Jornal Raios de Luz - Junho

559 visualizações

Publicada em

Jornal da Juventude Mariana Vicentina do Sobreiro - Mafra - com notícias das actividades do grupo, da comunidade e da Paróquia.

Publicada em: Espiritual
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Jornal Raios de Luz - Junho

  1. 1. Juventude Mariana Vicentina - SOBREIRO ANO 3 * NÚMERO 12* Junho 2014 * 1 jmv Raios de Luz JORNADA DIOCESANA DA FAMÍLIA EM MAFRA Jardim do Cerco, 25 de Maio de 2014
  2. 2. JORNAL Raios de Luz Junho 2014 www.gjcsraiosdeluz.blogspot.com2 UM ATAQUE À VIDA HUMANA Lembram-se da petição ‘Um de Nós’, assinada no ano passado, para o não-uso em estudos científicos de embriões humanos, que são já seres humanos (Um de nós)? Apesar das quase duas milhões assinaturas (mais precisamente 1.901.947) recolhidas nos 28 países da UE, não será apresentada como proposta legislativa ao Parlamento Europeu. A política, infelizmente, caminha em sentido oposto do que pedia a petição: financiamento com dinheiro público europeu para a pesquisa científica com embriões humanos e de projec- tos de cooperações internacionais que implicam na difusão do aborto e na produção de fárma- cos abortivos. Isto significa que a opinião de quase dois milhões de cidadãos europeus foi considerada irrelevante, indigna de ser submetida ao Parla- mento Europeu, a única instituição eleita pelo povo. De nada valeu uma mobilização que permi- tiu a iniciativa coletar um número recorde de adesões, bem acima do que qualquer outra peti- ção. A Cultura da Morte venceu esta batalha. Mas sabemos, como cristãos, que a morte não tem a última palavra! Pedimos a todos que rezem pela promoção e defesa da Vida humana, desde a concepção até à morte natural. Rezemos, assim, por todas as nações e seus governantes! Que a luz de Jesus Ressuscitado, pela interces- são da Sua Mãe Santíssima, ilumine as consciên- cias adormecidas! Rezemos pela vida: Pai Santo, Amor Criador, Senhor da Vida, Deus Providente e Todo-Poderoso: desde toda a eternidade quisestes o ser e a vida de cada um de nós e enviaste o Vosso Filho ao mundo a fim de que tenhamos a Vida e a tenhamos em abun- dância. Dai-nos o Vosso Espírito Vivificante para que, sempre, em qualquer circunstância e sem excepção alguma, amemos, respeitemos, prote- jamos, promovamos e cuidemos da vida, dignida- de, direitos e integridade de cada ser humano - desejado ou imprevisto, são ou enfermo, escor- reito ou deficiente - desde o momento da sua concepção até à morte natural, e, indo, assim, ao Vosso encontro, alcancemos a felicidade eterna. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. João Cadete, Vogal de Comunicação e Informação
  3. 3. www.gjcsraiosdeluz.blogspot.com 3 Juventude mariana vicentina - sobreiro Nº_12* Ano_3 ENCERRAMENTO DO MÊS DE MARIA NO VATICANO O Santo Padre encerrou o mês tradicionalmen- te dedicado a Nossa Senhora no último dia 31 de Maio, com a oração do Terço e Procissão de Velas até à réplica da Gruta de Lourdes que existe nos Jardins do Vaticano. Nas suas breves palavras, o Papa apresentou Maria como «a Virgem da prontidão, que está sempre pronta para vir em nossa ajuda quando a invocamos, quando pedimos o seu auxílio, a sua protecção a nosso favor». CORPO DE DEUS EM ROMA Celebrou-se no passado dia 19 de Junho a Sole- nidade do Corpo de Deus no Vaticano. Como é hábito, a Eucaristia foi celebrada pelo Papa Francisco em frente à Basílica de São João Latrão. Na homilia, o Papa lembrou que «Jesus dá-Se em alimento, sendo Ele mesmo o pão vivo que dá vida ao mundo. O Seu Corpo não é um simples alimento com o qual sacia nossos corpos, como o maná; o Corpo de Cristo é o pão dos últimos tempos, capaz de dar vida, e vida eterna, por- que a substancia deste pão é Amor». No final da Missa, organizou-se a impressionan- te Procissão Eucarística pelas ruas de Roma (por 1,2 km), presidida pelo Cardeal Vigário de Roma. O Papa, devido a uma dor ciática, esperou a Procissão na Basílica de Santa Maria Maior, onde, no fim da Procissão, deu a bênção com o Santíssimo Sacramento. João Cadete, Vogal Comunicação e Informação
