LECTOESCRITA
A LEITURA EMTRÊS ETAPAS
1. PRÉ-LEITURA• A intenção é gerar o maior número de  “possibilidades de leituras”, ndependentemente  de estar certo ou er...
2. LEITURA-DESCOBERTA• Este é um momento descontraído e  envolvente;• Estimula a curiosidade, a vontade de  conferir hipót...
A ELABORAÇÃO DE ATIVIDADES   DE LEITURA DESCOBERTA• Fase de reconhecimento do código, da  projeção dos conhecimentos do le...
O papel do professor• Facilitar a apropriação do olhar multíplice  sobre o texto, pois cada gênero exige uma  leitura dife...
O professor deverá    lembrar-se que:• o aluno não enxergará uma simultaneidade  de aspectos e informações;• ele também nã...
3. PÓS-LEITURA• É a fase de ampliação, confirmação ou  transformação da visão de mundo do leitor;• É a fase do confronto d...
ESTRATÉGIAS DE LEITURA ATIVIDADES DE PRÉ-LEITURA
1. Interferência do sentido     do texto pelo título O professor lança o título e lança o desafio para a formulação de hi...
2. Texto vazadoSuprimir algumas palavras abrindo espaços no texto;Preencher os espaços vazados com as palavras mais adeq...
3. Leitura com entonação         adequadaDistribuir pequenos textos de diferentes categorias entre os alunos: trechos de ...
O JOGO DAADIVINHAÇÃO
OBJETIVOO exercício aguça a curiosidade do       leitor, contribui para o      entendimento do texto e explicita recursos ...
DESENVOLVIMENTO1. Pega-se uma narrativa, de preferência curta, e   que tenha, em alguma medida, quebra de   expectativa.2....
NÍVEISPode ser usada em qualquer    nível escolar, basta   escolher um texto de   acordo com o nível da           classe.
O casal, a morte  e o “joggin”.
DIÁLOGO ENTRE A NOTÍCIA DE JORNAL,  “(O casal, a morte e ojoggin” ) E PROVÉRBIOS
A Moral e os Provérbios
MORALConselho, ensinamentos ou frases de apoio constituem os provérbios que  podem ser usados, empregados no  lugar da mor...
PROVÉRBIOSFrases breves, anônimas, populares que  são passadas de geração a geração.  Frases muitas vezes metafóricas que ...
EXEMPLIFICANDO• Fábula "A Coruja e a águia".  Provérbio "Quem o   feio ama, bonito lhe parece."• Fábula  "A galinha dos ov...
Ouça um bom conselhoQue lhe dou de graçaInútil dormir que a dor não passaEspere sentado ou você se cansa.Está provado, que...
INTERTEXTUALIDADE                   Segundo Ingedore KochQuando um texto remete a outro texto anterior a ele, como se o   ...
Improvérbios proverbiais que   jamais serão provérbios                              Jô Soares• Devagar se vai a pé.• A cav...
DEUS AJUDA QUEM CEDO MADRUGA.•   Significativo:•   Quem começa a trabalhar cedo ganha mais    dinheiro (de Deus).  Históri...
DEUS ESCREVE DIREITOPOR LINHAS TORTAS. • Significativo: • A expressão já é explícita.   Histórico: • Nunca li nenhum escri...
DEVAGAR SE VAI AO      LONGE• Significativo:• Não devemos ter pressa para atingir  nossos objetivos.  Histórico:• A expres...
PLANO DE  AULA
TEMA: Fábulas e Provérbios • OBJETIVO GERAL: Inferir sobre os valores transmitidos nas fábulas. • OBJETIVO ESPECÍFICO: Tra...
• TEMAS TRANSVERSAISÉtica, respeito mutuo, solidariedade.  Uso e valorização do diálogo como  instrumento para esclarecer ...
ESTRATÉGIAS:• Conversar com os alunos a respeito das  características básicas das fábulas e  provérbios;• Passar os slides...
AVALIAÇÃO• Criação de uma fábula ou provérbio  coletivo;• Leitura da fábula coletiva• Preenchimento da ficha de auto  aval...
FICHA DEAUTO AVALIAÇÃO    -
•   Coloquei título?•   Caracterizei as personagens?•   Fiz parágrafo?•   Utilizei ponto final?•   Utilizei ponto de excla...
Lectoescrita
Lectoescrita
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Lectoescrita

4.411 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.411
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
45
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lectoescrita

  1. 1. LECTOESCRITA
  2. 2. A LEITURA EMTRÊS ETAPAS
  3. 3. 1. PRÉ-LEITURA• A intenção é gerar o maior número de “possibilidades de leituras”, ndependentemente de estar certo ou errado;• Intervenção do professor para ativar o conhecimento prévio do educandos;• O professor fará emergir o que os educandos sabem para que cada um lerá com o que tem dentro de si;• O professor deverá confiar, ampliar e transformar o conhecimento, se necessário; •As estratégias de pré-leitura permitem descobrir “o quanto os alunos sabem” e “o quanto eles não sabem a respeito do assunto que será abordado”.
