SlideShare uma empresa Scribd logo
 É a região mais populosa do Brasil com 42,1% da
População Nacional (IBGE 2010).
Teve inicio com a Fundação da Vila de São Vicente
(São Paulo) em 1532.
O ciclo do ouro no Séc. XVII, contribui com a
Migração de muitas pessoas para Minas Gerais.
E com o declínio da produção de ouro no Séc. XVIII, a
região começou a investir na Cultura Cafeeira.
Vila de São Vicente
Ciclo do Ouro
Ciclo do Ouro
Com a proclamação da Republica de 15 de novembro
de 1889, a região se tornou centro financeiro do Brasil.
Com a Abolição da Escravatura (Lei Áurea em 13 de
maio de 1888), e a produção de café em ascensão da
produção de café, começou a surgir os primeiros
fluxos imigratórios, italianos, alemães e espanhóis,
principalmente que vinham ser mão de obra na
cultura cafeeira.
Na Década de 1920 a industrialização apoiada pelo
governo Vargas, contribui para imigração de
japoneses, libaneses e sírios.
Ainda hoje ainda recebe muitos migrantes internos, a
maioria proveniente do nordeste brasileiro, que vão
para setores de prestação de serviços e industria.
É a região mais forte economicamente do Brasil, tem
o maior PIB nacional, a região contribui com mais de
50% do PIB nacional. Tendo São Paulo como centro
do capitalismo brasileiro, a região ainda conta com o
forte turismo do Rio de Janeiro, a pecuária de Minas
Gerais, e a industria do petróleo em Espírito Santo
(segundo maior produtor de petróleo nacional).
Rio de Janeiro
Avenida Paulista, Centro Financeiro de São Paulo
Na agricultura tem destaque para a produção de soja,
cana-de-açúcar (principalmente para produção de
Etanol), milho, mandioca, café, arroz e feijão.
É a região mais industrializada do Brasil, com setor
diversificado e forte, os principais são a
automobilística (SP), Siderúrgica (toda região),
petroquímica (RJ, SP, MG), naval (RJ), petrolífera (RJ “
Campos maior nacional”, ES).
Bacia de Campos - RJ
A industria de tecnologia também é muito forte, a
exemplo da informática, eletrônica e
telecomunicações.
A região ainda conta com grandes centros de
pesquisas e universidades, como USP, UNICAMP,
UFMG, UFRJ.
A região ainda possui o maior colégio eleitoral do
Brasil, no Estado de São Paulo que representa 22%
do eleitorado nacional, segundo o Tribunal
Superior Eleitoral (TSE)
Foto Tirada as 7 horas da Manhã,
Num dia de eleição, já havia fila.
TURISMO DE
SOL E MAR
Constitui-se das
atividades turísticas
relacionadas a
recreação,
entretenimento ou
descanso em praias,
em função da
presença conjunta de
água, sol e calor.
RIO DE JANEIRO
No Rio de Janeiro, as
praias, como a de
Copa Cabana São
reconhecidas no
mundo todo. É o
principal destino
turístico da região.
Outras praias de
destaque são as de
Angra dos Reis, Búzios
e a de Paraty.
Fonte:
www.feriasbrasil.com.
br/rj
ANGRA DOS
REIS
(Praia
Grande/RJ)
A baía de Angra dos Reis,
apresenta 365 ilhas
salpicadas em um mar de
águas verdes e cristalinas.
Local preferido dos ricos e
famosos.
Os bares flutuantes levam
drinks e petiscos até às
embarcações logo após os
pedidos serem feitos via
rádio.
Fonte:
www.feriasbrasil.com.br/r
j
SÃO PAULO
O litoral de São Paulo se
estende por 622
quilômetros, desde a
divisa com o Paraná até o
Rio de Janeiro.
No litoral paulista, é
possível Encontrar praias
quase intactas e
inabitadas, ver as belezas
naturais de ilhas e praias
acessíveis por trilhas,
curtir o pôr-do-sol em
mirantes e morros.
Fonte:
www.litoralvirtual.com.br
SANTOS/SP
Alem de belíssimas
Praias, Santos destaca-
se, também pelo mais
extenso jardim urbano
de todo mundo,
segundo o Guinness
Book, localizado ao
longo dos 7 km da orla
de Santos. São 5.335
metros de
comprimento e
218.800 m² de área
verde bem cuidada.
Fonte:
www.santos.sp.gov.br
ESPIRITO
SANTO
A Capital capixaba foi
fundada em 1551, na ilha
de Vitória. É a terceira
capital brasileira mais
antiga, após Recife e
Salvador. O Município é
formado por um
arquipélago de 34 ilhas,
mais uma porção
continental
www.brasil-
turismo.com/espirito-
santo/vitoria
VITÓRIA/ES
Baía de Vitória.
Vitória ao lado
esquerdo e Vila Velha
ao lado direito.
www.brasil-
turismo.com/espirito-
santo/vitoria
TURISMO
RURAL
É o conjunto de
atividades turísticas
desenvolvidas nomeio
rural, comprometido
com a produção e
agropecuária, agregando
valor a produtos e
serviços, resgatando e
promovendo o
patrimônio cultural e
natural da comunidade
Fonte:
www.turismo.gov.br/tur
ismo/rural
FAZENDA SÃO
SEBASTIÃO/SP
O Turismo Rural é uma
modalidade de turismo
que vem conquistanto
espaço entre as demais
modalidades.
Fonte:
www.tudoturismo.com.b
r
As fazendas de Minas
Gerais, Rio de Janeiro e
São Paulo reservam aos
visitantes a oportunidade
de realizar passeios de
cavalo ou de charrete, de
passear de pedalinho em
lagos, de tirar o leite
fresquinho da vaca e de se
surpreender com a
gastronomia regional,
sempre a beira de um
fogão de lenha.
Fonte:
www.turismo.gov.br/turi
smo/rural
As atividades turísticas
no meio rural
constituem-se da
oferta de serviços,
equipamentos
e produtos de
hospedagem,
alimentação,
recepção à visitação
em propriedades
rurais, recreação,
entretenimento e
atividades pedagógicas
vinculadas ao contexto
rural.
Fonte:
www.tudoturismo.com.br
TURISMO DE
AVENTURAS
Compreende os
movimentos turísticos
decorrentes da prática
de atividades de
aventuras de carater
recreativo e não
competitivo.
Ex. Montanhismo,
paraquedismo,
canoismo, etc...
Turismo cultural
Fonte: industriaturismo.blogspot.com
Competitividade é a capacidade crescente de gerar negócios nas
atividades econômicas relacionadas com o setor de turismo, de
forma sustentável, proporcionando ao turista uma experiência
positiva.
Fonte: www.turismo.gov.br
Sustentabilidade
Turismo
Atrativos
Turísticos
Atrativos
Culturais
Aspectos Culturais
Produção social associada ao turismo
Patrimônio histórico e cultural
Aspectos de governança
Fonte: www.turismo.gov.br
Equipamentos culturais e atrativos turísticos do Sudeste são
os mais bem estruturados do país
Setor Público Iniciativa Privada Soc. Civil Organizada
Fonte: www.turismo.gov.br
ASPECTOS CULTURAIS – RESULTADOS POR REGIÃO
Do Sudeste são as melhores médias
registradas em cinco dimensões
enquadradas na pesquisa: Acesso,
Aspectos Culturais, Atrativos
Turísticos, Marketing e Promoção
do Destino, Monitoramento.
Na análise dos Aspectos Culturais,
a média da região é a única a
ultrapassar o nível intermediário
da escala, chegando ao quarto
patamar de competitividade.
Fonte: www.turismo.gov.br
A união das potencialidades turísticas no projeto Sudeste
Integra favorecerá o aumento da permanência dos visitantes na
região.
Lançamento do Sudeste Integra aconteceu no Estande da Região Sudeste, na 40ª
ABAV- Fonte: mg.gov.br – Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais
Fonte:
www.minasgerais.com.br
CULTURA TURISMO
MEIO AMBIENTE
Potencialidades Turísticas Culturais
Conjunto de características próprias dos lugares, territórios e regiões que, estão
disponíveis e podem transformar-se em produto turístico e, posteriormente, em
atrativo à demanda turística. Fonte:
http://www.turismo.gov.br
Carnaval/Rio
Um dos grandes
responsáveis pela força
do turismo carioca é o
carnaval.
Prova de tamanha fama é
o longa metragem “Rio-O
filme”, uma animação da
20th Century Fox e Blue
Sky Studios que tem
como cenário o Rio de
Janeiro nos dias de
Carnaval no Brasil.
Mídia Espontânea
Fonte:
http://regiao-sudeste.info/mos/view/Turismo_Regiao_Sudeste/
Lapa
A Lapa é um bairro
conhecido pela famosa
arquitetura dos Arcos
e principalmente por
