GRÉCIA ANTIGA
DAS ORIGENS AO
PERÍODO ARCAICO
A CIVILIZAÇÃO GREGA


Localização: Península Balcânica.
HISTÓRIA E NATUREZA






A Grécia apresenta um relevo montanhoso e por isso
só um quinto do território é habitável. O ...








As chuvas são muito raras e a vegetação
também é escassa e o desmatamento feito
durante séculos contribuiu par...
Observações:







É importante frisar que o surgimento das
cidade-estados na GRÉCIA não pode ser
explicado unicamente...
PERÍODOS






Período Pré-Homérico (2800 – 1100 a.
C.) – povoamento da Grécia.
Período Homérico (1100 – 800 a. C.) –...
PERÍODO PRÉHOMÉRICO
Caracterizado pelas
invasões arianas: aqueus,
eólios, jônios e dórios
PERÍODO PRÉ-HOMÉRICO
séc. XX a.C – XV a. C





Os mais antigos vestígios arqueológicos
encontrados na Grécia atual dão...






Civilização Creto-Micênica (cretenses +
aqueus):
Cretenses:
comércio
marítimo,
talassocracia (poder nas mãos de e...
OS DÓRIOS




Exímios
guerreiros,
saqueadores
e
conhecedores do ferro, enquanto os povos
locais utilizavam apenas o bron...
PERÍODO
HOMÉRICO
Caracterizado pela
formação dos
genos
PERÍODO HOMÉRICO
séc. XV a.C – VIII a.C .




Os tempos homéricos têm início com a
invasão dos dórios .
A denominação é ...
PÁRIS E HELENA
PRINCIPAIS
CARACTERÍSTICAS




Pela organização em GENOS , famílias
coletivas que reuniam descendentes de um
antepassado...
Geno
Geno
1
1

Geno
Geno
2
2

Frátria
Frátria
1
1

Geno
Geno
1
1

Geno
Geno
2
2

Frátria
Frátria
2
2

Tribo
Tribo
1
1

Gen...
DESINTEGRAÇÃO




Por volta do séc. VIII a.C., iniciou-se o processo
de desagregação das comunidades gentílicas.
O cresc...
PERÍODO
ARCAICO
Caracterizado pelo
surgimento da
PÓLIS
PERÍODO ARCAICO
séc. VIII a.C – VI a.C.






O
período
arcaico
caracteriza-se
por
transformações
políticas
e
sociais
e...
O SURGIMENTO DA
PÓLIS




As disputas entre proprietários e nãoproprietários e daqueles que passam a se
dedicar ao comér...
AS PÓLIS


local mais elevado da povoação, em torno da
qual se desenvolveria um núcleo urbano. As
cidades-estados logo se...
EXPANSÃO COLONIAL






Com a contínua expansão demográfica e
escassez de terras, os gregos passaram a
buscar novas áre...
O COLONIALISMO






As colônias eram autônomas e politicamente
independentes, apesar de manterem vínculos
com suas cid...
GRÉCIA
ESPARTA E ATENAS
A COLONIZAÇÃO COLABOROU
PARA O DESENVOLVIMENTO
DO URBANISMO: AS CIDADESESTADOS CUJA
CARACTERÍSTICA...
ESPARTA
UMA CIDADEESTADO AGRÁRIA E
OLIGÁRQUICA
ESPARTA




Localização : Esparta situava-se na região da
Lacônia, na Península do Peloponeso, numa
planície fértil quer...
ECONOMIA






A propriedade em Esparta era Estatal; a terra,
dividida em lotes, era doada vitaliciamente aos
espartano...
SOCIEDADE






A sociedade espartana era formada por:
Espartanos: descendentes dos dórios e os
únicos detentores de t...
Fundada pelos Dórios
Mulheres dedicadas ao comércio
Criança entregue ao estado (12-30)

Sociedade
Dórios

Aqueus
Messênico...
LEGISLAÇÃO


A legislação espartana teria sido criada
por Licurgo , personagem lendário, e se
baseava no monopólio políti...
Licurgo
POLÍTICA









Politicamente, Esparta era baseada na oligarquia.
Diarquia: formada por dois reis, com autoridade
r...
EDUCAÇÃO


O Estado se encarregava da educação
dos
espartanos,
baseada
no
aprimoramento físico. O espartano
deveria estar...