  4. 4. JORNAL Raios de Luz Junho 2014 VIGEM DO PAPA À TERRA SANTA Durante 3 dias, o Papa viajou até à Terra Santa onde visitou os locais mais emblemáticos da vida de Jesus. Logo no primeiro dia, o Papa esteve no local onde Cristo foi baptizado, junto ao rio Jordão, abençoando a água desse rio. Seguiu-se depois uma visita a Belém, tendo o Papa celebrado Missa na Praça da Manjedoura, onde se encontra a Basílica da Natividade. Depois da celebração, o Santo Padre venerou o lugar no qual, segundo a Tradição Católica, Nos- sa Senhora deu à luz o Menino Jesus. Outro ponto alto desta visita foi a celebração da Missa em Jerusalém no Cenáculo, no mesmo local onde Jesus comeu a Última Ceia com os discípulos antes de morrer e onde instituiu o Santíssimo Sacramento da Eucaristia. Aqui, raras vezes os cristãos podem celebrar Missa (apenas duas por ano e debaixo de forte vigi- lância), tornando o momento ainda mais espe- cial. Ainda durante esta visita, o Papa visitou o San- to Sepulcro, tendo venerado a pedra onde o Corpo de Jesus repousou depois da Sua Morte e de onde ressuscitou glorioso na manhã de Pás- coa. Esta viagem foi ainda marcada por vários apelos do Papa à liberdade religiosa e a Paz no Médio Oriente. www.gjcsraiosdeluz.blogspot.com4 João Cadete, Vogal Comunicação e Informação
  5. 5. CELEBRAÇÕES PASCAIS EM MAFRA Ocorreram no passado mês de Abril, mais pro- priamente nos dias 17 a 20 desse mês as gran- diosas Cerimónias Pascais em Mafra, assim como em todo o mundo Católico. Estas celebrações, no entanto, não começaram em Mafra mas sim na Sé Patriarcal de Lisboa, com a Celebração da Missa Crismal por Sua Em.a Rev.ma , o Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente e na qual estiveram presentes todas as autoridades eclesiásticas do Patriarcado, bem como uma grande parte dos seus presbíte- ros, diáconos, acólitos e Povo de Deus. Nesta Celebração, na manhã de Quinta-feira Santa, em que se celebra o dia da Igreja, foram benzi- dos os Santos Óleos que serão usados na Cele- bração de todos os Sacramentos neste Ano Litúrgico. Na tarde desse mesmo dia as Celebrações Pas- cais continuaram na Basílica do Palácio Nacional de Mafra, com a Celebração da Missa Vesperti- na da Ceia do Senhor, com o tradicional Lava- pés, um rito inspirado no relato Bíblico (Jo 13, 1 -17) no qual Jesus lavou os pés dos Seus Após- tolos. Este rito serve hoje em dia para nos relembrar que os Padres e Bispos estão na ter- ra para servir e não para serem servidos. As Celebrações continuaram na Sexta- -feira da Paixão do Senhor com o Ofício de Leitura e Laudes de manhã, a Celebração da Paixão do Senhor ás 15h da tarde, hora em que se crê ter morrido Jesus. Na noite de Sexta-feira, saiu ainda pelas ruas de Mafra a Procissão do Enter- ro do Senhor. Em Sábado Santo, as Celebrações começaram pela manhã, mais uma vez com o Ofí- cio de Leitura e Laudes. Nessa San- ta noite, em Mafra, como em toda a orbe católica, foi celebrada com enorme júbilo a Vigília Pascal da Noite Santa, a maior e mais impor- tante Celebração de todo o Ano Litúrgico. Esta magnífica Celebração iniciou-se, como sempre, com a bênção do fogo, que passa a sim- bolizar a Luz do Mundo que é Cristo, do qual é aceso o Círio Pascal, e daí todas as velas, que naquela noite encheram a Basílica. Foi com esta luz de velas que a Celebração se manteve, até ao momento em que é assinalado o nascimento de Cristo através da passagem do Antigo para o Novo Testamento, momento no qual é cantado o Glória e são acesas todas as luzes da Basílica, ficando assim o Mundo revestido com a Luz que é Cristo e que dissipa as trevas da morte e do pecado. Nesta Celebração houve também 12 neófitos que receberam os Sacramentos da Iniciação Cristã. As Celebrações Pascais terminaram no Domingo de Páscoa da Ressurreição do Senhor, com Mis- sa na Basílica, presidida por Sua Ex.a Rev.ma , D. Joaquim Mendes, Bispo auxiliar do Patriarcado. www.gjcsraiosdeluz.blogspot.com 5 Juventude mariana vicentina - sobreiro Nº_12 * Ano_3 Marco Batalha, Vogal Liturgia
  6. 6. FESTA DA PRIMEIRA COMUNHÃO NO SOBREIRO www.gjcsraiosdeluz.blogspot.com6 No passado dia 27 de Maio, as crianças do 3º volume da catequese do Sobreiro receberam pela primeira vez o Corpo e Sangue de Cristo, numa celebração normalmente chamada de Pri- meira Comunhão, esperando que, para o resto das suas vidas, pelo menos todos os Domingos o possam fazer, em conjunto com toda a comuni- dade. Assim, pelas 10h da manhã, iniciou-se esta Mis- sa muito especial para estas crianças, que tomaram mais um passo importante para o crescimento e desenvolvimento das suas vidas enquanto cristãos. Na presença e com o apoio de toda a comunida- de, catequistas e de todas as famílias, que sem- pre os acompanharam, cada criança recebeu o Sacramento da Eucaristia pela primeira vez. Após uma celebração com grande alegria, foto de grupo, fotos com as famílias e catequistas tiradas, foi cortado um bolo, partilhado com todas as crianças e comunidade, relembrando a alegria da celebração que tinha acabado de ocorrer. Foi uma celebração que não será, certamente, esquecida por nenhuma das crianças, familiares e catequistas, que marcou mais um momento importante na vida destas crianças da nossa comunidade cristã. Ó Maria, Mãe de Jesus Sacramentado, ensinai-nos a amar o Vosso Divino Filho no Santíssimo Sacramento da Eucaristia! Ana Rita Costa, Tesoureira JORNAL Raios de Luz Junho 2014