ser o berço da boemia
carioca
Paraty
Fonte:
http://www.turismo.gov.br
São Paulo
Virada Cultural é a festa de rua da cidade de São Paulo
Um evento gratuito que atrai anualmente um público circulante de milhões de
pessoas durante 24 horas de programação cultural ininterrupta.
Fonte: www.viradacultural.org
• Pesquisa de público no evento foi complementada com o monitoramento de
mídias sociais entre os dias 29 de abril e 07 de maio
• O termo “Virada Cultural” em redes sociais como Twitter, Facebook, Fickr,
YouTube, Google +, etc., tiveram um total de 25.330 posts
Fonte: www.observatoriodoturismo.com.br
Além d centro velho da cidade, os
programas se espalham pelos
principais museus, teatros e
centros culturais
Seminário Museus e Turismo, um evento do Governo de São Paulo, cujo
objetivo é a reflexão sobre algumas das múltiplas dimensões que
constituem os Museus e o Turismo Cultural na cidade de São Paulo.
São Paulo
Turismo de negócios
Segundo Ministério do Turismo, o turista de negócios e eventos, doméstico e internacional,
apresenta algumas características comuns:
• escolaridade superior
• poder aquisitivo elevado
• exige praticidade, comodidades, atendimento e equipamentos de qualidade
• representa organizações e empresas
• realiza gastos elevados em comparação a outros segmentos
• permanência média de quatro dias (doméstico) e de oito dias (internacional)
Fonte: www.turismo.gov.br
São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte são as cidades que mais
se destacam no cenário de turismo de negócios no Brasil. As
cidades do sudeste possuem a melhor infraestrutura brasileira
quando o assunto são hotéis, aeroportos, centro de convenções,
compras e atrativos turísticos.
Fonte: www.sppert.com.br
"Capital dos Negócios"
• São Paulo sedia cerca de 75% das feiras e congressos realizados no território
nacional - segundo o São Paulo Convention & Visitors Bureau.
• Destaque para seus restaurantes, sua agitada vida noturna e seu circuito
artístico.
Avenida Paulista, cartão-postal
da cidade. Abrigando cerca de
30% do centro financeiro
paulista
Fonte: www.cidadedesaopaulo.com
27° Salão do Automóvel movimenta mercado turístico em
São Paulo
Segundo a organização
do Salão em 2010 o
evento recebeu 750 mil
visitantes.
30ª Bienal de São Paulo
Uma das maiores exposições
de arte contemporânea do
mundo
Fonte: www.cidadedesaopaulo.com
Espaços para Congresso e
Feiras
• MinasCentro
• Expominas BH
• Chevrolet Hall
Fonte: www.desenvolvimento.mg.gov.br
• Centros de convenções e congressos nacionais e
internacionais
• É bem estruturada
• Excelente malha aérea
• O aeroporto internacional está a 20 minutos dos principais
hotéis e centros de convenção.
Fonte: www.brasil.gov.br
Rio de Janeiro
Os investimentos realizados atualmente na cidade e a
visibilidade internacional em função das Olimpíadas de 2016
e da Copa de 2014 estão atraindo um número maior de
eventos de diferentes portes para a cidade
O turismo de eventos e negócios ainda
rendeu à capital fluminense um
crescimento de 16% na chegada de
turistas europeus, apesar da crise
econômica que atinge os países da
Europa, segundo dados da Embratur.
Fonte: www.jb.com.br
Em 1958- Juscelino Kubitschek e suas políticas
fomenta o setor de turismo,
1966- nasce a EMBRATUR – turismo é inserido no II
PND(plano nacional de desenvolvimento)
regionalizado
Em 1981 – a questão ambiental entra em pauta
RIO-92 promulgação de uma política nacional do
turismo, e nasce o plantur
No governo FHC o turismo ganha uma visão neo-
liberal -“avança Brasil”
Lula- nasce o Mtur – e são publicados os pnt’s de
2003/2007 e 2007/2010
O pnt de 2007/2010 e tributário do PAC
 tem como principais estratégias:
 a descentralização da atividades em áreas
litorâneas(interiorização),
 fortalecimento do turismo domestico,
 qualificação da Mão de obra e a
 criação de um banco de dados com atributos
do turismo para pesquisas e planejamento
Caminha são Paulo:
Passos dos jesuítas
Rota franciscana
Turismo do saber:
Roda SP
Melhor viagem SP
Concurso como:
o twitta SP
clica SP
Conselho estadual de turismo
Comitê integrado de segurança turística
BPTUR
Cogetura- comitê estadual de turismo rural e agro
turismo
Grupo de apoio e fomento ao turismo marítimo e
náutico: estudar e promover medidas de estímulo do
turismo marítimo e náutico
Fórum estadual de secretários e dirigentes municipais
de turismo
Fórum nacional de secretários e dirigentes estaduais
de turismo
Conema- Conselho estadual do meio ambiente
Conselho consultivo do parque nacional da restinga
de Jurubatiba
Conselho gestor consultivo do parque nacional da
serra dos órgãos-parnaso
Comitê gestor do projeto caminhos singulares do
turismo
Câmara especial de gestão dos arranjos produtivos
locais do estado
Arranjo produtivo local de entretenimento de
conservatória
Programa de artesanato do estado do rio de janeiro
Interlocuções com o MTur
Parcerias diversas
Plano de desenvolvimento sustentável da região
turísticas
 Prodetu-es
Região montanhas capixabas
Região do verde e das águas
Região metropolitana
Plano de qualificação:
qualifica Brasil
qualifica Espírito Santo turismo
macro programas
Informações turísticas
Promoções e comercialização
Diversificação de oferta turística
Qualidade dos produtos turísticos:
Formento
 Infraestrutura:
 duplicação da BR-101
 Duplicação da extensão da BR-101 no contorno vitoria
 Construção do novo aeroporto de vitoria
 Recuperação e melhoria da BR-262
 Sinalização turística
 Construção de marina publica
 Aeroporto das montanhas capixabas
 Construção do centro de convenções de vitoria
 Urbanização da orla do canal de Guarapari
 Asfaltamento da estrada parque do Caparaó
 Sistema de coleta e tratamento de esgoto da região
metropolitana e das principais cidade turísticas do estado
 Estruturadores:
destino minas
 Estruturação dos atrativos e destinos turísticos
 Minas criativa
 Festivais culturais
 Rota das grutas de lund
 Expansão do expominas
 Programas associados:
Estruturação,desenvolvimento e promoção do
turismo mineiro: desenvolver estruturar e formatar
produtos novos envolvendo qualificação e
profissionalização da governança
 Manutenção do espaço Minas Gerais
 Promoção do turismo, desenvolvimento e apoio a
comercialização de produtos turísticos
 Regionalização do turismo e fortalecimento das instancias de
governança
 pesquisa e estatísticas do turismo Mineiro
 estruturação e promoção de destinos turísticos para eventos de
visibilidade internacional
 potencialização do turismo de negócios e eventos em Minas
Gerais
 estruturação do turismo religioso em Minas Gerais
 Desenvolvimento do turismo - Prodetur Nacional Minas Gerais
 Apoio ao turismo nos municípios
 Programas associados:
 Programa de desenvolvimento turístico do nordeste - fase
dois - prodetur/NE-ii - incentivar a atividade turística no
vale do Jequitinhonha como alternativa econômica de
desenvolvimento sustentável:
 Fortalecimento institucional para gestão do turismo
 Infraestrutura rodoviária turística
 Estudo, implantação e conservação de vias de acesso
 Estruturação dos parques estaduais e dos atrativos naturais
 Fortalecimento da gestão de resíduos sólidos
 Programa especiais:
Apoio a adm publica:
 Planejamento,gestão e finanças
 Desenvolvimento e capacitação do servidor
 Remuneração de pessoal ativo e encargos sociais:
http://www.cchla.ufrn.br/humanidades/ARTIGOS/GT24/O
http://www.turismo.sp.gov.br/
www.turismo.mg.gov.br/
www.turisrio.rj.gov.br/
www.setur.es.gov.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
Silmara Vedoveli
 
Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
Oberlania Alves
 
Sudeste
SudesteSudeste
Geografia 5º Ano RegiãO Sudeste
Geografia   5º Ano RegiãO SudesteGeografia   5º Ano RegiãO Sudeste
Geografia 5º Ano RegiãO Sudeste
Walquiria Dutra
 
[Material de aula] região sudeste
[Material de aula] região sudeste[Material de aula] região sudeste
[Material de aula] região sudeste
flaviocosac
 
Estado e cidade do rio de janeiro
Estado e cidade do rio de janeiroEstado e cidade do rio de janeiro
Estado e cidade do rio de janeiro
Salageo Cristina
 
Região sudeste
Região sudesteRegião sudeste
Região sudeste
CBM
 
Região sudeste slides
Região sudeste slidesRegião sudeste slides
Região sudeste slides
Ivone Rosa Sa
 
Região sudeste slides1
Região sudeste slides1Região sudeste slides1
Região sudeste slides1
sandraanacletoandrade
 
Região Sudeste do Brasil
Região Sudeste do BrasilRegião Sudeste do Brasil
Região Sudeste do Brasil
Francine Lunardi - GRADUAÇÃO
 
Geografia turismo região sudeste (103)
Geografia   turismo região sudeste (103)Geografia   turismo região sudeste (103)
Geografia turismo região sudeste (103)
Felipe Andrade
 