Educação espartana:
A sociedade espartana era conservadora, a educação
era voltada para o militarismo, obediênc...
ATENAS
ABERTA AO COMÉRCIO, RICA,
DINÂMICA E DEMOCRÁTICA,
APRESENTAVA-SE O OPOSTO DE
ESPARTA
ATENAS




O BERÇO DA DEMOCRACIA : Atenas
destacou-se como o maior centro cultural,
político e econômico da Grécia. Cida...
SOCIEDADE










Atenas era formada pelas seguintes camadas sociais.
Eupátridas: os bem nascidos, camada aristoc...
Fundada pelos Jônios (+Eólios + Aqueus)
Mulheres menos direitos
Educação Privada (após 7, Música, retórica e Filosofia)

S...
ECONOMIA




A base da economia ateniense era o comércio. A
produção agrícola ficava a cargo dos pelos escravos.
A manut...
POLÍTICA





Monarquia aristocrática : primeira forma de
governo de Atenas, o poder era exercido por um
rei: o basileu...






Os aristocratas encarregaram DRÁCON de
elaborar um código de leis escritas para a
cidade. Eram leis rígidas, poré...
Continuando...






Entretanto, as reformas de Sólon não
conseguiram apaziguar os ânimos.
Essa crise facilitou a toma...
DEMOCRACIA




O direito de cidadania foi ampliado. Passaram a
ser considerados cidadãos os filhos de pai
ateniense.
Clí...
O governo democrático de
Atenas era constituído da
seguinte forma :






Bulé – assembléia encarregada da
elaboração d...
 É importante lembrar que os
cidadãos de Atenas representavam
a minoria da sociedade. Não
podiam participar da vida polít...
DEMOCRACIA GREGA x
ATUAL




A democracia grega era direta e limitada
aos ricos proprietários. O próprio cidadão
defendi...
RELIGIÃO E MITOLOGIA
O SAGRADO NA VIDA
GREGA.







A religião foi um dos principais elementos de vínculo
cultural ent...
CULTOS E ORÁCULOS








Ao lado dos cultos públicos às divindades, as famílias
gregas também prestavam culto privado...
ARQUITETURA

COLUNA DÓRICA

COLUNA JÔNICA

COLUNA CORÍNTIA
ESCULTURA
HISTÓRIA E CIÊNCIAS






Na escrita da história, destacaram-se:
HERÓDOTO (484 – 425 a.C), conhecido como
“Pai da Histó...
Filosofia






Pode dividir-se a história da filosofia grega em
três períodos:
I. Período pré-socrático (séc. VII-V a....




III. Período pós-socrático (séc. IV a.C. - VI
a.C.) - Problemas morais. Período Ético: em
que o interesse filosófico...
Guerras Médicas (498 - 448aC)
Gregos (Atenas + Esparta) X Persas
Clássico

Auge
G.Médicas
G.Peloponeso
Macedônicos

Guerra...
Macedônicos dominam
Grécia

338 aC

Morte de Filipe II

336 aC

Alexandre
Helenismo

Helenismo
Gregos + Egípcios +
Persas ...
Helenismo
Gregos + Egípcios + Persas + Macedônicos

Biblioteca de Alexandria : 500 mil vol
Biblioteca de Pérgamo : 400 mil...
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Grécia antiga
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Grécia antiga

1.888 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.888
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
90
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Grécia antiga

