SlideShare uma empresa Scribd logo
FERAS DA POEÉTICA
Sempre Encontro dos
     Grandes
Lunas Café Poetico
Feras da Poetica




Não vou chorar,
Porque voce me ensinou a sorrir
Não vou perder,
Porque vc me ensinou a vencer
Não vou sofrer,
Porque voce me ensinou a ser feliz
Não vou morrer,
porque voce me ensinou a viver
Mas, se algum dia voce for embora,
Eu vou chorar, perder, sofrer e morrer,
porque voce não me ensinou a te esquecer!!!


                      Pedro Ferreira
Lunas Cafe Poetico




DIZEM

Dizem que estamos
Sempre buscando algo
Que nos dê a juventude eterna,
Mas esquecemos da caminhada,
Dizem que o tempo é implacável,
Que a vida em certo ponto
Já não é tão estimulante,
Dizem que somos a semelhança
De um Deus de bondade,
Mas esquecemos de sermos bons,
Mas o que fazer nesta futilidade
Que acabamos de nos enterrar,
Quando o homem vai aprender
Que após a guerra
Tem que haver a paz
E não somente uma trégua,
Que nascemos em igualdade
E o mundo nos diferencia,
O mundo nos corrompe,
Dizem que a humanidade
Um dia vai se acabar,
Mas na verdade a humanidade
Está se anulando em seus próprios erros.

Alexandre Brussolo
Feras da Poetica




PAZ E GUERRA

O espírito desprende à matéria
Eleva-se as celestes esferas
Regozijando nessa forma etérea
Das bênçãos de figuras muito belas

Remanescentes das eras douradas
Vertiam as lembranças na consciência
Consentimentos da mente elevada
Em um vislumbre da Divina Ciência

Esclarecido na simbologia
Que por Anjos era demonstrada
Como que entregue em uma letargia
Sublime momento em terra encantada

Suplica aos Mestres que lhe privem retorno
Às asperezas da vida na Terra
De um jovem puro que sonha nessa esfera
Em meio ao fogo e o sofrimento da guerra

Jonas Rogerio Sanches
Lunas Cafe Poetico



NUDEZ

Sua nudez!
Carne e puro prazer...
Traços cada vez mais traços!
Todos alinhados perfeitos...
Confeitos e mais confeitos
Na luz de toda sua magia,
Cada gemido um ápice da orgia...
Sua alma magra,
E iluminada me agrada!
Faz o tempo ser abençoado
E o orgasmo ser bem ardido...
Devora o meu coração
Toda essência da sua paixão...
No encontro alucinado de corpos
Que adormecem imersos,
 Descobrimos mais que o puro amor!
 Atravessamos o nosso tempo
 Buscamos a dimensão do nosso infinito
 E por fim encontramos nosso Deus!

Mario Macedo de Almeida
Feras da poetica

PEGUE COM JEITO

Pegue meu coração com jeito
Ele é muito frágil e delicado
Pegue-o com mãos macias
Mãos indelicadas pode arranhá-lo

Fale-me baixinho,
Com palavras delicadas
Palavras ásperas
Vão direto ao meu coração
Ele sofre, pois é muito sentimental

O amor que sinto é tão forte
Talvez tanto quanto uma rocha
É tão sensível...
Delicado como uma rosa
Pegue meu coração com jeito
Para não estremecer o meu amor!!!

(Angel Mag)
Lunas Cafe Poetico




FOLHA VERDE

 Estava na floresta
o céu estremeceu
no meio das folhas verdes
você apareceu

...

Estava no jardim
o ceu escureceu
no meio de rosas
linda, vc apareceu

Nilton Souza Leiva
Feras Poeticas




VENTO

Vento forte,ventania!
Não tenho medo de ti!
Leva do peito,a agonia
Do amor que eu perdi!
Leva a dor dessa saudade,
Lembranças cheias de sonhos,
Leva vento,a minha idade
Me faz criança de novo!
Vento forte,ventania!
Olhar de feroz furacão...
Abro os braços...vem,me guia!
Leva longe essa emoção!
Não deixe que essa tristeza
Faça ninho em minha mente!
Que não se perca a beleza
De um amor ...linda semente!


( Anne Lieri)
Lunas Cafe Poetico



POESIA ABSORTA

Fica tudo aqui!
Os dúbios cálices,
o doce sabor amargo das lágrimas
e as lembranças que por todo esse tempo guardei.
Deixarei no escuro todas as imagens
que minha mente precisa esquecer.
Fecharei todas as janelas
para que o passado não me siga.
Não me preocupo em dizer nada,
só me restam as frias palavras,
estou preferindo o exato silêncio da solidão.
Busco um espelho que me fale a verdade
e uma paisagem que me permita olhar
através de mim e das cores.
Pra terminar, guardarei os sonhos,
torço para que não virarem pesadelos
para que eu não tenha que desistir deles.
Deixo também a tua alegria,
não, ela não me pertence.
Vou só vivendo estações,
sem pensar no tempo liberta de sentimentos.


Solange Bretas
Feras da Poetica



ORVALHO

Minh’alma lamenta
Em rútilos criados pelo céu,
Pela palavra dita em segredo
Dum verso vindouro do tempo!

Ouço-me em silêncio
Divagando pelas mãos
Postas em prece,
Em melodias pairando pelo luar
De uma face onipresente na luz!

Da Ribalta única
O tecer do poema pelo tempo
Mescla caminhos,
Deixando em cada instante
Um jardim perolado em alecrim!

As estrelas mistificam,
Brancas nuvens a desenham
No beijo do sentimento
Encantado no amor
Semeado no orvalhar das manhãs!

Auber Fioravante Júnior
Lunas Cafe Poetico



"[POESIA]".


Nos faz viajar com calma;
Não só viajar em corpo,
...Mas com a alma,

Contigo ouvimos sons;
De músicas suaves;
Nos seus bons tons;

Sentimento de bem estar;
Gostoso e diferente;
Parece que podemos voar;

Invade-nos com sonhos belos;
Fantasias sem perigos;
Saudando nossos elos.

Versos importantes aparecem;
Momentos felizes vivemos;
Nesse efeito que enaltece....

Jamil Luz
Feras da Poetica




Fúria

Vontade de gritar!
De sair de dentro!
Explosão no centro!
Como um vento bom bradar

A minha alegria!
Essa efusiva harmonia
Corajosa,
Honrosa!

Cheia de brilhos,
Com seus etéreos trilhos,
Tão maleáveis,
Quanto estáveis!

Sabedoria de consistência,
Garantindo a cadência...
Que sensação espetacular,
Que é resgatar!

Tomar nas mãos,
Os caminhos da própria ilusão...
Desenhar a manifestação,
Desde a sua geração!
Lunas Cafe Poetico

Reconhecer a consequência dos seus atos,
Em todos os fatos!
Sorrir com o resultado...
Sentir-se motivado

A gostar mais!
A entregar mais!
A proporcionar mais...
A compartilhar bem mais!

A reconhecer mais,
A perceber muito mais...
A aprender mais,
A apreender bem mais!

A caprichar mais,
A emocionar muito mais,
A captar versos,
Cada vez mais sinceros,

Menos severos,
Mais belos!
Para serem lidos ao som de um violoncelo,
Espalhando-se pelo celestial espectro!

Claudio Poeta
Feras da Poetica




SORRISO ANGELICAL

Sou um rosto e nada mais
Que povoa os sonhos,
Mas não me olham jamais
Mesmo atravessando os caminhos

Entrando pelos portais
Das cidades e das moradas,
Tratam-me como os mortais
Que me olham nas investidas

Mesmo com meu sorriso angelical,
Investida de desejo
Atraindo-te para o mundo real

Olha-me com um olhar fatal
Tratando-me com o desprezo
De um reles mortal

Sol pereira
Lunas Cafe Poetico

O AMOR FALOU-ME DE TI !!!

O amor falou-me de ti...
Disse-me que voce esta sofrendo
De uma tristeza sem igual!
E que já não suporta mais viver
Fiquei pensando; como é bom viver!
Conhecer a dor e a calmaria...!
Sentir a dor, e depois a felicidade do alivio
E assim, eu pedi ao amor que te envolvesse
Na mais doce paz
Se fosse possível ate te adormecer...
E ai eu pedi ao amor que fizesse voce sonhar
E no seu sonho, que voce tivesse
Um encontro com o amor mais belo!... Jesus...
E eu pude ver Jesus sentar-se ao seu lado...
Te olhar compadecido...! E com muita alegria dizer-te:
Hoje o amor floriu em seu coraçao...! Terás paz...!
A sua dor já se foi para nunca mais voltar!
Sua esperança é como a fé; e isso transforma
A longa viagem, na alegria da chegada tão esperada...!
O amor falou-me de ti...! E eu vim te consolar!
Se chorar agora; será de alegria, do seu próprio amor
E eu vi Jesus, ao se afastar, olhar-te de novo...
E com um sorriso de amigo verdadeiro e carinhoso;
Te perdoar...!
Jesus!... O meu poeta preferido...

JOAQUIM GOMES
Feras da Poetica



"LUNA CAFÉ POETICO".
L'aboriosa essa sua página,
U'nindo os poetas amigos,
N'o começo a gente nem imagina,
A'ssim nós entrando nesse abrigo.

C'onhecedora de boas amizades,
A'qui carinhosamente os reuniu,
F'icando longe das maldades,
É' m que lá,por inveja adquiriu.

P'roletária com muita raça,
O'nde magistralmente se fez,
E'm tempo curto juntou a massa,
T'rabalhando sério por sua vez.
I'sso é força e talento,
C'om enorme sentimento,
O'nde amizade imperou todo momento...

Jamil Luz
Lunas Cafe Poetico



Ao Luna’s Café

Lá iremos nós beber sabedoria
Unidos sob o mesmo ideal
No Luna’s onde tudo é poesia,
Amor à flor da pele em alto astral

Distante do impossível já não estamos
Intencionalmente o procuramos

Para, encontrando-o, fazê-lo possível.
Rompemos os grilhões e os rechaçamos
Incendiados pela poesia
Mostrando a face sem a fantasia
Outro empecilho que já superamos.

Ineifran Varão
Feras da Poetica

Que por onde levo uso se necessito.

Uma bela sonata embala-me
Através dos campos vou apenas olhando
Cada novo canteiro...vejo semeeiros
Novas pilastras...novas construções...

Vejo multidões...mentes perdidas...
Verdades escondidas...
Vejo o que há de melhor em cada um
Mas o que há de pior também...

O tempo não existiu
Num instante se sucumbiu
Contemplo
Um lindo arrebol...

Aos poucos chega o crepúsculo
Adentro-me nele ...vou sendo engolida
Com asas agora noturnas...

Novos sons...
novos olhares
Novos sentidos...

Percebendo o que antes estava escondido.
No aguardo de um novo prelúdio...
Adriana Faustino
Lunas Cafe Poetico



O AMOR DA ESCURIDÃO
É solitária... Mora em uma imensa caverna,
Junto aos ecos e ruídos, intensa escuridão,
Com muralhas erguidas, plataforma de pedras
Um palco frio, sem luz... Cenário da solidão.

A alma que chora... Que usa o disfarce,
Retém o pranto... A prisioneira contida,
Mas as lágrimas brotam... Banham a face
O coração sangra, amargurado, dor sentida.

É a sensação do abandono... A rejeitada
Perdeu o brilho... Não tem mais a esperança,
Não vê o céu, nem a lua... Estrelas apagadas
Esvaem da memória, suas lindas lembranças.

Não há mais saída, todas as portas fechadas
Jaz o amor que tanto lutou para sobreviver,
Em cada passo, as intrigas, tramas... Ciladas,
Imensa carga pesada, um eterno padecer!

Dilce Toledo
Feras da Poetica

QUEM AMA CUIDA

Quem nos ama

Respeita nossos limites

Cuida dos nossos sentimentos

Não trai

Não mente

Confia

Se doa

Perdoa

É sincero no agir e no pensar

Quem nos ama

Dá-nos a vida

Não causa ferida

Nem dor

Só amor
Elsy Myrian Pantoja
Lunas Cafe Poetico




"Luna's Café Poético".

L'istar todos esses artistas,
U'm a um na ponta do dedo,
N'otórios especialistas,
A'ssim se destina sem medo.
S'ímbolo de boa poesia,

C'onsta nesse crescente rol,
A'queles como um raio de sol,
F'elicita-nos com amor e alegria.
É'ssa é a proposta do café,

P'ostar obras de valor,
O'nde impera o amor,
É' impossível não ter fé.
T'ratamento preferencial,
I'nteligentíssimo e constante,
C'omunicação a todo instante,
O'nde tudo fluí natural...

Jamil Luz
Feras da Poetica




Eu quero o som da lira
Eu quero o olhar que mira
De meiguice que não fira
Do sorriso aberto quando se vira
Eu quero a beleza da safira
Do amor de vida tranqüila
Eu quero o som da lira

Luna Di Primo
Lunas Cafe Poetico



"INCANDESCENTE".

Pela janela do quarto
Vejo o céu estrelado
Conte as estrelas, menina
E saberá quantos beijos ganhará.

Nossos corpos molhados
Para o amor não há certos e errados
Hoje é noite de lua cheia
Você será minha a vida inteira.

Sonhos, lembranças e desejos
Após trinta, somos adolescentes
Perto ou longe, desejo seus beijos
Nossas noites serão sempre quentes.

Você sabe que teu olhar me encanta
Não fuja, o amor já nos cativou
A lua e as estrelas são testemunhas
Do momento que a paixão chegou.

Alcir de Andrade
Feras da Poetica




Nos caminhos que andamos
Tantos iguais encontramos
Tantos são os afins, os afetos
A nos trazer felicidade
Mas são os inimigos
A mudar a nossa rota
A nos levar ao topo


Luna Di Primo
Lunas Cafe Poetico



VOCÊ É TUDO EM MINHA VIDA
Hoje o tempo marcou os minutos,
E vejo o sol nascer por trás da minha saudade,
Que não vence a distância e me faz feliz
Mesmo não tendo você ao meu lado,
Sinto que a luz solar me leva no alvorecer
Quando abro os meus sentidos
Tudo se revela no meu coração
Entre as chamas que ardem
E batem com tanta emoção.
Eu não posso me curva dessa luz
Que clareia o tempo e me diz
Devagrinho o quanto é bom viver
Sonhar e cantar olhando a saudade
Que acende todas as minhas lembranças
E faz das minhas crenças o quanto desejo
Essa luz que vem dos seus olhos
E não resisto se eu não lhe falar
Que amo em toda a minha vida
Sem partida e sem ida de não voltar
Ah se eu pudesse voltar o tempo
Eu iria trazer você nos meus olhos
Afagando os segundos das minhas saudades
Que o amor dentro da mesma afeição
É um universo incontrolável
Amável e tão agradável no meu coração
Feras da Poetica




Por isso o tempo marcou
E sinto você agora no meu coração
Somente meu amor
E não tem mais jeito
Tenho que observar as horas passarem
E medir que o amor é tudo
Ponho um anel entre nós dois
Unindo na canção das palavras
Que eu te amo
E não posso jamais lhe esquecer
Olho para os lados
E só vejo você no meu pensamento
Dizendo que me ama em todas as questões
E que o meu paraíso é a sua alma
Com predicados e adjetivos de união
Agora, fecho os meus olhos
Pra meditar mais adequado em você
E de repentesinto as suas mãos me tocarem
Penso ser um sonho com o seu beijo
Abrindo todos os meus desejos
E me fazendo mais uma vez feliz

Mari Angela Pinto
Lunas Cafe Poetico



NÓS SOMOS ASSIM...

Nós somos assim...
Olhos que se falam,
Sorrisos que acalmam,
Corpos que se abraçam.

Nós somos assim...
Colo consolador,
Silêncio acolhedor,
Em qualquer momento de dor.

Nós somos assim...
Enquanto tão parecidas,
As diferenças desmedidas,
Nos fazem mais amigas.

Nós somos assim...
Almas que se completam,
Que se interpretam,
Que o amor despertam.

Nós somos assim...
Nesta vida arredia,
Vivemos o dia-a-dia,
Nos querendo em companhia.
Feras da Poetica



Nós somos assim...
Amigas sem igual,
É tudo tão real,
Mas nada normal!

Susely Antoniolli
Lunas Cafe Poetico



MEMORIAL DE UM GRANDE AMOR

Se eu te amei? Não sabes quanto...
Também não sei, não medi.
Amor de riso e espanto
Dos sonhos que consenti.

Amor sem par e modesto
Que encheu de sonhos, meus dias
Que em franco manifesto
Rendeu-me mil alegrias.

Hoje eu canto, em gesto brando
Esculpo essa poesia
Para tornar memorando
O amor que senti um dia!

ANA MARIA GAZZANEO
Feras da Poetica



Era uma noite chuvosa e fria, estava dirigindo meu carro em
uma estrada muito ruim, já estava acostumada a fazer este
trajeto todo final de semana, para ser mais preciso nas
sextas feiras à noite, quando eu saia da faculdade seguia
para casa dos meus pais que ficava a sessenta km distante
da faculdade, mas esse era o preço, ou eu enfrentaria essa
viagem ou ficaria sozinha na republica dos estudantes todo
o final de semana.
Eu nunca fui supersticiosa. Nunca acreditei em nada que
não fosse palpável, assombrações nem pensar, sempre
achei isso uma tremenda bobagem. Ainda mais na era da
informática acreditar em algo assim...,
Pois bem, eu ia tranqüila, rádio ligado, ia ouvindo minhas
canções favoritas ate que olhei no relógio e vi que faltavam
três minutos para meia noite.
A estrada deserta, a chuva cada vez mais forte, dessa vez
me causou um pouco de medo mas, eu não tinha outra
escolha a não ser, seguir em frente, quando derrepente o
carro desgovernou por completo, pois um dos pneus
estourou. Andei mais um pouco, consegui controlar o carro.
Parei no acostamento
Escuridão total. Meia noite em ponto, um medo imenso se
apoderou de mim. Mesmo com o coração aos saltos eu saio
do carro com um guarda-chuva que insistia em ser levado
pelo vento. Poderia ficar ali um bom tempo que nao veria
um carro se quer passar. Alguém teria que trocar o pneu,
era eu ou era eu, não tinha escolha. As lágrimas do medo
Lunas Cafe Poetico

escorria em meu rosto e se misturava com a chuva. Quando
abri o porta mala para pegar o estepe senti uma mão
pousando em meu ombro... E quase num sussurro ouvi,
__ Eu faço isto pra você!
Naquele instante eu já nao sentia mais nada, nem medo
nem susto. Fiquei ali olhando para o meu benfeitor que
surgiu, não sei de onde, pois não havia nada por ali, nem um
carro parado, mas nada mesmo.
Era bem jovem, habilidoso, em poucos instantes ele trocou
o pneu do carro. Foi aí que tive a idéia de pegar na minha
mala, uma toalha para ele se enxugar, visto que a chuva não
dava trégua, mas surpreendentemente quando voltei com a
toalha ele já havia desaparecido.
Fiquei perplexa. Olhei ao redor, não via nada. Entrei no meu
carro e segui em frente. Na manhã seguinte, enquanto eu
tomava o café da manhã com minha mãe, que fazia questão
de preparar sempre com um delicioso bolo de milho, pois
ela sabia que eu gostava muito, vimos no noticiário local
que um jovem havia se envolvido em um acidente de moto.
E qual não foi minha surpresa quando vi que o jovem era o
mesmo que me ajudou na estrada. Minha mãe tentando me
acalmar, com toda naturalidade me disse;
__ Filha, os anjos estão em todos os lugares!
UMA ESTRANHA HISTORIA !