Apresentação Hg 2
Apresentação Hg 2Apresentação Hg 2
Apresentação Hg 2
veroleal
 
Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
Vania Leão
 
ApresentaçãO Hg2
ApresentaçãO Hg2ApresentaçãO Hg2
ApresentaçãO Hg2
veroleal
 
Região sudeste
Região sudesteRegião sudeste
Região sudeste
lucineijt
 
Região sudeste do brasil
Região sudeste do brasilRegião sudeste do brasil
Região sudeste do brasil
Erika Renata
 
Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
Joemille Leal
 
RegiãO Sudeste Do Brasil Amanda E Yanae
RegiãO Sudeste Do Brasil Amanda E YanaeRegiãO Sudeste Do Brasil Amanda E Yanae
RegiãO Sudeste Do Brasil Amanda E Yanae
COLÉGIO EVANGÉLICO JARAGUÁ
 
Terras alpha 2 foz do iguaçu - apresentação
Terras alpha 2   foz do iguaçu - apresentaçãoTerras alpha 2   foz do iguaçu - apresentação
Terras alpha 2 foz do iguaçu - apresentação
Joval da Silva
 
Região sul
Região sulRegião sul
Região sul
Mayara_Sampaio2
 

Mais procurados (20)

Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
 
Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
 
Sudeste
SudesteSudeste
Sudeste
 
Geografia 5º Ano RegiãO Sudeste
Geografia   5º Ano RegiãO SudesteGeografia   5º Ano RegiãO Sudeste
Geografia 5º Ano RegiãO Sudeste
 
[Material de aula] região sudeste
[Material de aula] região sudeste[Material de aula] região sudeste
[Material de aula] região sudeste
 
Estado e cidade do rio de janeiro
Estado e cidade do rio de janeiroEstado e cidade do rio de janeiro
Estado e cidade do rio de janeiro
 
Região sudeste
Região sudesteRegião sudeste
Região sudeste
 
Região sudeste slides
Região sudeste slidesRegião sudeste slides
Região sudeste slides
 
Região sudeste slides1
Região sudeste slides1Região sudeste slides1
Região sudeste slides1
 
Região Sudeste do Brasil
Região Sudeste do BrasilRegião Sudeste do Brasil
Região Sudeste do Brasil
 
Geografia turismo região sudeste (103)
Geografia   turismo região sudeste (103)Geografia   turismo região sudeste (103)
Geografia turismo região sudeste (103)
 
Apresentação Hg 2
Apresentação Hg 2Apresentação Hg 2
Apresentação Hg 2
 
Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
 
ApresentaçãO Hg2
ApresentaçãO Hg2ApresentaçãO Hg2
ApresentaçãO Hg2
 
Região sudeste
Região sudesteRegião sudeste
Região sudeste
 
Região sudeste do brasil
Região sudeste do brasilRegião sudeste do brasil
Região sudeste do brasil
 
Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
 
RegiãO Sudeste Do Brasil Amanda E Yanae
RegiãO Sudeste Do Brasil Amanda E YanaeRegiãO Sudeste Do Brasil Amanda E Yanae
RegiãO Sudeste Do Brasil Amanda E Yanae
 
Terras alpha 2 foz do iguaçu - apresentação
Terras alpha 2   foz do iguaçu - apresentaçãoTerras alpha 2   foz do iguaçu - apresentação
Terras alpha 2 foz do iguaçu - apresentação
 
Região sul
Região sulRegião sul
Região sul
 

Destaque

turismo
turismoturismo
turismo
Catia Silva
 
Apresentação noções conceituais turismo
Apresentação   noções conceituais turismo Apresentação   noções conceituais turismo
Apresentação noções conceituais turismo
Karlla Costa
 
Turismo[1]
Turismo[1]Turismo[1]
Turismo[1]
Joao Paulo Curto
 
Turismo responsável trabalho
Turismo responsável trabalhoTurismo responsável trabalho
Turismo responsável trabalho
lmmap
 
Artigo53
Artigo53Artigo53
Artigo53
Livia Vizza
 
Lei hotel
Lei hotelLei hotel
Lei hotel
Daniel Guedes
 
Trabalho de contabilidade hoteleira
Trabalho de contabilidade hoteleira Trabalho de contabilidade hoteleira
Trabalho de contabilidade hoteleira
Vamares Souza
 
Segmentacao turismo livro1_avea_
Segmentacao turismo livro1_avea_Segmentacao turismo livro1_avea_
Segmentacao turismo livro1_avea_
LUZIA VERA silva
 
Projeto Hotelaria Sustentável
Projeto Hotelaria SustentávelProjeto Hotelaria Sustentável
Projeto Hotelaria Sustentável
Alexandre Maitto
 
Artigo: Turismo de Natureza e desenvolvimento
Artigo: Turismo de Natureza e desenvolvimentoArtigo: Turismo de Natureza e desenvolvimento
Artigo: Turismo de Natureza e desenvolvimento
Marianne Costa
 
Hotelaria e hospitalidade
Hotelaria e hospitalidadeHotelaria e hospitalidade
Hotelaria e hospitalidade
Ma Rina
 
Workshop Hospitalidade
Workshop HospitalidadeWorkshop Hospitalidade
Organização mundial do turismo catia nº 5
Organização mundial do turismo  catia nº 5Organização mundial do turismo  catia nº 5
Organização mundial do turismo catia nº 5
KatiaNunes1996
 
Roteiro TuríStico
Roteiro TuríSticoRoteiro TuríStico
Roteiro TuríStico
EFA_06_08
 
Plano de Negócios - hotelaria
Plano de Negócios -  hotelariaPlano de Negócios -  hotelaria
Plano de Negócios - hotelaria
Letícia Vilela de Aquino
 
Apresentacao conceitos hospitalidade
Apresentacao  conceitos hospitalidadeApresentacao  conceitos hospitalidade
Apresentacao conceitos hospitalidade
André Farias
 
Otet módulo 2
Otet módulo 2Otet módulo 2
Otet módulo 2
TatyFG
 
Trabalho de comércio
Trabalho de comércioTrabalho de comércio
Trabalho de comércio
Turmacv133a
 
