SlideShare uma empresa Scribd logo
Posto de
Assistência
Espirita
Estudo baseado no livro de nome Posto de
assistência espirita de editora Auta de Souza!
Aula1: Deus e Assistência
• Deus te abençoe o pão que dás à porta
Aos romeiros cansados da agonia,
O teto aos que se vão em noite fria
Na dor em que a nudez se desconforta.
Deus te abençoe, porém, com mais ternura
A presença da paz e da ventura
De todo amor que dês sem recompensa.
Auta de Souza
“Deus e Assistência”
• “O auxilio divino é como o sol, irradiando-se para todos. As instituições e
as almas que se voltam para o Pai Celestial recebem o suprimento de
recursos de que necessitam, segundo as possibilidade de recepção que
demonstrem”(André Luiz, entre a terra e o Céu, 19 ed., p.70)
• “Em todo homem repousa a partícula do criador; com a qual pode a
criatura terrestre participar dos poderes sagrados da criação.
• O Espírito encarnado ainda não ponderou devidamente o conjunto de
possibilidades divinas guardadas em suas mãos, dons sagrados tantas
vezes convertidos em elementos de ruínas e destruição
Entretanto, os poucos que sabem crescer na sua divindade, pela
exemplificação, pela exemplificação e pelo ensinamento, são
cognominados na terra santos e heróis, por afirmarem a sua condição na
terra santos e heróis, por afirmarem a sua condição na terra santos e
heróis, por afirmarem a sua condição espiritual, sendo justo que todas as
criaturas procurem alcançar esses valores desenvolvendo para o bem e
para a luz a sua natureza divina”
(Emmananuel, O consolador, 15. ed., perg. 302)
1.1. Pai Caridoso
...O pai visita os filhos necessitados, através dos filhos que procuram
compreendê-los. Nunca poderia vir, em pessoa, enxugar o pranto do necessitado que
chora, em consequência, alias, do olvido das Divinas Leis, compete ao filho ir ao
reencontro dele. Ainda que nos demoremos nas lagrimas e nas aflições, jamais
permanecemos ao desamparo. Apenas devemos salientar que a resposta de Deus
vão sendo mais claras á medida que se intensifique o nosso merecimento,
reconheçamos que para estas respostas, são utilizados todos que trazem consigo a
luz da bondade e já possuem o mérito e confiança para auxiliar em nome de
Deus”(André Luiz, Os mensageiros, 25 ed. p. 136-137)
Imperioso lembrar que todos os valores da vida, desde as mais remotas
constelações à mais mínima partícula, pertencem a Deus, que coordena tudo. Somos
simples usuários da natureza , com responsabilidade em todos os nossos atos, desde
que já possuamos algum discernimento. O espirito seja onde for, encarnado ou
desencarnado, na terra ou noutro mundo, gasta na verdade oque não lhe pertence,
recebendo por empréstimos do Eterno Pai os recursos de que necessita para
sublimação no conhecimento e na virtude.
Patrimônios materiais e riquezas da inteligência, tempo e forma, afeições e rótulos
honoríficos são de propriedade de Deus, que nos concede afim de que possamos,
utiliza-los no aprimoramento de nós mesmo
Desde o Elétron aos gigantes astronômicos da tela Cósmica, tudo
constitui reservas das energias de Deus, que usamos por permissão
dele...
-Realmente no mundo o homem inteligente já sabe que toda
propriedade exclusiva não passa de simples suposição. Por
empréstimo, sim, todos os valores da existência é lhe dado por
determinado tempo, de vez que a morte funciona como juiz
inexorável, transferindo bens de uma mão para outra. Ai vemos os
princípios de causa e efeito, em toda a força de sua manifestação, por
que, no uso ou no abuso delas, cada alma cria na própria consciência
os créditos e débitos que lhe atrairão as facilidades ou obstáculos do
caminho.
Quanto mais amplitude em nossos conhecimentos, mais
responsabilidade em nossas ações. Através de nossos pensamentos,
palavras e atos que nos fluem, gastamos e transformamos
constantemente as energias do Senhor, em nossa viagem evolutiva,
