SlideShare uma empresa Scribd logo
UFCD: Deontologia e princípios éticos
Turma: EFA 2




                                 Elementos do grupo:

                                                            Assunção – nº 02

                                                           Rosa – nº 19

                                                           Quirino – nº 18

                                                            Funchal, 09/12/2009




   Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos   1
UFCD: Deontologia e princípios éticos
Turma: EFA 2




                                         Formadora: Paula Esteves
                                          Funchal, 09/12/2009




   Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos   2
Índice




Capa – apresentação do objectivo e elementos do grupo……….……...….......1

Contra – capa……………………………...………………….….…….………...….2

Índice ……………………………………………..……………………………..……3

introdução……………………………………………………………………….....…4

Códigos Deontológicos e sua análise ( Conduta do Professor)…………….….5

Códigos Deontológicos e sua análise (Conduta dos Engenheiros)………...….6

Normas profissionais que regem a actividades (apresentação) …………...…..7

Normas profissionais (Assunção Freitas)...........................................................8

Normas profissionais (Rosa Azevedo) ………………....………...……….......… 9

Normas profissionais (Quirino Vieira)……………………………………………..10

Importância da deontologia e das normas profissionais……………….….……11

Código deontológico de um curso EFA ……….………………………….....….. 12

Código deontológico de um curso EFA (continuação) ….……………….……..13

Conclusão e bibliografia…………………………………………………………....14




         Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos                      3
Introdução



Este trabalho de grupo foi-nos proposto pela Formadora Paula Esteves na UFCD:
Deontologia e princípios éticos. Descrevemos abaixo como se desenvolveu este nosso
processo:

Questão-1

Optamos, após pesquisa, por condutas: Pedagogia do professor e motivação dos
alunos e a Ordem dos Engenheiros civis.

Questão-2

Trabalho individual: Cada elemento do grupo desenvolveu a questão conforme as
regras que orientam as suas próprias actividades profissionais.

Questão-3

Raciocínio em grupo sobre a importância da deontologia e das normas profissionais.

Questão-4

Elaboração de código deontológico de um curso EFA. Perspectiva elaborada: visão do
lado do formando.



Neste processo abordamos o tema respeitando as questões que nos foram propostas,
pela Formadora, relativas às regras deontológicas e normas profissionais. Optamos,
mais uma vez, por organizar o trabalho cooperando em grupo e recorrendo à fonte de
pesquisa virtual, google.




       Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos   4
1) Códigos deontológicos profissionais e análise dos pontos mais importantes.




1- Conduta pedagógica do professor e motivação dos alunos:

A dedicação do aluno exerce influência sobre a conduta do Professor




A conduta do professor exerce influência directa sobre os alunos e suas motivações,
podemos exemplificar que quando um aluno se sente menos empenhado na sua
aprendizagem a sua participação nas aulas é inferior, daí, recebe comentários do seu
professor que o desanima ainda mais. No mesmo contexto, um aluno que está com
boas notas recebe elogios e reforços. Estamos perante um ponto negativo de um
educando: dedicar toda a sua atenção aos que já estão suficientemente motivados e
ignorar os que mais necessitam de sua atenção. A dedicação do aluno influi muito
sobre a conduta do educador, uma prova disso é que o professor tende a responder
mais a alunos que demonstrem maior interesse pela aula, que perguntam mais e se
tornam activos. Ao contrário, subentende-se do aluno passivo, àquele que acha o
professor incapacitado ou que este não seja de seu agrado, e alguns ainda são os que
mais incomodam em sala de aula. A motivação dos alunos é responsável pela boa
conduta dos professores. A flexibilidade destes em gerir ambas situações, o seu
resultado, espelha a boa conduta de um tutor de aprendizagem.




       Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos   5
2) Códigos deontológicos profissionais e análise dos pontos mais importantes.



Uma vez que a nossa primeira escolha recaiu sobre a conduta dos professores,
optamos, numa segunda escolha, pesquisar normas, referentes à conduta dos
Engenheiros civis.



A Construção Civil é um assunto muito abrangente. O engenheiro civil pode actuar
praticamente em todas as fases de uma obra, a depender da área em que deseje ser
especialista. Os cálculos fazem parte da vida de um engenheiro praticamente a todo
tempo.
Por exemplo, um engenheiro que se propõe a executar e/ou coordenar obras, além de
ter outras tantas qualidades, tem que ser um grande administrador, um excelente
gestor, afinal ele terá que ter vasta noção de todos os projectos necessários numa
obra. Ele é o profissional que fará a compatibilização de todos os projectos do
empreendimento... Arquitectura, Estrutura, Instalações (todas), Paisagismo, etc. etc.
Isto engloba excelente capacidade de se relacionamento com todos os profissionais
envolvidos na elaboração de todos os projectos...



Ordem dos Engenheiros:


A importância das Ordens que regem determinadas profissões, as quais passíveis de
responsabilidades elevadas, relatam o rigor imposto por essas normas que
determinam o estatuto elevado que possuem os seus associados. Sendo assim, neste
caso em particular, os deveres dos membros da Ordem dos engenheiros, emitem o
rigor que deriva da importância da actividade que exercem.

A organização interna rigorosa dos seus colaboradores espelha a absoluta dedicação
em benefício dos seus consumidores/clientes.

No caso de violação das regras impostas e redigidas nos códigos, os seus membros
terão, sem dúvida, consequências que podem originar até a sua própria expulsão da
respectiva organização a que pertencem. Daí o significado especial das instituições
que organizam profissões de elevado estatuto.




       Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos   6
Normas profissionais



Normas profissionais que regem a actividade profissional.