Turismo evolução
Turismo evoluçãoTurismo evolução
Turismo evolução
Karlla Costa
 
Turismo de aventura
Turismo de aventuraTurismo de aventura
Turismo de aventura
rosaband
 

Destaque (20)

turismo
turismoturismo
turismo
 
Apresentação noções conceituais turismo
Apresentação   noções conceituais turismo Apresentação   noções conceituais turismo
Apresentação noções conceituais turismo
 
Turismo[1]
Turismo[1]Turismo[1]
Turismo[1]
 
Turismo responsável trabalho
Turismo responsável trabalhoTurismo responsável trabalho
Turismo responsável trabalho
 
Artigo53
Artigo53Artigo53
Artigo53
 
Lei hotel
Lei hotelLei hotel
Lei hotel
 
Trabalho de contabilidade hoteleira
Trabalho de contabilidade hoteleira Trabalho de contabilidade hoteleira
Trabalho de contabilidade hoteleira
 
Segmentacao turismo livro1_avea_
Segmentacao turismo livro1_avea_Segmentacao turismo livro1_avea_
Segmentacao turismo livro1_avea_
 
Projeto Hotelaria Sustentável
Projeto Hotelaria SustentávelProjeto Hotelaria Sustentável
Projeto Hotelaria Sustentável
 
Artigo: Turismo de Natureza e desenvolvimento
Artigo: Turismo de Natureza e desenvolvimentoArtigo: Turismo de Natureza e desenvolvimento
Artigo: Turismo de Natureza e desenvolvimento
 
Hotelaria e hospitalidade
Hotelaria e hospitalidadeHotelaria e hospitalidade
Hotelaria e hospitalidade
 
Workshop Hospitalidade
Workshop HospitalidadeWorkshop Hospitalidade
Workshop Hospitalidade
 
Organização mundial do turismo catia nº 5
Organização mundial do turismo  catia nº 5Organização mundial do turismo  catia nº 5
Organização mundial do turismo catia nº 5
 
Roteiro TuríStico
Roteiro TuríSticoRoteiro TuríStico
Roteiro TuríStico
 
Plano de Negócios - hotelaria
Plano de Negócios -  hotelariaPlano de Negócios -  hotelaria
Plano de Negócios - hotelaria
 
Apresentacao conceitos hospitalidade
Apresentacao  conceitos hospitalidadeApresentacao  conceitos hospitalidade
Apresentacao conceitos hospitalidade
 
Otet módulo 2
Otet módulo 2Otet módulo 2
Otet módulo 2
 
Trabalho de comércio
Trabalho de comércioTrabalho de comércio
Trabalho de comércio
 
Turismo evolução
Turismo evoluçãoTurismo evolução
Turismo evolução
 
Turismo de aventura
Turismo de aventuraTurismo de aventura
Turismo de aventura
 

Semelhante a Trabalho turismo

Piratininga Pps
Piratininga PpsPiratininga Pps
Piratininga Pps
Renato Cardoso
 
Piratininga pps
Piratininga ppsPiratininga pps
Piratininga pps
Renato Cardoso
 
REGIÃO SUDESTE
REGIÃO SUDESTEREGIÃO SUDESTE
REGIÃO SUDESTE
Michelle Mariana
 
Copa do Mundo 2014
Copa do Mundo 2014Copa do Mundo 2014
Copa do Mundo 2014
Vagner Fagundes
 
Atividade 4 Meio 2 O Turismo Em Sergipe
Atividade 4   Meio 2   O Turismo Em SergipeAtividade 4   Meio 2   O Turismo Em Sergipe
Atividade 4 Meio 2 O Turismo Em Sergipe
guest49a067
 
Turismo Criativo - Projeto conceitual do Parque Turístico Ambiental da Integr...
Turismo Criativo - Projeto conceitual do Parque Turístico Ambiental da Integr...Turismo Criativo - Projeto conceitual do Parque Turístico Ambiental da Integr...
Turismo Criativo - Projeto conceitual do Parque Turístico Ambiental da Integr...
EscolaDeCriatividade
 
Brasil sao paulo
Brasil sao pauloBrasil sao paulo
Brasil sao paulo
cecicastillo2013
 
Sudeste
SudesteSudeste
Sudeste
Ana Amélia
 
Região sudeste
Região sudeste Região sudeste
Região sudeste
Tomi Anania
 
Piratininga em foco
Piratininga em focoPiratininga em foco
Piratininga em foco
Renato Cardoso
 
Apostila olinda-final-trade
Apostila olinda-final-tradeApostila olinda-final-trade
Apostila olinda-final-trade
Marli Rodrigues
 
TurAlerT - Alertas do Turismo Rural/ Sustentável na América Latina - Nº. 21 -...
TurAlerT - Alertas do Turismo Rural/ Sustentável na América Latina - Nº. 21 -...TurAlerT - Alertas do Turismo Rural/ Sustentável na América Latina - Nº. 21 -...
TurAlerT - Alertas do Turismo Rural/ Sustentável na América Latina - Nº. 21 -...
iicabrasil
 
Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
Giovanna Abreu Guerra
 
Floripa
FloripaFloripa
Floripa
guestd61629
 
Floripa
FloripaFloripa
Floripa
guestc79f8f
 
Floripa
FloripaFloripa
Floripa
FloripaFloripa
Floripa
guestd53d60
 
Piratininga
PiratiningaPiratininga
Piratininga
Renato Cardoso
 
Regiões brasileiras 2013
Regiões brasileiras 2013Regiões brasileiras 2013
Regiões brasileiras 2013
João José Ferreira Tojal
 
Verão da bahia
Verão da bahiaVerão da bahia

Semelhante a Trabalho turismo (20)

Piratininga Pps
Piratininga PpsPiratininga Pps
Piratininga Pps
 
Piratininga pps
Piratininga ppsPiratininga pps
Piratininga pps
 
REGIÃO SUDESTE
REGIÃO SUDESTEREGIÃO SUDESTE
REGIÃO SUDESTE
 
Copa do Mundo 2014
Copa do Mundo 2014Copa do Mundo 2014
Copa do Mundo 2014
 
Atividade 4 Meio 2 O Turismo Em Sergipe
Atividade 4   Meio 2   O Turismo Em SergipeAtividade 4   Meio 2   O Turismo Em Sergipe
Atividade 4 Meio 2 O Turismo Em Sergipe
 
Turismo Criativo - Projeto conceitual do Parque Turístico Ambiental da Integr...
Turismo Criativo - Projeto conceitual do Parque Turístico Ambiental da Integr...Turismo Criativo - Projeto conceitual do Parque Turístico Ambiental da Integr...
Turismo Criativo - Projeto conceitual do Parque Turístico Ambiental da Integr...
 
