SlideShare uma empresa Scribd logo
SLIDE
1. ZONAS LUMINOSAS E ZONAS OPACAS Professor: Rosemildo Lima
  2. CARACTERÍSTICAS POLÍTICO-ECONÔMICAS DAS REGIÕES PERIFÉRICAS AMÉRICA-
LATINA
  3. DIVISÃO FÍSICA DA AMÉRICA Levando-se em consideração os aspectos físicos o continente
Americano pode ser dividido em: AMÉRICA DO NORTE AMÉRICA CENTRAL AMÉRICA DO SUL
  4. DIVISÃO HISTÓRICO-CULTURAL DA AMÉRICA O SENTIDO DA COLONIZAÇÃO DIVIDIU O
CONTINENTE AMERICA EM DUAS PORÇÕES DISTINTAS: América Anglo-Saxônica e América
Latina AMERICA ANGLO-SAXÔNICA COLÔNIA DE POVOAMENTO (INGLESES) ESTADOS
UNIDOS E CANADÁ PAÍSES DESENVOLVIDOS
  5. AMÉRICA LATINA TODOS OS PAÍSES ABAIXO DOS ESTADOS UNIDOS PAÍSES
SUBDESENVOLVIDOS AMÉRICA LATINA COLÔNIAS DE EXPLORAÇÃO (ESPANHÓIS E
PORTUGUESES)
  6. AMÉRICA LATINA AMERICA ANGLO-SAXÔNICA
  7.
  8.
  9.
  10.
  11.
  12.
  13. Podemos afirmar que a existência de uma “identidade” latino-americana pode ser atribuída mais às
experiências negativas vivenciadas pelas sociedades relacionadas à pobreza, à opressão, às ditaduras
militares, às desigualdades sociais, etc. Ou seja, se há uma “identidade” que aproxima as nações na América
Latina, esta é uma “identidade dos problemas” e das situações que têm enfrentado ao longo da história.
América Latina é a região geográfica marcada pela colonização de exploração colonial, apresentando um
papel periférico no capitalismo internacional e onde as disparidades sociais e econômicas são elevadas.
ASPECTOS GERAIS DA AMÉRICA LATINA
  14. O PAPEL DA AMÉRICA LATINA NO MUNDO O PERÍODO MERCANTIL: – imposição de valores
culturais, políticos, econômicos e de organização espacial pelas metrópoles ibéricas, desestruturando o
espaço pré-existente (ex: Maias, Astecas, Tupis, etc.); – implantação de um modelo de desenvolvimento
primário-exportador controlado a partir de cidades litorâneas ligadas diretamente às metrópoles
colonialistas; – organização do espaço rural baseado no binômio latifúndio (monocultura de exportação)
/minifúndio (produção complementar e subsistência). Essa estrutura agrária garantiu a posse da terra e
restringiu o seu acesso à população nativa.
  15. O PERÍODO INDUSTRIAL – processo de independência das colônias influenciado pelos ideais
iluministas; – transferência da esfera de influência ibérica para a esfera de influência da Inglaterra. –
mudanças nas relações de trabalho, com um estímulo maior ao trabalho livre (assalariado), importante para a
constituição de um mercado consumidor; – estímulo à imigração de mão-de-obra estrangeira por alguns
países, como ocorreu no Brasil em meados do século XIX (produção do café, ocupação territorial, “política
de embranquecimento”, etc.); – reforço do modelo agroexportador; – especialização espacial da produção; –
início do processo de industrialização de alguns países (final do séc. XIX) baseado na importação de bens de
capital (máquinas e equipamentos) e na produção de bens de consumo imediato (têxteis, alimentos, bebidas,
etc.).
  16.
  17. ECONOMIA MUNDIALIZADA a construção da hegemonia dos EUA sobre a América Latina. o
projeto geopolítico tem seu início em 1823 com a Doutrina Monroe; 1904 com a política do Big Stick (o
“direito” dos EUA de intervir em países da América Latina) e consolida-se com as intervenções diretas e
indiretas no contexto da Guerra Fria. Os EUA consideram a América Latina como uma extensão do seu
território e como um espaço estratégico para garantir a sua segurança interna. Durante as décadas de 1960 e
1970, os EUA procuraram conter os movimentos sociais e suas reivindicações disseminando a ideologia do
anticomunismo, com o total apoio dos governos ditatoriais instalados na região sob a proteção norte-
americana.
18. A expansão da economia dos EUA e o crescimento de sua influência na América Latina Implantação de
filiais de transnacionais organizadas sob a forma de grandes complexos comercial-industrial-financeiro,
aproveitando-se das vantagens locacionais oferecidas pelos Estados latino-americanos; Intensas pressões
para que os países da região realizassem uma maior abertura à entrada de capitais estrangeiros a partir da
década de 1950; Propagação da ideologia desenvolvimentista:
  19. A AMÉRICA LATINA E A GLOBALIZAÇÃO É importante destacar os seguintes aspectos dessa
inserção latino-americana na nova ordem mundial: – ao mesmo tempo em que os EUA pedem maior
liberdade comercial e é fechado o acordo do NAFTA, ressurge um movimento político social (nativista)
antiimperialismo no México em 1993: a guerrilha zapatista de Chiapas, resgatando as bandeiras de eqüidade
econômica, soberania política e justiça social da Revolução Mexicana do início do século XX. – a inserção
promovida pelo mercado provoca, dentre outras conseqüências, a dissolução do Estado providência. – a
mudança do papel do Estado através da aplicação das políticas neoliberais a partir dos anos 1980/90. o
discurso do “Estado mínimo” .
  20. A AMÉRICA LATINA E A GLOBALIZAÇÃO – o crescimento dos bolsões de pobreza e das “áreas
de exclusão”, parcelas do território onde o Estado não é mais capaz de controlar (ex: Cali, Medellín, favelas
do Rio de Janeiro, etc.). – ampliação da chamada “economia informal”. – A organização de blocos
econômicos regionais, como o Mercosul, é uma resposta a ampliação da competição da América Latina com
outras regiões e blocos de países. É importante destacar que a amplitude supranacional dos blocos
econômicos favorece as economias mais internacionalizadas, pois a orientação política está direcionada para
o mercado externo e não para o mercado interno de cada Estado-Nação.
  21. A QUESTÃO DO NARCOTRÁFICO Os países da América Andina, entre os quais, a Colômbia, Peru
e Bolívia, são mundialmente conhecidos pela intensa produção e tráfico de drogas, sobretudo a cocaína.
  22.
  23. “ A cocaína é a bomba atômica da América latina” Pode-se perceber que a questão do narcotráfico na
região está associada aos seguintes fatores: As condições de abandono dos pequenos produtores, reduzidos
às piores terras, nos altiplanos andinos e sem o apoio do Estado, são facilmente cooptados pelos
narcotraficantes para a produção de folha de coca (no Peru e Bolívia são 200 mil/ha plantados). A miséria
que assola às grandes cidades, principalmente na Colômbia, onde o narcotráfico criou verdadeiro Estado
paralelo, em cidades como Cali e Medelin, recrutando a população mais pobre para o tráfico de drogas e
para formas as milícias particulares dos cartéis. A corrupção, que foi bastante difundida, na época das
ditaduras militares, pois, sem a democracia, várias pessoas dos altos escalões do Estado se envolveram no
narcotráfico, principalmente na Colômbia, considerado o maior produtor de pasta de cocaína.
  24. A participação de movimentos guerrilheiros, que sem o apoio externo, com o esgotamento do bloco
socialista, se associaram aos narcotraficantes, a exemplo do grupo “Sendero luminoso”, no Peru. “O passar
do tempo trouxe uma reavaliação. A cocaína não é inofensiva e a América Latina começou a sofrer com
seus problemas de abuso das drogas em meados dos anos 80. Os países latinos descobriram que o tráfico de
cocaína poderia destruir de forma assustadora boa. A existência de “paraísos fiscais”, ou seja, países com
sistemas bancários abertos para onde flui grande parte dos narcodólares pertencentes aos grandes cartéis.
Esses países dificultam o combate ao crime organizado já que o patrimônio dos traficantes fica protegido das
autoridades. As condições naturais dos países que se sobressaem na produção de narcóticos. A Colômbia,
Peru e Bolívia têm grande parte de seus territórios dentro da chamada Pan-Amazônia, que devido a sua
grandiosidade e dificuldade de acesso, acabou se tornando um dos principais territórios dos traficantes.
  25. Conseqüências do narcotráfico : Aumento da instabilidade política devido ao enfraquecimento das
instituições pelo fortalecimento dos grupos narcotraficantes, como ocorreu na Colômbia durante a década de
80. O grande volume de capital que sai dos países sem um controle fiscal põe em xeque a soberania do
Estado na circulação de capitais. A degeneração social e o aumento das despesas do Estado na prevenção, no
combate e no tratamento dos usuários. A subordinação da sociedade aos circuitos ilegais, tanto pela coação
quanto pela “colaboração”.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