  1. 1. GRÉCIA ANTIGA DAS ORIGENS AO PERÍODO ARCAICO
  2. 2. A CIVILIZAÇÃO GREGA  Localização: Península Balcânica.
  3. 3. HISTÓRIA E NATUREZA    A Grécia apresenta um relevo montanhoso e por isso só um quinto do território é habitável. O solo é pobre em recursos minerais e pouco fértil. Essas características isolava os vários grupos humanos locais, dificultando a comunicação e favorecendo a formação política predominante: a Pólis. O litoral é cheio de Golfos e Baías, Cabos e Penínsulas, entretanto, não são muitos os bons portos naturais. Os Rios tem pequena extensão e pouco volume de água.
  4. 4.     As chuvas são muito raras e a vegetação também é escassa e o desmatamento feito durante séculos contribuiu para reduzir a extensão das florestas naturais. O clima não favoreceu muito a ocupação do território grego: verões tórridos e os invernos quase sempre muito rigorosos. Na região Sul as condições climáticas são mais suaves. Considerando essas características geográficas, podemos calcular o quanto foi difícil para os gregos ocupar a região nos primeiros tempos.
  5. 5. Observações:    É importante frisar que o surgimento das cidade-estados na GRÉCIA não pode ser explicado unicamente pela influência do meio geográfico. Acreditar nisso seria cair no FATALISMO ou no DETERMINISMO GEOGRÁFICO. Podemos concluir então que o homem através de suas ações e seu trabalho, faz a história, relacionando-se dialeticamente com o meio geográfico e com as demais circunstâncias que interferem na vida humana
  6. 6. PERÍODOS      Período Pré-Homérico (2800 – 1100 a. C.) – povoamento da Grécia. Período Homérico (1100 – 800 a. C.) – poemas Ilíada e Odisséia. Período Arcaico (800 – 500 a.C) – formação da pólis (cidade-Estado). Período Clássico (500 – 336 a.C) – auge da pólis. Período Helenístico (336 – 146 a.C) – decadência da pólis/ domínio Macedônico.
  7. 7. PERÍODO PRÉHOMÉRICO Caracterizado pelas invasões arianas: aqueus, eólios, jônios e dórios
  8. 8. PERÍODO PRÉ-HOMÉRICO séc. XX a.C – XV a. C    Os mais antigos vestígios arqueológicos encontrados na Grécia atual dão indícios da existência de povos vivendo nessa região por volta de 2500 a.C.. Tais povos se mesclaram a outros que invadiram a região por volta de 2500 a.C. Os aqueus foram os primeiros seguidos dos eólios e jônios. A convivência entre os povos do local e os invasores não era nada pacífica. Por volta de 1200 a.C. chegam os dórios.
  9. 9.    Civilização Creto-Micênica (cretenses + aqueus): Cretenses: comércio marítimo, talassocracia (poder nas mãos de elite comerciante), escrita silábica (Linear A e Linear B), destaque para as mulheres; Micênicos: Grécia Continental – aqueus. Conquistaram os cretenses, porém assimilaram alguns de seus valores culturais;
  10. 10. OS DÓRIOS   Exímios guerreiros, saqueadores e conhecedores do ferro, enquanto os povos locais utilizavam apenas o bronze.Destruíram inúmeros centros urbanos. A invasão dórica levou os gregos a fugirem, constituindo a Primeira Diáspora Grega . Alguns dirigiram-se para as diversas ilhas vizinhas enquanto outros rumaram para o interior.
  11. 11. PERÍODO HOMÉRICO Caracterizado pela formação dos genos
  12. 12. PERÍODO HOMÉRICO séc. XV a.C – VIII a.C .   Os tempos homéricos têm início com a invasão dos dórios . A denominação é devido às principais fontes que retratam o período, atribuídas a Homero: Ilíada (guerra de Tróia) e Odisséia (narra as aventuras de Ulisses, herói grego).
  13. 13. PÁRIS E HELENA
  14. 14. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS   Pela organização em GENOS , famílias coletivas que reuniam descendentes de um antepassado comum. Cada geno era chefiado pelo membro mais velho, o pater , com autoridade militar, religiosa e política; Economia sustentada na agricultura e no pastoreio. A terra era propriedade coletiva. A produção destinava-se à subsistência da família. Comércio pouco desenvolvido e à base de trocas. Não havia desigualdade econômica e nem social.