  7. 7. www.gjcsraiosdeluz.blogspot.com 7 Juventude mariana vicentina - sobreiro Nº_12 * Ano_3 DIA DA MÃE COM A COMUNIDADE Ana Rita Costa Vogal Caridade No primeiro Domingo de Maio celebrou-se mais um Dia da Mãe em Portugal, dia em que se relembra todas as mães, mostrando o carinho que temos por elas, com flores, presentes, outras pequenas surpresas ou mesmo pequenos gestos que podem alegrar um pouco mais o dia de quem deu muito de si por cada um de nós. E, como seria de esperar, o Grupo de Jovens do Sobreiro não pode deixar passar este dia sem fazer um pequeno mimo e mostrar o nosso amor e carinho por todas as mães da nossa comunida- de, como já temos vindo a fazer em anos ante- riores. Então, neste ano, fizemos algumas bolachas, nomeadamente de limão, canela e manteiga, que distribuímos por todas as mães que foram à missa ao Sobreiro neste Domingo, para tornar este dia tão especial um pouco mais doce. Jun- tamente com as bolachas, entregámos ainda uma pequena imagem da Virgem Maria com o Menino Jesus ao colo e uma oração a Nossa Senhora, lembrando a nossa Mãe do Céu, neste dia em que se celebra todas as mães da Terra. Para além deste peque- no gesto, como já tem sido habitual durante o mês de Maio, o mês de Maria, nossa Mãe, a comunidade rezou o terço na capela do Sobreiro, todos os dias às 19 horas, como foi pedido por Nossa Senhora, nas suas aparições aos Pastorinhos em Fátima. E, sendo dia da Mãe, não pudemos deixar quem mais amamos fora das nossas orações. Assim passou mais um Domingo especial no Sobreiro, o dia da Mãe, com a distribuição de um pequeno mimo docinho e o terço rezado pela comunidade, oração que a nossa Mãe, de todos nós, nos pediu que rezássemos, lembrando todas as nossas mães, porque todo o esforço e amor que elas nos transmitiram não podem ser esquecidos e devem ser sempre comemorados.
  8. 8. No passado dia 13 de Maio, a Comunidade do Sobreiro reuniu-se para louvar a Virgem Maria, invocada sob o título de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, com a celebração da Santa Missa e a Oração do Terço, no decurso de uma Procissão das Velas. Na homilia da Missa, o Padre Luís Barros refe- riu a pertinência da Mensagem de Fátima que não é mais do que o reafirmar o apelo do Evan- gelho: conversão e penitência. Segundo o Prior de Mafra, «atreveria-me a afirmar que as apa- rições de Fátima são as aparições Marianas mais importantes da história da Igreja, nas quais, a Virgem Maria vem novamente relem- brar os ensinamentos de Seu Divino Filho». A JMV Sobreiro esteve presente nesta cele- bração, tendo colaborado com o coro, entoando cânticos de louvor à Virgem Mãe, Aquela que é feliz por acreditar em tudo o que Lhe foi dito da parte do Senhor. Após a Missa, deu-se início à Procissão das Velas pelas ruas do Sobreiro. A Catequese tam- bém esteve presente e coube às crianças e aos seus catequistas recitar o Terço. Aos jovens, coube a leitura das meditações dos Mistérios do Terço e a encenação das passagens bíblicas. Foram meditados os Mistérios Gozosos do Rosário, aqueles que contam o início na vida de Jesus, desde a anunciação do Anjo a Nossa Senhora até a Perda e Encontro do Menino entre os doutores. Nas meditações dos mistérios foram feitas alu- sões à Mensagem de Fátima e à vida dos Pasto- rinhos que souberam sempre seguir aquilo que Nossa Senhora lhes pedia. Peçamos à Virgem Maria que toque no coração de todos quantos A honraram neste dia e que os ajude a uma constante mudança de vida, no caminho da Santidade. www.gjcsraiosdeluz.blogspot.com8 JORNAL Raios de Luz Junho 2014 DIA 13 DE MAIO NO SOBREIRO Ricardo Paulo, Sector Comunicação e Informação