Helena de Paula Paula
Feras da Poetica

Amor abstrato

Reluz ao vento um tom de mil saudades
E pra posteridade levo comigo esse amor.
Já não sei se é tarde, mas a cumplicidade,
Em intensidade já me desmoronou.

Amor abstrato que moldado em um retrato,
Já não me diz mais claro quem eu sou.
E se desse amor revivo o meu passado...
Tão atirado e solitário, pensativo estou.

Ah, se no meu porto atracasse o tempo,
Seria um Rei, mesmo que por um momento...
E te traria de novo inteira pra mim.

Ah, se o tempo me fizesse forte,
E quem sabe ladeado pela sorte...
De novo, sentir seu cheiro de carmim.

Nelson Rodrigues de Barros
Lunas Cafe Poetico



Nuanças da vida...

No farfalhar das folhas
Vê-se ir ao vento,
As folhas ressequidas
Por falta de seiva,
Ou mero acaso da natureza

Assim é a vida
Num minuto,
Somos plenos em felicidade
Noutro, tristeza infinda

Assim é a vida
Num momento,
Estamos em êxtase
Noutro, perdemos a razão de ser

Felipe F Falcão Falcão
Feras da Poetica



Eu, eu mesmo!

Morei por anos no manicômio.
Deram-me a oportunidade de
vir a conviver com os loucos,
até aí, tudo bem, tudo normal,
mas vendo poetas senti que há
um pouco mais de sabedoria
entre eles. Isso de associar
a matéria ao sentimento para
compor o que quase sempre
não se sabe, porém, se sente.
Pergunto a vocês já que de mim
mesmo a poesia que tenho, ou o que
me compara aos poetas, é tão somente
a vontade de sê-lo, não mais do que isso,
então o que é que seria da normalidade
se não fosse a loucura? Ou vice-versa?

Mauro Rocha Marques
Lunas Cafe Poetico



AOS AMIGOS QUE VI PARTIR

Numa tarde, todo o ar de mim quis sumir.
Todo aquele que eu, com força, aspirava.
A noite de pronto quis, então, surgir
No seu leito de rainha, onde aguardava.

Acenei sim, com o lenço branco ao vento,
Despedindo-me daqueles que tanto amei.
Deixei-me ficar por horas ao relento
Esvaziando do peito as lágrimas que gerei.

Ah! Como é dorido vê-los, ao horizonte, caminhando
Sem olhar para trás, sem saber que estou aqui
A dar-lhes o último adeus, com o coração chorando.

Minh'alma quis junto deles, pelos mares afora, ir.
Não desejava ver este momento, tão depressa, chegando,
Nem ver meus queridos nesta fila do partir.

Eritânia Brunoro
Feras da Poetica



MEIGA FLOR

Esse encanto sem par me extasia
E conduz aos portais do pecado
Plenamente envolvido, abismado
Sou refém duma rara euforia

Provocante, tu és a culpada
Das torrentes de amor, desvario
Tua ausência produz um vazio
Meiga flor, em meu ser tatuada

Aspirando o frescor desse aroma
Enclausuro-me em doce redoma
Onde encontro um prazer colossal

Quando imerso nas cores da bruma
Que meus passos domina e perfuma
Provo, enfim, d'alegria integral

Jerson Brito
Lunas Cafe Poetico



Ideias sem nexo

Se ouço a música do Chico
Aquela que fala de uma despedida,
Alias não é do Chico,
Eu sempre faço confusão,
Não é do Chico,
Mas é a Betânia quem canta.

A música faz parte da minha vida
Não só a música, mas também o Chico,
A Betânia, e todas as canções de amor,
A poesia do Drummond, e de Quintana
Se bem que eu ainda prefiro o Fernando.

E você ainda escuta o Caetano?
Não gosto muito dos cantores baianos
Apenas do João Gilberto,
Que é quase meu conterranêo
Eu estou mesmo ficando velho
Faço grande confusão sobre cantores
Sobretudo com os da bossa nova.

Sobre aquele poema do mestre Pessoa
Fiquei revoltado ao ler, em um livro de autoajuda
Um escritor medíocre que é padre, tentando explicar o
Feras da Poetica



mestre...Idiota! A tabacaria de Pessoa, como se falasse
De um bordel cheio de prostitutas.


De fato, Poetas são como Putas, diria Garcia Márquez
Escrevem sobre qualquer tolice, depois esperam
Que alguém os leve a sério.
Mas tudo é poesia... até sexo pago.

Evan do Carmo
Lunas Cafe Poetico



LUA CHEIA

Lua me chame quando ele
Ai aparecer, então diga ao
Meu amor que estou aqui
A espera que ele estenda
     SUA MÃO

Diga que meu choro dói
Meus braços já estendidos,
Só esperando sua vinda,
Olho pela janela, te vejo
     OH! LUA

Traga meu amor depressa
Antes que eu morra, assim,
A tristeza corroeu minha
Alma de dor deste amor
    VENHA AMOR

Minhas lágrimas me fazem
Esquecer meu viver, sinto
Esvai-se dentro de mim
Nem medo tenho, apenas
      TE QUERO

Poetisa Menduiña
Feras da Poetica



Por Karinna

Atesto que o incesto cometido
Foi puro pecado contra as letras.
Atesto que a cândida poesia
Jazia e eu nem tinha o tal poder
Que faz ressurgir das finas cinzas
A música contida e incontida
Nos versos demais e assaz complexos.

Atesto que a vil palavra dura
Vetou o dizer tchau para o ambíguo
E abraça rebeldia insana e criva
Meu peito como obus que estremece
Delindo a exatidão que já nem era
E a Era que me aguarda eu já desfruto..

Atesto o ficar mudo como sina
Que trago na sacola já rasgada
E, como rio repleto, abro comportas
Que inunda vilarejos, trazem perdas!
Agora é que são elas, dizem gentes.

Atesto que a Prenda lá do sul
Precisa e conta com as orações
De cada um poeta que tem fé:
Lunas Cafe Poetico

A de que o flagelo a abandone.

A moça aveludada em verso forte
Espalha-se na dor, vilã descrente!
E quem irá pedir por sua causa?

Atesto que eu até subi aos céus
E o “não” foi estridente e houve eco...

Atesto a morte até da esperança...

Ronaldo Rhusso
Feras da Poetica




"MENINA-MULHER".
Você, menina no corpo, mulher na alma.
Que soube e sabe dividir tão bem o que tem,
e, não raro, o que nem tem.
Você, menina no corpo, mulher na alma,
Que me deu seu leito, sua mesa, seu carinho,
Seu espaço, seu quarto e seu coração.
Dividiu computador, cama e mesa,
Mãe, família, gata e pão.
Deu-me um ‘ohm’ imaginário,
Sensibilidade de criança,
Aquecendo-me noites frias...
Encantando-me dias tristes...
Você, menina no corpo, mulher na alma...
Sendo minha filha,
Também me deixou ser
Sua mãe...

Escrito para Luiza

Rita Sovatti
Lunas Cafe Poetico



                     HOMENAGEM AO

              LUNA’S CAFE POETICO

                E SUA FUNDADORA

Luna Di Primo – a maior musa humana ainda

                       existente

Caros amigos que no Luna’s se congregam

Aqui vivemos qual nUma festa a dançar

Fazendo da poesia, uNa e sem par

Encanto a nos encantAr em versos que nos legam!

Contamos e cantamo’S com felicidade

As belezas da vida
Feras da Poetica


Fantasias guardadas, Contidas, e agora propaladas

Em belos versos, prosAs e até em vídeos

Com belas imagens e Fotos muito bem elaboradas!

Almejando a todos quE aqui pairam seus olhos

Fazerem uma bela visita ao nosso grupo,

Esperamos ouvir dos Poetas e seguidores

Críticas que visem sOmar qualidade ao grupo!

Aproveitando a chancE, quero render homenagem

Feita carinhosamente Tendo a honra de citar

E ao mundo inteiro avIsar que temos entre nós

Como a fundadora e Como dona do Café

A MAIOR MUSA DOS NOSSOS TEMPOS
Lunas Cafe Poetico


Felicidade em pessoa, bondade, temperança

E solidariedade. Ouso, pois aqui proclamar

                  LUNA DI PRIMO

           “A MAIOR MUSA HUMANA

                AINDA EXISTENTE”

                     Ineifran Varão
Feras da Poetica

"Mulher, um ser criado com perfeição".

Quando Deus fez a mulher já estava em seu sexto dia de
trabalho fazendo horas extras.
Um anjo apareceu e lhe disse: "Por que leva tanto tempo
nisto?"
E o Senhor respondeu: “Já viu a minha ficha de
especificações para ela?”
Deve ser completamente lavável, mas sem ser de plástico.
Ter mais de 200 peças móveis e ser capaz de funcionar com
uma dieta de qualquer coisa, até sobras, ter um colo que
possa acomodar e consolar crianças e adultos, às vezes ao
mesmo tempo.
Ter “um beijo que possa curar desde um joelho arranhado
até um coração partido e fará tudo isto somente com duas
mãos.”
O anjo se maravilhou com as especificações. "somente duas
mãos.... Impossível!“ e este é somente o modelo básico?
É muito trabalho para um dia... “Espere até amanhã para
terminá-la.”
Isso não protestou o Senhor. Estou tão perto de terminar
esta criação que é favorita de Meu próprio coração.
“Ela se cura sozinha quando está doente e pode trabalhar
jornadas de 18 horas, ou... Acho que até mais, rss.
O anjo se aproximou mais e tocou a mulher. "Mas o Senhor
a fez tão suave...”
Lunas Café Poetico



“É suave", disse Deus, mas a fiz também forte. Você não
tem idéia do que pode agüentar ou conseguir.

"Será capaz de pensar?" perguntou o anjo.
Deus respondeu:
"Não somente será capaz de pensar, mas também terá que
raciocinar e de negociar"
O anjo então notou algo e estendendo a mão tocou a
bochecha da mulher...
"Senhor parece que este modelo tem um vazamento... Eu
lhe disse que estava colocando muita coisa nela..."
“Isso não é nenhum vazamento... é uma lágrima“
corrigindo-o o Senhor.
"Para que serve a lágrima," perguntou o anjo.
E Deus disse:
“As lágrimas são sua maneira de expressar seu destino, sua
pena, seu desengano, seu amor, sua solidão, seu
sofrimento, e seu orgulho."
Isto impressionou muito ao anjo: “O Senhor é um gênio,
pensou em tudo. A mulher é verdadeiramente
maravilhosa"
Sim é!
A mulher tem forças e fazem coisa que maravilham aos
homens.
Agüentam dificuldades, levam grandes cargas, mas têm
felicidade, amor e alegria.
Feras da Poetica

Sorriem quando querem gritar.
Cantam quando querem chorar.
Choram quando estão felizes e riem quando estão nervosas.
Lutam pelo que crêem.
Enfrentam à injustiça.
Não aceitam "não" como resposta quando elas crêem que
há uma solução melhor.
Privam-se para que a sua família possa ter.
Vão ao médico com uma amiga que tem medo de ir.
Amam incondicionalmente.
Choram quando seus filhos triunfam e se alegram quando
seus amigos ganham prêmios.
Ficam felizes quando ouvem sobre um nascimento ou um
casamento.
Seu coração se parte quando morre uma amiga.
Sofrem com a perda de um ente querido, entretanto são
fortes quando pensam que já não há mais forças.
Sabem que um beijo e um abraço podem ajudar a curar um
coração partido.
Entretanto, há um defeito na mulher que eu ainda não sei
como corrigi-lo:
Um defeito! Mas qual Senhor, depois de tantas qualidades:
Pergunta o anjo.
Nós sabemos o quanto ela é importante. Entretanto... Ela, a
mulher, se esquece o quanto vale... E muitas se tornam
submissas e em silencio...
Lunas Café Poetico

E isto meu anjo é o defeito de muitas mulheres que criei...
Serem e deixar ser submissa.


Jose Meireles
Feras Da Poetica



A DANÇA DA SOLIDÃO


A dança
da solidão
balança
na ilusão
no desânimo.

Alcança
o desespero
na imensidão
de sonhos
desperdiçados;

Na ausência
de um objetivo
de um propósito
de um desejo
de uma razão
para dançar
a dança
da vida!

(Fafah Reis)
Fátima Almeida
Lunas Cafe Poetico



Os Poetas...

Da alma nascem as frases do coração
são frases tristes ou frases alegres,
são sentimentos de pura emoção,
e na folha em branco a magia rege...

E no cume de tuas magnitudes
os Poetas se afinam à essência de Deus,
cantam em versos tuas vicissitudes
no elevado clamor dos sonhos teus...

De um momento sôfrego de tristezas
decantam os Poetas puras belezas,
ornadas com a sinfonia da alma...

E da pura poesia veste a talma
cobrindo teus versos no coração,
desnuda assim, a mais pura emoção...

( Nivaldo Ferreira )
Feras da Poetica



14 de Março - "DIA NACIONAL DA POESIA"

ARTE DE POETAR

Em meu recanto de solidão
Transgrido no tempo e no espaço
Contemplando a imensidão do mar
Poemas, poesia, canção
Reduto de meu universo
Fecho os olhos e ouso sonhar...

Diante de minha humilde pequenez
O céu me acolhe em seus braços
Pensamentos céleres em amiúde
Na síntese de minha essência
Concluindo dilemas com atitude
Chamando-me a viver e a amar...

Na paisagem multi cores
Descanso minh’alma em versos
As letras voejam e bailam no ar
Envaidecidas pelos brocados da manhã
Sinopse de fantasias e ilusões
Deleitável arte de poetar...

Regina Trofino
Lunas Café Poetico



"**Significados Truncados**".

A mensagem eu entendo,
O erro foi atribuir outros significados,
Provocado pela acústica de teus versos,
Que reverberaram de modo inverso
Embaralhando significante e significado;
Ah alma poética e arbitrária!
Redundância a evocar
Os signos erroneamente,
Emaranhando os códigos,
Empobrecendo a semiótica,
Confundindo virtualidade e realidade;
Excesso d "**Significados Truncados**".
A mensagem eu entendo,
O erro foi atribuir outros significados,
Provocado pela acústica de teus versos,
Que reverberaram de modo inverso
Embaralhando significante e significado;
Ah alma poética e arbitrária!
Redundância a evocar
Os signos erroneamente,
Emaranhando os códigos,
Empobrecendo a semiótica,
Confundindo virtualidade e realidade;
Excesso de diacronia adolescente!
Sonhos não se
Alimentam de autofagia...
O que você quer de mim,
Sempre terá:
Feras da Poetica



A poesia pura e transparente,
Simplesmente.
e diacronia adolescente!
Sonhos não se
Alimentam de autofagia...
O que você quer de mim,
Sempre terá:
A poesia pura e transparente,
Simplesmente.

Flor Bela
Lunas Cafe Poetico




Sê!


Trilha teus caminhos com passos firmes.
Engaja-te.
Luta.
Tem a clareza dos teus objetivos.
Planeja.
Realiza.
Vence os obstáculos em teus caminhos.
Prossegue.
Persegue.
Pondera diante das divergências.
Acautela-te.
Partilha tuas emoções com o outro.
Confraterniza.
Comunga.
Estende as mãos para solidarizar-te.
Abraça.
Acolhe.
Acredita em tua força interior.
Aprende.
Ensina.Ouve a voz do teu coraçãp.
Aceita.
Ama.

(Maria Luiza D’Errico Nieto)
Feras da Poetica

MINHA POESIA

Quando já nada restar de mim,
posto que serei pó do tempo,
que será dos resquícios poéticos
hoje ainda brotando em minh'alma?

Terão maior valia para alguém
num mundo tão conturbado,
onde a poesia quase não tem vez
e a ternura pereceu sem graça?

Do meu coração, provavelmente,
continuarão fluindo doces poemas
e doravante ainda mais singelo serei
mesmo que nunca fascine ninguém

Os homens não plantam árvores
somente para si próprios, eles vão,
elas permanecem dando sombra
a quantos virão depois, e isso é lindo

Então, assim deveras sendo,
semeio poesias não para mim
mas para enternecer quantos virão
após o tempo me tornar apenas nada

Gilbamar de Oliveira
Lunas Cafe Poetico



Muito obrigada

Obrigada Senhor pelo meu dia,
Obrigada pelas pessoas que amo.
E obrigada por aquelas, que...
De alguma forma eu ainda não aprendi a amar.
Obrigada por tudo, pelas dores, pois é sinal de que estou
viva.
Obrigada pelos atrasos, pois é sinal de que alguém conta
comigo.
Obrigada pelo stress, pois é sinal de que tenho uma mente
agitada.
Obrigada pela saudade, afinal é sinal de que tenho pessoas
queridas.
Obrigada pelas decepções, pois com elas aprendi a viver e
me fortalecer.
Obrigada por minha família, pois sem ela, eu não estaria
aqui.
Obrigada pelos meus amigos, os distantes e os próximos,
pois os amos de verdade.
Obrigada pelo coração que me dera, pois é com ele que
sinto sua presença, e o amor que tenho pela vida.
Obrigada Senhor.

Bianca Francisco
Feras da Poetica




"AVÓS   & NETOS".


Dizem que neto é filho com açucar.

E as avós ??

Formiguinhas ...


Fernanda Xerez
Lunas Cafe Poetico



L.indo sítio literário
U.m sucesso declarado
N.aquele site Facebook
A.menina está bombando
´S.eu grupo agradando

C.om muitos fãs a visitar
A.página é um sucesso
F.ui lá e sempre regresso
É.fácio fazer esta homenagem

P.ara a menina Di Primo
O.sucesso é um badalar de sinos
E.todos estão aplaudindo
T.em de tudo que você queria
I.nspiração e muita poesia
C.afé Poético é a página do momento
A.menina Di Primo e o seu encantamento

Fernanda Xerez
Feras da Poetica



GIRA CÉUS NO INTENTO PRIMAZ

Roçando leve na nuca
minha face farpada
arrepia teu couro

Labiando o pescoço
começa o alvoroço
prazer em doce corso

Paladeando teu sabor
gira a terra
gira céus

Tatendo doces montes
com picos alertas
soam alarmes de sinos

Dedilhando teu poço
inundo as bordas
sugando esse córrego

Unidos por inteiro
temos mais que momento
imanente intento.

Gyano Azevedo
Lunas Café Poetico



Oh!Deixem-me viver paixões diversas!


Oh!Deixem-me viver paixões diversas!
De suas chamas, quero todo o lume,
Também luxúrias, mesmo controversas
Daquelas que se vão com seu perfume...

Oh! Paixões! Mesmo que das mais adversas!
Que sejam etéreas, como é costume,
Que deixem sempre as marcas mais perversas...
Vivê-las, quero, antes que me escume...

Que sejam ais, quimeras, só loucuras...
Vivê-las quero sim! Eu quero, enfim,
Arder nas suas chamas venturosas...

Paixões eu quero ter, sem dó, censuras,
Mesmo que sejam fados, tenham fim,
como na praia as bolhas espumosas!

Edir Pina de Barros
Feras da Poetica




RESPIRE... APENAS RESPIRE

NUNCA HAVIA ME DADO CONTA
DO QUÃO PRAZEROSO É DEGUSTAR UMA TAÇA DE VINHO SOZINHA
NEM, TÃO POUCO, DAS DELICIOSAS SENSAÇÕES OBTIDAS
AO SE RESPIRAR GOTAS DE PRAZER EVAPORADAS...

