SlideShare uma empresa Scribd logo
Universidade Licungo
Departamento de Ciências e Tecnologia
Curso de Licenciatura em Ensino de Física
4ºGrupo
Gordinho Eusébio Jaime
Iris Paulo Massango
Mário Rondinho Supião
Sindique Alige Borge docente
Timoteo Fonseca Rassul Eng. Horacio da Cruz
Ciclo de vida de Um Projecto
Partes interessadas no projecto
Influencias Organizacionais
Fase de Elaboração de Projecto
Quelimane
2024
1.Introdução
O ciclo de vida de um projecto é a divisão da gestão do projecto em fases pelas quais
ele deve passar do início ao término. A cada período que corresponda a uma fase, o
projecto pode sofrer incrementos e alterações significativas que ditarão o ritmo das
atividades que devem ser desenvolvidas.
Os projectos podem ser divididos em várias etapas, cuja sequência é chamada de ciclo
de vida do projecto, que é única para unidades específicas de cada projeto,
caracterizada pela
obtenção de resultados mensuráveis e verificáveis (PMI, 2017).
É necessário entender as fases de um projecto de uma perspectiva recursiva, pois cada
projecto
cobre um ciclo de vida geral; parece ser interessante focar em uma das etapas do ciclo
de vida
e considerá-la como um projecto novo e independente, levando a uma definição
de projeto em que cada etapa é um projeto em si.
Os sistemas organizacionais são definidos como a forma que a organização está
hierarquizada e distribuída, com o objectivo de organizar e padronizar a execução das
tarefas, ou seja, determinar o poder, influência, interesses, competências e capacidades
políticas das pessoas capazes de agir no sistema
2. Objectivos
2.1 Objectivo Geral
 Conhecer o Ciclo de Vida de Um Projecto
2.2 Objectivos Específicos
 Caracterizar o ciclo de vida e as fases de um projecto;
 Indetificar partes interessada de um projecto;
 Mencionar as influências Organizacionais de um projecto;
 Indicar as Fases de elaboração de projectos.
3 Metodologia
Segundo Bruyne (1991), a metodologia é a lógica dos procedimentos científicos em sua gênese
e em seu desenvolvimento, não se reduz, portanto, a uma tecnologia da medida dos factos
científicos. Para que seja considerado conhecimento científico, é necessária a identificação dos
passos para a sua verificação, ou seja, determinar o método que possibilitou chegar ao
conhecimento.
Para a elaboração deste trabalho recorreu-se a:
 Pesquisas bibliográficas na internet em endereços confiáveis e em manuais electronicos
Ciclo de vida de um projeto
Portanto, ciclo de vida de um projecto é a divisão da gestão do projecto em fases pelas
quais ele deve passar do início ao término. A cada período que corresponda a uma fase, o
projecto pode sofrer incrementos e alterações significativas que ditarão o ritmo das
atividades que devem ser desenvolvidas (MARTINS, 1994).
Características do ciclo de vida do projecto
O ciclo de vida da gestão de projectos normalmente é dividido em quatro fases: iniciação,
planejamento, execução e encerramento. Essas fases compõem o caminho que leva o
projecto do início ao fim (PMI, 2008).
Fases do ciclo de vida em projetos
Um projecto padrão tipicamente tem as seguintes quatro fases principais (cada uma
com sua própria agenda de tarefas e problemas): iniciação, planejamento,
implementação e encerramento.
Diferença do ciclo de vida de um projeto e de um produto
Muitos gestores, em diferentes ramos de negócios, têm dificuldades para distinguir o
ciclo de vida de um projeto do ciclo de vida de um produto. Isso decorre de um
problema relacionado à visualização da duração de cada ciclo (PMI, 2008).
O ciclo de vida de um produto não tem fim, ao passo que o ciclo de um projeto tem
prazo determinado para ser concluído. Além disso, é importante entender que o ciclo
do projeto está referenciado em uma etapa específica de uma cadeia produtiva.
Vejamos um exemplo relacionado à produção de um determinado produto — como
uma nova marca de shampoo. Uma empresa que produza e comercialize esse produto
precisa dominar e dedicar-se a uma série de operações.
ciclo de vida do produto diz respeito a todas as etapas descritas.
O ciclo do projecto, por sua vez, está relacionado a apenas uma dessas etapas.
Imagine, por exemplo, um projeto voltado a reestruturar o setor de marketing dessa
empresa
Actividades desenvolvidas de acordo com ciclo de vida de um projecto
Definir Atividades é o procedimento para documentar e identificar ações específicas a serem executadas
para produzir as entregas do projeto.
Nas actividades definidas, cada pacote de trabalho é dividido em actividades individuais do cronograma
de trabalho. As entradas das atividades de definição incluem:
 Plano de gerenciamento de cronograma ;
 Linha de base do escopo ;
 Factores ambientais da empresa ;
 Ativos de processos organizacionais .
Embora os resultados destas atividades sejam :
 Lista de atividades ;
 Lista de marcos .
Actividades de sequência
Sequenciar atividades nada mais é do que organizar logicamente a saída de “atividades definidas”. Ele
determina a ordem em que as atividades precisam ser executadas.
A principal saída do processo de atividade sequencial é o “Diagrama de Rede”.
Diagrama de rede nada mais é do que postar a tarefa em um quadro em uma ordem lógica
Partes Interessada de um Projecto
Segundo Montes & Patz (2017), as partes interessadas (também conhecidas pelo
termo inglês, stakeholders) são os indivíduos e as organizações envolvidos no projeto,
ou seja, quem têm algum tipo de interesse por ele.
Podem ser positivamente ou negativamente afetados com a sua execução e podem
influenciar o projeto e/ou seu resultado. O projeto irá atender necessidades das partes
interessadas e elas, por sua vez, são responsáveis por desempenhar o papel acordado
para atender o objectivo do projecto.
De forma geral, as partes interessadas mais importantes do projecto são:
Clientes do projecto , Patrocinador Gerente de projeto , Equipe do Projeto ,
Dedicação total, nucleo permanente.
Processos de gerenciamento das partes interessadas
Influências Organizacionais
A cultura, estilo e estrutura da organização influenciam a maneira como os projetos são
executados.
O nível de maturidade em gerenciamento de projetos de uma organização e seus sistemas de
gerenciamento também podem influenciar o projeto.
Sistemas Organizacionais
Os sistemas organizacionais são definidos como a forma que a organização está hierarquizada e
distribuída, com o objectivo de organizar e padronizar a execução das tarefas, ou seja, determinar
o poder, influência, interesses, competências e capacidades políticas das pessoas capazes de agir
no sistema (GUIA PMBOK SEXTA EDIÇÃO 2017).
Culturas e Estilos Organizacionais
A cultura e os estilos organizacionais, ou normas culturais, como o próprio nome sugere, é a
cultura; as crenças que uma determinada empresa carrega, são os estilos de gestão adotados por