“A finalidade das Normas Profissionais é assegurar a boa qualidade da
prestação profissional levando em conta os constrangimentos físicos e
psíquicos inerentes ao exercício da profissão.”




A resposta a esta questão divide-se em três partes e foram elaboradas
individualmente por cada elemento do grupo tendo em conta as suas próprias
profissões:




      Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos   7
- Assunção Freitas nº 02



Funcionária pública. Trabalho na casa pintor Danilo Gouveia.

É um espaço que está reservado aos alunos da Universidade para exporem os
trabalhos.

Trabalho sozinha.

Atendimento ao público:

 1º: Tenho de desempenhar, a tempo, as atribuições a meu cargo, função ou emprego
público de que seja titular;

    2º: Exercer as minhas atribuições com rapidez, perfeição e rendimento, pondo fim
ou procurando prioritariamente resolver situações dentro da minha área de serviço.

   3º: Ser honesta, repta, leal e justa, demonstrando toda a integridade do meu
carácter, escolhendo sempre, quando estiver diante de duas opções, a melhor e a
mais vantajosa para o bem comum;

4º: Jamais retardar qualquer prestação de contas, condição essencial da gestão dos
bens, direitos e serviços da colectividade a meu cargo;

5º: Tratar cuidadosamente os usuários dos serviços aperfeiçoando o processo de
comunicação e contacto com o público;

6º: Ter consciência de que o meu trabalho é regido por princípios éticos que se
materializam na adequada prestação dos serviços públicos;

     7º: Tenho de ser cortês, ter urbanidade, disponibilidade e atenção, respeitando a
capacidade e as limitações individuais de todos os usuários do serviço público, sem
qualquer espécie de preconceito ou distinção de raça, sexo, nacionalidade, cor, idade,
religião, cunho político e posição social, abstendo-se, dessa forma, de causar-lhes
dano moral;

8º: Sei que tenho de respeitar a hierarquia, porém sem nenhum temor de representar
contra qualquer comprometimento indevido da estrutura em que se funda o Poder
Estatal;

9º: Ser assíduo e Pontual ao serviço, na certeza de que a minha ausência provoca
danos ao trabalho ordenado, reflectindo negativamente em todo o sistema;

   10º: Manter limpo e em perfeita ordem o meu local de trabalho, seguindo os
métodos mais adequados à sua organização e distribuição;

    11º: Participar dos movimentos e estudos que se relacionem com a melhoria do
exercício das minhas funções, tendo por propósito a realização do bem comum.



       Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos   8
- Rosa Azevedo nº 19



Funcionária publica. Trabalho para o programa MADEIRA MED

É um programa desenvolvido para proteger a fruta, o melhor (combate contra a mosca
da fruta).

Somos uma equipa dividida por varias secções com um só objectivo eliminar a mosca
da fruta.

 1º: Ser assíduo e Pontual ao serviço, na certeza de que a minha ausência provoca
danos ao trabalho ordenado, reflectindo negativamente em todo o sistema;

  2º: Participar dos movimentos e estudos que se relacionem com a melhoria do
exercício das minhas funções, tendo por propósito a realização do bem comum;

 3º: Ser honesta, repta, leal e justa, demonstrando toda a integridade do meu
carácter, escolhendo sempre, quando estiver diante de duas opções, a melhor e a
mais vantajosa para o bem comum;

 4º: Manter limpo e em perfeita ordem o meu local de trabalho, seguindo os métodos
mais adequados à sua organização e distribuição;

 5º: Tenho de ser cortês, ter urbanidade, disponibilidade e atenção, respeitando a
capacidade e as limitações individuais de todos os usuários do serviço público, sem
qualquer espécie de preconceito ou distinção de raça, sexo, nacionalidade, cor, idade,
religião, cunho político e posição social, abstendo-se, dessa forma, de causar-lhes
dano moral.




       Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos   9
- Quirino Vieira nº18



Uma vez que a minha actual situação profissional não está dependente de qualquer
regra deontológica (desempregado), optei, através do recurso à pesquisa, por acatar
alguns tópicos que acho importantes a seguir em todas as profissões:

Endereço Profissional:

Todo o profissional deve comunicar por escrito à entidade patronal qualquer mudança
de endereço ou domicílio

-Contrato de trabalho:

Tomada de conhecimento das várias questões relacionadas com contrato de trabalho,
desde formas de vínculo, tipos de contrato, suspensão e redução, mudança de local
de trabalho e alteração da categoria profissional.

-Remuneração:

O salário constitui um importante instrumento de devido ao seu papel sócio-económico
que a parcela cumpre, sob a óptica do trabalhador, pois atende a um universo de
necessidades pessoais e essenciais do indivíduo e do conjunto de sua família.

-Trabalho voluntário:

É o indivíduo que doa o seu trabalho, suas potencialidades e talentos em uma
função que o desafia e gratifica em prol de uma realização pessoal.

Ao analisarmos essa definição, encontraremos quatro elementos:

Qualificação: o conceito moderno de voluntariado está muito ligado à execução de
um trabalho qualificado, que leva em conta o talento e as habilidades de quem o
executa.

Satisfação: é um trabalho exercido com prazer, garra, que fascina e dá um
sentimento de plenitude para quem o executa.

Doação: a entrega de horas de sua vida em prol do próximo, da comunidade, é
resultado de um amor transbordante, que precisa se materializar por meio da acção.

Realização: é um trabalho que tem um compromisso com o êxito, com o sucesso,
que está determinado a cumprir com os objetivos propostos.

Em resumo, o trabalho voluntário é uma acção de qualidade, feito com prazer em
direcção a uma solução que não precisa ser necessariamente grande, mas precisa
ser eficiente.

É a soma desses éxitos que fará a diferença na nossa comunidade.




       Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos   10
Importância da deontologia e das normas profissionais



“Explique a importancia da deontologia e das normas profissionais para a
vantagem das normas laborais entre colegas de trabalho e da entidade
patronal, assim como para a salvaguarda dos consumidores, clientes, utentes,
etc.”




Uma vez que os códigos deontológicos regem a actividade profissional, o bom uso
dessas normas, as relações entre trabalhadores e entidades patronais,
consensualmente restituem uma , sem dúvida, mais valia em proveito próprio do
desenvolvimento, quer profissional, quer social.

Os códigos deontológicos visam ir mais além das diferentes leis sobre
responsabilidade profissional. Assim, essas normas, procuram também, enquanto
instrumentos da liberdade e responsabilidade assegurar a própria função social
através do relacionamento laboral entre colegas de trabalho, das suas especificas,
individuais, responsabilidades perante a entidade patronal e os seus consumidores, e
daí, também o particular interesse das empresas na questão deontológica: a própria
sobrevivência.




       Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos   11
Código deontológico de um curso EFA

Optamos por desenvolver apenas dois/três tópicos/artigos, para cada uma das partes,
que achamos mais importantes inerentes ao processo formativo EFA. A
responsabilidade na aplicação de regras a um determinado percurso leva a que, em
nossa opinião, a qualidade supera a quantidade do trabalho apresentado.




Normas específicas:

                                    Formando
                                          1º

Integridade: o Formando deve cultivar as suas capacidades e actualizar os seus
conhecimentos, a fim de que os seus trabalhos sejam feitos com o mais alto nível de
rendimento. Deve demonstrar esforço permanente de superação e de produtividade
tanto no plano pessoal como na sua contribuição para com colegas e formadores. Em
todas as circunstâncias deve o Formando ter comportamento adequado à dignidade
para com os que o rodeiam, quer sejam colegas, formadores e demais colaboradores
inseridos na instituição em causa.

                                          2º

Independência: o Formando deve possuir condições mínimas, quer a nível objectivo,
quer psicológico de modo não prejudicar os que consigo colaboram. Deve estar
sempre pronto a oferecer apoio e assistência aos colegas e formadores, deve
conhecer igualmente os objectivos e a política interna da instituição, de forma a ter
liberdade na tomada de decisões inerentes às suas funções.

                                          3º

Responsabilidade: o Formando, no exercício de funções para as quais esteja sujeito,
deve sempre assumir a responsabilidade de forma imediata e voluntária,
independentemente das consequências para o próprio, perante colegas, formadores e
a instituição.

       Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos   12
Formador
                                          1º

Integridade e política interna: o Formador deve liderar o grupo com quem trabalha
estando ciente dos diversos/diferentes propósitos que os seus formandos adoptaram,
como alvo, através do referido percurso formativo, ou seja: a imposição de regras sem
obter conhecimento prévio dos objectivos individuais de cada adulto. Nas suas
decisões deve agir sempre democraticamente, com vista a adaptabilidade das suas
teses pedagógicas à envolvente dos princípios individuais traçados pelos adultos
provenientes das suas vidas experientes. Os diferentes objectivos e investimentos na
causa, por parte dos formandos levam a que, por vezes, estando sujeitos a políticas
pedagógicas incoerentes resuma-se à anti-democracia. Nos EFA de dupla certificação
tudo deverá estar dependente dos princípios e metas objectivas, individuais, de cada
adulto. Deverá o Formador leccionar de forma exigente e rigorosa todos os princípios
estipulados e descritos no “Catálogo Nacional de Qualificações”.

                                          2º

Responsabilidade: o Formador, no exercício de funções para as quais esteja apto,
deve sempre assumir a responsabilidade de forma imediata e voluntária,
independentemente das consequências para o próprio, perante formandos e a
instituição.




       Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos   13
Conclusão
Finda mais esta etapa reflexiva, chegamos à conclusão que as normas profissionais
descritas nos respectivos códigos deontológicos regem e controlam em absoluto toda
a actividade laboral. Sem essas normas devidamente legisladas, o consenso, o
entendimento, o respeito mútuo e até o resultado produtivo de todas as organizações,
estaria àquem daquilo que todos nós desejaríamos.

Ao elaborarmos este trabalho em grupo, através de reflexão mútua e com
acompanhamento tecnológico, enriquecemos os nossos conhecimentos relativos a
esta matéria.




                                   Bibliografia
Todos os conteúdos postados no presente trabalho são da responsabilidade e foram
elaborados na sua totalidade pelos intervenientes do grupo. O recurso à Internet usou-
se apenas no sentido de orientação e aquisição de conhecimentos. As ilustrações
retiradas do vasto universo virtual, e presentes neste raciocínio colectivo, são de
autoria desconhecida.




                                                                  Funchal, 09/12/2009




       Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos   14

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Descodificação de CIDADANIA E PROFISSIONALIDADE.pdf
Descodificação de CIDADANIA E PROFISSIONALIDADE.pdfDescodificação de CIDADANIA E PROFISSIONALIDADE.pdf
Descodificação de CIDADANIA E PROFISSIONALIDADE.pdf
ElviraLopes3
 
Stc 6 reflexão_silvia_fernandes
Stc 6 reflexão_silvia_fernandesStc 6 reflexão_silvia_fernandes
Stc 6 reflexão_silvia_fernandes
SILVIA G. FERNANDES
 
Clc 6 culturas de urbanismo e mobilidad_eppt
Clc 6 culturas de urbanismo e mobilidad_epptClc 6 culturas de urbanismo e mobilidad_eppt
Clc 6 culturas de urbanismo e mobilidad_eppt
SILVIA G. FERNANDES
 