  15. 15. Geno Geno 1 1 Geno Geno 2 2 Frátria Frátria 1 1 Geno Geno 1 1 Geno Geno 2 2 Frátria Frátria 2 2 Tribo Tribo 1 1 Geno Geno 1 1 Geno Geno 2 2 Frátria Frátria 1 1 DEMO Geno Geno 2 2 Frátria Frátria 2 2 Tribo Tribo 1 1 Basileu Geno Geno 1 1 Basileu
  16. 16. DESINTEGRAÇÃO   Por volta do séc. VIII a.C., iniciou-se o processo de desagregação das comunidades gentílicas. O crescimento populacional foi maior que o da produção, começou a faltar alimentos. O pater passa a fazer a divisão de terras. Beneficiou seus parentes mais próximos, com os melhores lotes que foram transformados em propriedade privada.Surge uma nova classe: os eupátridas (os bem nascidos). Aristoi (os melhores)
  17. 17. PERÍODO ARCAICO Caracterizado pelo surgimento da PÓLIS
  18. 18. PERÍODO ARCAICO séc. VIII a.C – VI a.C.    O período arcaico caracteriza-se por transformações políticas e sociais e consolidação das cidades-estados. (Atenas e Esparta) A Monarquia foi sendo substituída pela oligarquia (regime político fundado no exercício do poder por parte de um grupo reduzido de pessoas, pertencentes à mesma família ou grupo). Enriquecimento da aristocracia e acentuação da desigualdade social. Sociedade torna-se escravista (guerras e dívidas).
  19. 19. O SURGIMENTO DA PÓLIS   As disputas entre proprietários e nãoproprietários e daqueles que passam a se dedicar ao comércio, bem como os conflitos entre os vários genos resultaram na crescente instabilidade que motivou a união dos mais poderosos de vários genos, buscando um poder forte e controlador. Genos=fratria=tribo=demos(povo ou povoado)
  20. 20. AS PÓLIS  local mais elevado da povoação, em torno da qual se desenvolveria um núcleo urbano. As cidades-estados logo seriam lideradas por um conselho de eupátridas.Cada cidade era governada por um rei, o basileu.a qual se desenvolveria um núcleo urbano. As cidadesestados logo seriam lideradas por um conselho de eupátridas.Cada cidade era governada por um rei, o basileu.
  21. 21. EXPANSÃO COLONIAL    Com a contínua expansão demográfica e escassez de terras, os gregos passaram a buscar novas áreas para sobreviver. Trata-se do início do processo de colonização grego no Mediterrâneo, o norte do mar negro, as costas asiáticas e o norte da África. Esse processo ficou conhecido como Segunda Diáspora Grega.
  22. 22. O COLONIALISMO    As colônias eram autônomas e politicamente independentes, apesar de manterem vínculos com suas cidades de origem. O colonialismo provocou uma expansão da agricultura, da pecuária e do próprio artesanato. Houve desenvolvimento comercial. A Grécia importava alimentos e matérias-primas e exportava produtos elaborados (vinho, azeite, cerâmica, etc.)
  23. 23. GRÉCIA ESPARTA E ATENAS A COLONIZAÇÃO COLABOROU PARA O DESENVOLVIMENTO DO URBANISMO: AS CIDADESESTADOS CUJA CARACTERÍSTICA PRINCIPAL É A AUTONOMIA ECONÔMICA E POLÍTICA
  24. 24. ESPARTA UMA CIDADEESTADO AGRÁRIA E OLIGÁRQUICA
  25. 25. ESPARTA   Localização : Esparta situava-se na região da Lacônia, na Península do Peloponeso, numa planície fértil quer era uma exceção no conjunto geográfico grego. Essa planície apresentava-se isolada das regiões vizinhas por altas montanhas. Fundada no século IX a.C. pelos Dórios, que logo submeteram os primeiros habitantes da região, a sociedade espartana teve um desenvolvimento semelhante aos das demais pólis gregas.
  26. 26. ECONOMIA    A propriedade em Esparta era Estatal; a terra, dividida em lotes, era doada vitaliciamente aos espartanos e trabalhadas pelos hilotas. Era proibida a prática do comércio pelos espartanos, contribuindo para o monopólio comercial dos periecos. Como comerciantes, os periecos completavam a economia da pólis, favorecendo a autosuficiência espartana e a xenofobia (aversão ao estrangeiro).
  27. 27. SOCIEDADE     A sociedade espartana era formada por: Espartanos: descendentes dos dórios e os únicos detentores de terras e de poder político; Periecos : homens livres que não tinham direitos políticos e que deveriam participar do exército quando necessário.(comerciantes e artesãos). Hilotas: servos pertencentes ao Estado, eram cedidos aos espartanos para trabalhar em suas terras e por serem a maioria da população representavam constante perigo de rebelião.
  28. 28. Fundada pelos Dórios Mulheres dedicadas ao comércio Criança entregue ao estado (12-30) Sociedade Dórios Aqueus Messênicos Espartanos Governantes Periecos Artesanato e Comércio Hilotas Servos do Estado Diarquia Gerontes Gerúsia Éforos Apela
  29. 29. LEGISLAÇÃO  A legislação espartana teria sido criada por Licurgo , personagem lendário, e se baseava no monopólio político dos cidadãos-guerreiros, os espartanos, e na marginalização dos demais – muito embora os periecos tivessem obrigações militares em caso de guerra.
  30. 30. Licurgo
  31. 31. POLÍTICA      Politicamente, Esparta era baseada na oligarquia. Diarquia: formada por dois reis, com autoridade religiosa e militar; Gerúsia : também conhecida como conselho dos Anciãos, era composto por 28 esparciatas com mais de 60 anos. Fiscalizavam a administração e decidiam sobre a maior parte dos assuntos do governo; Ápela: era a Assembléia popular, formada pelos cidadãos com mais de 30 anos. Sua principal função era eleger os éforos. Eforado: composto por cinco éforos, com mandato de um ano. Eram os verdadeiros administradores da cidade. Fiscalizavam os reis, controlavam o sistema educacional e distribuíam a propriedade entre os esparciatas.
  32. 32. EDUCAÇÃO  O Estado se encarregava da educação dos espartanos, baseada no aprimoramento físico. O espartano deveria estar sempre pronto para a revolta dos seus servos. O incentivo ao crescimento demográfico era inócuo, pois o rigor da educação eliminava a maioria dos jovens, sobrevivendo apenas os mais fortes e resistentes.
  33. 33.     Educação espartana: A sociedade espartana era conservadora, a educação era voltada para o militarismo, obediência a regras e vigor físico, e isso impunha um código moral bastante severo. A criança ao nascer era examinada por um conselho de cidadãos, que avaliava sua condição física, caso houvesse alguma deficiência era atirada em um desfiladeiro. Crianças eram entregues ao estado a partir dos sete anos, para prepará-las para a educação militar, garantindo a proteção da cidade e a ordem interna. A obrigação da mulher era a de gerar filhos saudáveis para servir ao Estado,praticavam exercícios que lhes garantissem uma vida forte e saudável.
  34. 34. ATENAS ABERTA AO COMÉRCIO, RICA, DINÂMICA E DEMOCRÁTICA, APRESENTAVA-SE O OPOSTO DE ESPARTA
  35. 35. ATENAS   O BERÇO DA DEMOCRACIA : Atenas destacou-se como o maior centro cultural, político e econômico da Grécia. Cidade de origem jônica, tornou-se m padrão de desenvolvimento para as cidades-estado gregas Localização : na Ática, nas proximidades do mar Egeu.
  36. 36. SOCIEDADE        Atenas era formada pelas seguintes camadas sociais. Eupátridas: os bem nascidos, camada aristocrática que detinha os privilégios, constituída pelos grandes proprietários de terras; Georgóis , pequenos proprietários de terras em regiões pouco férteis; Thetas : não possuíam terras. Eram trabalhadores assalariados; Demiurgos: artesãos e comerciantes concentrados no litoral; Metecos : estrangeiros que moravam em Atenas dedicando-se ao comércio e ao artesanato. Não possuíam direitos políticos e nem podiam comprar terras. Escravos : prisioneiros de guerra ou por dívidas;