nos setores da experiência, dos nossos sentimentos e praticas da
marcha a vida organiza em nós mesmos, a nossa conta agradável ou
desagradável ante a lei do destino(André Luiz, Ação e Reação, 10 ed p. 88,90)
1.2. Amoroso
• “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que
deu o seu filho unigênito, para que todo aquele que
nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
Jesus(João, 3:16)
• “Na prece encontramos a produção avançada de
elementos-força. Eles chegam da Providencia em
quantidade igual para todos os que deem ao
trabalho divino da intercessão, mas cada espirito
tem uma capacidade diferente para receber. E como
Deus socorre o homem pelo homem e atende a
alma, cada um de nós somente poderá auxiliar os
semelhantes e colaborar o Senhor, com as
qualidades de elevação já conquistadas na vida.”(André
Luiz, Os mensageiros)
1.3 Generoso
“A Casa do Pai é muito mais generosa que qualquer figuração
magnânima apresentada, até agora, no mundo, pelo pensamento
religioso. Em seus celeiros abundantes, há empréstimos e
moratórias, concessões de tempo e recursos que a mais vigorosa
imaginação humana jamais calculará!
O Altíssimo fornece dádivas a todos, e, na atualidade, é
aconselhável meditar sobre os recursos que lhe foram concedidos
pelo Céu, buscando renovar-se nos rumos do bem.
Os prisioneiros da concepção de justiça implacável ignoram os
poderosos auxílios do Todo-Poderoso, que se manifestam através
de mil modos diferentes; contudo, os que procuram a própria
iluminação pelo amor universal sabem que Deus dá sempre e que
é necessário aprender a receber(Emmanuel, pão nosso).
1.4 Fiel
• Na causa de Deus, a fidelidade de ser uma das
primeiras virtudes. Onde o filho e o pai que não
desejam estabelecer, como ideal de união, a
confiança integral e reciproca? Nós não podemos
duvidar da fidelidade do nosso Pai para conosco.
Ainda o não conhecíamos e ele já nos amava. E,
caso, poderemos desdenhar a possibilidade de
retribuição? Não seria repudiarmos o título de filhos
amorosos, o fato de nos deixarmos absorver no
afastamento, favorecendo a negação(Humberto de Campos, Boa nova)
1.5 Solicito
• A providencia é a solicitude de Deus para com as
suas criaturas. Ele está em toda parte, tudo vê, a
tudo preside, mesmo ás coisas mais mínimas. É
nisto que consiste a ação providencial. (Allan kardec, A genese)
1.6 Bondoso
• “Deus é... Soberanamente justo e bom”
• “Por preces devemos interpretar todo ato de relação entre
homem e Deus. Devido a isso mesmo, como expressão de
agradecimento ou de rogativa, a oração é sempre um
esforço da criatura em face da providencia divina. Os que
apenas suplicam podem ser ignorantes, os que louvam
podem ser apenas preguiçosos. Todo aquele porem, que
trabalha pelo bem, com as suas mãos e com o seu
pensamento, esse é o filho que aprendeu a orar, na
exaltação ou na rogativa, por que em todas as
circunstancias será fiel a Deus, consciente de que a vontade
do pai é mais justa e sábia do que a sua própria (Umberto de
campos, Boa Nova)
1.7 Vontade Divina
• “Ao lado de cada homem e da mulher, no mundo,
permanece viva a vontade de Deus, relativamente aos
deveres que lhes cumprem. Cada qual tem a sua frente o
serviço que lhe compete, como cada dia traz consigo
possibilidades especiais de realização no bem. O Universo
enquadra-se na ordem absoluta. Aves livres em limitados
céus, interferimos no plano divino, criando para nós prisões
e liames, libertação e enriquecimento, Insta, pois, nos
adaptemos ao equilíbrio divino, atendendo à função insulada
que nos cabe, em plena colmeia da vida” (André Luiz, No mundo maior)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fora da Caridade não há Salvação
Fora da Caridade não há SalvaçãoFora da Caridade não há Salvação
Fora da Caridade não há Salvação
Luciane Belchior
 