Cp4 Movimentos Migratórios
Cp4 Movimentos MigratóriosCp4 Movimentos Migratórios
Cp4 Movimentos Migratórios
joaquimsousaferreira
 
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
I.Braz Slideshares
 
Descodificacao - Cidadania & Profissionalidade
Descodificacao - Cidadania & ProfissionalidadeDescodificacao - Cidadania & Profissionalidade
Descodificacao - Cidadania & Profissionalidade
J P
 
Trabalho de etica e deontologia profissional
Trabalho de etica e deontologia profissionalTrabalho de etica e deontologia profissional
Trabalho de etica e deontologia profissional
Osvaldo Gimo
 
C.L.C. 6 Imigração em Portugal
C.L.C.  6   Imigração em PortugalC.L.C.  6   Imigração em Portugal
C.L.C. 6 Imigração em Portugal
I.Braz Slideshares
 
CP5
CP5CP5
Urbanismo E Mobilidade Dr1
Urbanismo E Mobilidade Dr1Urbanismo E Mobilidade Dr1
Urbanismo E Mobilidade Dr1
Manuel Campinho
 
Dr2 identidade e alteridade CP
Dr2 identidade e alteridade CPDr2 identidade e alteridade CP
Dr2 identidade e alteridade CP
mega
 
Fluxos Migratorios Clc 6
Fluxos Migratorios Clc 6Fluxos Migratorios Clc 6
Fluxos Migratorios Clc 6
joaquimsousaferreira
 
CLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 Migrações
CLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 MigraçõesCLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 Migrações
CLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 Migrações
Fernando de Sá
 
Reflexão - CP1
Reflexão - CP1Reflexão - CP1
Reflexão - CP1
Sizes & Patterns
 
Reflexao Dr3 CP Convicção e Firmeza Ética
Reflexao Dr3 CP Convicção e Firmeza ÉticaReflexao Dr3 CP Convicção e Firmeza Ética
Reflexao Dr3 CP Convicção e Firmeza Ética
mega
 
Clc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandes
Clc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandesClc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandes
Clc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandes
SILVIA G. FERNANDES
 
Códigos de ética e padrões deontológicos
Códigos de ética e padrões deontológicosCódigos de ética e padrões deontológicos
Códigos de ética e padrões deontológicos
Elda Moleiro
 
Multiculturalismo
MulticulturalismoMulticulturalismo
Multiculturalismo
Gito Sou
 
Moral ética deontologia
Moral ética deontologiaMoral ética deontologia
Moral ética deontologia
Genoveva de Sousa
 
Globalização cultural
Globalização culturalGlobalização cultural
Globalização cultural
Jessie1r98
 

Mais procurados (20)

Descodificação de CIDADANIA E PROFISSIONALIDADE.pdf
Descodificação de CIDADANIA E PROFISSIONALIDADE.pdfDescodificação de CIDADANIA E PROFISSIONALIDADE.pdf
Descodificação de CIDADANIA E PROFISSIONALIDADE.pdf
 
Stc 6 reflexão_silvia_fernandes
Stc 6 reflexão_silvia_fernandesStc 6 reflexão_silvia_fernandes
Stc 6 reflexão_silvia_fernandes
 
Clc 6 culturas de urbanismo e mobilidad_eppt
Clc 6 culturas de urbanismo e mobilidad_epptClc 6 culturas de urbanismo e mobilidad_eppt
Clc 6 culturas de urbanismo e mobilidad_eppt
 
Cp4 Movimentos Migratórios
Cp4 Movimentos MigratóriosCp4 Movimentos Migratórios
Cp4 Movimentos Migratórios
 
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
S.T.C. 7 - Processos e métodos científicos – doc. 2
 
Descodificacao - Cidadania & Profissionalidade
Descodificacao - Cidadania & ProfissionalidadeDescodificacao - Cidadania & Profissionalidade
Descodificacao - Cidadania & Profissionalidade
 
Trabalho de etica e deontologia profissional
Trabalho de etica e deontologia profissionalTrabalho de etica e deontologia profissional
Trabalho de etica e deontologia profissional
 
C.L.C. 6 Imigração em Portugal
C.L.C.  6   Imigração em PortugalC.L.C.  6   Imigração em Portugal
C.L.C. 6 Imigração em Portugal
 
CP5
CP5CP5
CP5
 
Urbanismo E Mobilidade Dr1
Urbanismo E Mobilidade Dr1Urbanismo E Mobilidade Dr1
Urbanismo E Mobilidade Dr1
 
Dr2 identidade e alteridade CP
Dr2 identidade e alteridade CPDr2 identidade e alteridade CP
Dr2 identidade e alteridade CP
 
Fluxos Migratorios Clc 6
Fluxos Migratorios Clc 6Fluxos Migratorios Clc 6
Fluxos Migratorios Clc 6
 
CLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 Migrações
CLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 MigraçõesCLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 Migrações
CLC Urbanismo e Mobilidade DR 4 Migrações
 
Reflexão - CP1
Reflexão - CP1Reflexão - CP1
Reflexão - CP1
 
Reflexao Dr3 CP Convicção e Firmeza Ética
Reflexao Dr3 CP Convicção e Firmeza ÉticaReflexao Dr3 CP Convicção e Firmeza Ética
Reflexao Dr3 CP Convicção e Firmeza Ética
 
Clc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandes
Clc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandesClc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandes
Clc 6 cultura_de_ urbanismo_e_mobilidade_reflexão_sílvia_fernandes
 
Códigos de ética e padrões deontológicos
Códigos de ética e padrões deontológicosCódigos de ética e padrões deontológicos
Códigos de ética e padrões deontológicos
 
