporta essas impressões através de fibras nervosas;  Receptor interno (cérebro): recebem do transmissor as impressões colhidas e as transportam em sensações.
  8. 8. Processo fisiológico por meio do qual se distinguem formas e cores de objetos.
  9. 9.  É através da visão que somos capazes de distinguir cores, formas, a distância entre os objetos e nos permite ter uma integração perfeita com o meio ambiente.  O homem possui dois globos oculares, e se situam na cavidade óssea, chamada órbita.
  10. 10.  Possui aproximadamente 24mm de diâmetro antero posterior e 12mm de largura.
  11. 11.  Membranas:  Esclera  Coróide  Retina  Meios transparentes:  Córnea  Humor aquoso  Lente  Humor vítrio
  12. 12.  Esclera : Constitui a membrana externa,tem cor branca, é fibrosa e bem resistente; ajuda na proteção do olho.
  13. 13.  Coróide: É localizada entre a esclera e a retina, e é muito rica em vasos sanguíneos. Por meio dela e feita a oxigenação do olho.
  14. 14.  A íris: Tem a forma de disco e é ela que dá coloração aos olhos. E dentro da íris se situa :  A pupila : Que recebe a luz e seu tamanho varia de acordo com a intensidade da luz.
  15. 15.  Retina: É a membrana interna do globo ocular, nela situa-se várias células nervosas especializadas em captar estímulos luminosos e levá-los ao nervo óptico.
  16. 16.  Córnea: é a lente natural mais importante do olho, que, assim como a lente de uma câmera fotográfica, refrata os raios de luz que entram nos olhos, participando da focalização das imagens na retina. Ela é um tecido totalmente transparente, que, semelhante ao vidro de um relógio, protege a estrutura interna, sem ser facilmente visto.
  17. 17.  Humor aquoso: É liquido e transparente ,e situa-se entre a córnea e a íris.  Lente: É sólida e transparente,tem formato biconvexo, e situa-se através da íris.
  18. 18.  Humor Vítreo: Situa-se na camada posterior do olho, atrás da lente, é um corpo gelatinoso, transparente e avascular, que perfaz dois terços do volume e do peso do olho. Ele preenche grande parte do espaço interno do olho.
  19. 19.  Pálpebras : São membranas ( superior e inferior) que protege os olhos de agressões do meio ambiente e ajudam na lubrificação deles.  Cílios: Pelos que protegem os olhos contra poeira e excesso de luz.  Sobrancelhas: Protege os olhos contra o suor, espalhando-o para os lados.
  20. 20.  Glândulas Lacrimais: A glândula lacrimal fabrica a maior parte da lágrima que banha o olho. No canto interno da pálpebra existem um orifício e um canal que levam a lágrima já usada para o nariz. A lágrima serve para limpar, facilitar o ato de piscar e nutrir o olho.
  21. 21.  Músculos extraoculares: Quatro músculos retos e dois oblíquos. Eles mantém o alinhamento dos olhos, possibilitando a formação da imagem em locais determinados da retina. O desalinhamento dos olhos é chamado de estrabísmo e denota uma disfunção destes músculos.
  22. 22. As orelhas são órgãos da audição e do equilíbrio. Ela contêm receptores sensíveis a pressão ou estimulo mecânico capazes de captar os sons. A orelha divide-se em: 1. Externa; 2. Média; 3. Interna.
  23. 23.  Tem como função conduzir a onda sonora até o tímpano.  Pavilhão auditivo(orelha);  Condutor auditivo (canal).
  24. 24.  Pavilhão auditivo: Responsável pela captação de sons . Sua estrutura externa é cartilaginosa e a interna é formada por um tecido conjuntivo. E possui forma de concha.  Canal auditivo: Conduz o som para o interior da orelha.É revestido internamente por pelos e glândulas que conduz os cerumes. Onde ajudam a reter Impurezas que penetram na orelha.
  25. 25.  Formada por três ossículos (pequenos ossos):  Martelo;  Bigorna;  Estribo;
  26. 26.  A função desses três ossos é converter as vibrações sonoras (sons) em ondas de pressão que são amplificados no fluido (líquido) do ouvido interno.  Os três conectados formam uma ponte entre o tímpano e a janela oval (a janela oval é na realidade uma entrada para a orelha interna).
  27. 27.  Tímpano: membrana sensível que transmite vibrações sonoras aos nossos ouvidos;  Janelas redonda e oval: membranas entre o ouvido médio e o interno;  Trompa de Eustáquio: comunica o ouvido médio com a faringe.