América Latina
América LatinaAmérica Latina
América Latina
Lidiane Leal Andriolla
 
América Latina - Contexto Atual
América Latina - Contexto AtualAmérica Latina - Contexto Atual
América Latina - Contexto Atual
Pâmela Quadros
 
America latina introdução
America latina introduçãoAmerica latina introdução
America latina introdução
edsonluz
 
América latina no século xx
América latina no século xxAmérica latina no século xx
América latina no século xx
harlissoncarvalho
 
América Latina
América LatinaAmérica Latina
América Latina
Ática Scipione
 
A América Latina nos séculos XX e XXI
A América Latina nos séculos XX e XXIA América Latina nos séculos XX e XXI
A América Latina nos séculos XX e XXI
Paulo Alexandre
 
Independência América Espanhola
Independência América EspanholaIndependência América Espanhola
Independência América Espanhola
dmflores21
 
População e economia da américa
População e economia da américaPopulação e economia da américa
População e economia da américa
Íris Ferreira
 
Cap. 14 - América latina
Cap. 14 - América latinaCap. 14 - América latina
Cap. 14 - América latina
Acácio Netto
 
Continente americano século xx
Continente americano século xxContinente americano século xx
Continente americano século xx
Dirair
 
Independencia America espanhola
Independencia America espanholaIndependencia America espanhola
Independencia America espanhola
Adriana Gomes Messias
 
Aspectos da América Latina: México
Aspectos da  América Latina: MéxicoAspectos da  América Latina: México
Aspectos da América Latina: México
carlosbidu
 
Independência das colônias espanholas
Independência das colônias espanholasIndependência das colônias espanholas
Independência das colônias espanholas
Fatima Freitas
 
América espanhola
América espanholaAmérica espanhola
América espanhola
Jorge Marcos Oliveira
 
Independência da América Espanhol
Independência da América EspanholIndependência da América Espanhol
Independência da América Espanhol
Murilo Benevides
 
Conflitos na américa latina
Conflitos na américa latinaConflitos na américa latina
Conflitos na américa latina
Portal do Vestibulando
 
Brasil e américa latina
Brasil e américa latinaBrasil e américa latina
Brasil e américa latina
karolpoa
 
Ind a espanhola_texto 9_2007
Ind a espanhola_texto 9_2007Ind a espanhola_texto 9_2007
Ind a espanhola_texto 9_2007
Jorge Marcos Oliveira
 
América latina humano e economico
América latina humano e economicoAmérica latina humano e economico
América latina humano e economico
Gleison Museologia
 
América Latina no século XIX
América Latina no século XIXAmérica Latina no século XIX
América Latina no século XIX
Edenilson Morais
 

Mais procurados (20)

América Latina
América LatinaAmérica Latina
América Latina
 
América Latina - Contexto Atual
América Latina - Contexto AtualAmérica Latina - Contexto Atual
América Latina - Contexto Atual
 