uma determinada empresa (KERLINGER, 1980)
Estrutura Organizacional
A estrutura de cada projecto é determinada pela autoridade, funções e responsabilidades
dos membros da equipe dentro da estrutura organizacional existente .
Tipos de estruturas organizacionais de projecto
Existem três tipos de estruturas organizacionais no gerenciamento de projetos:
funcional, matriz e projetizada.
Funcional- Uma estrutura organizacional de projeto funcional organiza sua hierarquia
em relação aos departamentos que funcionam tradicionalmente. Um gerente funcional
dirige cada departamento e se reporta a um executivo.
Matriz - Uma estrutura organizacional em matriz é configurada em uma grade para
demonstrar os padrões de relatório da equipe a mais de uma autoridade.
Projetizada- Uma estrutura organizacional projetizada ou baseada em projeto cria uma
divisão de projeto dedicada dentro de uma organização.
Fases de Elaboração de Projectos
Delimitação do Tema
definição do termo “tema”. Essa palavra é de origem latina (thema), e possui uma série de
atribuições semânticas, de usos e significações. Desta forma, o que o estudante deve ter em
mente, é que a delimitação do tema está relacionada à escolha feita pelo acadêmico de
determinado assunto dentro da sua área de formação (BARROS & LEHFELD, 1999).
A Delimitação de Tema é quando o pesquisador “escolhe um aspecto específico de um
assunto amplo para estudar”, tornando sua pesquisa mais focada e gerenciável.
Por exemplo, em vez de estudar “alimentação saudável”, que é um tema muito amplo, um
pesquisador pode delimitar seu tema para “impacto do consumo de frutas na saúde
cardiovascular de adultos”. Assim, a delimitação ajuda a definir claramente o que será (e o
que não será) abordado no estudo (BARROS & LEHFELD, 1999).
Como Fazer a Delimitação do Tema
É necessário que o estudante realize um mapeamento (pesquisa), que possibilite o
conhecimento ou reconhecimento de estudos que estão sendo, ou já foram realizados com
temáticas, ou linhas de pesquisa
Problema de Pesquisa
Problema, para Kerlinger (1980, p.35), “é uma questão que mostra uma situação necessitada de
discussão, investigação, decisão ou solução”.
Simplificando, problema é uma questão que a pesquisa pretende responder. Todo o processo de
pesquisa irá girar em torno de sua solução.
A formulação de um problema tem relação com as indagações:
 Como são as coisas?
 Quais as suas causas?; e
 Quais as suas conseqüências?
A Escolha do Problema de Pesquisa
Muitos fatores determinam a escolha de um problema de pesquisa. Para Rudio (2000), o
pesquisador, neste momento, deve fazer as seguintes perguntas:
O problema é original? O problema é relevante? Ainda que seja “interessante”, é adequado para
mim? Tenho possibilidades reais para executar tal pesquisa? Existem recursos financeiros que
viabilizarão a execução do projeto? Terei tempo suficiente para investigar tal questão?
Hipóteses
Hipóteses são suposições colocadas como respostas plausíveis e provisórias para o problema de
pesquisa. As hipóteses são provisórias porque poderão ser confirmadas ou refutadas com o
desenvolvimento da pesquisa. Um mesmo problema pode ter muitas hipóteses, que são soluções
possíveis para a sua resolução. A(s) hipótese(s) irá(ão) orientar o planejamento dos procedimentos
metodológicos necessários à execução da sua pesquisa. (GIL, 1991).
5.4.1 Características das Hipóteses
Muitos autores já determinaram as características ou critérios necessários para a validade das hipóteses.
Lakatos e Marconi (1991) listamos algumas características já indicadas na literatura. São elas:
Consistência lógica; Verificabilidade; Simplicidade ; Relevância ; Profundidade, fertilidade e
originalidade.
Classificação das Hipóteses
O problema, sendo uma dificuldade sentida, compreendida e definida, necessita de uma resposta
“provável, suposta e provisória”, que é a hipótese. Para Lakatos e Marconi (1991, p.104) a principal
resposta é denominada de hipótese básica e esta pode ser complementada por outras denominadas de
hipóteses secundárias:
Hipótese Básica -É a afirmação escolhida por você como a principal resposta ao problema proposto.
Hipóteses Secundárias - São afirmações complementares e significam outras possibilidades de resposta
para o problema.
Justificativa De Um Projecto De Pesquisa
Em linhas gerais, a justificativa de um projeto é a explicação das motivações para fazer
aquela pesquisa científica.
Como o próprio nome sugere, é o elemento do trabalho que justifica o próprio projeto de
pesquisa.
Veja bem. Você pode pensar a justificativa como a maneira pela qual você vai explicar para
alguém sobre a importância do seu projeto. Ou então, como a forma que você vai
convencer alguém a ler a sua pesquisa. Nessa perspectiva, toda pesquisa já se justificaria.
Estrutura técnica da justificativa
A pergunta central da justificativa do projeto deve ser: por que fazer essa pesquisa?
Para responder a essa pergunta, algumas outras questões podem te ajudar. Esse não é um
roteiro rígido para escrever a justificativa. É apenas uma estrutura para despertar outras
ideias.
Por que você escolheu esse tema? Qual é a razão para que, dentre tantos outros temas, você
tenha escolhido ele?
A sua pesquisa pretende resolver alguma questão mal resolvida dentro do tema?
Quais são os benefícios que sua pesquisa traz ao assunto?
Quais são as razões de ordem teórica que explicam a relevância do tema? E de ordem
prática?
Além disso, a justificativa do projeto deve conter argumentos sólidos que se embasam em
conhecimentos técnicos.
Conclusão
A cada período que corresponda a uma fase, o projecto pode sofrer incrementos e alterações
significativas que ditarão o ritmo das atividades que devem ser desenvolvidas.
A partir da matriz e da lista de stakeholders, você pode começar a elaborar as ações ideais para
cada um deles.
O ideal é fazer o planejamento antecipadamente, para conseguir lidar com ele da melhor forma
possível.
O foco, como mencionamos acima, é uma comunicação eficiente e personalizada, a melhor forma
de conseguir que a sua influência seja positiva e muito mais
Estimar a duração da atividade é o processo de estimar o número de períodos de trabalho
(semanas/meses) necessários para concluir a tarefa individual com recursos estimados.
Esta etapa define quanto tempo uma tarefa individual levará para ser concluída.
Portanto, Problema, para Kerlinger (1980, p.35), “é uma questão que mostra uma situação
necessitada de discussão, investigação, decisão ou solução”.
Sem contar que, assim como o tema, o problema e os objetivos, a justificativa também faz
parte da estruturação do planejamento geral da pesquisa.
Justamente por esse motivo, deve-se elaborá-la nos primeiros momentos do planejamento
da pesquisa e inclui-la no projeto de pesquisa.
Muito
Obrigado
Pela Atenção Dispensada