Brasil sao paulo
Brasil sao pauloBrasil sao paulo
Brasil sao paulo
 
Sudeste
SudesteSudeste
Sudeste
 
Região sudeste
Região sudeste Região sudeste
Região sudeste
 
Piratininga em foco
Piratininga em focoPiratininga em foco
Piratininga em foco
 
Apostila olinda-final-trade
Apostila olinda-final-tradeApostila olinda-final-trade
Apostila olinda-final-trade
 
TurAlerT - Alertas do Turismo Rural/ Sustentável na América Latina - Nº. 21 -...
TurAlerT - Alertas do Turismo Rural/ Sustentável na América Latina - Nº. 21 -...TurAlerT - Alertas do Turismo Rural/ Sustentável na América Latina - Nº. 21 -...
TurAlerT - Alertas do Turismo Rural/ Sustentável na América Latina - Nº. 21 -...
 
Região Sudeste
Região SudesteRegião Sudeste
Região Sudeste
 
Floripa
FloripaFloripa
Floripa
 
Floripa
FloripaFloripa
Floripa
 
Floripa
FloripaFloripa
Floripa
 
Floripa
FloripaFloripa
Floripa
 
Piratininga
PiratiningaPiratininga
Piratininga
 
Regiões brasileiras 2013
Regiões brasileiras 2013Regiões brasileiras 2013
Regiões brasileiras 2013
 
Verão da bahia
Verão da bahiaVerão da bahia
Verão da bahia
 

Último

- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 

Último (20)

- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 

Trabalho turismo

  • 1.
  • 2.
  • 3.  É a região mais populosa do Brasil com 42,1% da População Nacional (IBGE 2010). Teve inicio com a Fundação da Vila de São Vicente (São Paulo) em 1532. O ciclo do ouro no Séc. XVII, contribui com a Migração de muitas pessoas para Minas Gerais. E com o declínio da produção de ouro no Séc. XVIII, a região começou a investir na Cultura Cafeeira.
  • 4. Vila de São Vicente Ciclo do Ouro Ciclo do Ouro
  • 5. Com a proclamação da Republica de 15 de novembro de 1889, a região se tornou centro financeiro do Brasil. Com a Abolição da Escravatura (Lei Áurea em 13 de maio de 1888), e a produção de café em ascensão da produção de café, começou a surgir os primeiros fluxos imigratórios, italianos, alemães e espanhóis, principalmente que vinham ser mão de obra na cultura cafeeira. Na Década de 1920 a industrialização apoiada pelo governo Vargas, contribui para imigração de japoneses, libaneses e sírios. Ainda hoje ainda recebe muitos migrantes internos, a maioria proveniente do nordeste brasileiro, que vão para setores de prestação de serviços e industria.
  • 6.
  • 7. É a região mais forte economicamente do Brasil, tem o maior PIB nacional, a região contribui com mais de 50% do PIB nacional. Tendo São Paulo como centro do capitalismo brasileiro, a região ainda conta com o forte turismo do Rio de Janeiro, a pecuária de Minas Gerais, e a industria do petróleo em Espírito Santo (segundo maior produtor de petróleo nacional). Rio de Janeiro
  • 8. Avenida Paulista, Centro Financeiro de São Paulo
  • 9. Na agricultura tem destaque para a produção de soja, cana-de-açúcar (principalmente para produção de Etanol), milho, mandioca, café, arroz e feijão.
  • 10. É a região mais industrializada do Brasil, com setor diversificado e forte, os principais são a automobilística (SP), Siderúrgica (toda região), petroquímica (RJ, SP, MG), naval (RJ), petrolífera (RJ “ Campos maior nacional”, ES). Bacia de Campos - RJ
  • 11. A industria de tecnologia também é muito forte, a exemplo da informática, eletrônica e telecomunicações. A região ainda conta com grandes centros de pesquisas e universidades, como USP, UNICAMP, UFMG, UFRJ.
  • 12. A região ainda possui o maior colégio eleitoral do Brasil, no Estado de São Paulo que representa 22% do eleitorado nacional, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Foto Tirada as 7 horas da Manhã, Num dia de eleição, já havia fila.
  • 13.
  • 14. TURISMO DE SOL E MAR Constitui-se das atividades turísticas relacionadas a recreação, entretenimento ou descanso em praias, em função da presença conjunta de água, sol e calor.
  • 15. RIO DE JANEIRO No Rio de Janeiro, as praias, como a de Copa Cabana São reconhecidas no mundo todo. É o principal destino turístico da região. Outras praias de destaque são as de Angra dos Reis, Búzios e a de Paraty. Fonte: www.feriasbrasil.com. br/rj
  • 16. ANGRA DOS REIS (Praia Grande/RJ) A baía de Angra dos Reis, apresenta 365 ilhas salpicadas em um mar de águas verdes e cristalinas. Local preferido dos ricos e famosos. Os bares flutuantes levam drinks e petiscos até às embarcações logo após os pedidos serem feitos via rádio. Fonte: www.feriasbrasil.com.br/r j
  • 17. SÃO PAULO O litoral de São Paulo se estende por 622 quilômetros, desde a divisa com o Paraná até o Rio de Janeiro. No litoral paulista, é possível Encontrar praias quase intactas e inabitadas, ver as belezas naturais de ilhas e praias acessíveis por trilhas, curtir o pôr-do-sol em mirantes e morros. Fonte: www.litoralvirtual.com.br
  • 18. SANTOS/SP Alem de belíssimas Praias, Santos destaca- se, também pelo mais extenso jardim urbano de todo mundo, segundo o Guinness Book, localizado ao longo dos 7 km da orla de Santos. São 5.335 metros de comprimento e 218.800 m² de área verde bem cuidada. Fonte: www.santos.sp.gov.br
  • 19. ESPIRITO SANTO A Capital capixaba foi fundada em 1551, na ilha de Vitória. É a terceira capital brasileira mais antiga, após Recife e Salvador. O Município é formado por um arquipélago de 34 ilhas, mais uma porção continental www.brasil- turismo.com/espirito- santo/vitoria
  • 20. VITÓRIA/ES Baía de Vitória. Vitória ao lado esquerdo e Vila Velha ao lado direito. www.brasil- turismo.com/espirito- santo/vitoria
  • 21. TURISMO RURAL É o conjunto de atividades turísticas desenvolvidas nomeio rural, comprometido com a produção e agropecuária, agregando valor a produtos e serviços, resgatando e promovendo o patrimônio cultural e natural da comunidade Fonte: www.turismo.gov.br/tur ismo/rural
  • 22. FAZENDA SÃO SEBASTIÃO/SP O Turismo Rural é uma modalidade de turismo que vem conquistanto espaço entre as demais modalidades. Fonte: www.tudoturismo.com.b r
  • 23. As fazendas de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo reservam aos visitantes a oportunidade de realizar passeios de cavalo ou de charrete, de passear de pedalinho em lagos, de tirar o leite fresquinho da vaca e de se surpreender com a gastronomia regional, sempre a beira de um fogão de lenha. Fonte: www.turismo.gov.br/turi smo/rural
  • 24. As atividades turísticas no meio rural constituem-se da oferta de serviços, equipamentos e produtos de hospedagem, alimentação, recepção à visitação em propriedades rurais, recreação, entretenimento e atividades pedagógicas vinculadas ao contexto rural. Fonte: www.tudoturismo.com.br
  • 25. TURISMO DE AVENTURAS Compreende os movimentos turísticos decorrentes da prática de atividades de aventuras de carater recreativo e não competitivo. Ex. Montanhismo, paraquedismo, canoismo, etc...
  • 26.
  • 28. Competitividade é a capacidade crescente de gerar negócios nas atividades econômicas relacionadas com o setor de turismo, de forma sustentável, proporcionando ao turista uma experiência positiva. Fonte: www.turismo.gov.br
  • 29. Sustentabilidade Turismo Atrativos Turísticos Atrativos Culturais Aspectos Culturais Produção social associada ao turismo Patrimônio histórico e cultural Aspectos de governança Fonte: www.turismo.gov.br
  • 30. Equipamentos culturais e atrativos turísticos do Sudeste são os mais bem estruturados do país Setor Público Iniciativa Privada Soc. Civil Organizada Fonte: www.turismo.gov.br
  • 31. ASPECTOS CULTURAIS – RESULTADOS POR REGIÃO Do Sudeste são as melhores médias registradas em cinco dimensões enquadradas na pesquisa: Acesso, Aspectos Culturais, Atrativos Turísticos, Marketing e Promoção do Destino, Monitoramento. Na análise dos Aspectos Culturais, a média da região é a única a ultrapassar o nível intermediário da escala, chegando ao quarto patamar de competitividade. Fonte: www.turismo.gov.br
  • 32. A união das potencialidades turísticas no projeto Sudeste Integra favorecerá o aumento da permanência dos visitantes na região. Lançamento do Sudeste Integra aconteceu no Estande da Região Sudeste, na 40ª ABAV- Fonte: mg.gov.br – Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais Fonte: www.minasgerais.com.br
  • 33. CULTURA TURISMO MEIO AMBIENTE Potencialidades Turísticas Culturais Conjunto de características próprias dos lugares, territórios e regiões que, estão disponíveis e podem transformar-se em produto turístico e, posteriormente, em atrativo à demanda turística. Fonte: http://www.turismo.gov.br
  • 34.
  • 35. Carnaval/Rio Um dos grandes responsáveis pela força do turismo carioca é o carnaval. Prova de tamanha fama é o longa metragem “Rio-O filme”, uma animação da 20th Century Fox e Blue Sky Studios que tem como cenário o Rio de Janeiro nos dias de Carnaval no Brasil. Mídia Espontânea Fonte: http://regiao-sudeste.info/mos/view/Turismo_Regiao_Sudeste/