  9. 9. PEREGRINAÇÃO ANIVERSÁRIA DE MAIO www.gjcsraiosdeluz.blogspot.com 9 A Peregrinação Internacional que assinalou os 97 anos de 1ª Aparição de Nossa Senhora na Cova da Iria foi, este ano, presidida pelo Patriarca Latino de Jerusalém, Dom Fouad Twal. As celebrações iniciaram-se às 18h30 do dia 12 de Maio, com a saudação a Nossa Senhora na Capelinha, onde D. Fouad Twal confiou à Virgem Maria a Paz no Médio Oriente e pediu que se rezasse e se oferecessem sacrifícios pelo San- to Padre. Depois, à noite, cerca de 200 mil peregrinos estiveram presentes no Santuário, transfor- mando o Recinto de Oração num mar de luz, com a recitação do Terço e a habitual Procissão das Velas, seguida de Missa no Altar do Recin- to. Na homilia, D. Twal afirmou: «Uma noite cerrada paira sobre o mundo. Se a Virgem de Fátima falava sobre as trevas do erro, da guerra, da perdição de muitos… hoje, infelizmente, não parece que estejamos muito melhor. Mas apesar de todas essas trevas, bri- lha uma pequena luz de Esperança. É a Virgem Santíssima que brilha como uma lâmpada num lugar escuro!» Já no dia 13, foi rezado o Terço pelas 09h00, tendo-se iniciado depois a Procissão ao som do ‘Avé de Fátima’, na qual o andor com a Imagem de Nossa Senhora se dirigiu novamente para o Altar do Recinto. Nesta Missa, D. Twal alertou para a necessidade de conversão: «Se a Virgem quis aparecer aqui e chamar-nos à conversão, é porque o mundo está em perigo. E não só considerando a sua dimensão material, mas o seu aspeto principal: os homens e mulhe- res do mundo, todos e cada um dos habitantes do planeta terra, estão em perigo de eterna condenação. Retirai este aspeto da mensagem de Fátima, e a aparição e a mensagem de Nossa Senhora não terão significado». A peregrinação terminou, como habitualmente, com o regresso da Imagem à Capelinha em pro- cissão, ao som do emotivo Cântico ‘Adeus à Vir- gem’, enquanto milhares de peregrinos se des- pediam com lenços brancos da Senhora mais brilhante que o sol. Juventude mariana vicentina - sobreiro Nº_12* Ano_3 João Cadete, Vogal Comunicação e Informação
  10. 10. No passado dia 10 de Maio realizou-se mais um Festival Vicarial da Canção Jovem da Vigararia de Mafra, no Salão Polivalente do Sobreiro. Ao contrário do que acontecia em anos anterio- res, em que o Festival era organizado pelo gru- po vencedor do ano anterior, este ano a respon- sabilidade da organização recaiu sobre os vários Grupos de Jovens da Vigararia. Ainda que a organização tenha sido diferente, o Festival não deixou de se iniciar como em anos anteriores, começando assim com uma activida- de que teve em vista a aproximação e confra- ternização entre os jovens, de modo a não fazer do Festival um mero espectáculo. Assim, sob a organização do Grupo de Jovens do Sobreiro, os jovens foram convidados a apro- fundar o tema do Festival deste ano: "O que importa é a Fé que se realiza pela Carida- de" (Gal 5, 6). Para terminar a tarde da melhor forma, os jovens participaram na Celebração da Santa Missa, presidida pelo Padre João Vergamota, na Igreja do Sobreiro. Reunindo 8 grupos (Mafra, Sobreiro, Achada, Santo Isidoro, Ericeira, Venda do Pinheiro, Malveira e Sobral da Abelheira) e com o tema acima referido, deu-se então início ao Festival com uma encenação feita pelo Grupo de Cate- quese do Sobreiro e pelos Grupos de Jovens da Vigararia, representando a vida, morte e res- surreição de Jesus, bem como os sinais que Ele nos deixou para a posteridade. Iniciado o espectáculo, foi apresentada a músi- ca vencedora do ano anterior, interpretada pela paróquia da Malveira. Depois da actuação dos 5 Grupos a concurso, chegou o momento dos membros do júri se reunirem para decidir qual o grande vencedor. A decisão do júri foi a seguinte: ao Grupo de Mafra coube o prémio de melhor letra, ao Gru- po da Achada o prémio de melhor interpretação e 3º lugar, ao Grupo da Malveira o prémio de melhor música e 2º lugar e, finalmente, ao Gru- po da Ericeira o 1º lugar. www.gjcsraiosdeluz.blogspot.com10 JORNAL Raios de Luz Junho 2014 FESTIVAL VICARIAL DA CANÇÃO JOVEM Vânia Lopes, Secretária
  11. 11. SACRAMENTO DO CRISMA EM MAFRA www.gjcsraiosdeluz.blogspot.com 11 No passado Domingo, dia 11 de Maio a Paróquia de Mafra recebeu o Exmo. e Revmo. Bispo Auxiliar de Lisboa - D. Nuno Brás - para confe- rir o Sacramento do Crisma. «Hoje, aqui, é dia de Pentecostes.» Foi assim que Sua Ex.a Rev.ma, D. Nuno Brás iniciou a Celebração da Santa Missa no decor- rer da qual crismaria 57 cristãos que se quise- ram fazer confirmar na Fé da Igreja e que para o mesmo se prepararam ao longo dos últimos 6 meses. Dos 57 crismandos, 4 pertencem ao Grupo de Jovens Cristãos do Sobreiro, 4 elementos que atingiram finalmente a maturidade Cristã e que procuram agora, mais que antes, transmitir a Fé da Igreja Católica às gerações vindouras. Afortunadamente para os crismandos, esta Celebração ocorreu