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Projecto de elaboração de Física 2.pptx

Elaboração de projeto
Elaboração de projetoElaboração de projeto
Gerenciamento de projetos
Gerenciamento de projetos Gerenciamento de projetos
Gerenciamento de projetos
Benedito Leão
 
Planear a gestão da integração do projecto
Planear a gestão da integração do projectoPlanear a gestão da integração do projecto
Planear a gestão da integração do projecto
Universidade Pedagogica
 
Elaboração de projeto 2013 2
Elaboração de projeto 2013 2Elaboração de projeto 2013 2
AULA SOBRE ELABORACAO_DE_PROJECTOS, .pdf
AULA SOBRE ELABORACAO_DE_PROJECTOS, .pdfAULA SOBRE ELABORACAO_DE_PROJECTOS, .pdf
AULA SOBRE ELABORACAO_DE_PROJECTOS, .pdf
LuisCSIssufo
 
Elaboração de projetos
Elaboração de projetosElaboração de projetos
Elaboração de projetos
albelio
 
GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM AGÊNCIAS WEB BASEADO NO PMI E METODOLOGIAS ÁGEIS
GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM AGÊNCIAS WEB BASEADO NO PMI E METODOLOGIAS ÁGEISGERENCIAMENTO DE PROJETOS EM AGÊNCIAS WEB BASEADO NO PMI E METODOLOGIAS ÁGEIS
GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM AGÊNCIAS WEB BASEADO NO PMI E METODOLOGIAS ÁGEIS
Peter Rizzon
 
Aula03-12
Aula03-12Aula03-12
Aula03-12
3XtremeHelpDesk
 
Elaboração de projeto - interdisciplina para pesquisa
Elaboração de projeto - interdisciplina para pesquisaElaboração de projeto - interdisciplina para pesquisa
Elaboração de projeto - interdisciplina para pesquisa
alexpercon007
 