SOB EFEITO DE UM CERTO FEITIÇO
MINHAS MÃOS TRANSPIRAM
MEU CORPO SE CONTORCE
MINHA MENTE ME REMETE A LUGARES NUNCA ANTES VISITADOS

UM MISTO DE MEDO E DESEJO
UM ELO ENTRE A TIMIDEZ E A PALAVRA
UM TOQUE ENTRE UM GOLE E UM GEMIDO

E MEU OLFATO INALA SEU PERFUME
A MINHA BOCA SENTE O GOSTO DA EXPLOSÃO DO SEU PRAZER
ESPASMOS ME INVADEM...

SENSAÇÃO DE ESTAR SENDO SALVA, RESGATADA
COM LÁGRIMAS NOS OLHOS E CORAÇÃO ACELERADO
COMPLETAMENTE EMBRIAGADA PELO VINHO OU POR UM OLHAR
LOUCA PARA PESSOALMENTE AGRADECER
A QUEM OBRIGOU MEU SANGUE A FLUIR...
MEU "EU" A RESPIRAR...


Elaine Mesquita
Lunas Cafe Poetico



No passado ficou

Bandida, meu ex-amor
não lhe esqueci não
trago no peito a dor
da sua cruel partida
e a amarga desilusão
de um amor perdido
ferido com a separação...

Caminhos diversos
a vida nos armou
sentimentos controversos
e a nossa paixão
esquecida ficou
nas cartas amareladas
nas gavetas guardadas.

Maurélio Machado
Feras da Poetica




Em Cantos

Em meu canto tem um canto
Em que canto o teu canto
Pranto pronto que encontro
Ponto a ponto eu me espanto
Com o ponto em que apontas
Em Canto de teu canto
Tu te encantas com meu canto

Antonio Fais
Lunas Cafe Poetico



Silêncio & Som!

O crepúsculo ensaia sua música,
Acordes de silêncio na escuridão.
Na penumbra reina a lua,
Do mar desperta, paixão.
Onda vem, onda vai...
E o vento passa, assobiando segredos.
Versos farfalham na mente,
Simplórios, singelos, sem receios,
Marcam a alma com um beijo.
A insônia conversa com o sono.
Sonhos escusam os pesadelos.
Lembranças surgem de íntimo nevoeiro.
O cansaço marca a face...
Enquanto sonâmbulo, escrevo.
O olhar do dia procura a noite.
A sinfonia de uma nova canção,
Vem despertar cabalísticos anseios.
Da janela vejo o sol lambendo o mar,
Também me deixo afagar da janela dos meus medos.

Márcia Costa
Feras da Poetica



NINGUÉM TE AMARÁ O QUANTO TE AMEI


Entre espinhos e flores
Minha alma sempre viveu,
Entre os meus mil amores
Nenhum, maior do que o seu...

Entrastes de mansinho em meu coração
Fizestes moradia em minha mente,
Tornastes a fonte de minha inspiração
Fizeste-me ver o mundo de forma diferente...

Fez-me sorrir quando chorava
Fez-me acreditar na felicidade,
Mandastes para os ares a saudade,
Mostrastes realidade a quem sonhava...

Fizeste-me o homem mais realizado
Destes-me tudo o que sempre almejei,
Ninguém te amou o quanto te tenho amado...
Ninguém te amará o quanto te amei!

Moacir Silva Papacosta
Lunas Cafe Poetico



Recusa

Agrada-me bem mais
olhar estrelas
do que assinar sentenças
de morte.
Agrada-me bem mais
ouvir a voz das flores
que, murmurando é ele,
meneiam as corolas
quando eu cruzo o jardim
do que ver os escuros
fuzis da guarda
matarem quantos querem
matar-me –
por isso eu não serei
– jamais – um governante.

Alexanndre Guisso
Feras da Poetica



Colar de Pérolas

Vale-me justo, o custo da pura amizade.
Da mesma forma a qual um Colar de Pérolas.
De incalculável apreço se faz em cada conta,
Como a mais rara e preciosa de todas as pedras.

Motivo simples e brilhante como um lindo dia.
Unidas e parecidas com cintilosas estrelas no céu,
Onde distantes, mas ligadas por algo mais forte.
Compartilhando momentos particularmente seus.

E nesta confusa e conturbada engrenagem que é o tempo,
Prova-se a dedicação como grande agente modificador,
E a compreensão muito além de qualquer outro sinal.

Justifica-se nos detalhes, a direção clara desta junção,
Não apenas pelo assemelhar único a um Colar de Pérolas,
Mas principalmente a um círculo de carinho harmonial.

Jorge Jacinto da Silva Junior
Lunas Café Poetico




A onda

a onda anda
aonde anda
a onda?
a onda ainda
ainda onda
ainda anda
aonde?
aonde?
a onda a onda

Lucineia Campos
Feras da Poetica



ENCONTREI ESSE TEU OLHAR

Estava eu nesta vida
tão escura e tão comprida
em teus olhos encontrei uma saida...

Era um brilho ofuscante
e piscava bem constante
era muito impressionante

Perdida neste caminho
eu dizia bem baixinho
eu preciso deste carinho...

Em teus braços, namorado
eu sempre fico calado
ações de um apaixonado...

Cida Moura
Lunas Cafe Poetico



Das faces, as infundadas
Que mostras falsamente
E observa a emboscada
Que lança novamente

Há várias vidas em si
Nenhuma é decente
E vive com um frenesi
Dos atos inconseqüentes

Caráter, o que pode ser
Para quem o desconhece?
Se o outro é só lazer
Para as teias que ele tece

Reconheço meu engano
Dignidade não há alguma
Pois passa de um humano
Que faces não há nenhuma

Camila Lima
Feras da Poetica



MORENA TU ÉS...
Morena linda tu és
a fonte do meu prazer,
pois da cabeça aos pés
tô desejando você!

Antonio Galdino
Lunas Cafe Poetico



Em mim, encontra a paz,
O sol, a luz

Em mim, encontra calor,
O amor, a paixao!

Em mim encontra o desejo,
Tesao, a volupia

Sou vida, sou vento
Sou momento,
Teu alento!

Sou loucura,
Devaneio!
Sou saudades!

Te aqueço , no abraço,
Que te prende em mim!

Heloisa Crosio
Feras Da Poetica



NÃO EXISTO

Sinto sua falta, é difícil esquecer um amor
O corpo dói, a mente se perde em devaneios
E eu me perco em esperar que volte
Não há prazer nem vida
Somente meu espectro insiste em esperar por você
A chuva La fora quer lavar o meu rosto
Mas que rosto?
Existe apenas a sombra do que deixou

Marina Menina
Lunas Cafe Poetico



No Pensamento


No Pensamento...

Continuamente
me visto de teu eterno,

despista-me porém
essa cor de teu terno

E busco o teu cerne

Tentando te decifrar...

Não te vejo e nem
posso te adivinhar

Reconheço, antes sim,
meu desejo, essa

Vontade de contigo estar

Mas em que momento tu te revelas?

Na poesia?

          Nas curvas perigosas desta pena minha?
Feras da Poetica

Nestas tortuosas linhas, em que
atrevido te embrenhas?

... Te confundes mesmo
à tinta do pensamento,

mais poderoso decerto,
que qualquer sentimento
que possa haver entre mim e teu ser...

Ariadneh Cavalcante
Lunas Cafe Poetico



JACOBINA, É LINDA, UM ESPLENDOR!

Lá do alto eu vi,
Jacobina, linda!

Fiquei muito tempo
Pensando em Deus,
E cheguei à conclusão:
Quem aqui nasceu,
Tem a obrigação de ser feliz!
Porque esse presépio,
Incrustado nessas serras,
Não é coisa do homem,
E sim de Deus!
Só ele, simplesmente ele,
Pintaria tão belo quadro,
Sem usar uma régua,
Muito menos um esquadro.
Cores perfeitas!
No desalinhamento,
O alinhamento,
Das subidas e descidas,
Das curvas...
De toda combinação
Na distribuição das cores,
Onde prevalece o verde,
Feras da Poetica



Manifestada através das árvores,
Que são muitas,
Fazendo contraste nesse dia,
Tão cheio de alegria,
Com o azul do céu.
Jacobina é assim:
Rodeada de serras,
Como se fosse um grande caldeirão,
E no centro surge bela,
Avançando sobre elas.
Cachoeiras descem as serras,
Fazendo de jacobina,
Uma cidade linda,
Um grande esplendor.
Por essa razão,
Manifesto por ela,
Todo o meu amor!

Vera Jacobina
Lunas Cafe Poetico




VELHA, NOVA AFINAL O QUE IMPORTA?

Sou velha, sou nova?
Tenho a idade do mundo,
Deste mundo antigo,
Com civilizações antigas,
Pré-históricas,
Rudimentares.

Deste mundo velho,
Ao mesmo tempo novo,
Que sempre se renova,
Através dos tempos,
Ciclos encerrando,
Novos ciclos surgindo.

Da mesma forma,
As civilizações seguem os ciclos,
Conhecimentos adquirindo,
Vão se adaptando,
Vão se renovando,
Novas eras iniciando.

Sempre há de surgir um mundo novo,
Sempre há de surgir uma nova civilização,
Mas a civilização é a humanidade,
Que continua a mesma,
Que não se renova,
Pois evoluir é a sua missão.
Feras da Poetica


Os ciclos estão se findando,
Ao seu ápice o mundo chegando,
No livre arbítrio de seus conhecimentos,
A humanidade se refestela,
O antigo velho mundo destruindo,
Dele achando-se senhora.

Há muito os alertas foram dados,
Por poucos foram escutados,
A natureza grita,
Homens incautos,
Só pensaram evolução material,
Agora colhem o que plantaram.

És nova, és velha, és antiga?
O que importa?
Se sempre para trás voltas,
Corre, ainda há tempo,
De fazeres parte,
De uma nova humanidade.


Luconi
Lunas Cafe Poetico



Ai Mel!
Como é doce o sabor do seu amor!

Sua boca me provoca sensações

E me derreto na essência do seu sorriso.

Ai mel!

Que delicia são os seus beijos

Me lambuzo de desejo,

Sempre acabo em seus braços

E me perco em seus amassos.

Meu docinho de caramelo

É só você que eu quero

Para adoçar minha vida.

Nossos corpos ali fervendo

Vejo você derretendo

Como doce de baunilha.

Leandro Flores
Feras da Poetica



RECEITA PARA AUMENTO DA FÉ


Quando nossa humilde fé enfraquece
O remédio é a Palavra de Deus
Que foi escrita pra quem são filhos Seus
Aí sim, nossa pequena crença aquece.

Obediência ao Senhor e a oração
Andam sempre juntos de mãos dadas
Obedeçamos às ordens sagradas
Guardemos pois, sua Lei no coração.

Assim somos cada dia renovados
Nossa intimidade com o Pai aumenta
verdadeiramente muito abençoados.

Nossa fé abre grandes horizontes
Se a tivermos como um grão de mostarda
Poderemos até transportar montes.

(Christiano Nunes)
Lunas Cafe Poetico




AMOR

Solto um passado apaixonado

Que de agora

Dentro e fora

Cobiçado!!

Ganha forma de gotinha

Alma minha!!

Se regenera em temperança

Confiança!!

Não duvida

Tem esperança

Afiança!!

Crê no coração

Que tudo alcança!!

Sérgio matos
Feras da Poetica

Com o barro esquecido

Sigo pelos caminhos
Transfiguro o destino
Esse que eu já cumpri
No tempo me amotino
Descubro que sou tantos
Nas ilusões me obstino

E me faço areia e pranto
Encanto, ode, asa e lava
Mas assim convém aos olhos
No tudo sou sal, a clava
Sou lança, aço , cruz e altar
Na terra que rejeitava

A dor no todo a memória
E sempre me refazendo
Duro , tenso, perplexo
Em areia desfazendo
Todas minhas quimeras
Nos desejos abstendo

Meu rosto semelhante
No tempo corrompido
Deixando meus afetos
Nas feras confundido
A face tornou-se pedra
Com o barro esquecido

Ricardo Wichinsky
Lunas Cafe Poetico



Temperamento

A noite
se transcende no silêncio.
E, em folhas
que anoitecem calmas,
sob os galhos
escuramente retesos.

No brilho
das romãs adolescentes
a camada de luz
clarifica.
E, apenas as imagens
falam.

Andrea Cristina Lopes
Feras da Poetica




A viagem

Fecha os olhos só por um instante...
e teu passado, revivido, te alcança.
Porque na pureza de todos os sons desliza,
célere e sem pausas,
volátil tempo, teu presente.
Teu futuro?não mais tão distante...
já é real no aqui e no agora,
materializado em forma de canção.
Por uma, talvez serás lembrado
e te tornarás então eterno
em cada um por quem passares.
Música é a verdade na emoção
da hora ou tempo arrebatados.
Se faz única e plena de vivências
nos (des)encontros desta vida
permeando devaneios do ousado,
do tolo, do racional, do insensato
de todo o que em demasia sente e ama.
É linguagem cifrada em sensibilidades.
Vivendo o ser terreno aprisionado,
recebeu divino dom que o enleva e chama
a alçar vôo, nos sons, inebriado...
o espírito em paz, em plena liberdade.

(ju armos)
Lunas Cafe Poetica



Se Culpado fores.
J. Norinaldo

Ouço os ecos de lamuria em tua prece,
Como chispas de uma língua de adaga,
Que escarra na face que afaga,
E apedreja os anjos de Augusto,
Atraindo a si mesmo o nojo justo,
Do desdém que a vida te oferece.

Caminhando com a morte de mão dada,
Consciente que tua prece não diz nada,
Que teu sorriso de escárnio é fingimento;
E que os rastros que deixastes na estrada,
São seguidos por aves de rapina,
Pelos odores de carne estragada.

Insalubres lembranças do passado,
Como mofo das tochas apagadas,
Diz-te santo perante um deus amigo;
Por teus atos aqui na terra praticados,
Até o mar que te acolheu foi poluído,
E com certeza Deus nunca esteve contigo.

J. Norinaldo
Jose Tavares
Feras da Poetica



SEI QUE TE AMO

Sei que te amo porque
Quando longe de mim estás,
sua falta longa se faz...
E quando da sua presença,
Meu coração se enche de Paz.

Sei que te amo quando
me pego sonhando
Com você me amando
e meus sonhos acalentando.

Amo você que é todo amor,
E me faz sentir Mulher amada!
Presente da vida!
Sem você a vida é um nada!

Nanci Laurino
Lunas Cafe Poetico




Delito sensual

tua pele chocolate
num corpo
de delito

fenda perfumada
onde me
d
e
r
r
amo...

Ricardo Mainieri
Feras da Poetica




Beijos viajosos

Tem beijo que beija
Tem beijo que roça
Tem beijo que deseja
Tem beijo que é troça

Beijo que beija
Beijando o beijo
Beijado beijará
E beijo será criado

Beijos poéticos
Patéticos, ecléticos
Luciformes, multiformes.
Informe: o beijo virá

E reinará o amor
Beijo não é orgia
une duas almas
E trás até nostalgia

Beijo alegre que sorri
Beijo triste de melancolia
Beijo mal dado que repugna
Beijo que na verdade não se daria
Lunas Cafe Poetico

Beijo, se te beijo
Beijo da poesia o beiço
Que o intelecto diz lábio
E o sábio apenas beija

Beijo repetido
nunca é beijo perdido
Posto que cada beijo
que beijo

É novo beijo
(E beijo quase sempre)
É bem vindo

Dija Darkdija
Djavan Luis
Feras da Poetica




“Majestosa vestimenta”

Em meio a emaranhados de idéias formadas
E momentos confusos em pedra, esculpidos.
Intuo o estagnar das imagens ali cultivadas
Um alvo de lucidez cinzela o breu combalido

O apelo sem rosto precedente do meu imaginar
Coleta os efeitos do que ficou sem conclusão
Num acervo colossal, quer o breu monopolizar.
Porem perpetra a luz, subsistindo à escuridão.

Ainda que o negrume, confabule com o tempo.
Entorpecendo o rito do brado peculiar da memória
A sanidade trilha nas avenidas do pensamento
E resiste soerguida, sobejando rastros da historia.

A tênue luz, a peregrinação define e orienta.
E adorna a lucidez, com majestosa vestimenta.

Glória Salles
Lunas Cafe Poetico



Lua Enamorada

Ó Lua enamorada
Que vaga silente
Decididamente
Em vales, montanhas...
Tuas caras e manhas
Tua luz encantada
Me apanham, me banham
Me beijam, me ganham
Ó Lua enamorada!

Ó Lua graciosa
Que em meu céu passeia
Agora tão cheia
Passeio de paz...
Teu riso é amor
De luz e fulgor!
Acesa, fogosa
Suscitas canções
Amores, paixões
Ó Lua gostosa!

Ó Lua enamorada
De suave frescor
É meu teu amor
Teu riso e carinho
Feras da Poetica

São meus os teus beijos
E o ardente desejo
Ó Lua enamorada...
Tu me enches de vida...
Tu és minha querida...
... Minha doce amada!...

Ineifran Varão
Lunas Cafe Poetico


PLENITUDE

No teu recanto tua voz quero ouvir
Como brisa suave sentir tua presença
Minh’alma se acalma, já posso escutar...
Contigo, não ouço nenhuma centença...
Em tua presença Senhor há abundância...
Meu coração as batidas calaram...
Céus e terra curvaram em concordância...
Teu perfume suave, minhas feridas curaram...
A sombra da noite espreita meu ser,
Contigo eu sei, não há o que temer,
Meus temores Senhor, só tu podes vencer,
Quando adormeço em meu leito,
Em meu sonhar vens permanecer
O sondar do meu coração, só tu podes...
E quando meus dias findarem...
Como as pétalas quero ser recolhidas...
E em teus átrios quero estar...
Na plenitude da tua presença viver...
E em tua luz, para sempre permanecer...

Margareth D. S. Leite
Feras da Poetica



NÃO ME DEIXE perder a vontade de sonhar por dias
melhores, onde o amor universal e a dignidade humana
retomarão os seus lugares.

NÃO ME DEIXE pensar que amanhã não haverá mais a
esperança ou que tudo estará no vazio de um caos
avassalador.

NÃO ME DEIXE desistir da idéia de um novo tempo, um
tempo onde poderemos acreditar e conviver com a
solidariedade.

NÃO ME DEIXE desesperar diante da desordem e da frieza
humana perdida em si mesma por valores absurdos e
inversos.

NÃO ME DEIXE acreditar que a nova ordem social implica
que o homem deve ser desonesto e cruel com o seu
semelhante.

NÃO ME DEIXE ver os abutres instalados no poder
roubarem a dignidade do homem justo.

NÃO ME DEIXE sentir a angustia por ver milhares de
crianças sujas sob o rolo compressor da exclusão social.
Lunas Cafe Poetico


NÃO ME DEIXE ver a disparidade entre um homem que
desfruta das riquezas e ostentação enquanto um outro não
tem o que jantar.

NÃO ME DEIXE escrever amarguras e sim esperança.

(Wagner Marins)
Feras da Poetica



O Quinto Elemento

A poesia não precisa das mãos do poeta,
somente do olhar.
A poesia precisa dos braços da natureza
e dos pincéis beijando a saliva do pintor.
A poesia tem coisa de coisas estranhas:
pigmentos de luas, caminhos, sombras
e boninas nos canteiros perdidos no tempo.
A poesia tem o encanto do solstício,
as pelejas de uns cantos serenos
e pequenos detalhes que saltam ao vento.
Poesia é a luz de um lago para peixes,
uma fila de formigas cortadeiras,
riachos e cachoeiras que não explicam
o significado e as canções das coisas.
A poesia é o quinto elemento.
Mistério que envolve galáxias, e cultiva
palavras de sonhos no peito dos poetas.