Fora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvaçãoFora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvação
Anderson Dias
 
23 de janeiro 2015 a caridade e a esmola
23 de janeiro 2015   a caridade e a esmola23 de janeiro 2015   a caridade e a esmola
23 de janeiro 2015 a caridade e a esmola
Lar Irmã Zarabatana
 
Conduta Espírita na Prática da Caridade
Conduta Espírita na Prática da CaridadeConduta Espírita na Prática da Caridade
Conduta Espírita na Prática da Caridade
igmateus
 
Caridade
Caridade  Caridade
Caridade
umecamaqua
 
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moralPalestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Divulgador do Espiritismo
 
Jesus E A Caridade
Jesus E A CaridadeJesus E A Caridade
Jesus E A Caridade
meebpeixotinho
 
Evangeliza - Fora da caridade não há salvação
Evangeliza - Fora da caridade não há salvaçãoEvangeliza - Fora da caridade não há salvação
Evangeliza - Fora da caridade não há salvação
Antonino Silva
 
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direitaCap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
gmo1973
 
Desenvolver a caridade
Desenvolver a caridadeDesenvolver a caridade
Desenvolver a caridade
Helio Cruz
 
Moral cristã e caridade
Moral cristã e caridadeMoral cristã e caridade
Moral cristã e caridade
Marcel Jefferson Gonçalves
 
Caridade
CaridadeCaridade
Caridade
Daniela Azevedo
 
Benevolência para com todos
Benevolência para com todosBenevolência para com todos
Benevolência para com todos
Helio Cruz
 
Caridade
CaridadeCaridade
Caridade
Irene Aguiar
 
Aula M1 (21/07/2011) - Caridade
Aula M1 (21/07/2011) - CaridadeAula M1 (21/07/2011) - Caridade
Aula M1 (21/07/2011) - Caridade
Mocidade Espírita União Fraternal
 
Caridade
CaridadeCaridade
( Espiritismo) # - aparecida cruz - fazer o bem sem ostentacao
( Espiritismo)   # - aparecida cruz - fazer o bem sem ostentacao( Espiritismo)   # - aparecida cruz - fazer o bem sem ostentacao
( Espiritismo) # - aparecida cruz - fazer o bem sem ostentacao
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Cap.15 evangelho segundo espiritismo
   Cap.15 evangelho segundo espiritismo   Cap.15 evangelho segundo espiritismo
Cap.15 evangelho segundo espiritismo
rodrigo ariola
 
Palestra o bem e o mal
Palestra o bem e o malPalestra o bem e o mal
Palestra o bem e o mal
Fernando Oliveira
 
Série Evangelho no Lar - Cap. 55 - Assistência e Nós
Série Evangelho no Lar - Cap. 55 - Assistência e NósSérie Evangelho no Lar - Cap. 55 - Assistência e Nós
Série Evangelho no Lar - Cap. 55 - Assistência e Nós
Ricardo Azevedo
 

Mais procurados (20)

Fora da Caridade não há Salvação
Fora da Caridade não há SalvaçãoFora da Caridade não há Salvação
Fora da Caridade não há Salvação
 
Fora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvaçãoFora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvação
 
23 de janeiro 2015 a caridade e a esmola
23 de janeiro 2015   a caridade e a esmola23 de janeiro 2015   a caridade e a esmola
23 de janeiro 2015 a caridade e a esmola
 
Conduta Espírita na Prática da Caridade
Conduta Espírita na Prática da CaridadeConduta Espírita na Prática da Caridade
Conduta Espírita na Prática da Caridade
 
Caridade
Caridade  Caridade
Caridade
 
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moralPalestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
 
Jesus E A Caridade
Jesus E A CaridadeJesus E A Caridade
Jesus E A Caridade
 
Evangeliza - Fora da caridade não há salvação
Evangeliza - Fora da caridade não há salvaçãoEvangeliza - Fora da caridade não há salvação
Evangeliza - Fora da caridade não há salvação
 
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direitaCap 13 Não saiba a vossa mão esquerdao que dê a vossa mão direita
Cap 13 Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita
 
Desenvolver a caridade
Desenvolver a caridadeDesenvolver a caridade
Desenvolver a caridade
 
Moral cristã e caridade
Moral cristã e caridadeMoral cristã e caridade
Moral cristã e caridade
 
Caridade
CaridadeCaridade
Caridade
 
Benevolência para com todos
Benevolência para com todosBenevolência para com todos
Benevolência para com todos
 
Caridade
CaridadeCaridade
Caridade
 
Aula M1 (21/07/2011) - Caridade
Aula M1 (21/07/2011) - CaridadeAula M1 (21/07/2011) - Caridade
Aula M1 (21/07/2011) - Caridade
 
Caridade
CaridadeCaridade
Caridade
 
( Espiritismo) # - aparecida cruz - fazer o bem sem ostentacao
( Espiritismo)   # - aparecida cruz - fazer o bem sem ostentacao( Espiritismo)   # - aparecida cruz - fazer o bem sem ostentacao
( Espiritismo) # - aparecida cruz - fazer o bem sem ostentacao
 
Cap.15 evangelho segundo espiritismo
   Cap.15 evangelho segundo espiritismo   Cap.15 evangelho segundo espiritismo
Cap.15 evangelho segundo espiritismo
 
Palestra o bem e o mal
Palestra o bem e o malPalestra o bem e o mal
Palestra o bem e o mal
 
Série Evangelho no Lar - Cap. 55 - Assistência e Nós
Série Evangelho no Lar - Cap. 55 - Assistência e NósSérie Evangelho no Lar - Cap. 55 - Assistência e Nós
Série Evangelho no Lar - Cap. 55 - Assistência e Nós
 

Semelhante a 1-Posto de Assistência Espirita.

Evangeliza - Lei de adoração
Evangeliza - Lei de adoraçãoEvangeliza - Lei de adoração
Evangeliza - Lei de adoração
Antonino Silva
 
Crystal sete dons do espirito santo
Crystal   sete dons do espirito santoCrystal   sete dons do espirito santo
Crystal sete dons do espirito santo
Rosa Silva
 
AULA 04 - Provas existência de Deus e Providência divina_2017.pptx
AULA 04 - Provas existência de Deus e Providência divina_2017.pptxAULA 04 - Provas existência de Deus e Providência divina_2017.pptx
AULA 04 - Provas existência de Deus e Providência divina_2017.pptx
ValdirSouza41
 
A prece
A preceA prece
A prece
Helio Cruz
 
Sete dons do espirito santo
Sete dons do espirito santoSete dons do espirito santo
Sete dons do espirito santo
Cheilacrisma
 
Oração Dominical
Oração DominicalOração Dominical
Oração Dominical
Fatoze
 
Como ser fiel em tudo
Como ser fiel em tudoComo ser fiel em tudo
Como ser fiel em tudo
jb1955
 
8 entreaterraeoceu-1954-101008115411-phpapp01
8 entreaterraeoceu-1954-101008115411-phpapp018 entreaterraeoceu-1954-101008115411-phpapp01
8 entreaterraeoceu-1954-101008115411-phpapp01
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Pai Nosso
Pai NossoPai Nosso
Palestra Espirita - Prece
Palestra Espirita - PrecePalestra Espirita - Prece
Palestra Espirita - Prece
manumino
 
Fonte viva
Fonte vivaFonte viva
A razão da dor
A razão da dorA razão da dor
A razão da dor
Helio Cruz
 
Andre luiz -_chico_xavier_-_entre_a_terra_e_o_céu
Andre luiz -_chico_xavier_-_entre_a_terra_e_o_céuAndre luiz -_chico_xavier_-_entre_a_terra_e_o_céu
Andre luiz -_chico_xavier_-_entre_a_terra_e_o_céu
havatar
 
8 entre a-terra_e_o_ceu-1954
8 entre a-terra_e_o_ceu-19548 entre a-terra_e_o_ceu-1954
8 entre a-terra_e_o_ceu-1954
paulasa pin
 
Palestra Prece
Palestra PrecePalestra Prece
Palestra Prece
Grupo Espírita Cristão
 
Diversidades emmanuel vinha de luz
Diversidades emmanuel vinha de luzDiversidades emmanuel vinha de luz
Diversidades emmanuel vinha de luz
Izabel Cristina Fonseca
 
Reclamar das circunstâncias da vida
Reclamar das circunstâncias da vidaReclamar das circunstâncias da vida
Reclamar das circunstâncias da vida
Helio Cruz
 
Encontrando o equilíbrio - Paul Washer
Encontrando o equilíbrio - Paul WasherEncontrando o equilíbrio - Paul Washer
Encontrando o equilíbrio - Paul Washer
Portal Cristão
 
Roteiro 4 a providência divina
Roteiro 4   a providência divinaRoteiro 4   a providência divina
Roteiro 4 a providência divina
Bruno Cechinel Filho
 
O Lar Adventista - Estudo 03
O Lar Adventista - Estudo 03O Lar Adventista - Estudo 03
O Lar Adventista - Estudo 03
Pr. Delmar Fonseca
 

Semelhante a 1-Posto de Assistência Espirita. (20)

Evangeliza - Lei de adoração
Evangeliza - Lei de adoraçãoEvangeliza - Lei de adoração
Evangeliza - Lei de adoração
 
Crystal sete dons do espirito santo
Crystal   sete dons do espirito santoCrystal   sete dons do espirito santo
Crystal sete dons do espirito santo
 
AULA 04 - Provas existência de Deus e Providência divina_2017.pptx
AULA 04 - Provas existência de Deus e Providência divina_2017.pptxAULA 04 - Provas existência de Deus e Providência divina_2017.pptx
AULA 04 - Provas existência de Deus e Providência divina_2017.pptx
 
A prece
A preceA prece
A prece
 
Sete dons do espirito santo
Sete dons do espirito santoSete dons do espirito santo
Sete dons do espirito santo
 
Oração Dominical
Oração DominicalOração Dominical
Oração Dominical
 
Como ser fiel em tudo
Como ser fiel em tudoComo ser fiel em tudo
Como ser fiel em tudo
 
8 entreaterraeoceu-1954-101008115411-phpapp01
8 entreaterraeoceu-1954-101008115411-phpapp018 entreaterraeoceu-1954-101008115411-phpapp01
8 entreaterraeoceu-1954-101008115411-phpapp01
 
Pai Nosso
Pai NossoPai Nosso
Pai Nosso
 
Palestra Espirita - Prece
Palestra Espirita - PrecePalestra Espirita - Prece
Palestra Espirita - Prece
 
Fonte viva
Fonte vivaFonte viva
Fonte viva
 
A razão da dor
A razão da dorA razão da dor
A razão da dor
 
Andre luiz -_chico_xavier_-_entre_a_terra_e_o_céu
Andre luiz -_chico_xavier_-_entre_a_terra_e_o_céuAndre luiz -_chico_xavier_-_entre_a_terra_e_o_céu
Andre luiz -_chico_xavier_-_entre_a_terra_e_o_céu
 
8 entre a-terra_e_o_ceu-1954
8 entre a-terra_e_o_ceu-19548 entre a-terra_e_o_ceu-1954
8 entre a-terra_e_o_ceu-1954
 
Palestra Prece
Palestra PrecePalestra Prece
Palestra Prece
 
Diversidades emmanuel vinha de luz
Diversidades emmanuel vinha de luzDiversidades emmanuel vinha de luz
Diversidades emmanuel vinha de luz
 
Reclamar das circunstâncias da vida
Reclamar das circunstâncias da vidaReclamar das circunstâncias da vida
Reclamar das circunstâncias da vida
 
Encontrando o equilíbrio - Paul Washer
Encontrando o equilíbrio - Paul WasherEncontrando o equilíbrio - Paul Washer
Encontrando o equilíbrio - Paul Washer
 
Roteiro 4 a providência divina
Roteiro 4   a providência divinaRoteiro 4   a providência divina
Roteiro 4 a providência divina
 
O Lar Adventista - Estudo 03
O Lar Adventista - Estudo 03O Lar Adventista - Estudo 03
O Lar Adventista - Estudo 03
 

Mais de ThiagoPereiraSantos2

Curso para intrutores da doutrina espirita!
Curso para intrutores da doutrina espirita!Curso para intrutores da doutrina espirita!
Curso para intrutores da doutrina espirita!
ThiagoPereiraSantos2
 
Libertação pelo amor.
Libertação pelo amor.Libertação pelo amor.
Libertação pelo amor.
ThiagoPereiraSantos2
 
O poder Das Palavras.pptx
O poder Das Palavras.pptxO poder Das Palavras.pptx
O poder Das Palavras.pptx
ThiagoPereiraSantos2
 
Estudando André Luiz 1- Cap 12.
Estudando André Luiz 1- Cap 12.Estudando André Luiz 1- Cap 12.
Estudando André Luiz 1- Cap 12.
ThiagoPereiraSantos2
 
Estudando André Luiz 1- cap 13
Estudando André Luiz 1- cap 13Estudando André Luiz 1- cap 13
Estudando André Luiz 1- cap 13
ThiagoPereiraSantos2
 
Estudando André Luiz 1- cap 14.
Estudando André Luiz 1- cap 14.Estudando André Luiz 1- cap 14.
Estudando André Luiz 1- cap 14.
ThiagoPereiraSantos2
 
Estudando André Luiz 1- Cap 10.
Estudando André Luiz 1- Cap 10.Estudando André Luiz 1- Cap 10.
Estudando André Luiz 1- Cap 10.
ThiagoPereiraSantos2
 
Estudando André Luiz 1- Cap 11.
Estudando André Luiz 1- Cap 11.Estudando André Luiz 1- Cap 11.
Estudando André Luiz 1- Cap 11.
ThiagoPereiraSantos2
 
O Evangelho no Lar.
O Evangelho no Lar.O Evangelho no Lar.
O Evangelho no Lar.
ThiagoPereiraSantos2
 
Quando as pequenas pedras importam.
Quando as pequenas pedras importam.Quando as pequenas pedras importam.
Quando as pequenas pedras importam.
ThiagoPereiraSantos2
 
Estudando André Luiz 1- Cap 9
Estudando André Luiz 1- Cap 9Estudando André Luiz 1- Cap 9
Estudando André Luiz 1- Cap 9
ThiagoPereiraSantos2
 