Como gerenciar o planejamento de projetos utilizando a abordagem apresentada ...
Como gerenciar o planejamento de projetos utilizando a abordagem apresentada ...Como gerenciar o planejamento de projetos utilizando a abordagem apresentada ...
Como gerenciar o planejamento de projetos utilizando a abordagem apresentada ...
José Vieira
 
Aula 7 - Módulo III
Aula 7 - Módulo IIIAula 7 - Módulo III
Aula 7 - Módulo III
CETUR
 
SO Parte V A Mudança Organizacional
SO Parte V A Mudança OrganizacionalSO Parte V A Mudança Organizacional
SO Parte V A Mudança Organizacional
Ana Maria Santos
 
Gerenciamento de processos
Gerenciamento de processosGerenciamento de processos
Gerenciamento de processos
Claudia Costa
 
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 02
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 02Gestão de Projetos e Programas - Aula # 02
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 02
Ethel Capuano
 
Texto ead modulo 2
Texto ead   modulo 2Texto ead   modulo 2
Texto ead modulo 2
Karlla Costa
 
Introducao+a+projetos
Introducao+a+projetosIntroducao+a+projetos
Introducao+a+projetos
Cecília Tura
 
Ciclo de vida de um projeto
Ciclo de vida de um projetoCiclo de vida de um projeto
Ciclo de vida de um projeto
Wellington Oliveira
 
Projetos - Cronograma
Projetos - CronogramaProjetos - Cronograma
Projetos - Cronograma
Freelancer - Projetos
 
Gerencia deprojeos modulo_1_final_
Gerencia deprojeos modulo_1_final_Gerencia deprojeos modulo_1_final_
Gerencia deprojeos modulo_1_final_
Marcelo Aires
 
Aula_03_Frameworks_de_Gestao_de_Projetos.pptx
Aula_03_Frameworks_de_Gestao_de_Projetos.pptxAula_03_Frameworks_de_Gestao_de_Projetos.pptx
Aula_03_Frameworks_de_Gestao_de_Projetos.pptx
GeorgeoNocera2
 

Semelhante a Projecto de elaboração de Física 2.pptx (20)

Elaboração de projeto
Elaboração de projetoElaboração de projeto
Elaboração de projeto
 
Gerenciamento de projetos
Gerenciamento de projetos Gerenciamento de projetos
Gerenciamento de projetos
 
Planear a gestão da integração do projecto
Planear a gestão da integração do projectoPlanear a gestão da integração do projecto
Planear a gestão da integração do projecto
 
Elaboração de projeto 2013 2
Elaboração de projeto 2013 2Elaboração de projeto 2013 2
Elaboração de projeto 2013 2
 
AULA SOBRE ELABORACAO_DE_PROJECTOS, .pdf
AULA SOBRE ELABORACAO_DE_PROJECTOS, .pdfAULA SOBRE ELABORACAO_DE_PROJECTOS, .pdf
AULA SOBRE ELABORACAO_DE_PROJECTOS, .pdf
 
Elaboração de projetos
Elaboração de projetosElaboração de projetos
Elaboração de projetos
 
GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM AGÊNCIAS WEB BASEADO NO PMI E METODOLOGIAS ÁGEIS
GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM AGÊNCIAS WEB BASEADO NO PMI E METODOLOGIAS ÁGEISGERENCIAMENTO DE PROJETOS EM AGÊNCIAS WEB BASEADO NO PMI E METODOLOGIAS ÁGEIS
GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM AGÊNCIAS WEB BASEADO NO PMI E METODOLOGIAS ÁGEIS
 
Aula03-12
Aula03-12Aula03-12
Aula03-12
 
Elaboração de projeto - interdisciplina para pesquisa
Elaboração de projeto - interdisciplina para pesquisaElaboração de projeto - interdisciplina para pesquisa
Elaboração de projeto - interdisciplina para pesquisa
 
Como gerenciar o planejamento de projetos utilizando a abordagem apresentada ...
Como gerenciar o planejamento de projetos utilizando a abordagem apresentada ...Como gerenciar o planejamento de projetos utilizando a abordagem apresentada ...
Como gerenciar o planejamento de projetos utilizando a abordagem apresentada ...
 
Aula 7 - Módulo III
Aula 7 - Módulo IIIAula 7 - Módulo III
Aula 7 - Módulo III
 
SO Parte V A Mudança Organizacional
SO Parte V A Mudança OrganizacionalSO Parte V A Mudança Organizacional
SO Parte V A Mudança Organizacional
 
Gerenciamento de processos
Gerenciamento de processosGerenciamento de processos
Gerenciamento de processos
 
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 02
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 02Gestão de Projetos e Programas - Aula # 02
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 02
 
Texto ead modulo 2
Texto ead   modulo 2Texto ead   modulo 2
Texto ead modulo 2
 
Introducao+a+projetos
Introducao+a+projetosIntroducao+a+projetos
Introducao+a+projetos
 
Ciclo de vida de um projeto
Ciclo de vida de um projetoCiclo de vida de um projeto
Ciclo de vida de um projeto
 
Projetos - Cronograma
Projetos - CronogramaProjetos - Cronograma
Projetos - Cronograma
 