  28. 28.  E formado pela:  Cóclea  Canais semicirculares
  29. 29.  Cóclea:  Tem função de transformar as ondas de pressão em impulsos elétricos, que serão transmitidos ao cérebro por meio do nervo auditivo;  É um sistema de tubos enrolados cheios de líquido e, além disso, está contida dentro de um compartimento ósseo, o labirinto ósseo.
  30. 30.  Canais semicirculares: Responsável pelo nosso equilíbrio e auxiliar na visão já que as rotações da mesma precisam ser compensadas para que possamos ter uma visão clara sem ser borrada.
  31. 31. Pavilhão Auditivo Condutor auditivo externo Membrana do tímpano (Vibrações) Ossículos da orelha Orelha interna (Janela oval) Cóclea (vibrações em seu liquido: endorfina) Terminações de células nervosas Nervo auditivo Cérebro
  32. 32. Refere-se à capacidade de captar odores com o sistema olfativo.
  33. 33.  O nariz é o principal órgão do sistema olfativo Se dividindo em:  Pirâmide nasal;  septo nasal;  fossas nasais.
  34. 34.  Pirâmide nasal: A pirâmide nasal define em grande parte a morfologia do nosso rosto devido a sua posição central e a diferença de tamanhos que apresenta.  Ela possui no seu interior uma série de pelos que impede a entrada de certos agentes e um mecanismo de válvulas que obriga a realização de profundas e compridas inspirações que favorecem a respiração dos pulmões.
  35. 35.  Septo nasal É uma parede no interior do nariz que divide em dois as fossas nasais e as narinas.  Fossas Nasais Se encontram dentro do esqueleto do rosto, e estão separadas pelo septo nasal.
  36. 36.  Em suas paredes nasais há uma série de prolongamentos que se insinuam em seu interior, chamados cornetos. Os cornetos tem a função de aquecer, umidificar e modular o fluxo do ar respirado.
  37. 37.  O olfato humano é pouco desenvolvido se comparado ao de outros mamíferos.  Os receptores olfativos são neurônios genuínos, com receptores próprios que penetram no sistema nervoso central.
  38. 38.  A cavidade nasal, que começa a partir das janelas do nariz, está situada em cima da boca e debaixo da caixa craniana. Contém os órgãos do sentido do olfato, e é forrada por um epitélio secretor de muco(substância viscosa, onde tem a função de proteção). Ao circular pela cavidade nasal, o ar se purifica, umedece e esquenta.
  39. 39.  O órgão olfativo é a mucosa que forra a parte superior das fossas nasais - chamada mucosa olfativa ou amarela -, para distingui-la da mucosa vermelha - que cobre a parte inferior.
  40. 40.  A mucosa vermelha é dessa cor por ser muito rica em vasos sangüíneos, e contém glândulas que secretam muco, que mantém úmida a região. Se os capilares se dilatam e o muco é secretado em excesso, o nariz fica obstruído, sintoma característico do resfriado.
  41. 41.  A mucosa amarela é muito rica em terminações nervosas do nervo olfativo.
  42. 42.  Os dendritos(que conduzem os estímulos) das células olfativas possuem prolongamentos sensíveis (pêlos olfativos), que ficam mergulhados na camada de muco que recobre as cavidades nasais.
  43. 43.  Os produtos voláteis ou de gases perfumados ou ainda de substâncias lipossolúveis que se desprendem das diversas substâncias, ao serem inspirados, entram nas fossas nasais e se dissolvem no muco que impregna a mucosa amarela, atingindo os prolongamentos sensoriais.
  44. 44.  Dessa forma, geram impulsos nervosos, que são conduzidos até o corpo celular das células olfativas, de onde atingem os axônios que transmite para o bulbo olfativo os impulsos nervosos.
  45. 45.  Os axônios se agrupam de 10-100 e penetram no osso etmóide para chegar ao bulbo olfatório, onde convergem para formar estruturas sinápticas chamadas glomérulos. Estas se conectam em grupos que convergem para as células mitrais. Fisiologicamente essa convergência aumenta a sensibilidade olfatória que é enviada ao Sistema Nervoso Central (SNC), onde o processo de sinalização é interpretado e decodificado.
  46. 46. Percepção de diferentes sensações na pele.
  47. 47.  O tato é sentido através da pele, uma membrana que está presente em todo nosso corpo tendo como principal função protegê-lo.  Além de proteção, a pele também exerce outras funções como:  Respiração: onde a pele absorve oxigênio através de seus poros;  Excreção: na pele existem as glândulas sudoríparas e as glândulas sepáceas, por onde são eliminados o suor e a gordura.
  48. 48.  A pele é o maior órgão do corpo humano, chegando a medir 2 m2 e pesar 4 Kg em um adulto. É constituída por duas camadas distintas:  Epiderme(mais externa, formada por tecido epitelial) ;  Derme (mais interna, formada por tecido conjuntivo).