Multiculturalismo
MulticulturalismoMulticulturalismo
Multiculturalismo
 
Moral ética deontologia
Moral ética deontologiaMoral ética deontologia
Moral ética deontologia
 
Globalização cultural
Globalização culturalGlobalização cultural
Globalização cultural
 

Semelhante a Trabalho Deontologia E Normas Profissionais

Edp contéudo programatico
Edp contéudo programaticoEdp contéudo programatico
Edp contéudo programatico
batumenga
 
Curso de Noções de Administração para Concurso IBGE
Curso de Noções de Administração para Concurso IBGE Curso de Noções de Administração para Concurso IBGE
Curso de Noções de Administração para Concurso IBGE
Estratégia Concursos
 
A psicologia rx
A psicologia rxA psicologia rx
A psicologia rx
Jessica Franciele
 
A psicologia rx
A psicologia rxA psicologia rx
A psicologia rx
Jessica Franciele
 
Curso de Ética no Serviço Público para Concurso PRF 2017
Curso de Ética no Serviço Público para Concurso PRF 2017Curso de Ética no Serviço Público para Concurso PRF 2017
Curso de Ética no Serviço Público para Concurso PRF 2017
Estratégia Concursos
 
Livro ética e cidadania
Livro ética e cidadaniaLivro ética e cidadania
Livro ética e cidadania
Daniel Itabaiana
 
Modulo 04
Modulo 04Modulo 04
Modulo 04
FormacaoBaiao
 
Atps direito empresarial_e_tributario
Atps  direito empresarial_e_tributarioAtps  direito empresarial_e_tributario
Atps direito empresarial_e_tributario
Caio Henrique
 
Pedagogia (modulo ii) Ética profissional docente e gestão de conflitos na sal...
Pedagogia (modulo ii) Ética profissional docente e gestão de conflitos na sal...Pedagogia (modulo ii) Ética profissional docente e gestão de conflitos na sal...
Pedagogia (modulo ii) Ética profissional docente e gestão de conflitos na sal...
WadanoHelerNatxariWa
 
Etica aula 00
Etica   aula 00Etica   aula 00
2013 2 direito_4_direito_civil_iii
2013 2 direito_4_direito_civil_iii2013 2 direito_4_direito_civil_iii
2013 2 direito_4_direito_civil_iii
Marcia Araujo
 
7º AULA_Relatório (Questões Norteadoras)-2.0.pptx
7º AULA_Relatório (Questões Norteadoras)-2.0.pptx7º AULA_Relatório (Questões Norteadoras)-2.0.pptx
7º AULA_Relatório (Questões Norteadoras)-2.0.pptx
DrikaSato
 
apostila de etica , postura e imagem profissiona
apostila de etica , postura e imagem profissiona apostila de etica , postura e imagem profissiona
apostila de etica , postura e imagem profissiona
rozilane
 
Aps frescar
Aps frescarAps frescar
Aps frescar
fabiograsser
 
1o
1o 1o
2013 1 administracao_1_comportamento organizacional
2013 1 administracao_1_comportamento organizacional2013 1 administracao_1_comportamento organizacional
2013 1 administracao_1_comportamento organizacional
Weslen Luen
 
Orientacao educacional
Orientacao educacionalOrientacao educacional
Orientacao educacional
Kualo Kala
 
Meic
MeicMeic
Meic
Alfeu Jr
 
Princípios para uma deontologia profissional
Princípios para uma deontologia profissionalPrincípios para uma deontologia profissional
Princípios para uma deontologia profissional
Paulo Rui
 
Cp 4 dr_2_funções dos códigos de conduta
Cp 4 dr_2_funções dos códigos de condutaCp 4 dr_2_funções dos códigos de conduta
Cp 4 dr_2_funções dos códigos de conduta
SILVIA G. FERNANDES
 

Semelhante a Trabalho Deontologia E Normas Profissionais (20)

Edp contéudo programatico
Edp contéudo programaticoEdp contéudo programatico
Edp contéudo programatico
 
Curso de Noções de Administração para Concurso IBGE
Curso de Noções de Administração para Concurso IBGE Curso de Noções de Administração para Concurso IBGE
Curso de Noções de Administração para Concurso IBGE
 
A psicologia rx
A psicologia rxA psicologia rx
A psicologia rx
 
A psicologia rx
A psicologia rxA psicologia rx
A psicologia rx
 
Curso de Ética no Serviço Público para Concurso PRF 2017
Curso de Ética no Serviço Público para Concurso PRF 2017Curso de Ética no Serviço Público para Concurso PRF 2017
Curso de Ética no Serviço Público para Concurso PRF 2017
 
Livro ética e cidadania
Livro ética e cidadaniaLivro ética e cidadania
Livro ética e cidadania
 
Modulo 04
Modulo 04Modulo 04
Modulo 04
 
Atps direito empresarial_e_tributario
Atps  direito empresarial_e_tributarioAtps  direito empresarial_e_tributario
Atps direito empresarial_e_tributario
 
Pedagogia (modulo ii) Ética profissional docente e gestão de conflitos na sal...
Pedagogia (modulo ii) Ética profissional docente e gestão de conflitos na sal...Pedagogia (modulo ii) Ética profissional docente e gestão de conflitos na sal...
Pedagogia (modulo ii) Ética profissional docente e gestão de conflitos na sal...
 