America latina introdução
America latina introduçãoAmerica latina introdução
America latina introdução
 
América latina no século xx
América latina no século xxAmérica latina no século xx
América latina no século xx
 
América Latina
América LatinaAmérica Latina
América Latina
 
A América Latina nos séculos XX e XXI
A América Latina nos séculos XX e XXIA América Latina nos séculos XX e XXI
A América Latina nos séculos XX e XXI
 
Independência América Espanhola
Independência América EspanholaIndependência América Espanhola
Independência América Espanhola
 
População e economia da américa
População e economia da américaPopulação e economia da américa
População e economia da américa
 
Cap. 14 - América latina
Cap. 14 - América latinaCap. 14 - América latina
Cap. 14 - América latina
 
Continente americano século xx
Continente americano século xxContinente americano século xx
Continente americano século xx
 
Independencia America espanhola
Independencia America espanholaIndependencia America espanhola
Independencia America espanhola
 
Aspectos da América Latina: México
Aspectos da  América Latina: MéxicoAspectos da  América Latina: México
Aspectos da América Latina: México
 
Independência das colônias espanholas
Independência das colônias espanholasIndependência das colônias espanholas
Independência das colônias espanholas
 
América espanhola
América espanholaAmérica espanhola
América espanhola
 
Independência da América Espanhol
Independência da América EspanholIndependência da América Espanhol
Independência da América Espanhol
 
Conflitos na américa latina
Conflitos na américa latinaConflitos na américa latina
Conflitos na américa latina
 
Brasil e américa latina
Brasil e américa latinaBrasil e américa latina
Brasil e américa latina
 
Ind a espanhola_texto 9_2007
Ind a espanhola_texto 9_2007Ind a espanhola_texto 9_2007
Ind a espanhola_texto 9_2007
 
América latina humano e economico
América latina humano e economicoAmérica latina humano e economico
América latina humano e economico
 
América Latina no século XIX
América Latina no século XIXAmérica Latina no século XIX
América Latina no século XIX
 

Semelhante a Slide america latina

Geo33
Geo33Geo33
Fernandes, florestan [artigo] padroes-de-dominacao-externa-na-america-latina
Fernandes, florestan   [artigo] padroes-de-dominacao-externa-na-america-latinaFernandes, florestan   [artigo] padroes-de-dominacao-externa-na-america-latina
Fernandes, florestan [artigo] padroes-de-dominacao-externa-na-america-latina
Daylson Lima
 
AMÉRICA.pdf
AMÉRICA.pdfAMÉRICA.pdf
AMÉRICA.pdf
Henrique Pontes
 
Geo35
Geo35Geo35
Aula américa latina_30-11-2012
Aula américa latina_30-11-2012Aula américa latina_30-11-2012
Aula américa latina_30-11-2012
Antonio Pessoa
 
AMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINAAMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINA
Conceição Fontolan
 
Resenha origens da independencia da américa espanhola-bethel
Resenha origens da independencia da américa espanhola-bethelResenha origens da independencia da américa espanhola-bethel
Resenha origens da independencia da américa espanhola-bethel
Sandra Kroetz
 
AMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINAAMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINA
Henrique Pontes
 
Continente américano e México
Continente américano e MéxicoContinente américano e México
Continente américano e México
williandadalto
 
Geo34
Geo34Geo34
Guia de estudos 8 ano
Guia de estudos 8 ano Guia de estudos 8 ano
Guia de estudos 8 ano
Camila Brito
 
Ind a espanhola_texto 9_2007
Ind a espanhola_texto 9_2007Ind a espanhola_texto 9_2007
Ind a espanhola_texto 9_2007
Jorge Marcos Oliveira
 
Continete americano
Continete americanoContinete americano
Continete americano
Ana Cristina Barboza
 
O mapa político mundial
O mapa político mundialO mapa político mundial
O mapa político mundial
Pedro Melo
 
O mapa político mundial
O mapa político mundialO mapa político mundial
O mapa político mundial
Pedro Melo
 