  • 36. Lapa A Lapa é um bairro conhecido pela famosa arquitetura dos Arcos e principalmente por ser o berço da boemia carioca
  • 38. São Paulo Virada Cultural é a festa de rua da cidade de São Paulo Um evento gratuito que atrai anualmente um público circulante de milhões de pessoas durante 24 horas de programação cultural ininterrupta. Fonte: www.viradacultural.org
  • 39. • Pesquisa de público no evento foi complementada com o monitoramento de mídias sociais entre os dias 29 de abril e 07 de maio • O termo “Virada Cultural” em redes sociais como Twitter, Facebook, Fickr, YouTube, Google +, etc., tiveram um total de 25.330 posts Fonte: www.observatoriodoturismo.com.br Além d centro velho da cidade, os programas se espalham pelos principais museus, teatros e centros culturais
  • 40. Seminário Museus e Turismo, um evento do Governo de São Paulo, cujo objetivo é a reflexão sobre algumas das múltiplas dimensões que constituem os Museus e o Turismo Cultural na cidade de São Paulo. São Paulo
  • 42. Segundo Ministério do Turismo, o turista de negócios e eventos, doméstico e internacional, apresenta algumas características comuns: • escolaridade superior • poder aquisitivo elevado • exige praticidade, comodidades, atendimento e equipamentos de qualidade • representa organizações e empresas • realiza gastos elevados em comparação a outros segmentos • permanência média de quatro dias (doméstico) e de oito dias (internacional) Fonte: www.turismo.gov.br
  • 43. São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte são as cidades que mais se destacam no cenário de turismo de negócios no Brasil. As cidades do sudeste possuem a melhor infraestrutura brasileira quando o assunto são hotéis, aeroportos, centro de convenções, compras e atrativos turísticos. Fonte: www.sppert.com.br
  • 44. "Capital dos Negócios" • São Paulo sedia cerca de 75% das feiras e congressos realizados no território nacional - segundo o São Paulo Convention & Visitors Bureau. • Destaque para seus restaurantes, sua agitada vida noturna e seu circuito artístico. Avenida Paulista, cartão-postal da cidade. Abrigando cerca de 30% do centro financeiro paulista Fonte: www.cidadedesaopaulo.com
  • 45. 27° Salão do Automóvel movimenta mercado turístico em São Paulo Segundo a organização do Salão em 2010 o evento recebeu 750 mil visitantes. 30ª Bienal de São Paulo Uma das maiores exposições de arte contemporânea do mundo Fonte: www.cidadedesaopaulo.com
  • 46. Espaços para Congresso e Feiras • MinasCentro • Expominas BH • Chevrolet Hall Fonte: www.desenvolvimento.mg.gov.br
  • 47. • Centros de convenções e congressos nacionais e internacionais • É bem estruturada • Excelente malha aérea • O aeroporto internacional está a 20 minutos dos principais hotéis e centros de convenção. Fonte: www.brasil.gov.br
  • 48. Rio de Janeiro Os investimentos realizados atualmente na cidade e a visibilidade internacional em função das Olimpíadas de 2016 e da Copa de 2014 estão atraindo um número maior de eventos de diferentes portes para a cidade O turismo de eventos e negócios ainda rendeu à capital fluminense um crescimento de 16% na chegada de turistas europeus, apesar da crise econômica que atinge os países da Europa, segundo dados da Embratur. Fonte: www.jb.com.br
  • 49.
  • 50. Em 1958- Juscelino Kubitschek e suas políticas fomenta o setor de turismo, 1966- nasce a EMBRATUR – turismo é inserido no II PND(plano nacional de desenvolvimento) regionalizado
  • 51. Em 1981 – a questão ambiental entra em pauta RIO-92 promulgação de uma política nacional do turismo, e nasce o plantur
  • 52. No governo FHC o turismo ganha uma visão neo- liberal -“avança Brasil” Lula- nasce o Mtur – e são publicados os pnt’s de 2003/2007 e 2007/2010
  • 53. O pnt de 2007/2010 e tributário do PAC  tem como principais estratégias:  a descentralização da atividades em áreas litorâneas(interiorização),  fortalecimento do turismo domestico,  qualificação da Mão de obra e a  criação de um banco de dados com atributos do turismo para pesquisas e planejamento
  • 54. Caminha são Paulo: Passos dos jesuítas Rota franciscana Turismo do saber: Roda SP Melhor viagem SP Concurso como: o twitta SP clica SP
  • 55. Conselho estadual de turismo Comitê integrado de segurança turística BPTUR Cogetura- comitê estadual de turismo rural e agro turismo Grupo de apoio e fomento ao turismo marítimo e náutico: estudar e promover medidas de estímulo do turismo marítimo e náutico
  • 56. Fórum estadual de secretários e dirigentes municipais de turismo Fórum nacional de secretários e dirigentes estaduais de turismo Conema- Conselho estadual do meio ambiente Conselho consultivo do parque nacional da restinga de Jurubatiba Conselho gestor consultivo do parque nacional da serra dos órgãos-parnaso
  • 57. Comitê gestor do projeto caminhos singulares do turismo Câmara especial de gestão dos arranjos produtivos locais do estado Arranjo produtivo local de entretenimento de conservatória Programa de artesanato do estado do rio de janeiro Interlocuções com o MTur Parcerias diversas
  • 58. Plano de desenvolvimento sustentável da região turísticas  Prodetu-es Região montanhas capixabas Região do verde e das águas Região metropolitana
  • 59. Plano de qualificação: qualifica Brasil qualifica Espírito Santo turismo
  • 60. macro programas Informações turísticas Promoções e comercialização Diversificação de oferta turística Qualidade dos produtos turísticos: Formento
  • 61.  Infraestrutura:  duplicação da BR-101  Duplicação da extensão da BR-101 no contorno vitoria  Construção do novo aeroporto de vitoria  Recuperação e melhoria da BR-262  Sinalização turística  Construção de marina publica  Aeroporto das montanhas capixabas  Construção do centro de convenções de vitoria  Urbanização da orla do canal de Guarapari  Asfaltamento da estrada parque do Caparaó  Sistema de coleta e tratamento de esgoto da região metropolitana e das principais cidade turísticas do estado
  • 62.  Estruturadores: destino minas  Estruturação dos atrativos e destinos turísticos  Minas criativa  Festivais culturais  Rota das grutas de lund  Expansão do expominas
  • 63.  Programas associados: Estruturação,desenvolvimento e promoção do turismo mineiro: desenvolver estruturar e formatar produtos novos envolvendo qualificação e profissionalização da governança
  • 64.  Manutenção do espaço Minas Gerais  Promoção do turismo, desenvolvimento e apoio a comercialização de produtos turísticos  Regionalização do turismo e fortalecimento das instancias de governança  pesquisa e estatísticas do turismo Mineiro  estruturação e promoção de destinos turísticos para eventos de visibilidade internacional  potencialização do turismo de negócios e eventos em Minas Gerais  estruturação do turismo religioso em Minas Gerais  Desenvolvimento do turismo - Prodetur Nacional Minas Gerais  Apoio ao turismo nos municípios
  • 65.  Programas associados:  Programa de desenvolvimento turístico do nordeste - fase dois - prodetur/NE-ii - incentivar a atividade turística no vale do Jequitinhonha como alternativa econômica de desenvolvimento sustentável:  Fortalecimento institucional para gestão do turismo  Infraestrutura rodoviária turística  Estudo, implantação e conservação de vias de acesso  Estruturação dos parques estaduais e dos atrativos naturais  Fortalecimento da gestão de resíduos sólidos
  • 66.  Programa especiais: Apoio a adm publica:  Planejamento,gestão e finanças  Desenvolvimento e capacitação do servidor  Remuneração de pessoal ativo e encargos sociais: