2Juventude Mariana Vicentina do Sobreiro - Sector Mariano“EIS O CORAÇÃO QUE TANTO AMOU OS HOMENS...“A Devoção ao Sagrado C...
3MEDITAÇÃO IIDo Relato das Aparições a Santa Margarida Maria AlacoqueA chamada Grande Revelação foi feita a Margarida Mari...
4Da Carta Encíclica Haurietis Aquas do Venerável Papa Pio XIICom efeito, o mistério da divina redenção é, antes de tudo e ...
5Sobreiro
Devocao ao Sagrado Coracao de Jesus
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Devocao ao Sagrado Coracao de Jesus

619 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
619
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Devocao ao Sagrado Coracao de Jesus

  1. 1. 2Juventude Mariana Vicentina do Sobreiro - Sector Mariano“EIS O CORAÇÃO QUE TANTO AMOU OS HOMENS...“A Devoção ao Sagrado Coração de JesusNOTA INTRODUTÓRIAFindo o tempo Pascal, eis que tornamos ao Tempo Comum, iniciando-o com a Celebração de trêsSolenidades: da Santíssima Trindade, do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo e do Sagrado Coraçãode Jesus. Estas três Solenidades estão intimamente relacionadas: do seio da Trindade surge JesusCristo que, com o Coração cheio de Amor pelos homens, deixa o Seu Corpo e o Sangue como Sacra-mento de Salvação para todos os que, santamente, o receberem.Deste modo, há uma dinâmica de Amor por detrás destas celebrações: o Amor de Deus-Pai, que amade tal modo a Criação que, para a resgatar das insídias do pecado, envia o Seu Filho ao Mundo; oAmor de Deus-Filho, que morre para nos salvar e ressuscita para nos levar até Deus; o Amor de Deus-Espírito Santo, que transporta o sacrifício de Cristo para a vida dos crentes por meio da Eucaristia,graça indispensável à Salvação das Almas.Assim, de forma a que meditemos mais profundamente esta dinâmica acima descrita, vamos reto-mar uma devoção muito querida ao Cristianismo Europeu, sobretudo a partir do século de XVII, istoé, a devoção ao Sagrado Coração de Jesus, a quem, tradicionalmente, é dedicado o Mês de Junho.Para isso, iremos tomar como textos base os relatos das Aparições do Sagrado Coração de Jesus aSanta Margarida Maria Alacoque, em Paray le Monial, durante a década de 1670, e também a CartaEncíclica do Venerável Papa Pio XII Haurietis Aquas, de 15 de Maio de 1956, acerca da Devoção aoSagrado Coração de Jesus nos tempos modernos. Assim, pretende-se ouvir, de viva voz, o testemu-nho de uma mística que recebeu a graça de se lhe ver revelado Cristo, bem como o ensinamento que
  2. 2. 3MEDITAÇÃO IIDo Relato das Aparições a Santa Margarida Maria AlacoqueA chamada Grande Revelação foi feita a Margarida Maria durante a oitava da festa do Corpus Domi-ni (Corpus Christi) de 1675.Mostrando o seu Coração divino, Jesus confiou à Santa:“Eis o Coração que tanto amou os homens, que nada poupou, até se esgotar e se consumir para lhestestemunhar seu amor. Como reconhecimento, não recebo da maior parte deles senão ingratidões,pelas suas irreverências, sacrilégios, e pela tibieza e desprezo que têm para comigo na Eucaris-tia. Entretanto, o que Me é mais sensível é que há corações consagrados que agem assim. Por isto tepeço que a primeira sexta-feira após a oitava do Santíssimo Sacramento seja dedicada a uma festaparticular para honrar Meu Coração, comungando neste dia, e O reparando pelos insultos que rece-beu durante o tempo em que foi exposto sobre os altares”.“Prometo-te que Meu Coração se dilatará para derramar os influxos de Seu amor divino sobre aque-les que Lhe prestarem esta honra”.