Aula
Aula Aula
Resenha origens da independencia da américa espanhola-bethel
Resenha origens da independencia da américa espanhola-bethelResenha origens da independencia da américa espanhola-bethel
Resenha origens da independencia da américa espanhola-bethel
Sandra Kroetz
 
México
MéxicoMéxico
México
edsonluz
 
Slide sobre alguns livros para a disciplina de Sociologia
Slide sobre alguns livros para a disciplina de SociologiaSlide sobre alguns livros para a disciplina de Sociologia
Slide sobre alguns livros para a disciplina de Sociologia
PMatheusCMascarenhas
 
Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)
Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)
Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)
eiprofessor
 

Semelhante a Slide america latina (20)

Geo33
Geo33Geo33
Geo33
 
Fernandes, florestan [artigo] padroes-de-dominacao-externa-na-america-latina
Fernandes, florestan   [artigo] padroes-de-dominacao-externa-na-america-latinaFernandes, florestan   [artigo] padroes-de-dominacao-externa-na-america-latina
Fernandes, florestan [artigo] padroes-de-dominacao-externa-na-america-latina
 
AMÉRICA.pdf
AMÉRICA.pdfAMÉRICA.pdf
AMÉRICA.pdf
 
Geo35
Geo35Geo35
Geo35
 
Aula américa latina_30-11-2012
Aula américa latina_30-11-2012Aula américa latina_30-11-2012
Aula américa latina_30-11-2012
 
AMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINAAMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINA
 
Resenha origens da independencia da américa espanhola-bethel
Resenha origens da independencia da américa espanhola-bethelResenha origens da independencia da américa espanhola-bethel
Resenha origens da independencia da américa espanhola-bethel
 
AMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINAAMÉRICA LATINA
AMÉRICA LATINA
 
Continente américano e México
Continente américano e MéxicoContinente américano e México
Continente américano e México
 
Geo34
Geo34Geo34
Geo34
 
Guia de estudos 8 ano
Guia de estudos 8 ano Guia de estudos 8 ano
Guia de estudos 8 ano
 
Ind a espanhola_texto 9_2007
Ind a espanhola_texto 9_2007Ind a espanhola_texto 9_2007
Ind a espanhola_texto 9_2007
 
Continete americano
Continete americanoContinete americano
Continete americano
 
O mapa político mundial
O mapa político mundialO mapa político mundial
O mapa político mundial
 
O mapa político mundial
O mapa político mundialO mapa político mundial
O mapa político mundial
 
Aula
Aula Aula
Aula
 
Resenha origens da independencia da américa espanhola-bethel
Resenha origens da independencia da américa espanhola-bethelResenha origens da independencia da américa espanhola-bethel
Resenha origens da independencia da américa espanhola-bethel
 
México
MéxicoMéxico
México
 
Slide sobre alguns livros para a disciplina de Sociologia
Slide sobre alguns livros para a disciplina de SociologiaSlide sobre alguns livros para a disciplina de Sociologia
Slide sobre alguns livros para a disciplina de Sociologia
 
Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)
Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)
Sistema Colonial Mercantilista (Exploração e Povoamento)
 