precisamente naquele que para a Igreja é o Domingo do Bom Pastor, o Domingo em que se celebra O Pastor por exce- lência que é Cristo, que oferece a vida pela Sua grei. Diz o salmo deste domingo: «Com óleo me perfumais a cabeça / E meu cálice transborda», o óleo de que se fala é o Óleo do Santo Crisma, com que os crismandos são ungidos, composto do azeite que marca onde toca e de bálsamo, porque o cristão deve irradiar «O bom perfume de Cristo». Realmente, foi dia de Pentecostes em Mafra! O Espírito Santo desceu sobre os crismandos, tal como desceu há 2000 anos sobre os Apóstolos e a Virgem Santa Maria no Cenáculo. Assim, temos a esperança de que tal como há 2000 anos, o Espírito do Senhor faça de cada um dos recém-crismados um Santo. Um Sacramento, uma Missão, uma Nova Etapa! Foi um grande dia, um dia especial, vivido ao máximo. Foi algo único! Aproximar-me do suces- sor dos Apóstolos que estava ali para me con- firmar, chegar lá, e de joelhos, sentir o sinal que o Bispo me fez na testa, é a melhor de todas as sensações! Senti que estava pronta para seguir o meu caminho em Igreja. Senti-me em paz! É certo que este Sacramento me deu força para continuar, me deu coragem. Outra coisa que senti, foi que não estava sozinha, tinha alguém a apoiar-me ao meu lado, e tenho a certeza que confiei a missão de me ajudar a crescer ainda mais na Fé a pessoa certa! Testemunho de Inês Bento (JMV Sobreiro) Juventude mariana vicentina - sobreiro Nº_11* Ano_3 Marco Batalha, Vogal Liturgia
  12. 12. “Felizes os pobres em espírito, porque deles é o reino do Céu” No Passado dia 18 de Maio, convocados pelo nosso saudoso Patriarca, mais de 800 Jovens do Patriarcado de Lisboa reuniram-se em Tor- res Vedras para as Jornadas Diocesanas da Juventude 2014, com o tema retirado das Bem- Aventuranças, presente do Evangelho de Mateus: “Felizes os pobres em espírito, porque deles é o reino do Céu” (Mt 5,3). A manhã começou com uma belíssima saudação do Senhor Patriarca aos jovens ali reunidos. A propósito do tema da Jornada, o Patriarca dis- se aos jovens que ser pobre em espírito “não se trata tanto de ter ou não ter coisas mas trata- se de não ter o coração preenchido com coisas, ter um espírito disponível para se largar aquilo que já se julga ter, ir à procura de algo que corresponda ainda mais profundamente aos anseios do nosso coração”. Depois deste encontro matinal os jovens tive- ram o restante dias preenchido com várias actividades à sua escolha, todas disponíveis no Espaço “Reino dos Céus”, espaço que envolve o pavilhão multiusos onde se foram realizadas as jornadas. Nesse espaço estava também disponí- vel uma capela, para a Oração privada, e uma série de padres prontos para receber em con- fissão os jovens que se quiserem e, entre esses padres, estava o próprio Patriarca. Finalmente, no fim da tarde o Patriarca e os seus concelebrantes celebraram a Missa pró- pria desse mesmo Domingo. Na homilia, o Patriarca interpelou os jovens, dizendo que “quem vive no espírito de Jesus Cristo continua a fazer tudo aquilo que Ele fez e que agora quer fazer através de nós”. E decorreram as primeiras Jornadas Diocesa- nas da Juventude com o nosso Patriarca Manuel. www.gjcsraiosdeluz.blogspot.com12 JORNAL Raios de Luz Junho 2014 JORNADA DIOCESANA DA JUVENTUDE Vasco Jacinto, Vogal Formação
  13. 13. JORNADA DIOCESANA DA FAMÍLIA EM MAFRA www.gjcsraiosdeluz.blogspot.com 13 O Patriarcado de Lisboa promoveu a Festa da Família no passado dia 25 de Maio em Mafra. O encontro realizado no jardim do Cerco, contou com centenas de famílias que escolheram cele- brar o Domingo em Igreja, que é família de famílias. Sendo o dia em que o Senhor ressusci- tou, o Domingo interpela particularmente o cristão a louvar o Senhor com alegria. E foi sob este tema que nos propusemos a, em família, viver a alegria da fé fazendo festa no Senhor. Celebrar o Domingo é contemplar e dar graças a Deus por todas as maravilhas que opera sobre nós. Tudo fazer em acto de louvor, alegrando- nos porque o Senhor, nosso Criador e Salvador, vem ao nosso encontro, dando-nos a experimen- tar a alegria da vida eterna. A JMV Sobreiro esteve presente e teve a gra- ça de entrevistar o Patriarca de Lisboa e os Duques de Bragança, cujas entrevistas parti- lhamos convosco: Começámos por perguntar de que maneira é importante que a sociedade promova os valo- res da Família: "O importante - e que vocês compreendem - é perceber que não aparecemos no mundo de uma maneira isolada. Nascemos filhos dos nossos pais e essa