Estudando André Luiz 1- Cap 8
Estudando André Luiz 1- Cap 8Estudando André Luiz 1- Cap 8
Estudando André Luiz 1- Cap 8
ThiagoPereiraSantos2
 
Estudando André Luiz 1- Cap 7
Estudando André Luiz 1- Cap 7Estudando André Luiz 1- Cap 7
Estudando André Luiz 1- Cap 7
ThiagoPereiraSantos2
 
Estudando André Luiz 1- Cap 6.
Estudando André Luiz 1- Cap 6.Estudando André Luiz 1- Cap 6.
Estudando André Luiz 1- Cap 6.
ThiagoPereiraSantos2
 
O Caminho que devemos seguir.
O Caminho que devemos seguir.O Caminho que devemos seguir.
O Caminho que devemos seguir.
ThiagoPereiraSantos2
 
Estudando André Luiz 1- Cap 5.
Estudando André Luiz 1- Cap 5.Estudando André Luiz 1- Cap 5.
Estudando André Luiz 1- Cap 5.
ThiagoPereiraSantos2
 
Estudando André Luiz 1- cap 4.
Estudando André Luiz 1- cap 4.Estudando André Luiz 1- cap 4.
Estudando André Luiz 1- cap 4.
ThiagoPereiraSantos2
 
Estudando André Luiz 1- Cap 3.
Estudando André Luiz 1- Cap 3.Estudando André Luiz 1- Cap 3.
Estudando André Luiz 1- Cap 3.
ThiagoPereiraSantos2
 
Estudando André Luiz 1- Cap 2
Estudando André Luiz 1- Cap 2Estudando André Luiz 1- Cap 2
Estudando André Luiz 1- Cap 2
ThiagoPereiraSantos2
 
A auto cura, curando os males espirituais
A auto cura, curando os males espirituais A auto cura, curando os males espirituais
A auto cura, curando os males espirituais
ThiagoPereiraSantos2
 

Mais de ThiagoPereiraSantos2 (20)

Curso para intrutores da doutrina espirita!
Curso para intrutores da doutrina espirita!Curso para intrutores da doutrina espirita!
Curso para intrutores da doutrina espirita!
 
Libertação pelo amor.
Libertação pelo amor.Libertação pelo amor.
Libertação pelo amor.
 
O poder Das Palavras.pptx
O poder Das Palavras.pptxO poder Das Palavras.pptx
O poder Das Palavras.pptx
 
Estudando André Luiz 1- Cap 12.
Estudando André Luiz 1- Cap 12.Estudando André Luiz 1- Cap 12.
Estudando André Luiz 1- Cap 12.
 
Estudando André Luiz 1- cap 13
Estudando André Luiz 1- cap 13Estudando André Luiz 1- cap 13
Estudando André Luiz 1- cap 13
 
Estudando André Luiz 1- cap 14.
Estudando André Luiz 1- cap 14.Estudando André Luiz 1- cap 14.
Estudando André Luiz 1- cap 14.
 
Estudando André Luiz 1- Cap 10.
Estudando André Luiz 1- Cap 10.Estudando André Luiz 1- Cap 10.
Estudando André Luiz 1- Cap 10.
 
Estudando André Luiz 1- Cap 11.
Estudando André Luiz 1- Cap 11.Estudando André Luiz 1- Cap 11.
Estudando André Luiz 1- Cap 11.
 
O Evangelho no Lar.
O Evangelho no Lar.O Evangelho no Lar.
O Evangelho no Lar.
 
Quando as pequenas pedras importam.
Quando as pequenas pedras importam.Quando as pequenas pedras importam.
Quando as pequenas pedras importam.
 
Estudando André Luiz 1- Cap 9
Estudando André Luiz 1- Cap 9Estudando André Luiz 1- Cap 9
Estudando André Luiz 1- Cap 9
 
Estudando André Luiz 1- Cap 8
Estudando André Luiz 1- Cap 8Estudando André Luiz 1- Cap 8
Estudando André Luiz 1- Cap 8
 
Estudando André Luiz 1- Cap 7
Estudando André Luiz 1- Cap 7Estudando André Luiz 1- Cap 7
Estudando André Luiz 1- Cap 7
 
Estudando André Luiz 1- Cap 6.
Estudando André Luiz 1- Cap 6.Estudando André Luiz 1- Cap 6.
Estudando André Luiz 1- Cap 6.
 
O Caminho que devemos seguir.
O Caminho que devemos seguir.O Caminho que devemos seguir.
O Caminho que devemos seguir.
 
Estudando André Luiz 1- Cap 5.
Estudando André Luiz 1- Cap 5.Estudando André Luiz 1- Cap 5.
Estudando André Luiz 1- Cap 5.
 
Estudando André Luiz 1- cap 4.
Estudando André Luiz 1- cap 4.Estudando André Luiz 1- cap 4.
Estudando André Luiz 1- cap 4.
 
Estudando André Luiz 1- Cap 3.
Estudando André Luiz 1- Cap 3.Estudando André Luiz 1- Cap 3.
Estudando André Luiz 1- Cap 3.
 
Estudando André Luiz 1- Cap 2
Estudando André Luiz 1- Cap 2Estudando André Luiz 1- Cap 2
Estudando André Luiz 1- Cap 2
 
A auto cura, curando os males espirituais
A auto cura, curando os males espirituais A auto cura, curando os males espirituais
A auto cura, curando os males espirituais
 

Último

grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
luartfelt
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
EzeirAlvesdaSilva
 
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
LaerciodeSouzaSilva1
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
OBrasilParaCristoRad
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
Especialidade  Arqueologia  Bíblica.pptxEspecialidade  Arqueologia  Bíblica.pptx
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
AlexandreJr7
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
mfixa3824
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 

Último (20)

grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
 
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
Especialidade  Arqueologia  Bíblica.pptxEspecialidade  Arqueologia  Bíblica.pptx
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 

1-Posto de Assistência Espirita.