Slide america latina

  • 1. SLIDE 1. ZONAS LUMINOSAS E ZONAS OPACAS Professor: Rosemildo Lima 2. CARACTERÍSTICAS POLÍTICO-ECONÔMICAS DAS REGIÕES PERIFÉRICAS AMÉRICA- LATINA 3. DIVISÃO FÍSICA DA AMÉRICA Levando-se em consideração os aspectos físicos o continente Americano pode ser dividido em: AMÉRICA DO NORTE AMÉRICA CENTRAL AMÉRICA DO SUL 4. DIVISÃO HISTÓRICO-CULTURAL DA AMÉRICA O SENTIDO DA COLONIZAÇÃO DIVIDIU O CONTINENTE AMERICA EM DUAS PORÇÕES DISTINTAS: América Anglo-Saxônica e América Latina AMERICA ANGLO-SAXÔNICA COLÔNIA DE POVOAMENTO (INGLESES) ESTADOS UNIDOS E CANADÁ PAÍSES DESENVOLVIDOS 5. AMÉRICA LATINA TODOS OS PAÍSES ABAIXO DOS ESTADOS UNIDOS PAÍSES SUBDESENVOLVIDOS AMÉRICA LATINA COLÔNIAS DE EXPLORAÇÃO (ESPANHÓIS E PORTUGUESES) 6. AMÉRICA LATINA AMERICA ANGLO-SAXÔNICA 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. Podemos afirmar que a existência de uma “identidade” latino-americana pode ser atribuída mais às experiências negativas vivenciadas pelas sociedades relacionadas à pobreza, à opressão, às ditaduras militares, às desigualdades sociais, etc. Ou seja, se há uma “identidade” que aproxima as nações na América Latina, esta é uma “identidade dos problemas” e das situações que têm enfrentado ao longo da história. América Latina é a região geográfica marcada pela colonização de exploração colonial, apresentando um papel periférico no capitalismo internacional e onde as disparidades sociais e econômicas são elevadas. ASPECTOS GERAIS DA AMÉRICA LATINA 14. O PAPEL DA AMÉRICA LATINA NO MUNDO O PERÍODO MERCANTIL: – imposição de valores culturais, políticos, econômicos e de organização espacial pelas metrópoles ibéricas, desestruturando o espaço pré-existente (ex: Maias, Astecas, Tupis, etc.); – implantação de um modelo de desenvolvimento primário-exportador controlado a partir de cidades litorâneas ligadas diretamente às metrópoles colonialistas; – organização do espaço rural baseado no binômio latifúndio (monocultura de exportação) /minifúndio (produção complementar e subsistência). Essa estrutura agrária garantiu a posse da terra e restringiu o seu acesso à população nativa. 15. O PERÍODO INDUSTRIAL – processo de independência das colônias influenciado pelos ideais iluministas; – transferência da esfera de influência ibérica para a esfera de influência da Inglaterra. – mudanças nas relações de trabalho, com um estímulo maior ao trabalho livre (assalariado), importante para a constituição de um mercado consumidor; – estímulo à imigração de mão-de-obra estrangeira por alguns países, como ocorreu no Brasil em meados do século XIX (produção do café, ocupação territorial, “política de embranquecimento”, etc.); – reforço do modelo agroexportador; – especialização espacial da produção; – início do processo de industrialização de alguns países (final do séc. XIX) baseado na importação de bens de capital (máquinas e equipamentos) e na produção de bens de consumo imediato (têxteis, alimentos, bebidas, etc.). 16. 17. ECONOMIA MUNDIALIZADA a construção da hegemonia dos EUA sobre a América Latina. o projeto geopolítico tem seu início em 1823 com a Doutrina Monroe; 1904 com a política do Big Stick (o “direito” dos EUA de intervir em países da América Latina) e consolida-se com as intervenções diretas e indiretas no contexto da Guerra Fria. Os EUA consideram a América Latina como uma extensão do seu território e como um espaço estratégico para garantir a sua segurança interna. Durante as décadas de 1960 e 1970, os EUA procuraram conter os movimentos sociais e suas reivindicações disseminando a ideologia do anticomunismo, com o total apoio dos governos ditatoriais instalados na região sob a proteção norte- americana.