  37. 37. Fundada pelos Jônios (+Eólios + Aqueus) Mulheres menos direitos Educação Privada (após 7, Música, retórica e Filosofia) Sociedade Eupátridas Grandes Proprietários Georgóis Pequenos agricultores Demiurgos Comerciantes e Artesãos Escravos Basileu Areópago Aristocracia Legisladores Tirania Legisladores
  38. 38. ECONOMIA   A base da economia ateniense era o comércio. A produção agrícola ficava a cargo dos pelos escravos. A manutenção da escravidão na cidade foi fundamental tanto para o desenvolvimento da economia, como para a consolidação da democracia, possibilitando uma situação política mais equilibrada, na medida em que as camadas populares tiveram algumas de suas reivindicações atendidas. Ao preservar o trabalho escravo, a elite econômica tinha grande disponibilidade de seu tempo para participar das Assembléias e das demais atividades políticas.
  39. 39. POLÍTICA    Monarquia aristocrática : primeira forma de governo de Atenas, o poder era exercido por um rei: o basileu. Aos poucos o poder do rei foi limitado pelos eupátridas; Oligarquia : governo passou a ser exercido por um conselho de eupátridas (o Arcontado). O descontentamento popular, apoiado pelos ricos comerciantes(demiurgos) foi se fortalecendo e impondo mudanças na ordem política tradicional. Para resolver os conflitos eram necessárias reformas.
  40. 40.    Os aristocratas encarregaram DRÁCON de elaborar um código de leis escritas para a cidade. Eram leis rígidas, porém não conseguiram resolver os conflitos. Outro legislador, SÓLON , propõe medidas mais radicais a fim de resolver os conflitos: Aboliu a escravidão por dívidas; dividiu os cidadãos em quatro classes (baseada na riqueza)e determinou a relativa participação política de cada classe.
  41. 41. Continuando...     Entretanto, as reformas de Sólon não conseguiram apaziguar os ânimos. Essa crise facilitou a tomada de poder pela força. Tirania : o período da tirania iniciou-se com Pisístrato. Esse tirano deu terras dos aristocratas aos pequenos proprietários, concedeu empréstimos aos fazendeiros, incentivou a colonização e o comércio, construiu obras públicas. Democracia : Clístenes, um outro tirano fez nascer a democracia ao aperfeiçoar a leis de Sólon.
  42. 42. DEMOCRACIA   O direito de cidadania foi ampliado. Passaram a ser considerados cidadãos os filhos de pai ateniense. Clístenes criou a lei do ostracismo , que era a condenação ao exílio de Atenas, por dez anos, às pessoas consideradas perigosas pelo Estado. A democracia ateniense atingiu se apogeu no século V a.C., com Péricles , que governou 14 anos e promoveu Atenas tanto politicamente como culturalmente.
  43. 43. O governo democrático de Atenas era constituído da seguinte forma :    Bulé – assembléia encarregada da elaboração das leis. Eclésia – votava as leis e escolhia os estrategos, encarregados de fazer executar as leis; Hiléia – tribunais de justiça.
  44. 44.  É importante lembrar que os cidadãos de Atenas representavam a minoria da sociedade. Não podiam participar da vida política as mulheres, os estrangeiros (que eram em grande número), os jovens e os escravos. Ao mesmo tempo em que se aperfeiçoavam as instituições democráticas, consolidava-se o escravismo.
  45. 45. DEMOCRACIA GREGA x ATUAL   A democracia grega era direta e limitada aos ricos proprietários. O próprio cidadão defendia os seus interesses políticos. Nossa democracia é representativa, escolhemos os candidatos que vão nos representar. Todos com maior de 18 anos estão obrigados a exercer seus direitos políticos.