realidade familiar tem de nos acom- panhar a vida inteira. Daí que a Família seja o valor básico para qualquer sociedade que se queira próxima." Os casais aqui presentes são testemunho dessa realidade? "Estes casais que aqui estão, que vão receber uma bênção por fazerem 10, 25, 50 ou mais anos de casados, tiveram todos os problemas que os casais habitualmente têm. Estarem aqui a celebrar esse tempo de matrimónio, significa que os conseguiram ultrapassar com Fé, com Esperança e com Caridade. Mostram-nos hoje que é possível manter esta unidade básica, que é a Família, onde se conjugam gerações. Isto é o suporte de uma sociedade que se queira humana, de convivência e de partilha." Continua Juventude mariana vicentina - sobreiro Nº_12* Ano_3
  14. 14. JORNADA DA FAMÍLIA EM MAFRA www.gjcsraiosdeluz.blogspot.com14 Que mensagem deixa para os jovens? "Vocês, jovens, mesmo quando da Igreja são chamados a outras vocações, como as religiosas ou os padres, em que não constituimos uma Família natural, levamos para essa outra grande Família de Filhos de Deus, aquilo que em geral aprendemos nas nossas famílias. Isso continua a acompanhar-nos pela vida. Há portanto, aqui uma realidade básica e total que é a Família." A JMV Sobreiro teve ainda a oportunidade de entrevistar, tal como referimos, os Duques de Bragança. Perguntamos-lhes então: Qual a importância da família na sociedade actual? D. Isabel de Herédia: «A Família é a base, a célula, o fundamento da sociedade. É onde aprendemos a ter segurança e onde aprendemos os valores fundamentais que nos regem pelos caminhos da vida. Se perdermos esses valores fundamentais, o mundo torna-se desumano. Nas famílias é que se forma uma sociedade saudá- vel! E uma sociedade saudável é benéfica para os países e para o mundo inteiro». Porque razão é tão importante defender os valores da Família? D. Duarte Pio: «É importante haver militância a favor da Família. As forças adversas à família são muito fortes, organizadas e com tanto dinheiro, que tem de haver quem lute e deve haver resistência da nossa parte, senão ficamos dominados por essas forças! Estes eventos são fundamentais para consciencializar as pessoas disto. Dou os parabéns à organização!» A JMV Sobreiro agradece ao Sr. Patriarca de Lisboa a gentileza e o carinho que, como Pastor da Diocese e, como tal, de nós jovens, dispen- sou para connosco, bem como aos Duques de Bragança pelo testemunho que nos deram. Ricardo Paulo e João Cadete, Sector Comunicação e Informação JORNAL Raios de Luz Junho 2014
  15. 15. CALENDÁRIO SANTORAL www.gjcsraiosdeluz.blogspot.com 15 Juventude mariana vicentina - sobreiro Nº_12* Ano_3 Sto. António Maria Zacarias António Maria Zacarias foi um médico e padre católico italiano, fundador da Ordem dos Clérigos Regulares de São Paulo, (Barnabitas) e da Congregação das Freiras Angélicas de São Paulo. Nascido no seio de uma família de comerciantes de Genova, ficou orfão de pai quando era ainda jovem. Mudou -se com a familia em Cremona. Aos 18 anos, renunciou aos seus bens em favor da sua mãe. Em 1520 viajou para Padova para estudar Filosofia e Medicina. Voltou em 1524 em Cremona, onde fundou a Confraria da Amizade, para reflexão bíblica. Teve como orientador espiritual o frei Batista de Crema, que o ajudou a escolher o caminho do sacerdócio. Foi consa- grado padre em 20 de Fevereiro de 1529. Em 1530 mudou-se para Milão onde se uniu a três companheiros, que fundaram três grupos de vida cristã, que originariam duas congrega- ções religiosas, a dos padres barnabitas e das irmãs angélicas, e, finalmente, um grupo de casais. Este grupo de casais foi a primeira experiência de pastoral familiar da história da Igreja. A Ordem dos Barnabitas foi aprovada em 1533. A sua espiritualidade é fundamentada na Bíblia e tem como modelo o apóstolo Paulo de Tarso e Cristo Crucificado. Incentivou a prática da Eucaristia, da leitura orante da Bíblia (Lectio Divina) e das Quarenta Horas (adoração do Santíssimo Sacramento por quarenta horas ini- terruptas). Em 1539, quis voltar em Cremona, pois a saúde dele era muito fraca, e entendeu que o fim estava perto. Na tarde do 5 de julho à presen- ça da mãe e dos discípulos queridos, faleceu depois de ter recebidos os sacramentos. JULHO: 1. São Casto 2. São Justo 3. São Tomé, Apóstolo 4. Rainha Santa Isabel 5. S. António Mª Zacarias 6. Santa Maria Goretti 7. Papa Adriano III 8. Papa Eugénio III 9. Santa Paulina 10. Santo Olavo 11. São Bento 12. São João Gualberto 13. Santo Henrique 14. São Camilo 15. São Boaventura 16. N. Senhora do Carmo 17. Santa Marcelina 18. São Francisco Solano 19. Santa Justa 20. Sta. Margarida de Antioquia 21. São Lourenço 22. Maria Madalena 23. Santa Brígida 24. Santa Cristina 25. São Tiago, Apóstolo 26. S. Ana e São Joaquim 27. Santa Bartoloméia 28. São Celso 29. Santa Marta 30. São Pedro Crisólogo 31. Santo Inácio de Loyola Tiago Almeida, Presidente JMV Sobreiro