© Nathan de Castro
Lunas Cafe Poetico



Senhora Solidão

És agridoce....Oh! Senhora Solidão
Sabes bem apresentar-se Doce
Assim como sabes fazer sem demora
Mostrar-se azeda ao Coração
Que reclama e ignora o que lhe trouxe
Porém nem ouso lhe negar
Sempre que sua voz Eu ouço
Não hesito em Me entregar
A Ti, minha agridoce Solidão

Gutemberg de Moura
Feras da Poetica



ASSIM TE DEIXEI...

Sem olhar um instante
Caminhos em frente
Passos largos...

Dentro algo ficou...
Algo que me partiu
O que não juntou!

Talvez a chuva fosse lágrimas!

Tua respiração não controlava!

(Ana Lago de Luz )
Lunas Cafe Poetico

FEITICEIRA...

Cheguei no final da noite,
Já madrugada, aponta o arrebol,
Com ele os primeiros raios de sol
Refletidos no mar que não finda...

Venho como FEITICEIRA,
Para desvendar-te os segredos do mar,
E dizer a ti, de quantos sonhos ele foi feito,
Depois que me tiveres por inteira...

Sou filha de uma lava de fogo
Renascida das cinzas de trás dos montes
Recebi um nome para que eu te conte,
Os segredos que em mim se escondes.

Cheguei, cheguei
Como águas cristalinas,
Dos mais longínquos horizontes
Da terra do gelo, do fogo
Das mais lindas fontes,
Das pelejas, das jornadas
Das lutas contra á morte...
E como FEITICEIRA,
Hoje cheguei pra trazer-te sorte...

Teresa Cordioli
Feras da Poetica



RONDEL 1

Eu confio, espero e agradeço,
Por me dar sua graça, que me basta.
Pois eu sei, eu sou falho, não mereço
O perdão que a dor de mim afasta.

O meu erro me perde e me arrasta
Para a morte. Porém não enlouqueço:
Eu confio, espero e agradeço,
Por me dar sua graça, que me basta.

Renasço todo dia, pois conheço
O amor que, com sangue o mal afasta.
Um amor que custou um alto preço...
E assim, frente à cruz que não desgasta,
Eu confio, espero e agradeço.

André Rocha Cândido Cretchu
Lunas Café Poetico




Teus poemas
Vertem
Sensuais

Despertam
Desejos!

Mas

Sou tua musa,
Teu abrigo
Tua paixão

Eu,
Sei

Heloisa Crosio
Feras da Poetica




Você é meu ponto G

Quando estou com você
Todo meu corpo
Se transforma
Em ponto G...

Ângela Rodrigues Gurgel
Lunas Cafe Poetico




Tem Casos e casos

Casos que vem
Casos que vão
Casos que ficam
Casos que se eternizam
Em Nosso Coração

Casos que acasos podem ser
outros que tem de acontecer
Casos que se consumam
e em saudade ramificam
Casos que na prateleira se arrumam
Casos que desejamos esquecer

Casos de vida

Casos de morte

Casos de Azar

Casos de Sorte

Casos Virtuais

Casos Reais
Feras da Poetica

Casos ... enfim
Que o frio ecrã destronaram
Nossa Existencia iluminaram...
Casos que não esqueceremos jamais

EMIRIANO ROCHA
Lunas Café Poetico


"Cantiga Vital*":

No balouçar da saia dela eu tremo
E sou capaz de ir ao ar sem medo.
Seu rosto lindo, o seu sorrir supremo
Liberta a alma (oh sim!) do seu degredo...


E esse perfume doce ao mais extremo
A me invadir a tez assim que cedo
E me misturo a ela... Oh! Céus! Eu gemo
E um anjo nobre escreve o nosso enredo...


Eis a cantiga linda desse embate:
“Amor, me fazes bem e sou só teu
Agora e sempre. Chama-me e eu irei


Sorver o sumo teu, ser só teu vate
E te guardar, te amar té mais que ao eu
Pobre vassalo que ao teu lado é rei”.

PET
Poesias Em Torrentes

* Inspirado no poema "Cantiga" de Amanda Vital
Feras na Poetica
Conquiste meu Coração

Não basta olhar-me
Lançando teu sorriso
Para conquistar-me...
É preciso bem mais que isso.

Não basta aproximar-te de mim
E lançar-me insinuações
Que imaginas tentar-me...
É preciso bem mais que isso.

Não basta beijar-me
E com tuas mãos acariciar-me
Com ousadas tentações...
É preciso bem mais que isso,
Porque para seduzir-me,
E conquistar meu coração,
Terás que tocar minha alma.

Colocar teu amor em minha mesa.
Servir-me dos teus sentimentos,
E me faz sentir a emoções,
Ao coroar-me sem tabus,
Com as mais deliciosas carícias,
Para que eu reconheça
Serem todas verdadeiras.
Então terás conquistado meu coração.
Carlos Neves
Lunas Cafe Poetico


GUIA-ME


Guia-me nos teus caminhos;
Pois que sigo sem rumo
Senhora minha!

Guia-me senhora dos prazeres;
Guia-me nas veredas imaculada
Do seu coração...


Guia-me como brisa suave e tunante
no ápice dos seus sequiosos desejos,
Guia-me nas trilhas do teu sorriso
Que na minha vida tornara-se perpétuo.
Guia-me senhora minha!


Vantuilo Gonçalves
Feras da Poesia




Cavaleiro da Lua

Sou o cavaleiro da lua
E mensageiro do tempo
Minh'alma tão leve flutua
Além da força do vento

Trago para ti uma rosa
Que trouxe do paraíso
De todas a mais formosa
Só para ver teu sorriso

O sol mandou te dizer
Para deixar de chorar
Pois todo o amanhecer
Ele vem para te iluminar

Uma estrela gigante
Pediu-me para te ensinar
Que ela é muito brilhante
Para teus passos guiar
Lunas Café Poetico




 A chuva disse estar triste
   Com a tua ingratidão
  E que ela apenas existe
Para que não te falte o pão

 A lua sempre tão formosa
Pediu-me para te informar
  Que ela é muito vaidosa
Porque é namorada do mar

 Uma nuvem em lamento
  Falou-me com emoção
Que vives por muito tempo
  Enquanto que ela não


 Os astros em harmonia
  E a linda constelação
Cobram de ti mais alegria
Semeando a paz e união
Feras da Poetica

Sou o cavaleiro da lua
A luz que o céu irradia
Um anjo de alma pura
Amor na mais bela poesia

Agora irei para o firmamento
Deixando contigo uma lição
Provas que guardas no peito
Um generoso e feliz coração

* Falcão S.R*
Lunas Café Poetico




o veneno do amor

foi o amor, meu amor,
foi o louco e desvairado amor
que nos condenou à morte
antes que a vida nos consome.

foi o amor, meu amor,
que partiu o coracao em dois
e me fez sangrar até a morte:
sem ti, meu amor, sem ti.

e nossos lábios
o corpo pálido e frio
do amor que ainda arde:
amor, eterno amor.

Sérgio, beija-flor-poeta
Feras da Poetica




'Bebida quente'

Quando a gente se encontrar
vou recitar ao pé do seu ouvido
todos aqueles poemas que escrevi aqui.
Com saliva e calor
vou marcar em seu corpo
os versos que mais gosta.
Provarei
que sei de todas as suas vontades,
pois tenho tudo na ponta da língua...
Vou misturar pele, desejo, tesão e loucura
num coquetel alucinante e,
oferecerei tudo isso a você
numa taça efervescente:
rosa e orvalhada.
Quente, úmida e delicada.
Cheia de uma bebida destilada: desejo.

LadyM

Ladym Escritora
Lunas Cafe Poetico




Ah, ver você!
É sentir meu mundo se abrir
É ter motivos para sorrir
É a alegria possuir

Ah, ouvir você!
É música constante
É preencher meus instantes
Com momentos que me encante

Ah, ter você!
É ter vontade de só amar
E para sempre com você estar
E torcer para nunca acabar

Não vejo a hora de te encontrar!

Camila Lima
Feras da Poetica




AMAVELMENTE

Gestos...expressão do pensamento
faço-me sentir sem pretensão
no revelo de poucos movimentos


SIGRID SPOLZINO
Lunas Cafe Poetico

FÁBULA SENIL: A MATURIDADE DO ENVELHECIMENTO


Era um sujeito orgulhoso. Nariz arrebitado. Nunca olhava para os
lados
ou para baixo. Não falava com qualquer um. Não era qualquer
um.

Sujeito privilegiado. Nasceu rico. Tinha tudo o que queria: carros,
roupas de marcas e as mais lindas mulheres aos seus pés.

Mas, a vida, sábia, tenta nos ensinar de qualquer jeito.

Primeiro, teve que amputar os pés. Pensou: e daí? Para aonde
preciso
ir?

Depois foram amputadas as suas mãos. Pensou: Sim, e daí? Para
quem
preciso acenar?

Depois, sucessivamente, foram amputados seus braços, pernas,
tronco,
olhos, boca, ouvidos, dentes e cabelos. No fim só sobrou o nariz
arrebitado.

Insistente a vida lhe amputou a fortuna, o nome e o paradeiro.
Feras da Poetica


Mas, aí já não pensava mais nada e seu nariz foi finalmente
comido
pelos vermes.

Em seu velório, nos discursos, foram realçadas as virtudes do seu
nariz, a sua altivez.

Parece que apenas o verme aprendeu uma lição: quem tem fome
precisa
comer. Comeu.

E, a vida vencida morre com o sujeito, mas insiste em viver no
verme,
um nariz sem pés rastejando pela vida, sem orgulho, com o único
propósito de se erguer, se tornar homem.

Hideraldo Montenegro
Lunas Cafe Poetico




RONDEL

Na maciez do corpo em que me deito,
Deslizo suave as mãos que te afagam,
Contemplo a flor desnuda e ali me ajeito,
Por curvas e ondas que em mim si propagam,

Que suavemente movem nosso leito
E encontro as ondas que minh’alma alagam!
Na maciez do corpo em que me deito,
Deslizo suave as mãos que te afagam.

Deito meu rosto ávido em teu peito,
Enrosco-me em tuas pernas que se alargam,
Como que a procurar o melhor jeito...
E entrego-me em tuas mãos que não me largam,
Na maciez do corpo em que me deito!

Ineifran Varão
Feras da Poetica



Me farei ausência


Me farei ausência por
tempo indeterminado era
um amor tão frágil este teu
que te amei sozinha...

Carmem Araujo
Lunas Cafe poetico


CAMINHO

Para ser feliz
Digo minha vontade
Escrever no chão à giz
A palavra felicidade

Brotar de um sorriso franco
Laço de abraço amigo
Taças de vinho de branco
Um instante contigo

Beijos em tua boca
Corpo à corpo juntinho
Sussurro em voz rouca
A palavra carinho

Andar sobre o que foi grafado
Sentindo nossos corações
Eu e você lado à lado
No caminho de emoções

SIDNEY SANTOS

Sidney Poeta Dos Sonhos
Feras da Poetica




Lembrei de você.

Hoje sentei num jardim e lembrei de ti.
De teu sorriso encantador, teus olhos brilhantes
A transparecer intensa energia.
No rosto uma expressão de pura alegria.
A felicidade estampada em tua fisionomia.
De repente...
Percebi o quanto te amava.
O quanto me fazias feliz.
Lembrei do primeiro instante,
Quando nossos olhares se encontraram.
Eu sem perceber, entreguei meu amor.
Amei-te desde aquele instante.
Tu sem jeito, sem conseguir desviar,
Fitou-me no fundo de minh'alma.
Naquele momento pensei estar sendo correspondida.
Sempre juntos, presentes.
Não conseguiamos ficar separados.
Ingênua fui...
Coração de menina em um corpo de mulher.
Te dei o mais sagrado dos sentimentos
E tu simplesmente nem percebeu
Ou não entendeu.
Riamos juntos, choravamos juntos.
As vezes, brigavamos...
Outras desabafavas teus problemas,
Lunas Café Poetico

Desespêros, medos, angústias.
Partilhavamos alegrias, tristezas.
Decisões que somente tu poderias tomar.
Não sabia mais viver sem ti.
Aos poucos fui percebendo que o amor
Só existia em mim e não em ti.
Então...
Decidi partir com o coração sangrando.
Decidi aos prantos...
Dizer-te Adeus!
-Cllara dos Anjos-
Espaço Das Letras
Feras da Poetica



NAMORADO


que tenha mil encantos
cheiro bom,
doce acalanto...
beijo incomum!

um olhar envolvente.
que saiba ser bom amante,
que me faça muito carinho,
dum jeito inigualável...

que muito me ame...
que me faça feliz,
que me aceite como sou
e que nunca me engane!

que muito me queira
que sempre me chame
pra fazer amor
a noite inteira.

©Verluci Almeida
Lunas Cafe Poetico




Somos semeadores em tempo integral.

Elizabeth Marins
Feras da Poetica


POETA , quero saber!


Leitora:
- Conte-me seu segredo.
- Aonde você busca inspiração?
- Como cria um lindo enredo?
- Tudo é pura invenção?

Poeta:
- Cavalgo sobre as nuvens com Pégasus.
Tomo vinho com Baco.
Me sento com Machado, divago!

- Discuto com Clarice na Cartomante.
Recebo afago de Afrodite.
E acredite, Pessoa sabia fingir.

- Junte tudo, acrescente uma essência
E meu coração faz fluir...
Uma poesia, um conto, um ponto.

- Ti faço pensar leitor?
- Ti levo a refletir coisa alguma?
- Mergulhe no Café Poético da Luna.

Cristiane Tomaz



                       Lunas Café Poetico
Meu CORAÇÃO!!!

Sou elevada com o som do Rouxinol
Fico maravilhada com a forma poética
Me enlaço nos tracos deixados do beija-flor

Faço tudo e crio com o coração
Em tudo há amor e dedicação
Compartilho e sigo em frente

Deixo sempre um lembrete animado
Mesmo passando despercebida, é a vida!
Leio, aprende, escrevo e continuo...

Meus mestres Poetas se foram
Mas há outros que nasceram
Hoje podem compartilhar aqui, ali, lá,

Então.... vamos criar e deixar o coração falar.

Cristiane Thomaz




                           Feras da Poesia
PRECISÃO

E foi precisa a guerra santa entre os dois mundos
para que a paz cirandeasse ainda tímida
no sítio tenso, encharcado de queimumes
alardeando suas asas inda pesadas

- suportando o peso de tantos desditos -

E foi preciso um não imposto ao sim covarde
e na coragem, escorreram cãs verdades
esguichando a verve em cismas imoladas
por este verbo que inexiste em qualquer mente

E foi precisa a hora de voltar ao meio
e repartido o cálice em arrasto e fel
nas doses doces mascaradas por orgulho
fora o pedestral de vidro fosco estilhaçado

E foi preciso o vão, o pedido...

...e a negação

(Lena Ferreira)
Lunas Cafe Poetico




ANJO DOURADO

Sou anjo dourado,
de olhar terno,
meigo sorriso...
Cabelinho nas ventas!

Brilho de dia,
ao lado do sol.
À noitinha,
ilumino a lua,
as estrelas, as ruas...

Palavras...
Lanço-as ao vento.
Mas seguro-as
com um fio de prata,
quase imperceptível...
Para que não se percam.

Mansa, amiga,
companheira,
sou rainha
da colméia encantada!
Feras da Poetica



Sou flor perfumada,
do jardim do Amor!

Mas...
Cuidado!
Sou abelha,
Dou ferroadas...

Ainda assim sou doce...
Tal um favo de mel!

Sou anjo dourado!

Maria Goreti Rocha
Lunas Cafe Poetico




"Pé de flor"

Pintei uma linda flor
Num velho papel de pão
Para dar ao meu amor
E o vento jogou no chão

Abaixei-me pra pegá-lo
Vi a flor tornar-se viva
Segurei-a pelo talo
Ela mostrou-se cativa

Beijou-me a mão e sorriu
E levemente corou
Disse: Teu amor ouviu
Por isso a ti me enviou!

,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,
E aquele papel de pão
Simbolizando o amor
Criou raízes no chão...
Hoje é um lindo pé de flor!...

Ineifran Varão
Feras da Poetica

UMA LINDA HISTORIA DE AMOR

Absorta em seus pensamentos
Olha ao longe na divisa do horizonte
A recordar anteriores sonhos

Um brilho ilumina seu olhar
Ao se lembrar de seu amado
Para ao seu lado caminhar

Vinha ele todo elegante
Querendo lhe conquistar
Um homem interessante

Ficou a observar
Sua forma de conquistar
Do amor a lhe ensinar

Quanta beleza
Naquele caminho a explorar
Naquele porte de alteza

De repente seus olhos são cobertos
O perfume, a maciez daquelas maos
O calor daquele corpo, ali, tão pertos

Pertos demais a lhe arrancar suspiros
Arrepios lhe percorrem o corpo
Denunciando do amor prelúdios
Lunas Cafe Poetico

Passado e presente, primícias
Dia a dia do mais lindo amor
Verdadeiro encanto sem malícias

O ar puro da montanha, o jardim
Feito especialmente pra ela
La embaixo um vale de jasmim

A pureza do branco perolado
O perfume inebriante completava
Da sua vida, do seu amor o quadro

Devagar, olhos fechados, gira o corpo
Recosta a cabeça no peito de seu amado
Se entrelaçam no sonho mais sonhado

Luna Di Primo
Aos poetas um grande abraço e
obrigada pela confiança e carinho.
Eu amo voces!
Beijos de Luna
Julho/2011
Feras da Poetica
Feras da Poetica
Feras da Poetica

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Caderno de poesia 9º ano - Metas Português
Caderno de poesia 9º ano - Metas PortuguêsCaderno de poesia 9º ano - Metas Português
Caderno de poesia 9º ano - Metas Português
bibliotecacampo
 
Sentimentos em letras coletânea de expressões sinceras através da arte literária
Sentimentos em letras coletânea de expressões sinceras através da arte literáriaSentimentos em letras coletânea de expressões sinceras através da arte literária
Sentimentos em letras coletânea de expressões sinceras através da arte literária
Mauricio Gonçalves
 
Poemas de Olavo Bilac
Poemas de Olavo BilacPoemas de Olavo Bilac
Poemas de Olavo Bilac
Max Pessanha
 
Diapositivos dia da poesia
Diapositivos dia da poesiaDiapositivos dia da poesia
Diapositivos dia da poesia
Luci Cruz
 
Alvares de azevedo lira dos vinte anos
Alvares de azevedo   lira dos vinte anosAlvares de azevedo   lira dos vinte anos
Alvares de azevedo lira dos vinte anos
Tulipa Zoá
 

Mais procurados (17)

O Floral Poético - Com outra apresentação mais atual.
O Floral Poético - Com outra apresentação mais atual.O Floral Poético - Com outra apresentação mais atual.
O Floral Poético - Com outra apresentação mais atual.
 