  • 1. Posto de Assistência Espirita Estudo baseado no livro de nome Posto de assistência espirita de editora Auta de Souza!
  • 2. Aula1: Deus e Assistência • Deus te abençoe o pão que dás à porta Aos romeiros cansados da agonia, O teto aos que se vão em noite fria Na dor em que a nudez se desconforta. Deus te abençoe, porém, com mais ternura A presença da paz e da ventura De todo amor que dês sem recompensa. Auta de Souza
  • 3. “Deus e Assistência” • “O auxilio divino é como o sol, irradiando-se para todos. As instituições e as almas que se voltam para o Pai Celestial recebem o suprimento de recursos de que necessitam, segundo as possibilidade de recepção que demonstrem”(André Luiz, entre a terra e o Céu, 19 ed., p.70) • “Em todo homem repousa a partícula do criador; com a qual pode a criatura terrestre participar dos poderes sagrados da criação. • O Espírito encarnado ainda não ponderou devidamente o conjunto de possibilidades divinas guardadas em suas mãos, dons sagrados tantas vezes convertidos em elementos de ruínas e destruição Entretanto, os poucos que sabem crescer na sua divindade, pela exemplificação, pela exemplificação e pelo ensinamento, são cognominados na terra santos e heróis, por afirmarem a sua condição na terra santos e heróis, por afirmarem a sua condição na terra santos e heróis, por afirmarem a sua condição espiritual, sendo justo que todas as criaturas procurem alcançar esses valores desenvolvendo para o bem e para a luz a sua natureza divina” (Emmananuel, O consolador, 15. ed., perg. 302)
  • 4. 1.1. Pai Caridoso ...O pai visita os filhos necessitados, através dos filhos que procuram compreendê-los. Nunca poderia vir, em pessoa, enxugar o pranto do necessitado que chora, em consequência, alias, do olvido das Divinas Leis, compete ao filho ir ao reencontro dele. Ainda que nos demoremos nas lagrimas e nas aflições, jamais permanecemos ao desamparo. Apenas devemos salientar que a resposta de Deus vão sendo mais claras á medida que se intensifique o nosso merecimento, reconheçamos que para estas respostas, são utilizados todos que trazem consigo a luz da bondade e já possuem o mérito e confiança para auxiliar em nome de Deus”(André Luiz, Os mensageiros, 25 ed. p. 136-137) Imperioso lembrar que todos os valores da vida, desde as mais remotas constelações à mais mínima partícula, pertencem a Deus, que coordena tudo. Somos simples usuários da natureza , com responsabilidade em todos os nossos atos, desde que já possuamos algum discernimento. O espirito seja onde for, encarnado ou desencarnado, na terra ou noutro mundo, gasta na verdade oque não lhe pertence, recebendo por empréstimos do Eterno Pai os recursos de que necessita para sublimação no conhecimento e na virtude. Patrimônios materiais e riquezas da inteligência, tempo e forma, afeições e rótulos honoríficos são de propriedade de Deus, que nos concede afim de que possamos, utiliza-los no aprimoramento de nós mesmo
  • 5. Desde o Elétron aos gigantes astronômicos da tela Cósmica, tudo constitui reservas das energias de Deus, que usamos por permissão dele... -Realmente no mundo o homem inteligente já sabe que toda propriedade exclusiva não passa de simples suposição. Por empréstimo, sim, todos os valores da existência é lhe dado por determinado tempo, de vez que a morte funciona como juiz inexorável, transferindo bens de uma mão para outra. Ai vemos os princípios de causa e efeito, em toda a força de sua manifestação, por que, no uso ou no abuso delas, cada alma cria na própria consciência os créditos e débitos que lhe atrairão as facilidades ou obstáculos do caminho. Quanto mais amplitude em nossos conhecimentos, mais responsabilidade em nossas ações. Através de nossos pensamentos, palavras e atos que nos fluem, gastamos e transformamos constantemente as energias do Senhor, em nossa viagem evolutiva, nos setores da experiência, dos nossos sentimentos e praticas da marcha a vida organiza em nós mesmos, a nossa conta agradável ou desagradável ante a lei do destino(André Luiz, Ação e Reação, 10 ed p. 88,90)
  • 6. 1.2. Amoroso • “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Jesus(João, 3:16) • “Na prece encontramos a produção avançada de elementos-força. Eles chegam da Providencia em quantidade igual para todos os que deem ao trabalho divino da intercessão, mas cada espirito tem uma capacidade diferente para receber. E como Deus socorre o homem pelo homem e atende a alma, cada um de nós somente poderá auxiliar os semelhantes e colaborar o Senhor, com as qualidades de elevação já conquistadas na vida.”(André Luiz, Os mensageiros)
  • 7. 1.3 Generoso “A Casa do Pai é muito mais generosa que qualquer figuração magnânima apresentada, até agora, no mundo, pelo pensamento religioso. Em seus celeiros abundantes, há empréstimos e moratórias, concessões de tempo e recursos que a mais vigorosa imaginação humana jamais calculará! O Altíssimo fornece dádivas a todos, e, na atualidade, é aconselhável meditar sobre os recursos que lhe foram concedidos pelo Céu, buscando renovar-se nos rumos do bem. Os prisioneiros da concepção de justiça implacável ignoram os poderosos auxílios do Todo-Poderoso, que se manifestam através de mil modos diferentes; contudo, os que procuram a própria iluminação pelo amor universal sabem que Deus dá sempre e que é necessário aprender a receber(Emmanuel, pão nosso).
  • 8. 1.4 Fiel • Na causa de Deus, a fidelidade de ser uma das primeiras virtudes. Onde o filho e o pai que não desejam estabelecer, como ideal de união, a confiança integral e reciproca? Nós não podemos duvidar da fidelidade do nosso Pai para conosco. Ainda o não conhecíamos e ele já nos amava. E, caso, poderemos desdenhar a possibilidade de retribuição? Não seria repudiarmos o título de filhos amorosos, o fato de nos deixarmos absorver no afastamento, favorecendo a negação(Humberto de Campos, Boa nova)
  • 9. 1.5 Solicito • A providencia é a solicitude de Deus para com as suas criaturas. Ele está em toda parte, tudo vê, a tudo preside, mesmo ás coisas mais mínimas. É nisto que consiste a ação providencial. (Allan kardec, A genese)
  • 10. 1.6 Bondoso • “Deus é... Soberanamente justo e bom” • “Por preces devemos interpretar todo ato de relação entre homem e Deus. Devido a isso mesmo, como expressão de agradecimento ou de rogativa, a oração é sempre um esforço da criatura em face da providencia divina. Os que apenas suplicam podem ser ignorantes, os que louvam podem ser apenas preguiçosos. Todo aquele porem, que trabalha pelo bem, com as suas mãos e com o seu pensamento, esse é o filho que aprendeu a orar, na exaltação ou na rogativa, por que em todas as circunstancias será fiel a Deus, consciente de que a vontade do pai é mais justa e sábia do que a sua própria (Umberto de campos, Boa Nova)
  • 11. 1.7 Vontade Divina • “Ao lado de cada homem e da mulher, no mundo, permanece viva a vontade de Deus, relativamente aos deveres que lhes cumprem. Cada qual tem a sua frente o serviço que lhe compete, como cada dia traz consigo possibilidades especiais de realização no bem. O Universo enquadra-se na ordem absoluta. Aves livres em limitados céus, interferimos no plano divino, criando para nós prisões e liames, libertação e enriquecimento, Insta, pois, nos adaptemos ao equilíbrio divino, atendendo à função insulada que nos cabe, em plena colmeia da vida” (André Luiz, No mundo maior)