  46. 46. RELIGIÃO E MITOLOGIA O SAGRADO NA VIDA GREGA.    A religião foi um dos principais elementos de vínculo cultural entre as cidades da Grécia Antiga. Por todo o mundo grego, encontramos uma série de elementos comuns, como crenças, rituais, divindades e templos. A religião grega não tinha um conjunto fixo de normas (dogmas) estabelecidas num único livro sagrado. Seus princípios foram transmitidos pela tradição oral. Entre as características da religião grega, podemos citar: - O Politeísmo,isto é, o culto a vários deuses. - O Antropomorfismo (do grego antropo=homem e morfismo=referentes à forma), pois os deuses gregos eram representados com forma e comportamento semelhantes aos dos seres humanos.
  47. 47. CULTOS E ORÁCULOS     Ao lado dos cultos públicos às divindades, as famílias gregas também prestavam culto privado aos espíritos dos antepassados. As orações e os sacrifícios de animais eram elementos importantes nos cultos destinados a obter benefícios e proteção dos deuses. Os cultos eram geralmente conduzidos por sacerdotes ou oficiantes que conheciam os diversos ritos religiosos próprios de cada divindade. Os gregos acreditavam que os deuses comunicavam-se com os seres humanos de diversas maneiras. Uma delas, o oráculo, consistia em responder a consultas sobre o passado, presente e futuro por meio de sacerdotes considerados capazes de transmitir a mensagem do
  48. 48. ARQUITETURA COLUNA DÓRICA COLUNA JÔNICA COLUNA CORÍNTIA
  49. 49. ESCULTURA
  50. 50. HISTÓRIA E CIÊNCIAS    Na escrita da história, destacaram-se: HERÓDOTO (484 – 425 a.C), conhecido como “Pai da História” e TUCÍDIDES (460 – 396 a.C). Na medicina, destacou-se HIPÓCRATES (460 – 377 a.C), que ficou conhecido como “Pai da Medicina”. Entre os textos escritos por Hipócrates, um dos mais famosos é o seu juramento, pela mensagem ética transmitida aos profissionais da Medicina. Ainda hoje, em algumas faculdades, os médicos pronunciam as palavras do juramento de Hipócrates ao receber o diploma de formatura.
  51. 51. Filosofia    Pode dividir-se a história da filosofia grega em três períodos: I. Período pré-socrático (séc. VII-V a.C.) Problemas cosmológicos. Período Naturalista: pré-socrático, em que o interesse filosófico é voltado para o mundo da natureza; II. Período socrático (séc. IV a.C.) - Problemas metafísicos. Período Sistemático ou Antropológico: o período mais importante da história do pensamento grego (Sócrates, Platão, Aristóteles), em que o interesse pela natureza é integrado com o interesse pelo espírito e são construídos os maiores sistemas filosóficos, culminando com Aristóteles;
  52. 52.   III. Período pós-socrático (séc. IV a.C. - VI a.C.) - Problemas morais. Período Ético: em que o interesse filosófico é voltado para os problemas morais, decaindo entretanto a metafísica; IV. Período Religioso : assim chamado pela importância dada à religião, para resolver o problema da vida, que a razão não resolve integralmente. O primeiro período é de formação, o segundo de apogeu, o terceiro de decadência.
  53. 53. Guerras Médicas (498 - 448aC) Gregos (Atenas + Esparta) X Persas Clássico Auge G.Médicas G.Peloponeso Macedônicos Guerras do Peloponeso (431 – 404 aC) Atenas X Esparta + Pérsia Atenas + Esparta X Tebas Batalha de Queronéia (338 aC) V aC IV aC Filipe II da Macedônia derrota os gregos
  54. 54. Macedônicos dominam Grécia 338 aC Morte de Filipe II 336 aC Alexandre Helenismo Helenismo Gregos + Egípcios + Persas + Macedônicos IV aC I aC Ver Mais Mapa Morte de Alexandre 323 aC Dominação Romana 30 aC
  55. 55. Helenismo Gregos + Egípcios + Persas + Macedônicos Biblioteca de Alexandria : 500 mil vol Biblioteca de Pérgamo : 400 mil vol Helenismo IV aC I aC •Geocentrismo •Circunferência da Terra •Geometria •Princípios da Física •História •Estoicismo (Zenão) : dor e prazer •Epicurismo : Busca do Prazer •Ceticismo (Pirro): Nada Julgar

×