  16. 16. www.gjcsraiosdeluz.blogspot.com16 CANTAR E REZAR JORNAL Raios de Luz Junho 2014 ORAÇÃO A S. JOÃO BAPTISTA São João Baptista, voz que clama no deserto: “Endireitai os caminhos do Senhor fazei penitência, porque no meio de vós está quem não conheceis e do qual eu não sou digno de desa- tar os cordões das sandálias”, ajudai-me a fazer penitência das minhas faltas para que eu me torne digno do perdão daquele que vós anunciastes com estas palavras: “Eis o Cordeiro de Deus, eis Aquele que tira os pecados do mundo”. APÓSTOLOS DE CRISTO Lembrando a Solenidade de S. Pedro e S. Paulo Apóstolos de Cristo, Pedro e Paulo, A Igreja semeastes com o Sangue. Bebestes o cálice do Senhor, Agora reinais, Agora reinais com Cristo em Deus. Confiei no Senhor mesmo quando disse: «Sou um homem de todo infeliz». Na minha perturbação exclamei: «É falsa toda a segurança dos homens». Como agradecerei ao Senhor Tudo quanto Ele me deu? Elevarei o cálice da salvação, invocando o nome do Senhor. Para ver a partitura deste cântico harmonizado pelo Pe. António Cartageno aceda a: http://corolaudate.home.sapo.pt/Pdf/ V9ApostoloDeCristo.pdf A PALAVRA DE CADA DOMINGO XIII Domingo do Tempo Comum (29/Jun) I Leitura: Actos 3, 1-10 II Leitura: Gal 1, 11-20 Evangelho: Jo 21, 15-19 XIV Domingo do Tempo Comum (06/Jul) I Leitura: Zac 9, 9-10 II Leitura: Rom 8, 9. 11-13 Evangelho: Mt 11, 25-30 XV Domingo do Tempo Comum (13/Jul) I Leitura: Is 55, 10-11 II Leitura: Rom 8, 18-23 Evangelho: Mt 13, 1-23 Marco Batalha, Vogal Liturgia
  17. 17. Nas Hortas- Continuar a regar e a sachar. Preparar as terras para as sementeiras e plantações de Outo- no. Semear em lugar definitivo, para se comerem antes do Inverno, agriões, alfaces, rabanetes e chicó- ria. Plantar alfaces e chicórias. Nos Jardins- Continuar a aparar as relvas que devem ser adubadas em cobertura com produtos azotados. Enxertar roseiras e regar especialmente as que flo- rescem no Outono. Nos Campos- Fazer alqueives e lavouras preparató- rias para as próximas sementeiras. Colher feijão de sequeiro, soja, girassol e abóboras que é conveniente deixar ao tempo para melhor secarem. Semear nabos para forragem, assim como bersim, trevos encarna- dos e violetas. UMA AJUDINHA - TRUQUES AMIGO AGRICULTOR SEJA SAUDÁVEL EM PORTUGUÊS CORRECTO www.gjcsraiosdeluz.blogspot.com 17 Juventude mariana vicentina - sobreiro Nº_12* Ano_3 Sabia que o vinagre que usa para temperar a salada é óptimo para remover a tinta dos pin- ceis? Quando fizer um assado, coloque junto ao forno uma vasilha cheia de água para evitar que a car- ne resseque. Para perfumar a cozinha depois de usá-la, colo- que num recipiente (borrifador) álcool e cravo da índia, e deixe descansar por alguns dias. Depois, é só usar. Além de perfumar o ambien- te, afasta as moscas. De forma que” ou “de forma a que”? - Vou tratar dos processos de forma a que fique tudo concluído até ao final da semana. ou - Vou tratar dos processos de forma que fique tudo concluído até ao final da semana? A expressão correta é “de forma que”. Não se usa a preposição “a” antes do “que” nas expres- sões “de forma que”, “por forma que”, “de manei- ra que” e “de modo que”. Sabia que existem alimentos que previnem o envelhecimento das células, e retardam o apare- cimento das temidas rugas? Não? Então fique a saber que é possível melho- rar a aparência da pele com a ingestão dos seguintes alimentos: • Alimentos ricos em vitamina C : Laranja, morango, limão e acerola. • Alimentos ricos em cobre e manganês: fei- jão, amêndoas, lentilha, grão-de-bico e nozes. • Alimentos ricos em Betacaroteno: Mamão, cenoura, tomate e abóbora. • Alimentos fontes de ômega 3 e 6: Peixes (atum, salmão e truta), nozes, azeites, soja e milho. Inês Bento, Sector Mariano