Poemas de amor
Poemas de amorPoemas de amor
Poemas de amor
 
Alguns Poemas Escritos no Recanto das Letras
Alguns Poemas Escritos no Recanto das LetrasAlguns Poemas Escritos no Recanto das Letras
Alguns Poemas Escritos no Recanto das Letras
 
Meio terno, meio demolidor
Meio terno, meio demolidorMeio terno, meio demolidor
Meio terno, meio demolidor
 
Aula 24 simbolismo
Aula 24   simbolismoAula 24   simbolismo
Aula 24 simbolismo
 
Caderno de poesia 9º ano - Metas Português
Caderno de poesia 9º ano - Metas PortuguêsCaderno de poesia 9º ano - Metas Português
Caderno de poesia 9º ano - Metas Português
 
Exposição: "O Branco No Branco" (Exhibition: White on White)
Exposição: "O Branco No Branco" (Exhibition: White on White)Exposição: "O Branco No Branco" (Exhibition: White on White)
Exposição: "O Branco No Branco" (Exhibition: White on White)
 
Poetas
PoetasPoetas
Poetas
 
Poetas
PoetasPoetas
Poetas
 
Sentimentos em letras coletânea de expressões sinceras através da arte literária
Sentimentos em letras coletânea de expressões sinceras através da arte literáriaSentimentos em letras coletânea de expressões sinceras através da arte literária
Sentimentos em letras coletânea de expressões sinceras através da arte literária
 
Poemas de Olavo Bilac
Poemas de Olavo BilacPoemas de Olavo Bilac
Poemas de Olavo Bilac
 
Pés no chão e sonhos no ar - Marcos Samuel Costa
Pés no chão e sonhos no ar - Marcos Samuel Costa Pés no chão e sonhos no ar - Marcos Samuel Costa
Pés no chão e sonhos no ar - Marcos Samuel Costa
 
IEL- Caderno de Poemas 7º, 8º e 9º anos
IEL- Caderno de Poemas 7º, 8º e 9º anosIEL- Caderno de Poemas 7º, 8º e 9º anos
IEL- Caderno de Poemas 7º, 8º e 9º anos
 
Diapositivos dia da poesia
Diapositivos dia da poesiaDiapositivos dia da poesia
Diapositivos dia da poesia
 
Slide Lira dos 20 anos de Alvares de Azevedo
Slide Lira dos 20 anos de Alvares de AzevedoSlide Lira dos 20 anos de Alvares de Azevedo
Slide Lira dos 20 anos de Alvares de Azevedo
 
Alvares de azevedo lira dos vinte anos
Alvares de azevedo   lira dos vinte anosAlvares de azevedo   lira dos vinte anos
Alvares de azevedo lira dos vinte anos
 
Alma Inquieta
Alma InquietaAlma Inquieta
Alma Inquieta
 

Semelhante a Feras da Poetica (20)

Mestresda poesiapps
Mestresda poesiappsMestresda poesiapps
Mestresda poesiapps
 
dispersas.pdf
dispersas.pdfdispersas.pdf
dispersas.pdf
 
Poetas e poesia
Poetas e poesiaPoetas e poesia
Poetas e poesia
 
POETAS E POESIA
POETAS E POESIAPOETAS E POESIA
POETAS E POESIA
 
Poetas
PoetasPoetas
Poetas
 
Poetas
PoetasPoetas
Poetas
 
Sinfonia Da Vida
Sinfonia Da VidaSinfonia Da Vida
Sinfonia Da Vida
 
Livro fragmentos(1) (1)
 Livro fragmentos(1) (1) Livro fragmentos(1) (1)
Livro fragmentos(1) (1)
 
Mestres da poesia
Mestres da poesiaMestres da poesia
Mestres da poesia
 
Filipa Duarte
Filipa Duarte Filipa Duarte
Filipa Duarte
 
95
9595
95
 
Poetas A N
Poetas  A NPoetas  A N
Poetas A N
 
Poetas A N
Poetas  A NPoetas  A N
Poetas A N
 
Poetas A N
Poetas  A NPoetas  A N
Poetas A N
 
Poetas A N
Poetas  A NPoetas  A N
Poetas A N
 
Poetas
PoetasPoetas
Poetas
 
Poetas A N
Poetas  A NPoetas  A N
Poetas A N
 
Poetas A N
Poetas  A NPoetas  A N
Poetas A N
 
Poetas A N
Poetas  A NPoetas  A N
Poetas A N
 
Poetas A N
Poetas  A NPoetas  A N
Poetas A N
 

Mais de Luna Di Primo

Mais de Luna Di Primo (17)

Álbum de Fotografias
Álbum de FotografiasÁlbum de Fotografias
Álbum de Fotografias
 
Mindim - poema criado por Luna Di Primo
Mindim - poema criado por Luna Di PrimoMindim - poema criado por Luna Di Primo
Mindim - poema criado por Luna Di Primo
 
Desfile de Feras
Desfile de FerasDesfile de Feras
Desfile de Feras
 
Homenagem ao poeta Nivaldo Ferreira
Homenagem ao poeta Nivaldo FerreiraHomenagem ao poeta Nivaldo Ferreira
Homenagem ao poeta Nivaldo Ferreira
 
Homenagem à Poeta Angel Mag
Homenagem à Poeta Angel MagHomenagem à Poeta Angel Mag
Homenagem à Poeta Angel Mag
 
ILIMITADA POETICA
ILIMITADA POETICAILIMITADA POETICA
ILIMITADA POETICA
 
Poetas e Poemas em Quem quer Trovar 2?
Poetas e Poemas em Quem quer Trovar 2?Poetas e Poemas em Quem quer Trovar 2?
Poetas e Poemas em Quem quer Trovar 2?
 
Homenagem ao poeta Ineifran Varao
Homenagem ao poeta Ineifran VaraoHomenagem ao poeta Ineifran Varao
Homenagem ao poeta Ineifran Varao
 
Homenagem ao poeta Jamil Luz
Homenagem ao poeta Jamil LuzHomenagem ao poeta Jamil Luz
Homenagem ao poeta Jamil Luz
 
EmbalosPoeticos1
EmbalosPoeticos1EmbalosPoeticos1
EmbalosPoeticos1
 
HOMENAGEM A CLAUDIO POETA
HOMENAGEM A CLAUDIO POETAHOMENAGEM A CLAUDIO POETA
HOMENAGEM A CLAUDIO POETA
 
LunaLunar
LunaLunarLunaLunar
LunaLunar
 
CarinhodePoetas
CarinhodePoetasCarinhodePoetas
CarinhodePoetas
 
Homenagem ao poeta Mauricio de Azevedo
Homenagem ao poeta Mauricio de AzevedoHomenagem ao poeta Mauricio de Azevedo
Homenagem ao poeta Mauricio de Azevedo
 
Coletanea LunaDIPRIMO
Coletanea LunaDIPRIMOColetanea LunaDIPRIMO
Coletanea LunaDIPRIMO
 
Brasília50anos
Brasília50anosBrasília50anos
Brasília50anos
 
Carinhopoetasf
CarinhopoetasfCarinhopoetasf
Carinhopoetasf
 

Último

PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
carlaOliveira438
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
LuanaAlves940822
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
edjailmax
 

Último (20)

Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 

Feras da Poetica

  • 2.
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 16. Feras da Poetica Não vou chorar, Porque voce me ensinou a sorrir Não vou perder, Porque vc me ensinou a vencer Não vou sofrer, Porque voce me ensinou a ser feliz Não vou morrer, porque voce me ensinou a viver Mas, se algum dia voce for embora, Eu vou chorar, perder, sofrer e morrer, porque voce não me ensinou a te esquecer!!! Pedro Ferreira
  • 17. Lunas Cafe Poetico DIZEM Dizem que estamos Sempre buscando algo Que nos dê a juventude eterna, Mas esquecemos da caminhada, Dizem que o tempo é implacável, Que a vida em certo ponto Já não é tão estimulante, Dizem que somos a semelhança De um Deus de bondade, Mas esquecemos de sermos bons, Mas o que fazer nesta futilidade Que acabamos de nos enterrar, Quando o homem vai aprender Que após a guerra Tem que haver a paz E não somente uma trégua, Que nascemos em igualdade E o mundo nos diferencia, O mundo nos corrompe, Dizem que a humanidade Um dia vai se acabar, Mas na verdade a humanidade Está se anulando em seus próprios erros. Alexandre Brussolo
  • 18. Feras da Poetica PAZ E GUERRA O espírito desprende à matéria Eleva-se as celestes esferas Regozijando nessa forma etérea Das bênçãos de figuras muito belas Remanescentes das eras douradas Vertiam as lembranças na consciência Consentimentos da mente elevada Em um vislumbre da Divina Ciência Esclarecido na simbologia Que por Anjos era demonstrada Como que entregue em uma letargia Sublime momento em terra encantada Suplica aos Mestres que lhe privem retorno Às asperezas da vida na Terra De um jovem puro que sonha nessa esfera Em meio ao fogo e o sofrimento da guerra Jonas Rogerio Sanches
  • 19. Lunas Cafe Poetico NUDEZ Sua nudez! Carne e puro prazer... Traços cada vez mais traços! Todos alinhados perfeitos... Confeitos e mais confeitos Na luz de toda sua magia, Cada gemido um ápice da orgia... Sua alma magra, E iluminada me agrada! Faz o tempo ser abençoado E o orgasmo ser bem ardido... Devora o meu coração Toda essência da sua paixão... No encontro alucinado de corpos Que adormecem imersos, Descobrimos mais que o puro amor! Atravessamos o nosso tempo Buscamos a dimensão do nosso infinito E por fim encontramos nosso Deus! Mario Macedo de Almeida
  • 20. Feras da poetica PEGUE COM JEITO Pegue meu coração com jeito Ele é muito frágil e delicado Pegue-o com mãos macias Mãos indelicadas pode arranhá-lo Fale-me baixinho, Com palavras delicadas Palavras ásperas Vão direto ao meu coração Ele sofre, pois é muito sentimental O amor que sinto é tão forte Talvez tanto quanto uma rocha É tão sensível... Delicado como uma rosa Pegue meu coração com jeito Para não estremecer o meu amor!!! (Angel Mag)
  • 21. Lunas Cafe Poetico FOLHA VERDE Estava na floresta o céu estremeceu no meio das folhas verdes você apareceu ... Estava no jardim o ceu escureceu no meio de rosas linda, vc apareceu Nilton Souza Leiva
  • 22. Feras Poeticas VENTO Vento forte,ventania! Não tenho medo de ti! Leva do peito,a agonia Do amor que eu perdi! Leva a dor dessa saudade, Lembranças cheias de sonhos, Leva vento,a minha idade Me faz criança de novo! Vento forte,ventania! Olhar de feroz furacão... Abro os braços...vem,me guia! Leva longe essa emoção! Não deixe que essa tristeza Faça ninho em minha mente! Que não se perca a beleza De um amor ...linda semente! ( Anne Lieri)
  • 23. Lunas Cafe Poetico POESIA ABSORTA Fica tudo aqui! Os dúbios cálices, o doce sabor amargo das lágrimas e as lembranças que por todo esse tempo guardei. Deixarei no escuro todas as imagens que minha mente precisa esquecer. Fecharei todas as janelas para que o passado não me siga. Não me preocupo em dizer nada, só me restam as frias palavras, estou preferindo o exato silêncio da solidão. Busco um espelho que me fale a verdade e uma paisagem que me permita olhar através de mim e das cores. Pra terminar, guardarei os sonhos, torço para que não virarem pesadelos para que eu não tenha que desistir deles. Deixo também a tua alegria, não, ela não me pertence. Vou só vivendo estações, sem pensar no tempo liberta de sentimentos. Solange Bretas
  • 24. Feras da Poetica ORVALHO Minh’alma lamenta Em rútilos criados pelo céu, Pela palavra dita em segredo Dum verso vindouro do tempo! Ouço-me em silêncio Divagando pelas mãos Postas em prece, Em melodias pairando pelo luar De uma face onipresente na luz! Da Ribalta única O tecer do poema pelo tempo Mescla caminhos, Deixando em cada instante Um jardim perolado em alecrim! As estrelas mistificam, Brancas nuvens a desenham No beijo do sentimento Encantado no amor Semeado no orvalhar das manhãs! Auber Fioravante Júnior
  • 25. Lunas Cafe Poetico "[POESIA]". Nos faz viajar com calma; Não só viajar em corpo, ...Mas com a alma, Contigo ouvimos sons; De músicas suaves; Nos seus bons tons; Sentimento de bem estar; Gostoso e diferente; Parece que podemos voar; Invade-nos com sonhos belos; Fantasias sem perigos; Saudando nossos elos. Versos importantes aparecem; Momentos felizes vivemos; Nesse efeito que enaltece.... Jamil Luz
  • 26. Feras da Poetica Fúria Vontade de gritar! De sair de dentro! Explosão no centro! Como um vento bom bradar A minha alegria! Essa efusiva harmonia Corajosa, Honrosa! Cheia de brilhos, Com seus etéreos trilhos, Tão maleáveis, Quanto estáveis! Sabedoria de consistência, Garantindo a cadência... Que sensação espetacular, Que é resgatar! Tomar nas mãos, Os caminhos da própria ilusão... Desenhar a manifestação, Desde a sua geração!
  • 27. Lunas Cafe Poetico Reconhecer a consequência dos seus atos, Em todos os fatos! Sorrir com o resultado... Sentir-se motivado A gostar mais! A entregar mais! A proporcionar mais... A compartilhar bem mais! A reconhecer mais, A perceber muito mais... A aprender mais, A apreender bem mais! A caprichar mais, A emocionar muito mais, A captar versos, Cada vez mais sinceros, Menos severos, Mais belos! Para serem lidos ao som de um violoncelo, Espalhando-se pelo celestial espectro! Claudio Poeta
  • 28. Feras da Poetica SORRISO ANGELICAL Sou um rosto e nada mais Que povoa os sonhos, Mas não me olham jamais Mesmo atravessando os caminhos Entrando pelos portais Das cidades e das moradas, Tratam-me como os mortais Que me olham nas investidas Mesmo com meu sorriso angelical, Investida de desejo Atraindo-te para o mundo real Olha-me com um olhar fatal Tratando-me com o desprezo De um reles mortal Sol pereira
  • 29. Lunas Cafe Poetico O AMOR FALOU-ME DE TI !!! O amor falou-me de ti... Disse-me que voce esta sofrendo De uma tristeza sem igual! E que já não suporta mais viver Fiquei pensando; como é bom viver! Conhecer a dor e a calmaria...! Sentir a dor, e depois a felicidade do alivio E assim, eu pedi ao amor que te envolvesse Na mais doce paz Se fosse possível ate te adormecer... E ai eu pedi ao amor que fizesse voce sonhar E no seu sonho, que voce tivesse Um encontro com o amor mais belo!... Jesus... E eu pude ver Jesus sentar-se ao seu lado... Te olhar compadecido...! E com muita alegria dizer-te: Hoje o amor floriu em seu coraçao...! Terás paz...! A sua dor já se foi para nunca mais voltar! Sua esperança é como a fé; e isso transforma A longa viagem, na alegria da chegada tão esperada...! O amor falou-me de ti...! E eu vim te consolar! Se chorar agora; será de alegria, do seu próprio amor E eu vi Jesus, ao se afastar, olhar-te de novo... E com um sorriso de amigo verdadeiro e carinhoso; Te perdoar...! Jesus!... O meu poeta preferido... JOAQUIM GOMES
  • 30. Feras da Poetica "LUNA CAFÉ POETICO". L'aboriosa essa sua página, U'nindo os poetas amigos, N'o começo a gente nem imagina, A'ssim nós entrando nesse abrigo. C'onhecedora de boas amizades, A'qui carinhosamente os reuniu, F'icando longe das maldades, É' m que lá,por inveja adquiriu. P'roletária com muita raça, O'nde magistralmente se fez, E'm tempo curto juntou a massa, T'rabalhando sério por sua vez. I'sso é força e talento, C'om enorme sentimento, O'nde amizade imperou todo momento... Jamil Luz
  • 31. Lunas Cafe Poetico Ao Luna’s Café Lá iremos nós beber sabedoria Unidos sob o mesmo ideal No Luna’s onde tudo é poesia, Amor à flor da pele em alto astral Distante do impossível já não estamos Intencionalmente o procuramos Para, encontrando-o, fazê-lo possível. Rompemos os grilhões e os rechaçamos Incendiados pela poesia Mostrando a face sem a fantasia Outro empecilho que já superamos. Ineifran Varão
  • 32. Feras da Poetica Que por onde levo uso se necessito. Uma bela sonata embala-me Através dos campos vou apenas olhando Cada novo canteiro...vejo semeeiros Novas pilastras...novas construções... Vejo multidões...mentes perdidas... Verdades escondidas... Vejo o que há de melhor em cada um Mas o que há de pior também... O tempo não existiu Num instante se sucumbiu Contemplo Um lindo arrebol... Aos poucos chega o crepúsculo Adentro-me nele ...vou sendo engolida Com asas agora noturnas... Novos sons... novos olhares Novos sentidos... Percebendo o que antes estava escondido. No aguardo de um novo prelúdio... Adriana Faustino
  • 33. Lunas Cafe Poetico O AMOR DA ESCURIDÃO É solitária... Mora em uma imensa caverna, Junto aos ecos e ruídos, intensa escuridão, Com muralhas erguidas, plataforma de pedras Um palco frio, sem luz... Cenário da solidão. A alma que chora... Que usa o disfarce, Retém o pranto... A prisioneira contida, Mas as lágrimas brotam... Banham a face O coração sangra, amargurado, dor sentida. É a sensação do abandono... A rejeitada Perdeu o brilho... Não tem mais a esperança, Não vê o céu, nem a lua... Estrelas apagadas Esvaem da memória, suas lindas lembranças. Não há mais saída, todas as portas fechadas Jaz o amor que tanto lutou para sobreviver, Em cada passo, as intrigas, tramas... Ciladas, Imensa carga pesada, um eterno padecer! Dilce Toledo
  • 34. Feras da Poetica QUEM AMA CUIDA Quem nos ama Respeita nossos limites Cuida dos nossos sentimentos Não trai Não mente Confia Se doa Perdoa É sincero no agir e no pensar Quem nos ama Dá-nos a vida Não causa ferida Nem dor Só amor Elsy Myrian Pantoja
  • 35. Lunas Cafe Poetico "Luna's Café Poético". L'istar todos esses artistas, U'm a um na ponta do dedo, N'otórios especialistas, A'ssim se destina sem medo. S'ímbolo de boa poesia, C'onsta nesse crescente rol, A'queles como um raio de sol, F'elicita-nos com amor e alegria. É'ssa é a proposta do café, P'ostar obras de valor, O'nde impera o amor, É' impossível não ter fé. T'ratamento preferencial, I'nteligentíssimo e constante, C'omunicação a todo instante, O'nde tudo fluí natural... Jamil Luz
  • 36. Feras da Poetica Eu quero o som da lira Eu quero o olhar que mira De meiguice que não fira Do sorriso aberto quando se vira Eu quero a beleza da safira Do amor de vida tranqüila Eu quero o som da lira Luna Di Primo
  • 37. Lunas Cafe Poetico "INCANDESCENTE". Pela janela do quarto Vejo o céu estrelado Conte as estrelas, menina E saberá quantos beijos ganhará. Nossos corpos molhados Para o amor não há certos e errados Hoje é noite de lua cheia Você será minha a vida inteira. Sonhos, lembranças e desejos Após trinta, somos adolescentes Perto ou longe, desejo seus beijos Nossas noites serão sempre quentes. Você sabe que teu olhar me encanta Não fuja, o amor já nos cativou A lua e as estrelas são testemunhas Do momento que a paixão chegou. Alcir de Andrade
  • 38. Feras da Poetica Nos caminhos que andamos Tantos iguais encontramos Tantos são os afins, os afetos A nos trazer felicidade Mas são os inimigos A mudar a nossa rota A nos levar ao topo Luna Di Primo
  • 39. Lunas Cafe Poetico VOCÊ É TUDO EM MINHA VIDA Hoje o tempo marcou os minutos, E vejo o sol nascer por trás da minha saudade, Que não vence a distância e me faz feliz Mesmo não tendo você ao meu lado, Sinto que a luz solar me leva no alvorecer Quando abro os meus sentidos Tudo se revela no meu coração Entre as chamas que ardem E batem com tanta emoção. Eu não posso me curva dessa luz Que clareia o tempo e me diz Devagrinho o quanto é bom viver Sonhar e cantar olhando a saudade Que acende todas as minhas lembranças E faz das minhas crenças o quanto desejo Essa luz que vem dos seus olhos E não resisto se eu não lhe falar Que amo em toda a minha vida Sem partida e sem ida de não voltar Ah se eu pudesse voltar o tempo Eu iria trazer você nos meus olhos Afagando os segundos das minhas saudades Que o amor dentro da mesma afeição É um universo incontrolável Amável e tão agradável no meu coração
  • 40. Feras da Poetica Por isso o tempo marcou E sinto você agora no meu coração Somente meu amor E não tem mais jeito Tenho que observar as horas passarem E medir que o amor é tudo Ponho um anel entre nós dois Unindo na canção das palavras Que eu te amo E não posso jamais lhe esquecer Olho para os lados E só vejo você no meu pensamento Dizendo que me ama em todas as questões E que o meu paraíso é a sua alma Com predicados e adjetivos de união Agora, fecho os meus olhos Pra meditar mais adequado em você E de repentesinto as suas mãos me tocarem Penso ser um sonho com o seu beijo Abrindo todos os meus desejos E me fazendo mais uma vez feliz Mari Angela Pinto
  • 41. Lunas Cafe Poetico NÓS SOMOS ASSIM... Nós somos assim... Olhos que se falam, Sorrisos que acalmam, Corpos que se abraçam. Nós somos assim... Colo consolador, Silêncio acolhedor, Em qualquer momento de dor. Nós somos assim... Enquanto tão parecidas, As diferenças desmedidas, Nos fazem mais amigas. Nós somos assim... Almas que se completam, Que se interpretam, Que o amor despertam. Nós somos assim... Nesta vida arredia, Vivemos o dia-a-dia, Nos querendo em companhia.
  • 42. Feras da Poetica Nós somos assim... Amigas sem igual, É tudo tão real, Mas nada normal! Susely Antoniolli
  • 43. Lunas Cafe Poetico MEMORIAL DE UM GRANDE AMOR Se eu te amei? Não sabes quanto... Também não sei, não medi. Amor de riso e espanto Dos sonhos que consenti. Amor sem par e modesto Que encheu de sonhos, meus dias Que em franco manifesto Rendeu-me mil alegrias. Hoje eu canto, em gesto brando Esculpo essa poesia Para tornar memorando O amor que senti um dia! ANA MARIA GAZZANEO
  • 44. Feras da Poetica Era uma noite chuvosa e fria, estava dirigindo meu carro em uma estrada muito ruim, já estava acostumada a fazer este trajeto todo final de semana, para ser mais preciso nas sextas feiras à noite, quando eu saia da faculdade seguia para casa dos meus pais que ficava a sessenta km distante da faculdade, mas esse era o preço, ou eu enfrentaria essa viagem ou ficaria sozinha na republica dos estudantes todo o final de semana. Eu nunca fui supersticiosa. Nunca acreditei em nada que não fosse palpável, assombrações nem pensar, sempre achei isso uma tremenda bobagem. Ainda mais na era da informática acreditar em algo assim..., Pois bem, eu ia tranqüila, rádio ligado, ia ouvindo minhas canções favoritas ate que olhei no relógio e vi que faltavam três minutos para meia noite. A estrada deserta, a chuva cada vez mais forte, dessa vez me causou um pouco de medo mas, eu não tinha outra escolha a não ser, seguir em frente, quando derrepente o carro desgovernou por completo, pois um dos pneus estourou. Andei mais um pouco, consegui controlar o carro. Parei no acostamento Escuridão total. Meia noite em ponto, um medo imenso se apoderou de mim. Mesmo com o coração aos saltos eu saio do carro com um guarda-chuva que insistia em ser levado pelo vento. Poderia ficar ali um bom tempo que nao veria um carro se quer passar. Alguém teria que trocar o pneu, era eu ou era eu, não tinha escolha. As lágrimas do medo
  • 45. Lunas Cafe Poetico escorria em meu rosto e se misturava com a chuva. Quando abri o porta mala para pegar o estepe senti uma mão pousando em meu ombro... E quase num sussurro ouvi, __ Eu faço isto pra você! Naquele instante eu já nao sentia mais nada, nem medo nem susto. Fiquei ali olhando para o meu benfeitor que surgiu, não sei de onde, pois não havia nada por ali, nem um carro parado, mas nada mesmo. Era bem jovem, habilidoso, em poucos instantes ele trocou o pneu do carro. Foi aí que tive a idéia de pegar na minha mala, uma toalha para ele se enxugar, visto que a chuva não dava trégua, mas surpreendentemente quando voltei com a toalha ele já havia desaparecido. Fiquei perplexa. Olhei ao redor, não via nada. Entrei no meu carro e segui em frente. Na manhã seguinte, enquanto eu tomava o café da manhã com minha mãe, que fazia questão de preparar sempre com um delicioso bolo de milho, pois ela sabia que eu gostava muito, vimos no noticiário local que um jovem havia se envolvido em um acidente de moto. E qual não foi minha surpresa quando vi que o jovem era o mesmo que me ajudou na estrada. Minha mãe tentando me acalmar, com toda naturalidade me disse; __ Filha, os anjos estão em todos os lugares! UMA ESTRANHA HISTORIA ! Helena de Paula Paula
  • 46. Feras da Poetica Amor abstrato Reluz ao vento um tom de mil saudades E pra posteridade levo comigo esse amor. Já não sei se é tarde, mas a cumplicidade, Em intensidade já me desmoronou. Amor abstrato que moldado em um retrato, Já não me diz mais claro quem eu sou. E se desse amor revivo o meu passado... Tão atirado e solitário, pensativo estou. Ah, se no meu porto atracasse o tempo, Seria um Rei, mesmo que por um momento... E te traria de novo inteira pra mim. Ah, se o tempo me fizesse forte, E quem sabe ladeado pela sorte... De novo, sentir seu cheiro de carmim. Nelson Rodrigues de Barros
  • 47. Lunas Cafe Poetico Nuanças da vida... No farfalhar das folhas Vê-se ir ao vento, As folhas ressequidas Por falta de seiva, Ou mero acaso da natureza Assim é a vida Num minuto, Somos plenos em felicidade Noutro, tristeza infinda Assim é a vida Num momento, Estamos em êxtase Noutro, perdemos a razão de ser Felipe F Falcão Falcão
  • 48. Feras da Poetica Eu, eu mesmo! Morei por anos no manicômio. Deram-me a oportunidade de vir a conviver com os loucos, até aí, tudo bem, tudo normal, mas vendo poetas senti que há um pouco mais de sabedoria entre eles. Isso de associar a matéria ao sentimento para compor o que quase sempre não se sabe, porém, se sente. Pergunto a vocês já que de mim mesmo a poesia que tenho, ou o que me compara aos poetas, é tão somente a vontade de sê-lo, não mais do que isso, então o que é que seria da normalidade se não fosse a loucura? Ou vice-versa? Mauro Rocha Marques
  • 49. Lunas Cafe Poetico AOS AMIGOS QUE VI PARTIR Numa tarde, todo o ar de mim quis sumir. Todo aquele que eu, com força, aspirava. A noite de pronto quis, então, surgir No seu leito de rainha, onde aguardava. Acenei sim, com o lenço branco ao vento, Despedindo-me daqueles que tanto amei. Deixei-me ficar por horas ao relento Esvaziando do peito as lágrimas que gerei. Ah! Como é dorido vê-los, ao horizonte, caminhando Sem olhar para trás, sem saber que estou aqui A dar-lhes o último adeus, com o coração chorando. Minh'alma quis junto deles, pelos mares afora, ir. Não desejava ver este momento, tão depressa, chegando, Nem ver meus queridos nesta fila do partir. Eritânia Brunoro
  • 50. Feras da Poetica MEIGA FLOR Esse encanto sem par me extasia E conduz aos portais do pecado Plenamente envolvido, abismado Sou refém duma rara euforia Provocante, tu és a culpada Das torrentes de amor, desvario Tua ausência produz um vazio Meiga flor, em meu ser tatuada Aspirando o frescor desse aroma Enclausuro-me em doce redoma Onde encontro um prazer colossal Quando imerso nas cores da bruma Que meus passos domina e perfuma Provo, enfim, d'alegria integral Jerson Brito
  • 51. Lunas Cafe Poetico Ideias sem nexo Se ouço a música do Chico Aquela que fala de uma despedida, Alias não é do Chico, Eu sempre faço confusão, Não é do Chico, Mas é a Betânia quem canta. A música faz parte da minha vida Não só a música, mas também o Chico, A Betânia, e todas as canções de amor, A poesia do Drummond, e de Quintana Se bem que eu ainda prefiro o Fernando. E você ainda escuta o Caetano? Não gosto muito dos cantores baianos Apenas do João Gilberto, Que é quase meu conterranêo Eu estou mesmo ficando velho Faço grande confusão sobre cantores Sobretudo com os da bossa nova. Sobre aquele poema do mestre Pessoa Fiquei revoltado ao ler, em um livro de autoajuda Um escritor medíocre que é padre, tentando explicar o
  • 52. Feras da Poetica mestre...Idiota! A tabacaria de Pessoa, como se falasse De um bordel cheio de prostitutas. De fato, Poetas são como Putas, diria Garcia Márquez Escrevem sobre qualquer tolice, depois esperam Que alguém os leve a sério. Mas tudo é poesia... até sexo pago. Evan do Carmo
  • 53. Lunas Cafe Poetico LUA CHEIA Lua me chame quando ele Ai aparecer, então diga ao Meu amor que estou aqui A espera que ele estenda SUA MÃO Diga que meu choro dói Meus braços já estendidos, Só esperando sua vinda, Olho pela janela, te vejo OH! LUA Traga meu amor depressa Antes que eu morra, assim, A tristeza corroeu minha Alma de dor deste amor VENHA AMOR Minhas lágrimas me fazem Esquecer meu viver, sinto Esvai-se dentro de mim Nem medo tenho, apenas TE QUERO Poetisa Menduiña
  • 54. Feras da Poetica Por Karinna Atesto que o incesto cometido Foi puro pecado contra as letras. Atesto que a cândida poesia Jazia e eu nem tinha o tal poder Que faz ressurgir das finas cinzas A música contida e incontida Nos versos demais e assaz complexos. Atesto que a vil palavra dura Vetou o dizer tchau para o ambíguo E abraça rebeldia insana e criva Meu peito como obus que estremece Delindo a exatidão que já nem era E a Era que me aguarda eu já desfruto.. Atesto o ficar mudo como sina Que trago na sacola já rasgada E, como rio repleto, abro comportas Que inunda vilarejos, trazem perdas! Agora é que são elas, dizem gentes. Atesto que a Prenda lá do sul Precisa e conta com as orações De cada um poeta que tem fé:
  • 55. Lunas Cafe Poetico A de que o flagelo a abandone. A moça aveludada em verso forte Espalha-se na dor, vilã descrente! E quem irá pedir por sua causa? Atesto que eu até subi aos céus E o “não” foi estridente e houve eco... Atesto a morte até da esperança... Ronaldo Rhusso
  • 56. Feras da Poetica "MENINA-MULHER". Você, menina no corpo, mulher na alma. Que soube e sabe dividir tão bem o que tem, e, não raro, o que nem tem. Você, menina no corpo, mulher na alma, Que me deu seu leito, sua mesa, seu carinho, Seu espaço, seu quarto e seu coração. Dividiu computador, cama e mesa, Mãe, família, gata e pão. Deu-me um ‘ohm’ imaginário, Sensibilidade de criança, Aquecendo-me noites frias... Encantando-me dias tristes... Você, menina no corpo, mulher na alma... Sendo minha filha, Também me deixou ser Sua mãe... Escrito para Luiza Rita Sovatti
  • 57. Lunas Cafe Poetico HOMENAGEM AO LUNA’S CAFE POETICO E SUA FUNDADORA Luna Di Primo – a maior musa humana ainda existente Caros amigos que no Luna’s se congregam Aqui vivemos qual nUma festa a dançar Fazendo da poesia, uNa e sem par Encanto a nos encantAr em versos que nos legam! Contamos e cantamo’S com felicidade As belezas da vida
  • 58. Feras da Poetica Fantasias guardadas, Contidas, e agora propaladas Em belos versos, prosAs e até em vídeos Com belas imagens e Fotos muito bem elaboradas! Almejando a todos quE aqui pairam seus olhos Fazerem uma bela visita ao nosso grupo, Esperamos ouvir dos Poetas e seguidores Críticas que visem sOmar qualidade ao grupo! Aproveitando a chancE, quero render homenagem Feita carinhosamente Tendo a honra de citar E ao mundo inteiro avIsar que temos entre nós Como a fundadora e Como dona do Café A MAIOR MUSA DOS NOSSOS TEMPOS
  • 59. Lunas Cafe Poetico Felicidade em pessoa, bondade, temperança E solidariedade. Ouso, pois aqui proclamar LUNA DI PRIMO “A MAIOR MUSA HUMANA AINDA EXISTENTE” Ineifran Varão
  • 60. Feras da Poetica "Mulher, um ser criado com perfeição". Quando Deus fez a mulher já estava em seu sexto dia de trabalho fazendo horas extras. Um anjo apareceu e lhe disse: "Por que leva tanto tempo nisto?" E o Senhor respondeu: “Já viu a minha ficha de especificações para ela?” Deve ser completamente lavável, mas sem ser de plástico. Ter mais de 200 peças móveis e ser capaz de funcionar com uma dieta de qualquer coisa, até sobras, ter um colo que possa acomodar e consolar crianças e adultos, às vezes ao mesmo tempo. Ter “um beijo que possa curar desde um joelho arranhado até um coração partido e fará tudo isto somente com duas mãos.” O anjo se maravilhou com as especificações. "somente duas mãos.... Impossível!“ e este é somente o modelo básico? É muito trabalho para um dia... “Espere até amanhã para terminá-la.” Isso não protestou o Senhor. Estou tão perto de terminar esta criação que é favorita de Meu próprio coração. “Ela se cura sozinha quando está doente e pode trabalhar jornadas de 18 horas, ou... Acho que até mais, rss. O anjo se aproximou mais e tocou a mulher. "Mas o Senhor a fez tão suave...”
  • 61. Lunas Café Poetico “É suave", disse Deus, mas a fiz também forte. Você não tem idéia do que pode agüentar ou conseguir. "Será capaz de pensar?" perguntou o anjo. Deus respondeu: "Não somente será capaz de pensar, mas também terá que raciocinar e de negociar" O anjo então notou algo e estendendo a mão tocou a bochecha da mulher... "Senhor parece que este modelo tem um vazamento... Eu lhe disse que estava colocando muita coisa nela..." “Isso não é nenhum vazamento... é uma lágrima“ corrigindo-o o Senhor. "Para que serve a lágrima," perguntou o anjo. E Deus disse: “As lágrimas são sua maneira de expressar seu destino, sua pena, seu desengano, seu amor, sua solidão, seu sofrimento, e seu orgulho." Isto impressionou muito ao anjo: “O Senhor é um gênio, pensou em tudo. A mulher é verdadeiramente maravilhosa" Sim é! A mulher tem forças e fazem coisa que maravilham aos homens. Agüentam dificuldades, levam grandes cargas, mas têm felicidade, amor e alegria.
  • 62. Feras da Poetica Sorriem quando querem gritar. Cantam quando querem chorar. Choram quando estão felizes e riem quando estão nervosas. Lutam pelo que crêem. Enfrentam à injustiça. Não aceitam "não" como resposta quando elas crêem que há uma solução melhor. Privam-se para que a sua família possa ter. Vão ao médico com uma amiga que tem medo de ir. Amam incondicionalmente. Choram quando seus filhos triunfam e se alegram quando seus amigos ganham prêmios. Ficam felizes quando ouvem sobre um nascimento ou um casamento. Seu coração se parte quando morre uma amiga. Sofrem com a perda de um ente querido, entretanto são fortes quando pensam que já não há mais forças. Sabem que um beijo e um abraço podem ajudar a curar um coração partido. Entretanto, há um defeito na mulher que eu ainda não sei como corrigi-lo: Um defeito! Mas qual Senhor, depois de tantas qualidades: Pergunta o anjo. Nós sabemos o quanto ela é importante. Entretanto... Ela, a mulher, se esquece o quanto vale... E muitas se tornam submissas e em silencio...
  • 63. Lunas Café Poetico E isto meu anjo é o defeito de muitas mulheres que criei... Serem e deixar ser submissa. Jose Meireles
  • 64. Feras Da Poetica A DANÇA DA SOLIDÃO A dança da solidão balança na ilusão no desânimo. Alcança o desespero na imensidão de sonhos desperdiçados; Na ausência de um objetivo de um propósito de um desejo de uma razão para dançar a dança da vida! (Fafah Reis) Fátima Almeida
  • 65. Lunas Cafe Poetico Os Poetas... Da alma nascem as frases do coração são frases tristes ou frases alegres, são sentimentos de pura emoção, e na folha em branco a magia rege... E no cume de tuas magnitudes os Poetas se afinam à essência de Deus, cantam em versos tuas vicissitudes no elevado clamor dos sonhos teus... De um momento sôfrego de tristezas decantam os Poetas puras belezas, ornadas com a sinfonia da alma... E da pura poesia veste a talma cobrindo teus versos no coração, desnuda assim, a mais pura emoção... ( Nivaldo Ferreira )
  • 66. Feras da Poetica 14 de Março - "DIA NACIONAL DA POESIA" ARTE DE POETAR Em meu recanto de solidão Transgrido no tempo e no espaço Contemplando a imensidão do mar Poemas, poesia, canção Reduto de meu universo Fecho os olhos e ouso sonhar... Diante de minha humilde pequenez O céu me acolhe em seus braços Pensamentos céleres em amiúde Na síntese de minha essência Concluindo dilemas com atitude Chamando-me a viver e a amar... Na paisagem multi cores Descanso minh’alma em versos As letras voejam e bailam no ar Envaidecidas pelos brocados da manhã Sinopse de fantasias e ilusões Deleitável arte de poetar... Regina Trofino
  • 67. Lunas Café Poetico "**Significados Truncados**". A mensagem eu entendo, O erro foi atribuir outros significados, Provocado pela acústica de teus versos, Que reverberaram de modo inverso Embaralhando significante e significado; Ah alma poética e arbitrária! Redundância a evocar Os signos erroneamente, Emaranhando os códigos, Empobrecendo a semiótica, Confundindo virtualidade e realidade; Excesso d "**Significados Truncados**". A mensagem eu entendo, O erro foi atribuir outros significados, Provocado pela acústica de teus versos, Que reverberaram de modo inverso Embaralhando significante e significado; Ah alma poética e arbitrária! Redundância a evocar Os signos erroneamente, Emaranhando os códigos, Empobrecendo a semiótica, Confundindo virtualidade e realidade; Excesso de diacronia adolescente! Sonhos não se Alimentam de autofagia... O que você quer de mim, Sempre terá:
  • 68. Feras da Poetica A poesia pura e transparente, Simplesmente. e diacronia adolescente! Sonhos não se Alimentam de autofagia... O que você quer de mim, Sempre terá: A poesia pura e transparente, Simplesmente. Flor Bela
  • 69. Lunas Cafe Poetico Sê! Trilha teus caminhos com passos firmes. Engaja-te. Luta. Tem a clareza dos teus objetivos. Planeja. Realiza. Vence os obstáculos em teus caminhos. Prossegue. Persegue. Pondera diante das divergências. Acautela-te. Partilha tuas emoções com o outro. Confraterniza. Comunga. Estende as mãos para solidarizar-te. Abraça. Acolhe. Acredita em tua força interior. Aprende. Ensina.Ouve a voz do teu coraçãp. Aceita. Ama. (Maria Luiza D’Errico Nieto)
  • 70. Feras da Poetica MINHA POESIA Quando já nada restar de mim, posto que serei pó do tempo, que será dos resquícios poéticos hoje ainda brotando em minh'alma? Terão maior valia para alguém num mundo tão conturbado, onde a poesia quase não tem vez e a ternura pereceu sem graça? Do meu coração, provavelmente, continuarão fluindo doces poemas e doravante ainda mais singelo serei mesmo que nunca fascine ninguém Os homens não plantam árvores somente para si próprios, eles vão, elas permanecem dando sombra a quantos virão depois, e isso é lindo Então, assim deveras sendo, semeio poesias não para mim mas para enternecer quantos virão após o tempo me tornar apenas nada Gilbamar de Oliveira
  • 71. Lunas Cafe Poetico Muito obrigada Obrigada Senhor pelo meu dia, Obrigada pelas pessoas que amo. E obrigada por aquelas, que... De alguma forma eu ainda não aprendi a amar. Obrigada por tudo, pelas dores, pois é sinal de que estou viva. Obrigada pelos atrasos, pois é sinal de que alguém conta comigo. Obrigada pelo stress, pois é sinal de que tenho uma mente agitada. Obrigada pela saudade, afinal é sinal de que tenho pessoas queridas. Obrigada pelas decepções, pois com elas aprendi a viver e me fortalecer. Obrigada por minha família, pois sem ela, eu não estaria aqui. Obrigada pelos meus amigos, os distantes e os próximos, pois os amos de verdade. Obrigada pelo coração que me dera, pois é com ele que sinto sua presença, e o amor que tenho pela vida. Obrigada Senhor. Bianca Francisco
  • 72. Feras da Poetica "AVÓS & NETOS". Dizem que neto é filho com açucar. E as avós ?? Formiguinhas ... Fernanda Xerez
  • 73. Lunas Cafe Poetico L.indo sítio literário U.m sucesso declarado N.aquele site Facebook A.menina está bombando ´S.eu grupo agradando C.om muitos fãs a visitar A.página é um sucesso F.ui lá e sempre regresso É.fácio fazer esta homenagem P.ara a menina Di Primo O.sucesso é um badalar de sinos E.todos estão aplaudindo T.em de tudo que você queria I.nspiração e muita poesia C.afé Poético é a página do momento A.menina Di Primo e o seu encantamento Fernanda Xerez
  • 74. Feras da Poetica GIRA CÉUS NO INTENTO PRIMAZ Roçando leve na nuca minha face farpada arrepia teu couro Labiando o pescoço começa o alvoroço prazer em doce corso Paladeando teu sabor gira a terra gira céus Tatendo doces montes com picos alertas soam alarmes de sinos Dedilhando teu poço inundo as bordas sugando esse córrego Unidos por inteiro temos mais que momento imanente intento. Gyano Azevedo
  • 75. Lunas Café Poetico Oh!Deixem-me viver paixões diversas! Oh!Deixem-me viver paixões diversas! De suas chamas, quero todo o lume, Também luxúrias, mesmo controversas Daquelas que se vão com seu perfume... Oh! Paixões! Mesmo que das mais adversas! Que sejam etéreas, como é costume, Que deixem sempre as marcas mais perversas... Vivê-las, quero, antes que me escume... Que sejam ais, quimeras, só loucuras... Vivê-las quero sim! Eu quero, enfim, Arder nas suas chamas venturosas... Paixões eu quero ter, sem dó, censuras, Mesmo que sejam fados, tenham fim, como na praia as bolhas espumosas! Edir Pina de Barros
  • 76. Feras da Poetica RESPIRE... APENAS RESPIRE NUNCA HAVIA ME DADO CONTA DO QUÃO PRAZEROSO É DEGUSTAR UMA TAÇA DE VINHO SOZINHA NEM, TÃO POUCO, DAS DELICIOSAS SENSAÇÕES OBTIDAS AO SE RESPIRAR GOTAS DE PRAZER EVAPORADAS... SOB EFEITO DE UM CERTO FEITIÇO MINHAS MÃOS TRANSPIRAM MEU CORPO SE CONTORCE MINHA MENTE ME REMETE A LUGARES NUNCA ANTES VISITADOS UM MISTO DE MEDO E DESEJO UM ELO ENTRE A TIMIDEZ E A PALAVRA UM TOQUE ENTRE UM GOLE E UM GEMIDO E MEU OLFATO INALA SEU PERFUME A MINHA BOCA SENTE O GOSTO DA EXPLOSÃO DO SEU PRAZER ESPASMOS ME INVADEM... SENSAÇÃO DE ESTAR SENDO SALVA, RESGATADA COM LÁGRIMAS NOS OLHOS E CORAÇÃO ACELERADO COMPLETAMENTE EMBRIAGADA PELO VINHO OU POR UM OLHAR LOUCA PARA PESSOALMENTE AGRADECER A QUEM OBRIGOU MEU SANGUE A FLUIR... MEU "EU" A RESPIRAR... Elaine Mesquita
  • 77. Lunas Cafe Poetico No passado ficou Bandida, meu ex-amor não lhe esqueci não trago no peito a dor da sua cruel partida e a amarga desilusão de um amor perdido ferido com a separação... Caminhos diversos a vida nos armou sentimentos controversos e a nossa paixão esquecida ficou nas cartas amareladas nas gavetas guardadas. Maurélio Machado
  • 78. Feras da Poetica Em Cantos Em meu canto tem um canto Em que canto o teu canto Pranto pronto que encontro Ponto a ponto eu me espanto Com o ponto em que apontas Em Canto de teu canto Tu te encantas com meu canto Antonio Fais
  • 79. Lunas Cafe Poetico Silêncio & Som! O crepúsculo ensaia sua música, Acordes de silêncio na escuridão. Na penumbra reina a lua, Do mar desperta, paixão. Onda vem, onda vai... E o vento passa, assobiando segredos. Versos farfalham na mente, Simplórios, singelos, sem receios, Marcam a alma com um beijo. A insônia conversa com o sono. Sonhos escusam os pesadelos. Lembranças surgem de íntimo nevoeiro. O cansaço marca a face... Enquanto sonâmbulo, escrevo. O olhar do dia procura a noite. A sinfonia de uma nova canção, Vem despertar cabalísticos anseios. Da janela vejo o sol lambendo o mar, Também me deixo afagar da janela dos meus medos. Márcia Costa
  • 80. Feras da Poetica NINGUÉM TE AMARÁ O QUANTO TE AMEI Entre espinhos e flores Minha alma sempre viveu, Entre os meus mil amores Nenhum, maior do que o seu... Entrastes de mansinho em meu coração Fizestes moradia em minha mente, Tornastes a fonte de minha inspiração Fizeste-me ver o mundo de forma diferente... Fez-me sorrir quando chorava Fez-me acreditar na felicidade, Mandastes para os ares a saudade, Mostrastes realidade a quem sonhava... Fizeste-me o homem mais realizado Destes-me tudo o que sempre almejei, Ninguém te amou o quanto te tenho amado... Ninguém te amará o quanto te amei! Moacir Silva Papacosta
  • 81. Lunas Cafe Poetico Recusa Agrada-me bem mais olhar estrelas do que assinar sentenças de morte. Agrada-me bem mais ouvir a voz das flores que, murmurando é ele, meneiam as corolas quando eu cruzo o jardim do que ver os escuros fuzis da guarda matarem quantos querem matar-me – por isso eu não serei – jamais – um governante. Alexanndre Guisso
  • 82. Feras da Poetica Colar de Pérolas Vale-me justo, o custo da pura amizade. Da mesma forma a qual um Colar de Pérolas. De incalculável apreço se faz em cada conta, Como a mais rara e preciosa de todas as pedras. Motivo simples e brilhante como um lindo dia. Unidas e parecidas com cintilosas estrelas no céu, Onde distantes, mas ligadas por algo mais forte. Compartilhando momentos particularmente seus. E nesta confusa e conturbada engrenagem que é o tempo, Prova-se a dedicação como grande agente modificador, E a compreensão muito além de qualquer outro sinal. Justifica-se nos detalhes, a direção clara desta junção, Não apenas pelo assemelhar único a um Colar de Pérolas, Mas principalmente a um círculo de carinho harmonial. Jorge Jacinto da Silva Junior
  • 83. Lunas Café Poetico A onda a onda anda aonde anda a onda? a onda ainda ainda onda ainda anda aonde? aonde? a onda a onda Lucineia Campos
  • 84. Feras da Poetica ENCONTREI ESSE TEU OLHAR Estava eu nesta vida tão escura e tão comprida em teus olhos encontrei uma saida... Era um brilho ofuscante e piscava bem constante era muito impressionante Perdida neste caminho eu dizia bem baixinho eu preciso deste carinho... Em teus braços, namorado eu sempre fico calado ações de um apaixonado... Cida Moura
  • 85. Lunas Cafe Poetico Das faces, as infundadas Que mostras falsamente E observa a emboscada Que lança novamente Há várias vidas em si Nenhuma é decente E vive com um frenesi Dos atos inconseqüentes Caráter, o que pode ser Para quem o desconhece? Se o outro é só lazer Para as teias que ele tece Reconheço meu engano Dignidade não há alguma Pois passa de um humano Que faces não há nenhuma Camila Lima
  • 86. Feras da Poetica MORENA TU ÉS... Morena linda tu és a fonte do meu prazer, pois da cabeça aos pés tô desejando você! Antonio Galdino
  • 87. Lunas Cafe Poetico Em mim, encontra a paz, O sol, a luz Em mim, encontra calor, O amor, a paixao! Em mim encontra o desejo, Tesao, a volupia Sou vida, sou vento Sou momento, Teu alento! Sou loucura, Devaneio! Sou saudades! Te aqueço , no abraço, Que te prende em mim! Heloisa Crosio
  • 88. Feras Da Poetica NÃO EXISTO Sinto sua falta, é difícil esquecer um amor O corpo dói, a mente se perde em devaneios E eu me perco em esperar que volte Não há prazer nem vida Somente meu espectro insiste em esperar por você A chuva La fora quer lavar o meu rosto Mas que rosto? Existe apenas a sombra do que deixou Marina Menina
  • 89. Lunas Cafe Poetico No Pensamento No Pensamento... Continuamente me visto de teu eterno, despista-me porém essa cor de teu terno E busco o teu cerne Tentando te decifrar... Não te vejo e nem posso te adivinhar Reconheço, antes sim, meu desejo, essa Vontade de contigo estar Mas em que momento tu te revelas? Na poesia? Nas curvas perigosas desta pena minha?
  • 90. Feras da Poetica Nestas tortuosas linhas, em que atrevido te embrenhas? ... Te confundes mesmo à tinta do pensamento, mais poderoso decerto, que qualquer sentimento que possa haver entre mim e teu ser... Ariadneh Cavalcante
  • 91. Lunas Cafe Poetico JACOBINA, É LINDA, UM ESPLENDOR! Lá do alto eu vi, Jacobina, linda! Fiquei muito tempo Pensando em Deus, E cheguei à conclusão: Quem aqui nasceu, Tem a obrigação de ser feliz! Porque esse presépio, Incrustado nessas serras, Não é coisa do homem, E sim de Deus! Só ele, simplesmente ele, Pintaria tão belo quadro, Sem usar uma régua, Muito menos um esquadro. Cores perfeitas! No desalinhamento, O alinhamento, Das subidas e descidas, Das curvas... De toda combinação Na distribuição das cores, Onde prevalece o verde,
  • 92. Feras da Poetica Manifestada através das árvores, Que são muitas, Fazendo contraste nesse dia, Tão cheio de alegria, Com o azul do céu. Jacobina é assim: Rodeada de serras, Como se fosse um grande caldeirão, E no centro surge bela, Avançando sobre elas. Cachoeiras descem as serras, Fazendo de jacobina, Uma cidade linda, Um grande esplendor. Por essa razão, Manifesto por ela, Todo o meu amor! Vera Jacobina
  • 93. Lunas Cafe Poetico VELHA, NOVA AFINAL O QUE IMPORTA? Sou velha, sou nova? Tenho a idade do mundo, Deste mundo antigo, Com civilizações antigas, Pré-históricas, Rudimentares. Deste mundo velho, Ao mesmo tempo novo, Que sempre se renova, Através dos tempos, Ciclos encerrando, Novos ciclos surgindo. Da mesma forma, As civilizações seguem os ciclos, Conhecimentos adquirindo, Vão se adaptando, Vão se renovando, Novas eras iniciando. Sempre há de surgir um mundo novo, Sempre há de surgir uma nova civilização, Mas a civilização é a humanidade, Que continua a mesma, Que não se renova, Pois evoluir é a sua missão.
  • 94. Feras da Poetica Os ciclos estão se findando, Ao seu ápice o mundo chegando, No livre arbítrio de seus conhecimentos, A humanidade se refestela, O antigo velho mundo destruindo, Dele achando-se senhora. Há muito os alertas foram dados, Por poucos foram escutados, A natureza grita, Homens incautos, Só pensaram evolução material, Agora colhem o que plantaram. És nova, és velha, és antiga? O que importa? Se sempre para trás voltas, Corre, ainda há tempo, De fazeres parte, De uma nova humanidade. Luconi
  • 95. Lunas Cafe Poetico Ai Mel! Como é doce o sabor do seu amor! Sua boca me provoca sensações E me derreto na essência do seu sorriso. Ai mel! Que delicia são os seus beijos Me lambuzo de desejo, Sempre acabo em seus braços E me perco em seus amassos. Meu docinho de caramelo É só você que eu quero Para adoçar minha vida. Nossos corpos ali fervendo Vejo você derretendo Como doce de baunilha. Leandro Flores
  • 96. Feras da Poetica RECEITA PARA AUMENTO DA FÉ Quando nossa humilde fé enfraquece O remédio é a Palavra de Deus Que foi escrita pra quem são filhos Seus Aí sim, nossa pequena crença aquece. Obediência ao Senhor e a oração Andam sempre juntos de mãos dadas Obedeçamos às ordens sagradas Guardemos pois, sua Lei no coração. Assim somos cada dia renovados Nossa intimidade com o Pai aumenta verdadeiramente muito abençoados. Nossa fé abre grandes horizontes Se a tivermos como um grão de mostarda Poderemos até transportar montes. (Christiano Nunes)
  • 97. Lunas Cafe Poetico AMOR Solto um passado apaixonado Que de agora Dentro e fora Cobiçado!! Ganha forma de gotinha Alma minha!! Se regenera em temperança Confiança!! Não duvida Tem esperança Afiança!! Crê no coração Que tudo alcança!! Sérgio matos
  • 98. Feras da Poetica Com o barro esquecido Sigo pelos caminhos Transfiguro o destino Esse que eu já cumpri No tempo me amotino Descubro que sou tantos Nas ilusões me obstino E me faço areia e pranto Encanto, ode, asa e lava Mas assim convém aos olhos No tudo sou sal, a clava Sou lança, aço , cruz e altar Na terra que rejeitava A dor no todo a memória E sempre me refazendo Duro , tenso, perplexo Em areia desfazendo Todas minhas quimeras Nos desejos abstendo Meu rosto semelhante No tempo corrompido Deixando meus afetos Nas feras confundido A face tornou-se pedra Com o barro esquecido Ricardo Wichinsky
  • 99. Lunas Cafe Poetico Temperamento A noite se transcende no silêncio. E, em folhas que anoitecem calmas, sob os galhos escuramente retesos. No brilho das romãs adolescentes a camada de luz clarifica. E, apenas as imagens falam. Andrea Cristina Lopes
  • 100. Feras da Poetica A viagem Fecha os olhos só por um instante... e teu passado, revivido, te alcança. Porque na pureza de todos os sons desliza, célere e sem pausas, volátil tempo, teu presente. Teu futuro?não mais tão distante... já é real no aqui e no agora, materializado em forma de canção. Por uma, talvez serás lembrado e te tornarás então eterno em cada um por quem passares. Música é a verdade na emoção da hora ou tempo arrebatados. Se faz única e plena de vivências nos (des)encontros desta vida permeando devaneios do ousado, do tolo, do racional, do insensato de todo o que em demasia sente e ama. É linguagem cifrada em sensibilidades. Vivendo o ser terreno aprisionado, recebeu divino dom que o enleva e chama a alçar vôo, nos sons, inebriado... o espírito em paz, em plena liberdade. (ju armos)
  • 101. Lunas Cafe Poetica Se Culpado fores. J. Norinaldo Ouço os ecos de lamuria em tua prece, Como chispas de uma língua de adaga, Que escarra na face que afaga, E apedreja os anjos de Augusto, Atraindo a si mesmo o nojo justo, Do desdém que a vida te oferece. Caminhando com a morte de mão dada, Consciente que tua prece não diz nada, Que teu sorriso de escárnio é fingimento; E que os rastros que deixastes na estrada, São seguidos por aves de rapina, Pelos odores de carne estragada. Insalubres lembranças do passado, Como mofo das tochas apagadas, Diz-te santo perante um deus amigo; Por teus atos aqui na terra praticados, Até o mar que te acolheu foi poluído, E com certeza Deus nunca esteve contigo. J. Norinaldo Jose Tavares
  • 102. Feras da Poetica SEI QUE TE AMO Sei que te amo porque Quando longe de mim estás, sua falta longa se faz... E quando da sua presença, Meu coração se enche de Paz. Sei que te amo quando me pego sonhando Com você me amando e meus sonhos acalentando. Amo você que é todo amor, E me faz sentir Mulher amada! Presente da vida! Sem você a vida é um nada! Nanci Laurino
  • 103. Lunas Cafe Poetico Delito sensual tua pele chocolate num corpo de delito fenda perfumada onde me d e r r amo... Ricardo Mainieri
  • 104. Feras da Poetica Beijos viajosos Tem beijo que beija Tem beijo que roça Tem beijo que deseja Tem beijo que é troça Beijo que beija Beijando o beijo Beijado beijará E beijo será criado Beijos poéticos Patéticos, ecléticos Luciformes, multiformes. Informe: o beijo virá E reinará o amor Beijo não é orgia une duas almas E trás até nostalgia Beijo alegre que sorri Beijo triste de melancolia Beijo mal dado que repugna Beijo que na verdade não se daria
  • 105. Lunas Cafe Poetico Beijo, se te beijo Beijo da poesia o beiço Que o intelecto diz lábio E o sábio apenas beija Beijo repetido nunca é beijo perdido Posto que cada beijo que beijo É novo beijo (E beijo quase sempre) É bem vindo Dija Darkdija Djavan Luis
  • 106. Feras da Poetica “Majestosa vestimenta” Em meio a emaranhados de idéias formadas E momentos confusos em pedra, esculpidos. Intuo o estagnar das imagens ali cultivadas Um alvo de lucidez cinzela o breu combalido O apelo sem rosto precedente do meu imaginar Coleta os efeitos do que ficou sem conclusão Num acervo colossal, quer o breu monopolizar. Porem perpetra a luz, subsistindo à escuridão. Ainda que o negrume, confabule com o tempo. Entorpecendo o rito do brado peculiar da memória A sanidade trilha nas avenidas do pensamento E resiste soerguida, sobejando rastros da historia. A tênue luz, a peregrinação define e orienta. E adorna a lucidez, com majestosa vestimenta. Glória Salles
  • 107. Lunas Cafe Poetico Lua Enamorada Ó Lua enamorada Que vaga silente Decididamente Em vales, montanhas... Tuas caras e manhas Tua luz encantada Me apanham, me banham Me beijam, me ganham Ó Lua enamorada! Ó Lua graciosa Que em meu céu passeia Agora tão cheia Passeio de paz... Teu riso é amor De luz e fulgor! Acesa, fogosa Suscitas canções Amores, paixões Ó Lua gostosa! Ó Lua enamorada De suave frescor É meu teu amor Teu riso e carinho
  • 108. Feras da Poetica São meus os teus beijos E o ardente desejo Ó Lua enamorada... Tu me enches de vida... Tu és minha querida... ... Minha doce amada!... Ineifran Varão
  • 109. Lunas Cafe Poetico PLENITUDE No teu recanto tua voz quero ouvir Como brisa suave sentir tua presença Minh’alma se acalma, já posso escutar... Contigo, não ouço nenhuma centença... Em tua presença Senhor há abundância... Meu coração as batidas calaram... Céus e terra curvaram em concordância... Teu perfume suave, minhas feridas curaram... A sombra da noite espreita meu ser, Contigo eu sei, não há o que temer, Meus temores Senhor, só tu podes vencer, Quando adormeço em meu leito, Em meu sonhar vens permanecer O sondar do meu coração, só tu podes... E quando meus dias findarem... Como as pétalas quero ser recolhidas... E em teus átrios quero estar... Na plenitude da tua presença viver... E em tua luz, para sempre permanecer... Margareth D. S. Leite
  • 110. Feras da Poetica NÃO ME DEIXE perder a vontade de sonhar por dias melhores, onde o amor universal e a dignidade humana retomarão os seus lugares. NÃO ME DEIXE pensar que amanhã não haverá mais a esperança ou que tudo estará no vazio de um caos avassalador. NÃO ME DEIXE desistir da idéia de um novo tempo, um tempo onde poderemos acreditar e conviver com a solidariedade. NÃO ME DEIXE desesperar diante da desordem e da frieza humana perdida em si mesma por valores absurdos e inversos. NÃO ME DEIXE acreditar que a nova ordem social implica que o homem deve ser desonesto e cruel com o seu semelhante. NÃO ME DEIXE ver os abutres instalados no poder roubarem a dignidade do homem justo. NÃO ME DEIXE sentir a angustia por ver milhares de crianças sujas sob o rolo compressor da exclusão social.
  • 111. Lunas Cafe Poetico NÃO ME DEIXE ver a disparidade entre um homem que desfruta das riquezas e ostentação enquanto um outro não tem o que jantar. NÃO ME DEIXE escrever amarguras e sim esperança. (Wagner Marins)
  • 112. Feras da Poetica O Quinto Elemento A poesia não precisa das mãos do poeta, somente do olhar. A poesia precisa dos braços da natureza e dos pincéis beijando a saliva do pintor. A poesia tem coisa de coisas estranhas: pigmentos de luas, caminhos, sombras e boninas nos canteiros perdidos no tempo. A poesia tem o encanto do solstício, as pelejas de uns cantos serenos e pequenos detalhes que saltam ao vento. Poesia é a luz de um lago para peixes, uma fila de formigas cortadeiras, riachos e cachoeiras que não explicam o significado e as canções das coisas. A poesia é o quinto elemento. Mistério que envolve galáxias, e cultiva palavras de sonhos no peito dos poetas. © Nathan de Castro
  • 113. Lunas Cafe Poetico Senhora Solidão És agridoce....Oh! Senhora Solidão Sabes bem apresentar-se Doce Assim como sabes fazer sem demora Mostrar-se azeda ao Coração Que reclama e ignora o que lhe trouxe Porém nem ouso lhe negar Sempre que sua voz Eu ouço Não hesito em Me entregar A Ti, minha agridoce Solidão Gutemberg de Moura
  • 114. Feras da Poetica ASSIM TE DEIXEI... Sem olhar um instante Caminhos em frente Passos largos... Dentro algo ficou... Algo que me partiu O que não juntou! Talvez a chuva fosse lágrimas! Tua respiração não controlava! (Ana Lago de Luz )
  • 115. Lunas Cafe Poetico FEITICEIRA... Cheguei no final da noite, Já madrugada, aponta o arrebol, Com ele os primeiros raios de sol Refletidos no mar que não finda... Venho como FEITICEIRA, Para desvendar-te os segredos do mar, E dizer a ti, de quantos sonhos ele foi feito, Depois que me tiveres por inteira... Sou filha de uma lava de fogo Renascida das cinzas de trás dos montes Recebi um nome para que eu te conte, Os segredos que em mim se escondes. Cheguei, cheguei Como águas cristalinas, Dos mais longínquos horizontes Da terra do gelo, do fogo Das mais lindas fontes, Das pelejas, das jornadas Das lutas contra á morte... E como FEITICEIRA, Hoje cheguei pra trazer-te sorte... Teresa Cordioli
  • 116. Feras da Poetica RONDEL 1 Eu confio, espero e agradeço, Por me dar sua graça, que me basta. Pois eu sei, eu sou falho, não mereço O perdão que a dor de mim afasta. O meu erro me perde e me arrasta Para a morte. Porém não enlouqueço: Eu confio, espero e agradeço, Por me dar sua graça, que me basta. Renasço todo dia, pois conheço O amor que, com sangue o mal afasta. Um amor que custou um alto preço... E assim, frente à cruz que não desgasta, Eu confio, espero e agradeço. André Rocha Cândido Cretchu
  • 117. Lunas Café Poetico Teus poemas Vertem Sensuais Despertam Desejos! Mas Sou tua musa, Teu abrigo Tua paixão Eu, Sei Heloisa Crosio
  • 118. Feras da Poetica Você é meu ponto G Quando estou com você Todo meu corpo Se transforma Em ponto G... Ângela Rodrigues Gurgel
  • 119. Lunas Cafe Poetico Tem Casos e casos Casos que vem Casos que vão Casos que ficam Casos que se eternizam Em Nosso Coração Casos que acasos podem ser outros que tem de acontecer Casos que se consumam e em saudade ramificam Casos que na prateleira se arrumam Casos que desejamos esquecer Casos de vida Casos de morte Casos de Azar Casos de Sorte Casos Virtuais Casos Reais
  • 120. Feras da Poetica Casos ... enfim Que o frio ecrã destronaram Nossa Existencia iluminaram... Casos que não esqueceremos jamais EMIRIANO ROCHA
  • 121. Lunas Café Poetico "Cantiga Vital*": No balouçar da saia dela eu tremo E sou capaz de ir ao ar sem medo. Seu rosto lindo, o seu sorrir supremo Liberta a alma (oh sim!) do seu degredo... E esse perfume doce ao mais extremo A me invadir a tez assim que cedo E me misturo a ela... Oh! Céus! Eu gemo E um anjo nobre escreve o nosso enredo... Eis a cantiga linda desse embate: “Amor, me fazes bem e sou só teu Agora e sempre. Chama-me e eu irei Sorver o sumo teu, ser só teu vate E te guardar, te amar té mais que ao eu Pobre vassalo que ao teu lado é rei”. PET Poesias Em Torrentes * Inspirado no poema "Cantiga" de Amanda Vital
  • 122. Feras na Poetica Conquiste meu Coração Não basta olhar-me Lançando teu sorriso Para conquistar-me... É preciso bem mais que isso. Não basta aproximar-te de mim E lançar-me insinuações Que imaginas tentar-me... É preciso bem mais que isso. Não basta beijar-me E com tuas mãos acariciar-me Com ousadas tentações... É preciso bem mais que isso, Porque para seduzir-me, E conquistar meu coração, Terás que tocar minha alma. Colocar teu amor em minha mesa. Servir-me dos teus sentimentos, E me faz sentir a emoções, Ao coroar-me sem tabus, Com as mais deliciosas carícias, Para que eu reconheça Serem todas verdadeiras. Então terás conquistado meu coração. Carlos Neves
  • 123. Lunas Cafe Poetico GUIA-ME Guia-me nos teus caminhos; Pois que sigo sem rumo Senhora minha! Guia-me senhora dos prazeres; Guia-me nas veredas imaculada Do seu coração... Guia-me como brisa suave e tunante no ápice dos seus sequiosos desejos, Guia-me nas trilhas do teu sorriso Que na minha vida tornara-se perpétuo. Guia-me senhora minha! Vantuilo Gonçalves
  • 124. Feras da Poesia Cavaleiro da Lua Sou o cavaleiro da lua E mensageiro do tempo Minh'alma tão leve flutua Além da força do vento Trago para ti uma rosa Que trouxe do paraíso De todas a mais formosa Só para ver teu sorriso O sol mandou te dizer Para deixar de chorar Pois todo o amanhecer Ele vem para te iluminar Uma estrela gigante Pediu-me para te ensinar Que ela é muito brilhante Para teus passos guiar
  • 125. Lunas Café Poetico A chuva disse estar triste Com a tua ingratidão E que ela apenas existe Para que não te falte o pão A lua sempre tão formosa Pediu-me para te informar Que ela é muito vaidosa Porque é namorada do mar Uma nuvem em lamento Falou-me com emoção Que vives por muito tempo Enquanto que ela não Os astros em harmonia E a linda constelação Cobram de ti mais alegria Semeando a paz e união
  • 126. Feras da Poetica Sou o cavaleiro da lua A luz que o céu irradia Um anjo de alma pura Amor na mais bela poesia Agora irei para o firmamento Deixando contigo uma lição Provas que guardas no peito Um generoso e feliz coração * Falcão S.R*
  • 127. Lunas Café Poetico o veneno do amor foi o amor, meu amor, foi o louco e desvairado amor que nos condenou à morte antes que a vida nos consome. foi o amor, meu amor, que partiu o coracao em dois e me fez sangrar até a morte: sem ti, meu amor, sem ti. e nossos lábios o corpo pálido e frio do amor que ainda arde: amor, eterno amor. Sérgio, beija-flor-poeta
  • 128. Feras da Poetica 'Bebida quente' Quando a gente se encontrar vou recitar ao pé do seu ouvido todos aqueles poemas que escrevi aqui. Com saliva e calor vou marcar em seu corpo os versos que mais gosta. Provarei que sei de todas as suas vontades, pois tenho tudo na ponta da língua... Vou misturar pele, desejo, tesão e loucura num coquetel alucinante e, oferecerei tudo isso a você numa taça efervescente: rosa e orvalhada. Quente, úmida e delicada. Cheia de uma bebida destilada: desejo. LadyM Ladym Escritora
  • 129. Lunas Cafe Poetico Ah, ver você! É sentir meu mundo se abrir É ter motivos para sorrir É a alegria possuir Ah, ouvir você! É música constante É preencher meus instantes Com momentos que me encante Ah, ter você! É ter vontade de só amar E para sempre com você estar E torcer para nunca acabar Não vejo a hora de te encontrar! Camila Lima
  • 130. Feras da Poetica AMAVELMENTE Gestos...expressão do pensamento faço-me sentir sem pretensão no revelo de poucos movimentos SIGRID SPOLZINO
  • 131. Lunas Cafe Poetico FÁBULA SENIL: A MATURIDADE DO ENVELHECIMENTO Era um sujeito orgulhoso. Nariz arrebitado. Nunca olhava para os lados ou para baixo. Não falava com qualquer um. Não era qualquer um. Sujeito privilegiado. Nasceu rico. Tinha tudo o que queria: carros, roupas de marcas e as mais lindas mulheres aos seus pés. Mas, a vida, sábia, tenta nos ensinar de qualquer jeito. Primeiro, teve que amputar os pés. Pensou: e daí? Para aonde preciso ir? Depois foram amputadas as suas mãos. Pensou: Sim, e daí? Para quem preciso acenar? Depois, sucessivamente, foram amputados seus braços, pernas, tronco, olhos, boca, ouvidos, dentes e cabelos. No fim só sobrou o nariz arrebitado. Insistente a vida lhe amputou a fortuna, o nome e o paradeiro.
  • 132. Feras da Poetica Mas, aí já não pensava mais nada e seu nariz foi finalmente comido pelos vermes. Em seu velório, nos discursos, foram realçadas as virtudes do seu nariz, a sua altivez. Parece que apenas o verme aprendeu uma lição: quem tem fome precisa comer. Comeu. E, a vida vencida morre com o sujeito, mas insiste em viver no verme, um nariz sem pés rastejando pela vida, sem orgulho, com o único propósito de se erguer, se tornar homem. Hideraldo Montenegro
  • 133. Lunas Cafe Poetico RONDEL Na maciez do corpo em que me deito, Deslizo suave as mãos que te afagam, Contemplo a flor desnuda e ali me ajeito, Por curvas e ondas que em mim si propagam, Que suavemente movem nosso leito E encontro as ondas que minh’alma alagam! Na maciez do corpo em que me deito, Deslizo suave as mãos que te afagam. Deito meu rosto ávido em teu peito, Enrosco-me em tuas pernas que se alargam, Como que a procurar o melhor jeito... E entrego-me em tuas mãos que não me largam, Na maciez do corpo em que me deito! Ineifran Varão
  • 134. Feras da Poetica Me farei ausência Me farei ausência por tempo indeterminado era um amor tão frágil este teu que te amei sozinha... Carmem Araujo
  • 135. Lunas Cafe poetico CAMINHO Para ser feliz Digo minha vontade Escrever no chão à giz A palavra felicidade Brotar de um sorriso franco Laço de abraço amigo Taças de vinho de branco Um instante contigo Beijos em tua boca Corpo à corpo juntinho Sussurro em voz rouca A palavra carinho Andar sobre o que foi grafado Sentindo nossos corações Eu e você lado à lado No caminho de emoções SIDNEY SANTOS Sidney Poeta Dos Sonhos
  • 136. Feras da Poetica Lembrei de você. Hoje sentei num jardim e lembrei de ti. De teu sorriso encantador, teus olhos brilhantes A transparecer intensa energia. No rosto uma expressão de pura alegria. A felicidade estampada em tua fisionomia. De repente... Percebi o quanto te amava. O quanto me fazias feliz. Lembrei do primeiro instante, Quando nossos olhares se encontraram. Eu sem perceber, entreguei meu amor. Amei-te desde aquele instante. Tu sem jeito, sem conseguir desviar, Fitou-me no fundo de minh'alma. Naquele momento pensei estar sendo correspondida. Sempre juntos, presentes. Não conseguiamos ficar separados. Ingênua fui... Coração de menina em um corpo de mulher. Te dei o mais sagrado dos sentimentos E tu simplesmente nem percebeu Ou não entendeu. Riamos juntos, choravamos juntos. As vezes, brigavamos... Outras desabafavas teus problemas,
  • 137. Lunas Café Poetico Desespêros, medos, angústias. Partilhavamos alegrias, tristezas. Decisões que somente tu poderias tomar. Não sabia mais viver sem ti. Aos poucos fui percebendo que o amor Só existia em mim e não em ti. Então... Decidi partir com o coração sangrando. Decidi aos prantos... Dizer-te Adeus! -Cllara dos Anjos- Espaço Das Letras
  • 138. Feras da Poetica NAMORADO que tenha mil encantos cheiro bom, doce acalanto... beijo incomum! um olhar envolvente. que saiba ser bom amante, que me faça muito carinho, dum jeito inigualável... que muito me ame... que me faça feliz, que me aceite como sou e que nunca me engane! que muito me queira que sempre me chame pra fazer amor a noite inteira. ©Verluci Almeida
  • 139. Lunas Cafe Poetico Somos semeadores em tempo integral. Elizabeth Marins
  • 140. Feras da Poetica POETA , quero saber! Leitora: - Conte-me seu segredo. - Aonde você busca inspiração? - Como cria um lindo enredo? - Tudo é pura invenção? Poeta: - Cavalgo sobre as nuvens com Pégasus. Tomo vinho com Baco. Me sento com Machado, divago! - Discuto com Clarice na Cartomante. Recebo afago de Afrodite. E acredite, Pessoa sabia fingir. - Junte tudo, acrescente uma essência E meu coração faz fluir... Uma poesia, um conto, um ponto. - Ti faço pensar leitor? - Ti levo a refletir coisa alguma? - Mergulhe no Café Poético da Luna. Cristiane Tomaz Lunas Café Poetico
  • 141. Meu CORAÇÃO!!! Sou elevada com o som do Rouxinol Fico maravilhada com a forma poética Me enlaço nos tracos deixados do beija-flor Faço tudo e crio com o coração Em tudo há amor e dedicação Compartilho e sigo em frente Deixo sempre um lembrete animado Mesmo passando despercebida, é a vida! Leio, aprende, escrevo e continuo... Meus mestres Poetas se foram Mas há outros que nasceram Hoje podem compartilhar aqui, ali, lá, Então.... vamos criar e deixar o coração falar. Cristiane Thomaz Feras da Poesia
  • 142. PRECISÃO E foi precisa a guerra santa entre os dois mundos para que a paz cirandeasse ainda tímida no sítio tenso, encharcado de queimumes alardeando suas asas inda pesadas - suportando o peso de tantos desditos - E foi preciso um não imposto ao sim covarde e na coragem, escorreram cãs verdades esguichando a verve em cismas imoladas por este verbo que inexiste em qualquer mente E foi precisa a hora de voltar ao meio e repartido o cálice em arrasto e fel nas doses doces mascaradas por orgulho fora o pedestral de vidro fosco estilhaçado E foi preciso o vão, o pedido... ...e a negação (Lena Ferreira)
  • 143. Lunas Cafe Poetico ANJO DOURADO Sou anjo dourado, de olhar terno, meigo sorriso... Cabelinho nas ventas! Brilho de dia, ao lado do sol. À noitinha, ilumino a lua, as estrelas, as ruas... Palavras... Lanço-as ao vento. Mas seguro-as com um fio de prata, quase imperceptível... Para que não se percam. Mansa, amiga, companheira, sou rainha da colméia encantada!
  • 144. Feras da Poetica Sou flor perfumada, do jardim do Amor! Mas... Cuidado! Sou abelha, Dou ferroadas... Ainda assim sou doce... Tal um favo de mel! Sou anjo dourado! Maria Goreti Rocha
  • 145. Lunas Cafe Poetico "Pé de flor" Pintei uma linda flor Num velho papel de pão Para dar ao meu amor E o vento jogou no chão Abaixei-me pra pegá-lo Vi a flor tornar-se viva Segurei-a pelo talo Ela mostrou-se cativa Beijou-me a mão e sorriu E levemente corou Disse: Teu amor ouviu Por isso a ti me enviou! ,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,, E aquele papel de pão Simbolizando o amor Criou raízes no chão... Hoje é um lindo pé de flor!... Ineifran Varão
  • 146. Feras da Poetica UMA LINDA HISTORIA DE AMOR Absorta em seus pensamentos Olha ao longe na divisa do horizonte A recordar anteriores sonhos Um brilho ilumina seu olhar Ao se lembrar de seu amado Para ao seu lado caminhar Vinha ele todo elegante Querendo lhe conquistar Um homem interessante Ficou a observar Sua forma de conquistar Do amor a lhe ensinar Quanta beleza Naquele caminho a explorar Naquele porte de alteza De repente seus olhos são cobertos O perfume, a maciez daquelas maos O calor daquele corpo, ali, tão pertos Pertos demais a lhe arrancar suspiros Arrepios lhe percorrem o corpo Denunciando do amor prelúdios
  • 147. Lunas Cafe Poetico Passado e presente, primícias Dia a dia do mais lindo amor Verdadeiro encanto sem malícias O ar puro da montanha, o jardim Feito especialmente pra ela La embaixo um vale de jasmim A pureza do branco perolado O perfume inebriante completava Da sua vida, do seu amor o quadro Devagar, olhos fechados, gira o corpo Recosta a cabeça no peito de seu amado Se entrelaçam no sonho mais sonhado Luna Di Primo
  • 148.
  • 149. Aos poetas um grande abraço e obrigada pela confiança e carinho. Eu amo voces! Beijos de Luna Julho/2011