Etica aula 00
Etica   aula 00Etica   aula 00
Etica aula 00
 
2013 2 direito_4_direito_civil_iii
2013 2 direito_4_direito_civil_iii2013 2 direito_4_direito_civil_iii
2013 2 direito_4_direito_civil_iii
 
7º AULA_Relatório (Questões Norteadoras)-2.0.pptx
7º AULA_Relatório (Questões Norteadoras)-2.0.pptx7º AULA_Relatório (Questões Norteadoras)-2.0.pptx
7º AULA_Relatório (Questões Norteadoras)-2.0.pptx
 
apostila de etica , postura e imagem profissiona
apostila de etica , postura e imagem profissiona apostila de etica , postura e imagem profissiona
apostila de etica , postura e imagem profissiona
 
Aps frescar
Aps frescarAps frescar
Aps frescar
 
1o
1o 1o
1o
 
2013 1 administracao_1_comportamento organizacional
2013 1 administracao_1_comportamento organizacional2013 1 administracao_1_comportamento organizacional
2013 1 administracao_1_comportamento organizacional
 
Orientacao educacional
Orientacao educacionalOrientacao educacional
Orientacao educacional
 
Meic
MeicMeic
Meic
 
Princípios para uma deontologia profissional
Princípios para uma deontologia profissionalPrincípios para uma deontologia profissional
Princípios para uma deontologia profissional
 
Cp 4 dr_2_funções dos códigos de conduta
Cp 4 dr_2_funções dos códigos de condutaCp 4 dr_2_funções dos códigos de conduta
Cp 4 dr_2_funções dos códigos de conduta
 

Último

Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
IACEMCASA
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
FernandaOliveira758273
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Marília Pacheco
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 

Último (20)

Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 

Trabalho Deontologia E Normas Profissionais

  • 1. UFCD: Deontologia e princípios éticos Turma: EFA 2 Elementos do grupo: Assunção – nº 02 Rosa – nº 19 Quirino – nº 18 Funchal, 09/12/2009 Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos 1
  • 2. UFCD: Deontologia e princípios éticos Turma: EFA 2 Formadora: Paula Esteves Funchal, 09/12/2009 Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos 2
  • 3. Índice Capa – apresentação do objectivo e elementos do grupo……….……...….......1 Contra – capa……………………………...………………….….…….………...….2 Índice ……………………………………………..……………………………..……3 introdução……………………………………………………………………….....…4 Códigos Deontológicos e sua análise ( Conduta do Professor)…………….….5 Códigos Deontológicos e sua análise (Conduta dos Engenheiros)………...….6 Normas profissionais que regem a actividades (apresentação) …………...…..7 Normas profissionais (Assunção Freitas)...........................................................8 Normas profissionais (Rosa Azevedo) ………………....………...……….......… 9 Normas profissionais (Quirino Vieira)……………………………………………..10 Importância da deontologia e das normas profissionais……………….….……11 Código deontológico de um curso EFA ……….………………………….....….. 12 Código deontológico de um curso EFA (continuação) ….……………….……..13 Conclusão e bibliografia…………………………………………………………....14 Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos 3
  • 4. Introdução Este trabalho de grupo foi-nos proposto pela Formadora Paula Esteves na UFCD: Deontologia e princípios éticos. Descrevemos abaixo como se desenvolveu este nosso processo: Questão-1 Optamos, após pesquisa, por condutas: Pedagogia do professor e motivação dos alunos e a Ordem dos Engenheiros civis. Questão-2 Trabalho individual: Cada elemento do grupo desenvolveu a questão conforme as regras que orientam as suas próprias actividades profissionais. Questão-3 Raciocínio em grupo sobre a importância da deontologia e das normas profissionais. Questão-4 Elaboração de código deontológico de um curso EFA. Perspectiva elaborada: visão do lado do formando. Neste processo abordamos o tema respeitando as questões que nos foram propostas, pela Formadora, relativas às regras deontológicas e normas profissionais. Optamos, mais uma vez, por organizar o trabalho cooperando em grupo e recorrendo à fonte de pesquisa virtual, google. Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos 4
  • 5. 1) Códigos deontológicos profissionais e análise dos pontos mais importantes. 1- Conduta pedagógica do professor e motivação dos alunos: A dedicação do aluno exerce influência sobre a conduta do Professor A conduta do professor exerce influência directa sobre os alunos e suas motivações, podemos exemplificar que quando um aluno se sente menos empenhado na sua aprendizagem a sua participação nas aulas é inferior, daí, recebe comentários do seu professor que o desanima ainda mais. No mesmo contexto, um aluno que está com boas notas recebe elogios e reforços. Estamos perante um ponto negativo de um educando: dedicar toda a sua atenção aos que já estão suficientemente motivados e ignorar os que mais necessitam de sua atenção. A dedicação do aluno influi muito sobre a conduta do educador, uma prova disso é que o professor tende a responder mais a alunos que demonstrem maior interesse pela aula, que perguntam mais e se tornam activos. Ao contrário, subentende-se do aluno passivo, àquele que acha o professor incapacitado ou que este não seja de seu agrado, e alguns ainda são os que mais incomodam em sala de aula. A motivação dos alunos é responsável pela boa conduta dos professores. A flexibilidade destes em gerir ambas situações, o seu resultado, espelha a boa conduta de um tutor de aprendizagem. Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos 5
  • 6. 2) Códigos deontológicos profissionais e análise dos pontos mais importantes. Uma vez que a nossa primeira escolha recaiu sobre a conduta dos professores, optamos, numa segunda escolha, pesquisar normas, referentes à conduta dos Engenheiros civis. A Construção Civil é um assunto muito abrangente. O engenheiro civil pode actuar praticamente em todas as fases de uma obra, a depender da área em que deseje ser especialista. Os cálculos fazem parte da vida de um engenheiro praticamente a todo tempo. Por exemplo, um engenheiro que se propõe a executar e/ou coordenar obras, além de ter outras tantas qualidades, tem que ser um grande administrador, um excelente gestor, afinal ele terá que ter vasta noção de todos os projectos necessários numa obra. Ele é o profissional que fará a compatibilização de todos os projectos do empreendimento... Arquitectura, Estrutura, Instalações (todas), Paisagismo, etc. etc. Isto engloba excelente capacidade de se relacionamento com todos os profissionais envolvidos na elaboração de todos os projectos... Ordem dos Engenheiros: A importância das Ordens que regem determinadas profissões, as quais passíveis de responsabilidades elevadas, relatam o rigor imposto por essas normas que determinam o estatuto elevado que possuem os seus associados. Sendo assim, neste caso em particular, os deveres dos membros da Ordem dos engenheiros, emitem o rigor que deriva da importância da actividade que exercem. A organização interna rigorosa dos seus colaboradores espelha a absoluta dedicação em benefício dos seus consumidores/clientes. No caso de violação das regras impostas e redigidas nos códigos, os seus membros terão, sem dúvida, consequências que podem originar até a sua própria expulsão da respectiva organização a que pertencem. Daí o significado especial das instituições que organizam profissões de elevado estatuto. Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos 6
  • 7. Normas profissionais Normas profissionais que regem a actividade profissional. “A finalidade das Normas Profissionais é assegurar a boa qualidade da prestação profissional levando em conta os constrangimentos físicos e psíquicos inerentes ao exercício da profissão.” A resposta a esta questão divide-se em três partes e foram elaboradas individualmente por cada elemento do grupo tendo em conta as suas próprias profissões: Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos 7
  • 8. - Assunção Freitas nº 02 Funcionária pública. Trabalho na casa pintor Danilo Gouveia. É um espaço que está reservado aos alunos da Universidade para exporem os trabalhos. Trabalho sozinha. Atendimento ao público: 1º: Tenho de desempenhar, a tempo, as atribuições a meu cargo, função ou emprego público de que seja titular; 2º: Exercer as minhas atribuições com rapidez, perfeição e rendimento, pondo fim ou procurando prioritariamente resolver situações dentro da minha área de serviço. 3º: Ser honesta, repta, leal e justa, demonstrando toda a integridade do meu carácter, escolhendo sempre, quando estiver diante de duas opções, a melhor e a mais vantajosa para o bem comum; 4º: Jamais retardar qualquer prestação de contas, condição essencial da gestão dos bens, direitos e serviços da colectividade a meu cargo; 5º: Tratar cuidadosamente os usuários dos serviços aperfeiçoando o processo de comunicação e contacto com o público; 6º: Ter consciência de que o meu trabalho é regido por princípios éticos que se materializam na adequada prestação dos serviços públicos; 7º: Tenho de ser cortês, ter urbanidade, disponibilidade e atenção, respeitando a capacidade e as limitações individuais de todos os usuários do serviço público, sem qualquer espécie de preconceito ou distinção de raça, sexo, nacionalidade, cor, idade, religião, cunho político e posição social, abstendo-se, dessa forma, de causar-lhes dano moral; 8º: Sei que tenho de respeitar a hierarquia, porém sem nenhum temor de representar contra qualquer comprometimento indevido da estrutura em que se funda o Poder Estatal; 9º: Ser assíduo e Pontual ao serviço, na certeza de que a minha ausência provoca danos ao trabalho ordenado, reflectindo negativamente em todo o sistema; 10º: Manter limpo e em perfeita ordem o meu local de trabalho, seguindo os métodos mais adequados à sua organização e distribuição; 11º: Participar dos movimentos e estudos que se relacionem com a melhoria do exercício das minhas funções, tendo por propósito a realização do bem comum. Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos 8
