Mercador de Veneza

671 visualizações

Publicada em

Trabalho acerca do livro "O Mercador de Veneza" de William Shakespeare

Publicada em: Direito
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
671
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mercador de Veneza

  1. 1. O Mercador de Veneza
  2. 2. Grupo: Bruna Hadje Caroline Goulart Gabriela Cafrune Rosemeri Andrade
  3. 3. A usura foi o único meio que os judeus acharam para SOBREVIVER, a esta sociedade tão cruel, e individualista. Os judeus não tinham direito à propriedade, mesmo que tenham garantido a propriedade própria, mas em guetos. A usura nesse caso não entra questão. Shylock, não agiu de má-fé, visto que, por ser judeu, foi maltratado, humilhado, desprezado, pelos cristãos, inclusive por Antonio. E mesmo assim em um ato de boa fé, compaixão e piedade, emprestou a Antonio os ducados necessários.
  4. 4. O contrato foi estabelecido entre Shylock e Antônio de livre e espontânea vontade, tendo Antônio aceito as condições de garantia para o pagamento da dívida. Posto que Contrato é o acordo de duas ou mais vontades, na conformidade da ordem jurídica, destinado a estabelecer uma regulamentação de interesses entre as partes. Foi no Código Civil Francês, o Código de Napoleão de 1804 que a teoria jurídica dos contratos consagra-se em toda sua plenitude o dogma da autonomia privada, ou seja, qualquer contrato aceito pela vontade individual seria dotado de ação e garantia, criando, desta maneira, lei entre os contratantes. O referido contrato, foi feito dentro das conformidades civis cabíveis para que o mesmo exista, esse contrato, é possível, determinado e determinável, e há o vinculo jurídico entre as duas partes, sendo assim o devedor não poderá libertar-se da obrigação sem cumpri-la.
  5. 5. Antonio, não cumpre o que foi dito e tratado, desrespeitando a moral e a legislação, colocando em risco a segurança jurídica de Veneza. No momento que Antonio aceita o contrato ele sabe de suas conseqüências e do que causaria isso a Veneza, se ele aceitou o contrato ele mesmo não estaria colocando em risco a segurança jurídica de Veneza? Dizer que Antonio não quis ofender a segurança jurídica de Veneza é o mesmo que dizer que ele não conhecia as leis, e por mais que seja leigo em Direito, todos sabem que ninguém pode alegar desconhecimento das leis. Não permitir que Shylock cobre de seu devedor a multa, seria como desgraçar a lei, assim as leis de Veneza perdem sua força e eficácia
  6. 6. Se na lei Veneziana fica dito: que quando um estrangeiro, por caminhos frontais ou indiretos, buscou privar de vida um cidadão, aquele contra quem ele tramou, ficará com a metade de seus bens, revertendo ao Estado a outra metade, enquanto que a vida do culpado, só será salva por mercê do duque;
  7. 7. Requerer: Cobrança a Antonio por danos morais a Shylock, pela humilhação e desrespeito que Antonio teve com Shylock, e ainda pelo descumprimento do contrato. Nulidade do contrato
  8. 8. Os Judeus eram considerados homens abomináveis apenas por não seguir alguns preceitos cristãos. DISCRIMINAÇÃO DESIGUALDADE DESRESPEITO INJUSTO IMORAL

×