Breve Poesias.

121 visualizações

Publicada em

Escrito por Amanda Coelho.

Publicada em: Turismo
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
121
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Breve Poesias.

  1. 1. DESCOBERTA Eu só descobri que te amava Quando passei a ter prazer em fazer O que mais te agradava. Eu só descobri que te amava Quando teus sorrisos passaram a serem tão importantes Quantos os meus. Eu só descobri que te amava Quando criei em mim o hábito de te respeitar. Eu só descobri que te amava Quando tudo virou de pernas pro ar E fui capaz de resistir. Porque o contrário de tudo isso, É o inverso do amor.
  2. 2. Alma desalmada Sentimos falta daqueles que não podem mais serem vistos Mas de que adianta serem vistos se não pode tocá-los? Para que tocá-los se não podemos senti-los? Ah, morte... Egoísta... Egocêntrica... Excêntrica Aos que a alcançam, encontram a paz Deixam para traz Heranças, lembranças, saudades Tempo, tempo, tempo... É o que preciso. Superá-lo? Jamais! Conformar-me? Paciência meu caro, Pois chegará a sua vez De mais uma vez Uma alma desalmada ser.
  3. 3. CLAMA-TE Pensamentos estranhos te invadem Frutos de uma mente poderosa Desconexa com o presente Mas ligada a um futuro próximo. Então clama-te: O que é tudo isso? O que estou fazendo aqui? Ah querido! Sua mente parece tão estranha para mim. Uma mensagem de outro mundo, Algo que ainda não conseguiu entender. Então clama-te: Será que isso será minha salvação? Ou será a minha destruição? Seja o que for que seja breve, Pois eu não posso mais suportar. Ah querido! Sua mente parece tão estranha para mim. Você olha a si mesmo, Com lagrimas nos olhos, Mas este não é você hoje E sim o que se tornara amanhã. Então clama-te: O que posso fazer para mudar tudo isso? Será que a estrada que sigo terá como final este pesadelo melancólico? Ah querido! Sua mente parece tão estranha para mim.
  4. 4. Eu me sacrifiquei para lhe dar a resposta. Perdi o paraíso e me sentenciei ao inferno em seu nome. E então, você me recompensa com o primeiro ultimo beijo, O beijo de minha morte E de sua salvação.
  5. 5. A Canção da Destruição Sou um homem mortal Eu estou no comando Sinto-me como um deus Posso ouvir vozes gritando Assim como o Encantador de Serpentes Nós dançamos como marionetes Balançando para a doce sinfonia Da destruição Comporto-me feito um robô Meu cérebro de metal me consome Imploro para que alguém me perceba Antes que minha cabeça exploda-me. A Terra começa a se mexer Produzindo um barulho ensurdecedor. Os gigantes perecem E agradecendo ao mundo Faço-me imponente.
  6. 6. Um poema para um grande poeta. Aqui, neste lugar. Erros e desperdícios Tanto tempo se passando E quem sou eu para te fazer esperar? Dê-me apenas mais uma chance, Mais um suspiro. Porque você sabe Que eu te amo E lhe amei o tempo todo. Estivo longe por um tempo, Eu sinto sua falta E continuo acreditando Que você estará comigo. E você não irá embora Paro de respirar se eu não vê-lo mais. De joelhos, clamo-te: - Dê-me o ultimo suspiro, uma única chance! Porque com você querido, Eu resistiria a todo o inferno para tocar a tua mão. Eu daria tudo por nós Qualquer coisa. Mas querido, eu não vou desistir Porque você sabe, Eu te amei o tempo todo E eu sinto a sua falta.

×