  • 9. - Rosa Azevedo nº 19 Funcionária publica. Trabalho para o programa MADEIRA MED É um programa desenvolvido para proteger a fruta, o melhor (combate contra a mosca da fruta). Somos uma equipa dividida por varias secções com um só objectivo eliminar a mosca da fruta. 1º: Ser assíduo e Pontual ao serviço, na certeza de que a minha ausência provoca danos ao trabalho ordenado, reflectindo negativamente em todo o sistema; 2º: Participar dos movimentos e estudos que se relacionem com a melhoria do exercício das minhas funções, tendo por propósito a realização do bem comum; 3º: Ser honesta, repta, leal e justa, demonstrando toda a integridade do meu carácter, escolhendo sempre, quando estiver diante de duas opções, a melhor e a mais vantajosa para o bem comum; 4º: Manter limpo e em perfeita ordem o meu local de trabalho, seguindo os métodos mais adequados à sua organização e distribuição; 5º: Tenho de ser cortês, ter urbanidade, disponibilidade e atenção, respeitando a capacidade e as limitações individuais de todos os usuários do serviço público, sem qualquer espécie de preconceito ou distinção de raça, sexo, nacionalidade, cor, idade, religião, cunho político e posição social, abstendo-se, dessa forma, de causar-lhes dano moral. Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos 9
  • 10. - Quirino Vieira nº18 Uma vez que a minha actual situação profissional não está dependente de qualquer regra deontológica (desempregado), optei, através do recurso à pesquisa, por acatar alguns tópicos que acho importantes a seguir em todas as profissões: Endereço Profissional: Todo o profissional deve comunicar por escrito à entidade patronal qualquer mudança de endereço ou domicílio -Contrato de trabalho: Tomada de conhecimento das várias questões relacionadas com contrato de trabalho, desde formas de vínculo, tipos de contrato, suspensão e redução, mudança de local de trabalho e alteração da categoria profissional. -Remuneração: O salário constitui um importante instrumento de devido ao seu papel sócio-económico que a parcela cumpre, sob a óptica do trabalhador, pois atende a um universo de necessidades pessoais e essenciais do indivíduo e do conjunto de sua família. -Trabalho voluntário: É o indivíduo que doa o seu trabalho, suas potencialidades e talentos em uma função que o desafia e gratifica em prol de uma realização pessoal. Ao analisarmos essa definição, encontraremos quatro elementos: Qualificação: o conceito moderno de voluntariado está muito ligado à execução de um trabalho qualificado, que leva em conta o talento e as habilidades de quem o executa. Satisfação: é um trabalho exercido com prazer, garra, que fascina e dá um sentimento de plenitude para quem o executa. Doação: a entrega de horas de sua vida em prol do próximo, da comunidade, é resultado de um amor transbordante, que precisa se materializar por meio da acção. Realização: é um trabalho que tem um compromisso com o êxito, com o sucesso, que está determinado a cumprir com os objetivos propostos. Em resumo, o trabalho voluntário é uma acção de qualidade, feito com prazer em direcção a uma solução que não precisa ser necessariamente grande, mas precisa ser eficiente. É a soma desses éxitos que fará a diferença na nossa comunidade. Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos 10
  • 11. Importância da deontologia e das normas profissionais “Explique a importancia da deontologia e das normas profissionais para a vantagem das normas laborais entre colegas de trabalho e da entidade patronal, assim como para a salvaguarda dos consumidores, clientes, utentes, etc.” Uma vez que os códigos deontológicos regem a actividade profissional, o bom uso dessas normas, as relações entre trabalhadores e entidades patronais, consensualmente restituem uma , sem dúvida, mais valia em proveito próprio do desenvolvimento, quer profissional, quer social. Os códigos deontológicos visam ir mais além das diferentes leis sobre responsabilidade profissional. Assim, essas normas, procuram também, enquanto instrumentos da liberdade e responsabilidade assegurar a própria função social através do relacionamento laboral entre colegas de trabalho, das suas especificas, individuais, responsabilidades perante a entidade patronal e os seus consumidores, e daí, também o particular interesse das empresas na questão deontológica: a própria sobrevivência. Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos 11
  • 12. Código deontológico de um curso EFA Optamos por desenvolver apenas dois/três tópicos/artigos, para cada uma das partes, que achamos mais importantes inerentes ao processo formativo EFA. A responsabilidade na aplicação de regras a um determinado percurso leva a que, em nossa opinião, a qualidade supera a quantidade do trabalho apresentado. Normas específicas: Formando 1º Integridade: o Formando deve cultivar as suas capacidades e actualizar os seus conhecimentos, a fim de que os seus trabalhos sejam feitos com o mais alto nível de rendimento. Deve demonstrar esforço permanente de superação e de produtividade tanto no plano pessoal como na sua contribuição para com colegas e formadores. Em todas as circunstâncias deve o Formando ter comportamento adequado à dignidade para com os que o rodeiam, quer sejam colegas, formadores e demais colaboradores inseridos na instituição em causa. 2º Independência: o Formando deve possuir condições mínimas, quer a nível objectivo, quer psicológico de modo não prejudicar os que consigo colaboram. Deve estar sempre pronto a oferecer apoio e assistência aos colegas e formadores, deve conhecer igualmente os objectivos e a política interna da instituição, de forma a ter liberdade na tomada de decisões inerentes às suas funções. 3º Responsabilidade: o Formando, no exercício de funções para as quais esteja sujeito, deve sempre assumir a responsabilidade de forma imediata e voluntária, independentemente das consequências para o próprio, perante colegas, formadores e a instituição. Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos 12
  • 13. Formador 1º Integridade e política interna: o Formador deve liderar o grupo com quem trabalha estando ciente dos diversos/diferentes propósitos que os seus formandos adoptaram, como alvo, através do referido percurso formativo, ou seja: a imposição de regras sem obter conhecimento prévio dos objectivos individuais de cada adulto. Nas suas decisões deve agir sempre democraticamente, com vista a adaptabilidade das suas teses pedagógicas à envolvente dos princípios individuais traçados pelos adultos provenientes das suas vidas experientes. Os diferentes objectivos e investimentos na causa, por parte dos formandos levam a que, por vezes, estando sujeitos a políticas pedagógicas incoerentes resuma-se à anti-democracia. Nos EFA de dupla certificação tudo deverá estar dependente dos princípios e metas objectivas, individuais, de cada adulto. Deverá o Formador leccionar de forma exigente e rigorosa todos os princípios estipulados e descritos no “Catálogo Nacional de Qualificações”. 2º Responsabilidade: o Formador, no exercício de funções para as quais esteja apto, deve sempre assumir a responsabilidade de forma imediata e voluntária, independentemente das consequências para o próprio, perante formandos e a instituição. Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos 13
  • 14. Conclusão Finda mais esta etapa reflexiva, chegamos à conclusão que as normas profissionais descritas nos respectivos códigos deontológicos regem e controlam em absoluto toda a actividade laboral. Sem essas normas devidamente legisladas, o consenso, o entendimento, o respeito mútuo e até o resultado produtivo de todas as organizações, estaria àquem daquilo que todos nós desejaríamos. Ao elaborarmos este trabalho em grupo, através de reflexão mútua e com acompanhamento tecnológico, enriquecemos os nossos conhecimentos relativos a esta matéria. Bibliografia Todos os conteúdos postados no presente trabalho são da responsabilidade e foram elaborados na sua totalidade pelos intervenientes do grupo. O recurso à Internet usou- se apenas no sentido de orientação e aquisição de conhecimentos. As ilustrações retiradas do vasto universo virtual, e presentes neste raciocínio colectivo, são de autoria desconhecida. Funchal, 09/12/2009 Escola Profissional Cristóvão Colombo | Deontologia e princípios éticos 14