  4. 4. 2. LEITURA-DESCOBERTA• Este é um momento descontraído e envolvente;• Estimula a curiosidade, a vontade de conferir hipóteses, o desejo de ler do aluno;• Aqui se estabelece a primeira relação entre o leitor e o texto.
  5. 5. A ELABORAÇÃO DE ATIVIDADES DE LEITURA DESCOBERTA• Fase de reconhecimento do código, da projeção dos conhecimentos do leitor (processador ativo) sobre o texto;• A verificação das hipóteses e da construção de sentidos;• A leitura deverá ser feita de modo seletivo, nunca indiscriminadamente; • O aluno precisa da mediação do professor
  6. 6. O papel do professor• Facilitar a apropriação do olhar multíplice sobre o texto, pois cada gênero exige uma leitura diferente, assim como o lugar de produção está inserido em um contexto sócio-histórico, assim como a intencionalidade de quem o escreveu.• Fazer com que os educandos percebam qual a ideologia que está por trás deste discurso;
  7. 7. O professor deverá lembrar-se que:• o aluno não enxergará uma simultaneidade de aspectos e informações;• ele também não poderá responder uma série de perguntas sem ter concentrado o olhar em alguma ou algumas intenções mais específicas;• o professor deverá ter em mente que essas atividades devem ser processadas passo a passo.
  8. 8. 3. PÓS-LEITURA• É a fase de ampliação, confirmação ou transformação da visão de mundo do leitor;• É a fase do confronto do sentido construído com seu próprio sistema de valores;• O aluno leitor poderá utilizar criticamente o sentido construído; • O aluno irá refletir sobre as informações recebidas, e assim, construir conhecimento.
  9. 9. ESTRATÉGIAS DE LEITURA ATIVIDADES DE PRÉ-LEITURA
  10. 10. 1. Interferência do sentido do texto pelo título O professor lança o título e lança o desafio para a formulação de hipóteses;O professor pergunta o que cada aluno espera que o texto informe;
  11. 11. 2. Texto vazadoSuprimir algumas palavras abrindo espaços no texto;Preencher os espaços vazados com as palavras mais adequadas (processo de seleção de palavras mediada pelo professor);Estabelecer relações entre palavras e contextos; Confrontar com o texto original (leitura descoberta); Tecer comentários sobre adequabilidade e aceitabilidade das palavras utilizadas no preenchimento;
  12. 12. 3. Leitura com entonação adequadaDistribuir pequenos textos de diferentes categorias entre os alunos: trechos de discurso de políticos, textos excessivamente líricos ou excessivamente dramáticos, textos informativos (notícias, manchetes), letras de pagode, receitas, etc.Pedir que façam a leitura, ou leitura feita pelo professor, com entonação adequada; Comentar, após as apresentações orais, adequação das entonações e dos rítimos de leitura emprestados a cada texto
  13. 13. O JOGO DAADIVINHAÇÃO
  14. 14. OBJETIVOO exercício aguça a curiosidade do leitor, contribui para o entendimento do texto e explicita recursos importantes da língua.Sua finalidade fundamental não é ensinar técnicas de leitura ou conceitos escolares, mas promover uma leitura viva e criativa
  15. 15. DESENVOLVIMENTO1. Pega-se uma narrativa, de preferência curta, e que tenha, em alguma medida, quebra de expectativa.2. Recorta-se o texto em vários fragmentos correspondente a pequenos episódios - os cortes devem coincidir com momentos em que as personagens vão tomar uma atitude (mudança de cena);3. deve-se cuidar para que o fragmento não seja muito pequeno, ao ponto de não oferecer informação nova, nem muito grande ao ponto de tornar a atividade enfadonha; 4. evita-se de início dizer o nome do autor do texto, porque seu conhecimento pode criar novas expectativas (por causa do estílo, temática, posições políticas, etc.).
  16. 16. NÍVEISPode ser usada em qualquer nível escolar, basta escolher um texto de acordo com o nível da classe.
  17. 17. O casal, a morte e o “joggin”.
  18. 18. DIÁLOGO ENTRE A NOTÍCIA DE JORNAL, “(O casal, a morte e ojoggin” ) E PROVÉRBIOS
  19. 19. A Moral e os Provérbios
  20. 20. MORALConselho, ensinamentos ou frases de apoio constituem os provérbios que podem ser usados, empregados no lugar da moral, como se fossem a moral da fábula.
  21. 21. PROVÉRBIOSFrases breves, anônimas, populares que são passadas de geração a geração. Frases muitas vezes metafóricas que brincam, fazem um jogo rítmico com as palavras, mas nos levam à reflexão.
