Leitura compartilhada

858 visualizações

Publicada em

projeto de leitura compartilhada

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
858
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
78
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Leitura compartilhada

  1. 1. LEITURA COMPARTILHAD A
  2. 2. LIVRO: VOLTA AO MUNDO EM 52 HISTÓRIAS
  3. 3. AUTOR: Neil Philip ILUSTRADOR: MISTRY, NILESH EDITORA: COMPANHIA DAS LETRINHAS
  4. 4. CONTO: JOÃO PREGUIÇA
  5. 5. ERA UMA VEZ UM RAPAZ CHAMADO JOÃO, QUE VIVIA COM SUA MÃE NUMA TAPERA CAINDO AOS PEDAÇOS. NO INVERNO ELE PASSAVA OS DIAS SENTADO JUNTO AO FOGÃO E NO VERÃO SÓ QUERIA FICAR ESTENDIDO AO SOL. O SUSTENTO DE AMBOS ESTAVA A CARGO DE SUA MÃE, QUE GANHAVA UNS TROCADOS COSTURANDO E REMENDANDO TRAPOS ALHEIOS.
  6. 6. UM DIA A POBRE MULHER SE CANSOU E LANÇOU-LHE UM ULTIMATO: “OU VOCÊ TRABALHA, OU NÃO COME!”. JOÃO NÃO TEVE OUTRA ALTERNATIVA SENÃO OFERECER SEUS SERVIÇOS A UM SITIANTE, QUE NO FIM DA JORNADA LHE DEU UM VINTÉM. AO VOLTAR PARA CASA, O RAPAZ DEIXOU A MOEDA CAIR NUM RIACHO. QUANDO CONTOU A MÃE, ELA EXPLODIU: “COMO VOCÊ É BURRO! DEVIA TÊ-LA GUARDADO NO BOLSO!”.
  7. 7. NA MANHÃ SEGUINTE JOÃO FOI CUIDAR DAS VACAS DE UM FAZENDEIRO, QUE LHE PAGOU COM UMA JARRA DE LEITE. LEMBRANDO-SE DA RECOMENDAÇÃO MATERNAL, O RAPAZ TRATOU DE ENFIAR A JARRA NO BOLSO E RUMOU PARA SUA TAPERA. NO CAMINHO, PORÉM, TODO O LEITE SE DERRAMOU. “CRETINO!”, A MÃE ESBRAVEJOU. “DEVIA TÊ-LA CARREGADO NA CABEÇA!”.
  8. 8. NO DIA SEGUINTE JOÃO FOI TRABALHAR PARA UM PADEIRO, QUE EM TROCA LHE DEU UM GATO. ATENTO AS INSTRUÇÕES MATERNAS, PEGOU O BICHANO NO COLO E TOCOU PARA CASA. MAS O GATO O ARRANHOU TANTO QUE TEVE DE SOLTÁ-LO. “AH, SEU BOCÓ!”, A MÃE GRITOU, SEM SABER MAIS O QUE FAZER. “DEVIA TÊ-LO AMARRADO COM UMA CORDINHA PARA PODER PUXÁ- LO!”
  9. 9. PELA MANHÃ LÁ SE FOI O RAPAZ OFERECER SEU SERVIÇO A UM AÇOUGUEIRO, QUE LHE PAGOU COM UM PERNIL. JOÃO AMARROU UM BARBANTE NO PERNIL E O ARRASTOU ATÉ SUA CHOUPANA. “IDIOTA!”, A MÃE BERROU, PERDENDO A POUCA PACIÊNCIA QUE LHE RESTAVA. “DEVIA TÊ-LO CARREGADO NAS COSTAS!”.
  10. 10. COM ESSA RECOMENDAÇÃO EM MENTE, NO DIA SEGUINTE ELE FOI TRABALHAR PARA UM SITIANTE, QUE LHE DEU UM BURRO. APESAR DE FORTE, JOÃO TEVE MUITA DIFICULDADE PARA LEVANTAR O ANIMAL E COLOCÁ-LO NAS COSTAS, COMO SUA MÃE LHE DISSERA. POR FIM CONSEGUIU E TOMOU O CAMINHO DE CASA, BUFANDO E SUANDO SOB TANTO PESO.
  11. 11. NO TRAJETO PASSOU PELA RUA ONDE MORAVA UM HOMEM RIQUISSÍMO, PAI DE UMA JOVEM LINDA E TRISTE, QUE NUNCA SORRIA. ESSE HOMEM ANUNCIARA QUE ACEITARIA COMO GENRO QUEM FIZESSE SUA FILHA RIR. A MOÇA ESTAVA SENTADA JUNTO A JANELA DE SEU PALACETE, MELANCÓLICA COMO SEMPRE, QUANDO VIU JOÃO SE ARRASTANDO A DURAS PENAS, COM O BURRO DE PATAS PARA O ALTO SE ARREBENTANDO EM SEU COSTADO. FOI O QUANTO BASTOU PARA ELA CAIR NA GARGALHADA.
  12. 12. SEU PAI, AS EMPREGADAS, O VIZINHO ESCUTARAM SEU RISO INTERMINÁVEL E, SEM ACREDITAR NO QUE ESTAVAM OUVINDO, CORRERAM PARA VER DE PERTO A CENA EXTRAORDINÁRIA.
  13. 13. POUCO DEPOIS A MOÇA RICA SE CASOU COM JOÃO PREGUIÇA NUMA CERIMÔNIA SUNTUOSA. O NOIVO, FELIZ DA VIDA, CHAMOU SUA MÃE PARA MORAR COM ELE NO PALACETE E NUNCA MAIS PRECISOU TRABALHAR.

×