  18. 18. PARAR, RIR & PENSAR www.gjcsraiosdeluz.blogspot.com18 JORNAL Raios de Luz Junho 2014 ANEDOTAS: Porque é que os alentejanos costumam dormir com o relógio debaixo da cama? Para acordarem em cima da hora. Num manicómio: - Digam o que entendem por objecto transpa- rente. Levanta-se um maluco: - É um objecto através do qual se pode ver! - Muito bem ! Dê-me um exemplo de um objec- to transparente. - O buraco da fechadura ! Por que é que os copos gostam de jogar às car- tas? Por causa das copas! O polícia manda parar a loira e diz-lhe: - A senhora ia a 130 quilómetros por hora. Vou ter que a multar. - Ó senhor guarda... Não seja severo comigo... É a primeira vez que conduzo e nem sequer tenho carta de condução! Eliana Gomes, Sector Mariano Sudoku: DIFERENÇAS: Descubra as 8 diferenças Qual é coisa qual é ela, que tem uma perna mais comprida que a outra e noite e dia anda sem parar? O que é redonda como o sol, tem mais raios que uma trovoada e anda sempre aos pares? Adivinhas:
  19. 19. Ingredientes: Confecção: Faça uma saqueta de gelatina, conforme as instruções da embalagem. Passe uma forma por água fria, disponha as metades de pêssego escorridas no fundo e verta, por cima, o preparado da gelatina que fez. Leve ao congelador até que comece a prender. Leve ao lume 2,5 dl de água, deixe ferver, junte o conteúdo da restante saqueta de gelatina, mexen- do bem até dissolver. Adicione depois a calda de pêssego e mexa de vez em quando até que fique quase frio. Bata as claras em castelo com o açúcar e envolva-as suavemente nesta mistura. Retire a forma do congelador, verta por cima a mistura anterior e leve ao frigorífico até que fique bem firme. Depois retire, passe o fundo da forma por água quente, desenforme cuidadosamente para um prato largo e sirva decorado a gosto. COM ÁGUA NA BOCA Semifrio de Pêssego CONSELHOS DE CULINÁRIA www.gjcsraiosdeluz.blogspot.com 19 Juventude mariana vicentina - sobreiro Nº_12* Ano_3 Como escolher as verduras? Uma das maiores dificuldades existentes para quem não costuma passar muito tempo na cozinha é a escolha dos legumes e verduras. Estes conselhos básicos poderão ajudá-lo: - Lembre-se que há legumes que se deterioram mais rapidamente do que outros, por isso, o grau de frequência com que deve comprá-los deve ser distinto, caso se trate de, por exemplo, cebolas ou de alface. − 1 embalagem de gelatina de pêssego − 1 lata grande de pêssegos − 5 claras − 2 colheres (sopa) de açúcar Telma Silvério, JMV Sobreiro
  20. 20. Juventude mariana vicentina - sobreiro Nº_12 Ano_3 www.gjcsraiosdeluz.blogspot.com20 «O Concílio de Trento, baseando-se nesta fé da Igreja, 'afirma clara e simplesmente que, no augusto Sacramento da Santa Eucaristia, depois da consagração do pão e do vinho, Nosso Senhor Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verda- deiro Homem, está presente verdadeira, real e substancialmente, sob a aparência destas reali- dades sensíveis'. Portanto, o nosso Salvador, está presente com a Sua humanidade não só à direita do Pai, segundo o modo de existir natural, mas também no Sacramento da Eucaristia 'segundo um modo de exis- tir, que nós, com palavras mal conseguimos exprimir, mas com a inteligência ilumi- nada pela fé podemos reco- nhecer como possível a Deus, e que devemos aceitar fir- missimamente como real'. Todavia, para que ninguém entenda mal este modo de presença que supera as leis da nature- za e constitui no seu género o maior dos mila- gres, é necessário escutar com docilidade a voz da Igreja docente e orante. Esta voz, que repe- te continuamente a voz de Cristo, ensina-nos que, neste Sacramento, Cristo Se torna pre- sente pela conversão de toda a substância do pão no Seu Corpo e de toda a substância do vinho no Seu Sangue; conversão admirável e sem paralelo, que a Igreja Católica chama, com razão e propriedade, "transubstanciação". O culto devido ao Sacramento Eucarístico, pro- fessou-o e professa-o a Igreja Católica, não só durante a Missa mas também fora dela, conser- vando com o maior cuidado as hóstias consagra- das, expondo-as à solene veneração dos fiéis, e levando-as em procissão vitoriadas por grandes multidões. O Sacramento eucarístico é sinal e causa da comunidade do Corpo Místico, e produz nas pessoas mais fervorosas um espírito eclesial activo! Não deixeis nunca de per- suadir os vossos fiéis a que, aproximando-se do Mistério eucarístico, aprendam a tomar como própria a causa da Igreja, a dirigir-se a Deus sem descanso, a ofere- cer-se a si mesmos ao Senhor, como sacrifício agradável, pela paz e unidade da Igreja; a fim de que todos os filhos da Igreja sejam uma só coisa e tenham um mesmo sentimento, nem haja entre eles divisões, mas sejam perfeitos num mesmo espírito e mentalidade». Carta Encíclica Mysterium Fidei, do Papa Paulo VI 3 de Setembro de 1965 João Cadete, Vogal de Comunicação e Informação O MISTÉRIO DA FÉ

×