  49. 49.  E dividida em três camadas de células:  Camada córnea – ela é grossa e resistente, formada por células mortas;  Camada de Malpighi – situada abaixo da camada córnea, ela é formada por células vivas;  Camada basal – a camada onde são produzidas as células. Com o tempo elas vão atingindo as camadas superficiais até chegar a camada córnea.
  50. 50.  Localizam-se terminações nervosas e corpúsculos sensoriais, que são responsáveis pela recepção do tato.
  51. 51.  Esses corpúsculos são de quatro tipos:  Corpúsculos de Pacini : Responsáveis pela sensação do tato;  Corpúsculos de Meissner : Responsáveis pela sensação de pressão;  Corpúsculos de Krause: Responsáveis pela sensação do frio;  Corpúsculos de Ruffini: Responsáveis pela sensação de calor.
  52. 52.  Muitos dos receptores sensoriais da pele são Terminações Nervosas Livres , algumas delas detectam dor, outras detectam frio, e outras calor.
  53. 53. RECEPTORES DE SUPERFÍCIE SENSAÇÃO PERCEBIDA Receptores de Krause Frio Receptores de Ruffini Calor Receptores de Vater-Pacini Tato Receptores de Meissner Pressão Terminações nervosas livres Dor, Frio e Calor
  54. 54.  Através do tato a pele recebe a todo instante, diversos tipos de estímulos que são enviados ao encéfalo.  Há uma grande área do córtex cerebral responsável pela coordenação das funções sensoriais da pele.
  55. 55.  Uma vez que toda a superfície cutânea é provida de terminações nervosas, capazes de captar estímulos térmicos, mecânicos ou dolorosos.  Essas terminações nervosas ou receptores cutâneos são especializados na recepção de estímulos específicos. Não obstante, alguns podem captar estímulos de natureza distinta.  Cada receptor tem um axônio e, com exceção das terminações nervosas livres, todos eles estão associados a tecidos não-neurais.
  56. 56. É uma capacidade que nos permite reconhecer os sabores de substâncias colocadas sobre a língua.
  57. 57.  A língua apresenta dois tipos de superfícies :  Superior rugosa;  Inferior lisa.
  58. 58.  O sentido gustativo é chamado sentido químico, porque seus receptores são excitados por estimulantes químicos, encontrados nos alimentos.  O sentido do olfato e paladar trabalham conjuntamente na percepção dos sabores. O centro do olfato e do gosto no cérebro combina a informação sensorial da língua e do nariz.
  59. 59.  O receptor sensorial do paladar é a papila gustativa (formadas por células gustativas).  Na superfície de cada uma das células gustativas observam-se prolongamentos finos como pêlos, projetando-se em direção da cavidade bucal; são chamados microvilosidades.  Essas estruturas fornecem a superfície receptora para o paladar.
  60. 60.  Observa-se entre as células gustativas de uma papila uma rede com duas ou três fibras nervosas gustativas, as quais são estimuladas pelas próprias células gustativas.  Para que se possa sentir o gosto de uma substância, ela deve primeiramente ser dissolvida no líquido bucal(saliva) e difundida através do poro gustativo em torno das microvilosidades (pelos).
  61. 61.  A) Amargo;  B) azedo ou ácido;  C) salgado ;  D) doce .
  62. 62.  Muito do que chamamos gosto é, na verdade, olfato, pois os alimentos, ao penetrarem na boca, liberam odores que se espalham pelo nariz.  As sensações olfativas funcionam ao lado das sensações gustativas, auxiliando no controle do apetite e da quantidade de alimentos que são ingeridos.
  63. 63.  Os estímulos passam das papilas gustativas na boca, em seguida, os estímulos são transmitidos ao tálamo; do tálamo passam ao córtex gustativo primário e, subseqüentemente,para as áreas gustativas circundantes, região que é responsável pela integração de todas as sensações.
  64. 64. Papilas Gustativas Tálamo Córtex Gustativo Primário Áreas Gustativas Circundantes Integração de todas as sensações
  65. 65.  AMABIS & MARTHO. Conceitos de Biologia Volume 2. São Paulo, Editora Moderna, 2001.  GUYTON, A.C. Fisiologia Humana. 5ª ed., Rio de Janeiro, Ed. Interamericana, 1981.  Disponível em : http://www.manualmerck.net/?id=242&cn=1998&ss =. Acesso em: 19/08/2013.  Disponível em: http://www.afh.bio.br/sentidos/Sentidos4.asp . Acesso em: 14/08/2013.  Disponível em: http://www.brasilescola.com/biologia/sistema- sensorial.htm. Acesso em: 21/08/2013.

×