  22. 22. EXEMPLIFICANDO• Fábula "A Coruja e a águia".  Provérbio "Quem o feio ama, bonito lhe parece."• Fábula  "A galinha dos ovos de ouro". Provérbio "Quem tudo quer, nada tem." • Fábula  "A raposa e as uvas". Provérbio "Quem desdenha, quer comprar.";   • Os provérbios, assim como as fábulas, nos levam a um posicionamento crítico sobre as condutas humanas.• Alguns escritores modernos como Mário Prata, Jô Soares e Chico Buarque brincaram com a sabedoria popular revisitando vários ditos populares.
  23. 23. Ouça um bom conselhoQue lhe dou de graçaInútil dormir que a dor não passaEspere sentado ou você se cansa.Está provado, quem espera nunca alcança. (Chico Buarque) O que há de comum nestes provérbios? Você acha que há mais "sabedoria"nos provérbios em sua forma original ou na versão que lhes dá Chico Buarque? Por quê? Tente localizar os provérbios que Chico Buarque inverteu e recomponha-os na sua forma original.
  24. 24. INTERTEXTUALIDADE Segundo Ingedore KochQuando um texto remete a outro texto anterior a ele, como se o texto que lemos tivesse reminiscências, um banco dememórias, que nos faz lembrar de outros textos dentro dele.
  25. 25. Improvérbios proverbiais que jamais serão provérbios Jô Soares• Devagar se vai a pé.• A cavalo comprado se olha tudo.• Quem madruga dorme cedo.• Quem semeia o vento não colhe coisa nenhuma.• Quem conta um conto contou o cruzeiro, o cruzado e o real.
  26. 26. DEUS AJUDA QUEM CEDO MADRUGA.• Significativo:• Quem começa a trabalhar cedo ganha mais dinheiro (de Deus). Histórico:• Esta frase só pode ter sido criada pelos padres para acordarem os alunos internos às cinco da manhã para assistir à missa (em latim). Hoje em dia, quem madruga mesmo são os assalariados, os operários. Cadê ajuda, meu Deus?
  27. 27. DEUS ESCREVE DIREITOPOR LINHAS TORTAS. • Significativo: • A expressão já é explícita. Histórico: • Nunca li nenhum escrito por Deus. Talvez Ele tenha escrito apenas a tábua com os dez mandamentos. Mas ninguém nunca viu o original, pois Moisés sumiu com ele. Quem escreve mesmo por linhas tortas é o semi-analfabeto.
  28. 28. DEVAGAR SE VAI AO LONGE• Significativo:• Não devemos ter pressa para atingir nossos objetivos. Histórico:• A expressão correta é "divagar se vai ao longe", sendo "divagar" no sentido de percorrer, correr, viajar, como nos ensina o dicionário.
  29. 29. PLANO DE AULA
  30. 30. TEMA: Fábulas e Provérbios • OBJETIVO GERAL: Inferir sobre os valores transmitidos nas fábulas. • OBJETIVO ESPECÍFICO: Transmitir ao aluno o conceito de respeito mútuo, de justiça, a importância do diálogo e da solidariedade. Favorecer o desenvolvimento criativo dos alunos através de diferentes expressões, tais como: desenhos, produções de texto e dramatizações. Conhecer a estrutura de fábulas e provérbios
  31. 31. • TEMAS TRANSVERSAISÉtica, respeito mutuo, solidariedade. Uso e valorização do diálogo como instrumento para esclarecer os conteúdos.• MOTIVAÇÃO:Conversa informal sobre fábulas e provérbios e distribuição de livros para manuseio
  32. 32. ESTRATÉGIAS:• Conversar com os alunos a respeito das características básicas das fábulas e provérbios;• Passar os slides com as fábulas, e pedir que os alunos interpretem a moral de cada uma delas;• Dividir a sala em 3 grupos, sortear a fábula que será tema para a reescrita coletiva e distribuir cópias impressas• Reescrita e ilustração dos textos;• Leitura oral dos textos produzidos (cada aluno lê uma estrofe);
  33. 33. AVALIAÇÃO• Criação de uma fábula ou provérbio coletivo;• Leitura da fábula coletiva• Preenchimento da ficha de auto avaliação.
  34. 34. FICHA DEAUTO AVALIAÇÃO -
  35. 35. • Coloquei título?• Caracterizei as personagens?• Fiz parágrafo?• Utilizei ponto final?• Utilizei ponto de exclamação?• Utilizei ponto de interrogação?• Utilizei dois pontos e travessão no diálogo?• Usei letra maiúscula nos nomes próprios e depois de ponto final e no início do parágrafo?• Separei corretamente as palavras no final das linhas?• Minha letra está legível?• O trabalho está limpo?• Fiz uma releitura para ver se há erros ortográficos?

×