  • 2. 18. A expansão da economia dos EUA e o crescimento de sua influência na América Latina Implantação de filiais de transnacionais organizadas sob a forma de grandes complexos comercial-industrial-financeiro, aproveitando-se das vantagens locacionais oferecidas pelos Estados latino-americanos; Intensas pressões para que os países da região realizassem uma maior abertura à entrada de capitais estrangeiros a partir da década de 1950; Propagação da ideologia desenvolvimentista: 19. A AMÉRICA LATINA E A GLOBALIZAÇÃO É importante destacar os seguintes aspectos dessa inserção latino-americana na nova ordem mundial: – ao mesmo tempo em que os EUA pedem maior liberdade comercial e é fechado o acordo do NAFTA, ressurge um movimento político social (nativista) antiimperialismo no México em 1993: a guerrilha zapatista de Chiapas, resgatando as bandeiras de eqüidade econômica, soberania política e justiça social da Revolução Mexicana do início do século XX. – a inserção promovida pelo mercado provoca, dentre outras conseqüências, a dissolução do Estado providência. – a mudança do papel do Estado através da aplicação das políticas neoliberais a partir dos anos 1980/90. o discurso do “Estado mínimo” . 20. A AMÉRICA LATINA E A GLOBALIZAÇÃO – o crescimento dos bolsões de pobreza e das “áreas de exclusão”, parcelas do território onde o Estado não é mais capaz de controlar (ex: Cali, Medellín, favelas do Rio de Janeiro, etc.). – ampliação da chamada “economia informal”. – A organização de blocos econômicos regionais, como o Mercosul, é uma resposta a ampliação da competição da América Latina com outras regiões e blocos de países. É importante destacar que a amplitude supranacional dos blocos econômicos favorece as economias mais internacionalizadas, pois a orientação política está direcionada para o mercado externo e não para o mercado interno de cada Estado-Nação. 21. A QUESTÃO DO NARCOTRÁFICO Os países da América Andina, entre os quais, a Colômbia, Peru e Bolívia, são mundialmente conhecidos pela intensa produção e tráfico de drogas, sobretudo a cocaína. 22. 23. “ A cocaína é a bomba atômica da América latina” Pode-se perceber que a questão do narcotráfico na região está associada aos seguintes fatores: As condições de abandono dos pequenos produtores, reduzidos às piores terras, nos altiplanos andinos e sem o apoio do Estado, são facilmente cooptados pelos narcotraficantes para a produção de folha de coca (no Peru e Bolívia são 200 mil/ha plantados). A miséria que assola às grandes cidades, principalmente na Colômbia, onde o narcotráfico criou verdadeiro Estado paralelo, em cidades como Cali e Medelin, recrutando a população mais pobre para o tráfico de drogas e para formas as milícias particulares dos cartéis. A corrupção, que foi bastante difundida, na época das ditaduras militares, pois, sem a democracia, várias pessoas dos altos escalões do Estado se envolveram no narcotráfico, principalmente na Colômbia, considerado o maior produtor de pasta de cocaína. 24. A participação de movimentos guerrilheiros, que sem o apoio externo, com o esgotamento do bloco socialista, se associaram aos narcotraficantes, a exemplo do grupo “Sendero luminoso”, no Peru. “O passar do tempo trouxe uma reavaliação. A cocaína não é inofensiva e a América Latina começou a sofrer com seus problemas de abuso das drogas em meados dos anos 80. Os países latinos descobriram que o tráfico de cocaína poderia destruir de forma assustadora boa. A existência de “paraísos fiscais”, ou seja, países com sistemas bancários abertos para onde flui grande parte dos narcodólares pertencentes aos grandes cartéis. Esses países dificultam o combate ao crime organizado já que o patrimônio dos traficantes fica protegido das autoridades. As condições naturais dos países que se sobressaem na produção de narcóticos. A Colômbia, Peru e Bolívia têm grande parte de seus territórios dentro da chamada Pan-Amazônia, que devido a sua grandiosidade e dificuldade de acesso, acabou se tornando um dos principais territórios dos traficantes. 25. Conseqüências do narcotráfico : Aumento da instabilidade política devido ao enfraquecimento das instituições pelo fortalecimento dos grupos narcotraficantes, como ocorreu na Colômbia durante a década de 80. O grande volume de capital que sai dos países sem um controle fiscal põe em xeque a soberania do Estado na circulação de capitais. A degeneração social e o aumento das despesas do Estado na prevenção, no combate e no tratamento dos usuários. A subordinação da sociedade aos circuitos ilegais, tanto pela coação quanto pela “colaboração”.