  3. 3. 4Da Carta Encíclica Haurietis Aquas do Venerável Papa Pio XIICom efeito, o mistério da divina redenção é, antes de tudo e pela sua própria natureza, um mistériode amor: isto é, um mistério de amor justo da parte de Cristo para com seu Pai celeste, a quem osacrifício da cruz, oferecido com coração amante e obediente, apresenta uma satisfação superabun-dante e infinita pelos pecados do gênero humano: Cristo, sofrendo por caridade e obediência, ofere-ceu à Deus alguma coisa de valor maior do que o exigia a compensação por todas as ofensas feitas aDeus pelo gênero humano.8 Além disso, o mistério da redenção é um mistério de amor misericor-dioso da augusta Trindade e do divino Redentor para com a humanidade inteira, visto que, sendoesta totalmente incapaz de oferecer a Deus uma satisfação condigna pelos seus próprios delitos,9mediante a imperscrutável riqueza de méritos que nos ganhou com a efusão do seu precioso sangue,Cristo pode restabelecer e aperfeiçoar aquele pacto de amizade entre Deus e os homens violado pelaprimeira vez no paraíso terrestre por culpa de Adão e depois, inúmeras vezes, pela infidelidade dopovo escolhido. Portanto, havendo na sua qualidade de nosso legítimo e perfeito mediador, e sob oestímulo de uma caridade energética para conosco, conciliando as obrigações e compromissos dogênero humano com os direitos de Deus, o divino Redentor foi, sem dúvida, o autor daquela maravi-lhosa reconciliação entre a divina justiça e a divina misericórdia, a qual justamente constitui a abso-luta transcendência do mistério da nossa salvação, tão sabiamente expresso pelo doutor angélicocom estas palavras: "Convém observar que a libertação do homem, mediante a paixão de Cristo, foiconveniente tanto para a justiça como para a misericórdia do mesmo Cristo. Antes de tudo para ajustiça, porque com a sua paixão Cristo satisfez pela culpa do gênero humano, e, por conseguinte,pela justiça de Cristo foi o homem libertado. E, em segundo lugar, para a misericórdia, porque, nãosendo possível ao homem satisfazer pelo pecado, que manchava toda a natureza humana, deu-lheDeus um reparador na pessoa de seu Filho. Ora, isto foi, da parte de Deus, um gesto de mais genero-sa misericórdia do que se ele houvesse perdoado os pecados sem exigir qualquer satisfação. Por issoestá escrito: Deus, que é rico em misericórdia, movido pelo excessivo amor com que nos amouquando estávamos mortos pelos pecados, deu-nos vida juntamente em Cristo" (Ef 2, 4).MeditaçãoComo é próprio de Deus, também o seu Amor é algo insondável: para além de nos ter deixado o SeuCorpo e Sangue como o maior dom, continua a manifestar-se através dos agraciados místicos querecebem as suas mensagens e a transmitem ao povo de Deus. E, contudo, diz-nos o Senhor que nãotem recebido nada da nossa parte senão ingratidões.Aprendamos a amar este Senhor, aprendamos a venerá-l’O e a adorá-l’O, e dar-Lhe a Glória e o Lou-vor que a nossa pobre condição nos possibilita e, acima de tudo, amemos o seu Sacratíssimo Cora-ção, tão sangrado, ferido e agravado pelos homens iníquos e pecadores.Também está a Mãe Santíssima, a Virgem do Coração Imaculado, Coração esse que guardou e guar-da todas as palavras, gestos e acções do Seu Santíssimo Filho. Que, a exemplo da Excelsa Virgem, sai-bamos, com a mesma humildade, guardar tudo o que no diz o Senhor Jesus no íntimo do Coração.Ó Sacratíssimo Coração de Jesus, que o teu Amor pelos homens seja sempre por nós acolhido e que sai-bamos reparar-te e desagravar-te por todos aqueles que não o acolhem.
  4. 4. 5Sobreiro

×