Gerencia deprojeos modulo_1_final_
Gerencia deprojeos modulo_1_final_Gerencia deprojeos modulo_1_final_
Gerencia deprojeos modulo_1_final_
 
Aula_03_Frameworks_de_Gestao_de_Projetos.pptx
Aula_03_Frameworks_de_Gestao_de_Projetos.pptxAula_03_Frameworks_de_Gestao_de_Projetos.pptx
Aula_03_Frameworks_de_Gestao_de_Projetos.pptx
 

Mais de MrioRondinho

Mário Rondinho Supião plano de aula sobre
Mário Rondinho Supião plano de aula sobreMário Rondinho Supião plano de aula sobre
Mário Rondinho Supião plano de aula sobre
MrioRondinho
 
Aula de cadeiras de semicondutores de fisica
Aula de cadeiras de semicondutores de fisicaAula de cadeiras de semicondutores de fisica
Aula de cadeiras de semicondutores de fisica
MrioRondinho
 
Mário estágio 6 quantidade de movimento.docx
Mário estágio 6 quantidade de movimento.docxMário estágio 6 quantidade de movimento.docx
Mário estágio 6 quantidade de movimento.docx
MrioRondinho
 
Aula de física dos semicondutores no per
Aula de física dos semicondutores no perAula de física dos semicondutores no per
Aula de física dos semicondutores no per
MrioRondinho
 
Projecto de elaboração de projetos de energia renováveis
Projecto de elaboração de projetos de energia renováveisProjecto de elaboração de projetos de energia renováveis
Projecto de elaboração de projetos de energia renováveis
MrioRondinho
 
Trabalho de investigação de Física com título de turbina hidráulica
Trabalho de investigação de Física com título de turbina hidráulicaTrabalho de investigação de Física com título de turbina hidráulica
Trabalho de investigação de Física com título de turbina hidráulica
MrioRondinho
 
Mário Prensa 20230907_143017.pptx
Mário Prensa 20230907_143017.pptxMário Prensa 20230907_143017.pptx
Mário Prensa 20230907_143017.pptx
MrioRondinho
 

Mais de MrioRondinho (7)

Mário Rondinho Supião plano de aula sobre
Mário Rondinho Supião plano de aula sobreMário Rondinho Supião plano de aula sobre
Mário Rondinho Supião plano de aula sobre
 
Aula de cadeiras de semicondutores de fisica
Aula de cadeiras de semicondutores de fisicaAula de cadeiras de semicondutores de fisica
Aula de cadeiras de semicondutores de fisica
 
Mário estágio 6 quantidade de movimento.docx
Mário estágio 6 quantidade de movimento.docxMário estágio 6 quantidade de movimento.docx
Mário estágio 6 quantidade de movimento.docx
 
Aula de física dos semicondutores no per
Aula de física dos semicondutores no perAula de física dos semicondutores no per
Aula de física dos semicondutores no per
 
Projecto de elaboração de projetos de energia renováveis
Projecto de elaboração de projetos de energia renováveisProjecto de elaboração de projetos de energia renováveis
Projecto de elaboração de projetos de energia renováveis
 
Trabalho de investigação de Física com título de turbina hidráulica
Trabalho de investigação de Física com título de turbina hidráulicaTrabalho de investigação de Física com título de turbina hidráulica
Trabalho de investigação de Física com título de turbina hidráulica
 
Mário Prensa 20230907_143017.pptx
Mário Prensa 20230907_143017.pptxMário Prensa 20230907_143017.pptx
Mário Prensa 20230907_143017.pptx
 

Último

GENÉTICA PRIMEIRA LEI DE MENDEL E SEGUNDA LEI DE MENDEL
GENÉTICA PRIMEIRA LEI DE MENDEL E SEGUNDA LEI DE MENDELGENÉTICA PRIMEIRA LEI DE MENDEL E SEGUNDA LEI DE MENDEL
GENÉTICA PRIMEIRA LEI DE MENDEL E SEGUNDA LEI DE MENDEL
danielecarvalho75
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
danielecarvalho75
 
6-Ano-Vida-e-Evolução-Sistema Locomotor e interação com sistema nervso.pptx
6-Ano-Vida-e-Evolução-Sistema Locomotor e interação com sistema nervso.pptx6-Ano-Vida-e-Evolução-Sistema Locomotor e interação com sistema nervso.pptx
6-Ano-Vida-e-Evolução-Sistema Locomotor e interação com sistema nervso.pptx
GilneyCdeOliveira
 
Aula sobre As camadas internas da Terra.pdf
Aula sobre  As camadas internas da Terra.pdfAula sobre  As camadas internas da Terra.pdf
Aula sobre As camadas internas da Terra.pdf
Marcos634937
 
Divulgação científica: o jornalista, o cientista e a mídia
Divulgação científica: o jornalista, o cientista e a mídiaDivulgação científica: o jornalista, o cientista e a mídia
Divulgação científica: o jornalista, o cientista e a mídia
N G
 
Divulgação científica: o cientista e a mídia
Divulgação científica: o cientista e a mídiaDivulgação científica: o cientista e a mídia
Divulgação científica: o cientista e a mídia
N G
 
LILACS/OFICINA, CONHECENDO E EXPLORANDO.
LILACS/OFICINA, CONHECENDO E EXPLORANDO.LILACS/OFICINA, CONHECENDO E EXPLORANDO.
LILACS/OFICINA, CONHECENDO E EXPLORANDO.
MateusAdriel1
 

Último (7)

GENÉTICA PRIMEIRA LEI DE MENDEL E SEGUNDA LEI DE MENDEL
GENÉTICA PRIMEIRA LEI DE MENDEL E SEGUNDA LEI DE MENDELGENÉTICA PRIMEIRA LEI DE MENDEL E SEGUNDA LEI DE MENDEL
GENÉTICA PRIMEIRA LEI DE MENDEL E SEGUNDA LEI DE MENDEL
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
 
6-Ano-Vida-e-Evolução-Sistema Locomotor e interação com sistema nervso.pptx
6-Ano-Vida-e-Evolução-Sistema Locomotor e interação com sistema nervso.pptx6-Ano-Vida-e-Evolução-Sistema Locomotor e interação com sistema nervso.pptx
6-Ano-Vida-e-Evolução-Sistema Locomotor e interação com sistema nervso.pptx
 
Aula sobre As camadas internas da Terra.pdf
Aula sobre  As camadas internas da Terra.pdfAula sobre  As camadas internas da Terra.pdf
Aula sobre As camadas internas da Terra.pdf
 
Divulgação científica: o jornalista, o cientista e a mídia
Divulgação científica: o jornalista, o cientista e a mídiaDivulgação científica: o jornalista, o cientista e a mídia
Divulgação científica: o jornalista, o cientista e a mídia
 
Divulgação científica: o cientista e a mídia
Divulgação científica: o cientista e a mídiaDivulgação científica: o cientista e a mídia
Divulgação científica: o cientista e a mídia
 
LILACS/OFICINA, CONHECENDO E EXPLORANDO.
LILACS/OFICINA, CONHECENDO E EXPLORANDO.LILACS/OFICINA, CONHECENDO E EXPLORANDO.
LILACS/OFICINA, CONHECENDO E EXPLORANDO.
 

Projecto de elaboração de Física 2.pptx

  • 1. Universidade Licungo Departamento de Ciências e Tecnologia Curso de Licenciatura em Ensino de Física 4ºGrupo Gordinho Eusébio Jaime Iris Paulo Massango Mário Rondinho Supião Sindique Alige Borge docente Timoteo Fonseca Rassul Eng. Horacio da Cruz Ciclo de vida de Um Projecto Partes interessadas no projecto Influencias Organizacionais Fase de Elaboração de Projecto Quelimane 2024
  • 2. 1.Introdução O ciclo de vida de um projecto é a divisão da gestão do projecto em fases pelas quais ele deve passar do início ao término. A cada período que corresponda a uma fase, o projecto pode sofrer incrementos e alterações significativas que ditarão o ritmo das atividades que devem ser desenvolvidas. Os projectos podem ser divididos em várias etapas, cuja sequência é chamada de ciclo de vida do projecto, que é única para unidades específicas de cada projeto, caracterizada pela obtenção de resultados mensuráveis e verificáveis (PMI, 2017). É necessário entender as fases de um projecto de uma perspectiva recursiva, pois cada projecto cobre um ciclo de vida geral; parece ser interessante focar em uma das etapas do ciclo de vida e considerá-la como um projecto novo e independente, levando a uma definição de projeto em que cada etapa é um projeto em si. Os sistemas organizacionais são definidos como a forma que a organização está hierarquizada e distribuída, com o objectivo de organizar e padronizar a execução das tarefas, ou seja, determinar o poder, influência, interesses, competências e capacidades políticas das pessoas capazes de agir no sistema
  • 3. 2. Objectivos 2.1 Objectivo Geral  Conhecer o Ciclo de Vida de Um Projecto 2.2 Objectivos Específicos  Caracterizar o ciclo de vida e as fases de um projecto;  Indetificar partes interessada de um projecto;  Mencionar as influências Organizacionais de um projecto;  Indicar as Fases de elaboração de projectos.
  • 4. 3 Metodologia Segundo Bruyne (1991), a metodologia é a lógica dos procedimentos científicos em sua gênese e em seu desenvolvimento, não se reduz, portanto, a uma tecnologia da medida dos factos científicos. Para que seja considerado conhecimento científico, é necessária a identificação dos passos para a sua verificação, ou seja, determinar o método que possibilitou chegar ao conhecimento. Para a elaboração deste trabalho recorreu-se a:  Pesquisas bibliográficas na internet em endereços confiáveis e em manuais electronicos
  • 5. Ciclo de vida de um projeto Portanto, ciclo de vida de um projecto é a divisão da gestão do projecto em fases pelas quais ele deve passar do início ao término. A cada período que corresponda a uma fase, o projecto pode sofrer incrementos e alterações significativas que ditarão o ritmo das atividades que devem ser desenvolvidas (MARTINS, 1994). Características do ciclo de vida do projecto O ciclo de vida da gestão de projectos normalmente é dividido em quatro fases: iniciação, planejamento, execução e encerramento. Essas fases compõem o caminho que leva o projecto do início ao fim (PMI, 2008). Fases do ciclo de vida em projetos Um projecto padrão tipicamente tem as seguintes quatro fases principais (cada uma com sua própria agenda de tarefas e problemas): iniciação, planejamento, implementação e encerramento.
  • 6. Diferença do ciclo de vida de um projeto e de um produto Muitos gestores, em diferentes ramos de negócios, têm dificuldades para distinguir o ciclo de vida de um projeto do ciclo de vida de um produto. Isso decorre de um problema relacionado à visualização da duração de cada ciclo (PMI, 2008). O ciclo de vida de um produto não tem fim, ao passo que o ciclo de um projeto tem prazo determinado para ser concluído. Além disso, é importante entender que o ciclo do projeto está referenciado em uma etapa específica de uma cadeia produtiva. Vejamos um exemplo relacionado à produção de um determinado produto — como uma nova marca de shampoo. Uma empresa que produza e comercialize esse produto precisa dominar e dedicar-se a uma série de operações. ciclo de vida do produto diz respeito a todas as etapas descritas. O ciclo do projecto, por sua vez, está relacionado a apenas uma dessas etapas. Imagine, por exemplo, um projeto voltado a reestruturar o setor de marketing dessa empresa
  • 7. Actividades desenvolvidas de acordo com ciclo de vida de um projecto Definir Atividades é o procedimento para documentar e identificar ações específicas a serem executadas para produzir as entregas do projeto. Nas actividades definidas, cada pacote de trabalho é dividido em actividades individuais do cronograma de trabalho. As entradas das atividades de definição incluem:  Plano de gerenciamento de cronograma ;  Linha de base do escopo ;  Factores ambientais da empresa ;  Ativos de processos organizacionais . Embora os resultados destas atividades sejam :  Lista de atividades ;  Lista de marcos . Actividades de sequência Sequenciar atividades nada mais é do que organizar logicamente a saída de “atividades definidas”. Ele determina a ordem em que as atividades precisam ser executadas. A principal saída do processo de atividade sequencial é o “Diagrama de Rede”. Diagrama de rede nada mais é do que postar a tarefa em um quadro em uma ordem lógica
  • 8. Partes Interessada de um Projecto Segundo Montes & Patz (2017), as partes interessadas (também conhecidas pelo termo inglês, stakeholders) são os indivíduos e as organizações envolvidos no projeto, ou seja, quem têm algum tipo de interesse por ele. Podem ser positivamente ou negativamente afetados com a sua execução e podem influenciar o projeto e/ou seu resultado. O projeto irá atender necessidades das partes interessadas e elas, por sua vez, são responsáveis por desempenhar o papel acordado para atender o objectivo do projecto. De forma geral, as partes interessadas mais importantes do projecto são: Clientes do projecto , Patrocinador Gerente de projeto , Equipe do Projeto , Dedicação total, nucleo permanente.
  • 9. Processos de gerenciamento das partes interessadas
  • 10. Influências Organizacionais A cultura, estilo e estrutura da organização influenciam a maneira como os projetos são executados. O nível de maturidade em gerenciamento de projetos de uma organização e seus sistemas de gerenciamento também podem influenciar o projeto. Sistemas Organizacionais Os sistemas organizacionais são definidos como a forma que a organização está hierarquizada e distribuída, com o objectivo de organizar e padronizar a execução das tarefas, ou seja, determinar o poder, influência, interesses, competências e capacidades políticas das pessoas capazes de agir no sistema (GUIA PMBOK SEXTA EDIÇÃO 2017). Culturas e Estilos Organizacionais A cultura e os estilos organizacionais, ou normas culturais, como o próprio nome sugere, é a cultura; as crenças que uma determinada empresa carrega, são os estilos de gestão adotados por uma determinada empresa (KERLINGER, 1980)
  • 11. Estrutura Organizacional A estrutura de cada projecto é determinada pela autoridade, funções e responsabilidades dos membros da equipe dentro da estrutura organizacional existente . Tipos de estruturas organizacionais de projecto Existem três tipos de estruturas organizacionais no gerenciamento de projetos: funcional, matriz e projetizada. Funcional- Uma estrutura organizacional de projeto funcional organiza sua hierarquia em relação aos departamentos que funcionam tradicionalmente. Um gerente funcional dirige cada departamento e se reporta a um executivo. Matriz - Uma estrutura organizacional em matriz é configurada em uma grade para demonstrar os padrões de relatório da equipe a mais de uma autoridade. Projetizada- Uma estrutura organizacional projetizada ou baseada em projeto cria uma divisão de projeto dedicada dentro de uma organização.
  • 12. Fases de Elaboração de Projectos Delimitação do Tema definição do termo “tema”. Essa palavra é de origem latina (thema), e possui uma série de atribuições semânticas, de usos e significações. Desta forma, o que o estudante deve ter em mente, é que a delimitação do tema está relacionada à escolha feita pelo acadêmico de determinado assunto dentro da sua área de formação (BARROS & LEHFELD, 1999). A Delimitação de Tema é quando o pesquisador “escolhe um aspecto específico de um assunto amplo para estudar”, tornando sua pesquisa mais focada e gerenciável. Por exemplo, em vez de estudar “alimentação saudável”, que é um tema muito amplo, um pesquisador pode delimitar seu tema para “impacto do consumo de frutas na saúde cardiovascular de adultos”. Assim, a delimitação ajuda a definir claramente o que será (e o que não será) abordado no estudo (BARROS & LEHFELD, 1999). Como Fazer a Delimitação do Tema É necessário que o estudante realize um mapeamento (pesquisa), que possibilite o conhecimento ou reconhecimento de estudos que estão sendo, ou já foram realizados com temáticas, ou linhas de pesquisa
  • 13. Problema de Pesquisa Problema, para Kerlinger (1980, p.35), “é uma questão que mostra uma situação necessitada de discussão, investigação, decisão ou solução”. Simplificando, problema é uma questão que a pesquisa pretende responder. Todo o processo de pesquisa irá girar em torno de sua solução. A formulação de um problema tem relação com as indagações:  Como são as coisas?  Quais as suas causas?; e  Quais as suas conseqüências? A Escolha do Problema de Pesquisa Muitos fatores determinam a escolha de um problema de pesquisa. Para Rudio (2000), o pesquisador, neste momento, deve fazer as seguintes perguntas: O problema é original? O problema é relevante? Ainda que seja “interessante”, é adequado para mim? Tenho possibilidades reais para executar tal pesquisa? Existem recursos financeiros que viabilizarão a execução do projeto? Terei tempo suficiente para investigar tal questão?
  • 14. Hipóteses Hipóteses são suposições colocadas como respostas plausíveis e provisórias para o problema de pesquisa. As hipóteses são provisórias porque poderão ser confirmadas ou refutadas com o desenvolvimento da pesquisa. Um mesmo problema pode ter muitas hipóteses, que são soluções possíveis para a sua resolução. A(s) hipótese(s) irá(ão) orientar o planejamento dos procedimentos metodológicos necessários à execução da sua pesquisa. (GIL, 1991). 5.4.1 Características das Hipóteses Muitos autores já determinaram as características ou critérios necessários para a validade das hipóteses. Lakatos e Marconi (1991) listamos algumas características já indicadas na literatura. São elas: Consistência lógica; Verificabilidade; Simplicidade ; Relevância ; Profundidade, fertilidade e originalidade. Classificação das Hipóteses O problema, sendo uma dificuldade sentida, compreendida e definida, necessita de uma resposta “provável, suposta e provisória”, que é a hipótese. Para Lakatos e Marconi (1991, p.104) a principal resposta é denominada de hipótese básica e esta pode ser complementada por outras denominadas de hipóteses secundárias: Hipótese Básica -É a afirmação escolhida por você como a principal resposta ao problema proposto. Hipóteses Secundárias - São afirmações complementares e significam outras possibilidades de resposta para o problema.
  • 15. Justificativa De Um Projecto De Pesquisa Em linhas gerais, a justificativa de um projeto é a explicação das motivações para fazer aquela pesquisa científica. Como o próprio nome sugere, é o elemento do trabalho que justifica o próprio projeto de pesquisa. Veja bem. Você pode pensar a justificativa como a maneira pela qual você vai explicar para alguém sobre a importância do seu projeto. Ou então, como a forma que você vai convencer alguém a ler a sua pesquisa. Nessa perspectiva, toda pesquisa já se justificaria. Estrutura técnica da justificativa A pergunta central da justificativa do projeto deve ser: por que fazer essa pesquisa? Para responder a essa pergunta, algumas outras questões podem te ajudar. Esse não é um roteiro rígido para escrever a justificativa. É apenas uma estrutura para despertar outras ideias. Por que você escolheu esse tema? Qual é a razão para que, dentre tantos outros temas, você tenha escolhido ele? A sua pesquisa pretende resolver alguma questão mal resolvida dentro do tema? Quais são os benefícios que sua pesquisa traz ao assunto? Quais são as razões de ordem teórica que explicam a relevância do tema? E de ordem prática? Além disso, a justificativa do projeto deve conter argumentos sólidos que se embasam em conhecimentos técnicos.
  • 16. Conclusão A cada período que corresponda a uma fase, o projecto pode sofrer incrementos e alterações significativas que ditarão o ritmo das atividades que devem ser desenvolvidas. A partir da matriz e da lista de stakeholders, você pode começar a elaborar as ações ideais para cada um deles. O ideal é fazer o planejamento antecipadamente, para conseguir lidar com ele da melhor forma possível. O foco, como mencionamos acima, é uma comunicação eficiente e personalizada, a melhor forma de conseguir que a sua influência seja positiva e muito mais Estimar a duração da atividade é o processo de estimar o número de períodos de trabalho (semanas/meses) necessários para concluir a tarefa individual com recursos estimados. Esta etapa define quanto tempo uma tarefa individual levará para ser concluída. Portanto, Problema, para Kerlinger (1980, p.35), “é uma questão que mostra uma situação necessitada de discussão, investigação, decisão ou solução”. Sem contar que, assim como o tema, o problema e os objetivos, a justificativa também faz parte da estruturação do planejamento geral da pesquisa. Justamente por esse motivo, deve-se elaborá-la nos primeiros momentos do planejamento da pesquisa e inclui-la no projeto de pesquisa.