Conta-se que um velho árabe analfabeto orava toda noite com tanto fervor
e com tanto carinho que, certa vez, o rico chefe ...
Quando o senhor recebe uma carta de pessoa ausente, como reconhece
quem a escreveu?
Pela letra, respondeu.
E quando o senh...
Então, o velho crente convidou-o para ir para fora da barraca e,
mostrando-lhe o céu, onde a lua brilhava, cercada por mil...
Aliás, o mais importante não é crer ou deixar de crer em Deus, mas agir
conforme a Sua vontade, conforme Sua lei. O certo ...
Mas se ainda não podemos ver a Deus, com certeza podemos senti-lo,
basta observarmos atentamente as coisas à nossa volta. ...
Achando-nos numa região habitada exclusivamente por povos chamados
selvagens, e, se descobrirmos uma estátua digna de Fídi...
Duvidar da existência de Deus é negar que todo o efeito tem uma causa, e
adiantar que o nada pode fazer alguma coisa. Mas,...
É, portanto, notório e indiscutível a existência de um ser superior a
qualquer dos homens de que temos conhecimento na his...
Pense nisso:
Você pode sentir Deus pulsar dentro do seu coração!
Quando você estiver sem saída, lembre-se do que Deus pode...
Acreditar ou não em deus
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Acreditar ou não em deus

554 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
554
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Acreditar ou não em deus

  1. 1. Conta-se que um velho árabe analfabeto orava toda noite com tanto fervor e com tanto carinho que, certa vez, o rico chefe de uma grande caravana chamou-o e lhe perguntou: Por que oras com tanta fé? Como sabes que Deus existe, se nem ao menos sabes ler? O crente fiel respondeu: Grande senhor, conheço a existência de nosso Pai Celeste pelos sinais d’Ele. Como assim? - Indagou o chefe, admirado. O servo humilde explicou:
  2. 2. Quando o senhor recebe uma carta de pessoa ausente, como reconhece quem a escreveu? Pela letra, respondeu. E quando o senhor admira uma joia, como é que se informa sobre a sua autoria? Pela marca do ourives, é claro. O servo sorriu e acrescentou: Quando ouve passos de animais, ao redor da tenda, como sabe, depois, se foi um carneiro, um cavalo, um boi? Pelos rastros, respondeu o chefe, surpreendido.
  3. 3. Então, o velho crente convidou-o para ir para fora da barraca e, mostrando-lhe o céu, onde a lua brilhava, cercada por milhares de estrelas, exclamou, respeitoso: Senhor, aqueles sinais lá em cima, não podem ser de homens! Naquele momento, o orgulhoso caravaneiro rendeu-se às evidências e, ali mesmo na areia, sob a luz prateada do luar, começou a orar também. Uma das coisas que me intrigam é como podem existir pessoas que não creem em Deus. Não crer em Deus, força e inteligência suprema e causa primária de todas as coisas, é como não crer em si próprio. Como criaturas, fomos dotados da capacidade de pensar e agir, conforme nossa própria vontade, e nos é permitido, inclusive, deixar de crer na existência do Criador.
  4. 4. Aliás, o mais importante não é crer ou deixar de crer em Deus, mas agir conforme a Sua vontade, conforme Sua lei. O certo é que a crença em Deus é algo muito vago na vida das pessoas. Mas a crença no poder supremo que nos criou, que nos ampara, que nos sustenta, que premia os bons e corrige os maus, é tão fundamental ao equilíbrio de nossas almas quanto são os alimentos ao equilíbrio de nosso corpo. Jesus nos deixou em mensagem que os puros de coração são Bemaventurados, pois que a eles seria dada a condição de ver a Deus, isto é, de percebê-lo em sua plenitude. Portanto, negar a existência do Criador me parece uma postura falsa. Creio mesmo que aqueles que assim se posicionam, na derradeira hora, ou seja, na hora do desenlace, buscam o apoio de Deus e desejam ardentemente que a vida continue.
  5. 5. Mas se ainda não podemos ver a Deus, com certeza podemos senti-lo, basta observarmos atentamente as coisas à nossa volta. Vemos, constantemente, uma imensidade de efeitos, cuja causa não está na Humanidade, pois ela é impotente para produzi-los, ou, sequer, para explicá-los. A causa está acima da Humanidade. É a essa causa que chamamos Deus, Jeová, Alá, Grande Espírito, etc. Outro princípio igualmente elementar e que, de tão verdadeiro, passou a axioma, é o de que todo o efeito inteligente tem de decorrer de uma causa inteligente. O ser humano não pode fazer algo à partir do nada. Ele constrói coisas, inventa coisas, mas nunca deu vida a nada, nem mesmo a uma pequena flor ou a uma formiga.
  6. 6. Achando-nos numa região habitada exclusivamente por povos chamados selvagens, e, se descobrirmos uma estátua digna de Fídias não hesitaremos em dizer que, sendo incapazes de tê-la feito os selvagens, ela é uma obra de uma inteligência superior à destes. Pois bem, lançando um olhar em torno de si, sobre as obras da Natureza, reconhece o observador não haver nenhuma que não ultrapasse os limites da mais portentosa inteligência humana. Ora, visto que o homem não as pode produzir, é porque elas são produto de uma inteligência superior à Humanidade, a menos que se sustente que há efeito sem causa. A existência de Deus é, pois, uma realidade, comprovada não só pela revelação como pela evidência dos fatos. Os povos selvagens nenhuma revelação tiveram; no entanto, creem, instintivamente, na existência de um poder sobre-humano.
  7. 7. Duvidar da existência de Deus é negar que todo o efeito tem uma causa, e adiantar que o nada pode fazer alguma coisa. Mas, se ainda não podemos ver a Deus, com certeza podemos senti-lo, e existe uma forma melhor de sentir Deus, é olhar para dentro de nós, para aquilo que somos, e observarmos atentamente as coisas à nossa volta. Para quem tem “olhos de ver”, as evidências estão espalhadas pelos céus; deixe para trás as luzes da cidade, e olhe para o alto, para um céu estrelado; os fenômenos naturais, os seres animados e inanimados, o Universo infinito, a renovação constante de todas as coisas para senti-lo, e concluir pela existência desse Criador, perfeição inigualável.
  8. 8. É, portanto, notório e indiscutível a existência de um ser superior a qualquer dos homens de que temos conhecimento na história da humanidade, visto que jamais alguém conseguiu realizar algo sequer parecido em qualquer época e lugar desse nosso planeta, atribuir a formação de tudo o que existe à transformação da matéria ou ao acaso, seria uma insensatez, um absurdo, um homem de bom-senso não pode aceitar que algo inteligente seja obra do acaso cego, pois o que é fruto da inteligência, já não é mais acaso. Vale lembrar que as obras feitas pelos homens são assinadas para que não se confunda o autor. Já as obras de Deus não trazem Sua assinatura pelo simples fato de que só Ele é capaz de fazê-las, ninguém mais.
  9. 9. Pense nisso: Você pode sentir Deus pulsar dentro do seu coração! Quando você estiver sem saída, lembre-se do que Deus pode fazer por você! Muita Paz! Meu Blog: http://espiritual-espiritual.blogspot.com.br

×